Вы находитесь на странице: 1из 41

Uma Deficiência

Fatal

Sermão nº 1133

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

Fev/2019
S772
Spurgeon, Charles H.- 1834-1892
Uma deficiência fatal / Charles H. Spurgeon
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2019.
41p.; 14,8 x21cm

1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.


I. Título.

CDD 252

2
“Vós, porém, não estais na carne, mas no
Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em
vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo,
esse tal não é dele.” (Romanos 8: 9)

Este é um dos textos mais solenes de toda a


Bíblia. É tão abrangente que lida com todos nós.
“Se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal
não é dele”. E trata do ponto mais importante
sobre nós, pois pertencer a Cristo é a coisa mais
essencial para o tempo e a eternidade. Mas nós
não somos de Cristo a menos que tenhamos o
Seu Espírito. O texto não trata de ritos e
cerimônias externos, não discute uma questão
complicada na doutrina, não fala de realizações
raras e virtudes incomuns, mas põe seu
machado na raiz da árvore, aponta sua espada
para um parte vital. O texto é rápido. Perfura a
divisão das articulações e da medula, lidando
com os pensamentos e intenções do coração.
Fala para a alma e, embora seja a voz do
evangelho, ainda assim seu som é tão terrível
quanto os trovões do Sinai. “Se alguém não tem
o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”. Visto
que o assunto nos leva a pensar no Espírito de
Cristo, supliquemos a Ele que nos ajude nesta
hora, para que nossos pensamentos sejam
honestos, no exame do coração e, portanto,
proveitoso para nós.
3
O pregador orou para que ele seja ajudado a
discursar sobre o texto. Que cada ouvinte ore
para que o que é dito com razão também possa
afetar corretamente seu coração e sua
consciência. Não desejamos sinceramente
pertencer a Cristo? Não trememos diante da
ideia de ser dito de nós que não somos “nenhum
dos Seus”? Com tais desejos e temores, confio
que chegaremos com a maior prontidão sob a
influência do texto que procura o coração diante
de nós.

Eu devo, no início, tentar levá-lo a considerar o


notável título que é dado aqui ao Espírito Santo.
Quando tivermos considerado esse ponto,
observaremos em seguida a necessidade
absoluta de possuir o Espírito. E em terceiro
lugar, meditar sobre as evidências que podem
nos ajudar a descobrir se temos o Espírito.
Então, encerraremos pesando bem as
consequências de sermos descobertos sem o
Espírito de Cristo - “Não somos dEle”.

I. Primeiro, então, vamos considerar, bem, O


TÍTULO NOTÁVEL QUE É DADO AO ESPÍRITO
SANTO - porque certamente é o Espírito Santo
que é aqui pretendido pelo "Espírito de Cristo".
Ele é chamado, na primeira parte do versículo,
"O Espírito de Deus". E então Ele é denominado
"O Espírito de Cristo". Cristo e Deus são
4
essencialmente um. O Espírito Santo mantém
um relacionamento íntimo com o Pai e com o
Filho e é justamente chamado por qualquer um
dos nomes. Visto que Ele é aqui chamado o
Espírito de Cristo, podemos estar certos de que
um profundo mistério está aqui vagamente
revelado. O Espírito Santo procede do Filho e
também do Pai. Com isso, diremos apenas
pouco, pois sabemos pouco. Houve uma grande
disputa, muitos séculos atrás, entre o que hoje é
chamado de Igrejas Orientais e Ocidentais,
sobre essa questão - se o Espírito de Deus
procedia do Pai apenas, como dizia a Igreja
grega, ou procedia do Pai e do Filho, como disse
a Igreja latina. Eu acho que, se devemos ter uma
opinião sobre tal assunto, que nosso texto
decide o ponto declarando que o Espírito Santo
não é apenas o Espírito de Deus, mas o Espírito
de Cristo, e prossegue, sem dúvida, tanto do Pai
como do Filho. Mas quando dizemos isso, o que
queremos dizer? Algum teólogo sabe o que ele
quer dizer com essas palavras? Alguém vai
saber o que significa isso? Algum de nós pode,
procurando, descobrir a Deus ou conhecer o
Todo-Poderoso à perfeição? Não é este um
mistério que nossos olhos nunca serão capazes
de ver? E, portanto, não é melhor deixá-lo entre
as coisas inescrutáveis que pertencem à
Santíssima Trindade na unidade, onde o

5
entendimento é inundado, mas onde a fé
encontra águas para nadar?

Deixando essa matéria profunda, passamos a


notar que o título, “O Espírito de Cristo”,
significa, primeiro, que o Espírito peculiar e
especialmente descansou em Cristo. O Espírito
Santo teve muito a ver com a pessoa do nosso
abençoado Redentor. A humanidade de Cristo
foi gerada pelo Espírito de Deus quando o poder
do Altíssimo envolveu a Virgem Maria. Quando
nosso Senhor apareceu pela primeira vez em
público para ser reconhecido como o Filho de
Deus, quando desceu às águas do Jordão, e subiu
delas, o Espírito desceu sobre ele como uma
pomba e repousou sobre Ele enquanto a voz
divina proclamava do céu: “Este é o meu Filho
amado”. Assim que o Filho de Deus passou da
margem do Jordão, ele foi conduzido “pelo
Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo”
- guiado pelo Espírito de Deus a submeter-se a
esses processos de provação que eram
necessários para torná-lo perfeito como o
grande Sumo Sacerdote, capacitando-o a
simpatizar com nossas fraquezas, porque Ele foi
“tentado em todos os pontos como nós somos”.
Nós lemos que Ele retornou à Galiléia no poder
do Espírito. Quando Ele começou a pregar, o
primeiro capítulo que Ele leu em público foi: “O
Espírito do Senhor Deus está sobre Mim, porque
6
Ele me ungiu para pregar o evangelho aos
pobres.” Seu ministério não era um ministério
morto baseado na letra, mas foi no poder do
Espírito de Deus. Ele não falou segundo a carne,
com a guarnição da eloquência humana e
ganhando lisonjas, mas com aquelas palavras
poderosas de sabedoria que o Espírito Santo
ensina. Ele ensinou o povo como alguém que
tem autoridade, e não como os escribas. Por
toda a vida de Cristo você vê que o Espírito de
Deus repousou sobre Ele em plenitude de
poder, pois Deus “não dá o Espírito por medida a
Ele”. Nele “habitava a plenitude da divindade
corporalmente”, e todo os dons do Espírito
Santo foram estimados em Sua pessoa
abençoada que, de Sua plenitude, nós também
poderíamos receber graça por graça. Não foi
assim escrito a respeito dele no salmo: “Tu
amaste a justiça e odiaste a iniquidade: por isso
Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria
acima dos teus semelhantes”? Porque sobre
Cristo, o Ungido, o Espírito Santo descansa em
plenitude, o termo “o Espírito de Cristo” é muito
instrutivo.

Uma segunda explicação é igualmente para o


ponto. O Espírito Santo é chamado o "Espírito de
Cristo", porque o nosso Senhor Jesus nos dá o
Espírito Santo. João Batista disse a respeito dEle:
“Eu, na verdade, te batizo com água para o
7
arrependimento, mas aquele que vem depois de
mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias
não sou digno de desatar. Ele vos batizará com o
Espírito Santo e com fogo.”

O batismo do Espírito Santo é um resultado


seleto da obra de nosso Senhor entre os
homens.

Jesus falou em dar aos homens água viva que


deveria estar neles como fonte de água, e isto
falou Ele do Espírito que foi dado quando Jesus
foi glorificado.

Depois de sua ressurreição, Ele inspirou seus


discípulos e disse: “Recebei o Espírito Santo”.
Mas, na verdade, todo o ministério de Jesus foi
uma revelação das coisas do Espírito. Ele não
pregou sobre pontos de ritual e observação
cerimonial, mas Ele entrou em assuntos
interiores, e com a pá em Suas mãos, purificou
completamente a Sua eira. Seus preceitos não
dizem respeito à lavagem das mãos, ao esforço
de evitar mosquitos, ao uso de filactérios e à
observância de dias santos, eles lidam com o
coração, as afeições, a natureza espiritual do
homem e, portanto, estão distantes das
tradições. de superstição e das frivolidades da
falsa filosofia. Além de tudo isso, amados, nosso
8
Senhor Jesus Cristo, em Sua ascensão, trouxe
para nós a descida do Espírito Santo.

“É conveniente para você que eu vá embora”,


Ele disse, “pois se eu não for embora, o
Consolador não virá a vocês”. Ele se elevou para
o Pai, mas quando a plenitude do tempo chegou,
um vento forte foi ouvido, e as línguas, como se
fossem de fogo, foram vistas sobre os discípulos.
E a partir daquele momento a Igreja de Deus foi
batizada no Espírito Santo. Deus conceda que ela
nunca se esqueça daquele dia dos dias, mas
ande no poder que lhe foi dado no Pentecostes.

Naquele dia glorioso, a palavra do Senhor pelo


Profeta Joel foi cumprida - “E acontecerá,
depois, que derramarei o meu Espírito sobre
toda a carne; vossos filhos e vossas filhas
profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos
jovens terão visões; até sobre os servos e sobre
as servas derramarei o meu Espírito naqueles
dias.” Sendo isto tão gloriosamente cumprido,
estamos esperando por essa outra promessa,
“Eu derramarei sobre a casa de Davi, e os
habitantes de Jerusalém Espírito de graça e de
súplicas, e eles olharão para Mim a quem eles
trespassaram e se lamentarão por seus
pecados”.
9
Portanto, o Espírito Santo é o Espírito de Cristo
porque Ele é o dom escolhido por nosso Senhor
ascendido.

Marque uma terceira explicação da passagem -


o Espírito Santo pode ser chamado de “o Espírito
de Cristo”, porque Cristo viveu peculiarmente
no poder do Espírito.

Entenda o “Espírito”, como usado no texto, em


oposição à “carne”, e você verá meu significado.
Nunca a carne governou a Cristo. Nunca em um
só momento operou desejos corporais e apetites
nele. Não, Ele até esqueceu de comer pão,
encontrando um alimento para comer, do qual
nem mesmo seus discípulos sabiam. Seu amor
não procurou o seu próprio, mas fez com que Ele
desse a vida pelos seus amigos.

O Espírito de Deus brilhou sobre Ele em pleno


brilho de luz imaculada, revelando-O como puro
e imaculado, uma pessoa gloriosa em quem o
príncipe das trevas não encontrava nada.

Nosso Senhor Jesus Cristo nunca foi movido por


qualquer tipo de paixão sensual, ou influenciado
por um motivo de tendência carnal. Seria
blasfêmia pensar em tal coisa em conexão com
um caráter tão divino. Alguns choram em voz
alta e lutam pela maestria, mas não Ele. Alguns
10
têm grandes ambições, e empurravam outros,
mas não Ele. Alguns ferem à direita e à
esquerda, pois seu espírito está cheio de
vingança, mas não Ele. A carne que deseja
vingança e que grita pelo poder não tinha
nenhuma regra nEle. Ele era manso e humilde
de coração. O Espírito de santidade e amor
estava nele - aquele Espírito que traz poder e paz.
Sempre o Espírito Santo foi visto em conexão
com o caráter e obra do nosso abençoado
Senhor. Sua vida foi uma vida no Espírito. Seu
ensinamento era um ensinamento de coisas
espirituais. Os objetivos que Ele buscou em Seu
ensino eram todos espirituais. Não havia nada
carnal, nada grosseiro, nada terreno a respeito
dEle, mas todo pensamento, desejo e objetivo
eram da ordem mais elevada, mais nobre e mais
espiritual. E, portanto, penso que o Espírito
Santo é assim chamado de Espírito de Cristo.

Marque, também, que o Espírito Santo é Aquele


que vivifica todo o corpo místico de Jesus Cristo.
Todos os santos são membros do corpo de
Cristo, e todos os membros desse corpo são
distinguidos de outros homens por isso - que
eles são homens espirituais e buscam coisas
espirituais. “Há um só corpo e um só Espírito,
como somos chamados em uma só esperança de
nosso chamado.” É o Espírito que vivifica todo o
corpo místico e, por um só Espírito, somos todos
11
batizados em um só corpo, sejam judeus ou
gentios, se somos escravos ou livres. A
verdadeira igreja de Cristo, sendo em si mesma
um corpo espiritual, age de maneira espiritual e
se esforça para alcançar objetivos espirituais. A
igreja que está envolvida no formalismo, que
não pode falar uma palavra de oração sem o livro
dela, é movida pelo Espírito, ou não pode ser dito
de seus filhos: “Você é tão tolo? Tendo
começado no Espírito, você agora é
aperfeiçoado pela carne?”

Lá fora a igreja, que se curva diante de imagens


e ídolos, ostenta seus estandartes e eleva seus
crucifixos, queimando suas velas à luz do sol -
ela é a igreja espiritual de Cristo? Eu acho que
não. Você encontrará a igreja de Cristo onde os
homens fiéis adoram a Deus no Espírito e não
confiam na carne. Homens que, se falam,
procuram ser movidos pelo Espírito Santo, ou
então preferem ficar calados - que não desejam
a sabedoria que vem do homem, nem o ensino
que é a fabricação da razão humana, mas o
desejo de esperar as Escrituras para instrução, e
sob o Espírito de Deus para iluminar as
Escrituras. Esta é a igreja de Deus.

Ó amados, os tempos são agora muito perigosos


e exigem de todos os cristãos que prestem seu
testemunho quanto à espiritualidade da
12
verdadeira religião. A religião verdadeira não
consiste em formas externas, vestimentas
peculiares ou modos de fala, ou qualquer coisa
que seja ritualística e externa. “O reino de Deus
não é carne nem bebida; mas a justiça, a paz e a
alegria no Espírito Santo.”

Os homens estão novamente se tornando


sujeitos a ordenanças humanas, segundo os
mandamentos e doutrinas dos homens,
dizendo: “Não toques, não proves, e não
manuseies”, na adoração de vontade, segundo
as invenções da carne.

Nem é a adoração aceitável aquela que as


fantasias dos homens inventaram para mostrar
a beleza da pedra esculpida e da madeira, e a
glória do ouro, da prata e do cobre, juntamente
com o azul e o escarlate, e o linho fino e o vidro
de muitas cores, e os odores doces dos
comerciantes. Os verdadeiros adoradores de
Deus adoram em espírito e em verdade, pois o
Pai busca tais pessoas que o adorem.

Portanto, o Espírito Santo é o Espírito de Cristo,


porque, onde quer que a fé de Cristo e o corpo
místico de Cristo são encontrados, você
encontrará adoração espiritual, adoração
prestada pela mente e pelo coração; a adoração
13
do amor, a adoração da humildade, adoração e
obediência.

A igreja de Deus não traz rios de óleo para Ele,


nem o sangue de dez milhares de animais
gordos. Ela procura praticar a justiça, amar a
misericórdia e andar humildemente com seu
Deus. Sacrifícios e holocaustos são abolidos.
Mas corações quebrantados e contritos ainda
são à vista do Senhor, de grande preço. Portanto,
o Espírito de Deus é justamente chamado de
Espírito de Cristo.

II. Agora, em segundo lugar - e que o Senhor nos


ajude e nos guie em nossos pensamentos e
elocuções - observemos a NECESSIDADE DE
POSSUIR O ESPÍRITO DE CRISTO.

Observe que, de acordo com o texto, é


necessário em todos os casos: “Se alguém não
tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”. Ele
não diz: “Se algum ministro é destituído do
Espírito Santo, ele é inadequado. Isto é bem
verdade, mas o texto não está lidando com
quaisquer supostas divisões de leigos e clérigos.
Não fala a uma classe, mas pronuncia sua voz de
advertência aos homens como homens. “Se
alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não
é dele”. Pode-se dizer que alguns têm uma
natureza e disposição especialmente amáveis.
14
Eles nunca foram conhecidos por falar uma
inverdade, ou fazer uma ação indelicada, desde
a sua juventude. Eles crescem no jardim da
família como lindas flores, para a admiração de
todos. Sim, admito que é assim mesmo, mas não
posso evitar, devo falar a verdade como a tenho
no meu texto. “Se qualquer homem”, por mais
amável que seja, “não tem o Espírito de Cristo”,
devo dizer o mesmo dele a respeito do bêbado e
do ladrão: “Ele não é de Cristo”. As flores mais
belas tão seguramente quanto as mais más
ervas daninhas não são de Cristo, se não forem
do próprio plantio do Espírito. Mas nos
deparamos com casos em que, além de uma
natural amabilidade, os refinamentos da boa
sociedade exerceram sua melhor influência. O
homem viveu entre os cristãos. Ele tem um
título de filiação nascida, se tal direito puder ser.
Ele nunca se misturou com os pecadores mais
grosseiros, ou aprendeu as vulgaridades do
vício. O homem é adorável de se ver, sim, e
quando repito as palavras do meu texto, digo a
verdade e não minto, sinto um amor por tal
pessoa, assim como Jesus teve por aquele jovem
que disse: “Todas estas coisas eu tenho
guardado desde a minha juventude. O que me
falta ainda?” Mas não devemos nos esquivar da
verdade, mesmo neste caso. Esta falta, a falta do
Espírito de Cristo, é fatal para o caráter mais
nobre, e Cristo renega completamente todo
15
homem que não tem o Seu Espírito habitando
nele.

Mas não podemos, ao acrescentar a


religiosidade exterior às excelências morais, de
alguma forma, levantar-se, por nossos próprios
esforços, para sermos verdadeiros cristãos sem
o Espírito Santo? Não podemos ser batizados e
ajoelharmos enquanto o povo de Deus se ajoelha
e cantarmos enquanto cantam, e tomar o
sacramento como eles fazem? Sim, você pode
prontamente fazer tudo isso, mas você ainda
será condenado, pois o texto ainda permanecerá
verdadeiro: "Se alguém não tem o Espírito de
Cristo, esse tal não é dele". E se fosse possível (o
que não é para você produzir as mesmas
virtudes em si mesmo que são produzidas pelo
Espírito Santo, mas mesmo aquelas não seriam
suficientes, pois o texto é absoluto, e não diz: “Se
algum homem não tem as obras do Espírito”, ou
“as influências do Espírito”, ou “os resultados
gerais do caráter que provêm da habitação do
Espírito”. Não, vai mais fundo e declara: “Se
alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não
é dele”. A diferença entre o regenerado e o não
regenerado não é de grau, mas de tipo. Uma
alma morta não pode evoluir para uma vida,
nem a mente carnal pode se transformar em
uma mente espiritual. Poder todo-poderoso é
necessário para unir o golfo de separação. Isso
16
deve levar todo homem racional a desesperar-
se completamente de salvar-se por qualquer
força própria. Você deve recorrer à agência
divina. Você é conduzido ao Espírito Santo
porque sem Ele, o que quer que você faça ou
seja, meu texto como a espada de querubim que
guardava a entrada para o Éden, impede sua
esperança de obter a vida eterna por seu próprio
poder. “A não ser que um homem nasça da água
e do Espírito, ele não pode entrar no reino de
Deus.” Note bem que o texto não faz qualquer
tipo de exceção, ou até mesmo sugere alguma.
Pois alguns poderiam ter dito: “Mas,
certamente, aqueles que há muito são membros
da igreja cristã, e aqueles que são oficiais em seu
meio e aqueles em alta estima, certamente eles
são de Cristo, e serão salvos em qualquer caso?
Não, de modo algum, se eles não têm o Espírito
de Cristo, nem estes são Seus. Estamos todos em
pé de igualdade aqui. O porteiro de nossas
assembleias está, nesse aspecto, exatamente no
mesmo nível que o presbítero da igreja. "Se
alguém não tem o Espírito de Cristo, ele não é
dele." Eu poderia até ter dito que os oficiais da
igreja estão em uma posição pior do que outros
homens, pois sua responsabilidade é tão grande
e sua tentação à mera religião oficial é muito
grande também. Crisóstomo disse em seu dia:
"Eu me pergunto se algum dos governantes da
igreja será salvo?" E se ele tivesse vivido nestes
17
tempos ele poderia, com igual força, ter dito o
mesmo. Você não consegue ver como os
grandes da igreja, que se dizem “bispos e
pastores do rebanho”, estão permitindo que
esta nação se afaste para Roma? Eles estão
levando esta nação a todos os demônios da
idolatria e superstição de Roma, e ainda assim
não levantam um dedo nem falam uma palavra
para deter o mal. Assim como eles são, o que eles
se importam com as ovelhas? Eles se sentam em
estado mundano entre os pares do reino, e não
os preocupa, embora toda a terra cheire e
apodreça com superstição! Deus tenha piedade
deles! Bem, você disse, ó João da boca de ouro
(apelido de Crisóstomo), “Eu me pergunto se
algum dos governantes da igreja será salvo?” Se
em qualquer outra posição os homens tão
vergonhosamente negligenciassem os negócios
do seu senhor, eles seriam dispensados em
desgraça. Falo assim em solene sobriedade,
lamentando que a acusação seja verdadeira
demais. Nem é isso tudo, o que deve ser a porção
daqueles que são ministros comuns se não
temos o Espírito de Cristo? E é claro que todos
nós temos? Quantos há que ocupam o púlpito,
cujo objeto de pregação é a exibição de sua
própria eloquência ou aprendizado, pela
liberação de períodos bem trabalhados, e belos
ensaios sobre assuntos filosóficos, em vez de

18
atacar a consciência dos homens e lidar com
suas almas em nome de Deus?

O mundo está perecendo e a igreja vai dormir


sobre isso. Deus tenha misericórdia de todos
nós que somos oficiais da igreja e nos faça fiéis.
Em vez de precisar de menos do Espírito,
precisamos de uma porção dupla. E se houver
algum homem a quem se possa dizer: “Se não
tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”,
deve ser dito com a maior solenidade a respeito
dos ministros, diáconos e presbíteros de nossas
igrejas. Se eles não têm o Espírito de Cristo, eles
são piores do que os outros homens. Sua posição
os coloca sob responsabilidade extraordinária, e
se eles são falsos, isso os trará sob terrível
condenação. “Se alguém não tem o Espírito de
Cristo, esse tal não é dele”. Agora observe que
isto é colocado em oposição a tudo menos que a
si mesmo. Por exemplo, há alguns que se
gloriam em nome dos cristãos como se o nome
fosse uma grande coisa. Temos uma certa
companhia sem irmãos que se chamam
“irmãos”, e alguns outros que desaprovam
denominações e, portanto, em nome da unidade
cristã, estabelecem uma denominação própria,
infinitamente mais exclusiva do que qualquer
outra antes conhecida. Estes frequentemente
afirmam ser cristãos especialmente
denominados, eu suponho porque eles
19
insinuariam que eles, sozinhos, são cristãos.
Irmãos, nos dias de Paulo um deles disse: “Eu
sou de Paulo”, outro disse: “Eu sou de Apolo”,
um terceiro disse: “Eu sou de Cristo”. Agora não
havia um alfinete para escolher entre eles, eles
eram todos. igualmente sectários. Não é usando
o nome de Cristo, mas tendo o Espírito de Cristo
que provará que somos aceitos. Provavelmente,
ninguém estava mais longe de Cristo do que
aqueles que se chamavam pelo seu nome, a
saber, os jesuítas. Pouco tem Jesus para fazer
com a Companhia de Jesus. A igreja cristã nunca
foi mais pura ou mais séria do que quando foi
conhecida por um nome oprimido. Havia muito
mais poder e vida entre os desprezados
“Quakers” do que entre os respeitados
“Sociedade de Amigos”. Eu gostava mais dos
“Ranters” do que dos “Metodistas Primitivos”,
os quais eram mais calmos. E os “Anabatistas”
detestados eram homens de muito mais
coragem e princípio do que os modernos
“Batistas”. Dê-me o homem que pode tornar um
nome de reprovação ilustre. Não há vergonha
em ser desonrado. A repreensão logo se
desgasta e, se isso não acontecer, bem-
aventurados os que são reprovados por amor de
Cristo. Mas, amado, você pode usar o nome
literal de Cristo, e você pode continuar se
afastando de todos para um estado de
peculiaridade externa, se quiser. Mas se você
20
não tem o Espírito de Cristo, você não é dele por
tudo isso. Você pode tomar para si mesmo
noções muito precisas de como você deve agir,
como você deve falar, o que você deve comer, o
que você deve beber, o que você deve vestir - e
você pode se tornar um puritano muito estrito,
de fato. Mas lembre-se, depois de ter feito tudo
aquilo: “O reino de Deus não é comida nem
bebida”.

E, “Se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse


tal não é dele”. Nada menos do que isso será
suficiente, no entanto louvável, por mais
admirado que seja entre os homens. Faremos
mal no último grande dia se o Espírito de Deus
não estiver em nós. Mas o texto está
expressamente em oposição à “carne”. Há o
sentido do seu significado. O que significa,
então, ter o Espírito de Cristo em oposição a
estar na carne? Observe cuidadosamente que
existem dois estados, em um ou outro todo
homem é encontrado. Não há lugar
intermediário. Nós estamos na carne ou no
Espírito. Todo homem nasce na carne e, se
deixado sozinho, seguirá os desejos e os
dispositivos de sua natureza carnal, como todo
homem não regenerado. Alguns seguem sua
natureza carnal de forma grosseira e se
deparam com o vício. Outros o seguem de
maneira mais refinada, e vivem para obter
21
riqueza, para satisfazer o gosto, ou para obter a
aprovação de seus semelhantes, tudo o que é da
carne. Existe outro estado, e isso é chamado
estar no Espírito. Nesta condição, somos
admitidos pelo novo nascimento. Quando um
homem anda no Espírito, ele reconhece algo
maior do que aquele que pode ser tocado pela
mão, visto com os olhos e ouvido com o ouvido.
Ele entrou em um novo mundo e é um cidadão
de um reino espiritual. Ele veio onde Deus é real
para ele, onde Cristo é real para ele, onde a
verdade é real, onde o pecado é odioso, onde a
santidade é adorável. Julguem meus irmãos, se
vocês sabem alguma coisa sobre isso.

Muitos estão na carne. Eles ainda são a massa da


humanidade, mas há um remanescente que
anda segundo o Espírito, porque o Espírito Santo
os renovou. Aquele que está na carne é
governado pela carne. O animal nele é o mestre
do homem. A mera mente consciente nele é
dominante sobre a natureza superior, o Espírito.
Mas o homem que anda no Espírito esmaga a
carne, e trabalha para mantê-la sob sujeição.
Quando a carne, durante algum tempo,
prevalece, ele lamenta sua falta e chora a
respeito dela, pois ele não é o servo voluntário
da carne. Mas o Espírito nele se esforça para o
domínio, e ele grandemente se deleita em seu
domínio. O homem que está na carne confia na
22
carne. Ele olha para suas próprias obras para a
salvação. Suas orações, suas lágrimas, seus
favores - são para salvá-lo. Mas o homem que
tem o Espírito de Cristo conta todas as suas boas
obras como lixo e esterco. Ele confia no Senhor
através do Espírito. Ele confia no sangue e na
justiça de Jesus Cristo e edifica sua esperança na
misericórdia de Deus em seu Redentor. O
homem que está na carne adora na carne. Seus
olhos devem estar satisfeitos com a vestimenta
peculiar do ministro e com a beleza
arquitetônica do local da assembleia, enquanto
seus ouvidos devem ser regalados, se não com o
som de flauta, harpa, saco, e saltério, ainda que
com o volume do órgão. Seu nariz também deve
ser gratificado com incenso doce. Ele adora na
carne, olhando para cruzes, altares e
sacerdotes, enquanto o homem que tem o
Espírito abomina totalmente esses ídolos, e não
deseja ver, mas acreditar, não para cheirar, mas
para pensar. O som da verdade é melhor para o
homem espiritual do que o tilintar dos sinos e o
ruído dos foles. Ele precisa de algo para sua alma
pensar, algo para amar, algo para estimular suas
afeições, algo para fortalecê-lo para o bem e
para derrubar o poder do mal em sua natureza.
Sendo um homem espiritual, ele adora a Deus
no Espírito. Para ele, a encosta é tão sagrada
quanto a casa de reunião. Ele conta um lugar tão
sagrado como outro. Nem neste monte, nem
23
ainda em Jerusalém, ele adora o Pai, mas adora
a Deus em espírito e em verdade. Ele não cederá
para ser julgado por outros em carnes, bebidas,
novas luas e dias santos. Ele zomba de se
rebaixar a sacerdotes, mas acredita em si
mesmo e em que cada crente é um sacerdote
para Deus. Ele faz de cada peça uma vestimenta,
e cada refeição é para ele, um sacramento. Para
ele todas as coisas são santificadas pela
presença do Deus eterno. Ele vive no Espírito e
onde quer que ele se mova, ele permanece em
comunhão com o Senhor invisível. Ele
reconhece as coisas espirituais, onde os outros
não as veem. Ele é influenciado por motivos
espirituais. Ele busca objetos espirituais, e
enquanto as pobres criaturas da terra, como
tantas toupeiras, trabalham para se enterrar em
sua superfície, amontoam ouro e prata, e dizem:
"Estes são os seus deuses, ó Israel", este homem
é grato por sua comida e roupa, e os confortos da
vida. Mas ele sente que estes não são o seu Deus,
nem qualquer coisa que possa ser vista digna de
ser o objetivo de sua busca. Ele deriva seu prazer
de fontes acima, e bebe em fontes da vida, não
deste mundo moribundo, mas do Deus sempre
vivo e eterno. Abençoado é o homem que veio a
isso! Todos nós devemos chegar a isso, ou não
somos de Cristo.

24
Não pense que estou estabelecendo um padrão
sublime. Eu não estou. Estou mantendo o nível
do texto. “Se alguém não tem o Espírito de
Cristo, esse tal não é dele”.

(Nota do tradutor: A questão vital de se ter a


habitação do Espírito Santo como prova de que
pertencemos de fato a Cristo, não é de mero
caráter locativo, ou seja, que se trate de uma
simples deliberação da parte de Deus para que
alguém possa alcançar a salvação. Como se
fosse algo do tipo: “O Espírito Santo habita em
mim, e portanto sou salvo, e estou na condição
que agrada inteiramente a Deus.”

Devemos entender que a vida santa que somos


chamados a ter, não pode existir de modo algum
se não formos regenerados e santificados pelo
Espírito Santo, operando este trabalho
habitando dentro de nós. Mas, jamais
poderíamos ter esta regeneração (novo
nascimento) e santificação, caso não
estivéssemos ligados a Cristo pela fé, pois é
somente por meio de tal união a Jesus, que
podemos ser redimidos, perdoados de todos os
nossos pecados, e sermos justificados por Deus.

Agora, há um propósito em tudo isto, a saber,


que sejamos purificados e capacitados a viver
em unidade amorosa com Deus e com todos os
25
que são da fé, na esperança de alcançarmos a
perfeição absoluta na glória do céu.
Evidentemente, este é um trabalho
sobrenatural, celestial, espiritual e divino, e
implica a nossa transformação progressiva à
imagem e semelhança do próprio Jesus,
sobretudo quanto ao Seu caráter e virtudes.

Então a vida santificada operada pelo Espírito


Santo naqueles que pertencem a Cristo, é muito
mais do que simples virtude moral. Posso dar
um breve exemplo disso: Alguém é muito
honesto, e então poderíamos pensar que por
causa disso estaria habilitado a ser um dos
futuros abençoados que habitarão o céu depois
da morte. Mas, devemos indagar: o que motiva a
honestidade de tal pessoa? Ele o faz para não
somente entristecer o Espírito Santo, mas muito
mais do que isto, para que possa agradar a Deus,
ou por qualquer outro motivo? Por que entende
que é bom ser honesto? É verdade, mas não
suficiente para definir um filho de Deus. Porque
aprendeu isto do exemplo de seus pais, e quer
honrar a memória deles? Também não é a
motivação correta e suficiente para descrever
um salvo. Em razão de temer ser difamado ou
sofrer algum tipo de punição? Estes e todos os
demais motivos de sua honestidade que não
correspondem ao primeiro citado, não definem
um caráter que foi trabalhado pelo Espírito
26
Santo e que implantou na pessoa um santo
temor e amor ao Senhor. Somente o Espírito
Santo pode produzir em nós todo o tipo de
motivação correta na execução de todos deveres
que nos são ordenados por Deus.

Enfim, o que identifica alguém que pertence de


fato a Cristo não é tanto o que esta pessoa faz por
suas obras, mas por quanto renuncia a si
mesmo, ao seu ego carnal, e à obediência
voluntária em carregar diariamente a sua cruz,
para poder seguir o exemplo de Jesus.

Não ter a habitação e direção do Espírito Santo é


de fato uma deficiência fatal, que implica na
perda da vida eterna, e o pior de tudo, estar
sujeito à condenação e ao horror eternos.

Todos os sacrifícios e investimentos feitos nesta


vida, por mais nobres e elevados que sejam, todo
o esforço feito para melhorar as condições
sociais do país e do mundo, tudo terá sido em
vão, e de nada nos valerá diante de Deus, se nos
faltar a união com Cristo e a habitação do
Espírito Santo.

Todas as injustiças que padecemos neste


mundo, todas as carências, todas as aflições e
tribulações, serão plenamente compensadas
27
pela glória a ser revelada em nós, e desfrutada
eternamente na presença de Deus.

Mas o que teremos, se ganharmos o mundo


inteiro, alcançarmos grande fama e riquezas, se
por fim viermos a perder a nossa alma?

À luz desta grande verdade, tenhamos cuidado


para não nos afastarmos da comunhão com
Deus, e perdermos a paz e a tranquilidade de
mente e espírito que o Espírito Santo nos
concede, por permitirmos ser invadidos pela
amargura diante das muitas injustiças que
presenciamos e sofremos neste mundo.)

III. E agora eu quero que você, por apenas alguns


minutos, medite nas EVIDÊNCIAS DE TER O
ESPÍRITO SANTO, pois alguns dirão: “Eu tenho
o Espírito?” Sim, eu confio que todos farão a
pergunta. Meus ouvintes, ou você tem o Espírito
ou você não tem. Veja isso! Se você tem o
Espírito, em primeiro lugar, como é o Espírito de
Cristo, ele o levou a Cristo. Vocês, então, foram
purificados de toda confiança em si mesmos?
Você foi levado ao pé da cruz e fez ver que ali está
pendurada sua única salvação? Você confia
única e inteiramente no sangue e na justiça do
Filho crucificado de Deus? Se você foi, você tem
o Espírito de Cristo, pois o Espírito que leva o
homem à fé em Cristo é o Espírito de Cristo.
28
Você não poderia ter vindo a Cristo se não
tivesse sido atraído, e ninguém o atrairá senão o
Pai celestial por Seu Espírito.

Se você está descansando totalmente em Jesus,


você tem o Seu Espírito. Vou te fazer outra
pergunta. Você sente em sua alma o desejo de
honrar o Senhor Jesus? Você ama ouvi-lo
exaltado? Você pode dizer que você odeia tudo o
que o rouba da sua glória? Você ama aquele
sermão que mais exalta Jesus? Você já sentiu
que poderia morrer para coroar a cabeça mais
abençoada de nosso Senhor? Você agora cai a
Seus pés e O adora com o amor mais verdadeiro
de seu coração? Então você tem o Espírito de
Cristo, pois Ele se deleita em glorificar a Cristo
tomando as coisas de Cristo e mostrando-as
para nós.

Ainda, se você tem o Espírito de Cristo, isso fará


com que você goste de Cristo. Como Cristo
primeiro, em relação a Deus, Cristo viveu para
Deus. Quando tinha apenas 12 anos de idade, Ele
disse: “Não sabeis que eu devo tratar dos
negócios de Meu Pai?” E durante toda a sua vida
Ele pôde dizer que o zelo da casa de Deus o havia
consumido. Sua comida e Sua bebida eram fazer
a vontade de Seu Pai que O enviou.
29
Amado, é assim que você se sente em relação a
Deus? Então você tem o Espírito de Cristo. O
Espírito de Cristo é um espírito de oração.
Mantinha o Filho em constante comunhão com
o Pai. Você encontra constantemente o Senhor
Jesus em conversa com Deus. Se você tem o
espírito de filiação como Cristo teve, você estará
muito tempo em oração também, e assim você
provará que tem o Espírito de Cristo.

O culto de Cristo a Deus sempre foi espiritual.


Você nunca o encontra adorando senão com
todo o seu coração e alma. As tradições dos
homens, suas diferentes lavagens e
observâncias não eram nada para ele. Ele andou
com Deus e habitou nele, e não precisou de
ordenanças infantis em Sua vida espiritual. É a
sua também assim?

Nosso Senhor Jesus Cristo para com Deus


sempre foi verdadeiro. Ele foi uma testemunha
fiel, você nunca o encontrou vacilando em uma
palavra. Ele estava cheio de amor, mas como Ele
poderia trovejar contra os falsos de coração, "ai
de vós escribas e fariseus, hipócritas!" Elias
nunca foi mais terrível contra Baal do que foi o
amoroso Salvador contra o farisaísmo
ritualístico. Pois para o Seu Pai brilhou um zelo
sagrado e uma detestação sagrada de tudo o que
desonrava o Seu amado nome.
30
Você tem o Espírito de Cristo em você? O
Espírito de Cristo foi para os homens uma
plenitude de amor. Ele estava pronto para fazer
o bem a todos. Ele alimentou os famintos. Ele
curou os doentes. Ele nunca se considerou, mas
passou a vida pelos outros, expondo-se para eles.
Eles O teriam feito rei em seu momentâneo
entusiasmo, mas Ele não precisou de nenhum
reino. Era reino o suficiente para Ele ajudar os
miseráveis e socorrer os desgraçados. Você
sente em sua alma um amor aos homens pelo
amor a Deus? Você pode perdoá-los quando eles
fazem algo errado? Você pode orar por seus
inimigos? Você pode seguir seu comando, que
disse: "Eu te digo, que não resistas ao perverso,
mas quando te ferirem na face, volta-lhes a
outra também”? Então eu confio que você tem o
Espírito de Cristo. Mas por outro lado, você fica
indignado quando é insultado? Você é petulante
e pronto para se ressentir de tudo? Você não
tem o Espírito de Cristo se é assim. O Espírito de
Cristo é um Espírito gentil, tolerante e terno -
severo, como eu disse a você, por Deus e por Sua
verdade, mas terno como uma criança em
relação às fraquezas, tristezas e fraquezas da
humanidade. O Espírito de Cristo é reto para o
que é verdadeiro e santo, mas inclinado para o
que está pronto para morrer. Você deseja
conhecer o Espírito de Cristo? Leia a vida dele e
você verá isso aí. Você tem tal espírito? Você
31
deseja ser perfeito como Jesus? Se você não tem
o Espírito de Cristo, você não é dele. Meu tempo
vai acabar se eu continuar por muito mais
tempo, e portanto fecharei esta cabeça dizendo
que, se tivermos o Espírito de Cristo, ele se
manifestará por suas operações em nossos
corações. Vamos senti-lo se movendo dentro de
nós. Isso nos fará odiar tudo que é mau, falso e
profano. Isso nos levará ao arrependimento de
tudo o que fizemos errado em relação a Deus ou
ao homem. Isso nos tornará corajosos para Deus
e para a Sua verdade. Se o Espírito de Deus está
em nós, isso nos moverá para a alegria em Deus,
para ter esperança em Deus, para nos deleitar
em Deus. A comunhão com Deus se tornará
necessária para nós. A oração a Deus será um
dos nossos exercícios mais deleitáveis, e o
louvor de Deus será o nosso maior prazer. O
Espírito que habita em nós nos tornará
espirituais, nos moverá em direções espirituais
para as coisas espirituais, e assim seremos
homens espirituais para o louvor de Deus. E se
não somos isso, não somos de Cristo.

IV. O último ponto é AS CONSEQUÊNCIAS


TRISTES DE NÃO TER O ESPÍRITO. Estas são
consequências pelas quais nada neste mundo
pode compensar. “Se alguém não tem o Espírito
de Cristo, esse tal não é dele”. Tudo se foi se não
formos “nenhum dos Seus”. Supondo que tenha
32
dito: “Ele não é um discípulo favorito”. Bem,
alguém teria lamentado perder a oportunidade
do lugar mais próximo do Mestre, mas isso é
muito pior, pois diz: “Ele não é dele”. O Senhor
não o reconhece de forma alguma. "Nenhum
discípulo meu", diz Cristo. “Não, se ele não tem
o Meu Espírito, ele não é meu.” Ele é uma ovelha
perdida, mas Jesus diz que ele não é “nenhum
dos Seus”. Seja a quem ele pertence, ele não
pertence a Cristo. Se ele não tem o Espírito de
Cristo nele, ele não é “nenhum dos seus”.
Qualquer que seja o corpo de que ele seja
membro, ele não é membro do corpo de Cristo,
porque o Espírito habita em todos os membros
desse corpo, e aquele que não tem esse Espírito
não é dele. "Nenhum dos seus", as palavras
feriram meu coração. Elas são como um punhal
para minha alma. "Nenhum dos Seus!" "Nenhum
dos Seus!" Ah, se eu não sou dele, porque eu não
tenho o Espírito, de quem sou eu? Suplico ao
homem que não tem o Espírito de Cristo para
olhar essa questão na cara. Aquele que morreu
na cruz me deserdou! Aquele que ressuscitou
na sua glória me deserdou! Que miséria é essa!
Quando Ele vier na glória do Pai, e chamar Suas
ovelhas à sua direita, para que possam desfrutar
da bem-aventurança eterna em Sua companhia,
Ele dirá: “Eu nunca te conheci”. Se você, querido
ouvinte, não é dele, então de quem você é? Você
é do diabo! Pensamento horrível! Palavras
33
terríveis para usar, mas deve ser assim. Há dois
proprietários de homens, dois governantes a
quem eles servem. “Vós sois de Deus, filhinhos”,
diz o apóstolo. Mas de outros ele diz que eles
jazem no Maligno, e são herdeiros da ira.

Existem duas classes de homens - os herdeiros


da ira e os herdeiros de Deus - se você não é de
Cristo, você é o prisioneiro da condenação.

Meu querido leitor, o que você é se você não é de


Cristo? Você é uma criança abandonada, uma
perdida, uma destruição para o mar, que em
breve afundará para sempre.

E onde você está se você não é de Cristo? Você


está a caminho do julgamento, no caminho da
condenação eterna. Se você não é dEle, você está
indo tão rápido quanto o tempo pode levá-lo
embora, para longe, para a terra sombria, onde
um raio de esperança nunca penetrará a
escuridão da meia-noite. Longe, longe, longe,
onde o desespero dura a eternidade. Ó Deus, é
uma coisa terrível viver um momento em um
estado imperdoável. “Aquele que não crê já está
condenado, porque não creu no Filho de Deus.”
Se você fosse montado por um instante no topo
da Catedral de São Paulo, posicionado no ar
sobre a cruz, sem ninguém para te abraçar em
cima, quão terríveis seriam seus sentimentos
34
quando olhasse para baixo de você e soubesse
que a próxima rajada de vento o levaria a uma
destruição completa! Pecador, você está agora
em uma posição similar. Se você não é dele, você
está agora em perigo terrível. Você está sobre a
boca do inferno sobre uma única prancha, e
essa prancha está podre. Você se pendura sobre
as mandíbulas da perdição por um fio fino, e o
anjo da justiça está pronto para cortar esse fio
em dois. “Nenhum dos seus! Nenhum dos
seus!” Oh, quão terrível não viver nada dele, e
não morrer nada dele, e ter isto como seu
epitáfio - “NENHUM DOS SEUS!” E então
acordar na manhã da ressurreição, e ver o rei
em sua beleza no trono, e saber que você não é
dele! Chorar às rochas para te esconderem, e
aos montes para te cobrirem, pois você não é
dele! Então, ser trazido diante do grande trono
branco resplandecente em sua santidade, e
ouvir o fato anunciado para que todos possam
ouvir, que há um Salvador, mas você não é dele!
Ah, o que será ver a cova abrir a boca para
devorá-lo, e descendo para sempre, para
entender que você não é dele? - Vocês
pecadores, busquem o rosto dEle, cuja ira você
não pode suportar. Curve-se ao cetro de Sua
graça, e encontre a salvação lá. ”Se você olhar
para Jesus pela fé, o Espírito estará com você
quando você olhar. Há vida em um olhar para o
Redentor crucificado. Confia nele! Confia nele!
35
Confia nele! E que o Senhor o faça agora viver
como você nunca viveu antes. Agora você pode
começar a vida espiritual, pois se você não tem
o Espírito de Deus, você não é dele!

PARTE DAS ESCRITURAS LIDA ANTES DO


SERMÃO - ROMANOS 8: 1-23.

Romanos– 8

1 Agora, pois, já nenhuma condenação há para


os que estão em Cristo Jesus.

2 Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo


Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.

3 Porquanto o que fora impossível à lei, no que


estava enferma pela carne, isso fez Deus
enviando o seu próprio Filho em semelhança de
carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e,
com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado,

4 a fim de que o preceito da lei se cumprisse em


nós, que não andamos segundo a carne, mas
segundo o Espírito.

5 Porque os que se inclinam para a carne


cogitam das coisas da carne; mas os que se
inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito.
36
6 Porque o pendor da carne dá para a morte, mas
o do Espírito, para a vida e paz.

7 Por isso, o pendor da carne é inimizade contra


Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem
mesmo pode estar.

8 Portanto, os que estão na carne não podem


agradar a Deus.

9 Vós, porém, não estais na carne, mas no


Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em
vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo,
esse tal não é dele.

10 Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na


verdade, está morto por causa do pecado, mas o
espírito é vida, por causa da justiça.

11 Se habita em vós o Espírito daquele que


ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse
mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os
mortos vivificará também o vosso corpo mortal,
por meio do seu Espírito, que em vós habita.

12 Assim, pois, irmãos, somos devedores, não à


carne como se constrangidos a viver segundo a
carne.

13 Porque, se viverdes segundo a carne,


caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito,
37
mortificardes os feitos do corpo, certamente,
vivereis.

14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de


Deus são filhos de Deus.

15 Porque não recebestes o espírito de


escravidão, para viverdes, outra vez,
atemorizados, mas recebestes o espírito de
adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai.

16 O próprio Espírito testifica com o nosso


espírito que somos filhos de Deus.

17 Ora, se somos filhos, somos também


herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros
com Cristo; se com ele sofremos, também com
ele seremos glorificados.

18 Porque para mim tenho por certo que os


sofrimentos do tempo presente não podem ser
comparados com a glória a ser revelada em nós.

19 A ardente expectativa da criação aguarda a


revelação dos filhos de Deus.

20 Pois a criação está sujeita à vaidade, não


voluntariamente, mas por causa daquele que a
sujeitou,
38
21 na esperança de que a própria criação será
redimida do cativeiro da corrupção, para a
liberdade da glória dos filhos de Deus.

22 Porque sabemos que toda a criação, a um só


tempo, geme e suporta angústias até agora.

23 E não somente ela, mas também nós, que


temos as primícias do Espírito, igualmente
gememos em nosso íntimo, aguardando a
adoção de filhos, a redenção do nosso corpo.

24 Porque, na esperança, fomos salvos. Ora,


esperança que se vê não é esperança; pois o que
alguém vê, como o espera?

25 Mas, se esperamos o que não vemos, com


paciência o aguardamos.

26 Também o Espírito, semelhantemente, nos


assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos
orar como convém, mas o mesmo Espírito
intercede por nós sobremaneira, com gemidos
inexprimíveis.

27 E aquele que sonda os corações sabe qual é a


mente do Espírito, porque segundo a vontade de
Deus é que ele intercede pelos santos.
39
28 Sabemos que todas as coisas cooperam para
o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que
são chamados segundo o seu propósito.

29 Porquanto aos que de antemão conheceu,


também os predestinou para serem conformes
à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o
primogênito entre muitos irmãos.

30 E aos que predestinou, a esses também


chamou; e aos que chamou, a esses também
justificou; e aos que justificou, a esses também
glorificou.

31 Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se


Deus é por nós, quem será contra nós?

32 Aquele que não poupou o seu próprio Filho,


antes, por todos nós o entregou, porventura, não
nos dará graciosamente com ele todas as coisas?

33 Quem intentará acusação contra os eleitos de


Deus? É Deus quem os justifica.

34 Quem os condenará? É Cristo Jesus quem


morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está
à direita de Deus e também intercede por nós.

35 Quem nos separará do amor de Cristo? Será


tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou
fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?
40
36 Como está escrito: Por amor de ti, somos
entregues à morte o dia todo, fomos
considerados como ovelhas para o matadouro.

37 Em todas estas coisas, porém, somos mais


que vencedores, por meio daquele que nos
amou.

38 Porque eu estou bem certo de que nem a


morte, nem a vida, nem os anjos, nem os
principados, nem as coisas do presente, nem do
porvir, nem os poderes,

39 nem a altura, nem a profundidade, nem


qualquer outra criatura poderá separar-nos do
amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso
Senhor.

41

Похожие интересы