Вы находитесь на странице: 1из 10

Giardia lamblia

Giardia lamblia
Protozoário flagelado causador da giardíase.
Distribuição mundial
Mais comum em climas temperados e em crianças nos primeiros
anos de vida.
Reservatório - os seres humanos atuam como importante
reservatório da doença e, possivelmente, animais selvagens e
domésticos podem atuar como reservatórios da giardíase. Os cistos
presentes nas fezes dos seres humanos são mais infectantes do que
os provenientes dos animais.
Biologia da Giardia
Duas formas: cisto e trofozoíto.
Ambas formas podem ser eliminadas nas fezes:
Fezes diarréicas – trofozoítos
Fezes formadas – cistos - forma infectante
Contaminação: ingestão de cistos em água ou alimentos
contaminados
Ação das enzimas digestivas – desencistamento – trofozoítos
Trofozoítas podem ficar livres na luz intestinal ou se fixarem na
parede duodenal pelo disco suctorial.
A infecção ocorre pela
ingestão de cistos em
Os trofozoítas ficam livres ou água ou alimentos
contaminados.
aderidos à mucosa intestinal,
por mecanismo de sucção.
Se aderir à mucosa
intestinal –
comprometimento da
absorção de nutrientes.
A gravidade da doença é
proporcional ao número de No intestino delgado, os
trofozoítos sofrem
parasitos. divisão binária e chegam
à luz do intestino
A formação do cisto ocorre
quando o parasita transita o
cólon, e neste estágio os
cistos são encontrados nas
fezes (forma infectante).

Os trofozoítos vivem no duodeno


e nas primeiras porções do
jejuno, e a atividade dos flagelos
lhes confere rápido e irregular
deslocamento.
Quando vai ocorrer o encistamento – ocorre redução do metabolismo
e do tamanho do trofozoíto
Perde o disco suctorial e os flagelos
Secreta uma parede cística ao seu redor

Dentro do cisto o núcleo se duplica Quando o homem ingere um


cisto, infecta-se com dois
trofozoítos.
Patogenia
Período de incubação: varia de 5 a 25 dias, com uma média de 7 a
10 dias – pode durar vários meses.
Manifestações clínicas: variáveis.
Evacuações líquidas ou pastosas;
Número aumentado de evacuações;
Mal estar, cólicas abdominais e perda de peso.
Pode evoluir para formas subagudas ou crônicas.
Diagnóstico
Visualização de cistos ou trofozoítos nas
fezes
Três coletas de fezes com intervalo
de dois a três dias

fase aguda: menos cistos - falso


negativo.
Medidas de controle
1) Notificação de surtos
2) Medidas preventivas:
I. Higiene pessoal e dos alimentos
II. Saneamento básico
III. Fervura ou filtração da água
3) Medidas em epidemias – tentar identificar a fonte de infecção e o
modo de transmissão;
Tratamento