You are on page 1of 19

Família:

Introdução

Há três instituições que Deus estabeleceu na esfera humana: A Família, a Nação e a Igreja. A
primeira a ser criada foi a Família e as outras duas, dependem dela.
Para que elas caminhem corretamente, abençoadas e felizes, precisam pautar-se pela palavra
de Deus, porque ali está a sua origem e as normas básicas para as três.
Definição
Pessoas aparentadas, que vivem, em geral na mesma casa, particularmente o pai, a mãe e os
filhos. Pessoas do mesmo sangue (Dicionário Aurélio).
Origem da Família
A família é a primeira instituição divina. Segundo a Bíblia sua existência veio como resultado do
propósito divino conforme está descrito no Livro de Gênesis nos capítulos um e dois. Tudo começou
quando Deus ao criar o homem viu que não era bom que este estivesse só, então Deus fez com que
Adão adormecesse e o Senhor tirou uma de suas costelas da qual fez a mulher para que fosse sua
adjutora.
Havendo Deus levado ao homem a mulher que havia formado, o homem a tomou e disse: esta é
agora, osso dos meus ossos e carne da minha carne; ela será chamada varoa, porquanto do varão foi
tomada. Portanto deixará o homem seu pai e a sua mãe e unir-se-á a sua mulher, e serão os dois numa
só carne. (Gn. 2.18-24).
Tendo Deus criado o homem e a mulher os abençoou e lhes disse: Frutificai, multiplicai-vos e
enchei a terra (Gn.1.26-28). Portanto, fica dessa forma esclarecido que a família foi a primeira e a mais
importante instituição divina.
A importância da Família
Temos duas razões para dizermos que a família é de suma importância para Deus. A PRIMEIRA,
é a que já vimos no tópico acima, isto é, sua origem é divina.
A SEGUNDA, pela qual entendemos isso, é que Jesus ao iniciar seu ministério terreno fez
questão de operar seu primeiro milagre em uma festa de casamento (Jo.2), por isso o Diabo desde o
principio tem agido por todos os meios possíveis para destruir a família, visando assim frustrar os planos
de Deus.
1 - Tentou Eva para que desobedecesse a Deus e a seu marido, pois este é que tinha recebido
as orientações divina ( Gn 3.1-6 ).
2 - Induziu Caim a matar Abel ( Gn.4:8; I Jo. 3:12 );
3 - Pediu permissão a Deus para tocar na família e nos bens de Jó ( Jó 1.10-11 ).
4 - Tenta as pessoas casadas para o adultério ( I Co. 7.5 ).
Quando Satanás consegue trazer discórdia, rebeldia, traição, etc., em uma família, ele encontra
mais espaço para minar ministérios e dominar o indivíduo para afastá-lo da presença de Deus, e assim
trazer dificuldades no relacionamento familiar. Não devemos jamais esquecer a afirmação do Senhor
Jesus Cristo em João 10.10 "O ladrão (Satanás) vem somente para roubar, matar e destruir; EU vim
para que tenham vida e a tenham em abundância". É por esse motivo que vemos tantos lares sendo
atacados, e tantos casais separados, sendo o adultério uma constante na vida das famílias e
infelizmente até nos lares cristãos; todavia, a Bíblia é o principal instrumento de benção e proteção para
a família, para que resistir todos os vendavais da vida e permanecer firme diante das astutas ciladas do
Diabo.

A hierarquia da família
1 - Marido - cabeça da mulher - posição mais elevada (Gn 3.16, Ef 5.23)
2 - Mulher - adjutora - missão de apoio ( Gn 2.20; Cl 3.18 )
3 - Filhos - Obediência aos pais ( Ef 6.1; Cl 3.20; Êx 20.12 )

A Família e o lar
1 - O que é o lar? - Lar, no seu pleno sentido, é o lugar e o ambiente onde vive uma família. Uma
casa apropriada para uma família; mas vazia, não é um lar.
Uma parte de uma pensão onde moram vários conhecidos entre si, não podemos chamar de lar.
2 - O que é um lar Cristão? - É o lugar onde todos os membros da família servem a Cristo (Js
24.15; At 16.31 ).
3 - Qual a importância do lar? - É que ele oferece proteção, descanso e formação do caráter.
4 - Como conservar o lar sadio?
a) - Cuidando da limpeza, conservando-o num ambiente de louvor e adoração a Deus, mantendo
sempre a presença de Deus através da palavra (Dt 11.18-32; 7.26, 6.4-9 ).
Alguém já disse: "O homem viaja através do mundo em busca do que deseja e retorna ao lar
para encontrá-lo".
b) - Mantendo o lar puro espiritualmente - a pureza do lar é determinada por aqueles que nele
habitam. Se os que nele habitam forem impuros o lar será impuro. Conforme a Bíblia se trouxermos,
para o nosso lar, algo que seja abominável aos olhos de Deus, então nosso lar, perde a sua pureza (Dt
7.26; Sl 101.2 ).
Nos dias atuais estas abominações se manifestam através dos meios de comunicação, isto é, o
vídeo, e a impressa. A influência maior destas abominações é sobre as crianças, mas, também, pessoas
adultas tornam-se presas desses males.
A história das 03 jovens: Conta-se que 03 jovens, estavam no inferno, lá resolveram fazer uma
ligação para suas casas, quando terminaram de ligar foram saber quanto foi cada ligação. A primeira,
pagou alguns dólares, e a Segunda a mesma coisa, mas, quando a terceira moça foi pagar, o
responsável pelo local respondeu: Não cobramos ligação local. Isto significa que a casa da jovem era
um inferno.

As características de um Lar Cristão


1 - Onde Cristo é o Senhor
2 - Existe verdade e transparências entre os cônjuges
3 - Há respeito mútuo
4 - Há amor consciente e expresso
5 - Não se vive vigiando e se tem liberdade
6 - Sentimos segurança
7 - Há verdadeira fidelidade
8 - Existe alegria apesar dos problemas
9 - Se resolve os conflitos e existe paz
10 - Há temperança e bom senso, paciência e confiança

O plano de Deus para a Família


Em toda a Bíblia podemos ver que Deus deseja salvar toda a família. Não há registro na palavra
de Deus que Ele queira salvar o marido e não queira salvar a esposa. Desde o início Deus revelou esta
verdade. Vejamos alguns exemplos que estão descritos na sua palavra.
Devido a união dos filhos de Deus com as filhas dos homens, a iniqüidade, violência e o pecado
cresceu assustadoramente, em conseqüência disto , Deus resolveu destruir o homem que havia criado
(Gn 6.1-7, 11,12 ). Todavia, Noé achou graça diante de Deus, pelo que Deus fez uma aliança com ele
dizendo: "Eu trago o dilúvio sobre a terra, para destruir tudo o que tem vida debaixo dos céus, tudo o
que há na terra expirará. Mas, contigo estabelecerei a minha aliança, e entrarás na arca e contigo os
teus filhos, a tua mulher e as mulheres de teus filhos"(Gn 6.17-18 ).
Temos também, o exemplo de Abraão (Gn 12.1-3 ), não se limita só nesses , temos ainda outros,
como de Raabe a Meretriz ( Js 2.12-18; 6.22-25 ), Lídia a vendedora de púrpura (At 16.30-34), O
Carcereiro de Filipos (At 16. 30-34). Diante desses exemplos que vimos está bem claro que Deus tem
um plano para toda a família ( I Tm 2.4; Tt 2.11; Jo 3.16 ). Oxalá que Deus nos conceda o privilégio que
teve Josué em dizer: "Eu e a minha casa serviremos ao Senhor" Js 24.15.

A família e os problemas da vida


Escrevendo aos Corintios, Paulo já dizia que se os jovens casarem não pecam, todavia
padecerão tribulação na carne ( I Co. 7.28 ). Vamos ver alguns tipos de problemas que as famílias
passam e suas causas.
Conflitos - Uma família cristã não está isenta de desentendimentos e conflitos, tem porém, uma
maneira de lidar com estes tipos de problemas para chegar a uma solução que beneficie a todos, para
que se alcance este objetivo, é necessário que se descubra a causa do problema. Outra coisa que se
deve fazer, é está disposto a perder ou abrir mão do direito e da razão, pois muitas vezes, ganhamos a
razão e perdemos a batalha.
Geralmente os conflitos nos lares são causados por algumas atitudes erradas :
1 - Imaturidade dos cônjuges
2 - Insubordinação, insubmissão
3 - Ciúmes exagerados
4 - Infidelidade conjugal
5 - Falta de perdão e humilhação

Desequilíbrio financeiro - Este tem sido um dos problemas que mais atinge as famílias atuais,
vejamos o porque:
1 - Precipitação - Pv. 14.29; 19.2 ; Ec 7.14
2 - Opressão - Ec. 7.7
3 - Descontentamento - Fl. 4.11.13; Pv. 30.7-9; I Tm 6.8; Sl. 37.16; Pv. 15.16; Hb 13.5
4 - Provação Divina - Jó 1.6-22; I Sm 22.2; I Re 4.1-7
5 - Infidelidade nos dízimos e ofertas - Mt 3.10-13 ; Mt 23.23; Hb 8.7; Ag 1.2-6

Enfermidades - As enfermidades estão relacionadas entre os principais problemas da Família


moderna, portanto vejamos também suas principais causas.
1 - Conseqüência natural - neste caso entram os problemas climáticos, choques térmicos,
poluição, etc...
2 - Hereditária - São inúmeros os casos desse tipo quando os pais não gozam de boa saúde,
geralmente os filhos sofrem as conseqüências ( Jr. 31.29 )
3 - Pecados não confessados - O apóstolo Paulo disse que pelo fato de alguns crentes
participarem da Santa Ceia indignamente haviam contraído enfermidades ( I Co 11.27-30; Jo 5.14)
4 - Para Glória de Deus - Jesus afirmou categoricamente que a enfermidade de Lázaro e a do
cego de nascença era para a glória de Deus ( Jo 11.4; 9.2,3 ).
5 - Provação - Jó 2.7; II Cor 12 7-9 (Paulo)

O Amor em suas quatros formas


- O Amor sob quatro formas ou manifestações não é uma teoria ou filosofia, mas uma realidade.
- O Amor e suas quatros formas - os sábios gregos foram os primeiros a estudar de modo
sistemático e científico os fenômenos a afetivos que constituem o amor.
1 - Amor instintivo
No Grego EROS = Atração física
O amor instintivo identifica-se com a paixão popular romântica.
O amor instintivo tem origem no instinto sexual e é centrado no corpo e nas formas do ser
amado. É um amor carnal, sensual, sensorial.
O amor instintivo reinando sozinho, torna-se puramente erótico, egoísta e interesseiro.
Esse tipo de amor é instantâneo ao iniciar e ao terminar, e instável enquanto existir. Além de
instável, ele é inseguro, porque depende de emoções e não primeiramente de confiança no ser amado.
Já o verdadeiro amor afetivo, de que trataremos a seguir, é lento ao iniciar e ao terminar - se isto
ocorrer e estável enquanto existir.
Aqui vai um sério aviso: O amor "Eros" existindo sozinho, um dia não muito distante, começará a
esfriar, e por fim morrerá, restando apenas a desilusão. Ele, existindo sozinho, não resiste ao tempo,
nem às mutações psíquicas, morfofisiológicas e sociais do ser amado.

O Amor instintivo é um amor legítimo quando mantido dentro de seus limites.

No mundo atual, "Eros" é o amor mais comum, apesar de ser o mais desvalioso dos quatro.
Quase todos os adolescentes e jovens, por falta de ensinamento, ao namorar, não sabem fazer a
diferença entre NAMORO INSTINTIVO e NMORO AFETIVO. Depois pagam caro por isso.

O amor instintivo, tipo "Eros" ilustrado na Bíblia: 2 Sm 13.1,14,15"... Uma irmã formosa, cujo
nome era Tamar; Amnon, filho de Davi amou-a." Depois Amnon, a aborreceu com grandíssima
aborrecimento, porque maior era o aborrecimento com que a aborreceria, do que o amor com que a
amara.

Vê se aqui, que a paixão é descontrolada; ao passo que o amor de fato, é controlado.

A simples paixão, enquanto que o verdadeiro amor busca primeiramente isso. A pura paixão é
cega; o autêntico amor, não. Ele tem bons olhos.

Outro exemplo do amor tipo "Eros".

1 - Rs 11.1 - "Ora, o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha de Faraó..."
É evidente tratar-se aí, do amor tipo "Eros", que se torna insensato, louco, sem medir as conseqüências
que sobrevirão.

2 - Amor Afetivo

No Grego STORGE = Amor romântico, amor familiar, amor conjugal, amor doméstico, amor
afetivo.

O amor afetivo une almas, une vidas, une corações, e não apenas corpos.

É o amor materno, paterno, filial, conjugal, afetivo, romântico.

Esse amor é objetivo; isto é, comunica-se ao ser amado.

Uma pessoa não vai saber automaticamente que é amada; é preciso que o amor que dizemos
Ter, seja expresso.

Casais precisam expressar esse amor ( se de fato o têm).

O amor afetivo é sacrificial e desinteressado. El se transmite ao ser amado.

O amor afetivo é realista; ele não vive de palavras, nem de emoções, nem de sonhos, mas de
fatos.
O amor tipo "Storge" é gradativo; é diferente da paixão erótica, que é súbita no seu início e no
seu término.

Quem de fato ama, respeita o outro, pois amar afetivamente é mais do que experimentações,
mais do que emoções, mais do que sonhar acordado, mais do que suspirar.

3 - Amor Fraternal

No grego PHILEO = Amor fraternal, amizade, afeição.

Amor fraternal como "Phileo", é o amor ao próximo, seja este do mesmo sexo, raça, idade, ou
não.

Amor fraternal é o amor filantrópico ( Filantrópico vem de "phileo")

É o amor social, amor humanitário, amor patriótico, amor generoso, amor altruísta, amor cívico,
amor comunitário.

O amor fraternal é essencial nas relações humanas; entre as nações, famílias, associações,
vizinhos, etc.

Todo casal necessita deste tipo de amor

Em Cantares de Salomão 5.1, o esposo chama a esposa de irmã, o que implica amor fraterno.

4 - Amor Divino

No grego Ágape = Amor Divino.

Deus é a personificação deste amor ( I Jo 4.8,16) Quão precioso e sublime é este amor, então.

Cristo é o maior exemplo deste amor ( Jo 3.16; Rm 5.8 )

A perfeita descrição deste amor ( I Co 13 )

Este amor divino habitando em nós é o sinal da nova vida em Cristo em nós ( I Jo 3.14)
É com este amor divino "Ágape", que Deus quer que o marido ame sua mulher. Assim diz a
Bíblia em Ef. 5.15: "Vós maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amor a Igreja"( Amar a
mulher não é uma opção é um mandamento).

Se esse amor do marido ou da mulher enfraquecer, é preciso que orem a Deus nesse sentido!

O amor "Eros", o amor "Storge" e o amor "Phileo" são formas de amor imanentes em nós desde
o berço, mas "Ágape" não! Este passa a operar em nós a partir da habitação do Espirito Santo em
nosso ser, na nossa conversão adeus (Gl.5.22).

A respeito deste assunto vejamos o que diz o Pastor Ronaldo Fonseca no seu livro:
"JUVENTUDE EM CRISE".

Na Bíblia, não encontramos claramente a prática do namoro nos moldes de hoje. O namoro
ocupa espaço de grande importância na sociedade do Século XX. As regras desta prática diferem
quanto ao aspecto cultural e conceito religioso, porém, a bíblia não é contrária a ela, os padrões para
um namoro cristão estão inseridos nas páginas da palavra de Deus.

Definindo o Termo Namoro

De acordo com a nossa cultura, podemos definir o namoro como o início de um relacionamento,
entre duas pessoas de sexo opostos, que procuram verificar as possibilidades de afinidades para a
realização de uma união acertada entre eles, e assim viverem juntos por toda vida. O namoro é a fase
espiritual do casamento e não pode ser um relacionamento sem compromisso, isto é, um passa tempo,
e sim, o inicio da procura de um companheiro para a jornada da vida, de maneira que: se o jovem não
for bem sucedido no namoro, com certeza também não será no casamento.

A Escolha

Uma das maiores preocupações do solteiro é saber se a pessoa com quem pretende manter um
relacionamento é a escolhida por Deus. Para aqueles que confiam no Senhor, isto é, não deve ser uma
preocupação basta "deleitar-se no Senhor", que Ele concederá o que deseja o coração ( Sl 37.4-5; I Pe.
5.6,7; Sl. 55.22).

Alguém já disse que dentre as muitas escolhas importantes da vida, existem três que são
decisivas: 1 - A escolha do Salvador e Senhor, 2 - A profissão, 3 - O futuro cônjuge, sendo assim, o
jovem que deseja ser feliz no casamento deve ter muito cuidado para não fazer uma escolha errada e
precipitada.

O que leva um jovem cristão a fazer uma mal escolha?


1 - Sensualidade - (Escolher por causa da beleza física)

2 - Avareza - ( vida financeira )

3 - por está ficando velho ou velha

4 - Por incentivo dos outros

5 - por causa de alguma "profecia"

6 - para se sentirem livres dos pais, etc...

Agora que já vimos o que leva os jovens a fazer escolhas erradas, vejamos como devem na
realidade fazerem a escolha para o casamento.

O primeiro passo que um jovem cristão deve dar para ser bem sucedido na escolha do futuro
cônjuge é buscar a direção divina, através da oração e da leitura na palavra de Deus (Gn 24;
Sl.119.105).

Posteriormente o jovem deve certificar-se de que o candidato é verdadeiramente salvo, pois de


acordo com o ensino geral das escrituras o casamento misto não é aceito por Deus ( Êx.34.12-16; Nm
36.6; Ne 13.26,27; Amós 3.3 ; II Cor 6.14-18). Podemos ver esta verdade através de alguns resultados
que o casamento misto produz.

1- Um louva a Deus, e o outro não. II Co 6.14.

2- Um é templo de Deus e o outro não. I Co 3.16

3- Um vai para o céu e o outro não. Lc 17.34

4- Não haverá harmonia. Am 3.3

5- O lar não pode ser considerado cristão. Js. 24.15


Outro importante passo que o jovem cristão deve dá ao fazer a escolha, é escolher alguém que
se identifique com ele.

1 - Idade - imagine um rapaz de 18 anos casado com uma jovem de 30 anos.

2 - Nível cultural

3 - Propósitos e objetivos iguais.

4 - Temperamentos.

Também deve-se atentar para as qualidades do candidato(a), para que seu futuro não seja
desastroso; eis os exemplos:

Se gosta de trabalhar e estudar.

Se é mal criado.

Se é desobediente aos pais.

Relaxado

Desarrumado

É importante que haja alguns critérios a serem seguidos, afim de que o erro não seja
correspondente as suas atitudes. Jamais o jovem poderá negligenciar o uso do bom senso e assim
fazendo deverá atentar para esses critérios a seguir:

1 - Intimidade pessoal com Deus

2 - Compatibilidade familiar

3 - Comportamento familiar

4 - Relacionamento com os pais

07 Perguntas que Ela deve fazer:


1 - Ele é trabalhador?

2 - Administra bem o dinheiro?

3 - Demonstra que é cristão?

4 - Mostra equilíbrio diante das circunstâncias?

5 - Tem bom relacionamento com a família dele?

6 - Tem bom conceito diante da igreja?

7 - Revela profundo amor por você?

Reconhecendo os limites (Ec.10.8)

Todo jovem crente deve reconhecer que está rodeado de limites, de forma que se ultrapassá-los
sofrerá as conseqüências, por isso, queremos deixar alguns conselhos que o ajudará a vencer:

1 - Cultive um relacionamento que glorifique a Deus ( I Co 10.31 )

2 - No início do namoro, planeje atividades que envolvam participação em grupo.

3 - Evite ficar a sós por muito tempo para não ceder as tentações.

4 - Desenvolva no ambiente do namoro um espirito de louvor e adoração ao Senhor.

5 - Coloque a palavra de Deus em primeiro plano, e leia bons livros sobre este assunto ( Sl
119.5,9 ; II Tm 4.13 ).

O segundo passo que o jovem dar em direção da mais perfeita união (o casamento) depois de
uma árdua batalha de ansiedades e chega o noivado, que é a fase de preparação, também, chamado
de aspecto social do casamento. Alguns o denomina de período de conhecimento, fase de preparação ,
por isso, deve-se observar o seguinte:

1 - Não ter um noivado curto.


2 - Não ter um noivado longo demais.

3 - Não terem experiências sexuais só porque discutem sobre o assunto.

Portanto, se é um período de conhecimento e preparação, os noivos deverão conversar sobre a


vida futura, ler bons livros, tomar bons conselhos com pessoas capazes de orientar sobre a vida ( o
pastor, os pais ou um amigo que tenha um casamento sólido e feliz no Senhor Jesus). A Bíblia Sagrada,
está repleta de conselhos sábios para se viver bem.

É a união de duas pessoas de sexo diferente, não é uma instituição humana e sim, divina. Logo
no início Deus viu que não era bom que o homem estivesse só e então criou a mulher (Gn 2.18).

A finalidade do casamento

A principal finalidade do casamento é a pureza da família, consequentemente o desenvolvimento


de uma sociedade justa e ordeira como também a procriação, a satisfação física e emocional do homem
e da mulher.

De maneira que todas as vezes que é realizado um casamento, surge uma nova família como
continuação da mais antiga instituição divina. Na verdade todas as demais instituições e organizações
humanas surgiram desta primeira (FAMÍLIA).

O casamento sob três aspectos

1 - Aspecto ESPIRITUAL - (Gn 2.22; Hb 13.4; Ef 5.22-23)

O casamento tem este aspecto porque além de ser de origem divina, é o mais perfeito símbolo
da união de Cristo e sua igreja (II Co 11.2; Ef 5.25; Ap 19.7; 22.17).

2 - Aspecto LEGAL - (Rm 7.2; I Co 7.39)

O casamento tem a proteção da lei. Quando o casal se une sem Ter cumprido esta formalidade
está cometendo o pecado de fornicação e trazendo maldição sobre suas vidas, em vez de benção do
Senhor . Por mais que haja amor, o casal precisa sujeitar-se a orientação divina para que tenham uma
vida feliz.

3 - Aspecto SOCIAL- (Rm 4.9-12)


A sociedade é fruto da família, por envolver a união de duas famílias e representar a formação
de um novo lar, por isso, o casamento desempenha também, um papel social.

Deveres conjugais - Parte 01

Para que haja equilíbrio e harmonia no lar, Deus estabeleceu algumas regras, e por meio delas
surge a hierarquia do lar. Vejamos alguns princípios de Deus para o casamento:

O marido e seus deveres

1 - Amar a esposa como Cristo amou a igreja.

- Amor sacrificial ( Ef.5.25)

- Amor voluntário ( I Jo 4.19 )

- Amor incondicional ( Rm 5.8 )

2 - Liderar o Lar.

Com autoridade - é dominar com amor, tendo o direito dado por Deus para administrar, isso não
significa ser autoritário, faltar com respeito e agir sozinho.

Servir de exemplo para família.

3 - Deve sustentar materialmente e espiritualmente a família

- É dever do esposo dá o sustento espiritual da família, isto é, ensinar a palavra de Deus (Dt.
11.18,19), e exercer o sacerdócio no lar (Jó 1.4,5, I Tm 5.8)

4 - O esposo deve também sustentar afetivamente sua esposa.

Muitos, sustentam bem a esposa com coisas materiais como: casas luxuosas, móveis caros e
eletrodomésticos... mas , negam-lhes o afeto, amor e carinho, preferem cuidar de si mesmo e esquecem
da esposa e dos filhos.

A vontade de Deus para o casal, é que haja um constante romance. Deus estipulou a " lua de
mel" para que fosse durante 01 ano ( Dt 24.5 ; I Pe. 3.7; Ec 9.9; Pv 5.18,19; Ct 2.16 ).
Alguns tipos de MARIDO

1 - Ditador - manda sozinho, não ouve opinião da esposa nem de ninguém, é tirano e cruel.
2 - Democrático - Ouve e pondera opiniões antes de agir.
3 - Teimoso - nunca admite que está errado. Na sua estupidez, julga-se sempre infalível.
4 - Insensível - é frio, mau, torturador.
5 - Silencioso - Este governa sem comunicação, massacra com seu silêncio doentio.
6 - Explosivo - Dá "curto circuito" num momento, e de vez em quando, mas logo passa a
tempestade.
7 - Crítico - Vê sempre tudo errado. Sabe mais do que todo mundo.
8 - Negligente - Não leva nada a sério em casa: esposa, filhos, obrigações, compromissos...
9 - Ciumento - é imaturo desconfiado, inseguro.
10 - Ideal - ( veja a seguir ).

O perfil do MARIDO ideal

1 - Saber amar - Ef. 5.25


2 - Saber compreender - I Sm 1.4,5
3 - Saber perdoar - Ef 4.32; I Pe. 3.7
4 - Ser convertido a Cristo - II Co 5.17
5 - Ser comunicativo - I Sm 25.17
6 - Ser sincero - Ef. 4.25
7 - Ser fiel - Sl. 12.1

A ESPOSA e seus deveres

1 - Submissão - o primeiro e mais importante dever da mulher cristã é a submissão ou sujeição.


Quando a mulher vem a falhar neste dever toda estrutura do lar fica abalada, pois esta obrigação não é
algo imposto pelo marido e sim uma ordenança divina ( Gn 3.16; Ef 5.22; I Co 14.14; Cl. 3.18; I Pe. 3.1).
2 - Ser boa dona de casa - é indecente para a mulher cristã viver de casa em casa, abandonar
os filhos deixando-os entregue ao relento, como também não cumprir com suas obrigações domésticas (
Tt.2.3; I Tm 3.11; 5.13)
3 - Deve ser humilde e mansa - quanto sofre o homem que tem uma esposa contendeira, rixosa,
e desunida ( Pv 21.19; 25.24; 27.15; I Tm 2.11-15 ).

Alguns tipos de ESPOSA


1- Nervosa - é agitada, gosta de gritar.
2- Malcriada - é respondona. Só se sente bem quando está brigando com o marido.
3- Punidora - Puni o marido de várias maneiras.
4- Irresponsável - Não cuida da casa nem dos filhos.
5- Pródiga - Só vive fora de casa, gasta todo o dinheiro que pega.
6- Reclamadeira - Murmuradora, nada está bom.
7- Dominante - Autoritária, mandona, é o tipo Jezabel.
8- Ideal - ( veja a seguir ).

O perfil da ESPOSA ideal

1 - Ser sábia como Abigail ( I Sm 25.18-37; Pv 14.1 )


2 - Virtuosa como Rute ( Rt 3.11; Pv 31.10 )
3 - Submissa como Sara ( I Pe. 3.1, 6 ; Ef. 5.22-23 )
4 - Ouve a palavra de Deus como Maria ( Lc 10.39 )
5 - Boa dona de casa como Marta ( Lc 10.40; Tt 2.3 )
6 - Perseverante, esposa favorita: Ana. ( I Sm 1.5-18 )
7 - Dinâmica como Débora. ( Jz 4.4-9 )
8 - Mulher de oração. Como Ana a profetiza. (Lc 2.36-37 )
9 - Mulher batalhadora do evangelho como Eunice. ( II Tm 1.5 )
10 - Mulher transformada como Maria Madalena. ( Lc 8.2; I Pe. 3.1-7 )

Deveres conjugais - Parte 02

Relação Sexual - O que diz a Bíblia sobre este assunto - Devido a maneira impura que o mundo
fala sobre esse assunto, muitos servos de Deus, possuem um visão negativa deste alto conjugal.
Todavia vamos ver qual o conceito bíblico .
Não obstante o mundo ter feito uma falsa propaganda sobre esse ato, a palavra de Deus trata-o
como algo abençoado por Deus ( Gn.1.26-28 ), no mais puro sentido da palavra a RELAÇÃO SEXUAL é
uma benção de Deus para o ser humano.
Se Deus não tivesse em vista a prática da RELAÇÃO SEXUAL pelo homem e a mulher, então
Ele teria feito ambos do mesmo SEXO.
Quando Deus fez Macho e Fêmea já estava em seus planos essa prática, não só o corpo da
mulher e do homem foram criados por Deus, Ele não criou o corpo e deixou os ÓRGÃOS SEXUAIS para
o Diabo criar, portanto, "viu Deus tudo que tinha feito, e que era muito bom" (Gn 1.31).
Agora, a maneira errada como as pessoas mundanas usam a RELAÇÃO SEXUAL, isto sim, é
pecado e diabólico. Exemplo: Homossexualismo, Lesbianismo e outras práticas imorais.
A RELAÇÃO SEXUAL entre marido e mulher é uma benção de Deus, haja vista a recomendação
de Paulo quando diz: "Não vos defraudes um ao outro, se não por consentimento mútuo por algum
tempo para vos aplicardes a oração, depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente por
causa da incontinência (Falta de moderação) " (I Co 7.5) .

Princípios divinos para o Ato Sexual

MONOGAMIA - Este principio revela que o Ato Sexual só deve ser praticado entre marido e
mulher (Gn.2.24).
Se a pessoa não obedecer a este principio bíblico, então a vontade de Deus foi quebrada, e o
indivíduo peca contra seu próprio corpo. ( I Co 6.15-16 ).
A relação sexual com outra pessoa que não seja o cônjuge, constitui-se em violação a palavra de
Deus, e aqueles que assim procederem, trarão maldições sobre suas vidas ( II Sm 12.9-12 ).
"Relação Sexual", só no casamento - O salvo em Jesus Cristo, não pode pautar-se pela
sociedade caída, a qual ensina esta prática entre pessoas não comprometidas com o Casamento.
Quando uma pessoa pratica a Relação Sexual, não sendo casada, comete o pecado de fornicação. A
união sexual de um homem e uma mulher sem que estejam amparados legalmente pela lei, é contrário
a palavra de Deus.

Finalidades da RELAÇÃO SEXUAL

Como já vimos no início, a principal razão pela qual Deus criou o homem e a mulher com os
órgãos sexuais diferentes, foi a prática da relação sexual entre ambos, e consequentemente a
procriação (Gn 1.27,28). Sendo assim, Adão tinha liberdade de comunicar-se verbal, social e fisicamente
com sua mulher. A união portanto entre marido e mulher foi estabelecido por Deus, para a multiplicação
da Raça humana.
A Vida íntima entre os dois deve ser mantida, pois é uma relação pura e é nobre conservar o
"leito sem mácula"(Hb 13.4), sem briga, sem discussões e sem rivalidades.

Comunicação e Satisfação

Através do ato conjugal, Deus providenciou um meio pelo qual os dois (Homem e Mulher)
possam comunicar-se fisicamente e mostrar profunda unidade existente entre os dois.
Quando o casal dá de suas energias, sentimentos e afeições num relacionamento físico, marido
e mulher experimentam uma comunicação intima; esse é o meio de conhecer um ao outro. No que diz
respeito a satisfação, é importante observar o que diz Salomão no livro de Provérbios 5.15,18,19 "Seja
bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, como corça amorosa, e gazela
graciosa, saciem-te os seus seios em todo o tempo, e pelo seu amor sejas sempre cativado. Bebe a
água da tua própria cisterna, e das correntes do teu poço". Essas expressões de Salomão falam de
SATISFAÇÃO.

Experiência de dá - ( I Co 7.1-7)
Nestes versículos o Apóstolo nos ensina que o corpo de UM não pertence a sim mesmo, mas,
sim, ao seu cônjuge. Isto significa que um não pode negar ao outro quando este estiver desejoso.

Precisamos lembrar que os crentes de Corinto foram convertidos de um paganismo que exaltava
sobremodo o sexo e incluía a prática de relações sexuais dentro de seus próprios cultos de adoração
aos deuses chegou a haver mais de mil prostitutas - profetisas.

Pecados e desvios Sexuais

1 - Masturbação - (Gn.38.9) é toda auto excitação ou satisfação sexual efetuadas por qualquer
meio, tocar ou acariciar de propósito os próprios órgãos genitais para provocar prazer.
2 - Fornicação - É a prática do sexo entre duas pessoas que não são casadas legalmente
amparadas por lei, ou por namorados e noivos. ( I Co 6.18; Gl 5.19; I Ts 4.3 ).
3 - Adultério - É a prática de sexual ilícita com cônjuge que não é o seu ( Mt.19.9; 15.9; Mc 7.21)
o adultério não consiste só na prática sexual ilícita, mas também, através de um simples olhar (Mt.
5.27,28).
4 - Homossexualismo - É a prática sexual entre dois homens. Consiste numa verdadeira
abominação diante de Deus. Grande parte de ídolos de Tv, e outros, meios mundanos de diversos estão
neste Grupo (Rm1.27; Lv.18.22; 20.13; I Co 6.9; I Tm 1.10; Ap 21.8; Jo. 7; Ap 22.15 ).
5 - Lesbianismo - Trata-se do relacionamento sexual entre duas mulheres, o que é contrário a
palavra de Deus, e tratado na Bíblia como paixão infame ( Rm1.26 ).

6 - Bestialidade - Consiste na Relação entre homem ou mulher com animais, o que é também
uma abominação aos olhos de Deus ( Lv. 18.23 ).

Sobre carícias no namoro - Ec.3.5; Lm 3.27; Pv 6.27; Ez 23.3.

Alguns passos para obter uma vida feliz

1 - Submeter-se a palavra de Deus ( Tg 1.22 ).


2 - Manter uma vida do constante oração ( Ef.6.18; I Ts 5.17)
3 - Andar prudentemente ( Ef.5.15; Pv.22.3 )
Ter uma vida feliz em os cônjuges estão satisfeitos um com o outro e sente-se realizados, é
exceção quando devia ser regra. A primeira benção de Deus na esfera humana foi para o primeiro
casal:" E Deus os abençoou" ( Gn.1.28 ).
O Senhor nunca aboliu esta benção, para a felicidade em geral da família. Mas necessário é que
cada casal viva para Deus .
As causas básicas de uma vida feliz e duradoura.

a) - Cônjuges que vivem para Deus. Casais que buscam a Deus podem vencer juntos os
problemas da vida.
b) - Amor recíproco entre os dois. O amor não é a única causa da felicidade no casamento, mas
é a principal.
c) - Maturidade social e espiritual dos dois. 75% dos conflitos conjugais estão aqui: imaturidade
do marido, da mulher ou dos dois.

Deveres dos Pais para com os filhos

1 - Espiritual e moral - (Dt 31.13) - Os pais tem o dever de exercer o sacerdócio no lar, isto é ,
ensinar , ler a palavra de Deus e orar com e pelos filhos, (Jo 1.4-5; Dt 6.5-7; Pv 22.6). Porém, não
esqueça que a maior maneira de ensinar aos filhos é servindo de exemplo naquilo que ensina. Uma das
piores coisas que pode acontecer aqui nesta vida é ouvir ensinamentos certos por pessoas que não tem
exemplos próprios.

O culto doméstico é o método mais eficaz para que os filhos aprendam a respeitar a Deus em
todos os lugares. Infelizmente em muitos lares hoje já não se lê a Bíblia junto com a família (marido,
esposa e filhos), e isto tem trazido muitos prejuízos para a família cristã.

2 - Disciplina - Outro dever imposto por Deus aos pais, é a formação do caráter dos filhos. Isto
muitas vezes exige disciplina e correção, portanto, veja o que diz a palavra de Deus a esse respeito:
Pv.22.6; 22.15;23.13; 29.15; Hb 12.9; Pv 13.24; 19.18.

Dever material e físico

Os deveres dos pais para com os filhos não se limita só a vida espiritual, mas também, abrange
a vida material e física, então veremos em que consiste esses deveres.

1 - Provisão - Alimento, vestes ... etc ( Mt.7.9-10 )


2 - Educação - Estudos e Saúde (Pv. 3.1; 22.6)

Não provocar a ira nos filhos

Recomendando aos pais crentes da igreja de Éfeso, Paulo se expressa dizendo: "Não
provoqueis a ira a vossos filhos" (Ef.6.4).

De que maneira os pais provocam a ira dos filhos?


1 - Quando se dá ordem sem ser exemplo (Jo 13.15)
2 - Quando se fala duramente sem respeito ( Pv. 15.1 )
3 - Quando demonstra amar mas um do que o outro (Gn 25.28)
4 - Quando os pais erram, e não admitem seus erros.
5 - Quando não há comunicação.
6 - Quando o pai e mãe não vivem unidos
7 - Quando não se manifesta carinho e afeto.

Deveres dos filhos ( Ef.6.1 )

Biblicamente falando o primeiro dever dos filhos é:


1 - Obedecer - Esta obediência implica em submissão e honra. Êx.20.12 e aparece nas páginas
sagradas como o primeiro mandamento com promessa ( Ef.6.2; Jr 35.18,19 ).
2 - Alegrar seus pais - (Pv. 10.1; 15.20 )
3 - Ser fiel - Pv. 28.24
4 - Ouvir a instrução - Pv. 1.8; 3.1; 4.1; 13.1; 23.22.

Alguns tipos de Filhos

1 - Rebeldes - Tipo Absalão


2 - Desobedientes
3 - Ingratos
4 - Pródigos - Jovem da Parábola
5 - Filhos de Eli - maus
6 - Incompreensíveis - irmão do pródigo
7 - Ideal

Melhores e Piores exemplos de vida

Melhor esposo - Elcana - I Sm 1.8


Melhor esposa - Sara e Abigail - I Pe. 3.56; I Sm 25.18-35
Melhor Nora - Rute - Rt4.15
Melhor Sogra - Noemi - Rt 1.15-17
Melhor Amigo - Davi e Jonatas - I Sm.

Pior esposo - Nabal - I Sm 25


Pior esposa - Jezabel
Pior filho - Absalão e os de Eli
Pior Noras - Esposas de Esaú - Gn 26.34-35.

BÍBLIOGRAFIA
Antes de dizer sim - Jaime Kemp - MC
Juventude em Crise - Ronaldo Fonseca - CPAD
Raposinhas que destroem - Nícolas W. Van Eik - IFC
Reavivamento na Família - Simonton César de Araújo
Sexo - Antonio Carlos de Souza
O que os jovens precisam saber - Josué Gonçalves
O Plano de Deus para o Casamento - Antonio Carlos
Edificando a casa sobre a rocha - Josué Gonçalves - IFC
Lições Bíblicas Dominical - José Apolônio - CPAD
A Família Cristã - Antonio Gilberto