Вы находитесь на странице: 1из 142

Esta é uma obra de ficção.

Nomes, personagens, lugares e


incidentes ou são produto da imaginação do autor ou são usados
fictício e qualquer semelhança com pessoas reais, vivas ou mortas,
estabelecimentos comerciais, eventos ou locais é mera coincidência.
Copyright © 2017 por Whitney G.
Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode
ser reproduzida, armazenada em um sistema de recuperação ou
transmitida de qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônico,
mecânico, fotocópia, gravação ou outro, sem autorização prévia do
autor.
Cubra projeto por Najla Qamber de Najla Qamber Designs.
Montado por Evelyn Guy de Indie Editar Guy.
Para minha mãe, Nicole London, e Alice Tribue.
Obrigado a todas por me aturar...
“Incline-se sobre mesa e afaste as pernas para mim...”
Ser um médico em Nova York nunca foi fácil. Especialmente
para alguém como eu, que tem um consultório particular e uma
equipe incompetente que insiste em me deixar para substituir o
lugar deles.
Nos últimos seis meses, tenho realizado muitos testes de
Papanicolaou, três demasiados “exames de mama” por dia, e cuidei
de várias cirurgias. (Isto seria aceitável, se eu ainda estivesse
interessado em medicina geral, mas eu não estou. Eu supostamente
sou um maldito terapeuta...)
Quando a minha equipe finalmente no mês passado veem a
seus sentidos e decide trazer alguém mais competente para a
prática, eu estava realmente exultante.
Até que eu percebi que a nossa nova “médica” era ninguém
menos que a mulher que eu deveria encontrar para jantar há duas
semanas. A mesma mulher que me deixou com nada mais do que
um “Eu não posso encontrá-lo mais, desculpe”, depois que
concordou em tornar as nossas conversas on-line em realidade.
Eu não esqueci sobre nenhuma das fantasias sujas que ela me
contou, e eu nunca apaguei nossas mensagens sujas. E se ela
pensa que eu vou agir como um “profissional” e fingir que essa
merda nunca aconteceu, ela tem outra coisa vindo...
Se uma prática privada fosse eleita a número um no Estado e as
cinco primeiras no país pelo enésimo ano consecutivo. O prêmio
seria uma eliminação completa para manhãs como hoje. Esta foi à
terceira manhã esta semana que eu me encontrei cara a cara com
uma paciente que estava desperdiçando meu tempo. Cara a cara
com uma paciente que queria que eu “pessoalmente” examinasse a
sua buceta.
—Pela enésima vez, senhorita Aberdeen... — Eu cliquei na minha
caneta. — Não há absolutamente nada de errado com você. Sua
urina e exames de sangue estão cem porcento claras, e você está
atualmente perdendo ambas as nossas manhãs. Tenho pacientes
que realmente precisam de mim para algo sério hoje.
—Eu sei, e eu sou um deles. — Ela sorriu brincalhona puxando
a bainha de seu vestido transparente acima de duas Coxas — Eu
sinto como se houvesse algo estranho acontecendo lá embaixo.
—Lá em baixo? Certamente você é capaz de dizer as palavras “na
minha vagina”, se é a isso que você está se se referindo.
—OK. Algo está acontecendo... na minha vagina—. Ela mordeu o
lábio e sorriu novamente.
Eu não estou lidando com essa merda hoje...
Eu estabeleci seu prontuário e comecei a escrever a minha nota
“nada está errado com está paciente”. Esta era a quarta citologia em
quatro meses, a própria definição da palavra “desnecessário”.
— Como eu disse, senhorita Aberdeen — eu disse, balançando a
cabeça. —Você é livre para ir para casa, e você precisa ir para casa.
—Eu não estou convencida.— Ela cruzou os braços. —Você não
pode simplesmente verificar?
—Não.
—Não? Você não pode dizer “não” para mim.
Você prefere “foder não?”— Eu não gaguejei, senhorita
Aberdeen. Não.
— Será que você não fez o juramento de Hipócrates? — Ela
balançou o dedo no meu rosto. — Não há uma linha lá dentro sobre
o tratamento de pessoas com “calor” e “simpatia"? Estou bastante
certa de que isso significa que você tem que tomar cuidado com
seus pacientes, ou seja, eu, e você tem que acreditar quando eles
dizem que estão com dor.
—Primeiro de tudo, você não é minha paciente, e esta não é a
minha especialidade. Em segundo lugar, você sabe muito bem que
seu médico primário, Dr. Laurel, está sempre fora às quintas—
feiras, então você nem deveria estar aqui agora.
—Eu também sei que você já realizou vários outros testes de
Papanicolau em sua ausência antes. Tentei reservar um encontro
com você em sua especialidade, mas sua assistente sempre diz que
você está ocupado.
—De qualquer maneira. — Ela estreitou os olhos para mim. —Eu
gostaria que você colocasse gentilmente sua cabeça entre minhas
pernas e examinasse a minha vagina, Dr. Ashton. Faça agora, ou
então eu vou deixarei um critica de duas estrelas muito má e
negativa.
—Por que não fazer uma revisão de uma estrela?
— Não estou brincando com você. Minha filha trabalha para a
seção local do The New York Times e eu vou bater você e sua
prática tão mal, que levará anos para você reconstruir a sua
reputação.
Revirei os olhos e vesti um par de luvas. — Incline—se sobre o
papel, por favor.
Ela sorriu e se inclinou para trás parecendo que esse era o ponto
alto de sua vida. Eu procurei uma enfermeira e esperei para ela
entrar na sala, certificando—me de que houvesse alguém aqui para
testemunhar essa merda.
A enfermeira corou enquanto supria o carro de preparação e
empurrava—o para mais perto de mim. Quando percebi que ela
estava literalmente ficando vermelha de rir e cada vez que eu
murmurava uma única palavra, eu aceitei que hoje não era apenas
o meu dia.
— Coloque os pés nas perneiras e abra as pernas para mim,
senhorita Aberdeen.
—Com prazer. — Ela seguiu as minhas instruções, abrindo as
pernas muito mais amplas do que o necessário.
Sentei—me no banco entre as pernas, liguei a luz do exame e
peguei o espéculo. Eu me certifiquei que este exame fosse o mais
rápido, o mais eficiente que eu já fiz. Eu tinha feito muitos destes
nos últimos poucos meses, e eu estava certo que eu poderia fazê—lo
com os olhos vendados.
Suspirando, eu limpei seu colo para as células necessárias,
notando uma pequena irregularidade, mas não era suficiente para
justificar este exame.
—Ok, Srta. Aberdeen — eu disse, tirando as minhas luvas e
jogando—as na lata de lixo. — Você pode sentar se agora.
—O que? É isso? Ela não se mexeu. — Você ainda não acariciou
a minha pélvis. E quanto aos meus seios Você não deveria
massageá—los e verificar se há caroços?
Jesus Cristo... — Você teve um exame de mama com o Dra.
Laurel a cinco semanas atrás, então eu tenho certeza que os
resultados ainda permanecem. Mas, se quiser, posso deixar a
enfermeira Johnson aqui na sala contigo e completar um novo teste
para você. Eu até a farei entrar no sistema como pro bono.
—Eu farei totalmente o que você precisa que eu faça, Dr.
Ashton.— A enfermeira Johnson corou e deixou sair uma nervosa
risadinha
—Eu vou passar.— Senhorita Aberdeen sentou—se e cruzou os
braços.
—Eu pensei assim.— Eu peguei seu prontuário e escrevi
algumas notas. —Como eu disse antes de começarmos, nada está
alarmantemente errado com você “lá embaixo”, embora pareça que
você esteja desenvolvendo uma infecção por leveduras de menores.
—Eu disse que era algo sério. Ele ainda parece sério, tão sério
que eu aposto que não há uma cura para isto.
—Eles vendem a cura para isso no Wal—Mart, — eu disse. — A
maioria das mulheres pode realmente diagnosticar uma infecção
por fungos por elas mesmas.
—Bem, eu prefiro ter um toque mais pessoal.— Ela se inclinou
para frente e colocou a mão no meu ombro. —Tem certeza de que
não quer usar seus dedos longos e grossos para ir um pouco mais
fundo e ter certeza, você não sente nada mais dentro de mim?
Eu imediatamente me levantei e rasguei sua folha de prescrição
do meu bloco. — Você deve ter o resultado dentro de quarenta e oito
horas, se você conseguir isso hoje, siga as instruções.
— E no caso de não seguir as instruções? Posso vê—lo para um
acompanhamento?
Eu dei a ela um olhar vazio. —Tenha um ótimo dia, senhorita
Aberdeen. Obrigado pela sua ajuda, enfermeira Johnson. —Eu saí
da sala antes que qualquer uma delas pudesse dizer outra palavra,
e fui direto para a minha assistente Emily.
— Posso ajudá—lo com alguma coisa, doutor Ashton? Ela olhou
para mim quando me aproximei.
—Sim. Eu poderia jurar que concordamos que eu precisaria ser
o último recurso para os pacientes da Dra. Laurel em seus dias de
folga.
—Você é o último, último recurso. Todos os outros estavam
agendados com um compromisso de oito horas.
Perfeito... — Eu tenho atualização hoje?
—Muitas. — Ela pegou uma caixa e me entregou. — O prêmio o
número um em prática privada no Estado veio pelo correio ontem à
noite. Suas consulta de dez horas foi remarcada para as quatro
horas, e a de uma hora quer mudar de uma sessão em pessoa para
uma chamada telefônica, e eu reabasteci todos os jarros em seu
escritório com um suprimento fresco de Twizzlers1.
— Obrigado Emily, isso é tudo?
— Na verdade uma ultima coisa. Dra. Ryan está de volta do
Havaí e em seu escritório esperando por você. Ela diz que é
importante.
— Tenho certeza que não. — Eu carreguei a caixa de troféus no
corredor e em meu escritório.
Com certeza, Dra. Ryan a.k.a. também conhecida como Dra. “Eu
nunca estou aqui”, estava sentada na minha chaise de pacientes e
falando ao telefone.
Eu estava realmente chocado ao vê—la aqui tão cedo desde que
ela tinha se tornado recentemente uma celebridade. Ela era o
terceiro membro da minha equipe que eu quase perdi para o mundo
da “medicina de TV”. Toda vez que eu virava ao redor, ela estava
assinando um novo contrato de livro, aparecendo em um programa
de televisão, ou organizando uma cara conferência. Tudo exceto
praticar a medicina.

1
um dos doces mais populares nos EUA
—Você não parece feliz em me ver hoje, Dr. Ashton.— Ela
terminou seu telefonema enquanto eu me sentava na minha
escrivaninha. —O que eu fiz agora?
—Nada. Literalmente.
Ela riu. — Você sabe, eu realmente não tenho ideia por que meu
marido gosta tanto de você.
—Você veio ao meu escritório para falar sobre a sua vida
pessoal? Vou ter que cobrar por isso.
—Nunca.— Ela tirou um documento grosso de sua bolsa e
deslizou para mim. —Eu preciso que você assine a declaração
conjunta para o nosso novo programa de residência especial. Você é
o único médico que não assinou.
— Programa de residência? Eu poderia jurar que temos três
desses já e que concordamos em trazer a bordo um novo médico.
— Um residente é um médico.
—É um médico que precisa de uma babá.— Eu folheei as
páginas. —Eu concordei em usar o novo financiamento para um
médico certificado, licenciado e útil. Não vou assinar isso.
—Todo mundo já concordou, e nós já selecionamos um
candidato muito talentoso, então eu não vou discutir com você. E se
bem me lembro, foi um voto de doze votos contra um, e o voto
contra foi seu, então você tecnicamente nunca concordou com nada
e você tem que conceder ao resto de nós.
Suspirei e rabisquei a minha assinatura na primeira e última
página do documento.
—Só para você saber — ela disse —as enfermeiras estão
sussurrando muito sobre você ultimamente. Você está fazendo essa
coisa outra vez.
Levantei a sobrancelha, esperando por uma explicação.
—Ser fechado, ficando irritado mais rápido do que o normal, e
bem... apenas sendo uma versão mais reforçada de si mesmo, eu
acho. —Ela sorriu. — Eu sei que esta prática é o legado da sua
família, mas você realmente precisa de uma vida fora dessas
paredes.
—Não, eu preciso que os médicos dentro dessas paredes
realmente apareçam e façam seus malditos trabalhos.
—Viu? Está vendo como você está irritado comigo, tentando ser
gentil com você?
— Saia do meu escritório, Dra. Ryan.
—Eu vou.— Ela pegou o documento e levantou—se. —A
propósito, o que aconteceu com aquela boa e doce mulher que eu te
apresentei há algumas semanas?
—Não deu certo.
—Não deu certo ou você não permitiu que isso funcionasse?
—Ambos. — A mulher em questão tinha sido uma amiga de
infância dela e ela era de fato “agradável e doce”, mas no segundo
que ela começou a balbuciar sobre querer casamento e “pelo menos
quatro filhos” dentro da primeira hora do encontro eu perdi
rapidamente todo o interesse.
— Bem, me faça um favor — disse a Dra. Ryan, enquanto
caminhava em direção à porta. Dê ao namoro on—line uma
tentativa ou encontre um hobby para os seus raros dias fora. Eu
nunca vou repetir isso ou admitir que disse, mas... Você é muito
atraente para passar o resto de sua vida sozinho.
— Muito obrigada, Dra. Ryan. Precisarei pagar por essa
psicanálise indesejada, ou o seus conselhos ruins são gratuitos?
Ela levantou o dedo médio para mim e saiu do meu escritório,
fechando a porta atrás dela.
Sem o conhecimento dela e da minha equipe eu tinha um hobby;
Sexo. Eu simplesmente não tinha tido tempo para aproveitar nos
últimos seis meses devido a uma sobrecarga de trabalho devido a
eles. E eu era definitivamente um fã número um do namoro online.
Bem, eu estava, até que eu conheci umas demasiadas
candidatas buscado relacionamento em uma fileira.
Agora, eu simplesmente navegava em poucos sites onde eu
mantive contas casuais e me mantive com a pseudo Amiga que eu
tinha feito: JerseyGirl7.
Eu a conheci em New York Minute, o site mais exclusivo e
privado para os profissionais de elite da cidade.
Um site que foi construído envolto na idéia de que um encontro
precisava acontecer dentro das três primeiras conversas.
Cada perfil era sem nome e sem imagem, com uma série simples
de parágrafos contadores e uma porcentagem de “correspondência”
baseada em perguntas respondidas.
Por qualquer motivo, JerseyGirl7 era um jogo de cem porcento
para mim, mas eu nunca pedi para conhece-la pessoalmente
porque eu não confiava nos resultados. Por um lado, eu pensei que
ela tinha que ter respondido como uma piada para ser compatível
comigo sexualmente, e dois, eu não tinha energia ou tempo para
desperdiçar em outro potencial despontamento
Não só isso, mas eu realmente gostei de tê-la como uma pseudo-
amiga, mesmo que ela tivesse um senso de humor esperto e uma
tendência a revelar muito sobre suas fantasias mais profundas,
sujas.
Com ela fresca em minha mente, eu entrei no New York Minute e
vi uma mensagem dela que estava datada a um par de horas atrás.

Assunto: Eu tenho um encontro neste fim de semana e eu


preciso de seu conselho...

Então... Eu acho que esta sexta-feira é o dia que eu vou finalmente ficar
com alguém depois de todos esses meses secos.
Envie-me um e-mail quando tiver uma chance ou quando você terminar
com seus chamados “pacientes”.
Tem que continuar mentindo sobre ser médico? Nós nunca vamos nos
encontrar, então qual é o ponto em constantemente fingir ser algo que você
não é? Apenas me diga o que você realmente faz para viver, e eu vou dizer o
que eu faço, também. :— ) )
PS: Você estava certo sobre o meu último encontro. Não terminou bem e
ele era um idiota como você predisse, mas você é arrogante o suficiente como
é e eu não estou acariciando o seu ego por mais um segundo.
** JerseyGirl7
Eu reli a última linha do seu e-mail mais algumas vezes e sorri
antes de fechar o aplicativo. Eu vou lidar com ela quando eu sair...
Quando saí do trabalho, eram nove horas da noite e minha
tolerância pela incompetência atingira um novo patamar. Eu tive
que repreender os estagiários em meu departamento por serem
descuidados com seus relatórios de pacientes, e sentar-me em uma
sessão de duas horas com um casal miserável que era melhor
divorciado, e me forçar a terminar de ler um relatório de quarenta
páginas sobre uma nova técnica de terapia.
Em algum lugar entre todo o estresse, eu tinha esgotado meu
mais novo suprimento de Twizzlers, e a última coisa que eu queria
fazer esta noite era me juntar ao meu pessoal para o jantar
comemorativo de “Práticas Número Um em Nova York,
novamente”. Em vez disso, encontrei-me polindo o troféu na minha
sala de estar, colocando-o junto a prêmios de anos anterior em
minha prateleira.
Eu olhei para todos eles por um longo tempo, sabendo que meu
pai estava em algum lugar acima dizendo: —Eu fodidamente te
disse, filho.
Acendendo as luzes, eu fui para a minha cozinha e derramei um
copo de Bourbon, tomando rapidamente antes de derramar
outro. Então eu puxei meu telefone e loguei no aplicativo New York
Minute,
Percebendo que JerseyGirl7 tinha me enviado uma segunda
mensagem para o dia.

Assunto: O Conselho.

Seus “pacientes” devem estar realmente deixando você louco hoje, já que
você está ocupado demais para responder. (Está coisa de médico é
completamente uma charada...) Então, vou fazer as minhas perguntas rápidas:

1) Eu e o cara apenas trocamos fotos e ele é sexy tem a boca molhada e


quente. Isso não tem absolutamente nada a ver com esse e-mail. Eu só queria
esfregar esse fato em sua cara.
2.) Você acha que eu deveria usar um vestido com meias ou um top muito
revelador com jeans apertados? Como uma pessoa que diz: — Estou
definitivamente interessada em dormir com você depois deste encontro?
3.) Ele disse que —não podia esperar para mastigar a [minha] buceta— ...O
que isso significa?
4.) Eu realmente preciso disso para trabalhar. Ao contrário de você, eu
preferiria não ficar mais um mês dependendo apenas das minhas fantasias e
minha mão...
TAMBÉM — Se alguma vez nos conhecermos eu queria dar-lhe um
pequeno presente por todos os seus conselhos sobre estes meses, o que seria
apropriado? Um kit para poder acreditar que é doutor? Uma coleção de
pornografia seria melhor?
** JerseyGirl7

Eu sorri e disparei uma resposta imediata

Assunto: O Conselho

Meus “pacientes” me deixaram louco hoje, mas não tanto quanto a minha
equipe (Eu não tenho nenhuma razão para mentir para você sobre a minha
ocupação) Obrigado, tanto, por manter as perguntas tristes quanto patéticas
desta semana, breves.
1) Vendo como se eu estivesse longe de ser gay, eu não sei por que eu daria
um porre se o cara que você está prestes a ver é “sexy” ou “boca molhada e
quente” em tudo.
2) Você deve usar um vestido. Sem meias.
3) Isso significa que ele não tem idéia de como comer uma buceta
4.) Eu lhe falei sobre o perigo de fazer suas suposições parvas quando se
trata da minha vida sexual ...
TAMBÉM — Um pacote de Twizzlers em massa seria “apropriado”, mas
seus lábios em torno do meu pau seria preferido.

** D-DOCTOR

Ela me mandou e-mail novamente


Assunto: Re: Re: O Conselho.

Ele definitivamente sabe como comer uma buceta. Você deveria ver todas
as mensagens sujas que ele me enviou. Tenho certeza que elas são muito mais
sujas do que qualquer coisa que você já enviou a alguém.
** JerseyGirl7

Assunto: Re: Re: Re:

Eu duvido muito...

** D-DOCTOR

Eu rolei através de nosso fio interminável de mensagens, todo


caminho até quando elas começaram, quando eu percebi que essa
mulher definitivamente tinha uma obsessão em falar sobre sexo. O
que era bastante irônico porque desde o momento em que nos
“conhecemos”, ela não tinha tido qualquer tipo de sexo. Todas os
encontros dela terminaram em desastre, por uma razão ou outra, e
eu tinha aprendido mais sobre seu uso do vibrador pessoal do que
eu sempre quis saber.
Acho que precisamos finalmente levar isso para fora...
Antes que ela pudesse responder à minha última mensagem,
mandei outra para ela.
Assunto: Seu Encontro

Posso garantir que vai ser outra decepção. Eu pessoalmente acho que você
deve cancelá-lo assim você pode salvar algum tempo perdido.

** D-DOCTOR

Assunto: Re: Seu Encontro

E posso garantir que não será. Ele é um jogo de 80%. Não só isso, mas eu
tenho anexado à captura da tela de algumas de suas mensagens mais recentes
para mim.
Leia e aprenda a falar sujo Doutor. Leia e aprenda...
**Jerseygirl7

Eu consegui ler uma mensagem. —Estou indo para lamber e chupar a


sua buceta molhada, eu mal posso esperar para você ver o meu pau. É do
tamanho de uma salsicha—antes de rolar os olhos.

Assunto: Re: Re: Seu Encontro

Gostaria de apostar?
PS: Nenhum homem jamais deve comparar seu pau com uma
salsicha. Você pode fazer melhor... Muito melhor.
** D-DOCTOR

Assunto: Re: Re: Re:Seu Encontro

Absolutamente. O que eu ganho quando vencer?


PS: Você está apenas com ciúmes que o seu pau não é grande o suficiente
para ser falado...
** JerseyGirl7

Assunto: Re: Re: Re: Seu Encontro

Quer dizer, quando você perder. E quando isso acontecer, eu quero um


telefonema.
Podemos renegociar se você ganhar, mas estou bastante certo de que não
precisaremos.
PS: Quer que eu lhe envie uma foto, então? Eu duvido que possa caber em
uma foto, então vou ter que te enviar em duas...
** D-DOCTOR

Assunto: Re: Re: Re: Re: Seu Encontro

Uma chamada telefônica? É isso aí? Você está nisso


Eu vou tomar a mesma coisa como um “prêmio” na verdade, para que eu
possa esfregar a minha noite em seu rosto.
PS: Tão tentador como isso soa... concordamos em não termos fotos,
nunca. Lembra?
** JerseyGirl7

Assunto: Sem Imagens.

Concordámos em não ter imagens, mas anteriormente concordámos que


pararia de me dizer quão mal queria que alguém a dobrasse sobre uma
cadeira e a fodesse sem fôlego, e ainda, isso é tudo que nós falamos na ultima
noite...
Responda a questão. Isso é um sim ou um não para eu enviar as fotos para
você? Eu acho que meu pau iria caber perfeitamente dentro de sua boca
inteligente...
** D-DOCTOR

JerseyGirl7 fechou a sessão.


Eu corei enquanto lia as mensagens mais recentes de D-
DOCTOR no dia seguinte, rolando os olhos para sua oferta de
enviar-me uma foto de seu pau, mesmo que eu quase disse que
sim.

Por que eu não disse sim?

Sorrindo, decidi que iria lidar com ele mais tarde hoje. Eu tinha
uma reunião de emergência e um encontro para começar primeiro.

Quando meu táxi parou no meio-fio do Manhattan Medical,


entreguei ao motorista uma nota de dez dólares e puxei o capuz do
meu casaco de chuva sobre a minha cabeça. Corri através da
calçada e da reviravolta de emergência, animada sobre o que o
encontro repentino de hoje com o chefe significava para a minha
carreira.

Durante toda a semana, não pude deixar de escutar os meus


colegas chorando sobre como o chefe estava oferecendo pacotes de
bônus adicionais para alguns estagiários e residentes. Tão duro
como eu trabalhei, eu soube que eu era definitivamente merecedora
de um deles, também.

Indo para o elevador até o último andar, respirei fundo e bati na


porta do chefe.

—Entre, entre!— Ele disse, sua voz calma e acolhedora, como


sempre.

— Bom dia, chefe Tomlin.

—Bom dia, Dra. Madison.— ele sorriu. —Obrigado por ter vindo
me encontrar no seu dia de folga, e em tão curto prazo.

—O prazer é meu, senhor.

Ele fez um gesto para que eu me sentasse, e tentei fazer o


possível para não ficar muito animada.

Sim, vou aceitar feliz o bônus de mil dólares... Sim, eu vou


felizmente aceitar O Bônus de mil dólares

—Dra. Madison, eu a chamei aqui hoje porque tenho boas


notícias e más notícias.

A mudança súbita de tom me pegou desprevenida. —Qual deles


você quer primeiro?

—As boas notícias.


—Bem. Bem, a boa notícia é que você é uma estagiária
fenomenal, e eu quero dizer fenomenal. Seu profissionalismo,
pontualidade e entusiasmo para nossos pacientes aqui estão entre
alguns dos melhores que eu já vi. Você demonstrou uma
proficiência elevada para o diagnóstico e não tenho dúvidas de que
será uma médica fenomenal em sua especialidade desejada depois
de concluir sua residência.

—Eu aprecio os elogios, Chefe Tomlin.— Eu comecei a dizer as


palavras “obrigada”, mas eu hesitei. Eu precisava ouvir as “más
noticias” primeiro.

—A má notícia é... — Ele tirou os óculos de leitura e passou a


mão pelos cabelos grisalhos.

—Infelizmente, temos de rescindir a nossa oferta para que você


possa participar do nosso programa de residência aqui.

—O quê?

—Aceitamos acidentalmente dez candidatos a mais para o nosso


orçamento, por isso decidimos sortear aleatoriamente nomes para
escolher quais ofertas temos que rescindir. Sete foi o seu número,
me desculpe.

Mordi a língua, impedindo-me de gritar “O quê. O. Foda-se!”


Esse era meu futuro, ele estava falando, ele estava sentado lá
limpando seus óculos, agindo como se essa conversa fosse sobre
algo tão simples como uma nova política de uniforme. Como se eu
não tivesse planejado os próximos anos da minha vida em torno de
completar uma residência aqui no Manhattan Medical.

—Dra. Madison, eu entendo completamente que este momento


pode ser terrível...
—Terrivel? São semanas a partir de quando vou começar. —Eu
fervi. —Isso tem que ser ilegal.
—Não, deixar dez pessoas extra começarem a trabalhar quando
não podemos nos dar ao luxo de pagar-lhes?— Na verdade, ele teve
a coragem de sorrir. —Agora, isso teria sido ilegal.
Eu olhei para ele.
—Ok, isso foi uma piada de mau gosto. Eu sinto muito. —Ele
balançou a cabeça. —De qualquer forma, embora não poderemos
ter você na equipe aqui para o nosso atual mandato, o nosso
Departamento de Recursos Humanos trabalhou horas extras ao
longo dos últimos meses para chamar todos os hospitais do Estado
para nos ajudar a descobrir uma solução para o nosso dilema
embaraçoso. —Ele pegou uma pasta e folheou as páginas. —
Enviamos mais de suas contagens de tabuleiro, o seu recorde de
público, e, claro, cartas de recomendação de cada médico que ficou
impressionado com o seu trabalho em rotações.
Sorrindo, ele deslizou a pasta sobre a mesa para mim, mas não
me atrevi a abri-la. Tudo que eu podia ver agora era o meu sonho
ao longo da vida se esvaindo a cada segundo que passava.
—O Recursos Humanos determinou que Park Avenue Wellness
Group é o melhor ajuste para você, dada a sua especialidade
preferida e seu amor a terapia. A equipe não estava animada para
oferecer-lhe o local e a sua oferta de salário é bastante elevada, o
mais alto que eu já vi para essa posição.
—Sério?— Eu não podia segurar mais. —Você está me pedindo
para comprometer-me a uma residência em um consultório
particular? Isso é algum tipo de piada?
—Park Avenue Wellness Group é realmente o consultório
particular número um no Estado, e dentro dos dez melhores no
país. Eles têm uma equipe de médicos de classe mundial que são
todos de renome dentro de seus respectivos campos e uma
academia que rivaliza com os melhores hospitais. Não apenas isso...
Eu sintonizei. Eu não podia suportar ouvir mais uma palavra.
Em todos os meus anos de sonhar em ser uma médica, eu
sempre me imaginei correndo pelos corredores do Hospital número
um do Estado. O hospital que eu estava colocada atualmente, o
mesmo onde eu só trabalhava pra caramba como estagiária. Eu
nunca, nunca sonhei em entrar em um consultório particular,
muito menos trabalhar em um, porque eu sempre senti que a razão
médico-paciente era muito pequena. Muito pouca variedade nos
casos para realmente me desafiar.
—Está me ouvindo, Dra. Madison?— A voz do chefe cortou meus
pensamentos.
—Não, senhor.— Eu admiti. —De modo nenhum.
—Eu percebi.— Ele se levantou e andou até mim, colocando as
mãos sobre meus ombros. —O Recursos Humanos colocou uma
tonelada de trabalho para o arquivo que eu te dei. É tudo o que
você precisa saber sobre Park Avenue Wellness Group e por isso
acho que isso vai ser um divisor de águas total para a sua carreira.
Essas coisas acontecem por uma razão, sabe?
Essas coisas acontecem quando você contrata pessoas que não
sabem contar...
Obriguei-me a sorrir e estendi minha mão. —Obrigada por ser
tão grande mentor, Chefe Tomlin.
—Não, obrigado você por ser uma das melhores alunas que já
tive o prazer de ensinar.— Ele apertou minha mão. —E hey, este é
apenas um pequeno contratempo. No segundo que você completar a
sua residência, me de uma chamada. Vou mover o inferno e água
para trazê-la para a equipe oficial aqui.
Eu não tinha energia para enfrentar esse último comentário no
momento. Eu simplesmente peguei o arquivo que ele me deu,
declarei o meu agradecimento pela última vez, e deixei o seu
escritório. Não querendo prolongar a minha cruel mudança de
destino por mais tempo, eu peguei o elevador para o nível mais
baixo e me dirigi para o vestiário dos estagiários. Peguei meu jaleco
branco e minha mudança de purificação, e rapidamente coloquei
todos os meus livros e pastas em minha mochila.
Ignorando o “Qual é o problema, Natalie?” E “Por que você está
chorando?” De meus colegas, deixei o hospital e joguei o arquivo
sobre Park Avenue Wellness Group na primeira caixa de lixo na
cidade que eu vi.

****
Mais tarde naquela noite, sentei-me em frente ao homem que
eu conheci através do app de namoro New York Minute, Charles
Landon. Eu estava determinada a transformar este dia e muito
ansiosa para esfregar esta noite no rosto de D-Doctor, dizendo-lhe
tudo sobre as muitas maneiras que Charles me fodeu.
Por que eu fico tão excitada, dizendo a um estranho sobre as
minhas fantasias e minha vida sexual inexistente?
—Hum, você vai pedir algo para beber, Natalie?— Charles
acenou com a mão na frente do meu rosto e eu percebi que o
garçom estava me olhando e segurando o seu bloco de notas.
—Oh, sim.— Eu olhei para a seleção de vinhos no menu. —Eu
vou tomar uma taça de Château Guiraud.
—Uma excelente seleção, senhorita.— O garçom sorriu. —Eu
também sugiro...
—Esse vinho é setenta dólares por copo,— Charles interrompeu,
franzindo a testa. —Acho que não. Você pode escolher outra coisa,
por favor?
—Oh, desculpe,— eu disse. —Eu não sabia que era tão caro.—
Eu olhei para o menu de vinhos novamente. —Posso ter o Château
Piedmont, então?
—Isso são treze dólares por vidro.— Charles sacudiu a cabeça.
—E o Shirley Temple?
—Senhor— o garçom disse, parecendo tão confuso quanto eu. —
O Shirley Temple não é um vinho. É uma maneira extravagante
para os nossos clientes adolescentes pedirem refrigerante com uma
pitada de xarope de frutas e uma cereja maraschino.
—É também perfeitamente ao preço de quatro dólares.— Charles
agarrou o meu menu de bebidas a distância e entregou-o para o
garçom. —Nós estamos apenas aqui para as bebidas e a atmosfera.
Estamos recebendo Burger King depois disso, obrigado.
—Ok... — O garçom me deu um olhar de “Que porra é essa?”, E
eu me forcei a sorrir. —Um Shirley Temple e um copo de água.
—Sem limão.— Charles abanou o dedo. —Vocês cobram pelo
limão aqui.
O garçom sacudiu a cabeça. —Eu volto já.
—Então, como foi o seu dia hoje, Natalie?— Charles não deixou
que o tema de sua barateza demorasse mais de um segundo.
—Foi... — Fiz uma pausa, pensando se devo dizer-lhe que eu
estava sendo transferida para outra prática no último minuto, mas
eu ainda não tinha dito ao meu melhor amigo ainda. —Foi ótimo.
Realmente, realmente grande.
—O meu foi, também. Especialmente agora. Eu estava ansioso
para conhecê-la pessoalmente por algum tempo.
—Eu também.— Tomei um gole de Shirley Temple no segundo
que o garçom trouxe.
—Será que vocês dois gostariam de compartilhar um pão com as
suas bebidas? — Perguntou. —Um guardanapo de cortesia, talvez?
—Possivelmente. De-nos um minuto, por favor. —Charles fez um
gesto para ele se afastar. —Você ainda está interessada em voltar
para o meu lugar esta noite, Natalie?
Eu balancei a cabeça. Eu ainda estava um pouco sem palavras
sobre o fato de que ele estava realmente me levando para Burger
King depois disso. Isso, e o fato de que eu ia ter de me enganar
mentalmente para pensar em outra coisa que não a sua barateza se
isso estava indo trabalhar para mim.
—Ótimo! Bem, há algo que eu realmente preciso de te dizer antes
de sairmos daqui. Algo muito importante.
—Deixe-me adivinhar, você é casado?— Pendurei a minha bolsa
sobre meu ombro na preparação de um “sim”.
—Ha!— Ele riu. —Nunca. Isso não é tão grave. É que... Bem,
lembra todas essas mensagens de sexo que enviei-lhe ao longo das
semanas?
—Lembro-me muito bem.
—Bem, bom, mas eu tenho que vir limpo. Nós só podemos ter
certo tipo de sexo, porque eu...
—Porque você o quê?
—Porque... — Ele baixou a voz. —Eu tenho Agenesia peniana2.
Agenesia peniana? Eu balancei a cabeça em descrença absoluta.
Isso não poderia ser.
—Você quer dizer disfunção eréctil?—Perguntei. —Isso não é
nada para ficar cochichando. É realmente muito mais comum do
que você pode pensar, e não um grande negócio. Eu digo isso,
porque você não pode dizer agenesia peniana. Que significa...

2
Agenesia peniana é um defeito de nascença em seres humanos , que ocorrem cerca de uma
vez em 5-6 milhões de nascimentos do sexo masculino, em que uma criança do sexo masculino
nasce sem um pênis . [ 1 ] A condição de sócio é testicular ou agenesia gonadal . Isto é, quando
uma criança do sexo masculino nasce sem gônadas e, consequentemente, não
desenvolve testículos.
—Isso significa que eu nasci sem um pau.— Ele estreitou os
olhos para mim. —Eu sei exatamente o que isso significa, é
exatamente por isso que eu disse isso.
Pisquei. —Volte novamente?
—Você me ouviu. A maioria das mulheres estão muito próximas
de espírito mudo e egoísta para ter o entendimento sobre isso, mas
eu espero que você não seja uma delas. Você é?
Eu me inclinei na minha cadeira. Eu não tinha certeza do que
dizer.
Todas as semanas ele me provocava com mensagem após
mensagem sobre como “enorme e duro” seu pau estava, como ele
planejava “preencher [minha] buceta”, e agora ele estava puxando o
“eu não tenho um pênis” cartão?
—Você disse ou não que seu pau era do tamanho de uma
enorme salsicha? Perguntei. —Você não disse isso para mim, na
semana passada?
—Talvez. Ou talvez a mensagem cortou antes que eu pudesse
terminar de digitar. Talvez eu quisesse dizer que meu pau era mais
como um hambúrguer de linguiça. —Ele brincou. —E agora parece
que você está me julgando— disse ele, suspirando. —Parece que
você é tão crítica e mente fechada como as outras mulheres que eu
conheci.
—Isto não é sobre você não ter um pau— eu disse, levantando a
voz. —Isto é sobre você estar mentindo para mim. Eu estava
ansiosa para comer você!
O restaurante todo ficou em silêncio, e meu rosto ficou
vermelho, mas eu não parei de falar. —Mas você sabe o que? Eu
menti para você, também. Hoje foi um dia ruim para mim. Um dia
muito, muito de merda que foi a cereja no topo de uma semana de
merda, porque o meu hospital decidiu me transferir para um
consultório particular antes de minha residência sequer começar.
—Isso soa tão horrível, Natalie.— Ele tentou chegar sobre a mesa
e acariciar a minha mão, mas eu empurrei de volta.
—Sim, e você sabe o que mais é horrível?— Levantei-me da
mesa. —Desperdiçar todas essas semanas conversando on-line, só
para vir todo o caminho até aqui para encontrar alguém que
descaradamente mentiu para mim. Nós poderíamos ter sido amigos,
se você tivesse me contado a verdade desde o início.
—Mesmo?
—Sim, com certeza.
—Bem, é tarde demais para ser amigos agora? E você realmente
vai me deixar sem se oferecer para pagar a metade de sua bebida?
Eu não lhe respondi. Eu me virei e sai do restaurante,
chamando o primeiro táxi que vi.
—Hoboken, New Jersey, por favor, — eu disse para o motorista.
—Green Garden Condos.
—Imediatamente, senhorita.
Peguei meu telefone para que eu pudesse desabafar sobre essa
bagunça de uma noite para a minha companheira de quarto, mas
antes que eu pudesse rolar para baixo para o nome dela, eu notei
uma nova mensagem instantânea a partir de D-Doctor.
D-DOCTOR: Seu encontro já “mastigou” a sua buceta? Estou
interrompendo?
JERSEYGIRL7: Não, e você não está interrompendo nada... Se eu te contar
sobre o que aconteceu no meu encontro hoje à noite, você pode prometer que
não vai rir?
D-DOCTOR: Provavelmente não.
JERSEYGIRL7: Estou falando sério.
D-DOCTOR: Como eu também se me contar o que aconteceu e eu vou te
dizer se é algo que vale rir ou não.
JERSEYGIRL7: Bem, não é! O encontro foi impressionante e o sexo era
tudo que eu esperava e muito mais!
D-DOCTOR: Seu encontro era para ser às 07h00min e agora são
07h35min. Isto diz muito sobre o nível de suas expectativas...
JERSEYGIRL7: Certo, tudo bem. Ele mentiu para mim sobre tudo... Ele
mentiu até mesmo sobre ter um pau.
D-DOCTOR: Volte novamente?
JERSEYGIRL7: Você leu a minha mensagem. Isso significa exatamente o
que eu escrevi.
D-DOCTOR: Me liga. 555-1874.
Olhei para sua mensagem, em total descrença que ele me deu
seu número de telefone. Eu sei que nós tínhamos concordado em
um telefonema depois que eu perdesse a aposta, mas logo isso? No
mesmo dia?
JERSEYGIRL7: Que tal renegociar a coisa telefonema? Você não acha que
devemos continuar a manter as coisas em “realidade virtual”, para que
possamos continuar amigos?
D-DOCTOR: 555-1874.

Engoli em seco e olhei para o número novamente, finalmente


atingindo chamada após alguns minutos.
—Sim?— Ele respondeu ao primeiro toque, e com essa única
palavra, a voz profunda e sexy me levou completamente de
surpresa.
Esperei para ver se ele iria dizer outra coisa, mas a linha ficou
em silêncio.
—Olá?—Eu disse. —Eu tenho certeza que você é o único que me
pediu para chamá-lo... Olá?
—Olá— disse ele, e, segundos depois, o riso profundo veio sobre
a linha.
—Você me pediu para chamá-lo, para que você possa rir sobre a
minha situação?
—Eu queria que você me chamasse para que eu pudesse colocá-
la no viva-voz. Estou checando duas vezes alguns dos relatórios das
minhas enfermeiras hoje à noite e eu vou ter de ser multitarefa, se
eu vou fazê-las pela manhã.
Certo... Eu pensei que era bonito que ele continuou a colocar a
farsa de ser um médico comigo, mas dada a minha noite, esta noite,
eu não poderia mesmo ser divertimento dele agora.
—Será que o seu encontro, pelo menos, pediu-lhe desculpas por
desperdiçar o seu tempo?— Ele finalmente parou de rir.
—Não, eu sai depois que ele perguntou se eu estava indo para
dividir o custo de uma bebida de quatro dólares. Ele disse que só
me convidou, para estar no ambiente, e ele provavelmente pensou
que eu não iria causar uma cena depois do que ele me contou sobre
sua agenesia peniana. Ele estava realmente planejando me levar ao
Burger King para o jantar de verdade depois.
—Entendo.— Sua risada voltou, e ele me ligou completamente.
—Eu acho que você e eu deveríamos nos conhecer, JERSEYGIRL7.
Silêncio.
—Hum... Você quer que nos encontremos?
—Quero te foder. Mas eu pensei que dizer primeiro seria rude.
No entanto, se você concordar com isso, eu acho que você iria
finalmente acabar com seus meses de sofrimento.
—Não— eu disse com firmeza, mesmo que cada palavra que ele
disse umedeceu a minha calcinha. —Eu não acho que é uma boa
ideia.
—Por que não?
—Porque eu não te conheço.
—Você não tem que me conhecer, para me foder.— Ele fez uma
pausa. —Você claramente não conhecia o homem que você acabou
de sair. Você nem sequer sabia que ele nasceu sem um pau.
—Isso não é justo.
—Você não conseguiu passar por um encontro com algum dos
homens que conheceu no aplicativo. A última vez que verifiquei,
todos eles foram fracassos.
—Assim?
—Quantos deles foi um jogo cem porcento para você, como eu
sou?
Fiquei em silêncio.
—Exatamente, — disse ele. —Eu acho que dos nossos melhores
interesses se você me deixar te foder no caminho que você está
desejando depois de todos esses meses. Posso garantir que não será
uma decepção, e eu realmente sei comer uma buceta.
Eu precisava me pendurar sobre este homem no momento.
Qualquer homem que poderia mergulhar em minha calcinha em
segundos com a voz sozinha, era obrigado a ser um problema.
—Eu ainda não acho que é uma boa ideia— foram as únicas
palavras que eu poderia dizer.
—Então me dá três razões pelas quais não seja
—Um, eu nem sequer sei o seu nome.
—É Garrett.
—Ok, Garrett. Você vai ser um cavalheiro e pedir pelo meu?
—Eu vou pedir-lhe para as outras duas razões pelas quais eu
não posso te foder, em primeiro lugar. Essas são muito mais
importantes no momento.
—Você está bem, senhorita?— O motorista olhou para mim
através do espelho retrovisor e eu atirei-lhe um sorriso
tranquilizador. Eu peguei um vislumbre do meu reflexo e vi que
meu rosto estava corado vermelho.
—Olá?— Garrett falou novamente. —JERSEYGIRL7?
—Sim?
—Quais são as outras duas razões por que eu não posso te
comer?
—Dois, você não é realmente um médico. Você me levou sobre
algo tão simples como isso há meses, por isso há uma grande
possibilidade de que você poderia ser um assassino em série.
—Você nunca me disse o que você faz para viver e eu não assumi
qualquer coisa. Além do fato de que eu acho que eu iria apreciar o
sabor da sua buceta contra a minha boca. Qual é a razão número
três inútil?
Eu parei, pensando em qualquer razão possível, mas todos os
nervos do meu corpo estavam me implorando para parar de jogar
jogos e aceitar este homem em sua oferta.
—Exatamente—, disse ele, em voz baixa. —Não há uma terceira
razão e as suas duas primeiras razões não fazem sentido em tudo.
O que você está fazendo duas sextas-feiras a partir de agora?
—Nada que eu saiba.
—Resposta errada— disse ele. —Você vai me foder... Diga.
—Vou te foder— eu sussurrei, não acreditando que eu estava
realmente dizendo isso em voz alta.
—Bom. Fico feliz que finalmente poderíamos estar na mesma
página. Onde você quer ir para a parte do “encontro”?
—Huh?— Eu estava confusa. —A parte do encontro?
—Você é uma romântica impossível—, disse ele. —Você sempre
me disse que você precisa estar mentalmente despertada antes do
sexo, de preferência em um encontro. Então, onde você quer ir para
a parte do encontro?
—Não no Burger King.
—Claro que não no Burger King.
—Bem—, eu disse, não querendo uma recapitulação de fiasco de
hoje à noite. —Que tipo de restaurante você quer me levar? Como,
me dê uma faixa de preço.
—Faixa de preço? Faixa de preço... —Ele soou como se ele
estivesse testando essas duas palavras em sua boca, como se ele
não tivesse certeza do que elas significavam. Em seguida, ele soltou
a baixa e pecaminosa risada que me fez desejar que eu soubesse
como ele era, para que eu pudesse ver por mim mesma. —Não há
nenhuma faixa de preço. Apenas me diga onde você quer ir.
—Poderia ser no Delilah?
—Essa é uma versão mais chique do Burger King.— Havia um
sorriso em sua voz. —E sobre a escolha de um lugar que você possa
realmente desfrutar?
Eu mentalmente folheei a longa lista de restaurantes exclusivos
e elegantes de Manhattan que eu sempre quis tentar.
—Eu sempre quis ir para Per Se —, eu disse. —Mas eu ouvi dizer
que é muito difícil de conseguir uma mesa lá, no entanto.
—Então é Per Se—, ele disse: — E não vai ser difícil para mim.
—Porque você é tão importante?
—Algo parecido. Você pode chegar às oito horas?
—Sim. Oito horas.
—Ok, JERSEYGIRL7. Vejo você no Per Se duas sextas-feiras a
partir de agora, às oito horas e você pode me dizer seu nome real,
então. Não me diga.
—Eu não vou.— Eu desliguei, pronta para finalmente chamar a
minha companheira de quarto e contar-lhe tudo, mas D-doctor me
enviou uma mensagem final.
D-DOCTOR: Eu sugiro que você não use calcinha na noite do
nosso encontro. Você não vai precisar delas...
—Dr. Ashton? —Emily bateu na minha porta na segunda de
manhã. —Dr. Ashton, você tem um visitante esperando.
—Eu não estou aqui.
—Todos nós podemos ver que você está aqui através de seu vidro
do escritório, senhor.
—Em seguida, feche as persianas de escritório.
Ela balançou a cabeça e deu um passo para trás. —Dr. Ashton
vai vê-lo agora, o Sr. Baxter.
Segundos depois, o Sr. Baxter, um cliente de longa data, que
tinha muito tempo em suas mãos, entrou no meu escritório. Ele
fechou a porta atrás dele e começou seu ritual de costume antes de
me abordar. Ele andou até as janelas do outro lado da sala,
olhando para as ruas abaixo. Então sorriu e caminhou até o outro
lado do meu escritório, admirando meus prêmios antes de
finalmente se decidir deitar na chaise preta, feita sob encomenda.
—O que você traz hoje sem uma consulta, Sr. Baxter? Perguntei,
colocando minha caneta.
—Eu só queria falar sobre o tempo com alguém.
—Posso sugerir ter essa conversa com alguém que não cobra por
hora?— Digo. —Talvez sua esposa?
—Essa e a coisa. Ela não quer falar comigo agora porque eu
disse a ela que não queria ter relações sexuais mais.
Suspirei e olhei para o relógio na minha parede. Eu realmente
precisava levantar os preços em breve para evitar que merdas como
isso aconteça.
—Ok, Sr. Baxter,— eu disse, tentando parecer o mais simpático
possível. —Por que você não quer ter relações sexuais com a sua
esposa mais?
—Ah, ah, ah.— Ele abanou o dedo para mim. —Se eu responder
a essa pergunta, você vai me cobrar por esta sessão. Só estou aqui
porque eu estava no bairro e eu estou apenas parando para falar
sobre o tempo.
Olhei para ele.
—Tem chovido muito ultimamente, não é?
Eu não disse nada.
Ele sorriu para mim e levantou-se do sofá. —Bem, obrigado por
conversar comigo sobre o tempo, Doutor. Vou vê-lo para a nossa
sessão oficial na próxima semana.
No segundo que saiu do meu escritório, comecei a escrever um
e-mail para o nosso porteiro na esperança de reafirmar as regras
para não deixar as pessoas subirem, sem emergências ou
compromissos reais. Eu estava no quinto parágrafo quando Emily e
cada médico individual na prática simplesmente entrou no meu
escritório sem bater.
—Estou vivendo na zona de crepúsculo, hoje?— Eu olhei para
eles. —Eu podia jurar que a regra pessoal número um que eu tenho
aqui não é tão difícil. Quando a minha porta está fechada...
—Deixe-me em paz— todos disseram em uníssono, rindo.
—Sabiamos que você não estava vindo para a sala de
conferência para fazer a chamada de boas-vindas para o nosso novo
residente, por isso decidimos trazê-lo para você.— Emily pegou um
Twizzler do meu esconderijo sem pedir e enfiou-o na boca. Em
seguida, ela discou um número no meu telefone de mesa, enquanto
os outros médicos todos se aglomeraram ao redor da minha mesa.
Esta é definitivamente a zona do crepúsculo...
O som de um toque de chamada veio o viva-voz e uma mulher
atendeu no meio do quinto toque.
—Olá?
—Olá!— Disse Todos os médicos em uníssono. —Este é o Park
Avenue Wellness Group!
Eles ensaiaram isso?
—Natalie, está é a Dra. Laurel falando — Nossa ginecologista de
classe mundial, mas nunca-em-seu escritório. —Estamos muito
animados para recebê-la em nossa família como uma residente e
nós só queríamos dar-lhe uma chamada coletiva antes de começar.
Sabemos que a sua especialidade desejada pode mudar ao longo do
tempo, mas nós somos todos uma grande família feliz aqui, por isso
estamos ansiosos para conhecê-la e trabalhar com você.
—Uau...— A residente que eu não votei a favor queria parecer
impressionada. —Obrigada, tanto para a recepção calorosa. Eu
realmente aprecio isso. —Ela parecia feliz.
—Nós realmente apreciamos você, também,— disse Emily. —
Você ainda está aberta para entrar para sua primeira turnê de
nossa prática nesta sexta-feira?
—Absolutamente. Cinco horas, certo?
—Sim! Cinco horas. Mal posso esperar para conhecê-la na sexta-
feira, Natalie! Vejo você então.
—Vejo você então. Obrigada a todos vocês.
—Você é bem-vinda! Disse os médicos em uníssono, mais uma
vez, outra coisa que eles claramente ensaiaram, e então eles
lentamente saíram de meu escritório.
—Eu ouvi você dizer que não pode esperar para atender a essa
residente Natalie? Perguntei a Emily.
—Sim. Por quê?
—Os médicos concordaram em contratar um residente sem
sequer lhe fazer uma entrevista? Estar fazendo uma entrevista não
é a primeira regra de contratação?
—Eu juro que você nunca me escuta— disse ela, sacudindo a
cabeça. —Manhattan Medical teve um erro no Recursos Humanos.
Eu te disse sobre isso meses atrás. Para encurtar a história, temos
uma residente surpreendente no negócio, e Dra. Laurel e Dr. Taylor
realmente se encontraram com ela em várias ocasiões. Eles
simplesmente não a deixaram saber que eles estavam realmente a
entrevistando, e desde quando o Manhattan Med queria manter a
sua entrevista um segredo.
—Quão conveniente.
—Extremamente.— Ela roubou outro Twizzler do meu vaso e,
finalmente, fechou a minha porta.
Eu já sabia que não havia nenhuma maneira que eu estivesse
indo para ter o caminho para a próxima sexta-feira sem alguma
forma de alívio do estresse, então eu peguei o meu telefone e
conectei ao New York Minute. Eu estava rolando para baixo ao
nome de JERSEYGirl7 na minha caixa de entrada para perguntar
se ela estaria disposta a sair antes, quando eu notei que ela já
estava no meio de enviar-me uma mensagem.
Jerseygirl7 está digitando ...
JERSEYGIRL7: Ei. Eu poderia ter uma pergunta...
D-DOCTOR: Ei. Eu poderia ter uma resposta...
JERSEYGIRL7: Você está aberto para me encontrar nesta sexta-
feira, em vez da próxima? Você seria capaz de reprogramar alguns
de seus “compromissos”? Eu já vou estar em Nova York à noite para
uma reunião nesse dia, então eu percebi que eu devia perguntar.
D-DOCTOR: Sim, eu estou muito aberto para *foder * você nesta
sexta-feira, em vez da próxima. Isso não é um problema em tudo.
Mesmo horário?
JERSEYGIRL7: Mesmo horário. Ah, e quer finalmente trocar
fotos para que você saiba quem procurar / vice-versa?
D-DOCTOR: Não, vamos manter isso interessante... Até às
08h00min. Eu vou estar sentado na mesa número 12.
Na sexta-feira, eu estava na portaria de um edifício de, vidro
brilhoso que estava aninhado entre dois condomínios na Park
Avenue. Havia alguns sofás pretos e cadeiras artisticamente
colocadas em volta dos pisos de mármore e um elevador no centro,
com portas de prata brilhante. As palavras “Park Avenue Wellness”
estavam gravadas em uma parede na minha frente, com uma longa
lista de nomes de médico embaixo.
Isso definitivamente não se parece com um consultório
particular...
—Desculpe-me?— Eu andei até o guarda de segurança. —Eu
tenho uma turnê agendada para esta noite. Qual o andar que eu
preciso ir para o Park Avenue Wellness Center?
Ele levantou a sobrancelha, como se ele não pudesse dizer se
eu estava brincando ou não. Então ele riu.
—Todos os pisos são parte da prática, senhorita— disse ele,
apertando o botão para cima. —Você provavelmente está
procurando a Sra. Emily, no entanto. No décimo sexto andar.
—Obrigada.— Eu entrei no elevador e bati dezesseis quando
as portas se fecharam.
No segundo em que o elevador parou e revelou o décimo sexto
andar, meu queixo caiu. Parecia mais como um hall de entrada de
estância de férias do que um departamento de uma clínica privada.
O piso panorâmico com janelas de teto dava uma visão perfeita da
chuva; havia chaises luxuosas de frente para a cidade, e o balcão de
vidro maciço no centro da sala era a única oferta que isso poderia
ser um lugar para a saúde.
Algumas mulheres vestidas de azul claro comparavam notas e
riam, e uma médica do sexo feminino com um casaco branco e
vestido preto, andava com o telefone do escritório na sua orelha.
—Você é Natalie?— Uma loira borbulhante pisou a direita na
minha frente. —Natalie Madison?
—Sim, sou eu.
—Bem, ótimo! Você está na hora certa! Deixe-me pegar seu
casaco. Você não vai querer que ele fique com pó quando andarmos
pelas seções em reforma.
Tirei meu casaco e ela sorriu quando eu entreguei. —Acho que
você está indo para algum lugar especial depois disso?
Eu balancei a cabeça.
—Eu vou fazer a sua primeira turnê curta, então. A maioria
dos médicos se foram para o dia de qualquer maneira.
Eu peguei as enfermeiras apontando em minha direção
enquanto se afastavam, e comecei a lamentar estar vestindo a
minha roupa do encontro aqui. Meu vestido era preto e sem alças,
parando bem no meio das minhas coxas. O corte na frente era baixo
o suficiente para que os topos dos meus seios derramassem sobre o
tecido um pouco, e meus sapatos de salto alto vermelho e prata
estavam longe de ser adequado para satisfazer os meus futuros
colegas de trabalho.
Emily não fez menção a minha roupa quando voltou, embora.
Ela simplesmente segurou a mão na minha e começou a me
mostrar ao redor do décimo sexto andar.
Ela falava a mil por hora, e portas iam se abrindo aqui ou ali,
me apresentando alguns dos médicos que ainda estavam sentados
em seus escritórios. Quando percebi que ela estava literalmente me
levando em uma excursão de todos os vinte e cinco andares deste
edifício, eu fiz uma nota mental para trazer sapatilhas a cada dia.
—Isso é o que chamamos de nosso corredor de tratamento—
disse ela, quando entramos em volta do quinto andar. —Nós temos
dezoito salas de tratamento para os nossos pacientes durante o dia,
e cinco salas para pacientes durante a noite. É raro nós temos que
manter alguém durante a noite, mas se o fizermos, você ou um dos
outros residentes seriam obrigados a fazer observações até a
manhã.
—Entendi.— Segui-a de volta para o elevador. —Qual é o
código de vestimenta para os residentes aqui?
—Código de vestimenta?— Ela riu. —A proporção de homens
para mulheres na equipe é 65-35, e a relação do conselho é ainda
mais apertada. Eu acredito que é setenta por cento de mulheres e
trinta por cento homens. Dito isto, não há “código de vestimenta”, e
eu duvido que sempre haverá. A maioria dos enfermeiros e
estagiários usam seus uniformes favoritos, e os médicos usam o
que quiserem sob seus casacos brancos.
—O quê?— Eu fui completamente pega de surpresa pelos
números que ela tinha revelado. —A prática é de sessenta e cinco a
setenta por cento das mulheres?
—É claro que é. — Ela sorriu e fez sinal para eu dar um passo
atrás para o décimo sexto andar. —Por que mais você acha que nós
somos o número um no Estado?
—EU...
—Exatamente.— Ela piscou. —Eu acredito que os dois únicos
médicos que você não conheceu são Dra. Laurel e o proprietário da
clinica Dr. Ashton... — Ela estalou os dentes. —Dra. Laurel
funciona mais fora do que qualquer médico na equipe, então você
provavelmente só a verá durante as reuniões mensal de pessoal, e
Dr. Ashton…
—E sobre o Dr. Ashton?— Disse uma voz profunda por trás,
assustando nós duas.
Eu virei-me lentamente e engasguei quando vi o homem que
tinha acabado de falar. Com as mãos para baixo, o homem mais
sexy que eu já vi na minha vida, imediatamente me fez pensar em
sexo. Seus brilhantes olhos azuis brilhavam sob as luzes
fluorescentes do lobby, e ele estava provocando passando a mão
pelo cabelo preto curto como se ele estivesse lendo a minha mente.
Sobre uma camisa com decote em V cinza, ele estava usando o
jaleco branco colocando cada médico que já tinha usado um para
proferir a vergonha com a forma como o tecido ligeiramente
agarrava-se a seus músculos.
—Eu estava apenas dizendo a nossa nova residente, Dra.
Natalie Madison, que você e Dra. Laurel foram os únicos médicos
que ela ainda não tinha conhecido— disse Emily. —Fico feliz que
esteja sem conhecer apenas um agora, mas eu não estou
prendendo a respiração por Dra. Laurel tão cedo.— Ela olhou para
mim. —Obrigado por vir, Natalie. Vou pegar seu casaco.
Ela se afastou, deixando-me sozinha com o Dr. Ashton.
Os médicos não são suposto ser sexy... Não há nenhuma
maneira que este homem é um médico “real”...
—Prazer em conhecê-la, Dra. Madison— disse ele, estendendo
a mão.
—Prazer em conhecê-lo tambem, Dr. Ashton.— Eu não
conseguia parar de olhar para ele nem se eu tentasse, e pela forma
como seus lábios estavam se curvando em um sorriso pecaminoso,
eu tinha certeza que ele poderia dizer.
—Será que Emily mostrou o meu escritório?— Seus dedos
acariciavam ligeiramente a palma da minha mão, colocando a
minha pele em chamas com um simples toque.
—Não, eu acredito que sua porta estava fechada quando
cheguei, mais cedo.
—Não deveria ter estado.— Ele lentamente soltou a minha
mão. —Por favor, aceite as minhas desculpas.
Eu balancei a cabeça. A maneira como ele estava olhando para
mim agora me fez desejar que eu tivesse usando calcinha.
—Você gostaria que eu te mostrasse o meu escritório agora?
Pessoalmente?
Claro que sim... —Não. Eu hum... Eu realmente preciso estar
no meu caminho. Eu tenho um lugar para estar em breve.
Ele me olhou de cima abaixo, os lábios lentamente se
despedindo quando ele parou no meu vestido. —Será que este “em
algum lugar” envolve um namorado?
Eu comecei a explicar que era um cara aleatório que eu fiz
amizade alguns meses on-line, mas me contive. Ele realmente não
se importava para onde eu estava prestes a ir, e eu precisava pôr
fim a esta fantasia patrão-empregada tola antes que pudesse
começar. —Sim. É um namorado, um namoro muito longo e sério.
—Bem, eu sinto muito por ouvir isso. — Ele sorriu novamente
quando Emily voltou com o meu casaco. —Estou ansioso para
trabalhar com você, Dra. Madison.
—Estou ansiosa para trabalhar com você também, Dr. Ashton.
—Este homem é seu chefe?— Shannon, encarou a imagem
profissional do Dr. Ashton no site do Grupo Park Avenue quando
nós compartilhamos o banco traseiro de um táxi. —Você está me
cagando agora?
—Eu desejo.— Eu não tinha feito nada, mas do que fantasiar
sobre a possibilidade de seus lábios tocando o meu desde o
momento que deixei a clínica privada. Eu incessantemente repetia o
jeito que ele me olhou de cima em baixo, a maneira como ele
acariciava a minha mão, e eu já estava me xingando por não levar a
sua oferta desse passeio pessoal no escritório. Na verdade, quanto
mais eu pensava nisso, mais eu me perguntava como eu ia ser
capaz de obter qualquer trabalho feito em volta dele.
Como alguma das mulheres trabalham quando ele está por
perto?
—Bem, você terá que manter-me informada sobre tudo o que
acontecer quando você começar oficialmente lá.— Shannon
retornou o meu telefone para mim e olhou para fora da janela. —
Você acha que há uma chance desse cara o D-doctor ser meio
caminho tão quente como seu chefe?
—Dúvido. — Eu olhei para a foto sexy do Dr. Ashton pela
última vez e fechei a tela. —Mas acho que o sexo com ele vai ser
incrível.
—Vamos esperar que sim. Lembre-me do por que você me
pediu para acompanhá-la em seu encontro hoje à noite. Você está
tão nervosa?
—Eu não estou pedindo para você me acompanhar— eu disse.
—Eu só preciso que você venha para dentro do restaurante de uma
primeira, olhada para sua mesa, e apenas me chame e me diga
como ele se parece, então eu vou estar preparada, se ele não for tão
bonito como eu espero que ele seja. Ah, e eu também vou precisar
de você para confirmar que ele não emite quaisquer vibrações
assassinas em série.
—Nesse caso, eu vou caminhar até ele e perguntar quando foi
à última vez que ele matou alguém— ela disse, sem rodeios. —Será
que isso funciona para você?
—Na verdade sim. Perfeito. Você pode fazer isso?
—Não.— Ela riu e o táxi parou bem na frente de Per Se alguns
segundos mais tarde.
Segui-a para fora, tomando um assento em um banco que
pertencia ao café ao lado.
—Em toda a seriedade— disse Shannon, —Tem certeza de que
você simplesmente não quer ir e encontrá-lo por si mesma e só me
fazer assistir vocês de longe? Eu acho que é assim que a maioria
das pessoas costumam fazer essas coisas...
—Tenho certeza. Eu quero que você o examine primeiro lugar.
—Ok, então.— Ela encolheu os ombros e fez seu caminho,
ignorando todos em linha com relativa facilidade.
Minutos depois, ela ligou para o meu telefone.
—Sim?— Eu respondi. —Você o vê?
—Ainda não, mas wow... Este lugar é realmente bom. Como é
que nós nunca tivemos uma reserva aqui para nós mesmas? —Ela
fez uma pausa. —Deixa pra lá. Eu só olhei para o menu. Trezentos
e vinte e cinco dólares para o menu especial do chef? Por pessoa?
Essas pessoas estão fora de suas mentes malditas...
—É um restaurante cinco estrelas, Shannon.
—Certo... Qual a mesa que o D-doctor disse que ele estaria
esperando por você de novo?
—Doze.
—Ok, isso é na parte de trás.— Ela parou por um tempo e eu
ouvi o som de vários copos tilintando no fundo. —Eu acho que o
vejo. Ele está olhando para o seu telefone.
—Ele é atraente?
—Eu não posso dizer ainda, mas ele está apertando a sua
mandíbula por algum motivo. Ele também preenche um terno muito
bem.
Como se ela já pudesse dizer o que estava passando pela
minha mente, ela não me deu um único segundo para fazer outra
pergunta antes de enumerar os detalhes.
—Seu terno é cinza escuro— disse ela. —E parece que é feito
por encomenda. Pela maneira como ele se encaixa no seu corpo, eu
tenho certeza que ele tem que se exercitar. Além disso, gravata azul
de seda, desenhada provavelmente, abotoaduras de prata
cintilantes, e sapatos perfeitamente engraxados e de couro. É esta a
parte onde eu ando até ele e pergunto se ele é um serial killer?
—Não, mas eu aprecio o fato de que você se lembrou. — Eu
soltei um suspiro de alívio, sentindo-me esperançosa de que um dos
homens que eu conheci on-line pudesse finalmente viver de acordo
com todas as nossas conversas. Eu comecei a dirigir-me para o
restaurante, pronta para dizer a Shannon que ela podia sair, mas a
ouvi chupar uma respiração profunda e parei em meus pés.
—O que está acontecendo?— Perguntei. —Shan, você está aí?
—Sim, eu estou aqui.— Sua voz era baixa. —Ele só olhou para
mim.
—Ok, bem...— Eu entrei no banheiro em vez de me mover para
a sala de jantar. —Como ele é?
—Ele é sexy pra caralho.
—Você pode fazer melhor do que isso. Descreva-o.
—Um...— Ela suspirou, nunca um bom sinal. —Ele tem cabelo
preto, olhos azuis profundos, e ele tem toda uma coisa acontecendo
de “eu posso fazer você ficar grávida” com um olhar.
—E em uma escala de um a dez?— Eu olhei para o meu
reflexo no espelho do banheiro, ajustando o topo do meu vestido
pela última vez. —O que ele é?
—Ele é um maldito cinquenta— disse ela. —Mas você sabe, ele
meio que me lembra da imagem do seu chefe que você me mostrou
no caminho para cá.
—Dr. Ashton? —Revirei os olhos. —Por favor. Eu não tenho
que lidar com vê-lo novamente até que eu comece a minha
residência.
—Bem, se você não estiver interessada em ver o seu chefe até
que você comece a sua residência, fique de fora porque eu já passei
por ele cinco vezes e eu tenho certeza que o cara que você chama de
D-doctor é Dr. Ashton.
Que porra é essa? Saí do banheiro e lentamente fiz meu
caminho para a sala de jantar, agarrando um menu e segurando-o
na minha cara enquanto eu caminhava para os bastidores.
Dei um passo atrás de uma exposição floral quando ele olhou
para cima novamente, quando ele olhou para o relógio e apertou a
sua mandíbula.
Oh. Minha. Porra. Deus...
Eu não queria acreditar, mas era sem dúvida ele. E de
repente, todas as mensagens que ele tinha me enviado sobre ao
longo dos últimos meses somados fez todo o sentido. A noite de
créditos de leitura atrasados sobre os relatórios dos seus
enfermeiros, a necessidade de me corrigir com “eu sou a porra de
um médico” cada vez que eu jocosamente o chamava de um “talvez
estagiário”, e o próprio nome de usuário muito D-Doctor.
Ele não estava fazendo nada em tudo...
—Eu não posso fazer isso.— Eu sussurrei no telefone. —Que
diabos eu vou fazer agora?
—Vá até lá e tenha uma risada com ele sobre isso desde que
vocês acabaram de conhecer um ao outro há algumas horas atrás.
Isso é o que eu faria.
Eu contemplei o cenário por todos dois segundos antes de
disparar para baixo a idéia. Eu disse este homem as minhas
fantasias mais imundas, casualmente disse a ele sobre o meu
desejo de ser fodida até que eu não conseguisse respirar, e eu não
estava prestes a deixá-lo saber que a mesma mulher que uma vez
disse-lhe todas as maneiras que eu usava o meu vibrador era a sua
nova residente.
Eu o assisti por mais alguns minutos em parte, incapaz de me
afastar por quão sexy ele era, em parte ainda em descrença
absoluta. Quando ele olhou para o relógio de novo, eu me virei e
rapidamente me afastei.
—Vamos embora, Shannon,— eu disse. —Nós estamos
saindo.— Eu terminei a chamada e fiz meu caminho para fora.
Andei a calçada enquanto contemplava o meu próximo, e então
senti o meu telefone vibrar em minhas mãos. Dr. Ashton.
Eu olhei para a tela do meu telefone, uma vez que tocou,
quando ele finalmente foi para o correio de voz.
Ele chamou novamente.
E de novo.
Merda...
Eu pairava meu dedo sobre o botão ignorar, tentado deixar
essa noite morrer e agir como se eu nunca tivesse conhecido ele em
tudo, mas eu não poderia trazer-me a fazê-lo.
—Olá?— Eu respondi.
—Olá. Você se esqueceu sobre o encontro comigo esta noite?
—De modo nenhum...
—Então devo supor que você está atrasada?
Deus, sua voz... —Não, hum. Eu sinto Muito.
—Você está arrependida pelo que?
—Isso eu não posso, eu não estou vindo para conhecê-lo esta
noite.
Ele ficou em silêncio por alguns segundos. —Eu acho que
mereço de você uma explicação, no mínimo.
—Eu apenas não pude vir— eu disse, engolindo. —Mas eu
quero que você saiba que eu tenho uma boa razão para não
aparecer. Eu prometo.
—Então me diga qual é a maldita razão, desde que você está
fazendo exatamente o que você disse que não faria me deixando
aqui.
—Você apenas tem que acreditar em mim sobre isso... É uma
boa razão.
—Entendo.— Sua voz era firme. —Eu teria apreciado que você
me ligasse e me avisasse que você estava pensando a desperdiçar o
meu tempo, especialmente depois de todos esses meses que temos
enviado mensagens um ao outro online. Eu teria apreciado você
fazer isso antes de eu chegar aqui e passar mais de trinta minutos
de espera por você.
—Eu sinto muito.— Eu mudei a distância da entrada Uma vez
que vi Shannon descendo a escada. —Eu realmente não tinha
planos de deixa-lo hoje à noite até o último minuto.
—Você decidiu esta merda no último minuto?
—Sim, mas... Não há nenhuma razão por que ainda não
podemos continuara enviar mensagens um para o outro on-line
depois disso. Talvez seja onde isso deveria ter ficado de qualquer
maneira. Nós ainda podemos ser amigos, certo?
Ele desligou na minha cara.
Assunto: Revisão no New York Times...

Dr. Ashton, leia o anexo avaliação cinco estrelas de seus serviços a partir
de uma das minhas pacientes regulares, senhorita Rachel Aberdeen. Preste
atenção especial para as partes onde ela diz que, embora você deixasse de
“tratar adequadamente seus seios” e que “tem muito sarcasmo em sua boca”
que ela jura que você é o único homem fora o seu marido que ela confia com
ela “mais valorizava a parte privada”.
Eu realmente aprecio você cuidar das minhas pacientes enquanto eu
estiver fora. :-)
-Dra. Lauren

Revirei os olhos e apaguei o seu e-mail, sem me preocupar em


abrir o anexo. Eu não precisava, já que quase todos os membros do
pessoal neste andar tinha tomado para si escorregar a versão
impressa debaixo da minha porta.
Em qualquer outro momento, eu poderia ter respondido com
algo sarcástico, mas eu estava completamente fora de meu jogo e eu
estava certo de que JERSEYGIRL7 era a culpada.
Desde a noite que ela me deixou no Per Se, eu estava mais
irritado que o normal. Eu nunca tinha sido deixado um dia na
minha vida, e eu sinceramente tinha estado ansioso para conhecê-
la e fazer todo o possível para trazer cada fantasia imunda que ela
me contou sobre a sua vida.
Quando ela me disse que não estava vindo, eu imediatamente
excluí seu número de telefone e bloqueei-a no New York Minute,
embora eu tenha mantido o arquivo dos nossos tópicos de
mensagens intermináveis. Eu também tentei estabelecer uma data
de substituição rápida com várias outras mulheres, mas foi tudo
em vão.
Eu não poderia encontrar qualquer uma que combinasse
comigo mais de cinquenta por cento em New York Minute, e as
poucas mulheres que pegavam o meu olhar no bares nos fins de
semana passados, não poderiam manter uma conversa para salvar
as suas vidas. Elas não tinham nada sobre o nível de sarcasmo e
perspicácia que eu gostava de JERSEYGIRL7.
Talvez eu não devesse ter excluído seu número tão cedo...
—Dr. Ashton? — A voz suave de repente me tirou dos meus
pensamentos e eu olhei para cima, vendo a mais recente adição à
equipe: Natalie. Com o casaco branco que pendurava aberto, ela
estava usando um vestido vermelho brilhante que se agarrava a
seus quadris em todas as maneiras corretas e expondo a parte de
cima de seus seios. Seus olhos eram de um tom impressionante de
verde, e seus longos cabelos ruivos estava caindo pelos ombros, em
um bando de grandes cachos.
Você trabalhar comigo vai ser um problema, e eu
definitivamente preciso mantê-la longe de mim...
—Como posso ajudá-la, Dra. Madison?— Eu disse, segurando
um gemido, quando ela deslizou a ponta de uma caneta entre os
perfeitos, lábios rosados.
—Foi-me dito que eu deveria te informar para os primeiros
meses de minha residência aqui, enquanto eles terminassem a
triagem com algumas das especificidades finais— disse ela. —
Então, onde você quer que eu esteja está manhã?
Em cima da minha mesa...
—Nós não deveriamos assumir novos moradores até que
abrisse a nossa localização de expansão na rua,— eu disse. —
Assim, desde que você de alguma forma conseguiu escapar antes
então, você vai compartilhar um escritório comigo por agora.— Eu
apontei para a nova mesa cromo do outro lado da sala.
Eu tinha certeza que eu nunca concordaria em partilhar o
meu escritório com ninguém, e que o membro número um do
conselho não deve nunca ser submetido a algo como isto, mas
quando os médicos todos concordaram que eu nunca, nunca teria
que trabalhar com outro residente após este, eu cedi para melhor.
—Existe alguma coisa que você precisa de mim, Dra. Madison?
—Na verdade, você se importaria de me acompanhar através
do arquivo de Weisman e atribuição que recebi no meu e-mail esta
manhã?— Ela clicou a caneta. —Eu nunca lidei com um paciente
com essa condição antes e eu não consigo ler pela caligrafia
digitalizada na folha de sessão.
—Claro— eu fiz uma nota mental para escrever mais correto
ao longo dos próximos meses. —Eu vou passar por isso com você
em cerca de dez minutos.
—Obrigada.— Ela sorriu e caminhou até a mesa nova, os
saltos vermelhos brilhantes clicando em meus pisos de mármore e
levou tudo em mim para agir como um completo profissional e não
dizer uma palavra sobre como sexy ela estava. Esta era apenas a
minha segunda vez perto dela e ela conseguiu me fazer dez vezes
mais excitado do que quando eu tinha visto ela pela primeira vez no
final de sua turnê. Eu já estava dez vezes mais atraído por ela do
que qualquer outra mulher que eu já conheci.
Felizmente, ela foi uma profissional completa para o resto do
dia, e o que fez um pouco mais fácil para eu seguir o exemplo. Eu
pacientemente respondi a todas as suas perguntas bem
pesquisadas, a deixei sentar-se em uma sessão de terapia com um
cliente que não mente e, até mesmo me ofereci para leva-la para um
jantar leve no fim do dia.
Ela se recusou.
Então, eu me ofereci para fazer a mesma coisa em seu
segundo dia.
Ela se recusou novamente. Em seguida, ela declinou para os
próximos quatro dias úteis consecutivos, então eu não fui para um
quinto.
Ainda assim, com os primeiros dias de sua residência
começando, eu percebi o quanto eu realmente precisava de ajuda
adicional, quão benéfico ter alguém ao meu lado era. (Embora, eu
nunca fosse admitir isso para os outros médicos. Seus 12-1 voto
ainda era besteira.)
Não me atingiu até a segunda semana da residência, que algo
sobre Natalie estava completamente desligado. Pelo menos, para
mim.
Mesmo que eu fizesse questão de manter meus pensamentos
incessantes de dobra-la por cima da minha chaise ou levá-la contra
a minha janela na parte de trás da minha mente, sempre que eu
tentava ter conversa fiada básica com ela, ela mudava de assunto.
Como se ela fosse incapaz de sequer abordar o tempo ou aceitar a
minha sugestão de tentar o New York Minute se ela quisesse
conhecer novas pessoas fora da prática. Se acontecesse de eu
entrar na sala no intervalo, quando ela estava sentada sozinha, ela
simplesmente sorria para mim, se levantava e saia imediatamente.
Ela saia do seu caminho para se certificar de que nós nunca
ficassemos sozinhos, a não ser que estivesse em meu escritório, e
eu sinceramente queria puxá-la para o lado e dizer-lhe para relaxar.
Sexy como o inferno ou não, eu duvidava que eu jamais iria dormir
com alguém que eu trabalhava. Eu tinha considerado muito tempo
e estava fora de questão, e ela não seria uma exceção.
Eu permiti outra semana inteira para ir por enquanto
testemunhando seu comportamento estranho e prometi perguntar a
ela o que estava errado na segunda-feira seguinte, quando ela
entrou.
—Dr. Ashton! —Emily me ligou da recepção muito tempo
depois que Natalie saiu para o fim de semana. —Dr. Ashton!
Eu gemi e me dirigi para a recepção principal. —Sim? Os
telefones de escritório não funcionam mais?
—Eles funcionam, mas três representantes de seguros me têm
em espera sobre essas linhas agora, então eu não tive escolha.—
Ela apontou para seu telefone de mesa. —De qualquer forma,
Natalie acabou de me ligar de um telefone público, em pânico. Ela
acha que deixou seu telefone celular em seu escritório. Você pode
chamá-lo e verificar para mim?
—Claro.— Eu comecei a voltar para o meu escritório, mas eu
parei e me virei. —Eu não tenho seu número de telefone celular.
—Ah, certo.— Ela escreveu-o em um post-it amarelo, assim
quando uma seguradora voltou para a chamada.
Puxei meu celular do meu bolso e liguei para o número,
caminhando para o meu escritório. O segundo que entrei, ouvi
vibrando e o vi escondido debaixo de uma pilha de pastas.
Agarrando-o, eu me dirigi de volta para Emily, mas olhei para
sua tela e tudo parou. Tudo em mim estava certo de que isto tinha
de ser algum tipo de piada.
As palavras “D-Doctor chamando... Responder? Ignorar?”
estavam na minha frente e no centro, e a chamada terminou, liguei
para seu telefone novamente para ter certeza que eu estava vendo
essa merda corretamente.
Com certeza, sua tela se iluminava novamente com o “D-
Doctor” quando a segunda chamada veio.
Precisando de mais uma prova, fui para o registo de chamadas
e excluídos dos meus dois últimos convites para que ela nunca
soubesse que eu era para ela. Então, contra o meu melhor
julgamento, eu peneirei através de seus aplicativos, apenas para
confirmar as coisas que estavam correndo pela minha mente.
Apertei o mini-ícone dos desenhos animados familiarizado,
Ponte de Brooklyn, que levou diretamente para o app de namoro
New York Minute, e o segundo que abriu, as palavras: “Bem-vindo
de volta, JERSEYGIRL7!” Apareceu na sua tela.
Que porra é essa?! Ela está aqui? Todo esse maldito tempo...
—Dr. Ashton! —Emily chamou a partir da recepção
novamente. —Eu ainda tenho Natalie em espera ao telefone público
aqui fora! Encontrou o que procurava?
—Sim.— Eu olhei para o telefone e desconectei do aplicativo.
—Eu encontrei exatamente o que eu estava procurando...
—Então, você está dizendo que nunca vai dizer-lhe que foi
você quem o deixou?— Shannon sentou perto de mim no nosso café
favorito. —Eu realmente não acho que seria tão grande negócio, e
talvez ele fosse ri sobre isso. Você sabe?
—Não, eu não vejo mais um ponto.— Tomei um gole de café
com leite. —Temos uma boa relação de trabalho agora, e eu
realmente gosto de trabalhar em um consultório particular, muito
mais do que eu pensei que eu faria. Tem sido ótimo.
—Bem, bom para você. Ele é um bom chefe?
—Sim, na verdade. Ele não tem sido nada, mas do que
agradável e paciente comigo quando se trata de todos os mapas que
tenho que fazer, e eu realmente não quero estragar tudo. Eu não
posso me dar ao luxo de estragar tudo.
—Eu acho. Então, ao trabalhar ao lado dele deixou você
menos atraída por ele?
De jeito nenhum... —Sim, um pouco.— Eu menti porque eu
não poderia trazer-me a admitir a verdade sobre o Dr. Ashton. O
homem basicamente andava e, respirava sexo e todos em seu
escritório sabiam disso. Inferno, até mesmo suas pacientes sabiam
disso. Na verdade, eu tinha certeza de que vinte por cento de suas
pacientes eram perfeitamente normais e apenas reservava trezentos
dólares por hora de sessões de terapia para que elas pudessem
flertar e olhar para ele.
Eu pensei que eu poderia lidar com isso em primeiro lugar. Eu
sinceramente acreditava que seus gestos simples de me comprar
café da manhã, oferecendo-se para comprar-me o almoço, ou
permitindo-me sentar em sessões acabaria por diminuir isso em
mim, mas toda noite quando eu estava sozinha em minha cama,
meus dedos encontraram o seu caminho sob as minhas calcinhas e
tudo que eu conseguia pensar era ele.
Eu estava fazendo o meu melhor para evitar estar em torno
dele cara-a-cara, porque não demorava muito para ele me ligar,
mas a cada segundo que eu olhava para ele e cada mordida que ele
dava em seus Twizzlers premiado, eu me lembrava que eu
realmente, realmente queria senti-lo dentro de mim.
—Whoa.— Shannon se levantou da mesa quando o seu pager
tocou. —Este é um dos meus estagiários. Eu tenho que ir.
—Vejo você em casa mais tarde— eu disse. —Mas espere.
Diga-me, a residência em Manhattan Medical é tudo o que você
pensou que seria? É tão grande como nós costumávamos sonhar?
—Absolutamente não.— Ela sorriu, mentindo como uma boa
melhor amiga. —É absolutamente horrível e eu acho que você
odiaria totalmente.
—Obrigada.
Ela me deu um abraço e saiu do café.
Eu tomei meu tempo bebendo o resto do meu café com leite,
tomando a decisão de ir para o trabalho uma hora mais cedo para
fazer algum trabalho adicional para Dr. Ashton. No segundo que eu
entrei no “nosso” escritório, de imediato, notei algo diferente.
Ele tinha mudado minha mesa para um canto, e ele tinha
colocado duas estantes próximas a ele que foram preenchidas com
arquivos. Não só isso, mas ele tinha instalado um biombo que
separava o meu lado do escritório da área onde os pacientes se
sentavam na chase. Oh, e ele tinha tirado os dois vasos de
“Obrigado por ser um grande residente” Twizzlers que tinha
acabado de me dar ontem. Ele tinha mudado para a sua mesa,
deixando-lhe seis vasos de doces e zero para mim.
O que diabos está acontecendo?
—Bom dia, Dra. Madison.— Ele bateu as luzes no segundo
que ele entrou escritório mais tarde. —Você está aqui esta manhã.
—Sim, eu queria entrar e fazer alguns trabalhos no mapa
Letterman antes de nos encontrarmos com ele hoje.
—Nós não vamos nos encontrar com ele— disse ele, com a voz
entrecortada. —Vai ser apenas eu. Você sair do meu escritório,
quando ele chegar e fazer o seu trabalho no salão de pausa até que
a sessão acabe. Você vai sair do meu escritório sempre que eu me
encontrar com um paciente pelo resto da semana.
Pisquei, totalmente confusa.
—Além disso— ele disse, apontando para as prateleiras. —
Você vê os arquivos que eu já coloquei ali?
Eu não respondi. Eu apenas assenti.
—Eu preciso de todos classificados até ao final da semana,
então eu sugiro que você comece a trabalhar com os pacientes que
são das sessões mais atuais. Isso vai fazer o seu trabalho muito
mais fácil. Alguma pergunta? Parece que você tem algo a dizer.
Você é bipolar?
—Hum... você por acaso esqueceu de tomar qualquer medica...
— Eu hesitei em continuar quando notei ele estreitando os olhos
para mim, desafiando-me a completar a frase. —Com todo o
respeito, Dr. Ashton, eu preciso praticar alguma coisa. Esse é um
tipo de ponto de uma residência. Eu não posso simplesmente
arquivar papéis durante todo o dia
—Isso é exatamente o que você vai fazer durante todo o dia.
—Não... — Eu cruzei os braços, odiando o fato de que, mesmo
no meio dele ser um idiota total, ele ainda tinha a capacidade de me
transformar. —O programa que você e sua equipe graciosamente
juntos disseram que seria os meus primeiros três meses seria
trabalhando diretamente com você e aprendendo sobre melhores
maneiras de lidar com a terapia cognitiva. Eles não disseram nada
sobre a leitura de prontuários e arquivos todo o dia.
—Você está me desafiando?
—Eu estou te avisando.— Eu não ia deixá-lo me empurrar
mais, não importa como molhada a minha calcinha estava agora. —
Eu não me importo de fazer os arquivos em ordem de importância,
e eu não me importo de trabalhar horas extras para fazê-los.
—Eu não estou te pagando horas extras.
—Independentemente disso — eu disse, estreitando os olhos
de volta para ele. —Eu não me importo de fazer esses arquivos em
ordem de importância, mas se você acha que está indo para
dificultar a minha carreira de qualquer maneira, porque você está
tendo um dia ruim e não tomou os seus rmédios, você tem outro
pensamento vindo, Dr. Ashton.
—É mesmo, Dra. Madison?
—Sim, é isso mesmo.— Eu olhei para a direita em seus lindos
olhos azuis. —Isso é muito.
—Hmmm... — Um leve sorriso cruzou os seus lábios, mas ele
não deixou ficar. —Então, o que você está dizendo é que foi
prometido a você um certo tipo de resultado para a sua residência e
você espera que eu apareça e honre exatamente o que lhe foi dito,
correto?
—Sim. Isso é precisamente o que estou dizendo.
—Então, a idéia de eu de repente mudar de idéia no último
minuto e não honrar o que você inicialmente acordou seria, como
posso colocar isso... Fodido?
—Hum, sim... — Eu não tinha certeza de onde ele estava indo
com isso. —Sim, eu acho que você poderia dizer que seria “fodido”.
Isso significa que você entende onde eu estou indo?
—Não.— Ele olhou para mim. —Não, porra isso não acontece.
Isso significa que você é realmente uma residente. Isso significa que
você relatou a mim nesta parte do seu programa que você sabe
exatamente o que eu disse para fazer, se você acha que é
importante para a sua carreira ou não.
Mordi a língua, antes que as palavras: “Quem diabos você
pensa que é?” Pudesse deixar minha boca.
—Eu até fiz um favor— disse ele, puxando uma pequena folha
de papel do bolso e entregando para mim. —Anotei os arquivos
mais importantes para você. Os top vinte que eu preciso concluído
até amanhã de manhã, às nove horas, especificamente os arquivos
de família Yarbrough. Sem exceções. Estamos entendidos?
Eu não lhe respondi. Fiquei ali com os dentes cerrados, com
as palavras que eu realmente queria dizer dobrada firmemente
debaixo da minha língua.
—Dra. Madison? —Ele se aproximou de mim, fechando a
distância entre nós. —Eu disse, estamos claro?
—Como um cristal, Dr. Ashton.— Forcei um sorriso. —Eu
entendo completamente.
—Bom.— Ele me olhou de cima a baixo e, em seguida, ele se
dirigiu para a porta. —Ah, e por falar nisso,— ele disse, olhando por
cima do ombro. —Tudo o que você provavelmente está sentindo
agora é mais do que justificado. É exatamente como eu me senti
quando me deixou, JERSEYGIRL7.
Meu queixo caiu imediatamente no chão.
—Pena que eu não comecei a testar o quão grande a sua boca
poderia abrir na noite em que deveriamos nos encontrar— disse ele,
olhando muito mais chateado do que ele estava a minutos atrás. —
Se a sua expressão chocada for qualquer indicação, sua boca é
bastante impressionante.
Subi dezesseis lances de escada para o meu andar mais cedo
na manhã seguinte, com a necessidade de limpar a minha mente e
encontrar uma maneira de pedir desculpas a Natalie. Bem, eu só
estava indo para “uma pequena” desculpas por tudo o que eu disse
a ela ontem. Eu ainda estava indo para fazê-la lidar com mais
papelada do que era necessário, porque ela precisava ser punida em
algum tipo de caminho por arruinar a nossa perfeitamente boa
amizade online. Mas eu não ia impedi-la de sentar nas sessões
comigo.
Ela estava mais do que certa sobre a necessidade de obter
tanta prática quanto possível e eu não estava indo para segurá-la
de volta. Isso, e ela era realmente muito impressionante quando se
tratava de analisar as sessões depois. Encontrei perspicácia e
intelecto muito refrescante.
—Bom dia, Dr. Ashton!— Emily me cumprimentou quando eu
surgi a partir da escada.
—Bom dia, Emily. Qualquer coisa que eu preciso saber antes
de eu me trancar no meu escritório?
—Sua sessão de três horas foi cancelada, então eu mudei a
sua sessão de cinco horas para quatro. Dra. Laurel acaba de
assinar um livro, então não se esqueça de dizer parabéns. Dr.
Anderson acabou de descobrir que a sua esposa está grávida da
mesma forma. E eu preciso de você para assinar aqueles resultados
de laboratório que você enviou para quando eles chegassem ao
meio-dia de hoje.
—Muito obrigado, Emily.
—O prazer foi meu.
Fui até meu escritório e abri a porta. Então eu bati as luzes e
pisquei várias vezes para me certificar de que o que eu estava vendo
neste momento era real.
Natalie estava sentada na minha mesa. Na minha cadeira.
Com meus Twizzlers.
Ela estava inclinada para trás com seus saltos vermelhos
perfeitamente empoleirados em uma pilha de livros, e parecia como
se tivesse reorganizado tudo em meu escritório do jeito que era
quando ela começou aqui. Parecendo ainda mais sexy do que ela fez
ontem, os lábios estavam revestidos em um rosa brilhante e ela
estava levantando a sobrancelha, olhando para mim como se ela
estivesse esperando que eu dissesse alguma coisa.
Eu não fiz.
Eu apaguei as luzes e sai do meu escritório por completo,
sabendo que eu tinha que estar imaginando essa merda.
É melhor eu estar imaginando essa merda...
Eu fantasiei sobre ela envolver a boca tentadora em volta do
meu pau, enquanto ela se sentava na minha mesa poucas horas
atrás, então eu percebi que isso era mais que apenas uma vívida
projeção, do mundo real. Além disso, qual o motivo que ela teria
que estar no trabalho quatro horas mais cedo?
Voltei para o meu escritório, batendo as luzes, mais uma vez,
mas Natalie ainda estava lá, parecendo ousada e descarada como
sempre.
—Posso ajudá-lo com alguma coisa, Dr. Ashton?— Disse ela.
—Existe um problema?
—Você sabe muito bem que há um problema.— Eu defini a
minha maleta no chão. —Mas você sabe o que?
—O quê?— Ela cruzou os braços.
—Eu não vou repreendê-la por sentar na minha mesa feita sob
medida que eu paguei uma fortuna, nem estou indo para
repreendê-la por reorganizar o meu escritório sem minha
permissão.
—Sentar e mover os móveis em volta de seu escritório não é
um crime, Dr. Ashton.
Revirei os olhos, aderindo ao assunto em mãos. —Eu vou
bater essas luzes de novo, e então eu estou indo para uma
caminhada de quinze minutos. Quinze. Minutos. O segundo que eu
voltar, eu vou acender as luzes mais uma vez, e você sabe o que vai
acontecer então? Você não vai estar sentada na minha mesa. Você
não estará sorrindo para mim, e você também não terá um Twizzler
roubado pendurado para fora de sua maldita boca.
Olhei para a mesa e vi que ela tinha retornado dois vasos de
Twizzlers para sua mesa.
—Falando de Twizzlers— eu disse. —Esses vasos não lhe
pertencem mais. Eles são apenas para pessoas que aparecem
quando é suposto.
Ela não disse nada, ela apenas olhou para mim e deu outra
mordida em um.
—Quinze minutos, Natalie,— eu disse, batendo as luzes. —Se
não...
Dr. Ashton entrou em seu escritório quinze minutos depois,
parando morto em seus passos uma vez que seus olhos
encontraram os meus.
—Você ainda está na minha cadeira maldita— disse ele.
—Eu estou.— Eu cruzei os braços. —Eu vou alegremente sair
dela quando você pedir desculpas por seu por seu comportamento
rude e não profissional ontem.
—Se você tem que implorar a alguém para se desculpar, então
a pessoa provavelmente não está arrependida.
—Tenho a sensação de que você está.
—Eu não estou.— Ele pegou sua pasta e colocou sobre a
mesa, ao lado de onde meus pés estavam apoiados em cima dos
livros.
Ele murmurou algumas palavras para si mesmo e eu tinha
certeza que eu o ouvi dizer: —Eu gostaria de ter feito você gozar em
minha boca naquela noite...— mas eu não tinha certeza.
—Será que você completou os prontuários dos Yarbrough, Dra.
Madison?
—Não, eu não fiz.
—Não, você não fez?— Ele levantou a sobrancelha. —Você,
pelo menos, começou eles?
—Nem um pouco.— Dei de ombros. —Eu estava muito
emocionalmente perturbada depois de sair o trabalho ontem, então
eu achei que você ia entender se eu não chegasse até eles. Se não,
eu posso gentilmente explicar esta situação aos Recursos Humanos.
Seus olhos se arregalaram e ele parecia que estava prestes a
se perder.
—Eu posso começar com eles hoje, se você quiser— eu disse,
sorrindo. —Mas como você pode supor, eu provavelmente vou
precisar de mais tempo para terminá-los desde que eu estarei
começando com um dia de atraso.
—Corte a merda, Dra. Madison.— Ele andou em volta da mesa
para onde eu estava. —Eu estou dando-lhe cinco segundos para me
dizer por que você não fez esses arquivos malditos, quando eu lhe
disse o quão importante eles eram para mim ontem.
Eu levantei a minha mão em contagem regressiva de cinco em
meus dedos, um por um. —O que agora?
—Agora, eu digo a todos os meus parceiros aqui que eu acho
que nós precisamos considerar demiti-la, mas tenho a sensação de
que você está apenas fodendo comigo agora. Onde está o trabalho?
Levantei-me da cadeira e ele imediatamente se aproximou de
mim, prendendo minha bunda contra a borda da mesa.
—Não me faça perguntar de novo...— disse ele.
—Pare de tentar me intimidar e apenas peça desculpas para
que possamos voltar a ser como as coisas eram, — eu disse. —Eu
sei que você está chateado porque o seu ego estava machucado,
mas eu não vou ficar para a sua versão distorcida de assédio
sexual.
—Eu nem sequer comecei a assediar sexualmente, Dra.
Madison.— Ele se inclinou e seus lábios quase roçaram o meu. —
Quando eu fizer isso, você vai saber. Confie em mim.
—Você tem alguma ideia do que você acabou de dizer?—
Minha calcinha estava encharcada. —Eu não acho que você
quisesse que isso soasse dessa maneira.
—Eu quis dizer exatamente como isso soou.— Sua boca
imediatamente cobriu a minha e meus braços foram ao redor de
seu pescoço, arranhando sua pele quando ele deslizou a mão sob
meu vestido.
Quando ele controlava meus lábios com os seus, deslizando
sua língua mais e mais profunda em minha boca, ele empurrou
minha calcinha para o lado e esfregou o polegar contra minha fenda
encharcada.
Ele gemeu quando sentiu como eu estava molhada, e eu
respirei quando senti seu par endurecido contra a minha coxa. Eu
não tinha que olhar para baixo para saber que era enorme, e o fato
de que eu senti através de suas calças e seu jaleco fez meu rosto
ficar vermelho brilhante.
—Desabotoe as minhas calças— ele sussurrou contra a minha
boca. —Agora.
Eu não hesitei. Movi as minhas mãos para a fivela do cinto,
apressando-me para libertar seu pau, mas antes que eu pudesse
obter o couro através do primeiro botão, o telefone tocou.
Nós dois congelamos imediatamente e, em seguida,
lentamente, puxamos longe um do outro.
—Por favor, faça os arquivos Yarbrough — ele sussurrou,
ainda ofegante. —E para o registro, isso nunca aconteceu, e isso
não pode acontecer novamente.
—Eu concordo que isso nunca aconteceu.— Eu toquei meus
lábios inchados. —E eu vou completar os arquivos Yarbrough. Vou
feliz dar a você quando você pedir desculpas por puxar um Dr.
Jekyll e Hyde3 para mim ontem...
Por um segundo, ele realmente parecia que estava prestes a
dizer as palavras, “eu sinto muito”, mas ele se sentou em sua mesa
e pegou o seu telefone antes que pudesse ir para a caixa postal.
—Dr. Ashton falando... —Ele manteve os olhos em mim. —
Sim, sim. Certo, tudo bem. Vou assiná-los imediatamente. —Ele
desligou o telefone e, em seguida, arrancou um doce vermelho de
seu vaso. —Dra. Madison, acho que você e eu precisamos redefinir
a forma como essa relação empregado-patrão funciona. Você está
abaixo de mim. Estou acima de você. Assim sendo...

3
do médico e o monstro
Eu não lhe dei a chance de terminar essa linha de
pensamento. Abri a gaveta esquerda de sua mesa e tirei os arquivos
Yarbrough, estatelando-os todos em cima de sua mesa.
—Você está certo— eu disse, chateada com o quanto louca ele
me fazia. —Precisamos redefinir a forma como esta chamada
relação empregado-patrão funciona. Vamos apenas enviar e-mails
sempre que não estivermos sentados em frente de um paciente.
Eu caminhei de volta para o meu lado do escritório, mas não
antes de bater cada vaso maldito de seus Twizzlers premiados no
chão.
—Natalie, você terminou de ler esse novo estudo que eu lhe
enviei esta manhã?— Servi-me uma xícara de café no salão de
descanso está manhã. —Se você está interessada em aprender
mais, eu posso pagar para você fazer o curso on-line, se quiser.
Ela ainda estava sentada em sua mesa, lentamente comia um
bagel com cream cheese.
—Natalie?— Dei um passo mais perto dela. —Natalie, eu sei
que você me ouviu falando com você.
—Bom dia, enfermeira Johnson e doutor Clemons!— Natalie
acenou para eles quando entraram no salão. —Como foi o dia até
agora?
Eles disseram “muito bom” e “O meu está bem”, ao mesmo
tempo.
—É bom ouvir.— Natalie deu uma mordida em seu bagel e
olhou diretamente para mim.
Irritado, eu puxei o meu telefone do meu bolso e toquei em
minha caixa de entrada, odiando que ela estava realmente sendo
fiel a apenas se comunicar por seu e-mail comigo.
Sentei-me à mesa em frente a ela e digitei um e-mail.

Assunto: Novo Estudo / Curso

Você terminou de ler esse novo estudo que eu lhe enviei esta manhã? Se
você estiver interessada em aprender mais, eu posso pagar para você fazer o
curso on-line, se quiser.
PS - Quanto tempo você vai manter essa merda?
-Dr. Ashton

Seu telefone tocou contra a mesa e ela limpou a sua tela,


digitando uma mensagem de volta para mim.

Assunto: Re: Novo Estudo / Curso

Sim, eu terminei de ler esse estudo. Eu realmente gostei de lê-lo,


obrigada, e eu definitivamente gostaria de fazer o curso online.
PS - Enquanto demorar para você me tratar como sua residente (ou sua
amiga) novamente. Com relação patrão-empregado ou não, eu não aprecio a
forma como você fala comigo.
PSS - Para o registro, você é, de longe, o médico mais profissional que eu
já trabalhei na minha carreira.
-Dra. Madison
Assunto: Re: Re: Novo Estudo / Curso
Eu vou pagar por isso, logo que eu voltar para o meu escritório e
transmitir-lhe as informações de login. Você pode começar a fazer o curso na
próxima semana.
PS - Um amigo não teria me deixado no último minuto sem me dar uma
razão. Com a relação patrão-empregado ou não, eu não aprecio a forma como
você me deixou
PSS - Você não tem tempo suficiente para trabalhado neste campo para
realmente ter uma “carreira”.
-Dr. Ashton

Assunto: Re: Re: Re: Novo Estudo / Course

Assunto: Re: Re: Re: Re: Novo Estudo / Curso


Você realmente precisa trabalhar em seu uso de CAPS LOCK. Você está
enfatizando todas as palavras erradas. E para o registro... Se você tivesse
realmente aparecido, você não teria tido a memória de estar abaixo de mim na
minha cama em tudo.
Eu teria fodido você de quatro...
-Dr. Ashton
Lamento agora dizer que trabalhar em um consultório
particular era menos exigente do que trabalhar em um hospital.
Isso era, de longe, muito mais difícil e eu estava lutando pela
primeira vez na minha carreira.
Eu tolamente pensei que minhas primeiras semanas seriam
um esboço do que eu estaria fazendo para o resto da minha
residência, simplesmente acompanhando o Dr. Ashton ou outro
médico por alguns meses em um tempo e fazendo testes aqui ou ali.
Mas o segundo que os coordenadores do programa me sentaram em
uma sala de reuniões privada e colocaram para fora mais dos
detalhes do programa e como ele estava prestes a mudar, eu
percebi o que estava em cima da minha cabeça.
De segunda a quarta-feira eram os dias que passei com Dr.
Ashton, a tensão entre nós crescendo mais quente e mais explosiva
a cada segundo. A energia luxuriosa era praticamente palpável cada
vez que partilhávamos a mesma sala. Ele estava se tornando tão
óbvio, que no meio da nossa última sessão com uma mulher que
sofria de problemas de raiva deslocada, ela parou no meio da fala e
olhou para nós dois, gritando: Jesus.
Quintas-feiras eram os “dias de investigação” quando eu
passava horas na prática no terceiro andar, na realização de
estudos no laboratório, dividindo meu tempo entre o psicólogo e o
psiquiatra. (E já que este era apenas um dia por semana, eles me
deram bastante “estudo solo”, de modo que eu tinha que vir nos
fins de semana. Eu nunca terminava...)
O pior dia de todos embora, era sexta-feira, que era
definitivamente uma piada cruel comigo do universo. Sextas-feiras
foram designados para ser “como o dia necessário” o que significa
que mesmo se eu estivesse no meio de completar um trabalho de
pesquisa ou recuperar o atraso em alguns prontuários que estavam
muito atrasados, se qualquer um dos médicos de praça precisasse
de mim para fazer algo que eles não queriam fazer, eu era a sua
garota.
E eles definitivamente me fizeram a sua menina.
Minhas sextas-feiras eram um carretel interminável de
remendar suturas menores, sessões “Eu só quero alguém que me
escute por vinte minutos”, exames físicos básicos, exames retais,
seleções de teste de laboratório, “por favor, recupere as notas da
enfermeira sobre a história famíliar de meu paciente de vinte anos
atrás agora, por favor” exige. Elas começavam no segundo que eu
entrava pela porta às sete horas da manhã, e eu tinha a sorte de
sair pelas portas do Park Avenue Wellness as dez horas da noite.
Então, tecnicamente, eu temia as sextas-feiras, mas eu
também temia quintas-feiras, porque elas cruelmente me
empurravam para aquelas sextas-feiras sem pensar duas vezes.
—Você parece uma merda absoluta hoje.— Shannon se sentou
ao meu lado no nosso sofá na quinta-feira a noite. —Como,
naturalmente você está linda, normalmente, mas eu mal consigo
reconhecê-la agora com essas grande manchas cinzentas sob seus
olhos.
Ela inclinou-se e me cheirou. —E que cheiro é esse? Você não
tomou banho esta semana?
—Muito obrigada, Shannon,— eu disse. —Eu sempre posso
contar com você para me fazer sentir melhor sobre a minha vida.
—Você é muito bem-vinda.
Eu me mexi na minha maneira de sair da minha camisola e
joguei pela sala. —Um médico me pegou no caminho para sair hoje
e me pediu para ajudá-lo a segurar um bebê enquanto ele arrumava
o espaço para uma tomografia computadorizada. O bebê me olhou
por dois segundos e vomitou em cima de mim. É como se ela
quisesse confirmar o estado da minha vida para mim, sabe?
—Eu sinto muito.— Ela riu e me abraçou de lado. —No lado
positivo, você é uma das moradoras mais bem pagas no Estado.
Você faz quinze mil a mais do que eu um ano trabalhando lá, por
isso tem de contar para alguma coisa, certo?
Eu virei a minha cabeça lentamente para encará-la e dei-lhe
um olhar vazio.
Ela riu ainda mais. —Como estão as coisas com o doutor sujo?
—Doutor sujo? É disso que estamos chamando o Dr. Ashton
agora?
—Sim, de alguma forma eu não me sinto bem em chamá-lo de
“Dr. 23cm” como você faz. Além disso, eu acho que soa melhor.
Eu tentei rir, mas não saiu nada, mas que um suspiro seco. —
Ele ainda está encontrando maneiras criativas de me empurrar
para falar com ele novamente.
—Você ainda está dando a ele o único tratamento de e-mail?
Eu balancei a cabeça, mas ele estava sinceramente me
quebrando a cada dia que passava. Bastava um sorriso sexy, um
pingo de seus lábios cheios, ou de um “Certamente você pode dizer
muito obrigado por isso”, quando ele me trazia café da manhã e café
quente todas as manhãs. (Eu estava certa que o meu “Assunto:
Obrigada pelo pequeno almoço + Eu realmente aprecio os e-mails”
vão chegar ao fim em breve.)
—Você sabe, seria muito mais fácil odiá-lo se ele não fosse tão
extremamente atraente e amado por todas as pessoas que
trabalham lá.
—Amado? Eu pensei que você disse que ele é o mais rude de
todos os médicos.
—Oh, ele definitivamente é. — Sentei-me no sofá. —Mas todo
mundo o ama, pois além de ser um idiota de vez em quando, ele é
realmente muito generoso.
Ela olhou como se não acreditasse em mim.
—Ele paga vinte por cento dos cuidados de seus pacientes a
cada mês, e ele assume o dobro de casos pro Bono como o top três
melhores médicos.
—Você está brincando. Como você descobriu?
—Eu estava passando por sua mesa no outro dia, tentando
descobrir onde ele escondeu meu celular.— Eu sorri para a sua
enésima tentativa falhada de quebrar o meu silêncio. —Eu vi esta
lista de notas e um monte de papel cortado por ele. Eles eram todos
os pagamentos para os pacientes que ou não podiam pagar a sua
taxa ou não têm seguro de saúde. E as notas eram uma lista muito
completa de pelo menos cinquenta coisas que ele completou
gratuitamente neste ano. Cinquenta.
—Bem, talvez ele não seja tão ruim, afinal. Quero dizer, você
claramente é como ele e vice-versa, então talvez quando vocês dois
se cansarem de jogar estes jogos infantis um com o outro, vocês
podem pelo menos serem amigos novamente.
—Eu não vou tão longe.— Eu peguei meu telefone, pois ele
vibrou contra a mesa de café. —Ele vai me dar a esse pedido de
desculpas, ou pelo menos reconhecer que ele não tem que ser tão
rude.
Eu olhei a minha tela e vi uma mensagem do próprio doutor.

Assunto: Amanhã. (Dia, conforme necessário)

Dra. Laurel não virá amanhã. Você vai precisar lidar com seus três
compromissos de manhã. Uma enfermeira estará disponível.
-Dr. Ashton

Assunto: Re: Amanhã. (Dia, conforme necessário)

Dra. Laurel? Os seus compromissos de manhã normalmente não são


todos os exames de Papanicolaou?
-Dr. Madison

Assunto: Re: Re: Amanhã. (Dia, conforme necessário)

Sim.
Isso é um problema? Você está desconfortável em tocar uma buceta?
-Dr. Ashton

Assunto: Re: Re: Re: Amanhã. (Dia, conforme necessário)

Não, eu só... Eu não faço isso tem muito tempo e eu só fiz alguns como
estagiária. Tenho certeza de que vai ficar bem, apesar de tudo.
-Dr. Madison.
Assunto: Re: Re: Re: Re: Amanhã. (Dia, conforme
necessário)

Você não tem muita escolha... A enfermeira que está atribuída para
ajudar você estará tomando notas de observação sobre o seu desempenho
para a Dra. Laurel para “grau” mais tarde.
Por mais que você toque a sua própria vagina à noite com pensamentos
de me foder, eu acho que isso deve ser bastante fácil para você.
-Dr. Ashton
Na manhã seguinte, meu coração disparou quando eu
enfrentei minha primeira paciente do dia. Minhas luvas estavam em
segurança, a enfermeira tinha perfeitamente organizado as
ferramentas no carrinho para fácil acesso e uma vagina estava bem
na frente do meu rosto.
—Dra. Madison? —A enfermeira sussurrou por trás. —Dra.
Madison?
—Sim?
—Quando você está pensando em começar o exame?
—Hum, agora.— Eu arrastei meu banco tão perto da cama da
paciente tanto quanto eu poderia ir. —Você poderia colocar os pés
nas perneiras para mim, por favor?
—Eles já estão nas perneiras, doutora.— A paciente assobiou.
—Assim como eles já estão há dez minutos ou vinte minutos. Por
mais tempo, e minhas pernas podem cair. Eu pareço como se
estivesse em boa forma física para você?
—Não... Quero dizer, sim. Quero dizer... —Eu suspirei. Eles
poderiam muito bem ter me pedido para realizar neurocirurgia. Eu
nunca fui boa nisso. Por uma razão muito boa.
—Dra. Madison? —A enfermeira sussurrou novamente. —Eu
preciso chamar o Dr. Ashton para fazer isso? Você tem outro
compromisso em vinte minutos e você ainda tem que começar.
—Não, eu tenho isso— eu disse, pegando o espéculo. —Eu
tenho.— Eu mudei o espéculo perto do paciente, preparando-me
para inseri-lo, mas eu o deixei cair no chão.
—Ok, é isso.— A paciente sentou-se. —Tragam outra pessoa.
Agora.
Eu nem sequer ofereci uma refutação. Tirei as minhas luvas e
corri para fora da sala, direto para o escritório do Dr. Ashton. Eu
sabia que ele estava aqui e mesmo que ele dissesse a todos para
não incomodá-lo até depois do almoço, eu bati na porta dele de
qualquer maneira.
—Alguém aqui conhece as palavras, mas não se incomode —
Ele terminou a sua frase quando abriu a porta. —Você tem uma
fobia de buceta? É por isso que parece que você está chorando
sobre a sua tarefa agora?
—Não.— Eu deixei escapar uma risada nervosa. —É só isso...
—Qualquer dia, Dra. Madison. Você poderia concluir a sua
sentença se você tentar o suficiente.
—Para encurtar a história, eu gravemente feri uma paciente a
primeira e a segunda vez que eu fiz um exame de Papanicolaou. Eu
fodi tudo e quase custou ao hospital um processo, duas vezes.
Acabou que o chefe, eventualmente, percebeu que era um erro
honesto, mas...
—Você os evitou, tanto quanto possível para o resto de seus
anos de estágio, o que é tecnicamente batota, mas desde que você
pensou que a saúde das mulheres nunca estivesse em seu futuro,
você decidiu nunca aprender corretamente?
Eu concordei e ele pegou a minha mão, puxando-me em toda a
área da recepção e para baixo até a saúde das mulheres. Ele entrou
na sala e pegou um protuário, imediatamente ficando em um modo
que eu não tinha visto nele desde que eu comecei aqui: Um doce,
médico compassivo.
—Senhorita Farmington, eu sou o Dr. Ashton e eu gostaria de
completar o seu exame hoje. Você se sentiria confortável em fazê-lo?
—Sim.— Ela corou. —Absolutamente.
—Preste atenção, Dra. Madison,— ele disse suavemente. —Nós
vamos fazer quatro deles juntos hoje, então isso não vai acontecer
de novo.— Ele fez sinal para eu colocar luvas e em poucos
segundos, toda a sua atenção estava na paciente.
Eu vi como ele realizou o exame com facilidade, sem perder o
foco quando a manteve ocupada com conversa fiada e risos. Levou
dez minutos para completar a parte que eu estava com medo de
fazer, e vinte minutos para completar a mama e exames pélvicos.
Ele completou os próximos dois exames da mesma maneira,
suavemente instruindo-me para prestar atenção em como “fácil”
isso era, e pelo tempo que ele terminou, eu estava um pouco
confiante de que eu poderia fazer o exame final sozinha
—Leve estes para a mesa para mim.— Ele entregou a
enfermeira uma prancheta. —Obrigado por ajudar hoje. Eu vou
assistir Dra. Madison completar a última por si mesma.
A enfermeira me desejou boa sorte e saiu da sala.
—A que horas está marcada a última paciente?— Perguntei.
—Agora.— Ele pegou uma prancheta. —Tire a roupa e fique
sobre a mesa.
—O que?
—Você me ouviu.— Sua voz era baixa. —Tire a roupa e fique
sobre a mesa. Vou ajudá-la com o seu problema, pessoalmente.
—Com todo o respeito, eu não preciso de você para me fazer
um exame de Papanicolau.
—Bom, porque eu não estava pensando em fazer-lhe em
tudo.— Ele me olhou de cima a baixo antes de sair da sala.
Fiquei parada, em choque total e absoluto. Metade de mim
queria tirar as minhas roupas e apenas deixá-lo me ter no segundo
que ele voltasse para a sala. E a outra metade de mim, na verdade,
queria a mesma coisa maldita.
Saí de meus sapatos, calcinhas, e minha saia, sentando-me na
beira da cama do paciente antes de cobrir meu colo com um pedaço
de papel branco.
Alguém bateu à porta e ele perguntou se eu estava pronta.
—Sim... — Minha voz era tão suave que eu mal podia ouvi-lo.
A porta se abriu e ele entrou com uma prancheta nas mãos.
—Senhorita Madison— disse ele, olhando para mim como se
eu fosse realmente uma paciente. —Eu sou o Dr. Ashton e eu
estarei cuidando de sua buceta hoje.
—Eu tenho certeza que isso não está no script...
—É hoje—. Ele sorriu e sentou no banquinho em frente a mim
e clicou a caneta. —Mas, primeiro, algumas perguntas pessoais.
Atualmente você fuma?
—Não.
—Atualmente, você tem qualquer tipo de drogas recreativas?
—Não.
—Atualmente, você fode outras pessoas?
—O que?
—Sim ou não— disse ele. —Você está atualmente fodendo
outras pessoas?
—Eu não estou fodendo ninguém.
—Bom.— Ele escreveu em sua prancheta. —Quando foi à
última vez que você teve relações sexuais?
—Eu não posso responder a essa pergunta.
—Você pode, e você vai.
Eu balancei minha cabeça. —Um ano atrás.
Ele deixou a caneta cair no chão em estado de choque, mas
em vez de pegá-la, ele simplesmente tirou outra do bolso e sacudiu
a cabeça. —Você gozou?
—O que?
—Você me ouviu— ele baixou a voz. —Você gozou?
—Não.
—Interessante.— Ele colocou a prancheta para baixo e pegou
um par de luvas, colocando no como se fosse um exame real. —
Deite-se na cama, por favor.
Eu não fiz um movimento. Eu simplesmente olhei para ele
metade ligada, metade além de ligada, então ele se levantou e
gentilmente me empurrou contra a própria cama.
Ele sorriu para mim e rapidamente tirou as luvas, e as jogou
no lixo pela sala. —É um hábito. Eu duvido que precise delas em
você hoje.
—O que você quer dizer?
Ele evitou a minha pergunta. —Coloque as suas pernas nas
perneiras e afaste as pernas para mim.
Eu lentamente segui o seu comando e olhei para o teto
brilhante, branco.
Em poucos segundos, senti suas mãos acariciando o interior
das minhas coxas. Então eu o ouvi soltar uma risada baixa.
—É rude rir olhando o corpo de uma paciente,— eu disse. —
Essa é a primeira regra de boa maneira de cabeceira. Com todos os
seus anos de experiência, você deveria saber disso.
—Eu não estou rindo da minha paciente.— Ele arrastou um
dedo contra minha fenda encharcada. —Eu estou apenas querendo
saber o que fez você se livrar de todo o cabelo que você já teve aqui
em baixo.
Meu corpo inteiro corou vermelho.
—Você definitivamente tinha cabelo aqui quando eu te toquei
no meu escritório semanas atrás...— Ele sorriu para mim. —Para o
registro, eu não me importo de qualquer maneira.
—Bem, você provavelmente nunca a verá novamente depois de
hoje, então se você mente ou não mente, não importa realmente.
Além disso...
Eu imediatamente parei de falar quando eu o senti soprando
contra o meu clitóris, eu senti correndo a sua língua grossa contra
ele. Suas mãos continuaram a acariciar as minhas coxas, e, quando
ele começou a beijar a minha buceta como se estivesse beijando a
minha boca, eu perdi toda a linha de pensamento.
Minha respiração desacelerou quando ele enterrou a cabeça
na minha buceta e deslizou dois dedos dentro de mim.
—Ahh... — Eu senti minhas pernas ficando fracas de estar nas
perneiras, mas ele não me deixou sair.
Gemendo, me abaixei e peguei um punhado de seu cabelo
enquanto ele chupava o meu clitóris em sua boca.
Oh. Meu. Deus...
—Garrett... você pode...— Eu gritei, quando ele começou a me
foder ainda mais duro com os dedos, com o som deles entrando e
saindo da buceta encharcada enchendo a sala. —Você pode... mais
devagar? Desacelere...
—Shhh... — Ele soprou contra o meu clitóris novamente,
fazendo-me gemer ainda mais alto, mas ele não abrandou em tudo.
Ele continuou a me provocar com perfeito, ritmo sensual da
sua língua, e cada vez que eu tentava fechar as pernas, ele apertava
a sua mão sobre elas e as segurava.
Minha buceta começou a pulsar contra sua boca o que só o fez
me torturar mais.
—Goza no meu rosto, Natalie...— ele sussurrou. —Goza para
mim...
Quando ele começou a alternar entre esfregar a ponta do
polegar e sua língua contra o meu clitóris, eu fechei os olhos. Meu
corpo começou a tremer sob seu aperto forte, e eu tentei agarrar
alguma aparência de controle, mas não era capaz.
Gritei quando todo o meu corpo tremia contra a mesa, o envio
de alguns materiais do carrinho cairam no chão. Senti que ele
continuava a beijar a minha buceta, quando onda após onda de
prazer reprimida rolavam através de mim novamente e novamente.
No momento em que eu tinha acabado, não conseguia sentir
as minhas pernas e tive certeza que eu não seria capaz de me
levantar para as próximas duas horas, se eu quisesse.
Garrett arrastou sua língua contra mim uma última vez antes
de se levantar e olhar para mim.
—Você é sexy como o inferno quando você goza— disse ele
suavemente. —Estou ansioso para ver isso muito mais vezes.
Mantendo os olhos no meu, ele pegou algumas toalhas macias
do gabinete e limpou entre as minhas pernas até que ficou satisfeito
com seu trabalho.
Então, depois de pegar a minha saia e colocá-la ao meu lado,
ele caminhou até a porta. —Precisamos nos encontrar aqui para um
acompanhamento dentro de 48 horas. Só para ter certeza de que
está completamente satisfeita com o seu tratamento...
Assunto: Progresso.

Ouvi dizer que você completou um exame de Papanicolaou sozinha hoje.


Gostaria de uma medalha?
-Dr. Ashton

Assunto: Re: Progresso.

Correção: Eu completei dois exames de Papanicolau sozinha hoje. E sim,


se você está oferecendo. Eu gostaria de uma medalha.
-Dra. Madison

Assunto: Re: Re: Progresso.

Eu ficaria feliz em conceder-lhe uma em três condições / exigências.


-Dr. Ashton

Assunto: Re: Re: Re: Progress.


As enumere e eu vou deixar você saber se eu posso concordar com elas
ou não.
-Dra. Madison

Assunto: Re: Re: Re: Re: Progresso.

1. Você começa a falar comigo novamente fora dos e-mails / quando


você precisar da minha ajuda para alguma coisa. (Peço desculpas pela maneira
como eu te tratei e eu vou pedir desculpas em pessoa, se você concordar com
este ponto)
2. Você admiti que lamenta de me deixar em pé naquela noite.
3. Você me encontra para o exame, quarto número seis em trinta
minutos para que eu possa dar-lhe o prêmio pessoalmente ... (Dica: Não é
realmente uma medalha.)
-Dr. Ashton

Assunto: Re: Re: Re: Re: Re: Progresso.

1. Aprovado eu concordo com isso. (Eu definitivamente quero o pedido


de desculpas em pessoa.)
2. Eu me arrependo de deixa-lo em pé naquela noite, mas só porque eu
acho que nós realmente nos igualamos muito bem e nós poderiamos ter tido
uma boa conversa sobre isso. (Então, novamente, você teria me fodido antes
que eu começasse aqui, portanto, uma parte de mim ainda não se arrepende
ter feito. :-))
3. Eu já estou aqui esperando. (Dica: Eu estava esperando que isso não
fosse uma… :-) medalha.)
-Dra. Madison
O que diabos eu estava pensando?
Eu ia ter que demitir esta mulher. Mais cedo ou mais tarde.
Exatamente vinte e duas horas depois que eu devorei a sua
buceta em uma sala de exames. Eu fiz de novo.
E novamente dois dias depois disso.
E então, novamente a cada dois dias, apenas porque.
Ela ainda tinha que completar seu primeiro exame oficial
comigo porque nós continuamos empurrando-o de volta devido ao
nosso “tempo de sala de exame”, e eu estava começando a me sentir
como se eu estivesse me tornando mais como os outros médicos
aqui.
Eu só estava fazendo as coisas que eu queria fazer, quando eu
queria fazê-las. E honestamente não era bom para mim ou Natalie.
O que era pior era que eu não conseguia afastar a sensação
persistente de que eu realmente gostava dela para além do que
diabos estávamos fazendo atualmente. Ela era a mulher mais
inteligente que eu já conheci, sem dúvida, a mais sexy, e eu senti
como se ela fosse o tipo perfeito de pessoa que eu poderia me ver
namorando fora do escritório.
Isso, em si, era um enorme problema.
Eu não era o tipo monogâmico, de namorar, pelo menos eu
não estava pronto agora, e minha prática vinha antes de tudo.
Sempre.
Ainda assim, eu estava começando a perceber que, embora
nós fossemos ambos, workaholics4 de alguma forma ainda
encontravámos uma maneira de passar o tempo juntos todos os
dias. Na sala, no intervalo ou no café da manhã no andar de baixo
da biblioteca, depois de horas no escritório na ala de pesquisa
recém-renovada.
Eu mesmo lhe enviei uma entrega de presente na noite
passada...
Eu precisava colocar um fim a isso. E rápido.

4
Pessoa que só trabalha
Assunto: “Doutor sujo” me enviou flores hoje.

Estou anexando uma foto. Como bonitas elas são?! (Eu acho que ele
realmente gosta de mim.)
Ele também me enviou um convite doce, escrito à mão para um
“encontro de maquiagem” em algumas semanas a partir de agora.
-Natalie

Assunto: Re: “Doutor sujo” me enviou flores hoje.

Ele enviou-lhe flores ontem, também. Você está tentando me fazer


ciúmes? (E é claro que ele realmente gosta de você. ** ** Rolando os olhos. É
bastante óbvio que o sorriso bobo permanente que você tem voltando para
casa com todos os dias.)
Por favor, não suporto desta vez...
Espere, você não está chamando-o de “Dr. 23cm” mais? E por que você
não me disse nada sobre ter enfrentado esses supostos “23cm” ainda?
-Shan-Shan

Assunto: Re: Re: Re: 'Doutor sujo' me enviou flores hoje.


Não, ele me enviou jantar e vinho ontem. O outro conjunto de flores era
de anteontem. Grande diferença. :-)
E sim, eu estou te deixando com ciume, mas só porque eu vi algumas de
suas notas do Manhattan Médical no seu balcão hoje e que fiquei com
ciumes... (O que elas fizeram para mim ainda é ruim, alternativas incríveis ou
não. Eu sinto Muito. :-( )
Eu definitivamente não vou levantar isso. Ele está realmente insistindo
que me pegaria naquela noite.
Oh! E eu, na verdade, uso o nome “Dirty Doctor”, por agora, e a única
razão que eu não lhe disse sobre seus “23cm” é porque ainda não tive relações
sexuais.
PS-Você acha que é possível que nós realmente poderiamos ser um jogo
100% como esse app New York Minute bobo sugeriu?
-Natalie

Assunto: Re: Re: Re: Re: 'Doutor sujo' me enviou flores


hoje.

100% de coincidência?
Vamos ver: Você é tanto teimosa, argumentativa e de temperamento
explosivo quando empurrada. Você também tem, não claramente, nenhuma
moral quando se trata de fazer sexo oral em uma sala de exames depois de
horas, por isso... Sim. 100% jogo.
Em uma nota mais séria, sim. Eu acho que algo viria a ser isso para baixo
da linha. Eu vejo vocês dois em encontros durante anos, eventualmente.
TAMBÉM... Desde que você mencionou que o Manhattan Medical, estava
anexando um memorando interno que saiu no início desta semana. Eu sei que
você está desfrutando de Park Avenue Wellness, mas se você for um pouco
tentada, leia isto. (Se não, exclua.)
-Shan-Shan

Assunto: Re: Re: Re: Re: Re: 'Doutor sujo' me enviou flores
hoje.

Não vou precisar lê-lo, mas obrigada por enviá-lo para mim de qualquer
maneira. :-)
Eu te ligo na minha pausa para o almoço.
-Natalie
Tanto para isso...
Eu odeio que eu comecei realmente, verdadeiramente como este
homem...
Levou algumas semanas para que o Dr. Ashton arruinasse
todas as minhas memórias do que ele tinha feito para mim na sala
de exame, juntamente com todas as coisas doces aleatórias que ele
tinha feito para mim. As cenas dele dando-me orgasmos volta com
nada mais do que sua língua, foram agora apagadas pela maneira
como ele tinha vindo para o trabalho durante os últimos dois dias
esta semana.
Ele voltou a ser um desequilibrado, psico-chefe e me tratando
terrivelmente por nenhuma razão em tudo.
A divisória do escritório reapareceu entre os nossos espaços,
as estantes estavam perto de mim mais uma vez, cheia de arquivos,
e quando eu perguntei por que ele estava fazendo isso de novo, ele
simplesmente explodiu em mim.
Enquanto ele falava ao telefone com o que parecia ser um
paciente irritado, eu puxei para cima o site do Manhattan Médical e
registrei em seu portal de funcionários.
Eu finalmente abri esta nota interna que Shannon me enviou e
percebi que era provavelmente o destino tentando me enviar uma
mensagem. Era uma mensagem dos Recursos Humanos que
revelou que dois internos haviam sido demitidos no mês passado
por imprudência, e o hospital estava verificando para substituí-los
rapidamente, sem muito alarde ou atenção.
Abri a gaveta e tirei o meu currículo, esperando por um
milagre que eu fosse aceita novamente. E se eu não fosse aceita, eu
estava indo para aplicar em outros lugares e com esperança para
opções de transferência para o novo semestre.
Me apaixonei por Park Avenue Wellness, colocado os dias
agitados de lado, não era suficiente para me colocar
constantemente com o comportamento quente e frio do Dr. Ashton.
Língua incrível ou não.
—Dra. Madison? —Ele chamou meu nome uma vez que ele
desligou o telefone. —Dra. Madison?
Peguei meu telefone e enviei-lhe um e-mail.

Assunto: Sim?

O que posso ajudá-lo hoje, Dr. Jekyll / Hyde?


-Dra. Madison
Ele suspirou e se levantou de sua mesa, caminhando até a
minha. —Nós não estamos passando por essa merda só de e-mail
novamente.
—Nós não estamos?— Eu digitei a Universidade de Maryland
para a seção de educação. —Eu lhe disse antes que você não
poderia me tratar mal e você fez isso de novo, sem nenhum motivo.
—Há uma razão.— Sua voz era firme. —Uma razão muito boa.
—Então o que é?— Eu parei de escrever e olhei para ele. —O
que poderia fazer você pensar que poderia me ter gritando o seu
nome na sala de exame um dia e, em seguida, completamente
abaixo de você como lixo no próximo?
—Eu já lhe disse antes, que eu nunca teria tecnicamente
debaixo de mim— disse ele, andando atrás de minha mesa. —E
para ser honesto, o raciocínio é... — Ele olhou para a minha tela,
sugando uma respiração dura com as palavras: — Obrigada pelo
preenchimento da primeira parte do aplicativo do Manhattan
Residência Médica — apareceu em minha tela em negrito.
—Você está se candidatando para outras residências,
enquanto está aqui?— Ele parecia zangado, mas havia uma ponta
de mágoa em sua voz. —Há quanto tempo você vem fazendo isso
nas minhas costas?
—Só hoje, quando você começou a ser um idiota
condescendente de novo.— Eu cerrei os dentes.
—Tem certeza que é só hoje?
Eu não tive a chance de responder-lhe antes de um novo e-
mail aparecer em minha tela de Shannon, e eu sabia que não havia
nada que eu pudesse fazer para impedi-lo de vê-lo.

Assunto: Emergency! (É agora? LOL)

Eu deveria chamar seu escritório agora, então você pode dizer ao Doctor
sujo que há uma emergência que você tem que atender ou é em uma hora?
Não me lembro...
Avise-se me...
-Shan-Shan

—Então, você é uma mentirosa também?— Dr. Ashton apertou


a mandíbula.
—Melhor do que ser um psicopata que não sabe como tratar a
residente mais inteligente que ele já teve.
—Você também é a residente mais sexy que eu já tive,
Natalie.— Ele fechou a distância entre nós. —E essa é a porra do
problema.
—Minha aparência faz você me tratar mal?— Eu estreitei os
olhos para ele. —Você é um terapeuta e você realmente permitiu
que essas palavras saíssem da sua boca? Sério?
—Natalie...
—Não.— Meu sangue estava fervendo. —Seu raciocínio é
besteira absoluta. Soa mais como, eu gosto de você, Natalie, mas eu
sou apenas um idiota-alpha que está com muito medo de ser um
cavalheiro, então eu só vou te tratar mal como minha maneira de
mostrar que “eu gosto de você” sempre que isso me bater.
—Não é isso.
—Não é?— Eu tentei dar um passo atrás, mas ele serpenteou
um braço em volta da minha cintura e me puxou contra seu peito.
—Isso não soa nem um pouco plausível para você?
—Nem um pouco.
—Então por que você sempre me trouxe, e só para mim, um
pequeno-almoço e café para o trabalho todos os dias? Cada. Único.
Dia?
—Nós compartilhamos um escritório. Seria rude não fazê-lo.
—Por que houve distribuições todas as noites de flores e vinho
entregues na minha casa, então?
—Talvez eu me sentisse mal por quebrar as regras de
confraternização e quisesse fazer as pazes com você.
—E o convite escrito à mão pelo correio de você para mim?
—Para o Per Se?— Sua expressão se suavizou, mas não ficou
muito tempo.
—Sim, a porra do Per Se, durante quatro semanas a partir de
agora, porque você disse que “realmente, realmente queria” um
encontro compensador. Meu peito arfava para cima e para baixo, e
eu estava a ponto de gritar. —Qual é a sua desculpa para isso?
—Eu nunca fui acima nenhum dia na minha vida. Eu preciso
de você para corrigi-lo.
—Você sabe o quê?— Eu me afastei dele e me dirigi para a
porta, odiando que eu estava além de molhada, eu podia ver
claramente a marca do seu pau endurecido através de suas calças.
—Foda-se, Dr. Ashton. Porra. Você.
—Eu vou alegremente sair sobre isso.— Ele bateu à porta e
agarrou a maçaneta antes que eu pudesse torcê-la. Então ele me
virou. —Sim, eu porra quero você, Natalie. Muito mais do que eu
deveria.
—Quão fácil foi dizer?—
—Muito. Tire suas roupas. —Ele estava na minha frente, em
segundos, sua boca na minha, suas mãos no meu cabelo enquanto
eu lutava para descompactar o lado do meu vestido.
Impaciente, ele mudou a minha mão e abriu o zíper do meu
vestido por si mesmo. Então ele me empurrou para baixo na chaise
e desabotoou as calças.
—Fique de joelhos...— Ele sussurrou em meu ouvido, e eu
lentamente levantei-me de quatro. Mudou-se atrás de mim e
agarrou meu rabo de cavalo, puxando-o suavemente para trás.
Eu ouvi o som dele desembrulhando um preservativo, e a
próxima coisa que eu senti foi ele deslizando lentamente seu pau
dentro de mim. Centímetro por centímetro.
É definitivamente 23 centímetro ...
—Ahhh... — eu murmurei, e ele beijou a parte de trás do meu
pescoço.
Cavei as minhas unhas no couro enquanto ele ordenava para
ficar quieta, quando o meu corpo se ajustou ao máximo
comprimento, e espessura dele.
Ele beijou meu ombro suavemente, mas não havia um fim
abrupto à sua doçura. De repente, ele agarrou meus quadris e
bateu seu pau em mim incansavelmente, fazendo-me gritar de
prazer. Sua mão esquerda em concha na minha boca para abafar os
meus gritos, e ele usou a outra mão para segurar-me tensa contra
ele.
Fechando os olhos, eu o deixei ter o controle total e dei para
ele, não me concentrando em qualquer outra coisa. Quando ele
mordeu a minha pele áspera, ele sussurrou, “sua buceta parece tão
boa pra caralho... tão boa pra caralho...”
O telefone em sua mesa tocou quando ele empurrou para
dentro de mim mais profundo. Eu esperava que ele simplesmente
deixasse tocar, enquanto continuamos, mas ele me puxou de volta
pelo meu cabelo e sussurrou, “pegue”.
—O que?
—Você me ouviu.— Ele deslizou para dentro de mim
novamente. —Atenda o telefone. Responda.
—Agora?
—Agora mesmo.— Ele bateu no meu rabo, nunca perdendo o
ritmo.
Com ele ainda batendo em mim, eu peguei o telefone. —
Escritório do Dr. Ashton. —Eu respondi sem fôlego. —Como eu
posso… — Eu segurei um gemido. —Como posso ajudá-la?
—Oi, meu nome é Hannah Yates. Eu estava esperando para
ter Dr. Ashton a minha consulta esta noite. Eu queria que ele
soubesse que eu estaria vindo um pouco mais cedo, e se isso
estaria bem?
—É mais do que bem— ele sussurrou em meu ouvido. —Diga-
lhe que é mais do que bem.
—Um, senhora, é... — Mordi o lábio enquanto seu polegar
massageava o meu clitóris. —Tenho certeza de que será mais do
que bem. Vou deixá-lo saber. Tenha um bom dia.
—Não, espere! Você poderia também dizer-lhe que estou
aberta a falar sobre minha vida sexual? Diga-lhe que ele pode me
fazer essas perguntas, desta vez, por isso não vai ser difícil.
Eu balancei a cabeça, como se ela pudesse me ver, incapaz de
dizer qualquer coisa quando o meu corpo começou a tremer e
tremer.
—Olá? Você está aí?
—Você, Dra. Madison?— Ele beijou meu pescoço. —Você está
aí?
—Simmm...— Eu gemia e deixei cair o telefone, caindo para a
frente contra sua mesa. Ele me pegou antes que meu rosto pudesse
bater na madeira, e então pegou o próprio telefone.
—Senhorita Yates, este é o Dr. Ashton, você ainda está na
linha?— Ele bateu em mim mais quando ele encontrou sua própria
libertação, me segurando contra ele, quando ele manteve a sua voz
calma como sempre. —Sim... Sim, eu estava dizendo a Dra.
Madison que estaria completamente bem, então você não tem que...
— Ele beijou a minha nuca. —Você não tem que verificar mais
tarde... Tudo bem... Sim, essa oferta continua de pé... Certo... Ok,
vejo você, então.
Ele desligou o telefone e lentamente puxou para fora de mim
antes de me colocar contra a chaise. Ele tirou o preservativo e jogou
fora, em seguida, voltou até mim e me ajudou a voltar para o meu
vestido.
Ele olhou para mim, um pouco preocupado. —Você está bem?
Eu balancei a cabeça. Eu nunca tinha sido fodida assim antes,
e eu tinha certeza que eu estaria repetindo hoje em meus sonhos e
nos próximos meses.
—Você está planejando ficar o resto do dia, ou... — Ele olhou
para o relógio. —É quase hora de você fingir que tem uma
emergência com “Shan-Shan”, para que possa sair e manter a
aplicação de Manhattan Medical?
—Não, eu...— Minhas bochechas ficaram avermelhadas. —Eu
não ia fingir.
—Então, há uma emergência?
—Não— eu admiti. — Mas poderia haver, em poucos minutos.
Nunca se sabe.
—E é de “doutor sujo” que você me chama pelas minhas
costas? — Ele parecia um pouco divertido.
—Eu tenho um apelido diferente para você, na verdade.
—Importa-se de me dizer o que é?
—Nunca.— Eu sorri. —Mas se você gostar que eu mude, você
pode soltar a coisa cu-alfa a partir de hoje e tentar ser um pouco
mais romântico.
—E se eu não?
—Você não quer saber a resposta para isso, mas inclui o
retorno de conversas só por e-mail.
—Hmmm.— Ele ajustou o meu sutiã e levantou as calças
caídas. —Bem, eu vou te ver amanhã, Dra. Madison. Aproveite o
resto do seu dia. Sem perguntas.
—Realmente?
Ele assentiu e foi até a porta, mantendo aberta para mim. —
Realmente.
Levantei-me e imediatamente agarrei o lado do chaise para o
equilíbrio, sentindo o quão fraca e dolorida as minhas pernas
estavam. Eu peguei Garrett sorrindo enquanto eu lentamente
cambaleei em direção a ele.
Segurando seu sarcasmo, ele deu um beijo na minha testa
antes de pisar para fora da sala. —Te vejo amanhã.
O DOUTOR

Assunto: Obrigada pelos morangos cobertos de chocolate


que tive entregue ontem.

Eu não tive a chance de vê-lo no escritório hoje, mas eu amei. (Sim, isso
conta como sendo mais “romântico”. A nota extra sobre realmente
desfrutar como a minha buceta parece contra seu pau não faz, no entanto.
O_o).
-Dra. Madison

Eu ri e coloquei o meu telefone para baixo.


Fechei a porta do escritório e dirigi-me para baixo da ala, me
certificando que tudo estava escuro e em seu lugar. A luz no fim do
corredor na sala de estudo ainda estava acesa, assim eu andei em
direção a ela, e quando eu entrei, vi que Natalie estava lendo e
tomando uma xícara de café.
Ela imediatamente olhou para mim e corou. —Eu pensei que
você tinha ido para o dia.
—Ainda não.— Eu peguei o assento em frente a ela. —O que
você está estudando?
—O caso da família de Londres— disse ela. —Eles vieram em
pesquisa na semana passada, então eu puxei seus arquivos para
verificar. Você os trata por um longo tempo e eu achei algo
estranho. Algo realmente estranho.
—Há uma pergunta vindo?
—Talvez.— Ela pegou alguns outros arquivos. —Na verdade,
há algo fora cerca de vinte porcento de todos os seus pacientes.
—Eu ainda estou esperando pela pergunta.
—Toda vez que eu deixo um arquivo na mesa, eles vêm de
volta dentro de uma hora, sem marcação. Não há nenhum método
de pagamento em arquivo, sim, eu verifiquei ilegalmente, mas só
porque eu estava investigando —Ela olhou para mim.. —Este mês,
nem um único pagamento tenha sido feito por qualquer pessoa que
já viu. Você está tentando ir à falência ou você está realmente
apenas generoso atrás das portas fechadas?
Eu sorri, mas não respondi.
—Estamos falando de uma perda de mais de duzentos mil
dólares aqui— disse ela. —Você pode se dar ao luxo de perder esse
tipo de dinheiro?
—Não é uma perda, mas mesmo se fosse, sim. A generosidade
do meu pai passou para mim — eu disse. —Eu corro a prática da
mesma maneira que ele fez para a maior parte.
Ela olhou para mim um longo tempo antes de dizer qualquer
outra coisa. —Dr. Ashton
—Garrett.— Eu a corrigi. —Eu acredito que estamos
definitivamente em uma base do primeiro nome agora.
—Sim, bem, Garrett. Não tome isso da maneira errada, mas
você necessariamente não me parece o tipo de super-filantropo em
tudo.
—Como exatamente eu a golpeio?
—Um idiota.— Ela riu e eu estreitei os olhos para ela. —Um
idiota atraente e encantador, apesar de tudo.
Ela riu, revirando os olhos. —Bom saber.
—Muito obrigado por esse elogio indireto.
—Você é mais que bem-vindo— disse ela. —Mas com toda a
seriedade, é muito doce de você, seguir os passos do seu pai.
—Obrigado.— Eu olhei para ela. —Acho que minha prática
não era sua primeira escolha para completar a sua residência?
—Você não estava mesmo na minha lista, sem ofensa. Apenas
Manhattan Medical, já que sempre foi meu sonho.
—Você ainda está mantendo a esperança de voltar lá?
Ela assentiu com a cabeça. —Não como um desrespeito contra
você, entretanto. Era apenas...
—Seu sonho.— Eu me inclinei para a frente e beijei os seus
lábios, nos pegando de surpresa. —Deixe-me saber quando você
tiver algum tempo livre em sua agenda fora do escritório em breve.
Eu realmente preciso falar com você sobre algo que está me
incomodando sobre “nós” por algum tempo.
—Você já está terminando as coisas comigo?— Ela olhou
desconfiada. —É isso mesmo?
—Não— Beijei-a novamente. —Nós estamos apenas
começando.
A RESIDENTE

Assunto: Sua Aplicativo de Residência em Manhattan.

Olhei para a linha de assunto na segunda de manhã, muito ansiosa para


abri-lo, muito nervosa sobre o que ele iria dizer. Eu me distrai com a abertura
de todos os outros e-mail na minha caixa de entrada, inclusive os de spam
nunca abertos, e então eu me preparei para a grande revelação.

Assunto: Seu Aplicativo de Residência em Manhattan.

Querida senhorita Natalie Madison,


Agradecemos a sua candidatura ao Programa de Residência da
Manhattan Medical. Nós realmente apreciamos o seu entusiasmo para a nossa
missão.
No entanto, lamentamos informá-la de que não somos capazes de
estender-lhe uma oferta para o nosso programa neste momento. Por favor,
não hesite em chamar o nosso escritório se você tiver quaisquer
preocupações, e sinta-se livre para aplicar novamente durante o próximo
mandato.
Recursos humanos,
Manhattan Medical.

Forcei um caroço na minha garganta, e eu não deixei uma


única lágrima cair do meu olho. Isso só não era para ser para mim,
e além disso, eu estava começando a realmente me encaixar e me
apaixonar por um certo médico aqui no Park Avenue Wellness de
qualquer maneira.
Eu só vou ser feliz e grata por isso...
Eu apaguei o e-mail e deixei a sala de intervalo, voltando para
meu espaço compartilhado com Garrett. Peguei os cartões de
marcação de Emily no caminho e limpei a minha garganta quando
eu entrei no escritório.
—Dr. Ashton? — Perguntei, andando até sua mesa.
—Sim?
—Hum, você já olhou a agenda para o dia?— Eu entreguei a
ele. —Isso não pode estar certo. É um novo paciente marcado para
todas as nossas três sessões da manhã.
—Não, não é.— Ele olhou para a folha e entregou de volta para
mim. —Isto é exatamente correto.
—Não pode ser— eu disse. —Não há qualquer informação
sobre este paciente no nosso sistema. Tudo o que temos são as
iniciais do paciente: F.N.A.M. este é um código para um velho amigo
seu, então?
—Não.— Ele riu e trancou a porta. —E essas letras não são as
iniciais do paciente. Eles são um acrônimo5. —Ele pressionou um
dedo contra a minha boca antes que eu pudesse fazer outra
pergunta. —Fodendo Natalie toda a manhã.
Eu Corei. —Será que isso cai sobre você ser mais romântico
também?
—Não, só tesão insaciável.— Ele riu e me empurrou contra a
mesa.

5
Sílabas de frases
Assunto: Você tem que me dizer algo importante?

Corri todo o caminho até aqui quando recebi seu correio de voz, então
eu estou sentada em seu escritório agora. Onde você está?
-Dra. Madison

Assunto: Re: Você tem que me dizer algo importante?


Estou em uma reunião. Eu vou estar com você em alguns minutos, e isso
só vai levar cinco minutos.
-Dr. Ashton

—Bem, Dr. Ashton ...— Dra. Laurel se sentou no centro da


mesa de conferência, ladeada por cada médico que tinha uma
participação na prática. —Em nome de todos os outros aqui, eu
gostaria de dizer que agradecemos a você por trazer esta “relação” à
nossa atenção, e eu respeito mais e mais a cada dia pelo fato de
que, mesmo como proprietário majoritário, você realmente coloca o
que é melhor para a prática em primeiro lugar.
Houve murmúrios de concordância dos outros médicos.
—Dito isso, as regras que combinamos quando chegamos a
bordo são bastante simples. Nenhum médico pode se envolver em
um relacionamento com qualquer funcionário aqui, não importa o
seu estatuto de emprego ou nível, então você já sabe que um de
vocês tem que sair.
—Eu faço.
—Tenho certeza de que não tenho que adivinhar qual de vocês
vai ser, mas desde que isso vai afetar o nosso programa de
residência, você será responsável por trabalhar com a equipe de
coordenação e obter um substituto para a Dra. Madison.
—Entendido.— Eu comecei a levantar-me da mesa, mas ela
levantou a mão.
—E também -— Ela deixou escapar um suspiro exasperado
para efeito dramático. —Você percebe que nós gastamos mais de
quatro mil dólares em suas ofertas de Twizzler ao longo do ano
passado, correto?
—Eu não sabia disso.— Eu fui para a porta. —Mas agora que
eu sei, eu vou apontar para obter para cinco mil.
Eu me inclinei para trás na cadeira de Garrett, esperando
pacientemente que ele me visse e revirasse os olhos sobre isso, mas
quando ele entrou na sala, ele parecia como se alguém tivesse
sugado a vida fora dele.
—Há algo errado?— Sentei-me. —Você quer me ver porque
algo aconteceu com você?
—Algo assim.— Ele andou em volta da mesa e puxou-me para
os meus pés, sentando-se na cadeira e, em seguida, puxando-me
em seu colo.
—Eu tenho uma notícia boa e uma má notícia, Natalie.— Ele
colocou uma mecha de cabelo atrás da minha orelha. —O que você
quer ouvir primeiro?
Eu balancei minha cabeça. De repente eu estava tendo um
caso grave de déjà vu e eu não gostei do episódio que protagonizou
a última vez.
—Eu sinto muito.— Eu me levantei. —O que você disse?
—Eu disse que tenho uma boa notícia e uma má notícia.
Escolha qual delas você deseja em primeiro lugar.
—A má notícia.
—Ok.— Ele fez uma pausa por alguns segundos, me puxando
de volta para baixo. —Eu tenho que deixá-la sair do Park Avenue
Wellness. Com efeito imediato.
—O que?
—Para o registro, eu acho que você é muito talentosa, além de
inteligente, e você literalmente nasceu para praticar a medicina,
mas…
—Você está me demitindo?— Meus olhos se arregalaram. —Eu
apenas tive sexo com você a menos de vinte e quatro horas atrás, e
vim todo o caminho aqui para falar com você no meu dia de folga. É
para isto que você me trouxe aqui?
—Se você me deixar terminar...
—Eu não preciso.— Eu balancei a cabeça. —Você está me
demitindo, sim ou não?
—Sim e não.
—Uau. Apenas uau — Eu cruzei os braços. —Você sabe, por
uma fração de segundo, eu realmente pensei que você e eu
poderíamos trabalhar. Eu realmente esperava que um dia iria dizer
que você queria a mim e só me namorar, mas eu nunca teria
imaginado que isso é o que você tinha na manga.
—Eu vou resolver nossa vida pessoal em apenas um minuto.
—Nós não vamos ter uma vida pessoal depois de ter tido essa
conversa.
—Eu peço desculpa, mas não concordo.
—Então eu espero vê-la de novo em seus joelhos mais tarde.—
Ele teve a audácia de sorrir. —Posso terminar agora, ou há algo
mais que essa boca espertinha gostaria de dizer, em primeiro lugar?
—Há mais uma coisa.— Eu cerrei os dentes, abaixando minha
voz quando uma enfermeira entrava por sua porta. —Eu fodi você,
Garrett. Numerosas vezes.
—Eu posso me lembrar vividamente de cada uma.
—Você me teve em seu carro, em sua chaise, em todo este
escritório e você...— Eu mal podia encontrar a força para terminar.
—Eu realmente pensei que significava algo para você.
—Você faz.— Ele apertou sua mão na minha. —E tanto quanto
eu gostaria de ouvi-la falar mais sobre todos os locais que já
tivemos relações sexuais, eu tenho um paciente vindo me ver em
vinte minutos, e eu lhe prometi que o nosso encontro levaria apenas
cinco minutos.
Olhei para longe dele e olhei pela janela, esperando por ele
para dizer o que tinha a dizer.
—Natalie...— Ele segurou o meu queixo nas mãos e inclinou a
cabeça, então eu estava de frente para ele novamente. —Eu pedi a
Manhattan Medical para considerar o seu programa novamente, e
eles concordaram em trabalhar conosco novamente para que possa
voltar.
—O que?
—Eu tive a chance de ir onde eu queria concluir a minha
residência do sonho, e, tanto quanto todo mundo adora ter você
aqui, eu acho que você deve ter a oportunidade de fazer o mesmo.
Meu queixo caiu. —Oh...
—Sim, oh.— Ele sorriu. —Isso tem estado em obras pelas
últimas semanas quando a vi deprimida depois de voltar de um
almoço com sua amiga, mas eu não posso mentir e dizer que é a
única razão pela qual eu trabalhei duro neste negócio.
—Então, qual é a outra razão?
—Não leve a mal, mas eu não posso me concentrar em merda
nenhuma com você compartilhando um escritório comigo.— Ele
arrastou o polegar contra o meu lábio inferior. —Eu mal posso me
concentrar sabendo que você está no mesmo prédio que eu, e esta é
uma maneira de remediar isso.
—É assim mesmo?
—Sim.— Ele zombou de mim. —Sim, é muito por isso...— Ele
se inclinou para frente e mordeu meu lábio, então ele sussurrou. —
E eu acho que esse acordo vai funcionar ainda melhor para nós,
desde que eu não deveria trabalhar diretamente com uma mulher
que eu quero seja a minha.
—Diga isso de novo...
—Você me ouviu.— Ele sorriu. —Eu realmente gostaria de sair
com você.
—Exclusivamente?
—Exclusivamente.
—Bem...— Mordi a língua para me impedir de sorrir. —Eu
tenho algumas exigências antes que eu possa concordar com isso.
—Eu ficaria surpreso se você não tivesse. As enumere e eu vou
pensar sobre isso.
—Um, você tem que eliminar todos os outros sites de namoro
que você uma vez me falou.
Ele enfiou a mão no bolso e me entregou seu celular. —Eu já
fiz isso.
—Dois, não podemos simplesmente fazer sexo o tempo todo.
Temos de sair para lugares fora de seu escritório.
—Nós podemos fazer isso. Três?
—Três, você tem que me dizer “a boa notícia”. Se essa era a
mal, então eu estou realmente animada sobre isso.
—Você não deveria estar.— Ele sorriu e pegou um pedaço de
papel, entregando-me. —A boa notícia era o preço desses vasos que
você derrubou e quebrou algumas semanas atrás, durante o seu
discurso no meu escritório. A boa notícia também é que recebi uma
fatura muito acessível que irá substituir esses vasos e os Twizzlers.
Dei-lhe um olhar vazio.
—Você me deve duzentos e dezoito dólares, juntamente com
trinta e quatro centavos. Que cobre tudo, incluindo quatro pacotes
bônus de Twizzlers — disse ele. —Agora, eu posso deduzir isso a
partir da sua verificação final que você vai estar recebendo hoje, ou
eu posso fodendo você na minha chaise até você se desculpar pelos
danos.
—Garrett— eu disse, um pouco preocupada com esse vício em
doces. —Você está brincando agora?
—Nem um pouco.— Ele sorriu e se inclinou para trás. —O que
é que vai ser?
—Bem, eles são ambos muito atraente, mas eu acho que eu
vou com a opção dois.
—Eu pensei assim.— Ele me beijou. —Eu vou cancelar minha
consulta. Levante-se e tranque a porta...
(Bem, a médica porque eu sou licenciada agora)

Assunto: Aniversario

Eu realmente não posso acreditar que eu estive namorando este homem


por mais de quatro anos... Você pode?
Eu peguei o seu cartão de “Parabéns”, esta manhã, e eu vou te trazer de
volta uma sobremesa de nossa celebração no jantar mais tarde.
Boa noite.
Natalie

Assunto: Re: Aniversário.

Eu posso definitivamente acreditar que você está namorando “este


homem” por mais de quatro anos. A forma como o dois se mantiveram por
quase todas as noites com a sua ridícula merda fez o tempo passar sempre
demasiado lento para mim...
Não me traga de volta qualquer sobremesa, me dê um pouco de sono,
passando a noite na casa dele esta noite. POR FAVOR, E OBRIGADA!
Boa noite.
Shan-Shan

Eu ri e deslizei o meu telefone na minha bolsa, olhando para


Garrett enquanto ele se locomovia pelas ruas de Manhattan.
—Você vai continuar a insistir para irmos no Per Se para cada
marco e celebração?— Perguntei.
—Sim.— Ele sorriu para mim. —Eu acho que é importante que
façamos disso uma tradição.
—Ou, o seu ego ainda tem que se recuperar de meu pé dado, a
anos atrás— eu disse. —Foi á anos atrás, Garrett. Eu realmente
acho que é hora caminhar pelo passado para que você possa
superar isso.
—Eu estou sobre isso.— Ele colocou a mão na minha coxa. —
Você não quer ir mais lá?
Não me incomodei em responder isso. Ele sabia que eu amava
tudo sobre Per Se, especialmente desde que ele fez de sua missão
pessoal me levar até lá uma vez por mês desde que voltei para
Manhattan Medical.
—Você ainda não respondeu à minha pergunta sobre se
mudar comigo— disse ele quando nos aproximamos de um
semáforo. —Você disse que iria decidir logo depois que se tornasse
licenciada, de modo a falar de coisas que aconteceram anos atrás...
—Eu só estive licenciada por um ano.
—Isso não muda o fato de que você prometeu me dar uma
resposta.— Ele parou o carro em um local que o dono do
restaurante tinha muito tempo designado apenas para ele. —Eu
preciso de uma resposta, Natalie.
—Agora?— Eu estava inclinando-me para sim, mas eu
sinceramente gostava do estado de nosso relacionamento como era.
Agora que eu estava licenciada e tinha horas de trabalho estáveis,
aparecia em seu escritório para pequeno-almoço, todas as manhãs,
o via pelos encontros nas noites regulares a cada fim de semana, e
ele não parecia ter um problema em passar a noite na minha casa
mais do que eu permanecia na sua.
Até recentemente, isso era...
—Ok...— Ele desligou o carro e segurou o meu rosto com as
mãos. —O que é que te impede de dizer sim?
—Compromisso— eu disse suavemente.
—Comprometimento? Eu só estou namorando você, e eu só
estive namorando por anos.
—Não, quero dizer... Mais do que isso.— Eu admiti. —Morar
junto é um grande passo, e eu só gostaria de estar envolvida, pelo
menos, antes de fazer isso.
—Eu vejo...— Ele soltou meu rosto e recostou-se no banco,
suspirando. Então soltou o cinto de segurança.
—Nesse caso— disse ele, sorrindo e tocando uma pequena
caixa que estava saindo de dentro do bolso do peito. —Eu espero
inteiramente um “sim” depois do jantar esta noite... Dois deles.
**Fim**

Похожие интересы