Вы находитесь на странице: 1из 9

ENG GAME: MECA II

QUESTÕES TEÓRICAS

1 Qual a importância do estudo do comportamento dos solos?

Resposta: Praticamente todas as obras de engenharia implicam na aplicação


de solicitações (esforços) atuantes sobre o terreno de fundação, em decorrência de
carregamentos permanentes, eventuais ou acidentais. Além disto, em muitas obras,
os solos são também empregados como material de construção (aterros, por
exemplo), assim como o aço e o concreto são utilizados na construção civil. Assim
sendo, o estudo do comportamento dos solos frente às solicitações a ele impostas
pelas obras é, portanto, de fundamental importância, tanto no que se refere à Física
do Solos quanto ao estudo das Propriedades Mecânicas dos Solos, objeto de estudo
da Mecânica dos Solos.

2 Cite dois exemplos ou situações de problemas geotécnicos que podem


ocorrer quando se tem um perfil de fundação com ocorrência de camada
mole espessa e compressível.

Resposta: Um tipo de problema usual diz respeito à ocorrência de recalques


por adensamento da camada mole, que será tanto maior quanto mais compressível e
espessa for a camada argilosa. Quando ocorrem recalques significativos
(decimétricos ou métricos), além do desalinhamento diferencial da superfície do
terreno ou da obra, também podem ocorrer problemas de interface entre os limites da
obra e conexões com redes de serviços ou tubulações, que podem se romper e
comprometer seu funcionamento. Um outro problema, quando se têm solos moles na
fundação, é o tempo necessário para que o processo de adensamento ocorra, devido
à baixíssima permeabilidade do solo mole. Normalmente, as previsões apontam para
necessidade de vários meses ou anos para que todo o adensamento ocorra, sendo
este tempo incompatível com o prazo de execução da obra e sua entrada em
operação. Nestes casos, são necessários estudos e execução de obras
complementares e específicas para aceleração dos recalques, de forma a antecipar o
prazo de adensamento.
3 Qual a diferença entre deformações elásticas, plásticas e viscosas, no
estudo do comportamento dos solos?

Resposta: As Deformações Elásticas ocorrem quando estas são


proporcionais ao estado de tensões imposto, sendo a proporcionalidade entre as
tensões (σ) e deformações (ε) dada pela Lei de Hooke (σ = E.ε), onde E = módulo de
Elasticidade ou módulo de Young, constante e característico do material. As
deformações elásticas estão associadas a variações volumétricas totalmente
recuperadas após a remoção do carregamento. As deformações Plásticas ocorrem
associadas a variações volumétricas permanentes sem a restituição do índice de
vazios inicial do solo, após o descarregamento. Por sua vez, as deformações
Viscosas, também chamadas de “fluência”, são aquelas que evoluem com o tempo
sob um estado de tensões constante.

4 Quais os principais fatores que influenciam a compressibilidade dos solos?


Descreva sucintamente sobre cada um deles.

Resposta: Os principais fatores são: Tipo de Solo, Estrutura dos Solos, Nível
de Tensões e o Grau de Saturação.

O tipo de solo, ou seja, a textura do solo (argiloso ou arenoso) é importante


na medida que a forma de interação dos esforços entre as partículas será função da
natureza dos grãos ou partículas. Sabe-se que nos solos finos as argilas
(argilominerais) as interações ocorrem através de ligações elétricas e o contato é feito
através da camada de água absorvida às partículas; já para solos arenosos a
transmissão dos esforços se dá por contato direto entre os grãos.

Em relação à estrutura dos solos, os solos granulares podem ser arranjados


em estruturas fofas, densas e “favo de abelha”. Considerando que os grãos são
admitidos como incompressíveis, quanto maior o índice de vazios, maior será a
compressibilidade do solo. Já os solos argilosos se apresentam segundo estruturas
dispersas ou floculadas, sendo que os solos com estrutura floculada são mais
compressíveis. Com a compressão, o posicionamento das partículas sólidas tende a
uma orientação paralela (estrutura dispersa).
O nível de tensões a que o solo está sendo submetido interfere na sua
compressibilidade tanto no que diz respeito à movimentação relativa entre partículas,
quanto na possibilidade de acarretar em processos de quebra de grãos.

O grau de saturação é importante, no caso de solos saturados, pois a variação


de volume ocorre por uma variação de volume de água contida nos vazios (escape ou
entrada). No caso de solos não saturados, o problema é mais complexo uma vez que,
ao contrário da água, a compressibilidade do ar é grande e pode interferir na
magnitude total das deformações.

5 Como se pode caracterizar a história de tensões de um solo e qual o


significado da tensão de pré-adensamento?

Resposta: Através do exame da curva e x logσ’v (obtida no ensaio de


adensamento1), onde se observa uma mudança brusca de inclinação da tangente à
curva de compressibilidade, que ocorre no ponto correspondente a tensão de pré-
adensamento (σ´vm), ou seja, valor de tensão efetiva correspondente à máxima
tensão efetiva que o solo foi submetido em toda sua história. A σ´vm representa uma
fronteira entre deformações relativamente pequenas (trecho anterior da curva, de
recompressão, para valores de σ´vo < σ´vm), e deformações muito grandes (trecho
posterior da curva, de recalque primário ou trecho virgem).

6 O que significa o trecho virgem da curva de compressibilidade do ensaio de


adensamento e qual sua importância na estimativa de recalques?

Resposta: Corresponde ao trecho da curva e x logσ’v (obtida no ensaio de


adensamento) em que o solo argiloso mole estará sendo carregado pela primeira vez
e caracterizado por grandes deformações para o acréscimo de tensões solicitantes. É
importante a sua correta determinação (inclinação da reta após σ´vm, e do coeficiente
Cc) para estimativa da magnitude do recalque por adensamento.

7 O que significa comportamento não drenado de um solo?

Resposta: Se refere ao recalque inicial ou instantâneo de um solo saturado.


Ocorre para situações de carregamento finito (visto que nestas condições de campo,
o solo sofre tanto deformações verticais quanto horizontais), sendo que parte do
carregamento aplicado é transmitido instantaneamente aos grãos, gerando o recalque
inicial não drenado.
8 Por que, no caso de solos argilosos, deve-se estudar a resposta não drenada
do solo?

Resposta: Nos solos argilosos saturados, a existência de deformações


horizontais faz com que parte do carregamento seja transmitida ao arcabouço sólido
e parte à água. Assim sendo, os excessos iniciais de poropressão gerados pelo
carregamento não se igualam à variação de tensão vertical (∆u≠∆σ). A parcela que é
transmitida instantaneamente à mola, na analogia hidromecânica de Terzaghi,
equivale a uma variação da tensão efetiva. Em face desta variação de tensões
efetivas, o solo varia de volume resultando em recalques denominados iniciais ou não
drenados.

9 Por que as areias em geral se comportam de forma drenada? Em que


situação se comportam de forma não drenada?

Resposta: As areias possuem permeabilidade elevada, razão pela qual


normalmente existe drenagem rápida da água dos vazios do solo, quando sujeitas a
um carregamento (comportamento drenado). O comportamento não drenado em
areias ocorre em situações de carregamento finito, onde parte do carregamento
aplicado é transmitido instantaneamente aos grãos, gerando o recalque inicial não
drenado.

10 Serão construídos 2 aterros com diferentes alturas (1 m e 3 m,


respectivamente) em uma área de fundação argilosa mole, utilizando um
material de empréstimo arenoso. Comente a relação entre magnitudes e
tempos de recalque esperados, em função da construção dos aterros.

Resposta: A magnitude do recalque é diretamente proporcional ao valor do


carregamento aplicado (∆p). Assim, o aterro com altura 3m (maior ∆p) ocasionará
maior recalque de fundação do que o aterro com altura 1m (menor ∆p). Já o tempo
necessário para o adensamento será o mesmo para ambas as situações visto que
este parâmetro (t) depende apenas das características de “cv” (coeficiente de
adensamento, indicador da velocidade de adensamento) e da altura de drenagem
(Hd) da camada de fundação (mesma em ambas as situações).
11 Qual o objetivo do ensaio edométrico? Como se executa este ensaio? Quais
parâmetros são obtidos?

Resposta: O principal objetivo do ensaio é a determinação da curva de


compressibilidade do solo, representada pela relação entre o índice de vazios e
tensão efetiva, bem como a estimativa da tensão de pré-adensamento. O ensaio
reproduz em laboratório a condição de fluxo e deformação unidimensional, já que a
amostra é impedida de se deformar horizontalmente e a drenagem é imposta no topo
e base. Assim, durante a execução do ensaio em prensa apropriada são aplicados
vários estágios de cargas medindo-se as respectivas deformações, em tempos
padronizados. Em cada estágio de carga, de compressão ou de descarregamento,
são determinados os valores de “cv” (coeficiente de adensamento), que possibilita a
estimativa do tempo de adensamento do solo. Entre os principais parâmetros obtidos
do ensaio, citam-se: índice de vazios, tensão de pré- adensamento, variação do
coeficiente de adensamento, coeficiente de compressibilidade (av), coeficiente de
variação volumétrica (mv), índices de compressibilidade (Cc, Cr, Cs), permeabilidade
(k), entre outros.

12 O que significa OCR ou RSA?

Resposta: Significa a relação entre a tensão de pré-adensamento (σ´vm) e a


tensão efetiva inicial (σ´vo) do solo. Solos Normalmente Adensados possuem
OCR=1,0 e solos Pré- Adensados apresentam OCR>1,0.

13 Se um solo natural de várzea for pré-adensado e o acréscimo de tensões


gerado por um carregamento, devido ao peso de um aterro, resultar numa
tensão efetiva final inferior a tensão de pré-adensamento, qual a expectativa
da magnitude dos recalques por adensamento?

Resposta: A magnitude do recalque será pequena porque a faixa de variação


das tensões aplicadas estará sobre o trecho correspondente à recompressão da curva
de compressibilidade do solo, ou seja, com variação do índice de vazios muito menor
do que ocorreria se o solo fosse normalmente adensado.
14 Se um solo natural de várzea for normalmente adensado e o acréscimo de
tensões gerado por um carregamento, devido ao peso de um aterro, resultar
numa tensão efetiva final correspondente ao dobro do valor da tensão de
pré-adensamento, qual a expectativa da magnitude dos recalques por
adensamento?

Resposta: A magnitude do recalque será grande pois a faixa de variação das


tensões aplicadas estará sobre o trecho virgem da curva de compressibilidade,
quando ocorre a maior variação do índice de vazios.

15 Descreva sucintamente a analogia hidromecânica proposta por Terzaghi


para o estudo de recalques e do processo de adensamento dos solos.

Resposta: Basicamente, a analogia considera uma equivalência de um solo


saturado com um sistema composto de uma mola, pistão, água e uma válvula para
controle da drenagem, sendo que:

a) o deslocamento do pistão representa o recalque observado na superfície


do solo devido à aplicação de uma tensão vertical;

b) a mola representa o arcabouço de sólidos e sua variação corresponde à


variação das tensões efetivas do solo;

c) a água é o meio líquido que preenche os vazios do solo saturado (no caso,
do entorno da mola), sendo sua drenagem pelo orifício superior responsável pela
saída da água do solo, isto é, pelo adensamento do sistema mola + pistão;

d) a magnitude do deslocamento do pistão depende exclusivamente da


compressibilidade da mola e não do conjunto mola + água.

16 Comente as diferenças entre recalque imediato (inicial ou não drenado), de


adensamento e secundário. Exemplifique uma situação prática em que o
recalque imediato é nulo?

Resposta: O recalque imediato ocorre de forma instantânea à aplicação do


carregamento vertical, devido ao deslocamento horizontal do solo de fundação. O
recalque por adensamento se dá pela lenta saída d´água dos interstícios (vazios) do
solo, sendo necessário um tempo tanto maior quanto menor for a permeabilidade do
solo. A fluência se refere às deformações viscosas que evoluem com o tempo sob um
estado de tensões constante, após completado o adensamento primário. Um exemplo
em que o recalque imediato pode ser nulo é o que ocorre quando o carregamento é
“infinito”, ou seja, quando a área carregada é muito superior à espessura da camada.

17 Quais as hipóteses assumidas na solução da Equação de Adensamento?


Comente se elas podem apresentar diferenças ou variações em relação ao
que se observa na prática da engenharia.

Resposta: Hipóteses: a) solo saturado; b) compressão é unidimensional; c)


fluxo é unidimensional; d) O solo é homogêneo; e) As partículas sólidas e a água são
incompressíveis perante a compressibilidade do solo; f) O solo pode ser estudado
como elementos infinitesimais, apesar de ser constituído de partículas e vazios; g) O
fluxo é governado pela Lei de Darcy; h) As propriedades do solo não variam no
processo de adensamento; e i) O índice de vazios varia linearmente com o aumento
da tensão efetiva durante o processo de adensamento.

Comentários: Sim, tais hipóteses podem apresentar diferenças em relação à


realidade das obras como, por exemplo, as três primeiras hipóteses que indicam que
a teoria se restringe ao caso em que não há deformação horizontal e os solos estão
saturados. Por vezes, tal simplificação não ocorre no campo, como no caso de
carregamentos finitos, bem como quando o lençol freático não está exatamente no
nível da superfície do terreno, mas ligeiramente abaixo (0,5 a 1,0m).

18 Quais são os índices de compressibilidade e o que eles significam?

Resposta: Cc = coeficiente de compressão, correspondente à inclinação do


trecho virgem da curva de compressibilidade; Cr = coeficiente de recompressão,
relativo à inclinação do trecho de pré-adensamento do solo, na curva de
compressibilidade; e Cs ou Cd = coeficiente de descompressão, que se refere à
inclinação do segmento de alívio de tensões, obtido a partir de algum ponto inicial
sobre o trecho virgem da curva de compressibilidade.

19 Um ensaio de adensamento foi executado em uma amostra de solo argiloso.


Existe dúvida quanto ao valor da tensão efetiva vertical de pré-adensamento.
Comente os possíveis erros de projeto, caso σ´vm tenha sido definido por
um valor maior que o real.

Resposta: Neste caso, o recalque calculado poderia estar sendo subestimado


uma vez que o recalque primário real estaria iniciando antes da tensão de pré-
adensamento erroneamente atribuída.
20 O que significa porcentagem média de adensamento atribuída a um solo?
Exemplifique com o traçado de uma curva recalque x tempo.

Resposta: Significa o somatório das porcentagens de adensamento de todos


os pontos da camada em relação ao adensamento total. Pode ser interpretada como
a relação entre as áreas delimitadas pelas curvas de porcentagem de adensamento,
para um determinado fator tempo, sendo que de um lado de cada curva tem-se a
integral dos excessos de poropressão existentes na camada em um determinado
tempo e de outro lado a integral dos excessos já dissipados. Abaixo, um exemplo de
curva recalque x tempo.

21 Descreva alguns casos particulares que podem ocorrem no adensamento


dos solos.

Resposta: a) Carregamentos não instantâneos, que normalmente ocorrem


devido à velocidade de execução das obras; b) Incorporação de grandes
deformações, que podem ocorrer devido ao efeito da submersão dos aterros na
camada de solo mole, bem como influência na evolução do recalque com o tempo.

22 Cite duas situações de campo que podem influenciar na previsão de


recalques de um solo mole sujeito a um carregamento em superfície.

Resposta: a) A existência de fluxo lateral no adensamento, que pode ocorrer


no caso em que o carregamento é realizado em uma área concentrada (faixa de um
aterro rodoviário ou sapata isolada); b) A presença de lentes de areia inseridas no
subsolo argiloso mole, as quais podem facilitar a drenagem e incrementar a
velocidade de adensamento.

23 Comente sobre alternativas ou técnicas construtivas que se pode utilizar


para aceleração de recalques de um solo mole.

Resposta: Uma das técnicas mais utilizadas são os drenos verticais (areia,
drenos fibroquímicos ou geodrenos) cravados verticalmente no solo mole, em malha
triangular ou quadrada, sendo que na superfície do terreno o deságue das águas
subterrâneas captadas ocorre no interior de um colchão drenante executado na base
do aterro. Outra técnica é a utilização de sobrecarga temporária (sobre-aterro) que
atua durante um certo tempo e posteriormente é removida quando o solo mole já teve
sua resistência aumentada em razão do recalque parcial ocorrido. Uma terceira
alternativa é o emprego de adensamento a vácuo que consiste na aplicação de vácuo
em um sistema de drenos verticais cravados na camada mole.

24 Descreva sucintamente que tipo de instrumentação geotécnica pode ser


utilizada para monitorar o comportamento de um aterro com 2,50m de altura
a ser executado sobre um terreno de fundação, saturado, com presença de
10m de argila siltosa muito mole orgânica, sobreposta a uma camada de
areia permeável.

Resposta: a) placas de recalque posicionadas na base do aterro, para


medição direta do deslocamento vertical;

b) marcos superficiais instalados nos taludes e junto ao pé da saia do aterro,


para medição dos deslocamentos (x,y,z);

c) perfilômetro colocado ao longo da base do aterro, numa seção de


estudo/monitoramento, para medição direta da deformação vertical;

d) extensômetro magnético (“aranhas”) em tubos verticais atravessando a


camada mole, para detecção de superfícies de ruptura;

e) piezômetros tipo Casagrande, para medição de poropressões;