Вы находитесь на странице: 1из 16

1

Informática

INFORMÁTICA

RANIELISON
PASSOS
1.  INTRODUÇÃO A INFORMÁTICA�����������������������������������������������������������������������3
1.1 Conceitos iniciais������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3
1.1.1 História�������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3
1.1.2 Definição de sistemas de informação��������������������������������������������������������������������������������������3
1.1.3 Computador����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3

2.  CLASSIFICAÇÃO DE SOFTWARE ������������������������������������������������������������������� 4


2.1 Software Livre����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������5
2.1.1 4 Liberdades de software livre��������������������������������������������������������������������������������������������������5
2.1.2 Outros tipos de licença de software livre������������������������������������������������������������������������������ 6
2.2 Software Proprietário��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������7
2.2.1 Tipos de licença de software proprietário������������������������������������������������������������������������������8
2.3 Software Gratuito�������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������10
2.3.1 Tipos de licença de software gratuito�����������������������������������������������������������������������������������10
2.4 Software De Domínio Público����������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 11

3.  TIPOS DE SOFTWARE ������������������������������������������������������������������������������������ 11


3.1 Firmware������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������ 11
3.1.1 Software embarcado������������������������������������������������������������������������������������������������������������������ 11
3.2 Bios�������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 11
3.2.1 ETAPAS DE FUNCIONAMENTO DO BIOS������������������������������������������������������������������������������ 12

4.  HARDWARE�������������������������������������������������������������������������������������������������� 13
4.1 Termos Utilizados para Descrever o Hardware����������������������������������������������������������������������������������� 13
4.1.1 Equipamento������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������ 13
4.1.2 Drive�������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 13
4.1.3 Periférico������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������ 14
4.2 Dispositivos de Entrada e Saída������������������������������������������������������������������������������������������������������������ 14
4.2.1 Tipos de periféricos������������������������������������������������������������������������������������������������������������������ 14

Informática
2
1.  INTRODUÇÃO A INFORMÁTICA através de cálculos binários, inclusão do valor “0” ou “1”, para
computar trajetórias e táticas de guerras. Para o aluno compreen-
1.1 Conceitos iniciais der mais sobre o assunto, indico uma pesquisa rápida na Internet
sobre a máquina ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Com-
Para começarmos o estudo da matéria de Informática é im-
puter - Computador e Integrador Numérico Eletrônico). Essa parte
portante conhecermos alguns conceitos básico sobre esse assun-
da história é muito importante, pois as máquinas atuais continuam
to, que será explicado, brevemente, em um resumo histórico sobre
funcionando o processamento em binário.
a evolução dos sistemas computacionais.
O primeiro ponto importante sobre a matéria é bastante in-
teressante para ao aluno, ainda que esse assunto não seja relevan-
te para o concurso público, essa pequena introdução sobre a ma-
téria torna-se uma base solida para posteriormente montarmos o
estudo sobre o a Informática.
Como estudar essa matéria sem antes compreender o sig-
nificado do termo Informática (Informação Automática)? A forma
mais simples possível de definir a Informática é que Informática
é o estudo dos equipamentos que geram informações de forma
automática, isso quer dizer que os equipamentos relacionados a
essa matéria possuem capacidade de processamento próprio. Es-
sa capacidade de processamento não está atrelada a independên-
cia da interação humana, sendo que essas máquinas funcionam e
são capazes de processar as informações a partir de uma instrução
apresentada pelo usuário ou o operador desse equipamento. Computador ENIAC (Fonte: https://creativephoenixblog.wor-
dpress.com/about/)
1.1.1 História Por fim, a partir do ano de 1981 comeram a fabricação de
O sistema computacional, que são é base do estuda da In- máquinas computacionais com operação através de Sistemas
formática, começou a ser utilizado por volta do século XVII. Nesse Operacionais de Interface Gráfica, as quais podemos encontrar até
período fora criada uma máquina que recebia uma instrução/in- os dias de hoje.
formação do usuário sobre cálculos e automaticamente retornava 3
ao usuário uma resposta sobre aquela instrução de cálculo, esses 1.1.2 Definição de sistemas de informação
equipamentos não funcionavam necessariamente de forma elétri- As bancas organizadoras de concurso público tendem
ca. As máquinas computacionais atuais foram criadas com a evo- a confundir o candidato com os termos Sistema de Informações
lução desse equipamento de cálculos simples, o Ábaco, por isso (S.I.) e Informática. Já sabemos que informática é o estudo de
que denominamos computadores, pois são máquinas capazes de equipamentos que são capazes de processar informações. Mas, o
computar/calcular um dado ou instrução apresentada. que é um Sistema de Informações? Basicamente, é um conjunto
de regras e procedimentos específicos estabelecidos (Sistêmico),
utilizados para transmissão de informações precisas e oportunas
para atender a necessidade de um grupo ou comunidade. Perce-
bemos que pela definição básica de Sistema de Informações não é
utilizado, necessariamente, um equipamento computacional para
essa transmissão de informação, mas assim pode acontece se for
necessário.
O segundo ponto muito importante para o estudo da Infor-
mação é sabermos a definição básica do que venha a ser um Com-
putador ou máquina computacional.
Ábaco Romano (Fonte: http://www.teinteresasaber.com/2014/07/
sabias-como-y-quien-invento-el-numero.html) 1.1.3 Computador
A partir do século XVII começou a evolução da informação Um computador é um instrumento formado (constituído)
e do sistema de cálculos, onde as máquinas começaram a reali- basicamente por componentes de Hardwares, Softwares e Ca-
zar os processamentos das instruções de forma elétrica e também pacidade de Processamento de informações, realizar cálculos de
passaram a possui uma capacidade de realizar cálculos mais com- dados. Veremos adiante a definição básica de cada um desses ele-
plexos. Esses equipamentos começaram a ser utilizados como má- mentos.
quinas de guerras durante a Primeira Guerra Mundial, o que tornou Assim como no princípio da informática, os computadores
a sua evolução muito mais rápida. atuais não possuem autonomia própria, isso significa que eles fun-
Entre os anos de 1930 a 1958, durante o acontecimento da cionam a partir de uma instrução de funcionamento, uma ordem
Segunda Guerra Mundial, as máquinas começaram a funcionar de execução apresentada pelo usuário ou operador da máquina.

INFORMÁTICA
INFORMÁTICA

Até mesmo os robôs, que são computadores superdesenvolvidos, Linguagem de Alto Nível: é basicamente a linguagem de
funcionam somente com instruções do usuário, sejam essas ins- programação utilizada para desenvolvimento de programas (soft-
truções por comando de voz, manipulação por controle remoto ou wares). Essa linguagem é mais simples para o usuário compreen-
instruções de funcionamento pré-programadas em uma memória der, diferentemente do binário e hexadecimal, por isso que o Alto
interna desse equipamento. O mesmo acontece com os compu- Nível é a linguagem que mais se aproxima da linguagem humana.
tadores pessoais, seja notebook, desktop, smartphone, tabletes, Alguns exemplos de linguagem de programação de alto nível: C++,
que possuem sistemas operacionais, Windows, Android, iOs, mas Java, PHP, Pascal...
que funcionam somente com instruções do usuário. Então compreendemos, até aqui, que os programas de
Uma observação importante é que pode cair em questões computadores são desenvolvidos em alto nível. Mas, se o proces-
da sua prova à definição de computador como sendo um instru- sador de uma máquina funciona somente em baixo nível e a ins-
mento formado por Software e Hardware apenas, omitindo nesse truções de um programa, como, por exemplo, Word, Excel, Google
caso o elemento de processamento, visto que o processamento é Chrome, são apresentadas e programadas em alto nível, como o
formado pela união de hardware e software, conforme veremos a computador (processador) compreenderá as informações desses
seguir. Se a questão apresentar essa definição, apenas Hardware e programas? Simples. Quando um programa ou comando do usuá-
Software, o item poderá ser assinalado como correto. rio é executado em Alto Nível, entrará em “cena” o Compilador,
que é uma ferramenta integrada ao Alto Nível que converte, “tra-
Vamos compreender agora, em características básicas, o
duz”, as informações da linguagem de Alto Nível para a linguagem
que é cada um desses elementos que forma um computador:
de Baixo Nível, fazendo assim com que o processador compreenda
HARDWARE a informação corretamente e seja capaz de executar o processa-
O termo em Inglês Hardware é traduzido para o Português co- mento da informação de forma adequada.
mo Equipamento. Esse equipamento é considerado a parte física do Cuidado! Pois as questões constantemente apresentam ao
um computador, isso significa que são todos os componentes que po- candidato a função do Compilador como um “tradutor” da lingua-
demos tocar, apalpar, manusear no mundo físico, como, por exemplo gem de Baixo Nível para a linguagem de Alto Nível, o que é contrá-
teclado, mouse, monitor de vídeo, placa de rede, placa mãe. rio da sua função real.
Outra definição sobre os Hardwares é que a maioria desses SOFTWARE
componentes, geralmente são capazes de executar uma instrução O termo em Inglês Software é traduzindo para o Português
do usuário diretamente em linguagem de máquina. como Programa. Os programas do são considerados a parte lógi-
4
LINGUAGEM DE MÁQUINA ca do computador, são os componentes que não existem fisica-
Antes de avançarmos para o próximo assunto, precisamos mente, mas existem de forma virtual, diferentemente do Hardwa-
fazer uma observação sobre o que é a Linguagem de Máquina ou re que é a parte física do computador.
Código de Máquina como também é chamada. O termo técnico mais apropriado para definição de um
Em comparação com o mundo natural o ser humano pos- Software é: “uma sequência de instruções lógicas, comandos de
sui uma linguagem para se comunicar e apresentar informações, a programação, já programadas no computador para executar uma
linguagem humana, seja linguagem de sinais, falada ou corporal. determinada informação ou instrução. Como exemplos de progra-
Pensando no mundo virtual as máquinas também possuem uma mas nós temos Sistema Operacional, que é o principal programa
linguagem de funcionamento, que é a Linguagem de Máquina. A existente no computador, Navegadores de Internet, Editores de
linguagem de máquina é formada por um nível técnico de funcio- Textos e Planilhas, dentre outros.
namento diferente, o chamado Baixo Nível, vejamos o que é o bai- PROCESSAMENTO
xo nível e também fazendo comparação com Alto Nível, para não Por fim o processamento, que é a parte do computador
sermos pegos de surpresa na hora da prova. responsável por receber instruções ou executar instruções já pro-
Linguagem de Baixo Nível: é a linguagem de máquina de gramadas e calcular essas instruções, processar os dados. A Parte
funcionamento do processador. Quando inserimos uma instru- do processamento envolve durante o seu funcionamento os com-
ção na máquina o processador receberá essa instrução em uma ponentes de Hardware e Software, sendo o Processador (CPU) o
linguagem compreensível para seu funcionamento, que é o Baixo equipamento de Hardware utilizado na parte do processamento,
Nível. Em termos técnicos a banca pode apresentar que Baixo Ní- enquanto que o responsável por receber a informação e/ou apre-
vel são informações programadas no processador de como esse sentar ao usuário a resposta de um processamento é o programa,
componente, o processador, deverá funcionar a partir do momen- “equipamento” de Software.
to que receber uma instrução do usuário e essas informações são
programadas diretamente no setor de memória interna do proces-
2.  CLASSIFICAÇÃO DE SOFTWARE
Em termos técnico podemos dizer que o conceito de clas-
sador, denominado Registradores.
sificação de software está atrelado ao tipo de licença empregada
São exemplo de linguagem de baixo nível, o Binário e Hexa- a um software quando ele é registrado. Esse conceito é associa-
decimal, como também a linguagem de programação Assembly. do a uma forma de registrar um programa, como se fosse de uma
Vejamos agora o que é a linguagem de Alto Nível e para o obra literária ou musical, por exemplo, mas que nesse caso é vol-
que é utilizada. tado para softwares (programas de computador). Em termo mais
simples podemos dizer que Classificação de Software é a “patente Devido ao fato de termos acesso aos códigos de programa-
de registro” empregada a um programa de computador. ção de um software livre, podemos dizer então que esse tipo de
Quando se desenvolve um programa de computador são classificação de software é caracterizado pela possibilidade de
gerados vários códigos de programação para se chegar no pro- estudarmos os códigos fontes quando necessário, pois se temos
duto final, que é um software. E quando se deseja registrar um acesso aos códigos fontes do programa isso se torna possível.
programa será registrado em nome do autor os códigos de pro- Outra característica, que também está relacionada ao fato de ter-
gramação gerados para criar esse programa e qual é a finalidade mos acesso aos códigos fontes, é a possibilidade de adaptar esse
dessa obra em específico, se é um editor de texto, um jogo sim- Software para as nossas necessidades, pois se temos acesso aos
ples, um navegador de internet, por exemplo. Trazendo para um códigos de programação, então podemos alterá-lo ou adaptá-lo, e
caso prático, imagine que você acabou de desenvolver um softwa- se não soubermos programar, então contratamos um serviço par-
re e precisa registrar esse programa em seu nome ou no nome da ticular para realizar essas ações.
sua empresa, para requerer seus direitos sobre essa obra quando Quando alteramos um código fonte original, incluindo ou
necessário garantir sua propriedade intelectual, sendo isso garan- excluindo alguma informação, então criamos uma nova versão a
tido por lei. Então para isso acontecer você deve ir até uma agência partir do programa original. Mas, devemos observar que no con-
específica, que desempenha esse papel, e apresentar seus códi- ceito de classificação de Software Livre não utilizamos o termo
gos de programa do software para registrar o programa conforme “nova versão” e sim “distribuição”, ou seja, quando alteramos um
sua necessidade. Uma observação muito importante é que um de- programa já existente acabamos criando uma distribuição especí-
senvolvedor de software não é obrigado a registrar um programa fica. Então é corretor afirmar que a classificação de software livre
em seu nome ou em nome da sua empresa, podendo fazer uso do permite a livre distribuição, ou seja, é possível criarmos “versões”
programa a qualquer momento ou compartilhá-lo na web livre- a partir do programa original, como já mencionado.
mente, mas não será possível requerer seus direitos sobre aquela Nesse ponto do material devo alertá-los a tomarem muito
obra quando for necessário. cuidado com as associações que banca pode fazer com tipo de li-
Existem vários tipos específicos de classificação de um cença de Software Livre. Geralmente, são apresentadas questões
programa, podendo um software ser registrado para aquisição afirmando que o software livre promove a inclusão digital, o que
de forma gratuita ou comercializada e também é possível regis- é um erro. Inclusão digital é um processo global, como se fosse
trar um software para que os seus códigos fontes, códigos de uma norma internacional, que garante o acesso de toda a popula-
programação, sejam disponibilizados ou não para quem faz uso ção mundial a tecnologia da informação. Em termos mais simples,
do programa. Para cada tipo de registro existe um nome técnico essa norma estabelece que não as pessoas de todo o mundo não
5
descrito na informática, são eles: Software Livre e Software Pro- podem ser privadas de acessarem recursos computacionais, co-
prietário, que são os principais tipos de classificação de software mo, por exemplo, computadores e a Internet. A classificação de
e também os tipos que mais aparecem em provas de concurso; e software livre garante o acesso ao código fonte de um software e
Software Gratuito, Comercial e Software em Domínio Público, que não o acesso a computadores e a Internet, então se a banca apre-
são formas de classificação existente que não são tão frequentes sentar ao candidato a informação que Software Livre promove a
em provas de concurso. Para cada tipo de classificação e software inclusão digital a questão estará errada.
existem regras específicas que geralmente são apresentadas para Os programas registrados como Software Livre são “contro-
o candidato em questões. Vejamos agora especificamente cada lados” por uma fundação que se dedica a eliminação das restrições
um dos tipos de classificação de software. de códigos sobre os programas e promove o desenvolvimento de
softwares com a classificação de distribuição livre. Essa fundação é a
2.1 Software Livre Free Software Foundation (FSF), que em Português significa Funda-
O tipo de classificação de Software Livre é muito confundi- ção para o Software Livre. A FSF apoia integralmente os projetos da
do pelos alunos, pois associam os programas assim registrados a GNU, que é, basicamente, outra fundação que se dedica a criação de
uma forma gratuita de aquisição, em outras palavras, programas programas de classificação Livre, como por exemplo o sistema ope-
classificados como Software Livre são sempre gratuitos, cuidado racional Linux. Em termos mais simples, podemos dizer que tanto a
pois isso não é verdade, pode ou não ser gratuito. A principal ca- FSF (Free Software Foundation) quanto a GNU são fundações que se
racterística de um Software Livre diz respeito à propriedade do dedicam aos registros e controles de softwares livres.
código fonte, códigos de programação, onde estes códigos não Quando um programa for registrado como Software Livre
estarão disponíveis somente para o desenvolvedor do programa ele precisará passar pelo crivo de 4 características básicas que irão
ou para a empresa fabricante. Software Livre tem como principal defini-lo como software livre e que o acompanharam durante sua
característica os códigos fontes estarem disponíveis para os usuá- utilização pelos usuários. Essas características são chamadas de
rios que adquirirem o programa. 4 liberdades de software, criadas pela FSF e que acompanham os
Outra característica muito importante e que devemos ter muito programas de software livre. Vejamos agora as principais caracte-
cuidado é que os programas registrados como Software Livre podem rísticas das 4 liberdades de software.
ser disponibilizados de forma gratuita ou da forma comercializada.
Quem deverá impor essa condição de aquisição ao software é o fabri- 2.1.1 4 Liberdades de software livre
cante do programa, isso significa que não é uma regra os programas Essas características serão aplicadas aos programas classi-
classificados com livre serem adquiridos de forma gratuita. ficados como software livre.

INFORMÁTICA
INFORMÁTICA

Liberdade número 0, ou também conhecida como primei- classificação adicional, vamos a uma situação hipotética com to-
ra execução de liberdade, é caracterizada pela possibilidade do das as características apresentadas até agora.
usuário de um software classificado como livre executar o pro- Você desenvolveu, programou, um software editor de texto
grama para qualquer finalidade desejada. Isso quer dizer que o e precisa registrá-lo como Software livre, para requerer seus di-
usuário de um software livre poderá executar um programa para reitos sobre essa obra. Para isso, você foi até a fundação FSF (Free
atos lícitos e também ilícitos, não sendo responsabilizado judicial- Software Foundation) para concretizar o registro do programa.
mente pelo criador do programa por desvio de uso do software. Durante o registro o programa você será informado de que seu
Por exemplo, você adquire sistema operacional Linux e através produto terá o crivo das 4 liberdades de software, podendo ser
desse programa invade computadores pela internet ou sistemas estudado, modificado, compartilhado e executado para qualquer
bancários para cometer crimes no ciberespaço. Você não poderá finalidade. Antes de finalizar o registro do seu produto o atenden-
ser acionado judicialmente pela fabricante Linux por ter usado um te irá questioná-lo se você deseja registrar outras características
programa que é um sistema operacional para cometer crimes, mas adicionais ao seu produto. Então o atendente lhe apresentará os
poderá ser acionado pela empresa que teve o sistema invadido. registros BSD, LGPL, OSD, Lesser e X-mit, sendo facultativo suas
Então, cuidado com as questões que restringem a utilização de um inclusões no registro do software.
software livre. Vejamos agora as principais características desses tipos de
Liberdade número 1, ou também conhecida como segunda licenças adicionais.
execução de liberdade, é caracterizada pela possibilidade do usuá- Licença BSD (Berkeley Software Distribution): esse tipo de
rio de um software classificado como livre estudar os códigos fontes licença, se for inclusa, durante o registro de um software, permite
do programa para compreender como ele funciona e também adap- que outros usuários tomem posse do código fonte para adapta-
tar um código fonte para as suas necessidades. Por exemplo, você ções, característica essa já estabelecida nas 4 liberdades e reafir-
adquire, para sua empresa, um programa que realiza cadastros de mada na licença BSD, o que torna esse sistema, basicamente, de
clientes, com nome, sexo e idade, mas você precisa cadastrar tam- domínio público. Outra característica muito importante desse tipo
bém endereços e isso não está incluso nos códigos originais do pro- de licença é que após incorporar novos códigos ao programa ori-
grama adquirido. Então, você pode poderá modificar o programa ginal, adaptá-lo, serão permitidas a comercialização dessa nova
original incluindo essa nova função para atender as necessidades da “versão” do programa e também registrar esse novo programa
sua empresa e não poderá ser acionado judicialmente por alterar o como software proprietário. Mas cuidado com as questões de pro-
programa original. Lembrando que software livre tem o código fon- va, pois só é possível comercializar e registrar como proprietário as
6 te aberto e essa liberdade é apenas uma confirmação de que adap- melhorias aplicadas, ou seja, apenas os códigos inclusos ao soft-
tar e estudar o código fonte não serão ações ilícitas. ware e não a parte do programa já existente. Independentemente
Liberdade número 2, ou também conhecida como tercei- de qualquer situação, a licença BSD protege a autoria dos códigos
ra execução de liberdade, é caracterizada pela possibilidade do originais e implica que os novos programas gerados deverão apre-
usuário de um software classificado como livre redistribuir cópias, sentar o nome do autor da versão original.
ou seja, compartilhar os programas e os códigos fontes sem pro- GNU GPL (ou LGPL): esse tipo de licença foi estabelecido pe-
blema algum, de modo que você possa ajudar ao seu próximo. Por la “fundação” GNU e prevê, basicamente, os mesmos direitos das
exemplo, você utiliza a suíte de escritório LibreOffice para editar 4 liberdades de um software livre. Outras informações importan-
textos e planilhas e pode repassar para seus amigos esses apli- tes são que, nesse caso, o usuário que adquirir um programa assim
cativos sem problema algum. Essa característica é uma afirmação registrado também poderá melhorar o programa, comercializar
e que software livre promove a distribuição de software e não a e tornar proprietária essas melhorias realizadas. Além de outras
inclusão digital, como visto anteriormente. características que diferenciam a licença GPL da BSD, a caracterís-
Liberdade número 3, ou também conhecida como quar- ticas mais abordada é que a licença GPL implica que os códigos ori-
ta execução de liberdade, é caracterizada pela possibilidade do ginais devam acompanhar o novo programa, mesmo se esse novo
usuário de um software classificado como livre melhorar, adaptar, software for classificado como um tipo de licença proprietária.
o software e compartilhar com o público essas melhorias realiza- GNU Lesser: é outra licença de software livre criada pela GNU
das. O que difere a segunda e a terceira liberdade da quarta é que e aprovada pela FSF. Essa licença de software livre não concede li-
essa liberdade afirma a possibilidade de compartilhar as melhorias vremente a possibilidade de alterar seus códigos originais, devendo
para todo o público e não apenas para o uso de quem aperfeiçoou, o usuário usar os códigos de um software Lesser para incorporar
como na segunda liberdade, além da possibilidade de distribuir os outros códigos também já existentes em bibliotecas. Outro ponto
códigos melhorados ao público e não apenas os códigos originais importante é que empresas desenvolvedoras de software proprie-
como descrito na terceira liberdade. tário poderão incluir programas Lesser em softwares proprietário já
existentes. A grande diferença entre a licença Lesser com a GPL, por
2.1.2 Outros tipos de licença de software livre exemplo, é que os novos programas que utilizam parte de códigos
Ao classificar um software como livre poderão ser inclusas Lesser deverão ter seus códigos fontes liberado.
outras possibilidades de registro aos softwares. Essas caracte- Obs. 01: Esse tipo de licença, geralmente, aparece em pro-
rísticas adicionais não são obrigatórias durante o registro do pro- vas de concurso atrelada a palavra “Biblioteca”, onde a banca faz
grama, sendo facultativo ao proprietário do software adicioná-las referência desse tipo e classificação com uma biblioteca de códi-
ou não. Para compreendermos melhor essas características de gos já existentes.
Licença OSD (Open Source Definition): o tipo de licença de programação. Um programa classificado como Software Livre,
OSD, em Português Definição do Software Livre, é a “única” con- como já visto outrora, não possui a propriedade do código fonte
siderada um tipo de licença CopyLeft, exigindo necessariamente restrita, onde estes códigos não estarão disponíveis e restritos
que os novos programas criados, a partir de um software regis- somente para o desenvolvedor do programa ou para a empresa
trado como licença OSD, deverão conceder no produto final as fabricante. Isso quer dizer que, Software Livre tem como principal
mesmas liberdades preservadas na versão que foi modificada. característica os códigos fontes, códigos de programação, esta-
Por exemplo, você editou os códigos fontes de um programa re- rem disponíveis para os usuários que adquirirem o programa, dife-
gistrado como GPL e que também é OSD, então seu programa final
rentemente da classificação do tipo Proprietária, onde os códigos
modificado deverá conceder exatamente os tipos de liberdades
fontes não estarão disponíveis para o usuário final do programa,
GPL e OSD, pois assim afirma a licença CopyLeft. Não precisamos
ficando restritos, os códigos fontes, aos criadores do programa ou
de muitas informações sobre esse tipo de licença, pois serão des-
necessárias nesse momento, devemos apenas saber que não são da empresa desenvolvedora.
todos os tipos de licença geradas pela FSF e pela GNU que estabe- Uma informação muito importante que devemos ter cuida-
lecem o padrão CopyLeft, apenas a licença OSD garante isso. do ao respondermos questões, é que os programas registrados
Licença MIT (X-mit): é considerada uma licença Totalmente como Proprietário não apresentam a possibilidade de o usuário
Permissiva e essa frase sempre acompanha esse tipo de licença final adaptar o Software para as suas necessidades, pois se não
para defini-la. Esse tipo de licença apresenta característica pare- temos acesso aos códigos de programação, então não é possível
cidas com a BSD, GLP, como, por exemplo, livre manipulação do alterá-lo ou adaptá-lo. Isso implica diretamente em uma caracte-
código, livre distribuição, possibilidade de comercializar as melho- rística do software proprietário, que, diferentemente do Software
rias, tornar os códigos melhorados de registro proprietário, dentre Livre, não possui livre distribuição, ou seja, não é possível ao usuá-
outras. rio final criar uma versão do programa original.
GNU AGPL (Affero General Public License): a licença Affero A última característica importante sobre os programas re-
GPL, tipo especifico de licença GPL, é voltada especificamente pa- gistrados como software Proprietário é que eles não podem ser
ra aplicações WEB. Esse tipo específico de licença é relativamente utilizados para qualquer finalidade, assim como acontece com os
nova e sua principal atividade é determinar todas as caracterís-
programas registrados ao tipo Software Livre, pois a classifica-
ticas da licença GPL em programas utilizados via nuvem, Cloud
ção de Software do tipo Proprietária implica aos usuários o dever
Computing. Por exemplo, quando utilizado um Webmail, como o
Gmail ou Outlook através de um navegador de internet, para aces- de concordar com os termos de uso do programa utilizado. Essa
mensagem é encontrada geralmente durante a instalação do pro-
7
sar as mensagens recebidos, podemos abrir um arquivo e texto
em anexo diretamente no navegador, sem que necessariamente grama no computador do usuário, onde é apresentado um texto
tenhamos instalados no computador o leitor de texto Word ou contendo todas as regras de uso do software. O problema é que
Writer, por exemplo. A licença do tipo Affero é voltada especifica- a maioria dos usuários não leem as informações ali apresentadas,
mente para programas operados nesse tipo de serviço em nuvem, clicando diretamente na caixa de seleção “Aceito os termos e de-
o sistema de serviços SaaS (Software As A Service), Software co- claração de uso do software” e pressionando posteriormente o
mo Serviço, como veremos em outro momento. botão “próximo”, para continuar com a instalação do programa.
Essa ação não é indicada, pois nos termos e declaração de uso é
2.2 Software Proprietário que encontramos todas as informações sobre as limitações e fun-
A forma de classificação de Software do tipo Proprietária é cionalidades do programa.
muito confundida pelos alunos como sendo o tipo de classificação Existem muitas outras informações relacionadas ao tipo de
dada a programas que devem ser pagos durante a aquisição, ou registro Software Proprietário, mas que não precisamos conhecê-
em outras palavras, os alunos confundem que programas classifi- -las nesse momento, pois são extremamente desnecessárias para
cados como Software Proprietário são sempre programas comer- o nosso estudo. Também não é necessário saber todo o passo a
cializáveis, pagos. Cuidado, pois isso não é verdade, os programas
passo para registrar um programa como Proprietário, mas de-
assim registrados podem ou não ser comercializáveis, assim como
vemos saber que existem tipos específicos de registro para um
no tipo de classificação Software Livre, visto anteriormente. Quem
deverá impor essa condição de aquisição ao software é o fabrican- programa proprietário. Basicamente, no momento em que regis-
te do programa, isso quer dizer que não é uma regra dos progra- tramos um programa como Proprietário devemos adicionar a esse
mas classificados com Proprietário serem adquiridos sempre pela registro um tipo especifico de licença para uso desse programa, ou
forma comercializada, pagos. em outras palavras, devemos registrar qual é o tipo específico do
Para compreendermos a principal característica de um programa que está classificado como Proprietário, se é um pro-
Software Proprietário, primeiramente, devemos fazer uma com- grama complemente finalizado pela empresa ou se ele ainda está
paração entre a classificação de Software Livre e a classificação em desenvolvimento e fora criado uma versão para testes, se é um
de Software Proprietário. Até aqui já sabemos que ambos os ti- programa adquirido juntamente com equipamentos físicos, entre
pos de classificação podem conter programas que são pagos ou outros tipos. Vejamos agora qual são os principais tipos de licença
gratuitos, mas a principal característica desses tipos de classifi- para Software Proprietário que podem ser cobradas em provas de
cação está relacionada ao código fonte do programa, os códigos concurso público.

INFORMÁTICA
INFORMÁTICA

2.2.1 Tipos de licença de software proprietário ou seja, é um programa Sistema Operacional embarcado ao har-
dware, como já vimos anteriormente sobre os Firmwares. Nesse
2.2.1.1 FULL ponto devemos ter muito cuidado com as possíveis pegadinhas
A licença do tipo Full, que traduzindo para o Português sig- das questões de provas, pois nem todo programa OEM é neces-
nifica completa, é o tipo de classificação dada aos programas já sariamente um tipo de firmware, mas alguns programas OEM são
desenvolvidos pelas empresas e que podem ser atualizados cons- tipos de Firmwares.
tantemente por elas, mas com a observação de que sua versão fi- Outra informação muito importante para o nosso estudo é
nal já está pronta para o usuário utilizar. que os programas assim registrados, licença OEM, também pos-
Esse tipo específico de classificação é considerado a versão suem uma versão completa do sistema, ou seja, programas OEM
mais completa de registro de um Software Proprietário e é caracte- herdam as características do tipo de licença Full, que é considera-
rizado pelo fato de que o desenvolvedor do programa ou a empresa da como a versão final de um programa e que não pode conter res-
fabricante não poderá restringir o usuário de acessar os recursos pa- trições em relação ao uso do software nem restringir o conteúdo
ra o uso do programa e também não poderá restringir os conteúdos para o usuário após a aquisição.
do programa durante a instalação ou utilização. Por exemplo, você
usuário acabou de instalar em seu computador um programa editor 2.2.1.3 SHAREWARE
de texto classificado como Full e vamos supor que esse programa foi O termo shareware é a união das palavras em Inglês SHARE,
desenvolvido para realizar 5 ações, alterar o tamanho da fonte, adi- que traduzida para o português significa compartilhar, e WARE
cionar cor no texto, adicionar negrito, adicionar itálico e imprimir o que é um acrônimo relacionado a Software, que traduzido para o
texto. Como esse programa é registrado como Full, todas as pessoas português significa Programa, então a união do termo em Inglês
que adquirirem esse programa, inclusive você, deverão ter acesso SHAREWARE quando traduzido para o português significa, basi-
total as 5 funções realizadas pelo programa, mas cuidado, uma coi- camente, programa compartilhado.
sa é ter acesso total aos recursos oferecidos pelo programa e outra A principal característica desse tipo de licença é que o de-
coisa é ter acesso aos códigos de programação, código fonte. Essa senvolvedor do programa ou a empresa fabricante, detentora dos
informação é totalmente relevante pois é isso que a banca costuma diretos sobre o código, compartilha a versão FULL, versão final e
cobrar em provas, afirmando que os programas classificados como completa, do programa de maneira gratuita e temporariamente.
Full não impedem o usuário de acessar o código fonte do programa, Isso é feito como uma forma de apresentar para o usuário a efi-
o que é um erro já que Software Proprietário restringe o acesso ao ciência do programa desenvolvido ou para que o usuário utilize o
código fonte dos programas. programa durante um tempo, o prazo gratuito estabelecido, para
8
Por fim, podemos dizer que esse tipo de licença geralmente analisar se esse determinado programa atenderá suas necessida-
é comercializado pelos fabricantes, mas cuidado, a palavra geral- des de uso. Mas cuidado não confundir a versão Shareware com o
mente não significa sempre e se abanca afirmar em questões de tipo de licença Demo, que veremos a seguir. Não existe uma regra
prova que a versão de licença do tipo Full sempre será comercia- estabelecida para aplicação do período gratuito que os programas
lizado isso está errado, visto que software proprietário pode ser assim registrados devem operar, mas geralmente essa licença
ou não comercializado, não é, necessariamente, uma regra para a gratuita não passa de 45 dias, mas esse prazo não é uma regra,
aquisição do programa. como citado anteriormente. Por exemplo, você usuário precisa de
um programa antivírus para que esse programa realize uma var-
2.2.1.2 OEM redura no computador a procura de Malwares e após isso apague
A sigla OEM é proveniente do termo em Inglês Original Equi- essas pragas maliciosas encontradas, para isso você instalou em
pment Manufacturer, que traduzido para o português significa sua máquina o programa “AntivirusALFACON” que é registrado
Equipado Originalmente de Fábrica. Esse termo já descreve a prin- sobre a licença Shareware. Esse programa estará disponível pa-
cipal característica desse tipo de licença, pois programas registra- ra realizar todas suas ações programadas, versão Full, durante
dos com a licença OEM são integrados em equipamentos físicos o prazo de 30 dias, sendo que após esse prazo o usuário deverá
durante a sua fabricação para operacionalizar corretamente esses pagar a importância de R$100,00 para migrar o programa para a
dispositivos a que fora acoplado. licença Full, que é versão completa de utilização do software anti-
Essa versão de classificação pode ser utilizada para várias vírus. Após passado o prazo de 45 dias e se não for migrado para a
finalidades, como, por exemplo, operar uma central multimídia plataforma Full o programa ainda estará funcionando, mas serão
de um carro, operar uma smartTV, eletrodomésticos e também é bloqueadas algumas funções, como, por exemplo, irá realizar as
muito comum instalar programas OEM em equipamentos de rede varreduras a procura dos Malwares, mas não irá apaga-las quando
de computadores. Por exemplo, quando um usuário adquire um forem encontradas, para que isso aconteça o usuário deverá mi-
equipamento de rede do tipo roteador de internet, esse equipa- grar para a plataforma Full, pagando a importância de R$100,00.
mento de rede já dispõe de um programa interno que dará funcio- Nesse exemplo R$100,00 foi a quantia em dinheiro estabelecida
nalidades para que o roteador seja corretamente executado. Esse para migração da plataforma, mas esse valor é variável de acordo
programa foi instalado no equipamento durante a fabricação do com a fabricante.
roteador e a sua funcionalidade será voltada para o funcionamen- Uma observação muito importante sobre esse tipo de regis-
to do roteador apenas. Podemos dizer que em alguns casos espe- tro de licença é que a versão Shareware não bloqueia totalmente
cíficos a classificação do tipo OEM é relacionada a um Firmware, o programa assim registrado após passado o prazo de uso gratuito
estabelecido, o programa terá algumas limitações em relação ao 2.2.1.5 DEMO
uso e também de conteúdo, mas o programa não será bloqueado A licença do tipo DEMO é um acrônimo da palavra em In-
completamente como acontece na a versão de licença Trial, que ve- glês Demonstration, que traduzindo para o Português significa
remos a seguir. Demonstração, e que possui características muito simples, mas
que geralmente são confundidas pelo aluno durante a resolução
2.2.1.4 TRIAL de questões com outros tipos de licença de software. A principal
A licença Trial é muito parecido com a versão de licença característica desse tipo de licença é que o criador do programa
assim registrado ou a empresa detentora dos códigos libera o pro-
Shareware, pois as duas possuem a caracteriza de disponibilizar o
grama já desenvolvido em partes, ou seja, nesse caso não será ins-
programa na versão Full, versão completa, gratuitamente por um talada na máquina do usuário a versão Full gratuita e temporária,
tempo de uso já estipulado, mas com a diferença da ação realizada como acontece com as versões Shareware e Trial, será instalada
após vencer o prazo de uso do programa. uma versão resumida do programa Full de forma gratuita e sem
A banca geralmente questiona sobre o conceito básico da prazo de funcionamento estabelecido para o uso do programa.
versão Trial, que é a característica similar a Shareware, liberação Por exemplo, você usuário precisa de um programa antiví-
do programa Full por um prazo de uso gratuito, e isso seria o sufi- rus para que esse programa realize uma varredura no computador
a procura de Malwares e após isso apague essas pragas maliciosas
ciente para resolver essas questões básicas. Mas, algumas ques-
encontradas, para isso você instalou em sua máquina o programa
tões exigem um “peso” maior no conhecimento do candidato, “AntivirusALFACON” que é registrado sobre a licença Demo. Esse
que é a diferença entre a versão Shareware e a versão Trial. Como programa estará disponível para realizar somente a ação de realizar
já vimos anteriormente, após passado o prazo de uso da versão varreduras a procura de pragas maliciosas, sendo que o usuário não
Shareware o programa não será bloqueado completamente, ainda terá a possibilidade de apagar esses Malwares encontrados, pois a
serão executadas algumas ações simples de funcionamento, mas versão Demo é apenas uma demonstração do que o programa po-
alguns conteúdos do programa e uso serão restritos ao usuário. derá fazer. Para que o usuário consiga apagar os programas malicio-
Diferentemente da versão Trial, que bloqueia completamente o sos encontrados pelo antivírus deverá migrar deverá migrar para a
plataforma Full, pagando a importância de R$100,00, como exigido
uso do programa e o usuário não terá a acesso a qualquer tipo de
nesse exemplo para migração de plataforma.
serviços prestado pelo programa registrado como Trial.
No exemplo anterior podemos perceber que não existe um
Assim como na versão Shareware, a versão Trial também prazo de uso do programa, o que diferencia a versão Demo das
não possui uma regra estabelecida para aplicação do período licenças Shareware e Trial que operam na versão Full durante um 9
gratuito que os programas assim registrados devem operar, mas prazo de uso estabelecido. Por exemplo, daqui 10 anos o progra-
geralmente essa licença gratuita não passa de 45 dias, mas esse ma antivírus instalado, como citado no exemplo anterior, será utili-
prazo não é uma regra estabelecida, como citado anteriormente. zado apenas para realizar varreduras a procura de Malwares e não
irá apagar essas pragas maliciosas.
Após passado esse prazo de uso gratuito o programa apresentará
As empresas desenvolvedoras de programas utilizam esse
para o usuário uma mensagem informando que ele deverá migrar
tipo de licença de software para causar o interesse no cliente e até
o programa da versão Trial para a versão Full, onde, geralmente, mesmo para que ele não adquira um produto que não irá satisfa-
ele deverá pagar uma importância em dinheiro para que essa mi- zer suas necessidades.
gração de plataformas aconteça.
Vamos analisar o mesmo exemplo apresentado na versão 2.2.1.6 BETA
Shareware. Supondo que você usuário precisa de um programa Dentre os tipos de licença de Software Proprietário a ver-
antivírus para que esse programa realize uma varredura no compu- são Beta é a mais básica, pois esse tipo de licença é atribuído a um
programa que ainda não foi completamente finalizado, ou seja,
tador a procura de Malwares e após isso apague essas pragas mali-
é um registro feito a programas ainda em desenvolvimento, mas
ciosas encontradas, para isso você instalou em sua máquina o pro- que por algumas circunstâncias a empresa desenvolvedora deseja
grama “AntivirusALFACON” que é registrado sobre a licença Trial. liberar essa parte do programa já desenvolvida para seus clientes.
Esse programa estará disponível para realizar todas suas ações pro- Todos os tipos de licenças apresentadas anteriormente, Full, OEM,
gramadas, versão Full, durante o prazo de 30 dias, sendo que após Shareware, DEMO, Trial, possuem a versão final do software já pro-
esse prazo o usuário deverá pagar a importância de R$100,00 para gramada, o que é diferente da versão Beta, pois o programa ainda
migrar o programa para a licença Full, que é versão completa de uti- não foi completamente desenvolvido, não possui versão Full.
lização do software antivírus. Após passado o prazo de 45 dias e se Esse tipo de classificação é atribuído a um software que
não for migrado para a plataforma Full o programa não terá mais ainda está em fase de teste e termino de programação, mas que
funcionalidades, pois serão bloqueadas todas as funções de uso do fora liberado em partes pelas empresas para que seus clientes,
usuários do programa, utilizem essas partes do software já pro-
programa, ou seja, ele não irá realizar as varreduras a procura dos
gramadas para que as empresas recebam feedback sobre como
Malwares e também não irá apagá-las quando forem encontradas, está sendo o uso do programa, se os clientes estão gostando ou
para que isso aconteça o usuário deverá migrar para a plataforma não, se o software atende as necessidades do usuário e até mesmo
Full, pagando a importância de R$100,00, como exigido nesse informar as empresas sobre os erros que possam ocorrer durante
exemplo para migração de plataforma. o uso do programa.

INFORMÁTICA
INFORMÁTICA

Não podemos confundir a versão de licença Beta com a usuário. Esse tipo de licença é, na esmagadora maioria das vezes,
versão do tipo Demo, pois elas são parecidas em algumas carac- relacionado aos programas registrado como Software Proprie-
terísticas, mas que não podem ser consideradas o mesmo tipo de tário, então essa deverá ser nossa linha de raciocínio na hora de
licença. As duas versões são utilizadas para registrar partes de um resolvermos as questões de prova.
programa, mas com a diferença de que a versão Demo é feita para Uma informação muito importante sobre esse tipo de licen-
registrar partes de um programa já finalizado e a licença Beta é o ça de Software Livre é que, os programas assim registrados não
registro de partes de um programa que ainda está em desenvolvi- perderão suas propriedades de registro, como, por exemplo, o
mento final, sendo nesse último caso impossível adquirir a versão programa registrado como Software Proprietário de versão Full,
Full, porque ela ainda não existe até o momento. ainda terá seu código fonte restrito ao público e o autor do progra-
ma continuará sendo o proprietário legal desse software. Ou seja,
2.3 Software Gratuito a licença de Software Gratuito Freeware manterá a propriedade
A classificação de Software de registro Gratuito é plicada legal de quem desenvolveu o programa de computador, mas com
a programas, softwares, que serão distribuídos pelas fabricantes a diferença de que esse software será disponibilizado pela forma
gratuitamente, ou seja, o usuário não precisará pagar qualquer ti- gratuita de aquisição por parte do usuário.
po de importante em valores para adquirir o produto de software ADWARE
assim registrado. Isso implica também que em nenhum momento
Esse nome Adware aparece também como um tipo de
a fabricante do software deverá impor cobranças em dinheiro, Ro-
Malware, que é uma praga maliciosos utilizada para exibir pro-
yalties, ou qualquer forma de participação em lucros pelo progra-
pagandas e capturar informações de pesquisas do usuário, mas
ma desenvolvido por ela.
o Adware também pode ser considerado uma forma de registro
Os programas registrados como um dos tipos de licença de de Software Gratuito. Quando for assim relacionado a banca deixa
Software Gratuito podem ser registrados também como Software claro para o candidato no enunciado da questão qual será o assun-
Livre ou Software Proprietário, não existe uma regra de restrição to cobrado, se é o Malware do tipo Adware ou se é a classificação
sobre registro afirmando que um programa poderá conter apenas de Software Gratuito do tipo Adware, ainda que nas duas situa-
uma classificação de software, ou livre, ou proprietário, ou gra- ções possíveis de ser cobrado ele será relacionado a propagandas,
tuito, ou comercial, por exemplo. Então podemos dizer que um publicidades ou anúncios.
programa poderá ser classificado como Software Livre e também
A classificação de Software Gratuito do tipo Adware é ca-
receber o registro de um do tipos de Software Gratuito ao mesmo
racterizada, principalmente, pela forma de aquisição totalmente
10 tempo, como também poderá ser registrado como Software Pro-
gratuita, ou seja, um programa já finalizado que é registrado como
prietário e Gratuito ao mesmo tempo, mas para que um programa
Adware deverá ser disponibilizado pela fabricante sem qualquer
registado como Software Livre, por exemplo, seja disponibilizado
cobrança de valor para a aquisição por parte do usuário. Outra
gratuitamente ele não precisa, necessariamente, ser registrado
característica que marca esse tipo de classificação é fato de que
como um dos tipos de Software Gratuito, pois a classificação de
programas assim registrado apresentam para o usuário, geral-
Software Livre já possibilita essa forma de aquisição de software,
mente durante o uso do programa, variadas propagandas e pu-
gratuito ou comercializável, sendo que o mesmo vale para Softwa-
blicidades, que acabam se tornando incômodo e inúteis para o
res registrados como Proprietário. Por exemplo, o sistema opera-
usuário. Isso acontece pelo fato de que a empresa fabricante do
cional Linux é um Software Livre que é adquirido de forma gratui-
programa precisa manter seus custos sobre o software e como ele
ta, mas esse sistema operacional não possui, necessariamente, o
é disponibilizado para o usuário gratuitamente, a forma com que a
registro de Software Gratuito Freeware ou Adware, sendo apenas
empresa fabricante consegue custear o desenvolvimento do pro-
um Software Livre disponibilizado gratuitamente pela fabricante,
grama é com as publicidade e propagandas apresentadas para o
o mesmo vale para sistemas registrados como proprietário.
usuário. Por exemplo, provavelmente você já baixou no seu celular
Um cuidado que devemos tomar nesse ponto do material smartphone ou no seu computador algum jogo gratuitamente e
é que as bancas, tendenciosamente, querem confundir os can- que provavelmente durante a utilização desse jogo é apresentado
didatos afirmando que Software Gratuito é necessariamente um várias propagandas e publicidades, isso quer dizer que esse jogo,
Software em Domínio Público, o que é um erro, pois Software em que é um tipo de software, foi registrado como Software Gratuito
Domínio Público é diferente de Software Gratuito, como vermos do tipo Adware.
posteriormente ainda nesse material.
Outra informação importante e que as bancas geralmente
Vejamos agora quis são os tipos de licença para software gostam de apresentar em provas de concurso é que só será pos-
gratuito que mais são cobradas em concurso públicos. sível retirar essas propagandas apresentadas durante o uso de
um programa registrado como Adware se o usuário adquirir uma
2.3.1 Tipos de licença de software gratuito outra versão de software que é registrado sem essa condição de
apresentação de propagandas e publicidade. Mas, para isso acon-
2.3.1.1 FREEWARE
tecer, na maioria das vezes, o usuário deverá pagar uma quantia
A licença Freeware é caracteriza pela forma de aquisição em dinheiro estabelecida pela fabricante para que seja migrado
totalmente gratuita, ou seja, um programa já finalizado que é re- a plataforma do programa de Software Adware para uma outra
gistrado como Freeware deverá ser disponibilizado pela fabrican- versão do programa registrado que seja utilizado sem as apresen-
te sem qualquer cobrança de valor para a aquisição por parte do tações de propagandas e publicidades durante o uso do software.
2.4 Software De Domínio Público necessário acionar o Hardware em que o programa está aplicado,
por isso dizemos que o Firmware é executado em nível do hardware.
Um programa classificado como Software em Domínio Público
significa que o programa não possui mais os direitos sobre a autoria do Como o firmware é armazenado em uma memória somente
fabricante do software, ou seja, o autor do produto de software não de leitura (ROM), devemos tomar cuidado com as questões, pois
poderá mais impor ou reclamar seus direitos sobre o programa desen- esse tipo de memória nos possibilita apenas a leitura da informa-
volvido. Isso não quer dizer que o programa não possui mais autoria, o ção ali gravada e não suporta novas gravações, mas podemos
que o Software em Domínio Público estabelece é que o autor do soft- utilizar ferramentas específicas para atualização de um firmware.
ware não possui total controle sobre sua obra. Cuidado, pois essas novas atualizações ou melhorias realizadas no
Firmware serão armazenadas em qualquer outro dispositivo de
Tanto os programas classificados como Software Livre quan-
memória que funcione como auxiliar do Firmware e não na memó-
to Software Proprietário podem ser classificados como Software em
ria ROM desse componente de software.
Domínio Público, isso acontece porque passado algum tempo, como
previstos nas leis de cada país, a proteção dos direitos do autor e es- Exemplos de Firmwares utilizados diariamente: Controles-
te software se perde e o produtos de software passa e se tornar de -remotos, calculadoras, HD, teclado, cartão de memória, unidades
bem comum, ou seja, com o passar dos anos um programa perde os USB, celulares, BIOS, câmeras digitais, Tv’s...
direitos de autoria, como mencionado no início desse tópico. Uma
informação extremamente importante é que de acordo com a Lei 3.1.1 Software embarcado
9610/98, uma obra entra em domínio público após 70 anos da mor- O Software embarcado, também chamado de Sistema Em-
te do autor ou quando este não deixa herdeiros, mas dificilmente a barcado ou Programa Embarcado, é um dispositivo de software
banca colocará essa informação em prova. que realiza um conjunto de tarefas predefinidas, geralmente com
Geralmente as questões afirmam que programas assim configurações especificadas durante a fabricação.
classificados não possuem autores ou que o programa não é pro- Alguns dispositivos eletrônicos possuem um Sistema Ope-
tegido por qualquer direito de uso, o que é uma afirma falsa, pois racional próprio ou outros tipos de programas que controlam
os programas em domínio público ainda possuem autoria, mas são o funcionamento do equipamento, como, por exemplo, central
considerados Softwares não protegido por copyright, ou seja, po- multimídia de veículos, ar condicionado, catracas e fechaduras
dem ser utilizados para modificações simples, compartilhamento, eletrônicas, entre outros. Muitas vezes esses dispositivos não pre-
distribuição, entre outras ações. cisam estar conectados a um computador externo para que sejam
operados, pois os programas internos desses dispositivos são su-
3.  TIPOS DE SOFTWARE ficientes para seu correto funcionamento. Esses programas são 11
chamados de Sistemas Operacionais Embarcados, que são confi-
3.1 Firmware gurados em chips de memória do tipo ROM durante a fabricação
Um Firmware, dentre vários, é um dos tipos de programa do equipamento que o Sistema Operacional opera.
de computador que possuem funções específicas. O termo técni- Podemos observar que as características do Programa Em-
co mais utilizado para descrevê-lo e muito utilizado pelas bancas barcado são parecidas com as características de um Firmware, en-
organizadoras de concurso é “um conjunto de instruções lógicas tão, as bancas consideram Software Embarcado e Firmware como
programas permanentemente em um hardware, durante a fabri- sendo a mesma coisa.
cação deste”. Outra forma de descrever um Firmware, em palavras
Nesse ponto do material vamos compreender o funciona-
mais simples de o usuário compreender, é “um Software (progra-
mento do Firmware mais cobrado em concurso público, o progra-
ma) integrado a um HARDWARE no momento da fabricação”.
ma BIOS.
Os Firmwares, geralmente, são programas de computado-
res instalados em equipamentos eletrônicos, como, por exemplo, 3.2 Bios
uma impressa jato de tinta que contém um programa interno que
O programa BIOS (Basic Input/Output System) traduzi-
executa o correto funcionamento da impressora, como também
do para o Português como Sistema Básico de Entrada e Saída é
uma calculadora científica, que possui um sistema de programa
o primeiro programa a ser carregado ao iniciar a atividade de um
interno responsável por operar logicamente o equipamento.
computador, isso significa que quando o usuário iniciar a máquina,
O Firmware é armazenado permanentemente em um chip apertando o botão de ligar e antes mesmo do sistema operacional
de memória durante a fabricação do equipamento ao qual o chip entrar em execução, o BIOS será executado dando início as ativi-
será anexado. Geralmente são utilizados chips de memórias do dades do computador. Esse Firmware, o BIOS, fica gravado em
tipo ROM para armazenar o programa Firmware. Como as memó- uma memória de armazenamento do tipo ROM, não suportando
rias do tipo ROM (Read Only Memory) permite ao usuário somente novas inserções de dados no chip de memória, apenas a leitura
a leitura do seu conteúdo, esses chips de memória não suportam dos dados ali gravados, característica herdada do Firmware.
gravações adicionais de conteúdo, somente o material lógico que
O firmware BIOS é dividido em dois subprogramas internos
fora inserido durante a fabricação.
e executado em etapas sequenciais de funcionamento, primei-
Um assunto pouco abordado em concurso, mas que faz ex- ramente na etapa do subprograma Setup e depois na etapa do
trema diferença no conhecimento do Firmware é que, para esse subprograma Post, conforme segue imagem em uma pequena
software inerente a um hardware (Firmware) ser executar faz-se ilustração.

INFORMÁTICA
INFORMÁTICA

Para acessar a tela de configuração do Setup basta que du-


rante a inicialização do computador o usuário pressione no teclado
a tecla correspondente a essa ação, geralmente F8, F2, F10, delete,
dependendo da máquina, e após acessar essa janela de configura-
ção será apresentado ao usuário em uma tela cinza, preta ou azul
com a escrita das configurações, como segue um exemplo na ima-
gem abaixo.

Chip BIOS com as divisões de etapas (Fonte: https://www.thin-


glink.com/scene/588213830648070144, com adaptações)
Então, quando o chip que contém o programa BIOS é exe-
cutado, o sistema será iniciado diretamente na etapa do programa
de Setup e posteriormente executa a etapa do programa de Post,
finalizando assim sua função de execução.
Obs. 1: Uma observação muito importante é que o chip de
memória ROM que contém o programa BIOS é comumen-
te chamado de Chip BIOS, podendo a banca referenciar a Tela de Setup da BIOS (Fonte: https://www.baboo.com.br/tutorial/
execução do dos programas de Setup e Post ao programa setup-do-bios-seu-computador/)
BIOS ou ao Chip BIOS.
Como a etapa de Setup faz parte da BIOS, que é armazena-
Após a completa execução do BIOS, esse firmware passará do em memória ROM, as alterações e/ou atualizações realizadas
o controle de funcionamento do computador para o setor de MBR no Setup serão gravadas em um chip de memória auxiliar da BIOS
que inicia o processo de boot do Sistema Operacional. O Setor de chamado CMOS. O CMOS (Complementary Metal-Oxide Semi-
MBR (master boot record) é uma das partes criadas em um HD, conductor), Semicondutor de Metal-Óxido Complementar, é um
disco rígido, após a sua formatação, que armazena o programa dispositivo de memória do tipo RAM, que geralmente armazena
responsável pelo Boot (inicialização) do Sistema Operacional. informações importante para o funcionamento do computador,
12 Obs. 2: Nesse ponto devemos observar que não será o progra- como, por exemplo, data, hora, disco de boot do SO, temperatura
ma BIOS responsável pela inicialização do SO (Sistemas Operacio- do processador, entre outras informações necessárias para o com-
nal). O BIOS somente inicia as atividades do computador e passará o putador que precisam estar constantemente atualizadas. Como
controle de funcionamento para outro componente do computador dispositivos de memória RAM são voláteis (veja a Obs. 3) o CMOS
realizar a tarefa de iniciar o Sistemas Operacional, boot no SO. O que é alimentado por uma bateria física (pilha), interna a placa mãe,
podemos afirmar é que o BIOS é o componente responsável por iniciar para que o Chip não perca as informações atualizadas quando o
as atividades do computador, por isso questões afirmando que BIOS computador for desconectado da energia elétrica.
realiza o Boot do Computador estão corretas e questões afirmando
que o BIOS realiza o Boot do SO estão erradas.

3.2.1 ETAPAS DE FUNCIONAMENTO DO BIOS


O BIOS é dividido em duas etapas de funcionamento e
quando for acionada, ela entrará em processo sequencial, deven-
do concluir a primeira parte, setup, para que POSTeriomente seja
executada a outra, o post.
1º - SETUP (Listagem)
É chamada de etapa de configurações do BIOS ou Listagem
de configurações. Essas configurações são definidas permanente-
mente de fábrica, porém, é permitido ao usuário alterar algumas Parte de uma Placa Mãe (Fonte: https://www.tecmundo.com.br/o-
dessas configurações do Setup, as que forem permitidas pelo sis- que-e/244-o-que-e-bios-.htm, com adaptações)
tema. Para ficar mais fácil compreendermos o que é o Setup, ima- Obs. 3: Dispositivos voláteis são aqueles equipamentos
gine que o Setup é a lista dos itens básicos de Hardware e Software que precisam de energia elétrica para que as informações
que o seu computador precisa para funcionar corretamente, como, gravadas nesses dispositivos não sejam apagadas, pois se
por exemplo, mouse, teclado, processador, memória RAM, siste- houver a falta de energia no dispositivo a informação será
mas de boot do SO, entre outros. Após o programa BIOS ser inicia- automaticamente apagada.
do corretamente a etapa de Setup irá fazer apenas o carregamento 2º - POST (Verificação)
dessa lista de itens básicos e após isso o Setup passará a execução
Classificada como a etapa de testes de compatibilida-
da BIOS para a etapa de Post.
de e confiabilidade das configurações, é nessa etapa que serão
conferidas às configurações do computador estabelecida no Se- porque a palavra Equipamento é necessariamente a tradução para
tup. Após a completa execução do Setup será carregado a etapa o Português do termo em Inglês Hardware. Além disso essa pa-
de Post, para que então sejam realizados testes de hardware e lavra pode ser substituída por outros termos como, por exemplo,
software para identificação se todos os componentes necessários componente eletrônico, parte física ou peça do computador, que
para o funcionamento da máquina estão conectados e funciona- ainda assim não teríamos problemas em relação a interpretação
mento corretamente, como, por exemplo, identificar se o com- da questão pois estariam se referenciando a qualquer tipo de Har-
putador contem memória RAM, HD, Drive de CD/DVD, Drive de dware, de forma genérica.
Disquete, sistema de Boot do SO, assegurando a inicialização do
sistema. De outra forma mais simples, é a etapa de Post que reali- 4.1.2 Drive
zará um Checklist dos itens básicos carregado pela etapa do Setup. O termo Drive é considerado um elemento de Hardware que
Se durante a execução do Post algum dos componentes realiza determinadas tarefas específicas que são programadas
básicos, que devem ser verificados, não esteja funcionando cor- diretamente no dispositivo durante a sua fabricação. Geralmente
retamente ou não esteja instalado no computador o subprograma o drive desenvolve as funções de leitura e/ou armazenamento de
Post exibirá uma mensagem para o usuário contendo informações arquivos, como, por exemplo, o drive leitor de CD/DVD, que, de
relacionadas a esse problema, como segue em exemplo na ima- uma forma mais simples, é a aquela “gaveta” do computador onde
gem abaixo. colocamos a mídia óptica CD ou DVD para fazermos a leitura e gra-
vação dos dados. Outros grandes exemplos são Pen drive, cartões
de memória (cartões sd) e Disco rígido (HD), que são dispositivos
de armazenamento de dados considerados drives e que também
estão relacionados diretamente a leitura e gravação de dados.
Outra característica importante sobre os drives é que esses
tipos específicos de Hardwares não estão acoplados diretamente na
parte central do computador, placa mãe e CPU (processador), mas
os drives podem ser facilmente conectados e removidos “do corpo”
da máquina, o que traz maior funcionalidade ao computador.
Para que possamos visualizar os drives instalados no com-
putador, por exemplo, é só abrir a pasta “Meu computador” que ali
Mensagem de erro exibida durante a verificação dos itens do estão os drives e são representados pelos caminhos de unidade co- 13
Setup (Fonte: http://brincanagens.blogspot.com.br/2011/01/tecla- mo, por exemplo, unidade “A:”, “C:”, “D:” . Uma observação muito
do-nao-encontrado-pressione-f2.html) importante é que além dos dispositivos apresentados nos exemplos
anteriormente, todas as partições do HD do computador, divisões
4.  HARDWARE do disco rígido, passam a ser como se fosse um drive “independen-
O Termo Hardware é proveniente do Inglês e a tradução te”, embora será um único dispositivo físico para armazenamento.
desse termo para o português significa Equipamento. Na Infor- Os drives, geralmente, precisam que um programa próprio
mática consideramos os Hardwares como sendo a parte física dos e especifico seja instalado no computador, para que o Sistema
computadores, isso significa que são os componentes que pode- Operacional possa ler e compreender seu correto funcionamen-
mos tocar, apalpar, manusear no mundo físico, como, por exemplo to na máquina a que fora conectado. Por exemplo, ao conectar o
teclado, mouse, impressora, monitor de vídeo, placa de rede, pla- HD externo no computador o Sistema Operacional pesquisará a
ca mãe, dentre outros, mas não são necessariamente os cabos ou melhor forma de executar esse dispositivo, sendo que para isso
fios utilizados para ligação desses dispositivos. o computador precisará de um programa específico desse Drive,
Notamos que ao longo do tempo as bancas veem utilizando que irá apresentar para o Sistema Operacional como esse HD ex-
vários termos diferentes para se referenciar a um Hardware como, terno funciona. Esse programa é chamado de Driver e que muitas
por exemplo, equipamento, dispositivo, drive, peça, periférico, vezes a banca vem tentando confundir o candidato invertendo os
componente eletrônico. Sabemos que todos esses termos estão termos, já que o Driver, software, terminado com a letra “R” tem o
relacionados diretamente a um tipo de Hardware, mas é necessá- nome parecido com componente de Hardware Drive, terminado
rio fazermos algumas observações sobre esses termos apresenta- com a letra “E”. Vejamos abaixo as principais características de um
dos e também diferenciarmos com algumas características parti- programa do tipo Driver.
culares sobre cada um deles. * Driver
É classificado como um componente de Software do com-
4.1 Termos Utilizados para putador e também pode ser apresentado como um programa,
Descrever o Hardware que é basicamente a tradução do termo em Inglês Software para
o Português. A principal característica desse programa é que ele é
4.1.1 Equipamento instalado diretamente no Sistema Operacional e não diretamen-
Equipamento é basicamente a palavra mais utilizada no te no dispositivo, como muitas vezes é apresentado pela banca.
“mundo da Informática” para se referenciar um Hardware, isso Por exemplo, você acabou de comprar uma impressora do mo-
delo “Alfacon10” e após retirar essa impressora da caixa, ligar na

INFORMÁTICA
INFORMÁTICA

tomada e conectá-la ao computador, ainda assim não será pos- na manipulação de um computador, além de outras peças impor-
sível imprimir seus documentos nessa impressora, pois o sistema tantes, são utilizados os periféricos, ou dispositivos, que são Har-
operacional não veio configurado de fábrica para compreender dwares utilizados que realizam funções de entrada de dados no
o correto funcionamento desse equipamento de impressão. Para computador e também periféricos que apresentam os resultados
que seja possível imprimir seus documentos, após realizado todos do computador, saída dos dados.
os passos anteriormente descrito, o Sistema Operacional precisa Os periféricos são utilizados, basicamente, para interme-
de um programa específico para compreender como a impressora diar o processo de comunicação entre o homem e o computador,
funciona e deverá ser operada pelo sistema operacional durante já que são estes os dispositivos responsáveis tanto por enviar os
a impressão dos documentos. Esse programa específico que é dados para a máquina quanto para receber uma informação do
instalado no sistema operacional é denominado Driver e que, por computador. Por exemplo, em um processo de digitação simples
exemplo, para cada impressora fabricada no mundo a empresa no aplicativo editor de texto Ms-Word, onde o usuário realizará a
precisará desenvolver um programa driver especifico para o sis- ENTRADA da informação no computador através de um hardwa-
tema operacional compreender o correto funcionamento dessas re do tipo teclado, posteriormente o computador seguirá com o
impressoras, independentemente da plataforma do sistema ope- processamento dessa informação, que será realizado pelo CPU do
racional, seja Linux, Windows ou Macintosh OS. computador, nessa parte não haverá interatividade com o usuário,
Outra frase que a banca gosta muito de utilizar em provas e por fim será feita a apresentação do resultado na tela do monitor,
de concurso é falar que o Driver “é um Programa de computador que é considerada a SAÍDA da informação, que são, basicamente,
responsável por traduzir a comunicação entre o Sistema Operacio- os caracteres digitados no teclado no processo de entrada. Esse
nal e o Hardware para o melhor funcionamento entre eles”. processo perfeito de execução é chamado de Arquitetura Sim-
plificada, que é basicamente a entrada da informação, poste-
4.1.3 Periférico riormente o processamento dela e por fim a saída de informação,
O termo periférico é utilizado na Informática para definir o necessariamente nessa ordem de execução.
equipamento físico, Hardware, que não faz parte da estrutura cen-
tral do computador e que não está acoplado à placa mãe ou ligado 4.2.1 Tipos de periféricos
diretamente à CPU. Mas, o periférico pode ser conectado facilmen-
te ao computador dando funcionalidade a máquina, como, por
4.2.1.1 Entrada
exemplo, ser utilizado para enviar informações para o computador São periféricos utilizados pelo usuário durante a interação
ou também receber informações do computador. De uma forma com o computador para entrar com as informações na máquina.
14 mais simples, pense em uma cidade grande que possui o centro da Dispositivos de entrada de dados são considerados como uso da
cidade e vários bairros a sua volta, que não fazem parte do centro. técnica onde o usuário utiliza um equipamento físico para transmi-
As pessoas que não moram no centro e sim nos bairros da cidade tir uma informação de fora, do ambiente externo, para o interior de
são chamadas de periféricas, pois fazem parte da periferia, ou seja, uma máquina, por exemplo, utilizar um teclado, mouse, scanner
não são do centro, mas que podem ser facilmente conectadas ao de imagens, microfone, webcam, para inserir uma informação no
centro. Essa mesma informação é válida para o computador, pois computador.
periféricos não estão necessariamente no centro do computador, Um cuidado em relação a classificação de dispositivos
placa mãe ou CPU, mas que podem ser conectadas facilmente a quanto a entrada ou saída de dados é que dispositivos de entra-
elas, como mencionado no início desse tópico. da são considerados únicos e exclusivos para entrada de dados
Os dispositivos periféricos não são itens obrigatórios para o no computador e não podem ser classificados em outro momento
funcionamento do computador, mas são utilizados para facilitar a como dispositivos de saída de dados, por que seria híbrido e não
atividade do usuário em uma máquina. Por exemplo, se não tiver- unicamente de entrada de dados.
mos um teclado conectado ao computador ainda assim a máquina
poderá ser ligada normalmente e operada por meio de outros dis-
4.2.1.2 Saída
positivos, como o mouse ou uma tela Touchscreen, por exemplo. São periféricos utilizados pelo computador durante a intera-
ção com o usuário para apresentar informações da máquina, sair
Com essas informações já apresentadas podemos avançar
com as informações do computador. Dispositivos de saída de dados
até o ponto de uso, necessariamente, dos periféricos, que são clas-
são considerados como uso da técnica onde o computador utiliza
sificados como periféricos de entrada, periféricos de saída ou peri-
um equipamento físico para transmitir uma informação de dentro,
féricos mistos (híbridos). Lembrando por fim que, o termo periféri-
do ambiente interno, para o exterior de uma máquina, por exemplo,
co pode ser substituto pela palavra Dispositivo sem comprometer
utilizar o monitor de vídeo, impressora, projetor multimídia, caixa de
a interpretação ou o sentido aplicado da questão, visto que são
som, para sair com uma informação de dentro do computador.
considerados “sinônimos”.
Um cuidado em relação a classificação de dispositivos
4.2 Dispositivos de Entrada e Saída quanto a entrada ou saída de dados é que dispositivos de saída
são considerados únicos e exclusivos para saída de dados do com-
Os dispositivos de entrada e saída de dados também podem
putador e não podem ser classificados em outro momento como
ser apresentados pelas iniciais “E/S” ou “I/O”, que são as iniciais
dispositivos de entrada de dados, por que seria híbrido e não uni-
dos termos em inglês Input e Output, que traduzindo para o Por-
camente de saída de dados.
tuguês significam Entrada e Saída, respectivamente. Para auxiliar
Misto (Híbridos) 05. (CESPE – 2019) Sob a perspectiva do software livre, software pro-
prietário e software comercial são conceitos similares.
É necessária uma atenção redobrada na hora de responder
Certo ( ) Errado ( )
uma questão sobre os periféricos de entrada e saída de dados, pois
existem periféricos que são de entrada e saída ao mesmo tempo, 06. (BIO-RIO – 2013) Considere as seguintes assertivas referentes ao
ou seja, são dispositivos de ações mistas ou híbridas. A banca ge- BIOS (Basic Input/Output System) de um microcomputador e seu
funcionamento:
ralmente cobra esse tipo de equipamento misto como sendo de
I. Uma das funções do BIOS é armazenar temporariamente os
uma função apenas, ou entrada ou saída de dados, e isso é feito dados que serão enviados para um periférico de saída.
para tentar confundir o candidato durante o desenvolvimento da
II. O BIOS participa do processamento do microcomputador como
questão. Como dispositivos mistos temos, por exemplo, monitor uma memória cache auxiliar da CPU.
de imagens touchscreen, impressoras multifuncionais, Pendrive,
III. O BIOS é um programa de computador executado quando o
mídias de DVD/CD, disco rígido, entre outros. computador é ligado.
Obs. 01: Embora as portas de conexão com os periféricos, Está correto o que se afrma em:
por exemplo, porta de comunicação de dados do tipo USB ou por- a) I, apenas;
ta de comunicação HDMI, sejam consideradas apenas barramen- b) II, apenas;
tos simples, a banca afirma que esses tipos de portas também são
c) III, apenas;
periféricos de entrada e saída de dados, ou seja, as portas de co-
d) I e II, apenas;
municação USB e HDMI, por exemplo, são consideradas periféricos
de entrada e saída de dados, dispositivos híbridos ou mistos. e) I, II e III.
07. (UFCG – 2008) A BIOS é o _____________________ indispen-
Questões sável para o funcionamento de um computador. Escolha a alternativa
que preenche corretamente a lacuna acima.
a) firmware.
01. (MS CONCURSOS – 2016) O computador é uma máquina com uma b) middleware.
grande capacidade para processamento de informações, tanto em c) hardware.
volume de dados quanto na velocidade das operações que realiza
sobre esses dados. Basicamente, o computador é organizado em três d) peopleware.
funções, as quais são: entrada de dados, processamento de dados e e) framework.
saída de dados. 08. (MOURA MELO – 2015) Das alternativas abaixo, qual é um dispositi-
De acordo com o texto, marque a alternativa que preenche as lacunas vo de Entrada e Saída do computador?
corretamente. a) Caixa de Som.
15
____________ é o nome que se dá para a parte física do computa- b) Web Cam.
dor. É tudo que você pode tocar (mouse, teclado, componentes em c) Pen Drjve.
geral). d) Monitor.
____________ é o nome que se dá a toda parte lógica do compu- 09. (UFBA – 2014) Um pendrive é uma memória auxiliar que funciona
tador. como dispositivo de entrada e saída de dados.
a) Software - Programas Certo ( ) Errado ( )
b) Hardware - Drivers 10. (COPEVE-UFAL – 2014) Assinale a alternativa que contém exclusi-
c) Hardware – Software vamente dispositivos de entrada e saída que podem ser conectados
d) Software - Hardware a um computador.
a) Teclado, mouse e scanner
02. (IESES - 2014) Os drivers são exemplos de: b) Monitor, pen drive e caixa de som.
a) Software de sistemas c) Unidades de disco, joystick e modem.
b) Software aplicativos d) Pen drive, impressora multifuncional e modem.
c) Intranet e) Impressora jato de tinta, teclado e monitor touch screen.
d) Hardware
03. (CESPE – 2019) A distribuição de software livre requer que a este
Gabaritos
seja anexada uma licença de software livre e a abertura de código.
Certo ( ) Errado ( )
01 C 06 C
04. (UFMA -2016) O software livre se caracteriza por:
a) Ser totalmente gratuito. 02 D 07 A
b) Requerer licença para uso e autorização para distribuição do de- CERTO C
03 08
senvolvedor.
c) Possuir liberdade de cópia, alteração e distribuição. 04 C 09 CERTO
d) Ser do tipo shareware ERRADO D
05 10
e) Não poder ser comercializado.

INFORMÁTICA
editora alfacon livros e apostilas
provas & Concursos Exame de Ordem – 1ª e 2ª Fases
Em formato de questões comentadas, este selo reúne a melhor Esta obra traz, além da teoria, questões comentadas e a legislação
seleção de conteúdos que têm sido cobrados frequentemente em selecionada por competentes autores. Importantes dicas e jurisprudências
provas dos principais concursos do país. Esta obra ainda traz como são cuidadosamente condensadas para a aprovação do leitor no Exame.
diferencial simulados e uma seção de anexos relacionados ao conteú-
do abordado.

Devo Saber ENEM


De maneira didática, organizada e direcionada, reúne a teoria das Cada disciplina contemplada na obra apresenta os conteúdos de maior
principais disciplinas cobradas em concursos e provas. A explanação pertinência para as provas do ENEM. Além disso, o material apresenta um
de cada tema é formada por teoria, resumos, esquemas e questões de resumo que oferece aos alunos a praticidade das consultas rápidas, de
bancas de diversos concursos. A obra pode ser utilizada por acadêmi- maneira que o estudante possa adquirir o conhecimento essencial e
cos, bacharéis e pelo público em geral. indispensável para todas as disciplinas.

Material didático (apostilas) por concursos e/ou carreiras Disciplinas isoladas para Concursos

Os materiais reúnem os conteúdos abordados em editais previstos ou Une o melhor conteúdo para concursos públicos: teoria atualiza-
já abertos, e se caracterizam por conter linguagem clara, dicas, da, jurisprudência, dicas, questões comentadas e gabaritadas.
questões gabaritadas.

Legislação Compacta - Códigos Motivacional


Obras que reúnem textos sobre competências comportamentais,
Compreende as principais legislações relativas a concursos, sistemati-
zadas e reunidas por uma experiente equipe de professores. Os textos
provocando o leitor a atingir seus objetivos, encontrar oportuni-
de lei vêm separados de acordo com as principais disciplinas, a fim de dades de aprendizado e caminhos de crescimento pessoal.
que o leitor tenha uma melhor experiência ao estudar essa modalida-
de textual.

Mix de Matérias
Sinopses
Livros que reúnem questões gabaritadas que têm por objetivo a
O foco desta obra se concentra na profundidade teórica necessária
fixação dos conteúdos cobrados nos principais concursos.
que os concursos da área fiscal exigem, mas ao mesmo tempo a
linguagem utilizada procura ser de simples compreensão. A estrutura - Simuladão
em volumes oferece a opção de o aluno adquirir materiais de discipli- - 1001
nas isoladas ou o box completo. - Questão de Bolso

TECNoLOGIAS EDUCACIONAIS
A editora AlfaCon, conta hoje com diversas ferramentas digitais que complementam e aperfeiçoam muito mais os estudos.
• Leia Digital: tecnologia em formato de PDF que tem por finalidade possibilitar, ao cliente que adquire o produto pelo e-commer-
ce, o acesso ao material didático/livros enquanto aguarda o envio pelo correio. Ao efetuar a compra é liberado de forma automática,
parte do material para que assim o leitor maximize seu tempo de estudo.
• Alfacon Notes: aplicativo que tem por finalidade o registro dos estudos, por meio de foto, anotações e áudio, lendo o QR Code,
que se encontra nos livros e materiais didáticos. É uma tecnologia em que o leitor interage com o material didático/livros personalizando
assim seus estudos.
• App AlfaCon Play: aplicativo que possibilita ao leitor assistir às videoaulas on-line e off-line, receber promoções e novidades,
conhecer os cursos disponíveis e inscrever-se em eventos gratuitos.
• Código de Resgate: por meio dele, o leitor acessa o site AlfaCon e tem acesso ao conteúdo complementar com videoaulas, erratas,
complementos e atualizações dos materiais didáticos e livros.
• Atendimento ao Leitor: canal que tem a finalidade de dirimir dúvidas sobre o material, receber sugestões de melhorias para o
produto. Atua por meio do SAC AlfaCon.