Вы находитесь на странице: 1из 9

Centro de Formação Teológica/Cascadura

Curso Livre em Teologia

IRAN GOMES DO NASCIMENTO

ADMINISTRAÇÃO DO TEMPO E LIDERANÇA


PARTICIPATIVA E LIDERANÇA NATURAL

RIO DE JANEIRO
JUNHO/2018
IRAN GOMES DO NASCIMENTO

ADMINISTRAÇÃO DO TEMPO E LIDERANÇA


PARTICIPATIVA E LIDERANÇA NATURAL

Trabalho de Pesquisa apresentado junto à


disciplina de Administração Eclesiástica do Curso
Livre em Teologia Ceforte.
Professor: André Queiroz.

RIO DE JANEIRO
JUNHO/2018
3

1 – ADMINISTRAÇÃO DO TEMPO

Quem de nós nunca se pegou dizendo as frases: "O que eu fiz hoje?" ou "Já são 11
horas, eu não fiz nada até agora!". Realmente isto é comum, mas permanecer desta
maneira não é favorável a ninguém, tanto na vida pessoal quanto, na vida
profissional. Seguimos uma rotina diária previamente estabelecida pelo nosso senso
crítico de prioridade. Até nos empenhamos em programar atividades que
necessitamos, mas damos importância mesmo, em muitos casos, a apenas aquilo
que queremos. No ambiente profissional a produtividade do colaborador é medida
através dos resultados que ele gera para a sua organização. Quando os resultados
são positivos, entende-se que houve uma atenção focada, mas quando estes
resultados caem ou se estabilizam em um patamar desfavorável ou insuficiente, o
colaborador precisa imediatamente rever suas prioridades e voltar a ser produtivo.
A produtividade precisa ser um objetivo constante e real para cada um. Diante de
tudo o que precisa e necessita fazer, como podemos compreender a escala de
prioridades e tomar as melhores escolhas, pessoais e profissionais durante o dia?
Importante é atentar para alguns pontos que listo abaixo, mas sobretudo à mudança
de hábitos e comportamentos é imprescindível para o sucesso e cumprimento das
tarefas, atividades e metas estabelecidas. Fique muito atento naquilo que rouba seu
tempo:

FALTA DE PLANEJAMENTO: iniciar seu trabalho sem planejar o que vai fazer. Agir
sem pensar, não te levará a conclusão das tarefas. Muitas vezes começamos a fazer
nosso trabalho ou atividades rotineiras sem planejamento. Isto consome tempo, pois
quando se planeja se consegue cercar os riscos e administrar o tempo, pois se
consegue prever o quanto de tempo gasta se para cada atividade listada. Isto
elimina as chances de algo dar errado. Ex: Você precisa ir até uma loja que fica bem
no centro da cidade. Se você não planejar o trajeto antes de sair poderá ficar parado
no trânsito devido ao horário e perder todo seu tempo. Planeje uma rota alternativa,
com menos trânsito, semáforos e etc...

ORIENTAÇÃO: ignorar atividades ou tarefas importantes para fazer tarefas


improdutivas. Agir por impulso ou ignorar atividades importantes fazem com que
você seja improdutivo e não conclua o seu objetivo. Analise a tarefa que irá
4

desempenhar e avalie se realmente ela é importante naquele momento. Deixar de


concluir a tarefa planejada para aquele momento pode se tornar um problema maior,
pois ela ficará com status de pendente.

ATENDER A TODOS: aprenda a dizer "não" algumas vezes.


Quando você é muito solícito e atende a todos em tempo hábil quase sempre as
pessoas vão usufruir disto de maneira abusiva. E em 90% destes casos alguma de
suas tarefas importantes vão ficar sem ser executada. Aprenda a dizer não de forma
educada e compreensiva, pensando em se privar para cumprir seus compromissos.
Pense que naquele momento você precisa dar atenção a outra prioridade e avalie a
situação: "No momento eu não posso te atender, pois estou muito ocupado(a). Pode
ser em outro horário?" é uma das formas educadas de se dizer um não e ganhar
tempo para fazer o que se realmente precisa.

PRIORIDADE: nunca seja intransigente e procrastine atividades que realmente são


essenciais para o momento. Faça o que for possível e resolva as atividades que
possam se tornar um problema caso sejam postergadas. Não adie decisões ou
atitudes, isto poderá trazer perdas incalculáveis e uma dor de cabeça
desnecessária.

DESORGANIZAÇÃO: desordem no ambiente de trabalho ou na classificação e


listagem das tarefas pode comprometer sua produtividade. Ser organizado significa
fazer uma classificação de maneira lógica e ordeira de documentos e atividades.
Organize suas tarefas e atividades em sequência lógica de execução ou escala de
prioridade, lembrando que tudo que está pendente precisa ser resolvido. Dê uma
boa olhada em seu ambiente de trabalho e organize-o. Um ambiente organizado e
limpo te incentivará a produzir mais.

ATENÇÃO: mantenha a concentração, tenha foco na tarefa e vislumbre o resultado.


Mantenha o foco em resolver a tarefa, tente ao máximo não perder a concentração
na atividade realizada. Quando você perde a concentração demora muito tempo
para recompor lá novamente. Dentro e fora da empresa: Pense no resultado que a
tarefa resolvida te trará, isto irá te motivar e focar em sua conclusão.
5

2 – LIDERANÇA PARTICIPATIVA

A liderança participativa é uma grande e simples solução para o crescimento das


organizações, ligada diretamente a gestão de pessoas no seu dia a dia, tem grandes
vantagens, mas precisamos esclarecer alguns pontos primários para sermos mais
eficazes. Alguns destes pontos podem ser divididos em vantagens e dificuldades.

DIFICULDADES:
1) A liderança da organização deve realmente querer uma administração
participativa e estar preparada para ouvir o que os colaboradores tem a dizer sobre
a organização, sem represálias ou perseguições, muito menos desprezar as ideias
apresentadas, mesmo que não venha seguir estas ideias. Algumas organizações
pregam a participação de seus colaboradores e não consideram as suas posições, a
pergunta é: senão iria considerar, para que perguntou? A resposta mais comum, é
que algumas destas empresas utilizam deste ponto como um marketing interno, na
tentativa de melhorar o ambiente organizacional, tornando clima mais favorável. O
problema é que com isto geram mais desconfiança por parte dos colaboradores do
que o benefício proposto. Todas as vezes que o colaborador der uma ideia; se ela for
interessante use-a e reconheça o autor da ideia, se ela não for tão boa convide o
colaborador e mais pessoas para aperfeiçoá-la, se for ruim explique ao autor da
ideia porque ela não pode ser utilizada, sem desprezar a importância desta
participação e estimule-o a tentar novamente. O principal é que a liderança
realmente deseje a administração participativa, caso contrário não utilize este
recurso, ele é bom, mas existem outras formas de gestão.

2) Ter uma equipe que realmente faça a diferença e que seja competente
suficientemente para poder contribuir, porque uma administração participativa só
será bem-sucedida se as pessoas fizerem a diferença, ouvir sugestões ruins não
ajuda muito, nem ter pessoas que não sabem o que fazer, a competência de seus
colaboradores é fundamental para a organização. Ter esta equipe em dias de
formação deficitária é complicado, por isto ou a organização tem condições de
contratar bem, ou tem a oportunidade de desenvolver as pessoas, capacitando os
seus colaboradores, assim a formação de uma equipe capaz é essencial para a
administração participativa.
6

3) A comunicação deve ser clara, saber se comunicar internamente é fundamental,


primeiro para os objetivos sejam compreendidos por todos e segundo para evitar
distorções sobre o pensamento coletivo, gerando informações distorcidas e
desgastes desnecessários. A comunicação nas organizações nem sempre são
claras para todos, assim as ideias podem não representar o que foi solicitado porque
houve uma falha sobre o que realmente é esperado. Esta falha de comunicação é
sentida em várias empresas e isto prejudica não só a administração participativa,
bem como a empresa como um todo. Neste ponto é preciso compreender que todas
as pessoas da organização devem ter ciência de quais são os objetivos da
organização, só assim será possível colaborar, isto parece muito óbvio, mas nem
sempre acontece, muitas pessoas que compõe a organização não sabem para onde
ela está indo.

4) Evitar a disputa por poder e a vaidade dos colaboradores. Os colaboradores


devem ter a consciência de que a ideia é coletiva, e não se pode disputar
internamente por espaço ou poder, e sim por resultados gerais. A energia destrutiva
é forte e não ajuda em nada, contribui apenas para levar a organização ao fracasso
e evitar que ela atinja seus objetivos. É comum hoje a disputa por promoções, poder
e liderança sendo isto um fator que está presente e a corrida pelo prêmio da
participação individual e não pela contribuição para o sucesso da organização.

VANTAGENS:
1) A participação coletiva gera ideias diferentes sobre o mesmo assunto, dando ao
gestor a possibilidade de escolha, além de uma visão de especialistas em suas
áreas de atuação. A administração participativa aumenta em muito a visão de novas
ideias, são possibilidades que temos com a contribuição de mais pessoas, que tem
ângulos de visão e níveis de conhecimento diferenciado. Este enriquecimento gera
alternativas positivas e mais facilidades para o alcance dos objetivos.

2) Pessoas que conhecem bem a organização tem uma visão melhor sobre a parte
operacional da empresa, suas forças e fraquezas, isto deve ser considerado, mas o
gestor deve encarar isto como um grande quebra-cabeça que só ele tem a visão do
todo, mas as partes se somam, sendo importante a participação de cada um dos
colaboradores. O profundo conhecimento da organização é importante, sua cultura e
7

características são particularidades que as pessoas que trabalham na organização


têm e sentem de forma natural, e isto tem uma grande influência sobre os resultados
da organização. Pessoas de fora, como consultores, podem ter o conhecimento do
mercado, de técnicas administrativas, mas não conhecem as organizações tão bem
como os seus colaboradores. Em minhas consultorias empresariais encontrei em
80% por cento dos casos, as respostas para o sucesso das organizações dentro das
próprias organizações, e as respostas me foram dadas pelos próprios
colaboradores, bastou ouvi-los.

3) Outro ponto forte da administração participativa é que as pessoas quando fazem


parte deste processo não só colaboram, mas se comprometem com os resultados,
afinal o trabalho é coletivo e por isto temos um compromisso assumido por todos,
afinal é ideia é minha também, e isto gera um aumento da motivação da equipe. É
muito diferente eu receber uma ordem, do que eu construir uma solução, quando o
colaborador participa de alguma forma da construção eu sou responsável direto
sobre o seu resultado, assim a motivação é um fator que diretamente ajuda neste
caso a se chegar a um ponto desejado.

4) A administração participativa contribui para o crescimento das pessoas da


organização, uns aprendem com os outros, desta forma o crescimento é coletivo. O
conhecimento compartilhado é uma forma da organização aprender, e desta forma o
trabalho acaba sendo executado por profissionais em constante desenvolvimento.
Tanto relativo as dificuldades, quanto em relação as vantagens, a administração
participativa deve ser trabalhada, assim não podemos ter um juízo de valor único,
mas as organizações que conseguem superar os problemas e que adotam a
administração participativa tem conseguido resultados melhores, no mínimo existe
um avanço do conhecimento interno e a motivação em busca do resultado é outra,
chegando a conclusão que mesmo que ainda não seja possível que a sua
organização adote este tipo de gestão agora, deve-se iniciar este processo. Há
formas de se adotar a administração participativa de forma gradual.
As novas formas de gestão de pessoas são debatidas e a visão de que a solução de
nossos problemas está mais perto do que pensamos é verdade, a resposta para
seus problemas pode estar dentro da sua organização.
8

3 – LIDERANÇA NATURAL

A liderança é tema de grande discussão nos dias de hoje. Há metodologias


vanguardistas de gestão que indicam a iminente extinção de cargos de chefia
formal, tais como superintendente, supervisor, e nesses modelos a figura do líder
ganha ainda mais relevância.
Mas o que seria um líder?
Napoleão Bonaparte pregava que um líder era um vendedor de esperança.

“Antes de você ser um líder, o sucesso consiste em crescer sozinho. Quando você
se torna um líder, o sucesso consiste em crescer nos outros.” Jack Welch

Desdobrando o raciocínio de Jack Welch, vemos que a liderança envolve sempre a


percepção de terceiros, isto é, um líder é visto como tal pelos outros e nunca
definido como líder por ele próprio. Aquele que define a si mesmo como líder está se
referindo a um cargo ou posição hierárquica organizacional e não se reportando ao
conceito natural de liderança.
O que propicia nossa interação com o ambiente são nossos 5 sentidos naturais:
audição, olfato, paladar, tato e visão. São esses sentidos que nos permitem perceber
e reconhecer os integrantes do nosso meio.
Nessa linha, o líder natural é aquele que consegue construir conexões com nossos 5
sentidos.
O líder natural:
1) Sabe ouvir. Acolhe opiniões e percepções dos outros para processar suas
informações e ideias.

2) Tem faro para boas oportunidades. Possui um aguçado senso instintivo para
tomar decisões acertadas.

3) Possui gosto pela vitória. Busca as conquistas, forma times para tanto e
comemora os êxitos adequadamente.

4) Reveste de muito tato o relacionamento que constrói e mantém com pessoas.


Sabe fazer conexões construtivas e objetivas.
9

5) Demonstra visão holística e diferenciada sobre as questões. Considera aspectos


macro, sem esquecer dos periféricos.
Em maior ou menor grau, as habilidades acima devem ser sempre exercitadas e
desenvolvidas, pois um líder é também alguém sob constante provação, adaptação
e contínuo aprendizado e evolução.

Referências bibliográficas:

A evolução do conceito de liderança. Disponível em


<http://www.rhportal.com.br/artigos-rh/a-evoluo-do-conceito-de-liderana> Acessado
em 03 de julho de 2018.
Estilos de Liderança e os impactos junto aos colaboradores. Disponível em
<http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/tres-estilos-de-lideranca-e-os-
impactos-junto-aos-
colaboradores,1cdea5d3902e2410VgnVCM100000b272010aRCRD> Acessado em
03 de julho de 2018.
Evolução da liderança autoritária para a liderança participativa. Disponível em
<http://www.repositorio.uniceub.br/bitstream/123456789/1157/2/20000455.pdf>
Acessado em 03 de julho de 2018.
Tipos de liderança: como o perfil dos líderes influencia na organização. Disponível
em <https://www.projectbuilder.com.br/blog/tipos-de-lideranca-como-o-perfil-dos-
lideres-influencia-na-organizacao/> Acessado em 03 de julho de 2018.
Conheça as principais características de uma liderança participativa. Disponível em
<https://www.ibccoaching.com.br/portal/lideranca-e-motivacao/conheca-as-
principais-caracteristicas-de-uma-lideranca-participativa/> Acessado em 03 de julho
de 2018.
A Administração do tempo e produtividade. Disponível em
<http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/a-administracao-do-tempo-e-
produtividade/68404/> Acessado em 03 de julho de 2018.