You are on page 1of 14

Administração Pública

Aula 06

Prof. Nivaldo Vieira Lourenço

Pró-reitoria de EaD e CCDD 1


Conversa inicial
No processo de implantação do modelo gerencial de Administração Pública no Brasil,
a partir dos anos de 1990, um dos temas de interesse é o da regulação estatal de
mercados e a do papel das agências reguladoras. Podemos afirmar que o sistema
regulatório brasileiro está em fase de consolidação, pois ainda há debates e estudos
sobre o processo de implantação e implementação das agências reguladoras.
Atualmente, existem dez agências reguladoras no Brasil, e as mesmas controlam
setores que vão do audiovisual à vigilância sanitária, passando por telecomunicações,
saúde e transportes.

Nesta aula, iremos estudar as agências reguladoras no Brasil, sabendo que elas
podem estar vinculadas aos governos federal, estadual e municipal, e são
responsáveis pela definição de regras e pela fiscalização dos serviços essenciais, tais
como o fornecimento de energia elétrica, telefonia, água, entre outros.

Contextualizando
Faremos uma breve exposição sobre a regulação e o desenvolvimento institucional do
Estado em relação ao surgimento das agências reguladoras. Estudaremos
exclusivamente as agências reguladoras existentes em nível federal. Abordaremos as
agências reguladoras criadas a partir da década de 1990 para regulamentar seus
respectivos setores, sendo:

 Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel);

 Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel);

 Agência Nacional de Petróleo (ANP);

 Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa);

 Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS);

 Agência Nacional de Águas (ANA);

Pró-reitoria de EaD e CCDD 2


 Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq);

 Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT);

 Agência Nacional do Cinema (Ancine);

 Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Também diferenciaremos agências reguladoras de agências executivas.

Tema 01: Conceito de agência reguladora

As metas definidas para o processo de início da reforma administrativa no Brasil, nos


anos de 1990, são: a maior eficiência no desempenho das atividades da
Administração Pública, a maior transparência das ações, a maior capacidade
gerencial, e a maior aproximação com a sociedade, assim, o Estado redimensionou
sua atuação como agente normativo, criando as agências reguladoras.

Agências reguladoras são autarquias em regime especial, criadas para disciplinar e


controlar atividades determinadas, e foram instituídas em razão do fim do monopólio
estatal. São responsáveis pela regulamentação, pelo controle e pela fiscalização de
serviços públicos, atividades e bens transferidos ao setor privado.

Leitura obrigatória

Capítulo 6 >>> LOURENÇO, N. V. Administração Pública: modelos, conceitos,


reformas e avanços para uma nova gestão. 1 ed. Curitiba: Intersaberes, 2015.

Pró-reitoria de EaD e CCDD 3


Saiba mais
Analise a Lei n. 8.031/90, que cria o Programa de Desestatização >>> BRASIL. Lei n.
8.031, de 12 de abril de 1990, Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília,
DF, 12 abr. 1990. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/LEIS/L8031.htm>. Acesso em: 12 fev. 2016.

Agora, analise a Lei n. 9.491/97, que revogou a Lei n. 8.031/1990 >>> BRASIL. Lei n.
9.491, de 09 de setembro de 1997. Diário Oficial da União, Poder Legislativo,
Brasília, DF, 10 set. 1997c. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9491.htm>. Acesso em: 12 fev. 2016.

Assista ao vídeo O que são agências reguladoras. Entrevista com o professor


Carlos Ari, da Fundação Getúlio Vargas. Disponível em:
<https://www.youtube.com/watch?v=3MKaDrhqRRc>. Acesso em: 12 fev. 2016.

Tema 02: O surgimento das agências reguladoras no Brasil


As agências reguladoras, no Brasil, surgiram a partir de 1990, quando o país passou
por uma revisão quanto ao seu papel social e econômico. O Estado como agente
econômico forçou a redução desse papel ao optar por atuar como agente normativo e
regulador da atividade econômica, conforme consta no artigo 174, caput, da
Constituição Federal de 1988.

Essa mudança de modelo administrativo culminou com a institucionalização do


Programa Nacional de Desestatização, através da Lei n. 8.031/90, posteriormente
revogada pela Lei n. 9.491/97. A Constituição Federal de 1988 já previu no artigo 21 a
criação de um órgão regulador dos serviços de telecomunicações, para o qual foi
dada nova redação pela Emenda Constitucional n. 8/1995, e no artigo 177, um órgão
regulador do setor petrolífero. As demais agências reguladoras decorrem de uma
decisão do executivo e do legislativo, no qual não inviabiliza a possibilidade de
criação de órgãos reguladores em outros setores de atividades.

Leitura obrigatória >>> Capítulo 6


LOURENÇO, N. V. Administração Pública: modelos, conceitos, reformas e avanços
para uma nova gestão. 1 ed. Curitiba: Intersaberes, 2015.

Pró-reitoria de EaD e CCDD 4


Leia também o artigo 174 da Constituição Federal de 1988 >>> BRASIL.
Constituição (1988). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988. Disponível em:
<http://www.senado.gov.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/ind.asp>.
Acesso em: 07 mar. 2016.

Saiba mais
Analise a legislação de criação das agências reguladoras >>>
BRASIL. Lei n. 9.427, de 26 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Poder
Legislativo, Brasília, DF, 27 dez. 1996. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9427compilada.htm>. Acesso em: 12 fev.
2016.

BRASIL. Lei n. 9.472, de 16 de julho de 1997. Diário Oficial da União, Poder


Legislativo, Brasília, DF, 17 jul. 1997a. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9472.htm>. Acesso em: 12 fev. 2016.

BRASIL. Lei n. 9.478, de 6 de agosto de 1997. Diário Oficial da União, Poder


Legislativo, Brasília, DF, 07 ago. 1997b. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9478.htm>. Acesso em: 12 fev. 2016.

BRASIL. Lei n. 9.782, de 26 de janeiro de 1999. Diário Oficial da União, Poder


Legislativo, Brasília, DF, 27 jan. 1999a. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9782.htm>. Acesso em: 12 fev. 2016.

BRASIL. Lei n. 9.961, de 28 de janeiro de 2000. Diário Oficial da União, Poder


Legislativo, Brasília, DF, 29 jan. 2000a. Disponível em:
<tthp://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9961.htm>. Acesso em: 12 fev. 2016.

BRASIL. Lei n. 9.984, de 17 de julho de 2000. Diário Oficial da União, Poder


Legislativo, Brasília, DF, 18 jul. 2000b. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9984.htm>. Acesso em: 17 fev. 2016.

BRASIL. Lei n. 10.233, de 5 de junho de 2001. Diário Oficial da União, Poder


Legislativo, Brasília, DF, 6 jun. 2001a. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10233.htm>. Acesso em: 12 fev.
2016.

BRASIL. Lei n. 11.182, 27 de setembro de 2005. Diário Oficial da União, Poder


Legislativo, Brasília, DF, 27 set. 2005. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/Lei/L11182.htm>. Acesso

Pró-reitoria de EaD e CCDD 5


em: 12 fev. 2016.

BRASIL. Medida Provisória n. 2.228-1, de 6 de setembro de 2001. Diário Oficial da


União, Poder Executivo, Brasília, DF, 10 set. 2001c. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/mpv/2228-1.htm>. Acesso em: 12 fev. 2016.

Tema 03: Agências reguladoras, suas funções e características

Vamos estudar as funções e características das dez agências reguladoras federais:

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)


Regula e fiscaliza a geração, transmissão, distribuição e comercialização da energia
elétrica. Vinculada ao Ministério de Minas e Energia, também atende a reclamações
de agentes e consumidores.

Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)


Promove o desenvolvimento das telecomunicações no país, tem independência
administrativa e financeira, e não está subordinada a nenhum órgão de governo. Tem
poderes de outorga, regulamentação e fiscalização, e deve adotar medidas
necessárias para atender ao interesse do cidadão.

Agência Nacional de Petróleo (ANP)


Regula as atividades da indústria de petróleo e gás natural e dos biocombustíveis. É
uma autarquia federal, vinculada ao Ministério de Minas e Energia.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)


Tem independência administrativa e autonomia financeira e é vinculada ao Ministério
da Saúde. Protege a saúde da população ao realizar o controle sanitário da produção
e comercialização de produtos e serviços que devem passar por vigilância sanitária,
fiscalizando, inclusive, os ambientes, processos, insumos e as tecnologias
relacionados a esses produtos e serviços.

Pró-reitoria de EaD e CCDD 6


Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)
Vinculada ao Ministério da Saúde, promove a defesa do interesse público na
assistência suplementar à saúde, e regula as operadoras setoriais, inclusive quanto
às suas relações com prestadores e consumidores.

Agência Nacional de Águas (ANA)


Vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, mas com autonomia administrativa e
financeira, implementa e coordena a gestão dos recursos hídricos no país e regula o
acesso à água.

Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq)


Vinculada ao Ministério dos Transportes, tem autonomia financeira e administrativa.
Implementa as políticas formuladas pelo ministério e pelo Conselho Nacional de
Integração de Políticas de Transporte (Conit) e regula, supervisiona e fiscaliza os
serviços prestados no segmento de transportes aquaviários, bem como a exploração
da infraestrutura portuária e aquaviária exercida por terceiros.

Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT)


Vinculada ao Ministério dos Transportes, tem independência administrativa e
financeira, é responsável pela concessão de ferrovias, rodovias e transporte
ferroviário, no que compete à exploração da infraestrutura, e pela permissão de
transporte coletivo regular de passageiros por rodovias e ferrovias.

Agência Nacional do Cinema (Ancine)


É uma autarquia especial e, por isso, tem independência administrativa e financeira. É
vinculada ao Ministério da Cultura, e tem como objetivo principal o fomento à
produção, distribuição e exibição de obras cinematográficas e videofonográficas.

Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)


É vinculada à Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, e tem como
funções garantir a segurança no transporte aéreo, qualidade dos serviços e o respeito

Pró-reitoria de EaD e CCDD 7


aos direitos do consumidor.

Leitura obrigatória >>> Capítulo 6


LOURENÇO, N. V. Administração Pública: modelos, conceitos, reformas e avanços
para uma nova gestão. 1. ed. Curitiba: Intersaberes, 2015.

Saiba mais
Acesse os sites das Agências Reguladoras
ANA – Agência Nacional de Águas <http://www2.ana.gov.br/Paginas/default.aspx>

ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil <http://www.anac.gov.br>

ANATEL – Agência Nacional de Telecomunicações


<http://www.anatel.gov.br/institucional/>

ANCINE – Agência Nacional do Cinema <http://www.ancine.gov.br>

ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica <http://www.aneel.gov.br>

ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis


<http://www.anp.gov.br>

ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar <http://www.ans.gov.br>

ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários


<http://www.antaq.gov.br/Portal/default.asp?>

ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres <http://www.antt.gov.br>

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária


<http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home>

Tema 04: Diferença entre agências reguladoras e agências executivas

Agências reguladoras são autarquias em regime especial, criadas para disciplinar e


controlar atividades determinadas, e foram instituídas em razão do fim do monopólio
estatal. Elas são responsáveis pela regulamentação, pelo controle e pela fiscalização
de serviços públicos, atividades e bens transferidos ao setor privado. Agências
executivas são autarquias ou fundações públicas, definidas pela Lei n. 9.649/98.

Pró-reitoria de EaD e CCDD 8


As agências executivas são autarquias ou fundações públicas que, por iniciativa da
administração direta, recebem o status de agência, desde que preencham alguns
requisitos, que visam a uma maior eficiência e redução de custos.

Leitura obrigatória >>> Capítulo 6


LOURENÇO, N. V. Administração Pública: modelos, conceitos, reformas e avanços
para uma nova gestão. 1 ed. Curitiba: Intersaberes, 2015.

Leia o artigo 51 da Lei 9.649/1998 >>> BRASIL. Lei n. 9.649, de 27 de maio de 1998.
Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF, 28 de maio 1998d. Disponível
em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9649cons.htm>. Acesso em: 17 jun.
2015.

Saiba mais
Assista ao vídeo AGU Explica: o que fazem as agências reguladoras? Disponível
em: <https://www.youtube.com/watch?v=tKVCOSRPOwQ>. Acesso em: 12 fev. 2016.

Assista ao vídeo Agências Executivas, com o professor Marcus Bittencourt.


Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=SmYMBzn2_Pw>. Acesso em: 12
fev. 2016.

Tema 05: A natureza jurídica e o controle das agências reguladoras

No Brasil, as agências reguladoras são autarquias, pessoa jurídica de direito público;


porém, sendo autarquias, não constituem um novo modelo organizacional dentro da
Administração Pública, então estão subordinadas às normas constitucionais.
Sabemos que o regime especial a que estão submetidas vem definido nas suas
respectivas leis de criação.

Por mais que sejam independentes ou autônomas, as agências reguladoras


submetem-se ao controle por parte dos Três Poderes do Estado e também do Tribunal
de Contas da União, que é órgão integrante do Poder Legislativo Federal. A
Constituição Federal de 1988, no seu artigo 49, deixa claro o papel do Congresso
Nacional em relação ao controle das agências reguladoras.

Pró-reitoria de EaD e CCDD 9


Leitura obrigatória >>> Capítulo 6
LOURENÇO, N. V. Administração Pública: modelos, conceitos, reformas e avanços
para uma nova gestão. 1 ed. Curitiba: Intersaberes, 2015.

Saiba mais
Leia os artigos 49 e 71 da Constituição Federal de 1988 >>> BRASIL. Constituição
(1988). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988. Disponível em:
<http://www.senado.gov.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/ind.asp>.
Acesso em: 07 mar. 2016.

Trocando ideias
O Brasil, a partir de 1930, passou por diversas reformas administrativas, algumas
consideradas “minirreformas”. Bresser Pereira afirma que são duas as reformas: a
que iniciou nos anos de 1930, a reforma burocrática; e a reforma iniciada em 1995,
a gerencial. Vamos assistir ao vídeo Provocações 315, com Luiz Carlos Bresser
Pereira - parte 1 - bloco 01 – TV Cultura. Disponível em:
<https://www.youtube.com/watch?v=cK5lbokd-jE>.

Após esse vídeo, analise o debate e apresente os temas mais relevantes


demonstrados por Bresser Pereira nesta entrevista, entre os temas a serem discutidos
e analisados estão:
 O desejo de recuperar a agenda nacional
 A segunda reforma do estado
 A afirmação que a reforma gerencial durará pelo menos por 30 anos
 A volta ao nacionalismo

Na Prática

Um dos documentos oficiais que apresentam a justificativa para a criação das


agências reguladoras é a Construção do Marco Legal dos Entes Reguladores, no qual
foi aprovado em 1996 pelo Conselho de Reforma do Estado. Neste período, o Estado
era visto como burocrático, enorme, intervencionista e obsoleto.

Pró-reitoria de EaD e CCDD 10


A recomendação era a criação de uma política regulatória que apresentasse coerência
em relação às propostas de governo, no caso, uma visão mais gerencial para a
Administração Pública, tendo como meta a criação de entidades de fiscalização e
regulação de serviços públicos. Então, as agências reguladoras teriam como tarefas:

 Controlar a qualidade do serviço público prestado aos cidadãos;

 Controlar a regularidades dos serviços prestados aos cidadãos;

 Assegurar aos usuários dos serviços uma tarifa razoável;

 Estruturar os mercados onde somente havia atuação do Estado.

O Conselho de Reforma do Estado também apresenta uma relação de princípios para


que as agências reguladoras possam atuar, sendo:

 Autonomia e independência decisória do ente regulador;

 Celeridade processual e simplificação das relações entre o regulador e os


consumidores;

 Limitação da intervenção do Estado na prestação dos serviços públicos;

 Participação dos usuários e investidores no processo de elaboração das


normas regulamentares, através das audiências públicas;

 Ampla publicidade das normas, ações e de seus procedimentos.

Sendo o papel das agências reguladoras resolver problemas em seu âmbito de


atuação, como um instrumento para a realização dos interesses da sociedade,
pergunta-se: quais são os objetivos da função regulatória?

Comentário:

 Buscar a qualidade dos serviços públicos, com menores preços para os consumidores;

 Estimular o investimento privado, tanto nacional quanto internacional nas empresas


prestadoras de serviços públicos;

 Garantir a competitividade do respectivo mercado;

 Garantir os direitos dos consumidores dos serviços públicos;

 Diminuir os conflitos entre os consumidores e as empresas prestadoras de serviços;

 Prevenir o abuso do poder econômico por agentes prestadores dos serviços públicos;

Pró-reitoria de EaD e CCDD 11


 Garantir uma adequada remuneração dos investimentos realizados pelas empresas
prestadoras dos serviços.

Síntese
Estudamos as agências reguladoras federais, que são órgãos governamentais e
exercem o papel de fiscalização, regulamentação e controle de produtos e serviços de
interesse público, tais como energia elétrica, vigilância sanitária, cultura,
telecomunicações, entre outros. Também estudamos a diferença entre agências
reguladoras e as agências executivas, podendo concluir que as razões para a criação
das agências reguladoras são baseadas no processo de delegação de poderes, de
especialização dos agentes e de credibilidade de prestar um serviço com eficiência.

Referências

ANA – Agência Nacional de Águas. Disponível em: <http://www2.ana.gov.br/Paginas/default.aspx>.


Acesso em: 12 fev. 2016.

ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil. Disponível em: <http://www.anac.gov.br>. Acesso em: 12
fev. 2016.

ANATEL – Agência Nacional de Telecomunicações. Disponível em:


<http://www.anatel.gov.br/institucional/>. Acesso em: 12 fev. 2016.

ANCINE – Agência Nacional do Cinema. Disponível em: <http://www.ancine.gov.br>. Acesso em: 12


fev. 2016.

ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica. Disponível em: <http://www.aneel.gov.br>. Acesso em:
12. fev. 2016.

ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Disponível:


<http://www.anp.gov.br>. Acesso em: 12 fev. 2016.

ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar. Disponível em: <http://www.ans.gov.br>. Acesso em:
12 fev. 2016.

ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Disponível em:


<http://www.antaq.gov.br/Portal/default.asp?>. Acesso em: 12 fev. 2016.

ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres. Disponível em: <http://www.antt.gov.br>. Acesso


em: 12 fev. 2016.

Pró-reitoria de EaD e CCDD 12


ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Disponível em:
<http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home>. Acesso em: 12 fev. 2016.

BRASIL. Constituição (1988). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988. Disponível em:
<http://www.senado.gov.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/ind.asp>. Acesso em: 07
mar. 2016.

BRASIL. Lei n. 8.031, de 12 de abril de 1990, Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF,
12 abr. 1990. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/LEIS/L8031.htm>. Acesso em: 12
fev. 2016.

______. Lei n. 9.491, de 09 de setembro de 1997. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília,
DF, 10 set. 1997c. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9491.htm>. Acesso em: 12
fev. 2016.

______. Lei n. 9.427, de 26 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília,
DF, 27 dez. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9427compilada.htm>.
Acesso em: 12 fev. 2016.

_____. Lei n. 9.472, de 16 de julho de 1997. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF,
17 jul. 1997a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9472.htm>. Acesso em: 12 fev.
2016.

_____. Lei n. 9.478, de 6 de agosto de 1997. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF,
07 ago. 1997b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9478.htm>. Acesso em: 12 fev.
2016.

______. Lei n. 9.649, de 27 de maio de 1998. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF,
28 de maio 1998d. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9649cons.htm>. Acesso
em: 17 jun. 2015.

_____. Lei n. 9.782, de 26 de janeiro de 1999. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF,
27 jan. 1999a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9782.htm>. Acesso em: 12 fev.
2016.

_____. Lei n. 9.961, de 28 de janeiro de 2000. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF,
29 jan. 2000a. Disponível em: <tthp://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9961.htm>. Acesso em: 12 fev.
2016.

_____. Lei n. 9.984, de 17 de julho de 2000. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF,
18 jul. 2000b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9984.htm>. Acesso em: 17 fev.
2016.

_____. Lei n. 10.233, de 5 de junho de 2001. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF, 6
jun. 2001a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10233.htm>. Acesso em:
12 fev. 2016.

_____. Lei n. 11.182, 27 de setembro de 2005. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF,
27 set. 2005. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-
2006/2005/Lei/L11182.htm>. Acesso em: 12 fev. 2016.

BRASIL. Medida Provisória n. 2.228-1, de 6 de setembro de 2001. Diário Oficial da União, Poder

Pró-reitoria de EaD e CCDD 13


Executivo, Brasília, DF, 10 set. 2001c. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/mpv/2228-
1.htm>. Acesso em: 12 fev. 2016.

LOURENÇO, N. V. Administração Pública: modelos, conceitos, reformas e avanços para uma nova
gestão. 1. ed. Curitiba: Intersaberes, 2015.

Vídeo: Agências Executivas, com o Professor Marcus Bittencourt. Disponível em:


<https://www.youtube.com/watch?v=SmYMBzn2_Pw>. Acesso em: 12 fev. 2016.

Vídeo: AGU Explica: O que fazem as agências reguladoras? Disponível em:


<https://www.youtube.com/watch?v=tKVCOSRPOwQ>. Acesso em: 12 fev. 2016.

Vídeo: O que são agências reguladoras, enviado em 27 de agosto de 2010. Entrevista com o Professor
Carlos Ari, professor da Fundação Getúlio Vargas. Disponível em:
<https://www.youtube.com/watch?v=3MKaDrhqRRc>. Acesso em 12 fev. 2016.

Vídeo: Provocações 315, com Luiz Carlos Bresser Pereira - parte 1 - bloco 01 – TV Cultura. Disponível
em: <https://www.youtube.com/watch?v=cK5lbokd-jE>. Acesso em: 07 mar. 2016.

Pró-reitoria de EaD e CCDD 14