Вы находитесь на странице: 1из 8

Acadêmico(a) __________________________________________________________

Turma: _______________________________________________________________

Capítulo 7: Limites

7.1. Noção Intuitiva de limite

Considere a função 𝑓(𝑥), em que 𝑓(𝑥) = 2𝑥 + 1. Para valores de x que se


aproxima de 1, por valores maiores que 1 (Direita) e por valores menores que 1
(Esquerda), tem valores respectivos para y.

Figura 1. Representação da aproximação de um pela direita e pela esquerda.

Figura 2. Valores de y para aproximação de x pela direita e pela esquerda.

Nota-se que a medida que x aproxima-se de 1, y aproxima-se de 3. Logo, quando


x tende a 3 (𝑥 → 1),y tende a 3 (𝑦 → 3). Assim pode-se dizer que o limite da função
para 𝑥 → 1 é igual a 3.

lim (2𝑥 + 1) = 3
𝑥→1

De forma genérica:

lim 𝑓(𝑥) = 𝑏
𝑥→𝑎
Definição: Uma função 𝑓(𝑥) tem limite b quando x tenda a a, se é possível tornar 𝑓(𝑥)
arbitrariamente próximo de b, desde que adota-se valores de x, x ≠ a suficientemente
próximo de a (por ambos os lados de a).

7.2 Propriedades

1ª) lim𝑥→𝑎 [𝑓(𝑥) ± 𝑔(𝑥)] = lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥) ± lim𝑥→𝑎 𝑔(𝑥)

O limite da soma é a soma dos limites.

O limite da diferença é a diferença dos limites.

Exemplo:

lim[𝑥 2 + 3𝑥 3 ] = lim 𝑥 2 + lim 3𝑥 3 = 1 + 3 = 4


𝑥→1 𝑥→1 𝑥→1

2ª) lim𝑥→𝑎 [𝑓(𝑥) ∗ 𝑔(𝑥)] = lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥) ∗ lim𝑥→𝑎 𝑔(𝑥) ⁡

O limite do produto é o produto dos limites.

Exemplo

lim [3𝑥 3 ∗ cos 𝑥] = lim 3𝑥 3 ∗ lim cos 𝑥 = 3𝜋 3 ∗ cos 𝜋 = −3𝜋 3 ⁡


𝑥→𝜋 𝑥→𝜋 𝑥→𝜋

𝑓(𝑥) lim 𝑓(𝑥)


3ª) lim𝑥→𝑎 𝑔(𝑥) = ⁡ lim𝑥→𝑎 𝑔(𝑥)
𝑥→𝑎

O limite do quociente é o quociente dos limites desde que o denominador não seja zero.

Exemplo:

cos 𝑥 lim cos 𝑥 cos 0 1


𝑥→0
lim 2
= ⁡ 2
= 2 = =1
𝑥→0 𝑥 + 1 lim 𝑥 + 1 0 + 1 1
𝑥→0

4ª) lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥)𝑛 = (lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥) 𝑛

Exemplo:
lim (𝑥 2 + 1)3 = lim (𝑥 2 + 1)3 = (12 + 1)3 = 8
𝑥→1 𝑥→1
𝑛 𝑛
5ª) lim𝑥→𝑎 √𝑓(𝑥) = √lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥)
Exemplo:

lim √𝑥 2 + 1 = √lim 𝑥 2 + 1 = √22 + 1 = √5


𝑥→2 𝑥→2

6ª) lim𝑥→𝑎 [ln 𝑓(𝑥)] = ln [lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥)], para lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥) > 0
Exemplo:
lim [ln 𝑥 2 ] = ln [lim 𝑥 2 ] = ln 𝑒 2 = 2
𝑥→𝑒 𝑥→𝑒

7ª) lim𝑥→𝑎⁡ [𝑠𝑒𝑛⁡𝑓(𝑥)] = 𝑠𝑒𝑛[lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥)]


Exemplo:
lim [𝑠𝑒𝑛⁡(𝑥 2 + 3𝑥)] = 𝑠𝑒𝑛[lim(𝑥 2 + 3𝑥)] = 𝑠𝑒𝑛⁡4
𝑥→1⁡ 𝑥→1

8ª) lim𝑥→𝑎 𝑒 𝑓(𝑥) = 𝑒 lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥)


Exemplo:
2 +3𝑥 lim 𝑥 2 +3𝑥⁡
lim 𝑒 𝑥 = 𝑒 𝑥→1 = 𝑒4
𝑥→1

7.3 Limites laterais

Definição Limite à direita: Se 𝑓(𝑥) tende para 𝐿1 quando x tende para a através de
valores maiores que a diz-se que 𝐿1 é o limite de 𝑓(𝑥) quando x tende para a pela
direita e indica-se por lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥) = 𝐿1 .

Definição Limite à esquerda: Se 𝑓(𝑥) tende para 𝐿2 quando x tende para a através de
valores menores que a diz-se que 𝐿2 é o limite de 𝑓(𝑥) quando x tende para a pela
esquerda e indica-se por lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥) = 𝐿2 .

O limite de 𝑓(𝑥) para 𝑥 → 𝑎 existe se, e somente se, os limites laterais à


esquerda e a esquerda são iguais, ou seja:

Se⁡lim𝑥→𝑎+ 𝑓(𝑥) = lim𝑥→𝑎− 𝑓(𝑥) = 𝑏, então lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥) = 𝑏


Exemplo: Considere a função

2
𝑓(𝑥) = {𝑥 − 1⁡⁡𝑠𝑒⁡𝑥 ≤ −2
2𝑥 + 7⁡𝑠𝑒⁡𝑥 > −2

Determinar lim𝑥→−2− 𝑓(𝑥) , lim𝑥→−2+ 𝑓(𝑥).

𝑓(𝑥) = 𝑥 2 − 1⁡𝑝𝑎𝑟𝑎⁡𝑥 ≤ 2, ou seja x a esquerda de –2

𝑓(𝑥) = 2𝑥 − 7⁡𝑝𝑎𝑟𝑎⁡𝑥 > −2, ou seja x a direita de -2

Para limite a esquerda de -2

lim (𝑥 2 − 1) = (−2)2 − 1 = 3
𝑥→−2−

Para limite a direita de -2

lim (2𝑥 − 7) = 2. (−2) + 7 = 3


𝑥→−2+

Como os limites laterais são iguais, existe um limite para função.

7.4 Continuidade

Dizemos que uma função 𝑓(𝑥) é contínua num ponto a do seu domínio se as
seguintes condições são satisfeitas:

a) Existir 𝑓(𝑎)
b) Existir lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥)
c) lim𝑥→𝑎 𝑓(𝑥) = 𝑓(𝑎)

Exemplo: Verificar se a função abaixo é continua em x = 2

7𝑥 − 6⁡𝑠𝑒𝑥 < 2
𝑓(𝑥) {
2𝑥 2 ⁡𝑠𝑒⁡𝑥 ≥ 2

Verificar se lim𝑥→2 𝑓(𝑥) = 𝑓(𝑎).

Inicialmente observa-se que 𝑓(𝑥) = 2𝑥 2 para 𝑥 ≥ 2, assim 𝑓(2) = 8.

Agora calcula-se os limites laterais, logo:

lim𝑥→2+ 𝑓(𝑥) = lim𝑥→2+ 2𝑥 2 = 2.22 = 8 e

lim 𝑓(𝑥) = lim− 7𝑥 − 6 = 7 ∗ 2 − 6 = 8


𝑥→2− 𝑥→2

lim𝑥→2 𝑓(𝑥) = 𝑓(2), portanto, 𝑓(𝑥) é contínua em x = 2


7.4.1 Propriedades das funções contínuas

Se 𝑓(𝑥) e 𝑔(𝑥) são contínuas em 𝑥 = 𝑎, então:

a) 𝑓(𝑥) ± 𝑔(𝑥)é contínua em a

b) 𝑓(𝑥) ∗ 𝑔(𝑥)é contínua em a

𝑓(𝑥)
c) é contínua em a
𝑔(𝑥)

Os seguintes tipos de funções são contínuas para todo o número de seus domínios:
Polinômios Funções racionais

Funções raízes Funções trigonométricas

Funções trigonométricas inversas Funções exponenciais

Funções logarítmicas

7.5 Limites infinitos

Conforme sabemos, a expressão 𝑥 → ∞ (x tende para infinito) significa que x assume


valores superiores a qualquer número real e 𝑥 → −∞ (x tende para menos infinitos), da
mesma forma, indica que x assume valores menores que qualquer número real.

lim𝑥→+∞ 𝑓(𝑥) = 0 ou lim𝑥→−∞ 𝑓(𝑥) = 0, ou seja, a medida que x aumenta ou diminui


respectivamente, y tende a zero e o limite é zero.

lim𝑥→0+ 𝑓(𝑥) = ∞, ou seja, quando x tende a zero por valores maiores que zero, y tende
ao infinito e o limite é infinito.

lim𝑥→0− 𝑓(𝑥) = −∞, ou seja, quando x tende a zero por valores menores que zero, y
tende para menos infinito.

Exemplo:

1
lim𝑥→0+ 𝑥 = +∞, pois a medida que x tende a zero por valores maiores que 0, y tende a

infinito.
Tabela 1. Demonstração dos valores de y a medida de que x tende a zero.

𝑥 1
𝑦=
𝑥
1 1
0,5 2
0,1 10
0,01 100
0,001 1000
0.0001 10000
0.00001 100000
0.000001 1000000
0.0000001 10000000

7.6 Limites exponenciais

1 𝑥
Considere o limite lim𝑥→∞ 𝑓(𝑥), em que 𝑓(𝑥) = (1 + 𝑥) , logo:

1 𝑥
lim (1 + ) = 𝑒
𝑥→∞ 𝑥

Em que e representa a base dos logaritimos ou neperianos. Trata-se do número


irracional e cujo valor aproximado é 2,7182818.

Tabela 2. Representação de y a medida que x tende ao infinito.

𝑥 1 𝑥
𝑦 = (1 + )
𝑥
1 2
2 2,25
3 2,3703
10 2,5937
100 2,7048
1000 2,7169
10000 2,7181
7.7 Teorema do Confronto

Se 𝑓(𝑥) ≤ 𝑔(𝑥) ≤ ℎ(𝑥) quando x está próximo de a, (exceto possivelmente em a) e os


limites f e g, ambos existem quando x tende a a, então:

lim 𝑓(𝑥) = lim ℎ(𝑥) = 𝐿


𝑥→𝑎 𝑥→𝑎

lim 𝑔(𝑥) = 𝐿
𝑥→𝑎

Lista de Exercícios – Limite:

1. Determine o limite infinito:

𝑥+2 𝑥+2
a) lim𝑥→−3− 𝑥+3⁡ b) lim𝑥→−3+ 𝑥+3⁡

2−𝑥 𝑒𝑥
c) lim𝑥→1 (𝑥−1)2 ⁡⁡ d) lim𝑥→5− (𝑥−5)3 ⁡

e) lim𝑥→3+ ln(𝑥 2 − 9)⁡ f)⁡lim𝑥→𝜋− cot 𝑥⁡

𝑥 2 −2𝑥 𝑥 2 −2𝑥+8
g) lim𝑥→2− 𝑥 2 −4𝑥+4⁡ g) lim𝑥→2− 𝑥 2 −5𝑥+6

2. Calcule os limites a seguir:

𝑥 3 +2𝑥 2 −1
a) lim𝑥→5 (2𝑥 2 − 3𝑥 + 4) b) lim𝑥→−2 5−3𝑥⁡

𝑥 2 −1 (3+𝑥)3 −9
c) lim𝑥→1 d) g) lim𝑥→0
𝑥−1⁡ 𝑥

√𝑡 2 +9−3
e) g) lim𝑥→0 𝑥2

3. Calcule o limite de g(x), quando x tende a 1,onde:

𝑥 + 1⁡⁡⁡⁡𝑠𝑒⁡𝑥 ≠ 1⁡⁡
𝑔(𝑥) = {
𝜋⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡𝑠𝑒⁡𝑥 = 1

4. Demostre que:

a) lim𝑥→0 |𝑥| = 0
|𝑥|
b) lim𝑥→0 , não existe
𝑥

1
c) lim𝑥→0 𝑥 2 𝑠𝑒𝑛 𝑥 = 0
5. Demonstre que a função 𝑓(𝑥) = 1 − √1 − 𝑥 2 é contínua no intervalor [−1,1]

6. Calcule o limite, se existir:

𝑥 2 −9
a)lim𝑥→−3 2𝑥 2 +7𝑥+3

𝑡 4 −1
b)lim𝑡→1 𝑡 3 −1

1 1
+
c) lim𝑥→−4 𝑥+44 𝑥

(𝑥+ℎ)3 −𝑥 3
d)limℎ→0

7. Encontre valores de a e b de forma que f seja continua em toda parte:

𝑥2 − 4
⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡𝑠𝑒⁡𝑥 < 2⁡⁡⁡⁡
𝑓(𝑥) { 2𝑥 − 2
𝑎𝑥 − 𝑏𝑥 + 3⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡𝑠𝑒⁡⁡2 ≤ 𝑥 < 3
2𝑥 − 𝑎 + 𝑏⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡⁡𝑠𝑒⁡𝑥 ≥ 3

8. Calcule os limites abaixo:


1
a) lim𝑥→−∞ 𝑒 𝑥

b) lim𝑥→∞ 𝑠𝑒𝑛⁡𝑥

c) lim𝑥→∞ (𝑥 2 − 𝑥)

𝑥 2 +2
d) lim𝑥→∞ 3−𝑥

1
e) lim𝑥→∞ 2𝑥+3

f) lim𝑥→∞ (𝑥 5 + 𝑥 4 )