Вы находитесь на странице: 1из 1

com preendecodifica

história e cultura do cinem a


1- Organizar encontro com o film e 2- tornar- se
um passador, afastar- se do professor 3- aprender a
frequentar os film es, retornando a eles 4 - tecer
laços entre film es fortes, com potência de experiência
análise da criação X análise clássica
nem tão ecum ênica
que prov oquem alteridade
prepara para a prática da criação
não enciclopédica

não pedagógica
força im aginar o m om ento anterior da cena com eçando pelo
fom e do sim bólico conhecido
passagem para outra coisa
Etapas
Pedagogia da criação
coleção dvds
não subestim ar
Eleição - eleger Disposição - Ato da criação
Film es que
colocar Ataque - definir Crianças
estejam a frente
de sua ccc

Não são sequencias pode forçar a aprender m as não a ser


Trabalho em grupo
tocado pela arte
O foco não é o produto e
Oportunidade aos alunos sim a experiência
AlainBergala
av alia- se o engajam ento,
coerência e escolhas Só desejam os aquilo que nos
é designado
ao E

Prov oca a estranheza Cinem a eqto arte Críticas instrum entalização


Não está seguro de que a
O v alor da escola seja o m elhor local
im agem para o projeto, no entanto
Prov oca a experiÊncia Hipótese do cinema
considera q talv ez para
na escola da crítica À tv pressa em analisar m uitos seja o único possiv el
Exibição
exercício de aceitar v er as coisas antes de sobrepor m edo da alteridade
a elas palav ras e sentidos
não pode ser enclausurada num a disciplina

Arte é perturbadora
Trechos Extrattos que m ostram o todo
o contato com a arte não
precisa ser confortáv el
é a interface entre um a abordagem analítica e um a Plano
ferm ento da anarquia
iniciação à criação recortes que prov ocam desejo

exige atenção e v ai contra o excesso


de m ov im ento da atualidade
É a unidade m ais concreta de um film e