Вы находитесь на странице: 1из 43

Sum

Sumário .....................................................................
...........................................................................................................................................
........................................................................ 1
1. INTRODUÇÃO ...............................................................................................................................
.................................................................................................................. ............. 3
1.1. Visão Geral Do Curso .............................................................................................................
............................................................................................................. 3
1.2. Obje i os o Curso ................................................................................................................
................................................................................................................ 3
2. CON IGUR ÇÃO ...........................................................................................................................
...........................................................................................................................
2.1. s ru ura os Dire rios ........................................................................................................
........................................................................................................
3. I SD R UIVOS ..............................................................
...............................................................................................................
.................................................
. GRUPOS D PR S S PR S S UNID D S D N G CIO I I IS ......................................
......................................
.1. Cria ão e m resas .............................................................................................................
.............................................................................................................
er io 1 .......................................................................................................
.............................................................................................................................
...................... 12
.2. u ori a ão e m resas .................................................................................................... 12
er io 2 .......................................................................................................
.............................................................................................................................
...................... 13
.3. u ori a ão e merg n ia .................................................................................................
................................................................................................. 13
. R UIVOS T S C POS ................................................................................................
................................................................................................ 1
.1. r ui o e Pergun
Perg un as S 1 ................................................................................................. 1
er io ...........................................................................................................
.................................................................................................................................
...................... 1
.2. a eamen o e r ui os S 2 ..........................................................................................
.......................................................................................... 1
er io ...........................................................................................................
.................................................................................................................................
...................... 1
.3. Crian o No os r ui os S 2 .............................................................................................
............................................................................................. 1
. . In luin o n i es ...................................................................
..................................................................................................................
............................................... 1
er io Crian o No os r ui os ......................................................................................
...................................................................................... 1
. . Tabelas Gen ri as S ....................................................................................................... 1
.......................................................................................................
er io Crian o abelas gen ri as ...................................................................................
................................................................................... 21
. . Di ionário e Da os S 3 ...................................................................
....................................................................................................
................................. 21
er io Crian o No os Cam os .............................................................
......................................................................................
......................... 23
er io Crian o No os Cam os u ili an o a lis a e o es e uma ali a ão. .............. 23
er io 1 Tes an o o am o asso ia o a abela gen ri a ................................................. 2
er io 11 Tes an o o am o om lis a e o es .............................................................
............................................................. 2
. CONSU T S P DRÃO S .......................................................................
........................................................................................................
................................. 2
er io 12 In luin o Consul as a rão ............................................................................... 2

Página 1
6.1. Consultas-padrão para Arquivos de Usuários .................................................................
.....................................................................
.... 25
Exercício 13 Criando Consultas-padrão para Arquivos de Usuários ......................................
...................................... 26
6.2. Consultas-Padrão Para rupos e Usuários ...................................................................
.......................................................................
.... 26
. E U E E A .......................................................................................................................
.................................................................................................................. ..... 2
.1. enus ...................................................................
.................................................................................................................................
.............................................................. 2
Exercício 15 Criando enus para os Usuários ...................................................................
.......................................................................
.... 2
.2. Política Privil gios e Usuários ............................................................................................
............................................................................................ 2
Exercício 16 Criando usuários ................................................................................................ 2
.3. rupos de Usuários ..........................................................
.............................................................................................................
................................................... 2
Exercício 1 Criando rupos de Usuários ...............................................................................
............................................................................... 2
. EP E A E ......................................................................................................... 2
.........................................................................................................
.1. Cadastros no eposit rio de agens ................................................................................
................................................................................ 2
Exercício 1 Utili ando agens do eposit rio de agens ................................................ 3
. PA E E .................................................................................................................
........................................................................ .........................................3
.1.Par etros x6 ..............................................................
..................................................................................................................
.................................................... 3
Exercício 1 Cadastrando ovos Par etros .........................................................................
......................................................................... 31
.2. og de egistros ..............................................................................................................
..................................................................................................................
.... 31
Exercício 2 Criando Ca pos para a Consulta de o g de egistros ....................................... 31
.3.Consultas aos Arquivos o g..........................................................
g..................................................................................................
........................................ 32
. . og de Ca po P .....................................................................................................
..................................................................................................... 33
Exercício 21 ................................................................................................................................
................................................................................................................................ 33
1 . C E U E .................................................................................................................................
............................................................................................................................ ..... 3
11. A ..................................................................................................................................3
..................................................................................................................................
Exercício 22 Criando Ca pos para utili a ão e atil os ....................................................
.................................................... 3
Exercício 23 Criando atil os..................................................................................................
os.................................................................................................. 3
Exercício 2 estando o novo atil o ...................................................................
..................................................................................
............... 3
12. A UA A P A A A C E A ..................................................
13. A UP ....................................................................
...................................................................................................................................
............................................................... 1
Exercício 25 estando as ups ....................................................................
..............................................................................................
.......................... 2
1 . UP E CA P ......................................................................................................
............................................................. ......................................... 3
Exercício 26 Alterando u grupo de ca pos .........................................................................
......................................................................... 3

Página 2
6.1. Consultas-padrão para Arquivos de Usuários .................................................................
.....................................................................
.... 25
Exercício 13 Criando Consultas-padrão para Arquivos de Usuários ......................................
...................................... 26
6.2. Consultas-Padrão Para rupos e Usuários ...................................................................
.......................................................................
.... 26
. E U E E A .......................................................................................................................
.................................................................................................................. ..... 2
.1. enus ...................................................................
.................................................................................................................................
.............................................................. 2
Exercício 15 Criando enus para os Usuários ...................................................................
.......................................................................
.... 2
.2. Política Privil gios e Usuários ............................................................................................
............................................................................................ 2
Exercício 16 Criando usuários ................................................................................................ 2
.3. rupos de Usuários ..........................................................
.............................................................................................................
................................................... 2
Exercício 1 Criando rupos de Usuários ...............................................................................
............................................................................... 2
. EP E A E ......................................................................................................... 2
.........................................................................................................
.1. Cadastros no eposit rio de agens ................................................................................
................................................................................ 2
Exercício 1 Utili ando agens do eposit rio de agens ................................................ 3
. PA E E .................................................................................................................
........................................................................ .........................................3
.1.Par etros x6 ..............................................................
..................................................................................................................
.................................................... 3
Exercício 1 Cadastrando ovos Par etros .........................................................................
......................................................................... 31
.2. og de egistros ..............................................................................................................
..................................................................................................................
.... 31
Exercício 2 Criando Ca pos para a Consulta de o g de egistros ....................................... 31
.3.Consultas aos Arquivos o g..........................................................
g..................................................................................................
........................................ 32
. . og de Ca po P .....................................................................................................
..................................................................................................... 33
Exercício 21 ................................................................................................................................
................................................................................................................................ 33
1 . C E U E .................................................................................................................................
............................................................................................................................ ..... 3
11. A ..................................................................................................................................3
..................................................................................................................................
Exercício 22 Criando Ca pos para utili a ão e atil os ....................................................
.................................................... 3
Exercício 23 Criando atil os..................................................................................................
os.................................................................................................. 3
Exercício 2 estando o novo atil o ...................................................................
..................................................................................
............... 3
12. A UA A P A A A C E A ..................................................
13. A UP ....................................................................
...................................................................................................................................
............................................................... 1
Exercício 25 estando as ups ....................................................................
..............................................................................................
.......................... 2
1 . UP E CA P ......................................................................................................
............................................................. ......................................... 3
Exercício 26 Alterando u grupo de ca pos .........................................................................
......................................................................... 3

Página 2
1. INTRODUÇÃO
1.1. Vi D
Este curso foi elaborado para capacitar os usuários
u suários do Protheus a utilizarem os recursos
do Módulo onfigurador de forma sistemática e prática abordando os conceitos por ele
utilizados e orientando os na opera o de cada uma de suas op es para ue se a
poss el a aplica o s rotinas de sua empresa

1. . O i
o t rmino deste curso o aluno de erá estar habilitado a

• Identificar a estrutura dos diret rios e as fa ias de ar ui os


• riar e so icitar autori a o de uso de e resas
• a er anuten o nos cadastros de
mapeamento dos ar ui os
cria o de tabelas
dicionário de dados 3
consulta padr o
• onfi urar e tratar
menus
senhas e usuários
par metros
log de registros
gatilhos em campos
scheduled obs
mashups

Página 3
2. CONFIGURAÇ O

Neste capítulo, veremos os principais arquivos de configuração do sistema, chamados de


Arquivos Customi adores, al m de outros arquivos de uso interno do Protheus
am m analisaremos os diret rios específicos de cada arquivo dentro da estrutura do
sistema
Para acessar o configurador, deve se o rigatoriamente escolher o programa inicial
“SIGACFG”, so A s o s lo

2. .
iret rio ase da instalação o icrosiga, sendo definidos na instalação
os su diret rios, de acordo com as ta elas a seguir

P A A ai do sistema

AP eposit rio de o etos P

N A C N AC estinado aos arquivos para acesso via e

N A C N ecutáveis, i liotecas e arquivos de configuração


N do sistema

N APP ecutáveis, i liotecas e arquivos de configuração


N do sistema

N APP AC Arquivos de configuração e i liotecas para acesso aos


arquivos s

N nde são encontradas as ferramentas para


manutenção do sistema

CP A estinado para a gravação dos lançamentos analíticos

Página 4
do módulo Contábil.

\CRYSTAL Contém arquivos de bibliote as e relatórios modelos


do Cr stal Re ort.

\ ATA Contém o an o de dados do Prot eus Codebase


CTR ou A S .

\ A L Arquivos de bibliote a ara integra o om Palm S e


Po et PC.

\ CL Contém as ibliote as .C ne essárias e e u o e


om ila o do AP .

\ Y ontes ara e em los de un es A PL.


PR CTS\SA PL S\S RC

\SA PL S\ C TS Arquivos modelos ara integra o om o a ote


i roso t i e.

\SYST L A Arquivos de arga do i ionário de ados el s do


Prot eus e ndi adores ativos usados somente na
instala o migra o do Prot eus

\SP L estinado ara a grava o de relatórios gerados em


dis o.

\S A R Arquivos de sema ori a o de registros.

\SYST Contém os arquivos de Customi a o m resa


suários is ais im ress o e menus do Sistema.

\S SC Contém arquivos es e i os ara uso dos módulos de


im orta o e e orta o.

\PR L Arma ena o er il de ada usuário.

Página 5
3. FAMÍL A A

A MICROSIGA criou uma identificação para tabelas e arqui os do sistema Prot eus que
consiste em codificar seus nomes seguindo um padrão pr estabelecido para que os
usuários e analistas possam identificá los com mais facilidade
Os nomes das tabelas e arqui os são formados por um con unto de tr s d gitos que os
identificam

O quarto e quinto d gitos indicam o n mero da empresa e o se to d gito sempre ero


que utili ado para identificação interna do sistema

posição – S de SIGA ou outra letra quando se tratar de um m dulo espec fico


posição – de A a ou a definindo a fam lia do arqui o
posição – de a definindo a sequ ncia dentro da fam lia

Como exemplo, vamos utili a o uivo e Clie tes – o ual


– significa que este arqui o pertence aos M dulos Gen ricos
– letra que representa a fam lia qual o Arqui o pertence
– sequ ncia do arqui o na fam lia
– caracteres que representam a numeração do grupo da empresa
– d gito de uso e clusi o da MICROSIGA

Para as customi aç es dos clientes são reser adas as fam lias S e os usuários não
de em utili ar as fam lias reser adas para MICROSIGA pois estas poderão ser
sobrepostas em uma futura atuali ação de ersão
am lia i a a ma e a a o i et io S S M , e o ma a pelos arquiv
u i a r do Prot eus Referem se a todos os m dulos pois são de uso Gen rico

abela unção

SI ndices dos Arqui os S

S Manutenção de Perguntas de parametri ação mo imentaç es


consultas e relat rios

S Manutenção dos Arqui os

S Manutenção dos Campos

Página 6
SX4 Configuração de Agenda de Relatórios e Processos

SX5 Manutenção de Tabelas

SX6 Manutenção de Parâ etros

SX7 Manutenção de atil os de Ca os SX

SX Manutenção de Relaciona ento entre Ar ui os SX

SXA Manutenção de Pastas Cadastrais dos Ar ui os SX

SX Manutenção de Consultas adrão

SX Cadastro de Relatórios e Processos ara Agenda ento SX4

SX Controle de nu eração n eros utili ados

SX Controle de nu eração ró i os n eros

SX Manutenção de Configuração adrão ara gru o de ca os

SX Controle de Perguntas SX or usuário

SXM Agenda ento de or flo

SX Cadastro de ogs or Ca o

SXP istórico de ogs cadastrados no SX

SX Cadastro de filtros inteligentes da bro se cont as


infor aç es necessárias ara a criação do filtro

SXR Cadastro de relaciona ento entre rogra a filtro utili ada


interna ente elo Prot eus ara erificar e uais rogra as os
filtros oderão ser utili ados

SXS Cadastro de rogra as utili ado na alidação ara ostrar inibir


os filtros na e ecução da bro se

SXT Tabela de usuários cont as infor aç es dos usuários ue


oderão utili ar os filtros da bro se

SX Mas u s

SX ffice Cadastro de relaciona ento entre as entidades tabelas e as


consultas T

Página 7
Há também arquivos que armazenam dados especiais, como script de p lanilhas, senhas,
helps, menus, consultas etc. o eles

H P.H P Help de ampos

. P mpresas

P . P enhas

. ndice do . P

emos ainda outros arquivos com e tens es que também azem parte do Protheus, os
quais est o relacionados a seguir

. ac up gerado pelo on igurador

. rivers de mpressoras

. nvio de ransmiss o ancária

. ecebimento de ransmiss o ancária

. rquivo

. . rquivos temporários

. atch .op rquivos temporários utilizados na gera o de


P s.

s tabelas de dados do Protheus icam armazenados no banco de dados ou numa pasta


de inida no dicionário de dados quando se tratar de base n o relacional ou quando o
ormato de dados utilizado n o or permitido pelo banco de dados.

4. GRUPOS DE EMPRESAS, EMPRESAS, UN DADES DE NEG OE AS


4. . E
estrutura de ria o de mpresas oi modi icada, pensando em
•Possibilitar o compartilhame to o icio rio e ados de várias empresas pelo
icrosiga Protheus .
• tro ir o co ceito e i a e e e cios
•Permitir a co i ra o o tama ho o c i o e mpresa e ilial
•Permitir a co i ra o o compartilhame to e tre mpresas i a es e e cio e
iliais.

Página 8
Para criar um novo Grupo de Empresas, deve-se cadastrar corretamente os
componentes desse grupo, sendo: Grupo de Empresas, Empresas, Unidade de Negócios
e Filiais, levando em consideração os acessos E clusivos e ompartil ados dos
ar uivos utili ados pelo istema

Grupo de on unto de Empresas ue estão ligadas entre si por ra es diversas


Empresas e ue compartil am as mesmas de iniç es do modelo de dados

Empresas on unto de Filiais ou Unidades de Negócios ue estão dentro da


mesma depend ncia ur dica ou iscal

Un dades de on unto de iliais ue estão dentro da mesma atividade econ mica


e o

a Esta elecimento empresarial dependente de outro ue pratica atos


ue t m validade ur dica ou iscal

Estes conceitos re erem-se utili ação das mesmas in ormaç es gravadas nos ar uivos
para di erentes Empresas, Unidades de Negócios e Filiais u se a, criado o Grupo de
Empresas com cinco iliais, poss vel manter um nico adastro de lientes para
todas as iliais, ou manter cinco ou menos cadastros distintos, sendo um para cada ilial
Esse mesmo conceito se aplica, tam m, utili ação de Empresas e Unidades de
Negócios
Esta distinção entre Grupo de Empresas, Empresas, Unidades de Negócios e Filiais
controlada pelo istema atrav s da criação do Grupo de Empresas, onde de inem-se
uantas e uais são as Empresas, Unidades de Negócios e Filiais

odos os ar uivos do icrosiga Prot eus , registram os dados da seguinte orma:


onde: sigla do ar uivo
onde: adastro de Produtos e F n mero da Empresa, Unidade de
Negócios e Filial onde oi gravado o dado

esta orma, sempre ue acessar o am iente de inindo a ual Empresa pertence a


movimentação em e ecução, o istema grava esta in ormação neste campo, ue
comp e o n mero do registro

E emp o
upon a ue um Grupo de Empresas se a composto por uma Empresa e tr s Filiais s
ar uivos re erentes aos cadastros devem ser nicos para todas as Empresas e Filiais

Página 9
Porém, cada uma delas deve possuir Planos de Contas exclusivos (CT1 - Cadastro de
Planos de Contas).
Neste caso, as mpresas e iliais criadas devem seguir o seguinte padr o

mpresa rava os campos com


P01 ilial atri ilial 00 P0100

mpresa rava os campos com


P01 ilial P ilial 01 P0101

mpresa rava os campos com


P01 ilial ilial 0 P010

mpresa rava os campos com


P01 ilial T ilial 0 P010

s ar uivos gravados no diret rio T e as ta elas no anco de dados tam ém


seguir o a nomenclatura do rupo de mpresas, da seguinte orma
•SX1010 Arquivo de Per u r v do o T , re erentes ao rupo mpresa 01
•S 10 0 d ro de Produ o r v do o re ere e o ru o re 0
•SX 0 0 Arquivo de Par metros gravado no T , re erentes ao rupo mpresa 0

Importa t

ntes de enviar a solicita o para cria o dos grupos de empresas T T ,


estude cuidadosamente a necessidade de compartil amento de ar uivos e cria o
de mpresas, nidade de Neg cios e iliais.

Para utili a o do istema pelo usuário s o o r at r o os cadastros de rupo de


mpresas e iliais, assim como o preenc imento do taman o do campo ilial e o la out.
conte do do campo la out de ine a estrutura utili ada para o rupo de mpresas,
como por exemplo

xemplo

Página 10
Neste exemplo, definimos que as informações gravadas nos campos e filiais ser o
identificadas da seguinte maneira

ois gitos para mpresa


ois d gitos para a nidade de Neg cio
uatro gitos para a ilial

Para cada identificador será permitido definir uma máscara de restriç o para
preenc imento conforme o exemplo a seguir

omente n meros entre e

omente n meros entre e

omente caracteres entre e

omente caracteres entre e

ualquer d gito num rico ou alfanum rico

, , , omente caracteres entre , , e

omente n meros entre e

omente caracteres entre e

p s a inclus o do grupo de empresas, o administrador deverá incluir e relacionar os


cadastros de mpresas, nidades de Neg cios e iliais de acordo com o a out,
conforme aplicado nos exemplos
Para o a out , o administrador deverá reali ar o relacionamento dos seguintes
cadastros
mpresas rupo de mpresas
nidades de Neg cio mpresas
iliais nidades de Neg cios

Numa instalaç o inicial utili a se o la out utili ado at o Prot eus 1 1, a sa er rupo
de mpresas , la out o criar o la out o configurador pede se dese a criar o
dicionário de dados para o novo grupo

Página 11
Caso já haja algum grupo de empresa com dicionário de dados já criado utilizado em
personalizações é possível replicá lo para o novo grupo ssim o con igurador pede se
deseja copiá lo ou criar um novo “com registros padrão” a partir da pasta s stemload

e dei ar para criá lo depois, os arquivos S s serão criados “com registros padrão” o
primeiro acesso ual uer ilial do novo grupo

Impo

ão crie grupos de empresas “ ” e “ ”, pois são pr de inições de empresas de


este tam ém n o se recomendam grupos de “ ” a “ ”, pois podem gerar
erros na criaç o de ases de conhecimento

Exercício 01
Crie uma empresa de acordo com as in ormações a ai o
a out P
mpresa 1 P
n eg 1 Cursos
ilial 1 C C Campinas
4 ori o eE re
p s criar as iliais o admistrador deve autorizá las para tanto acesse
totvs com suporte, o li “ e tral de o loads”, escol a sua li a de produtos
e a ra a p gi a de atuali a es do rot eus lique o i “ i era ão de mpresas” e
envie o ar uivo P ue se encontra na pasta

Página 12
Baixe o serviço do Protheus AppServer, renomeie o arquivo antigo p ara sigamat o d, por
exemp o, grave o novo arquivo autori ado e ex ua o sigamat ind, e e será re riado no
primeiro a esso on irme no on igurador que a empresa agora está autori ada

Exercício 02
Simu e o pro esso de Autori aç o da mpresa que o i riada anteriormente
4 ori o e E er ci
A senha de emerg n ia i era o uso de uma empresa por um dia e pode ser so i itada
S, aso a empresa ainda n o possua a i eraç o de initiva, danos ou perda do
ard o ou pro emas om arquivo de i enças
Para o ter essa senha, entre em ontato om o ana S 11 3 , das s
1 , de segunda a sexta eira ou a esse totvs om suporte
Para ap i ar a senha de emerg n ia a esse o menu de Autori aç o de empresas, no
submenu “Açoes e on s es o “ me n

Será exi ida aixa de texto onde deve preen her a senha de emerg n ia A senha de
emerg n ia terá va idade durante 1 dia e s tem re aç o om a data, ou se a, pode ser
uti i ada por qua quer iente otvs naque a data

Página 13
Exercício 03
Simule o processo de Autorização da Emergência para a empresa ue oi criada
anteriormente
5. ARQUIVO A E A E A O
Prot eus conta com um dicionário de dados din mico este dicionário responsá el
pela criação de todas as ta elas criadas no anco de dados utilizadas pelo E P Al m
disso á elementos do pr prio sistema ue podem ser con igurados e criados
5. . Ar i o e er x
uando da necessidade de ustomizaç es
pr prias ue en ol am o desen ol imento de
relat rios ou processos pr prios estes
poderão ter iltros ais iltros geralmente
são por c digo in cio im por per odo
inicial inal por ilial etc
Em s ntese cada processo ou iltros de um
relat rio terá seu pr prio grupo de
perguntas, que serão “chamadas”, todas as ezes em ue se processem esses relat rios
ou processos

Para incluir o as Perguntas


1 e ec one as segu ntes op es “ ase de ados” “ c on r o” “ ases de ados”
sistema apresentará uma tela contendo todas as opç es dispon eis para
con iguração
e ec one a op ão “ erguntas” e c que no otão nc u r
4 e ina o nome do grupo e seus itens
os c onado nesse grupo de perguntas, c que no otão “ re e ”, para checar se as
con iguraç es estão de acordo com o dese ado

Impo
s grupos de perguntas originais do Prot eus não de em ser alterados senão em
casos espec icos como e igência de um oletim cnico s nomes dos grupos
cr ados em persona a es de em ser n c ados com “ ” so o r sco de serem
so rescritos numa atualização de ersão

Exercício 0
nclua um no o grupo de perguntas de acordo com as in ormaç es a ai o

Página 14
GRUPO: ZZTST

Or P r T T r

01 Código de? Caracter 6 @!

02 Código Até? Caracter 6 @!

5.2. Mapeament e 2
o eti o do a ea ento é er itir e o ar i o do Prot e e a di tri do
e di er o dri er diretório e ecionado e o ário e ta é de inir e e e oderá
o n o er ace ado or o tra e re a e i iai e i tente no i te a
A oca i a o do ar i o é deter inada no 2 Cada e re a o i ar i o
ró rio co o c iente rod to o i enta e etc a ode a er o o co
de a er de e ia a ea ento

Para co arti ar ar i o entre i iai


1) Selecione “Base de Dados” + “Dicion io” + “ i os”
2 i te a a re entará a te a contendo todo o ar i o ti i ado eo ód o
) li e no o o es isa in o e o no e do “ i o SB1” e con i e

i te a a re entará o ar i o o icitado o te io en e cli e no o o “ di a ”


5 A tere o odo de ace o or e re a nidade o i ia

Página 15
6) Confirme e clique no botão “Atualizar Base de Dados”, para a “Atualização das
Modificaç es”, esse procedimento de e ser feito em modo e clusi o

Impo

Para compartilhamento entre grupos de empresas, basta alterar o campo


“ ome”, informando o arqui o a ser compartil ado emplo Compartil ar a
tabela B com o rupo de empresas “ ”

Exercício 05
Altere o modo de acesso do arquivo A1
5.3. Cria o o o r i o x
omo criar ovos Arquivos, utili ando Ambiente on igurador
) elecione as se uintes opç es “Base de Dados” “Dicion rio” “Arqui os” e clique
no botão “ ncluir”
n orme Pre i o, Path, ome, escri o, odo Acesso e con irme
) ara inserir os campos, selecione a tabela que foi inserida e clique no botão “ ditar”
) osicione o cursor sobre a opção “Campos” do lado esquerdo da tela, clique no botão
“ ncluir”
) a pasta “Campo”, informe os dados referentes cria o do campo
6) a pasta “ nformaç es”, preenc a os dados referentes tulo, Descrição e elp
) a pasta “ pç es”, informe niciali adores , ista de p es, onsulta Padr o, modo
de edi o
) a pasta “ alidação” informe o n el de campo e valida o de usuário
a pasta “ so”, in orme se sado, brigat rio ou ro se
1 ) a pasta “M dulos”, in orme os m dulos onde o campo será vis vel
5. . c i o ice
s ndices s o utili ados como chaves de pesquisa nas consultas que s o e etuadas no
istema
ara “incluir um ndice
1 elecione “ ndices” e em se uida clique em “ ncluir“

Página 16
2) É possível digitar o no e do a po e será o novo índi e o sele ionar a op o
“Cam
) epita o pro edi ento o todos os índi es e on ir e

Impo

op o “ ostra Pes deve ser ar ada se dese a e o índi e se a visível no


ro se as o índi e deverá onter o a po ilial aso ontrário n o será
visível
oda ta ela do Prot e s deverá ter no íni o índi e
o olo e i a e e ta ela riadas essa op o s será tili ada e ta elas
padr o do siste a

Página 17
Exercício 0 ri o o o r i o
1) Crie um novo arquivo de acordo com as dados a seguir:

Prefixo: SZ8

Path: \DATA\

Nome: SZ8

Descri o: CADAST T ST

odo Acesso: C S ara m resa nidade e


i ia

) Agora crie os cam os de acordo com os dados a seguir:


Cam o Z8 C D
Ti o: Caracter
Tamanho:
ormato:
Contexto: ea
Pro riedade: A terar
T tu o: C digo Prod
Descri o: C digo do Produto
e : nforme o c digo do roduto que deve ser de acordo com uma sequ ncia
gica
nic Padr o: TS N SZ8 Z8 C D )
Modo edição e d
so: sado rigat rio e ro se

Cam o Z8 D SC
Ti o: Caracter
Tamanho:
ormato:
Contexto: ea
Pro riedade: A terar
T tu o: Produto
Descri o: s ecifica o do Produto

Página 18
Help:Criação: Especificação resumida do produto, quanto à sua cor ou espessura.
Uso: Usado e Browse

Campo: Z E PE
ipo: Caracter
aman o: 1
ormato:
Conte to: eal
Propriedade: lterar
tulo: Espessura
escrição: Espessura do Produto
Help:Criação: elecione, dentre a lista de opç es, a espessura do Produto.
ista pç es 1 pol pol pol
nic Padrão: 1
alidação de Usuário: a io
Uso: Usado e Browse

Crie um ndice que utili e os campos ilial e C digo


tuali e a Base de ados e, através da opção “Pr v , isuali e o resultado final da
criação deste arqui o.

Impo

s no os arqui os de em ser criados dentro das am lias Z Z , pois assim


teremos a certe a de que durante uma atuali ação de ersão, não ocorrerão
pro lemas entre nossos arqui os e os da C .

5.5. Tabelas e as 5
Há situaç es em que a criação de uma no a ta ela com ndices e consumo de um alias
ão é a so ção a s t t a do os dados or do t po “ d o s r ção
as informaç es forem estáticas o Prot eus conta com uma ta ela destinada
especificamente pra isso.

E emplo de ta ela gen rica:

ipos de Produtos

Página 19
MC Material de Consumo

MO Mão-de-obra

MP Mat ria- rima

P Produto abado

P Produto ntermediário

Para in luir tabelas


No menu principal, selecione as op es m ien e a as ros a elas O
istema a resenta uma anela rela ionando todos as tabelas utili adas elo istema

2 li ue em ncluir para ca as rar uma no a a ela O istema a resenta a tela ara


adastramento da tabela e dos res e ti os itens
om a pas a No a a ela e onsul a seleciona a, preenc a os campos
orres ondentes ao adastro on orme des ri ão a seguir

abela ste am o reen ido automati amente elo istema om

C a e n orme o nome ou alor ue identi i ará a tabela tili e 2


ara teres

es ri ão n orme a des ri ão da tabela em adastro identi i ando seu


onte do

Cli ue na pas a ens para ca as rar os i ens a a ela


Preen a os am os a e e des ri ão e on irme

Impo

Página 20
Utilize a faixa de segu a a aa e is da ta ela se s es ita e
atualizações. A tabela recém criada deve ser associada a um dos campos do dicionário
de dados para ue se a utilizada. Para tanto é preciso in ormar a c ave na opç o
sulta ad do campo associado.

Exercício 07 - Crian o a e a en rica


1 rie uma abela enérica de acordo com as descrições a seguir

abela

ave

escriç o ores

esc. nglis olors

esc. panis olores

2 adastre os itens para a tabela genérica

ave escriç o esc. panis esc. nglis

1 ermel o oo ed

2 Azul Azul lue

Amarelo Amarillo ello

icion rio e a o x
Prot eus oi desenvolvido considerando ue cada empresa trabal a de uma maneira
o ue torna suas necessidades administrativas di erentes umas das outras.
icionário de ados é um ar uivo ue contém as caracter sticas dos campos dos
ar uivos tabelas de uso do sistema.
ob etivo principal é permitir ue o usuário inclua campos retire de uso ou modi i ue
certas caracter sticas dos campos uanto a seu taman o descriç o máscara validaç o
preenc imento propriedades ordem de apresentaç o na tela apresentaç o no
bro ser e uso sem ter ue alterar os programas ontes ou recompilar o sistema.
A nica restriç o encontrada é para os campos c ave e campos obrigat rios do sistema
ue n o podem ser alterados inibidos ou e clu dos.

Para riar ovos ampos

Página 21
1) Selecione “Base de dados” + “Dicionário” + “Bases de dados”
) osicione o c rsor so re a o o “Dicionário de
Dados” do lado es erdo da ela
) li e no o o es isar in or e “SB1” no
ca o “ roc rar or ” e con ir e clicando no
o o “ roc rar”
) li e no o o “ di ar” cli e na o o
“ a os” do lado es erdo da ela
) li e no o o “ ncl ir” ara incl ir o no o
campo;
6) Defina as especificações do no o campo e onfi me;
) o dem do campo pode se a e ada dependendo da disponi i idade da posiç o

Impo
s campos c iados em a e as pad o do P o e s de em i i a a
nomenc a a onde o a ias da a e a e as possi i idades
de nome en e ca ac e es e n me os pa a e i a p o emas com campos e
en am a se inc dos pe a ic osiga em a a i ações

Página 22
Exercício 08 Criando o o Ca o
1) Na tabela SB1990, inclua um novo campo de acordo com as especificações abai o

ampo B1

ipo aracter

aman o 2

ormato

onte to eal

Propriedade lterar

tulo or

escriç o or do Produto

elp igite a cor do produto

nic Padr o 01

ons ores
Padr o

al suário S P S , B1 )

so sado, brigat rio e Bro se

2) rdene o ampo criado cinco posições acima do ue ele se encontra


3) dicione o campo criado na Pasta adastrais
Exercício 0 Criando o o Ca o i i ando a i a de o e e a
a ida o
1) Na tabela S 1990, inclua um novo campo c amado 1 , de acordo com os
dados bai o

ampo 1

ipo aracter

aman o 1

ormato

onte to eal

Página 23
Propriedade Alterar

Título Prom.Fidel.?

Descrição Promoção Fidelidade?

Help Indique se o cliente a ou não parte da promoção


Fidelidade.

Inic. Padrão

ista pç es ão im

al. suário Pertence(“SN”)

so sado e ro se

2 rdene o ampo criado para a posição


3) Crie uma Pasta chamada “Espec ic s” e adici ne camp A FID na mesma
4 rie um índice cu a c a e de e ser A FI IA A FID
De ina o nic name “ E E”

Impo
m ta elas padrão do Prot eus ic names P de em ser usados ao criar
índices e A de em ser colocados em índices padrão. ampos irtuais não
podem ser utili ados e de ido presença de um campo Filial as c a es de em
sempre ser no ormato aracter assim campos DATA e de em utili ar
as unç es de con ersão T D e T respecti amente.

Exercício 10 Te ooc o oci o e e ric


) cesse “ du de aturament ”
2 elecione as se uintes p es “ tua i a es” “Cadastr s” “Pr dut s”
3) C i ue n t “ nc uir” e eri i ue camp “C r”
Exercício 11 Te ooc o co i eo e
) Se eci ne as se uintes p es “ tua i a es” “Cadastr s” “C ientes”
2 lique n t “ nc uir” e eri i ue camp “Pr m ide ”

Impo

empre que ou er alteração de dicionário de dados pode se consultar todo o

Página 24
processo realizado através da opção “Visualizar Log”, localizada na barra de
ferramentas.

6. CONSULTAS-PADRÃO (SXB)
Essa opção permite, durante a edição de um campo, consultar uma tabela associada a
este campo, pesquisar esta utilizando ndices e isualizando apenas os campos de
interesse. opção escol ida pode trazer um ou mais retornos.

Para ncluir onsultas padrão


1 elecione as seguintes opç es “ ase de ados” “ icion rio” “ ase de
ados” ” onsulta adrão”
2 scol a a opção “ onsulta adrão” e de ina u no e para ela
Pesquise pela tabela origem dos dados que pretende consultar
efina os ndices e os campos a serem e ibidos para cada ndice
5 efina iltros e etornos esperados para essa consulta e confirme.

Impo
tilize preferencialmente uma nomenclatura para personalizaç es.
utilização da opção “ er itir inclusão” não conso e licenças no uso da consulta
padrão. Para que a consulta se a utilizada ela de e ser especificada num campo
que ai utilizar essa associação.

E C -
rie uma consulta padrão para a abela de acordo com os dados abai o
onsulta
escrição liente idelidade
abilite a opção “ abilitar nclusão” e cli ue e “ vançar”
dicione o ndice “ 1 L L E”
dicione os a pos “ 1 ”, “ 1 ”e“ E”
5 omo etorno selecione “ 1 E ”e inalize
ocalize consulta criada e selecione Pre ie .
6. . C - A U
Para ncluir onsultas padrão para rqui os de suários
1 elecione as seguintes opç es “ ase de ados” “ icion rio” “ ase de
ados” ” onsulta padrão”
2 elecione “ onsulta su rio” e de ina u no e

Página 25
3) Escolha os campos de retorno e confirme.
Exercício 13 Criando Cons as adr o ara r i os de s rios
1) Crie uma “Consulta-padrão para Arquivos de Usuários” nomeada ZZ e com
descri o “ s ários Protheus”
2) dicione o campo “ID” como retorno
3) Utilize o “Preview" para visualizar o resultado da consulta;
) tili ando o dicionário de dados adicione esta cons lta criada ao campo
“ P AD ” da a ela “ ”
) cesse o d lo Plane amento e ontrole da Prod o e selecione as seg intes
op es “Atualiza es” “ ovmtos Produ ão” “Produ ão PCP od ”;
) Clique na op ão “Incluir” e veri ique o campo “ perador” ste cont m uma “
Consulta Padrão” Pressione 3 o cli e na l pa.
Cons as adr o ara r os e s rios
Para ncl ir ons ltas-padr o para r i os de s ários
) elecione as se uintes op es “ ase de Dados” “Dicionário” “ ase de Dados”;
) Clique em “Consultas Padrão” e em se uida clique na op ão “Incluir” no topo da
tela
3) erá apresentado m i ard para sele o da cons lta a ser incl da
) a tela a se uir mantenha marcada a op ão “Consulta rupos de Usuários” e do lado
direito da tela preencha os campos referentes ao nome e a descri o da cons lta
) Clique no otão “Avan ar” e na pr ima tela adicione ao lado direito os campos “ID”
e “ ome” utilizando o otão “Adicionar” seta para a direita) e clique no ot o
“ inalizar”;
) Clique no otão "Pesquisar" no campo “Procurar por ” in orme “ UP” e con irme
clicando no otão “Procurar”;
) m se uida clique no otão “Preview" localizado na arra de erramentas para
erificar os conte dos dos campos
) epois de criado a cons lta de emos relacioná-la a m campo do icionário de
ados.
E erc cio 1 riando ons ltas-padr o para r pos de s ários
1) rie m ons lta-padr o para r i os de s ários nomeada P e com descri o
r po de s ários
2) dicione os campos “ID”e “ ome”;
3) Utilize o “Preview" para visualizar o resultado da consulta

Página 26
7. MENUS E SENHAS
Aprenderemos a configurar novos menus a partir de arquivos padrões já existentes.
Também iremos verificar como devem ser criados os usuários configurar seus acessos e
restri ões grupos e as re a ões entre e es.

7.1. Men
s enus do sistema podem ter suas op ões reformu adas de maneira que cada
suário possa ter um menu de acesso pr prio de acordo com o tipo de traba o por e e
desenvo vido.
este programa deve ser definido um menu para cada usuário e na configura o de
sen as associa se o menu sen a do usuário que determinará quais m du os
movimenta ões empresas e fi iais e e poderá acessar.
Para criar enus para os suários
e ecione as seguintes opções: “Ambiente” + “Cadastros” + “Menus”;
2 o se ecionados todos os menus desmarque a opção “Todos os Menus” e se ecione
um menu para que seja usado como base ou nen um para criar um menu impo
confirme
Clique em “Adicionar” para copiar todas as op ões do menu padr o ao novo menu
Adicione exc ua ou a tere tens e rupos de enu
rave as a tera ões sobrescrevendo o menu origina ou criando novos.

E e 1 n Men U
Crie um ac up do arqui o iga at que se locali a no diret rio “ stem ”;
2 Adicione ao menu do du o de aturamento iga at. um novo grupo c amado
“ spec icos”;
Adicione um item c amado o o at e que e ecute a unção de usu rio “T T ”;
esabi ite os direitos de nc us o xc us o e A tera o do item criado
Ainda em aturamento no rupo Cadastro remo a “ ancos” “Moedas” e
“ ature as”;
emo a os seguintes grupos: “Cen rio de endas” “C M Adm de endas” “C M
Contratos” e “ i ersos”;
o tem rodutos desabilite as permissões de “ ncluir” “Alterar” e “ cluir”;
ere dois enus um menu com o nome origina iga at. e no outro informe
“M AT ”
ote que na tela onde se encontram todos os Menus o “Menu at” acaba de ser criado
como tima op o pronto para ser uti i ado

Página 27
Os arquivos de menu passam a ser em formato XML, e sua e tens o X onvertidos
automati amente, isto permite que a su divis o dos menus se a amp iada possi i itando
diversos n veis ierárqui os

7.2. Políti P i il io io
Política de e a a define as regras de a esso do sistema ssas regras devem ser
definidas antes da ria o de usuários e sen as
Para definir a Política de segurança, escolha “Política” no enu “ enhas” e a tere as
op es

P i il io , na verdade, tratam se de defini es de restri es de a esso, uma ve


ap i ados a um usuário ou grupo a arreta restri es a a essos que anteriormente
poderiam ser permitidos
Para definir os ri il gios, escolha “Pri il gios” no enu “ enhas”

O adastro de io e o no Prot eus permite definir a quais m du os, rotinas,


op es de menu e menus um usuário ou grupo de usuários poder o ter a esso
Para riar usuários e gru os, escolha “ su rios” ou “ ru os” no enu “ enhas”

Para farta do umenta o so re po ti a, privi gios, usuários e grupos onsu te o e p


On ine do m du o onfigurador

Para in uir um novo usuário


efina as po ti as de seguran a
2 o menu “ suários”, cli ue e “ ncluir” e defina os dados do usu rio na guia
“ su rios”
a guia “ estriç es de acesso”, defina na su guia “ iliais” a uais gru os, e resas,
unidades e fi iais o usuário poderá ter a esso
a su guia “ ientes”, defina os du os permitidos, om um m du o se e ionado
edite o menu que e e uti i ará e que n ve terá nesse m du o
Pelo enu “ ç es relacionadas”, escolha a o ç o “ estriç o de rotinas de enu”
para proi ir a e e u o de uma rotina do menu
a guia “ cesso”, es o a fun es espe fi as s quais o usuários terá direito

Página 28
Impo
A criação das definições exige muito cuidado e planejamento pois á situações
onde uma caracter stica pre alece so re outra anulando a en uanto outras
opções acumulam direitos A utili ação de definição de direitos por grupos
isa facilitar a organi ação dos usuários em como a possi ilidade de copiar
direitos entre usuários e grupos

Exercício 16 Criando usuários:


rie um usuário atri uindo o menu enufat xnu ao m dulo aturamento

7 ru os de suários
A criação de rupos de suários tem a finalidade de facilitar a administração de um
determinado n mero de usuários ue possuam as mesmas caracter sticas dentro do
istema ou seja ue possuam o mesmo perfil de acesso
Exercício 17 Criando ru os de suários
Crie um grupo de usuários chamado “Fa urame o e i c ua o usuário criado
anteriormente

E E E
Apesar dos ancos de dados relacionais poderem utili ar dados inários como imagens
sons filmes etc o Prot eus foi originalmente desen ol ido em am iente não gráfico
e utili a a ase de dados não relacional A necessidade de utili ação de
ar ui os de imagens e a restrição de manter a compati ilidade com as ases ode ase e
ree deu origem ao conceito de reposit rio de imagens um ar ui o onde podem ser
arma enadas imagens ue serão inculadas a registros de ta elas do Prot eus
1 Cadas ros no e osi rio de a ens
Para incluir imagens no reposit rio de imagens
o me u “ m ie e se ecio e “Cadas ros e depois “ eposi mage s
C i ue em “ c uir se ecio e a pas a ue co m as image s
scol a as imagens jpg e mp e confirme

Para utili ar as imagens


cesse um m du o o de ha a um campo ipo “imagem
2 li ue no otão imagem e confirme

Página 29
Impo
O repositório de imagens é o arquivo SIGAADV. D que i a na pasta
S S as imagens s o opiadas do o a de origem para esse arquivo.
Arquivos P n o s o ompa tados quando in u dos no repositório d
pre er n ia a arquivos PG. O repositório tam ém é ni o para todas os
grupos de empresas adastrados pode ser mais inte igente uti i ar o re urso
“base de conhecimento”.

Exercício 18 Utilizando Ima en do e o it rio de Ima en


In ua uma imagem no repositório de imagens e vin u e a ao ampo “Foto” no cadastro
de Produtos, guia “Atendimento”.

E E
1 ar metro x
m par metro é uma variáve que atua omo e emento ave na e e u o de
determinado pro essamento. De a ordo om o seu onte do é poss ve o ter di erentes
resu tados.
odas as ari eis s o iniciadas e o re i o “ ”, e agem sobre di ersas in orma es
no sistema omo por e emp o a variáve V A I SS que de ine o per entua da
a quota para á u o de ISS.
ada i ia da empresa pode ter par metros próprios para e e u o dos
pro essamentos.
As ustomi a es de usuários podem tratar par metros di erentes aos prede inidos pe a
O VS neste aso estes par metros devem ser in u dos através desta rotina.

Para in uir par metros


o menu “Ambiente”, esco ha “ adastros” e de ois “Par metros”
i ue em “ nc uir” e de ina o ar metro, con irme.

Impo

Ao riar ar metros ersona i ados uti i e a nomenc atura “ ”, ois


n o somente á a possi i idade de in us o de novos par metros nas pró imas
atua i a es omo tam ém á par metros previstos e n o in u dos num S
padr o.
A ria o de um par metro n o a qua quer e eito se n o ouver uma persona i a o
desenvo vida em ADVP que trate esse re urso.

Página 30
Exercício 19 Cadas ra do o os ar e ros
1) Inclua um novo parâmetro de acordo os dados a seguir:
Filial: 01
Nome da Var.: MV_ F M
ipo: aracter
onte do:
escri o:
1 i e ro se e esp. P FI
N o e i e o ro se e esp. P FI
3 i e o ro se e n o esp. o P FI
N o e i e o ro se e n o esp. P FI .

9 o de e is ros
sta op o permite a visuali a o do campo de e cont m in orma es so re o
usuário ue reali ou a inclus o altera o ou e clus o de determinados registros. erá
registrada a data da opera o e o status do registro e clu do ou ativo).
Para ue o ar uivo passe a ter este controle necessário ue se am criados no M dulo
on igurador os campos _ I) e _ ) ue indicam respectivamente
a inclus o altera o ou e clus o de determinados campos.
As duas primeiras posições do campo “XX” representam as iniciais utilizadas para todos
os campos do ar uivo.

Para criar ampos para a onsulta de og de egistros:


1) Selecione as seguintes opções: “Base de dados” “ icion rio” “Base de ados”
) osicione na pasta “ icion rio de ados)” cli ue no ot o es uisar in orme no
campo Procurar por Ar ui o “SA1” e cli ue no ot o “ rocurar”
) Assim ue o ar ui o or encontrado cli ue no ot o “ ditar” posicione na opç o “
ampos” cli ue no cone “ ampos eser ados”
) a tela ue se apresenta dei e o campo “ og de nclus o” marcado e pressione
“ inalizar” o campo “A1 S ” oi criado automaticamente
) on ira os dados con irme a tela de “ anutenç o da strutura” e assim ue o
processo estiver encerrando saia do cadastro.

Exercício Cria do Ca os ara a Co s a de o de e is ros


rie os campos para og de Inclus o e ltera o para o ar uivo 1 acesse o M dulo de
Faturamento e inclua altere e e clua clientes.

Página 31
Acesse o Módulo Configurador, selecione as seguintes opções: “Usuário” + “Senhas” +
“Log de Registros”, escolha “SA1” e verifique o Browse.
uando clica os na opç o “ isuali ar”, consegui os o ter as in or ações so re o
usuário que realizou a l i a al era o no regis ro selecionado.

9.3.Consul s os u os o
Pro eus con rola o n ero de acessos, inclus es, al era es e arquivos, áginas de
rela órios i ressos e ransa es or usuário, gerando u arquivo e o diário que
con erá odas as infor a es quan o a essas ovi en a es.
Para que o Con role de og se a acionado, deve ser configurados os seguin es
Par e ros
M indica o dire ório no qual será gerado o Arquivo de og
M A indica quais o era es ser o ra adas elo Con role de og.
adr o do Pro eus . Para a ivar es a o o, deve se colocar a le ra M, de
acordo co as seguin es osi es
“S” 1 Acesso a fun es
“S” nclus es
“S” Al era es
“S” ela órios
“S” ransa es
“S” nvio de e ail
“S” Par e ros.
o tipo “ ”, o Siste a irá reali ar o controle de e ails en iados e no “ ” o Siste a irá
gravar oda al era o dos ar e ros dos rela órios.
sta consulta poderá ser reali ada atra s do “ dulo on igurador”, na opç o “Log do
Usuário”

Para configurar a gera o da Consul a de Arquivo og


1 dite “ RL ” e no ca po “ onte do”, in or e “ P ”
on ira os dados e con ir e a “Alteraç o”
Altere ta o par etro “ L S A” e no ca po “ onte do”, in or e
“SSSSSSS”
on ira os dados, con ir e a “Alteraç o” Saia do “ dulo on igurador” e acesse
ou ro ódulo qualquer e e ecu e algu as ovi en a es, inclus es, al era es ou
e clus es
Retorne ao “ dulo on igurador”
Selecione as seguintes opções: “ presas” + “Ar ui os” + “ onsulta Ar L ”

Página 32
7) O Sistema apresentará uma tela para consultas ao arquivo de og

Impo

O log será gravado num arquivo tipo te to na pasta in ormada com o nome
segundo a estrutura “SL+<DD/MM/AA>.LOG”. Esse tipo de Log n o
recomendado pela otvs por quest es de desempen o m ve disso utili e o
aplicativo udit rail que o erece timos recursos gratuito e tem menos impacto
so re o sistema
9.4.Log de Campo
Para consultas mais espec icas so re altera es de campos e que arma enem n o
somente o autor e data de altera o mas tam m quais altera es oram eitas e iste
o og de campo onde s o arma enados
S O egras do og campo op o de inclus o altera o e clus o
S P O pr prio og

Para de inir o og de campo


A esse no enu “ su rio” a op o “Auditoria” e depois
“ on igura o de Log”
) scol a o lias da ta e a e uti i a a op o “ onsu tar
Estrutura” no enu “A es re a ionadas” para es o er os
campos
3) scol a os tipos de log e con irme

Para consultar o og de campo


A esse no enu “ su rios” a op o “Auditoria” e depois “ onsu ta de Log”
) i ue no ot o “ ar etros” de ina os par etros dese ados e on ir e
3) om um duplo clique na lin a visuali e as in orma es do log

Impo
O log será gravado na ta ela S P do grupo de empresa como o log cumulativo
poss vel mov lo como um ac up e ele será recriado um novo arquivo
primeira necessidade ssim poss vel manter um arquivo relativamente
pequeno de og e ácil manter um ac up dele

e o
De ina o Log de in us o a tera o e e us o para os a pos “ a u a MS” e “ a u a
“ SS” da ta e a S edite o adastro de ES e ua uer du o e isua i e o Log.

Página 33
10. S
O módulo Configurador dispõe de um recurso de programação de tarefas, onde é
poss el gerar e en iar relatórios e posições de processos controlados pelos módulos do
icrosiga Prot eus
odos os relatórios dispon eis no istema são apresentados na relação do c edule,
e ceto a ueles ue e i am a inter enção do usuário para informação de dados, ue não
se am os par metros de configuração comuns, como por e emplo, os relatórios ue
necessitem da informação de e tos e O ser ações

O c edule agenda as tarefas para en io destes relatórios ia e mail, ou por acesso


nternet, onde e ige uma configuração espec fica na estação de tra al o do usuário u e
consultará estes relatórios O c edule é composto por tr s componentes principais

anager componente responsá el por fa er o gerenciamento das tarefas, em como


o controle de geração das tarefas e das filas de e ecuções as e ueue

gent este componente gerencia as e ecuções e distri u as tarefas para as


ecutes configuradas ue estão dispon eis para utili ação Os agents
podem estar locali ados em diferentes ser idores, possi ilitando a
distri uição da carga de e ecuções

ecute são os componentes responsá eis por fa er a e ecução das tarefas a


nica entidade ue consome licença sse consumo de licença se dá apenas
durante a e ecução de uma tarefa

Para iniciar a utili ação do c edule


cesse o módulo Configurador m ientes c edule c edule
a isão inicial, selecione c edule
3 Clique em “Inicia e i
4 O processo de monitoramento das tarefas do c edule será iniciado
utomaticamente, o ar ui o de configuração do icrosiga Prot eus é alterado s
c a e inclu a n a qui “ I I

Página 34
[ONSTART]
RefreshRate=180
 jobs=_SCH ANA _SCH

[_SCH ANA ]
ain=_SCH ANA
n iron ent= A biente Prothe s

[_SCH ]
ain=_SCH
n iron ent= A biente Prothe s

Para e as tarefas ossa ser e e ta as ne essário e e ista agent a astra o


o a e resa e i a ente
Para onfig rar os agents
1 A esse S he e Agent Ca astro
O no o S he e er ite e agents seja a i iona os a to ati a ente
Na arra S erior e A i ionar Agent a i iona agent ara a a e resa
e istente no a astro e e resas
Ca a agent a astra o já e onfig ra o o as threa s
oss e erifi ar os stat s os agents i an o na egen a
oss e in ir agents an a ente Para isso i e no one o a i a o na jane a
inferior A isso nesta es a barra ta b oss e so i itar a tera o e
e s o e agent

Impo
re o en á e e seja ti i a o se re o en ere o P e n o o a ias e re e

Correto 1 1 51 0
N o re o en á e a ina

Ca astro e Agen a entos


1 Para cadastrar ag da t s ac ss g da t s adastr
No a astro e agen a entos oss e i ortar os registros o S he e antigo
ara o no o S he e C i e na ri eira o o a te a ortar agen a entos
antigos

Página 35
Importante:
A importação é realizada apenas uma vez. Para isso as tabelas do Schedule antigo, SX e
SX , são alteradas. inclu do um campo chamado X I P ou X I P
respectivamente, ue sinaliza se o registro oi ou não importado.
3 a arra Superior da pasta etalhes é poss vel adicionar , alterar lápis e e cluir
um agendamento.
Para selecionar a ro ina osicione o c rsor so re o ca o o ina e e se i a
cli ue no botão de interrogação .
Ap s in ormar a rotina, se ela estiver dentro dos padr es determinados para
agendamento, será necessário in ormar os par metros. Se a tela de par metros não se
abrir automaticamente basta clicar em Par metros.
6 Para agendar um processo especial ue não este a dentro dos padr es de Schedule ,
basta in ormar a rotina e in ormar os par metros entre par nteses para ue se am lidos.
.: u teste par , par .
novo Schedule possibilita a seleção de mais de uma empresa e ilial para a e ecução
de tare as durante o cadastramento de um agendamento.
campo mpresa ilial possui recurso de pes uisa de opç es para acilitar o
preenchimento. ste campo permite selecionar m ltiplas mpresas iliais para
preenchimento. Para agendar uma rotina, é preciso in ormar o m dulo ue será
utilizado para a e ecução. sse m dulo pode ser in ormado diretamente se o usuário
souber o c digo relacionado , ou pode ser eita uma pes uisa ativando se o 3 do
campo.
Para in ormar uma recorr ncia para um agendamento, cli ue em ecorr ncia,
localizado na anela in erior dessa visão.
Para recorr ncia e istem cinco tipos:
iária: in orme o per odo de dias a ser considerado, assim como o n mero de
e ecuç es por per odo, o intervalo e a data de término, se houver.
Semanal: in orme os dias da semana a serem considerados, assim como o
n mero de e ecuç es por per odo, o intervalo e a data de término, se houver.
ensal: in orme o m s a ser considerado, assim como o n mero de e ecuç es
por per odo, o intervalo e a data de término, se houver.
Anual: in orme o ano a ser considerado, assim como o n mero de e ecuç es por
per odo, o intervalo e a data de término, se houver.
Sempre ativo: sta opção mantém a rotina agendada em uncionamento
cont nuo até a data de término, se houver.
Para in ormar a uantidade de e ecuç es em um mesmo dia, e iste os campos:
mero de ecuç es no mesmo dia
Intervalo e
ecuç es.

Página 36
Além de informar a quantidade de execuções é preciso indicar o intervalo entre elas. O
mínimo permitido é de minutos.
O recurso xecuções exi e em uma lista a ora de cada execuç o.
3 Para essa recorr ncia pode ser informado que existe uma d ata de término ou n o.
Para reali ar filtros no ro se onde os agendamentos s o exi idos utili e a opç o
de filtro locali ado na parte superior do ro se.
possível reali ar uscas no ro se a partir da opç o uscar locali ada acima do
ro se de agents.
sse mesmo cadastro pode ser reali ado por meio das pr prias rotinas. as para
isso o usuário deve possuir permiss o de agendamento e geraç o de arquivo no
servidor.
7 O cadastro segue o mesmo princípio.

11. GA
O atil o permite ao usuário esta elecer uma atuali aç o din mica dos dados através
da definiç o de critérios isto é a partir da digitaç o de um dado é possível atuali ar
automaticamente outros campos.

Procedimentos
Para definir um gatil o
o menu principal selecione as opções ase de ados icionário atil os
o apresentados alguns gatil os á cadastrados utili ados pelo pr prio istema.
lique em ncluir e preenc a os campos conforme descriç o.

ampo ome do campo que ao ser alterado inicia o processo de atuali aç o.

eq ncia mero seq encial gerado pelo sistema para cada gatil o.

nt. omínio ome contra domínio ou se a campo que deverá ser atuali ado
automaticamente.

Página 37
Tipo Selecione o tipo do gatilho, sendo:
P - Primário para atualizações visuais e externas do mesmo arquivo
- strangeiro para atualizações de dados em outros arquivos
- Posicionamento para posicionar o arquivo mencionado no lias sem
e etuar nenhuma atualizaç o tilizado para casos em que o usuário
dese a esta elecer um relacionamento entre os arquivos

egra xpress o em linguagem dvP a ser transportada para o contra-


dom nio

Posiciona Selecione a opç o Sim para movimenta o ponteiro em outro arquivo


com ase na express o de inida em P S , ou o , caso
contrário

lias liás do arquivo s 3 letras iniciais do arquivo cu o ponteiro deve ser


movimentado

rdem mero da chave de ndice a ser utilizada para movimentaç o do


ponteiro

Procura xpress o em linguagem que determina o posicionamento do ponteiro


S

ondiç o n orme a condiç o, xec loc s, etc, que ir o determinar quando o


gatilho deve ser executado

Impo
s gatilhos tra alham com valores que oram carregados na mem ria, a
linguagem ADVP i e en ia al e em mem ia m - A im
campo T será re erenciado no gatilho como - T
as ao acessar dados á gravados de outras ta elas, utilizamos o alias da
ta ela e o nome do campo ssim, P será re erenciado como S -
P

Exercício 22 Cria o Ca o ara i i a oe ai o


rie um campo virtual no S , para utilizá-lo no gatilho
ampo:
Tipo: aracter
Tamanho: 3
ontexto: irtual

Página 38
Propriedade: Visualizar
Título: Descrição
Descrição: Descrição do Produto
2) O Campo de e ser utilizado em todos os m dulos
3) Ordene o campo para a posição
) inalize a criação do Campo

Exercício 23 ri o i o
) Crie dois gatil os de acordo com os dados a ai o:
Campo: D COD
e u ncia: 2
Cnt Domínio: D O
Tipo: Primário
egra: D C
Posiciona:
lias:
Ordem:
C a e: ) D COD

Campo: D V T
e u ncia:
Cnt Domínio: D TOT
Tipo: Primário
egra: O D D T D V T 2)
Posiciona: O

Exercício 2 e oo o o i o
1) Acesse o “Módulo de Compras
) elec o e as se u es op es “A ual a es “Mo me os “ ocume o
rada
) Cl ue o o o “ clu r e orme os dados o ser ando os campos disparador e al o
do gatil o

Página 39
12. ATUALIZAÇ A A A I I I A

Com o objetivo de facilitar o processo de atualiza o dos dicionários de dados o


administrador poderá programar o orário da atualiza o automática utilizando o
recurso “Agendar A ua a o
essalta se ue o processo de atualiza o deve ser utilizado em modo e clusivo ou seja
nen um usuário poderá utilizar o istema durante a realiza o do processo e no
momento agendado o sistema estiver sendo utilizado a atualiza o automática n o
será efetuada e outra data deverá ser agendada uando o usuário estiver com o
s s e a a er o or se rocessos e uso or na dade “ e ou o s e a
realizará o processo normalmente

Procedimentos
Para agendar uma atualiza o
o menu principal selecione as op es ase de ados icionário ase de
ados istema apresenta a janela bro se relacionando o dicionário de dados do
istema ou seja todas as tabelas utilizadas
Cli ue em gendar tualiza o istema apresenta a janela erenciador de ase
de ados gendar tualiza o
Pre enc a os seguintes campos e confirme
Data de nforme ou selecione a data ue a atualiza o da base de dados
deve ser realizada
de nforme o orário ue a atualiza o da base de dados deve ser
realizada

erá apresentada a janela tualiza o programada do dicionário de dados com a


defini o da data e ora para o inicio da atualiza o o assistente ficará aberto
aguardando o orário programado da atualiza o

Página 40
Impo
A janela de assistente deverá ficar aberta para a atualiza esta janela a ra
atual e a pr gra ada p de ser visualizadas e desejar cancelar a atualiza
cli ue e ancelar

13.M
a biente eb s divulgadas diversas inf r a es c acess irrestrit ue
p ssibilita c nsultas inf r a es de interesse p blic Pensand e per itir
apr veita ent dessa disp nibilidade a desenv lveu recurs de as up
A estrutura da s lu de as up pr p sta per ite acessar c nte d desejad e
inserir aut atica ente n cadastr d icr siga Pr t eus ue aci nar recurs
Para efetuar a pes uisa e a atualiza basta f rnecer as inf r a es s licitadas e ue
f ra pr c nfiguradas pel Ad inistrad r n a biente nfigurad r esta f r a
s de ais dad s ser inserid s aut atica ente f r uland u registr c plet e
atualizad de ac rd c c nte d nline

Para ativar recurs


1) No menu “Ambiente”, escol o o“ st os” e e ois “ s u s”
) li ue no bot o “ nclui ”, se e ibi tel b i o

) No menu “A es el cion s”, escol o o “ s u s”, o on i u o i


pes uisar n ite da tvs pel s as ups disp n veis

Página 41
4) A seguir serão exibidos os Mashups disponíveis

) s o ha u Mashup e on ir e
) a e a ini ia o o ashup á es o hido in or e u a ias do Pro heus
7) No menu “Açõe e on e o “ me o
) a e a abaixo in or e os a pos ue serão enviados ao Mashups e uais a pos
re eberão os re ornos

Impo
s Mashups são servi os providos por si es de er eiros A responsabi idade sobre
as in or a es pres adas per en e aos es os

Exercício 2 e o
e ina a onsu a de P pe o oog e e P pe a e ei a edera nos Mashups
n ua u ien e pessoa ísi a no adas ro de ien es do du o a ura en o e i ue
no bo ão Mashups para preen her au o a i a en e os a pos airro o e idade e
es ado preen ha o a po o e an asia o a si ua ão do P

Página 42