You are on page 1of 107

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS

ESCOLA DE ENGENHARIA
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

DIVINA JÉSSICA SOUZA DE FREITAS


LAÍS CORREIA DA SILVA
TÚLIO PAIXÃO DE FRANÇA

MEMORIAL DE CÁLCULO

GOIÂNIA
2018

1
DIVINA JÉSSICA SOUZA DE FREITAS
LAÍS CORREIA DA SILVA
TÚLIO PAIXÃO DE FRANÇA

MEMORIAL DE CÁLCULO

Memorial de cálculo apresentado como um dos


requisitos para a avaliação na disciplina ENG1640-
Estruturas Metálicas da Escola de Engenharias, no
Curso de Engenharia Civil da Pontifícia Universidade
Católica de Goiás.
Orientador: Prof. Eng. José Afonso Gayoso de
Sousa Neto

GOIÂNIA
2018

2
SUMÁRIO

1 OBJETIVO................................................................................................................ 5
2 CARACTERÍSTICAS GERAIS ................................................................................. 5
2.1 Definição da obra ............................................................................................... 5
2.2 Geometria .......................................................................................................... 5
3 ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS ..................................................................... 10
4 NORMAS ADOTADAS ........................................................................................... 10
5 SISTEMA ESTRUTURAL ....................................................................................... 10
6 PROGRAMAS COMPUTACIONAIS ...................................................................... 10
7 AÇÕES ATUANTES ............................................................................................... 11
7.1 Ação permanente ............................................................................................ 11
7.2 Ações variáveis ................................................................................................ 11
7.2.1 Sobrecarga ................................................................................................ 11
7.3 Ações do vento ................................................................................................ 11
7.3.1 Relatório da ação do vento na edificação gerado pelo mCalc3D4 ............ 11
8 AÇÕES ................................................................................................................... 15
9 COMBINAÇÕES DE AÇÕES ................................................................................. 18
10 DIMENSIONAMENTO DO PÓRTICO VERTICAL ................................................ 22
10.3.1 Banzo superior ........................................................................................ 22
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4 ....................... 23
10.3.2 Banzo Inferior .......................................................................................... 27
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4 ....................... 28
10.3.2 Montantes ............................................................................................... 33
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4 ....................... 34
10.3.2 Diagonais ................................................................................................ 38
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4 ....................... 39
10.3.2 Pilares ..................................................................................................... 43
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4 ....................... 44
11 DIMENSIONAMENTO DOS CONTRAVENTAMENTOS, VIGAS DE
TRABAMENTO E PILARES DE OITÃO .................................................................... 48
11.1 Geometria ...................................................................................................... 48
11.2 Dimensionamento .......................................................................................... 49
11.2.1 Contraventamentos ................................................................................. 49
11.2.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4 ....................... 50
11.2.2 Vigas de Travamento .............................................................................. 51
3
11.2.2.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4 ....................... 52
11.2.3 Pilares de Oitão ....................................................................................... 57
11.2.3.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4 ....................... 58
12 RESULTADOS - RELATÓRIO DIMENSIONAMENTO ......................................... 62
13 RESULTADOS - DIAGRAMAS ............................................................................ 62
13.1 Combinação 01 .............................................................................................. 62
13.2 Combinação 02 .............................................................................................. 63
13.3 Combinação 03 .............................................................................................. 64
13.4 Combinação 04 .............................................................................................. 65
13.5 Combinação 05 .............................................................................................. 66
13.6 Combinação 06 .............................................................................................. 67
13.7 Combinação 07 .............................................................................................. 68
14 RESULTADOS – RELATÓRIO ANÁLISE LINENAR ............................................ 69
14.1 Combinação 01 .............................................................................................. 69
14.2 Combinação 02 .............................................................................................. 70
14.3 Combinação 03 .............................................................................................. 70
14.4 Combinação 04 .............................................................................................. 71
14.5 Combinação 05 .............................................................................................. 71
14.6 Combinação 06 .............................................................................................. 72
14.7 Combinação 07 .............................................................................................. 72
15 DIMENSIONAMENTO DAS TERÇAS E MÃOS- FRANCESAS ........................... 73
15.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4 ................................. 79

4
1 OBJETIVO

Este trabalho tem por objetivo o a realização do cálculo e de projeto de um galpão industrial
destinado a depósito na região metropolitana de Goiânia - GO

2 CARACTERÍSTICAS GERAIS

2.1 Definição da obra

• Galpão industrial de duas águas localizado em Goiânia - GO.


• O galpão possui as seguintes dimensões:
• Largura = 23 metros
• Comprimento = 57 metros
• Espaçamento entre pórticos = 5,7 metros
• Pé-direito livre = 09 metros
• Inclinação do telhado = 9% (5°)
• Cobertura = Telha trapezoidal sanduiche com EPS
• Fechamentos laterais e frontais = Telha ondulada simples.
• Edificação destinada a depósito.

2.2 Geometria

Abaixo segue desenhos de referência para ilustração das dimensões do galpão.

5
6
7
8
9
3 ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS

• Perfis soldados, dobrados e chapas de ligação:


Aço estrutural ASTM A572-G50
Fy= 300MPa
Fu = 400 MPa
• Chumbadores, tirantes e contraventos:
Aço estrutural ASTM A36
Fy = 250 Mpa
Fu = 400 MPa
• Parafusos:
Ligações principais: ASTM A325
Ligações secundárias: ASTM A307

4 NORMAS ADOTADAS

• ABNT NBR 8800 (2008) – “Projeto de estruturas de aço e de estruturas mista de aço e
concreto de edificações”
• ABNT NBR 6123 (1988) – “Forças devidas ao vento em edificações”;
• ABNT NBR 6120 (1980) – “Cargas para o cálculo de estruturas de edificações”;
• ABNT NBR 14762 (2010) – “Dimensionamento de estruturas de aço constituídas por
perfis formados a frio – Procedimento”;

5 SISTEMA ESTRUTURAL

• Estrutura Principal: pórticos metálicos formados por perfis "I" de seção constante,
engastados na base e modulados a cada 7,5 metros, vencendo 02 vãos de 15 metros.
• Estrutura Secundária: Terças em perfis dobrados a frio, contraventamentos horizontais
e verticais em "X", utilizando barras redondas.

6 PROGRAMAS COMPUTACIONAIS

• Software mCalc 3D 2018


• Software mCalc LIG 2018
• Software ST_Vento 2 2016
• Software AUTOCAD – Versão 2015.
• Software ST_Cadem 2016

10
7 AÇÕES ATUANTES

7.1 Ação permanente

É formada pelo peso próprio de todas as peças que compõem a estrutura e de todos os elementos
suportados pela estrutura.
O peso próprio de cada elemento será definido no item de análise e dimensionamento do
mesmo.
A telha de cobertura adotada para esta obra foi à telha sanduiche – (Telha #0,5mm EPS #30mm)
A telha de fechamento lateral adotada para esta obra foi à telha Ondulada da Regional Telhas
modelo RT 40/120.
As características das telhas foram obtidas através do catálogo do fabricante, para uma
espessura de 31mm e peso de 12,00 kgf/m².
Para o pré-dimensionamento da estrutura foram adotados os seguintes carregamentos:
• Peso próprio da estrutura metálica (vigas, terças, estabilizações, etc.): 16 kgf/m²
• Peso próprio da telha: 12 kgf/m²

7.2 Ações variáveis

7.2.1 Sobrecarga

Conforme item B.5.1, do Anexo B da ABNT NBR 8800:2008, para sobrecargas nas coberturas
comuns (telhados), na ausência de especificação mais rigorosa, deve ser prevista uma
sobrecarga característica mínima de 25kgf/m² (0,25 KN/m²), em projeção horizontal. Admite-
se que esta sobrecarga englobe as cargas decorrentes de instalações elétricas e hidráulicas, de
isolamentos térmico e acústico e de pequenas peças eventualmente fixadas na cobertura, até um
limite superior de 5kgf/m².

7.3 Ações do vento

Com o auxílio do software mCalc3D 4 foi realizada a análise da ação do vento no galpão, o
qual originou o relatório apresentado no item 7.3.1

7.3.1 Relatório da ação do vento na edificação gerado pelo mCalc3D4

3. AÇÃO DO VENTO NA EDIFICAÇÃO

3.1. DETERMINAÇÃO DA PRESSÃO DINÂMICA DO VENTO

3.1.1. Velocidade básica do vento

11
Vo = 33 m/s

3.1.2. Fator topográfico S1

S1 = 1,00 Terreno plano ou fracamente acidentado

3.1.3. Fator que relaciona rugosidade, dimensões da edificação e altura sobre o terreno
S2

Rugosidade do terreno: categoria II


Dimensões da edificação: classe C
Z = 11,88 m Altura acima do terreno
S2 = 0,97

3.1.4. Fator estatístico S3

Edificação Grupo 3
S3 = 0,95

3.1.5. Pressão dinâmica

Vo = 33 m/s Velocidade básica do vento


VK = VO x S1 x S2 x S3 = 30,30 m/s Velocidade característica do vento
q = 0,613 x Vk2 = 57,38 kgf/m²

3.2. COEFICIENTES DE FORMA EXTERNO PARA PAREDES DE EDIFICAÇÕES


DE PLANTA RETANGULAR
12
Vento a 0º
a = 57 m Maior dimensão horizontal da edificação
b = 23 m Menor dimensão horizontal da edificação
h = 10,869 m Altura da edificação
a1 = Max ((b/3); (a/4)) ≤ 2xh = 14,25 m
a2 = (a/2)-a1 = 14,25 m

Vento a 90º
a = 57 m Maior dimensão horizontal da edificação
b = 23 m Menor dimensão horizontal da edificação
h = 10,869 m Altura da edificação

b1 = Min ((b/2); 2xh) = 11,50 m

3.3. COEFICIENTES DE FORMA EXTERNO PARA TELHADOS COM DUAS


ÁGUAS EM EDIFICAÇÕES DE PLANTA RETANGULAR

13
Vento a 0º Vento a 90º

3.4. COEFICIENTES DE PRESSÃO INTERNA

Quatro faces igualmente permeáveis:


Cpi = -0,3 ou 0 (considerar o valor mais nocivo);

Vento a 0º

Vento a 90º

14
8 AÇÕES

Com o auxílio do software mCalc3D 4 foi realizada o carregamento do pórtico transversal do


galpão.

15
16
17
9 COMBINAÇÕES DE AÇÕES

18
19
20
21
10 DIMENSIONAMENTO DO PÓRTICO VERTICAL

Com o auxílio do software mCalc3D 4 foi realizada o dimensionamento do pórtico transversal


do galpão, o qual originou as imagens e relatórios apresentado no item a seguir.

10.3.1 Banzo superior

22
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil U laminado

Perfil: ULAM 203.2 17.1


Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 1,88 m KzLz = 1,88 m
KyLy = 3,76 m Lb = 1,88 m

1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida


0,00 m² Área líquida da seção transversal

0,00 m² Área líquida efetiva da seção transversal

49545,45 kgf Resistência de escoamento

64592,59 kgf Resistência à ruptura

49545,45 kgf Força normal resistente de cálculo à tração

0,00 < 1,00 OK!

2. Cálculo da Compressão

189327,52 kgf

30661,01 kgf

70129,92 kgf

0,86

65404,24 kgf
30661,01 kgf
1,00 Fator de redução associado à instabilidade local

54500,00 kgf

1,33

0,48

23
23545,07 kgf

0,89 < 1,00 OK!

3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

7500000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

3837,11 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

3.1. FLT - Flambagem Lateral com Torção

118,47 Parâmetro de esbeltez

49,78 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação


0,03

184,00 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início


do escoamento

2335,63 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento


1,00 Fator de modificação para diagrama de momento fletor não-uniforme

3837,11 kgf.m Momento fletor de


flambagem elástica

então

3068,70 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLT

3.2. FLM - Flambagem Local da Mesa

5,80 Parâmetro de esbeltez

10,75 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

28,06 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

27394,39 kgf.m Momento fletor de flambagem elástica

então

3837,11 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

24
3.3. FLA - Flambagem Local da Alma

32,81 Parâmetro de esbeltez

106,35 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

161,22 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

3336,61 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento

então

3837,11 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

3068,70 kgf.m Momento fletor resistente característico

2789,73 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,00 < 1,00 OK!

4. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Z

7500000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

1088,53 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

4.1. FLM - Flambagem Local da Mesa

5,80 Parâmetro de esbeltez

10,75 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

39,60 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

1088,53 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

4.2. FLA - Flambagem Local da Alma

5,80 Parâmetro de esbeltez

31,68 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

25
39,60 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

1088,53 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

1088,53 kgf.m Momento fletor resistente característico

989,58 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,00 < 1,00 OK!

5. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Y

5,80 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

15378,09 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

27960,16 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Y

0,00 < 1,00 OK!

6. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Z

32,81 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

17047,80 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

26
15498,00 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Z

0,00 < 1,00 OK!

7. Equações de Interação

0,00

0,89

mCalc_Perfis - Stabile Engenharia Ltda. - www.stabile.com.br

10.3.2 Banzo Inferior

27
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil U laminado

Perfil: ULAM 76.2 7.44


Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 1,87 m KzLz = 1,87 m
KyLy = 1,87 m Lb = 1,87 m

1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida


0,00 m² Área líquida da seção transversal

0,00 m² Área líquida efetiva da seção transversal

21545,45 kgf Resistência de escoamento

28088,89 kgf Resistência à ruptura

21545,45 kgf Força normal resistente de cálculo à tração

28
0,96 < 1,00 OK!

2. Cálculo da Compressão

43577,65 kgf

5814,12 kgf

84128,58 kgf

0,68

35376,21 kgf
5814,12 kgf
1,00 Fator de redução associado à instabilidade local

23700,00 kgf

2,02

0,22

4635,44 kgf

0,00 < 1,00 OK!

3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

7500000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

582,55 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

3.1. FLT - Flambagem Lateral com Torção

179,40 Parâmetro de esbeltez

49,78 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação


0,01

29
404,60 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início
do escoamento

354,59 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento


1,00 Fator de modificação para diagrama de momento fletor não-uniforme

582,55 kgf.m Momento fletor de flambagem


elástica

então

499,27 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLT

3.2. FLM - Flambagem Local da Mesa

5,52 Parâmetro de esbeltez

10,75 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

28,06 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

4592,76 kgf.m Momento fletor de flambagem elástica

então

582,55 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

3.3. FLA - Flambagem Local da Alma

9,53 Parâmetro de esbeltez

106,35 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

161,22 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

506,56 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento

então

582,55 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

499,27 kgf.m Momento fletor resistente característico

453,88 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

30
0,00 < 1,00 OK!

4. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Z

7500000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

109,80 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

4.1. FLA - Flambagem Local da Alma

5,52 Parâmetro de esbeltez

31,68 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

39,60 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

109,80 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

109,80 kgf.m Momento fletor resistente característico

99,82 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,00 < 1,00 OK!

5. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Y

5,52 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

6130,80 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

11146,91 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Y

31
0,00 < 1,00 OK!

6. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Z

9,53 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

7880,49 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

7164,08 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Z

0,00 < 1,00 OK!

7. Equações de Interação

0,96

0,00

mCalc_Perfis - Stabile Engenharia Ltda. - www.stabile.com.br

32
10.3.2 Montantes

33
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil U laminado

Perfil: ULAM 203.2 17.1


Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 2,88 m KzLz = 2,88 m
KyLy = 2,88 m Lb = 2,88 m

1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida


0,00 m² Área líquida da seção transversal

0,00 m² Área líquida efetiva da seção transversal

49545,45 kgf Resistência de escoamento

64592,59 kgf Resistência à ruptura

49545,45 kgf Força normal resistente de cálculo à tração

0,05 < 1,00 OK!

2. Cálculo da Compressão

322704,08 kgf

13065,23 kgf

57331,41 kgf

0,86

55738,26 kgf
13065,23 kgf
1,00 Fator de redução associado à instabilidade local

54500,00 kgf

2,04

34
0,21

10416,55 kgf

0,00 < 1,00 OK!

3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

7500000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

3837,11 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

3.1. FLT - Flambagem Lateral com Torção

181,48 Parâmetro de esbeltez

49,78 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação


0,03

184,00 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início


do escoamento

2335,63 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento


1,00 Fator de modificação para diagrama de momento fletor não-uniforme

2369,76 kgf.m Momento fletor de


flambagem elástica

então

2363,76 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLT

3.2. FLM - Flambagem Local da Mesa

5,80 Parâmetro de esbeltez

10,75 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

28,06 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

27394,39 kgf.m Momento fletor de flambagem elástica

35
então

3837,11 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

3.3. FLA - Flambagem Local da Alma

32,81 Parâmetro de esbeltez

106,35 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

161,22 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

3336,61 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento

então

3837,11 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

2363,76 kgf.m Momento fletor resistente característico

2148,87 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,00 < 1,00 OK!

4. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Z

7500000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

367,92 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

4.1. FLA - Flambagem Local da Alma

5,80 Parâmetro de esbeltez

31,68 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

39,60 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

367,92 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

367,92 kgf.m Momento fletor resistente característico

334,47 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo


36
0,00 < 1,00 OK!

5. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Y

5,80 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

15378,09 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

27960,16 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Y

0,00 < 1,00 OK!

6. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Z

32,81 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

17047,80 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

15498,00 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Z

0,00 < 1,00 OK!

7. Equações de Interação

0,03

37
0,00

10.3.2 Diagonais

38
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil U laminado

Perfil: ULAM 203.2 17.1


Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 2,84 m KzLz = 2,84 m
KyLy = 2,84 m Lb = 2,84 m

1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida


0,00 m² Área líquida da seção transversal

0,00 m² Área líquida efetiva da seção transversal

49545,45 kgf Resistência de escoamento

64592,59 kgf Resistência à ruptura

49545,45 kgf Força normal resistente de cálculo à tração

0,26 < 1,00 OK!

2. Cálculo da Compressão

331858,35 kgf

13435,86 kgf

57600,99 kgf

0,86

56042,10 kgf
13435,86 kgf
1,00 Fator de redução associado à instabilidade local

54500,00 kgf

2,01

39
0,22

10712,04 kgf

0,00 < 1,00 OK!

3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

7500000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

3837,11 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

3.1. FLT - Flambagem Lateral com Torção

178,96 Parâmetro de esbeltez

49,78 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação


0,03

184,00 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início


do escoamento

2335,63 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento


1,00 Fator de modificação para diagrama de momento fletor não-uniforme

2408,78 kgf.m Momento fletor de


flambagem elástica

então

2391,96 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLT

3.2. FLM - Flambagem Local da Mesa

5,80 Parâmetro de esbeltez

10,75 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

28,06 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

27394,39 kgf.m Momento fletor de flambagem elástica

40
então

3837,11 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

3.3. FLA - Flambagem Local da Alma

32,81 Parâmetro de esbeltez

106,35 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

161,22 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

3336,61 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento

então

3837,11 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

2391,96 kgf.m Momento fletor resistente característico

2174,51 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,00 < 1,00 OK!

4. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Z

7500000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

1088,53 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

4.1. FLM - Flambagem Local da Mesa

5,80 Parâmetro de esbeltez

10,75 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

39,60 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

1088,53 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

4.2. FLA - Flambagem Local da Alma

41
5,80 Parâmetro de esbeltez

31,68 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

39,60 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

1088,53 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

1088,53 kgf.m Momento fletor resistente característico

989,58 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,00 < 1,00 OK!

5. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Y

5,80 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

15378,09 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

27960,16 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Y

0,00 < 1,00 OK!

6. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Z

32,81 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para início de escoamento

42
0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

17047,80 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

15498,00 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Z

0,00 < 1,00 OK!

7. Equações de Interação

0,26

0,00

mCalc_Perfis - Stabile Engenharia Ltda. - www.stabile.com.br

10.3.2 Pilares

43
10.3.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil I da Açominas

Perfil: W 360 44
Aço: ASTM A572 GR50 fy = 345 MPa fu = 450 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 4,5 m KzLz = 4,5 m
KyLy = 9 m Lb = 4,5 m

1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida


0,01 m² Área líquida da seção transversal

0,01 m² Área líquida efetiva da seção transversal

180968,18 kgf Resistência de escoamento

192333,33 kgf Resistência à ruptura

180968,18 kgf Força normal resistente de cálculo à tração

0,00 < 1,00 OK!

44
2. Cálculo da Compressão

298720,03 kgf

79736,66 kgf

159465,24 kgf

1,00

159465,24 kgf
79736,66 kgf
0,92 Fator de redução associado à instabilidade local

199065,00 kgf

1,51

0,38

63571,86 kgf

0,07 < 1,00 OK!

3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

10350000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

26359,85 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

3.1. FLT - Flambagem Lateral com Torção

119,36 Parâmetro de esbeltez

42,38 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação


0,05

120,21 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início


do escoamento

16819,93 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento


1,53 Fator de modificação para diagrama de momento fletor não-uniforme

45
25980,51 kgf.m Momento fletor de
flambagem elástica

então

25893,95 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLT

3.2. FLM - Flambagem Local da Mesa

8,72 Parâmetro de esbeltez

9,15 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

23,89 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

63135,84 kgf.m Momento fletor de flambagem elástica

então

26359,85 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

3.3. FLA - Flambagem Local da Alma

48,17 Parâmetro de esbeltez

90,53 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

137,24 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

24028,47 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento

então

26359,85 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

25893,95 kgf.m Momento fletor resistente característico

23539,96 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,59 < 1,00 OK!

4. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Z

46
10350000,00 kgf/m² Tensão residual
0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

5079,69 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

4.1. FLM - Flambagem Local da Mesa

8,72 Parâmetro de esbeltez

9,15 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

23,89 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

5079,69 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

5079,69 kgf.m Momento fletor resistente característico

4617,90 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,00 < 1,00 OK!

5. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Y

17,45 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

59,22 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

73,76 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

46136,45 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

41942,23 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Y

0,00 < 1,00 OK!

6. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Z

48,17 Parâmetro de esbeltez


47
5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

59,22 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

73,76 Parâmetro de esbeltez limite para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

50276,16 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

45705,60 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Z

0,08 < 1,00 OK!

7. Equações de Interação

0,60

0,63

mCalc_Perfis - Stabile Engenharia Ltda. - www.stabile.com.br

11 DIMENSIONAMENTO DOS CONTRAVENTAMENTOS, VIGAS DE


TRABAMENTO E PILARES DE OITÃO

11.1 Geometria

48
11.2 Dimensionamento

11.2.1 Contraventamentos

49
11.2.1.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil Ferro redondo

Perfil: RED 12.7


Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 0,01 m KzLz = 0,01 m
KyLy = 0,01 m Lb = 0,01 m

1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida


0,00 m² Área líquida da seção transversal

0,00 m² Área líquida efetiva da seção transversal

2879,02 kgf Resistência de escoamento

2879,02 kgf Força normal resistente de cálculo à tração

0,00 < 1,00 OK!

2. Cálculo da Compressão

50
2520661,47 kgf

2520661,47 kgf
2520661,47 kgf
1,00 Fator de redução associado à instabilidade local

3166,92 kgf

0,04

1,00

2877,51 kgf

0,00 < 1,00 OK!

mCalc_Perfis - Stabile Engenharia Ltda. - www.stabile.com.br

11.2.2 Vigas de Travamento

51
11.2.2.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil U laminado

Perfil: UULM 101.6 7.95 130


Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 5,7 m KzLz = 5,7 m
KyLy = 5,7 m Lb = 5,7 m

1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida


0,00 m² Área líquida da seção transversal

0,00 m² Área líquida efetiva da seção transversal

45909,09 kgf Resistência de escoamento

59851,85 kgf Resistência à ruptura

45909,09 kgf Força normal resistente de cálculo à tração

0,00 < 1,00 OK!


52
2. Cálculo da Compressão

5594,50 kgf

5594,50 kgf

14784,45 kgf

0,62

4738,12 kgf
4738,12 kgf
0,74 Fator de redução associado à instabilidade local

22171,36 kgf

1,86

0,25

7555,15 kgf

0,00 < 1,00 OK!

3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

7500000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

1805,36 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

3.1. FLT - Flambagem Lateral com Torção

73,60 Parâmetro de esbeltez

49,78 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação


0,04

195,03 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início


do escoamento

1098,92 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento


1,57 Fator de modificação para diagrama de momento fletor não-uniforme

53
1805,36 kgf.m Momento fletor de
flambagem elástica

então

1805,36 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLT

3.2. FLM - Flambagem Local da Mesa

5,35 Parâmetro de esbeltez

10,75 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

28,06 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

15156,88 kgf.m Momento fletor de flambagem elástica

então

1805,36 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

3.3. FLA - Flambagem Local da Alma

18,95 Parâmetro de esbeltez

106,35 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

161,22 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

1569,88 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento

então

1805,36 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

1805,36 kgf.m Momento fletor resistente característico

1641,24 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,00 < 1,00 OK!

4. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Z

54
7500000,00 kgf/m² Tensão residual
0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

324,68 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

4.1. FLM - Flambagem Local da Mesa

5,35 Parâmetro de esbeltez

10,75 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

39,60 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

324,68 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

4.2. FLA - Flambagem Local da Alma

5,35 Parâmetro de esbeltez

31,68 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

39,60 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

324,68 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

324,68 kgf.m Momento fletor resistente característico

590,32 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,40 < 1,00 OK!

5. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Y

5,35 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

55
5936,43 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

21587,02 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Y

0,00 < 1,00 OK!

6. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Z

18,95 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

69,57 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

86,65 Parâmetro de esbeltez limite para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

9022,50 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

16404,55 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Z

0,00 < 1,00 OK!

7. Equações de Interação

0,40

0,40

mCalc_Perfis - Stabile Engenharia Ltda. - www.stabile.com.br

56
11.2.3 Pilares de Oitão

57
11.2.3.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil I da Açominas

Perfil: W 360 44
Aço: ASTM A572 GR50 fy = 345 MPa fu = 450 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 4,5 m KzLz = 4,5 m
KyLy = 9 m Lb = 4,5 m

1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida


0,01 m² Área líquida da seção transversal

0,01 m² Área líquida efetiva da seção transversal

180968,18 kgf Resistência de escoamento

192333,33 kgf Resistência à ruptura

180968,18 kgf Força normal resistente de cálculo à tração

0,00 < 1,00 OK!

2. Cálculo da Compressão

298720,03 kgf

79736,66 kgf

159465,24 kgf

1,00

159465,24 kgf
79736,66 kgf
0,92 Fator de redução associado à instabilidade local

199065,00 kgf

1,51

58
0,38

63571,86 kgf

0,05 < 1,00 OK!

3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

10350000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

26359,85 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

3.1. FLT - Flambagem Lateral com Torção

119,36 Parâmetro de esbeltez

42,38 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação


0,05

120,21 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início


do escoamento

16819,93 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento


1,86 Fator de modificação para diagrama de momento fletor não-uniforme

26359,85 kgf.m Momento fletor de


flambagem elástica

então

26359,85 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLT

3.2. FLM - Flambagem Local da Mesa

8,72 Parâmetro de esbeltez

9,15 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

23,89 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

63135,84 kgf.m Momento fletor de flambagem elástica

então
59
26359,85 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

3.3. FLA - Flambagem Local da Alma

48,17 Parâmetro de esbeltez

90,53 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

137,24 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

24028,47 kgf.m Momento fletor correspondente ao início do escoamento

então

26359,85 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLA

26359,85 kgf.m Momento fletor resistente característico

23963,50 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,44 < 1,00 OK!

4. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Z

10350000,00 kgf/m² Tensão residual


0,00 m³ Módulo resistente elástico
0,00 m³ Módulo resistente plástico

5079,69 kgf.m Momento fletor de plastificação da seção

4.1. FLM - Flambagem Local da Mesa

8,72 Parâmetro de esbeltez

9,15 Parâmetro de esbeltez correspondente à plastificação

23,89 Parâmetro de esbeltez correspondente ao início do escoamento

então

5079,69 kgf.m Momento fletor resistente característico para o estado limite FLM

5079,69 kgf.m Momento fletor resistente característico

4617,90 kgf.m Momento fletor resistente de cálculo

0,31 < 1,00 OK!


60
5. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Y

17,45 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

59,22 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

73,76 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

46136,45 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

41942,23 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Y

0,00 < 1,00 OK!

6. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Z

48,17 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

59,22 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

73,76 Parâmetro de esbeltez limite para início de escoamento


0,00 m² Área efetiva de cisalhamento

50276,16 kgf Força cortante correspondente à plastificação

então

45705,60 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Z

0,07 < 1,00 OK!

7. Equações de Interação

0,75

0,77

61
12 RESULTADOS - RELATÓRIO DIMENSIONAMENTO

13 RESULTADOS - DIAGRAMAS

13.1 Combinação 01

ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:


-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

62
ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:
-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

13.2 Combinação 02

ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:


-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

63
ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:
-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

13.3 Combinação 03

ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:


-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

64
ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:
-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

13.4 Combinação 04

ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:


-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

65
ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:
-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

13.5 Combinação 05

ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:


-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

66
ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:
-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

13.6 Combinação 06

ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:


-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

67
ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:
-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

13.7 Combinação 07

ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:


-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

68
ANEXO C - Galpões em geral e edifícios de um pavimento:
-Deslocamento horizontal do topo dos pilares em relação à base: H/300 = 9000/300 = 30mm

14 RESULTADOS – RELATÓRIO ANÁLISE LINENAR

14.1 Combinação 01

69
14.2 Combinação 02

14.3 Combinação 03

70
14.4 Combinação 04

14.5 Combinação 05

71
14.6 Combinação 06

14.7 Combinação 07

72
15 DIMENSIONAMENTO DAS TERÇAS E MÃOS- FRANCESAS

15.1 Inserção de dados no software mCalc3D 4

73
74
75
76
77
78
15.2 Terças Cobertura

79
80
81
PERFIL DA MÃO FRANCESA

PERFIL DA TERÇA

82
15.2.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

1.DADOS GEOMÉTRICOS

Aplicação: Cobertura de Cotraventamento, tipo 2 água

Perfil: Tipo U

Sistema: Terça com mão francesa

Características: Largura: 23.00m; Comprimento: 57.00m; Posição da Cumeeira: 11.88m; Pé direito: 10.84m;
Inclinação do Telhado: 9.00%; 1 linhas de correntes;

Modulação: 10 módulos(5.70)

Água Esquerda: 6 interterças(1.99;1.99;1.99;1.99;1.99;1.99)

6 interterças(1.99;1.99;1.99;1.99;1.99;1.99)

2.CARREGAMENTO
Aplicação: Telha: peso próprio de 12.00 kgf/m2

Sobrecarga: 25.00 kgf/m2

Pressão Dinâmica: 57.36 kgf/m2

Força de Compressão: 0 kgf

Ações Lineares: Interterça adotado: 1.99 m

Ação Perm.: -26.89 kgf/m

Utilidades: 0 kgf/m

Sobrecarga: -49.75 kgf/m

Vento 90°: 34.24 kgf/m

Vento 0°: 34.24 kgf/m, 0 kgf

PI/90°: -34.24 kgf/m

PI/0°: -34.24 kgf/m

Coef. aerodinâmicos: Vento 90º - Coef. forma externo: 0 - Coef. pressão interna: -0.30

Vento 0º - Coef. forma externo: 0 - Coef. pressão interna: -0.30

3.ANÁLISE

Combinações de Ações: Combinação 1: 1.35*Ação Perm. + 1.35*Utilidades + 1.50*Sobrecarga = -110.93 kgf/m

Combinação 2: 1.00*Ação Perm. + 1.40*Vento 90° + 1.40*PI/90° = -26.89 kgf/m

Combinação 3: 1.00*Ação Perm. + 1.40*Vento 0° + 1.40*PI/0° = -26.89 kgf/m


P = 1.40*Vento 0° = 0 kgf

4.RESULTADOS DA ANÁLISE

Diagrama de Momentos Fletores na terça

83
Valores máximos:
Tramo 1 -102.79 kgf.m Apoio 1 1.4E-6 kgf.m

Apoio 2 4.4E-6 kgf.m

Diagrama de Esforços Cortantes na terça

Valores máximos:
Apoio 1 Direita -52.28 kgf

Apoio 2 Esquerda 51.87 kgf

Diagrama de Esforços Normais na terça

Valores máximos:
Primeiro tramo 0.22 kgf

Diagrama de Deformada

Combinação 1

84
Combinação 2

Combinação 3

Reações de apoio

Valores máximos:

5.DIMENSIONAMENTO
Perfis Adotados: Tramos:[ 100 x 50 x 2
Flexão: Sd/Rd=0.63; Corte: Sd/Rd=0.09; Compressão: Sd/Rd=0.09;

Cantoneira:L 80 x 3
Compressão: Sd/Rd=0.22;

6.LISTA DE PERFIS

Descrição Perfil Comp. Unitário(mm)


Quantidade

7 Terça1 [ 100 x 50 x 2 5699

7 Terça2 [ 100 x 50 x 2 5699

7 Terça3 [ 100 x 50 x 2 5699

7 Terça4 [ 100 x 50 x 2 5699

7 Terça5 [ 100 x 50 x 2 5699

7 Terça6 [ 100 x 50 x 2 5699

85
7 Terça7 [ 100 x 50 x 2 5699

7 Terça8 [ 100 x 50 x 2 5699

7 Terça9 [ 100 x 50 x 2 5699

7 Terça10 [ 100 x 50 x 2 5699

140 M.F.1 L 80 x 3 3043

7.RELAÇÃO DE MATERIAL
Aço empregado: ASTM A36, fy = 250.00 MPa

[ 100 x 50 x 2 399.00 m, 1202.75 kgf


L 80 x 3 426.15 m, 1545.53 kgf

Peso total: 2748.27 kgf

Peso unitário: 4.19 kgf/m²

MEMÓRIA DE CÁLCULO: Terça

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil U (Formado a frio)

Perfil: [ 100 x 50 x 2
Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 2,85 m KzLz = 2,85 m
KyLy = 5,7 m Lb = 2,85 m

8.1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida

8727,27 kgf Resistência de escoamento

9309,09 kgf Resistência à ruptura

8727,27 kgf Resistência à tração

0,01 < 1,00 OK!

8.2. Cálculo da Compressão

3697,00 kgf

2355,53 kgf

2893,34 kgf

86
0,66

2041,91 kgf
2041,91 kgf

2,17

0,19

a) Cálculo da resistência à compressão devido à flambagem global

0,00 m² Área efetiva devido à flambagem global

1492,30 kgf Resistência à compressão devido à flambagem global

b) Cálculo da resistência à compressão devido à flambagem local

0,00 m² Área efetiva devido à flambagem local

6102,37 kgf Resistência à compressão devido à flambagem local

1492,30 kgf Força normal resistente de cálculo à compressão

0,09 < 1,00 OK!

8.3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

8.3.1. Cálculo do momento resistente devido ao início do escoamento efetivo

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Y
0,00 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

0,05 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo

216,46 kgf.m Resistência de cálculo à flexão para o início do escoamento

8.3.2. Cálculo do momento resistente devido ao estado limite Flambagem Lateral com Torção

266,26 kgf.m Momento fletor de flambagem lateral com torção


0,00 m³ Módulo de resistência elástico da seção bruta em relação à fibra comprimida

1,07 então

87
0,76 Fator de redução associado à flambagem lateral com torção

Cálculo de na tensão 18934510,05 kgf/m²

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Y
0,00 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

0,05 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo

173,09 kgf.m Resistência de cálculo à flexão para o estado limite FLT

173,09 kgf.m Resistência de cálculo à flexão em relação ao eixo Y

0,62 < 1,00 OK!

8.3. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Z

46,00 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

68,31 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

88,54 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento então

2509,09 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Z

0,08 < 1,00 OK!

MEMÓRIA DE CÁLCULO: Mão francesa

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil Cantoneira (Formado a frio)

Perfil: L 80 x 3
Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 3,04 m KzLz = 3,04 m
KyLy = 3,04 m Lb = 3,04 m

9.1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida

88
10500,00 kgf Resistência de escoamento

11200,00 kgf Resistência à ruptura

10500,00 kgf Resistência à tração

0,00 < 1,00 OK!

9.2. Cálculo da Compressão

10309,00 kgf

2435,15 kgf

5293,02 kgf

0,62

4194,31 kgf
2435,15 kgf

2,18

0,18

a) Cálculo da resistência à compressão devido à flambagem global

0,00 m² Área efetiva devido à flambagem global

1779,69 kgf Resistência à compressão devido à flambagem global

b) Cálculo da resistência à compressão devido à flambagem local

0,00 m² Área efetiva devido à flambagem local

5944,09 kgf Resistência à compressão devido à flambagem local

1779,69 kgf Força normal resistente de cálculo à compressão

0,22 < 1,00 OK!

89
15.3 Terças Laterais

90
91
15.3.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

1.DADOS GEOMÉTRICOS

Aplicação: Fechamento Lateral, tipo 2 água

Perfil: Tipo U

Sistema: Terça biapoiada

Características: Largura: 23.00m; Comprimento: 57.00m; Posição da Cumeeira: 11.88m; Pé direito: 9.00m;
Inclinação do Telhado: 9.00%; 1 linhas de correntes;

Modulação: 10 módulos(5.70)

Água Esquerda: 4 interterças(1.80;1.80;1.80;0.60)

4 interterças(1.80;1.80;1.80;0.60)

2.CARREGAMENTO
Aplicação: Telha: peso próprio de 12.00 kgf/m2

Sobrecarga: 25.00 kgf/m2

Pressão Dinâmica: 57.36 kgf/m2

Força de Compressão: 0 kgf

Ações Lineares: Interterça adotado: 1.80 m

92
Ação Perm.: -31.77 kgf/m

Vento 90°: 41.30 kgf/m

Vento 0°: 41.30 kgf/m, 0 kgf

PI/90°: -30.97 kgf/m

PI/0°: -30.97 kgf/m

Coef. aerodinâmicos: Vento 90º - Coef. forma externo: 0 - Coef. pressão interna: -0.30

Vento 0º - Coef. forma externo: 0 - Coef. pressão interna: -0.30

3.ANÁLISE

Combinações de Ações: Combinação 1: 1.40*Vento 90° + 1.40*PI/90° = 14.45 kgf/m

Combinação 2: 1.40*Vento 0° + 1.40*PI/0° = 14.45 kgf/m


P = 1.40*Vento 0° = 0 kgf

Combinação 3: 1.35*Ação Perm. = -42.88 kgf/m

4.RESULTADOS DA ANÁLISE

Diagrama de Momentos Fletores na terça

Valores máximos:
Tramo 1 174.17 kgf.m Apoio 1 7.7E-6 kgf.m

Apoio 2 1.7E-5 kgf.m

Diagrama de Esforços Cortantes na terça

Valores máximos:

93
Apoio 1 Direita 122.22 kgf

Apoio 2 Esquerda -122.22 kgf

Diagrama de Deformada

Combinação 1

Combinação 2

Combinação 3

Reações de apoio

Valores máximos:

5.DIMENSIONAMENTO
Perfis Adotados: [ 200 x 100 x 3.35

6.LISTA DE PERFIS

Descrição Perfil Comp. Unitário(mm)


Quantidade

5 Terça1 [ 200 x 100 x 3.35 5699

5 Terça2 [ 200 x 100 x 3.35 5699

94
5 Terça3 [ 200 x 100 x 3.35 5699

5 Terça4 [ 200 x 100 x 3.35 5699

5 Terça5 [ 200 x 100 x 3.35 5699

5 Terça6 [ 200 x 100 x 3.35 5699

5 Terça7 [ 200 x 100 x 3.35 5699

5 Terça8 [ 200 x 100 x 3.35 5699

5 Terça9 [ 200 x 100 x 3.35 5699

5 Terça10 [ 200 x 100 x 3.35 5699

7.RELAÇÃO DE MATERIAL
Aço empregado: ASTM A36, fy = 250.00 MPa

[ 200 x 100 x 3.35 285.00 m, 2897.48 kgf

Peso total: 2897.48 kgf

Peso unitário: 4.42 kgf/m²

MEMÓRIA DE CÁLCULO: Terça

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil U (Formado a frio)

Perfil: [ 200 x 100 x 3.35


Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 2,85 m KzLz = 2,85 m
KyLy = 5,7 m Lb = 2,85 m

8.1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida

29434,32 kgf Resistência de escoamento

31396,61 kgf Resistência à ruptura

29434,32 kgf Resistência à tração

0,00 < 1,00 OK!

8.2. Cálculo da Compressão

50288,87 kgf

31935,82 kgf

95
22908,28 kgf

0,66

19007,70 kgf
19007,70 kgf

1,31

0,49

a) Cálculo da resistência à compressão devido à flambagem global

0,00 m² Área efetiva devido à flambagem global

11210,23 kgf Resistência à compressão devido à flambagem global

b) Cálculo da resistência à compressão devido à flambagem local

0,00 m² Área efetiva devido à flambagem local

17925,27 kgf Resistência à compressão devido à flambagem local

11210,23 kgf Força normal resistente de cálculo à compressão

0,00 < 1,00 OK!

8.3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

8.3.1. Cálculo do momento resistente devido ao início do escoamento efetivo

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Y
0,01 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

0,11 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo

1364,20 kgf.m Resistência de cálculo à flexão para o início do escoamento

8.3.2. Cálculo do momento resistente devido ao estado limite Flambagem Lateral com Torção

3711,58 kgf.m Momento fletor de flambagem lateral com torção


0,00 m³ Módulo de resistência elástico da seção bruta em relação à fibra comprimida

96
0,75 então

0,94 Fator de redução associado à flambagem lateral com torção

Cálculo de na tensão 23448891,28 kgf/m²

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Y
0,01 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

0,11 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo

1295,31 kgf.m Resistência de cálculo à flexão para o estado limite FLT

1295,31 kgf.m Resistência de cálculo à flexão em relação ao eixo Y

0,05 < 1,00 OK!

8.4. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Z

8.4.1. Cálculo do momento resistente devido ao início do escoamento efetivo

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Z
0,00 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

0,07 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo

407,32 kgf.m Resistência de cálculo à flexão em relação ao eixo Z

8.4.2. Cálculo do momento resistente devido ao estado limite Flambagem Lateral com Torção

-1,00
1,00
0,12 m Parâmetro da seção transversal conforme Anexo E - NBR 14762:2010

1013,80 kgf.m Momento fletor de flambagem lateral com torção


0,00 m³ Módulo de resistência elástico da seção bruta em relação à fibra comprimida

0,66 então

0,97 Fator de redução associado à flambagem lateral com torção

97
Cálculo de na tensão 24340586,28 kgf/m²

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Z
0,00 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

0,07 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo

396,57 kgf.m Resistência de cálculo à flexão para o estado limite FLT

396,57 kgf.m Resistência de cálculo à flexão em relação ao eixo Y

0,11 < 1,00 OK!

8.5. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Y

27,85 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

68,31 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

88,54 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento então

8524,23 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Y

0,01 < 1,00 OK!

98
15.4 Terças de Oitão

99
100
15.4.1 Relatório de dimensionamento gerado pelo mCalc3D4

1.DADOS GEOMÉTRICOS

Aplicação: Fechamento Lateral, tipo 2 água

Perfil: Tipo U

Sistema: Terça biapoiada

Características: Largura: 23.00m; Comprimento: 57.00m; Posição da Cumeeira: 11.88m; Pé direito: 9.00m;
Inclinação do Telhado: 9.00%; 1 linhas de correntes;

Modulação: 10 módulos(5.75)

Água Esquerda: 4 interterças(1.80;1.80;1.80;0.60)

4 interterças(1.80;1.80;1.80;0.60)

2.CARREGAMENTO
Aplicação: Telha: peso próprio de 12.00 kgf/m2

Sobrecarga: 25.00 kgf/m2

Pressão Dinâmica: 57.36 kgf/m2

Força de Compressão: 0 kgf

Ações Lineares: Interterça adotado: 1.80 m

Ação Perm.: -31.77 kgf/m

101
Vento 90°: 25.81 kgf/m

Vento 0°: 25.81 kgf/m, 0 kgf

PI/90°: -30.97 kgf/m

PI/0°: -30.97 kgf/m

Coef. aerodinâmicos: Vento 90º - Coef. forma externo: 0 - Coef. pressão interna: -0.30

Vento 0º - Coef. forma externo: 0 - Coef. pressão interna: -0.30

3.ANÁLISE

Combinações de Ações: Combinação 1: 1.40*Vento 90° + 1.40*PI/90° = -7.23 kgf/m

Combinação 2: 1.40*Vento 0° + 1.40*PI/0° = -7.23 kgf/m


P = 1.40*Vento 0° = 0 kgf

Combinação 3: 1.35*Ação Perm. = -42.88 kgf/m

4.RESULTADOS DA ANÁLISE

Diagrama de Momentos Fletores na terça

Valores máximos:
Tramo 1 177.24 kgf.m Apoio 1 -4.9E-5 kgf.m

Apoio 2 -5.4E-5 kgf.m

Diagrama de Esforços Cortantes na terça

Valores máximos:
Apoio 1 Direita 123.29 kgf

102
Apoio 2 Esquerda -123.29 kgf

Diagrama de Deformada

Combinação 1

Combinação 2

Combinação 3

Reações de apoio

Valores máximos:

5.DIMENSIONAMENTO
Perfis Adotados: [ 200 x 100 x 3.35
Flexão: Sd/Rd=0.12; Corte: Sd/Rd=0;

6.LISTA DE PERFIS

Descrição Perfil Comp. Unitário(mm)


Quantidade

5 Terça1 [ 200 x 100 x 3.35 5750

5 Terça2 [ 200 x 100 x 3.35 5750

5 Terça3 [ 200 x 100 x 3.35 5750

103
5 Terça4 [ 200 x 100 x 3.35 5750

7.RELAÇÃO DE MATERIAL
Aço empregado: ASTM A36, fy = 250.00 MPa

[ 200 x 100 x 3.35 285.00 m, 2897.48 kgf

Peso total: 2897.48 kgf

Peso unitário: 4.42 kgf/m²

MEMÓRIA DE CÁLCULO: Terça

Conforme NBR 8800:2008 e NBR 14762:2010

Perfil U (Formado a frio)

Perfil: [ 200 x 100 x 3.35


Aço: ASTM A36 fy = 250 MPa fu = 400 MPa

COMPRIMENTOS DA BARRA
KxLx = 2,88 m KzLz = 2,88 m
KyLy = 5,75 m Lb = 2,88 m

8.1. Cálculo da Tração

1,00 Coeficiente de redução da área líquida

29434,32 kgf Resistência de escoamento

31396,61 kgf Resistência à ruptura

29434,32 kgf Resistência à tração

0,00 < 1,00 OK!

8.2. Cálculo da Compressão

49418,08 kgf

31382,82 kgf

22570,37 kgf

0,66

18716,83 kgf
18716,83 kgf

104
1,32

0,48

a) Cálculo da resistência à compressão devido à flambagem global

0,00 m² Área efetiva devido à flambagem global

11124,71 kgf Resistência à compressão devido à flambagem global

b) Cálculo da resistência à compressão devido à flambagem local

0,00 m² Área efetiva devido à flambagem local

17925,27 kgf Resistência à compressão devido à flambagem local

11124,71 kgf Força normal resistente de cálculo à compressão

0,00 < 1,00 OK!

8.3. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Y

8.3.1. Cálculo do momento resistente devido ao início do escoamento efetivo

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Y
0,01 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

0,11 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo

1364,20 kgf.m Resistência de cálculo à flexão para o início do escoamento

8.3.2. Cálculo do momento resistente devido ao estado limite Flambagem Lateral com Torção

3652,03 kgf.m Momento fletor de flambagem lateral com torção


0,00 m³ Módulo de resistência elástico da seção bruta em relação à fibra comprimida

0,75 então

0,94 Fator de redução associado à flambagem lateral com torção

Cálculo de na tensão 23378750,96 kgf/m²

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Y
0,01 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

105
0,11 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo

1292,18 kgf.m Resistência de cálculo à flexão para o estado limite FLT

1292,18 kgf.m Resistência de cálculo à flexão em relação ao eixo Y

0,02 < 1,00 OK!

8.4. Cálculo da Resistência à Flexão - eixo Z

8.4.1. Cálculo do momento resistente devido ao início do escoamento efetivo

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Z
0,00 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

0,07 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo

407,32 kgf.m Resistência de cálculo à flexão em relação ao eixo Z

8.4.2. Cálculo do momento resistente devido ao estado limite Flambagem Lateral com Torção

-1,00
1,00
0,12 m Parâmetro da seção transversal conforme Anexo E - NBR 14762:2010

998,63 kgf.m Momento fletor de flambagem lateral com torção


0,00 m³ Módulo de resistência elástico da seção bruta em relação à fibra comprimida

0,67 então

0,97 Fator de redução associado à flambagem lateral com torção

Cálculo de na tensão 24288796,59 kgf/m²

0,00 m² Área efetiva da seção


0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo Z
0,00 m Rebaixamento total do eixo baricêntrico

0,07 m Posição final do eixo baricêntrico

0,00 m4 Momento de inércia efetivo da seção em relação ao eixo baricêntrico

0,00 m³ Módulo elástico efetivo


106
395,73 kgf.m Resistência de cálculo à flexão para o estado limite FLT

395,73 kgf.m Resistência de cálculo à flexão em relação ao eixo Y

0,11 < 1,00 OK!

8.5. Cálculo da Resistência ao cortante - eixo Y

27,85 Parâmetro de esbeltez


5,00 Coeficiente de flambagem local por cisalhamento

68,31 Parâmetro de esbeltez limite para plastificação

88,54 Parâmetro de esbeltez limite para para início de escoamento então

8524,23 kgf Resistência ao esforço cortante em relação ao eixo Y

0,01 < 1,00 OK!

107