Вы находитесь на странице: 1из 5

EXAME 2018 1º

14. Num determinado país, os trabalhadores utilizam o automóvel nas deslocações para o
emprego. Geralmente, os trabalhadores consideram como custos dessa utilização os
associados ao consumo de combustível e ao desgaste do automóvel, mas não os custos para a
sociedade associados, por exemplo, ao aumento do ruído e ao congestionamento do trânsito.
Com base na situação descrita, podemos afirmar que, nesta sociedade, os custos associados ao

(A) combustível consumido representam uma falha de mercado designada por bem público.

(B) desgaste do automóvel representam uma falha de mercado designada por bem público.

(C) congestionamento do trânsito representam uma falha de mercado designada por


externalidade negativa.

(D) ruído emitido pelo automóvel representam uma falha de mercado designada por
externalidade positiva.

EXAME 2018 2º

3. Leia o texto.

Se o livre comércio é assim tão maravilhoso, por que motivo os decisores políticos oferecem
tanta resistência à liberalização do comércio externo? A razão é que, embora o comércio livre
beneficie a economia como um todo, há grupos específicos que não são beneficiados. Quando
um país abre o mercado dos computadores ao comércio internacional, os consumidores
nacionais poderão aceder a uma maior quantidade de computadores a um preço mais baixo.

Contudo, nesse país, os produtores de computadores poderão ser penalizados pelo livre
comércio, bem como alguns dos trabalhadores desse ramo de atividade, considerando-se tudo
o resto constante.

Robert H. Frank e Ben Bernanke, Princípios de Economia, 1.ª edição, Lisboa,

Explicite, com base no texto, as razões pelas quais, nesse país, os produtores de
computadores e os trabalhadores desse ramo de atividade poderão ser penalizados pelo livre
comércio

1
EXAME 2017 1º

3. Leia o texto.

Em muitos países, a gasolina é um dos bens que sofrem a tributação mais pesada. Nos Estados
Unidos da América (EUA), por exemplo, quase metade do que os condutores gastam em
gasolina corresponde a impostos. Em muitos países europeus, o imposto é ainda maior. Por
que motivo tantos países aplicam este imposto sobre a gasolina? Uma resposta possível é que
o imposto pretende corrigir alguns dos efeitos sobre a sociedade associados à utilização do
automóvel, como a poluição. Este imposto contribui para a promoção da eficiência, ao
incentivar a utilização do transporte público e ao melhorar a qualidade do ambiente.

N. Gregory Mankiw, Introdução à Economia,

2.ª edição, Rio de Janeiro, Campus, 2001, p. 219 (adaptado)

3.1. Identifique a falha de mercado que o imposto referido no texto pretende corrigir.

3.2. Explicite de que modo a aplicação do imposto referido no texto contribui para a
promoção da eficiência.

EXAME 2017 EP.ESPECIAL

10. Algumas atividades produtivas geram benefícios para terceiros que não são apropriados
pelo agente que desenvolve essas atividades. Por isso, para promover a eficiência, o Estado
tende a incentivar essas atividades produtivas, por exemplo, atribuindo-lhes subsídios. Com
base na situação descrita, e considerando-se tudo o resto constante, podemos afirmar que a
atribuição desses subsídios por parte do Estado pretende estimular essas atividades
produtivas,

(A) promovendo a eliminação de uma falha de mercado.

(B) reduzindo as despesas públicas.

(C) promovendo a eliminação de uma externalidade negativa.

(D) reduzindo as receitas públicas.

2
EXAME 2016 1º

15. Num determinado país, em 2015, as autoridades decidiram aplicar um direito aduaneiro
(ou uma barreira alfandegária tarifária) sobre a importação de batata. Podemos afirmar que
esta medida se insere numa política comercial

(A) protecionista, ao contribuir para a redução da concorrência no mercado interno da batata.


(B) protecionista, ao aumentar as vendas, no país, das empresas residentes no resto do
mundo.

(C) de comércio livre e visa reforçar a concorrência no mercado externo da batata.

(D) de comércio livre e pretende apoiar as unidades produtoras residentes no país.

EXAME 2016 2º

18. Numa cidade, as emissões de gases poluentes das empresas produtoras de aço afetam o
bem-estar da população da área envolvente, sem que estas empresas suportem os custos
resultantes da poluição emitida. Assim, o Estado decidiu aplicar um imposto sobre as emissões
de gases poluentes, com o objetivo de as suprimir. Esta medida

(A) de política ambiental traduziu-se no fornecimento de um bem público.

(B) de política fiscal pretendeu eliminar uma externalidade negativa.

(C) de política agrícola traduziu-se em ganhos de eficiência económica.

(D) de política orçamental pretendeu diminuir as desigualdades sociais.

EXAME 2016 EP.ESPECIAL

15. O Governo do país A decidiu cobrar um direito aduaneiro no valor de 2 euros por cada
unidade importada de um determinado bem. Esta medida constitui uma barreira alfandegária

(A) tarifária e inclui-se numa política comercial livre-cambista.

(B) não tarifária e inclui-se numa política comercial livre-cambista.

(C) tarifária e inclui-se numa política comercial protecionista.

(D) não tarifária e inclui-se numa política comercial protecionista.

16. Num determinado país, em 2014, o Estado solicitou um empréstimo ao resto do mundo,
no valor de 100 milhões de euros. Os juros da dívida pública, relativos a esse empréstimo e
pagos em 2015, constituem, para esse país, uma

(A) despesa corrente do Estado.

(B) despesa de capital do Estado.

(C) receita corrente do Estado.

(D) receita de capital do Estado.

3
3. Leia o texto.

No país A, foi proibida a importação de um dado bem. Quem ganha e quem perde com esta
medida de política comercial? Quem ganha são os produtores nacionais do bem que era
importado, pois passam a estar protegidos da concorrência externa e, como as suas
ineficiências não são atacadas pelo mercado, podem refleti-las no preço e na quantidade
vendida. Quem perde é o resto da sociedade, sobretudo os consumidores do bem, que pagam
as ineficiências dos produtores nacionais.

Baseado em: João L. César das Neves, Introdução à Economia, 4.ª edição, Lisboa, Verbo, 1997,
pp. 355-356

Explicite, com base no texto, os efeitos do protecionismo sobre os produtores e os


consumidores do país A.

EXAME 2015

14. Em 2014, num dado país, perante o agravamento da crise económica, o Estado decidiu
aumentar em 5% o valor dos vencimentos dos funcionários públicos, com o objetivo de
estimular o crescimento da procura interna. Considerando-se tudo o resto constante,
podemos afirmar que o Estado, no âmbito das suas funções económicas e sociais, pretendeu,
através do uso deste instrumento da

(A) política de preços, eliminar uma externalidade.

(B) política de concorrência, garantir a eficiência económica.

(C) política monetária, contribuir para a equidade.

(D) política orçamental, promover a estabilidade macroeconómica

4. Leia o texto que se segue.

Em 2011, em Portugal, de acordo com o Inquérito às Condições de Vida e Rendimento, após


transferências sociais do Estado, 17,9% da população residente encontrava-se em risco de
pobreza1. Sem o contributo de quaisquer transferências sociais do Estado, o mesmo inquérito
indica que, a serem considerados apenas os rendimentos do trabalho, de capital e de
transferências privadas, 45,4% da população residente estaria em risco de pobreza, no mesmo
ano.

Instituto Nacional de Estatística, Anuário Estatístico de Portugal 2012, in www.ine.pt


(adaptado)

1 População cujo rendimento equivalente se encontra abaixo do limiar de pobreza, definido


como 60% do rendimento mediano por adulto.

Explicite, com base no texto, o papel do Estado na redistribuição do rendimento, identificando


dois instrumentos cujo objetivo seja a promoção dessa redistribuição.

4
3. Leia o texto que se segue.

Embora a mão invisível leve os mercados, geralmente, a afetar os recursos de forma eficiente,
isso nem sempre acontece. Os economistas usam a expressão «falha de mercado» para se
referirem a uma situação em que o mercado, por si só, não consegue produzir uma afetação
eficiente de recursos. Uma dessas situações diz respeito ao impacto negativo das ações de
uma pessoa sobre o bem-estar dos que a rodeiam. Outra situação ocorre quando um produtor
ou grupo de produtores tem poder de mercado, ou seja, tem capacidade para influenciar
significativamente os preços de mercado.

N. Gregory Mankiw, Princípios de Macroeconomia, São Paulo, Thomson, 2005, p. 11


(adaptado)

Identifique as duas falhas de mercado referidas no texto.

EXAME 2015 2º

15. No âmbito das suas funções económicas e sociais, o Estado, ao aplicar políticas de
redistribuição dos rendimentos, pretende essencialmente garantir a eficiência.

Esta afirmação é

(A) verdadeira, porque o Estado, ao reduzir as desigualdades na repartição dos rendimentos,


pretende essencialmente diminuir os custos de produção das empresas.

(B) verdadeira, porque o Estado, ao reduzir as desigualdades na repartição dos rendimentos,


pretende essencialmente promover a estabilidade.

(C) falsa, porque o Estado, ao reduzir as desigualdades na repartição dos rendimentos,


pretende essencialmente promover a equidade.

(D) falsa, porque o Estado, ao reduzir as desigualdades na repartição dos rendimentos,


pretende essencialmente assegurar um aumento das exportações.

EXAME 2015 EP.ESPECIAL

2. Leia o texto que se segue.

Uma fábrica produtora de aço despeja os seus resíduos num rio, tornando um local de lazer,
situado a jusante, inadequado para atividades como a natação e a pesca. A fábrica de aço não
está a suportar, como custos de produção, os custos resultantes do impacto dos seus resíduos
noutras atividades. Se esta situação prevalecer em todas as fábricas produtoras de aço, então
o preço do aço será mais baixo e a quantidade produzida poderá ser excessivamente alta.

Robert S. Pindyck e Daniel L. Rubinfeld, Microeconomia, S. Paulo, Pearson, 2010, p. 546


(adaptado)

Explique, com base no texto, as razões para a quantidade produzida de aço poder ser
excessivamente alta. Comece por identificar e explicitar a falha de mercado implícita no texto.