Вы находитесь на странице: 1из 97

RETENÇÕES NA FONTE

PIS,COFINS, CSLL, IRRF, ISSQN E INSS PJ

ABRIL/2016
SERVIÇOS - CONCEITO
Serviço significa bem econômico imaterial, fruto de esforço humano
aplicado a produção. É produto da atividade humana destinado a
satisfação de uma necessidade mas que não se apresenta sob forma de
bem material.

O ISS recai sobre circulação de bem imaterial (serviço). Resulta da


obrigação de fazer. O ICMS recai sobre circulação de bem material
(mercadoria), resulta da obrigação de dar.
ISS – IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS – LEI COMPLEMENTAR
116/2003
O campo de incidência do ISS é a prestação de serviços constantes da lista
anexa à LC 116/2003, ainda que esses serviços não se constituam atividade
preponderante do prestador (art. 1º da LC 116/03);

Os serviços constantes da lista em que não se faz menção a emprego de


material que ficaria sujeito ao ISS, sujeitam-se, exclusivamente, ao ISS e não
ao ICMS, ainda que sua prestação envolva fornecimento de mercadoria;

Os serviços incluídos na lista com ressalvas quanto ao emprego de


material ficam sujeitos ao ISS e os seus materiais ao ICMS;

tudo que não constar da lista (serviço e/ou material) ficam sujeitos
somente ao ICMS.
IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS – LC 116/2003

O imposto é devido e o serviço é considerado prestado, como regra geral, no local


do estabelecimento prestador ou, na falta do estabelecimento, no local do domicílio
do prestador (art. 3º da LC 116/03);

O contribuinte do ISS é o prestador de serviços (art. 5º da LC 116/03);

A base de cálculo do imposto é o preço do serviço prestado (art. 7º da LC 116/03);

A alíquota aplicável não poderá exceder os 5% (art. 8º da LC 116/03). Em São Paulo


as alíquotas variam entre 2%;3% e 5%. Veja na apostila página 54.
Seu chefe pergunta? Para qual Município devo pagar o
ISS?

Para o município
que o serviço foi
prestado?

Para o município
em que está o
prestador do
serviço?
Para o município que está o
contratante/tomador do serviço?
ISS – LOCAL DE RECOLHIMENTO

O imposto é devido e o serviço é considerado


prestado, como regra geral, no local do
estabelecimento prestador ou, na falta do
estabelecimento, no local do domicílio do
prestador (art. 3º da LC 116/03);
É CLARO QUE EXISTEM EXCEÇÕES, VAMOS VER
QUAIS SÃO...
EXCEÇÕES A REGRA – ART. 3° DA LC
116/2003
I – do estabelecimento do tomador ou intermediário do serviço ou, na falta de
estabelecimento, onde ele estiver domiciliado, na hipótese do § 1o do art. 1o
desta Lei Complementar;
II – da instalação dos andaimes, palcos, coberturas e outras estruturas, no caso
dos serviços descritos no subitem 3.05 da lista anexa;
III – da execução da obra, no caso dos serviços descritos no subitem 7.02 e 7.19
da lista anexa;
IV – da demolição, no caso dos serviços descritos no subitem 7.04 da lista anexa;
V – das edificações em geral, estradas, pontes, portos e congêneres, no caso dos
serviços descritos no subitem 7.05 da lista anexa;
EXCEÇÕES A REGRA – ART. 3° DA LC
116/2003
VI – da execução da varrição, coleta, remoção, incineração, tratamento, reciclagem,
separação e destinação final de lixo, rejeitos e outros resíduos quaisquer, no caso dos
serviços descritos no subitem 7.09 da lista anexa;
VII – da execução da limpeza, manutenção e conservação de vias e logradouros
públicos, imóveis, chaminés, piscinas, parques, jardins e congêneres, no caso dos
serviços descritos no subitem 7.10 da lista anexa;
VIII – da execução da decoração e jardinagem, do corte e poda de árvores, no caso
dos serviços descritos no subitem 7.11 da lista anexa;
IX – do controle e tratamento do efluente de qualquer natureza e de agentes físicos,
químicos e biológicos, no caso dos serviços descritos no subitem 7.12 da lista anexa;
X – (VETADO)
XI – (VETADO)
XII – do florestamento, reflorestamento, semeadura, adubação e congêneres, no
caso dos serviços descritos no subitem 7.16 da lista anexa;
EXCEÇÕES A REGRA – ART. 3°
DA LC 116/2003
XIII – da execução dos serviços de escoramento, contenção de encostas e
congêneres, no caso dos serviços descritos no subitem 7.17 da lista anexa;
XIV – da limpeza e dragagem, no caso dos serviços descritos no subitem
7.18 da lista anexa;
XV – onde o bem estiver guardado ou estacionado, no caso dos serviços
descritos no subitem 11.01 da lista anexa;
XVI – dos bens ou do domicílio das pessoas vigiados, segurados ou
monitorados, no caso dos serviços descritos no subitem 11.02 da lista
anexa;
XVII – do armazenamento, depósito, carga, descarga, arrumação e guarda
do bem, no caso dos serviços descritos no subitem 11.04 da lista anexa;
XVIII – da execução dos serviços de diversão, lazer, entretenimento e
congêneres, no caso dos serviços descritos nos subitens do item 12, exceto
o 12.13, da lista anexa;
EXCEÇÕES A REGRA – ART. 3°
DA LC 116/2003
XIX – do Município onde está sendo executado o transporte, no
caso dos serviços descritos pelo subitem 16.01 da lista anexa;
XX – do estabelecimento do tomador da mão-de-obra ou, na falta
de estabelecimento, onde ele estiver domiciliado, no caso dos
serviços descritos pelo subitem 17.05 da lista anexa;
XXI – da feira, exposição, congresso ou congênere a que se referir
o planejamento, organização e administração, no caso dos
serviços descritos pelo subitem 17.10 da lista anexa;
XXII – do porto, aeroporto, ferroporto, terminal rodoviário,
ferroviário ou metroviário, no caso dos serviços descritos pelo
item 20 da lista anexa.
Veja qual deve ser a resposta
ao seu chefe

REGRA – O ISS é devido no local do estabelecimento ou


domicílio do prestador.

EXCEÇÃO – O ISS é devido no local da prestação do


serviço ou do estabelecimento do tomador, são 22
exceções.
Vamos pensar?
Para qual município será devido o ISS referente a prestação de serviços
de vigilância previstos no item 11.02 da lista de serviços?
Resposta: para o município onde se encontram os bens ou domicilio das
pessoas vigiadas.
Vamos pensar?
Para qual município será devido o ISS referente a prestação de serviços
de construção civil (subitem 7.02) da lista anexa a LC 116?
Resposta: para o município da execução da obra.
Vamos pensar?
Para qual município será devido o ISS, referente a prestação de serviços
de representação comercial, previsto no subitem 10.09 da lista de
serviços?
Resposta: para o município em que estiver o prestador do serviço.
Vamos pensar?
No que consiste o fornecimento de mão-de-obra? Nessa hipótese para qual
município será devido o ISS?
Fornecimento de Mão-de-Obra - Conceito
Fornecer é prover, ministrar o necessário. Fornecimento de mão-de-obra vem a ser
o atendimento, por quem necessita, de trabalho humano. Fornece mão-de-obra a
empresa cujo objetivo social é a comercialização do fornecimento de pessoal e
material, a empreitada de fornecimento de pessoal e material necessários à
manutenção e funcionamento da administração de estabelecimentos. O usuário de
mão-de-obra não assume, a tempo algum, qualquer posição de empregador. Assim,
o usuário recebe apenas mão-de-obra, abrangendo, por exemplo, trabalhos de
contabilidade, secretaria, zeladoria, limpeza, motoristas, operadores, manobristas
etc., pagando, para tal, determinada importância.
Resposta: para o município em que está estabelecido o tomador do serviços.
ISS – IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS – LEI COMPLEMENTAR
116/2003

Até agora estudamos a LC 116/2003, para saber para qual


Municipio devemos pagar o ISS.
A partir daqui vamos estudar responsabilidade, ou seja, quem
deve pagar o Imposto Sobre Serviços.
Bons Estudos!!
Quem tem que pagar o ISS?
Para começar vamos entender alguns conceitos.

Sujeito Passivo:
◦ Contribuinte: é o prestador do serviço, (empresa,
profissional autônomo, sociedade cooperativa,
sociedade uniprofissional)
◦ Responsável: é o tomador ou intermediário do
serviço (substituto tributário) é aquele que
realiza a retenção na fonte.
Quem tem que pagar o ISS?
Ao observamos a LC 116, haverá retenção na fonte, ou seja, o tomador do serviços pagará o ISS quando
contratar os seguintes serviços:
Importação de serviços
Cessão de andaimes, palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário
Execução, por administração, empreitada ou subempreitada, de obras de construção civil, hidráulica ou
elétrica e de outras obras semelhantes, inclusive sondagem, perfuração de poços, escavação, drenagem e
irrigação, terraplanagem, pavimentação, concretagem e a instalação e montagem de produtos, peças e
equipamentos (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador de serviços fora do local
da prestação dos serviços, que fica sujeito ao ICMS)
Demolição
Reparação, conservação e reforma de edifícios, estradas, pontes, portos e congêneres (exceto o
fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador dos serviços, fora do local da prestação dos
serviços, que fica sujeito ao ICMS)
Varrição, coleta, remoção, incineração, tratamento, reciclagem, separação e destinação final de lixo,
rejeitos e outros resíduos quaisquer
Limpeza, manutenção e conservação de vias e logradouros públicos, imóveis, chaminés, piscinas,
parques, jardins e congêneres
Quem tem que pagar o ISS?

Ao observamos a LC 116, haverá retenção na fonte, ou seja, o tomador do serviços pagará


o ISS quando contratar os seguintes serviços:
Controle e tratamento de efluentes de qualquer natureza e de agentes físicos, químicos e
biológicos.
Florestamento, reflorestamento, semeadura, adubação e congêneres.
Escoramento, contenção de encostas e serviços congêneres.
Acompanhamento e fiscalização da execução de obras de engenharia, arquitetura e
urbanismo.
Vigilância, segurança ou monitoramento de bens e pessoas.
Fornecimento de mão-de-obra, mesmo em caráter temporário, inclusive de empregados
ou trabalhadores, avulsos ou temporários, contratados pelo prestador de serviço.
Planejamento, organização e administração de feiras, exposições, congressos e
congêneres.
Retenção de ISS- Verificar o que diz a legislação do
município em que o ISS é devido

Contratante/Tomador do Serviço no
Município de SP

LC RISS/SP
116/03
Retenção na Fonte - Regulamento do ISS do Município de
São Paulo, artigo 6°
RETENÇÃO DE ISS NO MUNICIPIO DE SP - VIDE ARTIGO 6° DO RISS/SP
HAVERÁ RETENÇÃO SE O SERVIÇO FOI REALIZADO NO HAVERÁ RETENÇÃO SE O PRESTADOR DO SERVIÇO ESTIVER
MUNICIPIO DE SÃO PAULO MESMO QUE O PRESTADOR FORA DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO E O SERVIÇO TENHA
ESTEJA NO MUNICIPIO DE SP SIDO REALIZADO EM SÃO PAULO
7.02 – Execução, por administração, empreitada ou subempreitada,
de obras de construção civil, hidráulica ou elétrica e de outras obras
semelhantes, inclusive sondagem, perfuração de poços,
3.04 – Cessão de andaimes, palcos, coberturas e outras escavação, drenagem e irrigação, terraplanagem, pavimentação,
estruturas de uso temporário. concretagem e a instalação e montagem de produtos, peças e
equipamentos (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas
pelo prestador de serviços fora do local da prestação dos serviços,
que fica sujeito ao ICMS).
7.09 – Varrição, coleta, remoção, incineração, tratamento,
reciclagem, separação e destinação final de lixo, rejeitos e outros 7.04 – Demolição.
resíduos quaisquer.
7.05 – Reparação, conservação e reforma de edifícios, estradas,
7.10 – Limpeza, manutenção e conservação de vias e
pontes, portos e congêneres (exceto o fornecimento de mercadorias
logradouros públicos, imóveis, chaminés, piscinas, parques,
produzidas pelo prestador dos serviços, fora do local da prestação
jardins e congêneres.
dos serviços, que fica sujeito ao ICMS).
7.12 – Controle e tratamento de efluentes de qualquer natureza e 7.11 – Decoração e jardinagem, inclusive corte e poda de árvores, a
de agentes físicos, químicos e biológicos. elas prestados dentro do território do Município de São Paulo .
7.14 – Florestamento, reflorestamento, semeadura, adubação e 7.15 – Escoramento, contenção de encostas e serviços
congêneres. congêneres.
11.02 – Vigilância, segurança ou monitoramento de bens e 7.17 – Acompanhamento e fiscalização da execução de obras de
pessoas. engenharia, arquitetura e urbanis mo.
17.05 – Fornecimento de mão-de-obra, mesmo em caráter
16.01 – Serviços de transporte de natureza municipal, a elas
temporário, inclusive de empregados ou trabalhadores, avulsos
prestados dentro do território do Município de São Paulo.
ou temporários, contratados pelo prestador de serviço.
17.09 – Planejamento, organização e administração de feiras,
exposições, congressos e congêneres.
ISS – Retenção na Fonte – Observações Importantes
A retenção prevista na letra “c” do art. 6° - não se aplica. Até a presente
data não foi publicado o cronograma mencionado.

Existem retenções para tomadores específicos, exemplo: sociedades


seguradoras, CEF, órgãos públicos, não iremos mencionar por se tratar de
situação que entendemos que não se aplica aos nossos clientes. Entretanto,
recomendamos a leitura dos incisos III até XIII, paginas 49 e 50 da apostila.
Empresas do Simples estão sujeitas a retenção de ISS. O prestador do
serviço deve informar na nota fiscal a alíquota que está sujeito.
NFTS- Quando contratar prestador de outro Município, solicitar que o
prestador faça o CPOM – Cadastro de Prestadores de Outros Municípios.
Nota Fiscal do Tomador do
Serviços - NFTS

SÃO PAULO
RETENÇÃO NA FONTE – REGULAMENTO DO ISS DE SP
NFTS - OBRIGATORIEDADE
A emissão da NFTS é obrigatória para a declaração dos serviços

tomados ou intermediados pelas pessoas jurídicas e pelos condomínios

edilícios residenciais ou comerciais a partir de 01/09/2011.


Prazo para emissão da NFTS

até o dia 10 (dez) do mês subsequente ao da prestação dos serviços

contratados ou intermediados, nos casos em que houver a

obrigatoriedade de retenção e recolhimento do ISS pelo tomador ou

intermediário do serviço
QUEM ESTÁ DESOBRIGADO
AO CPOM/SP
Item Descrição

Hospitais, clínicas voltadas para o serviço de apoio de diagnóstico e tratamento, laboratórios,


4.03
sanatórios, manicômios, casas de saúde, prontos-socorros, ambulatórios e congêneres.

4.17 Casas de repouso e de recuperação, creches, asilos e congêneres.

5.02 Hospitais, clínicas, ambulatórios e prontos-socorros e congêneres, na área veterinária.

5.03 Laboratórios de análise na área veterinária.


6.05 Centros de emagrecimento, "spa" e congêneres.
8.01 Ensino regular pré-escolar, fundamental, médio e superior.
Instrução, treinamento, orientação pedagógica e educacional, avaliação de conhecimentos de
8.02
qualquer natureza.

Hospedagem de qualquer natureza em hotéis, apart-service condominiais, flats, apart-hotéis,


9.01 hotéis residência, residence-service, suite service, hotelaria marítima, motéis, pensões e
congêneres; ocupação por temporada com fornecimento de serviço.
IMPOSTO DE RENDA RETIDO
NA FONTE
IRRF- IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE
IRRF- IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE
IRRF- IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE
IRRF – IMPOSTO DE RENDA
RETIDO NA FONTE
IRRF – IMPOSTO DE RENDA
RETIDO NA FONTE
ESCLARECIMENTOS – ASSESSORIA
e CONSULTORIA TÉCNICA
ESCLARECIMENTOS – CONSTRUÇÃO CIVIL –
NÃO INCIDÊNCIA
Serviços de Recrutamento e Seleção
de Pessoal
A remuneração paga ou creditada a agências de empregos, pelas pessoas
jurídicas que contratam pessoal (empregados efetivos) por seu intermédio,
sujeita-se à incidência do Imposto de Renda na fonte prevista para
comissões, corretagens ou qualquer outra remuneração pela representação
comercial ou pela mediação na realização de negócios civis e comerciais,
pagas ou creditadas por uma pessoa jurídica a outra pessoa jurídica (art.
651, I, do RIR/99).
O serviço de seleção de pessoal, p. exemplo executivos e técnicos
especializados, quando feito por intermédio de empresas de assessoria
empresarial, hipótese em que o serviço pode enquadrar-se no item 06 da
lista de serviços (assessoria e consultoria técnica).
Classificado o serviço como de intermediação (e não assessoria), ao
desconto do imposto sobre as comissões pagas também se aplica a alíquota
de 1,5% (Portaria MF nº 28/94), mas o código de recolhimento (campo 04
do DARF) é outro: 8045. Essa é a única distinção fiscal, já que o prazo de
recolhimento do imposto também é o mesmo.
COBRANÇA E DE ELABORAÇÃO OU
ATUALIZAÇÃO DE SOFTWARE

A remuneração da prestação de serviços de cobrança não se sujeita à


incidência do Imposto de Renda na fonte, à alíquota de 1,5%, desde que
o desempenho dessa atividade não caracterize serviços de advocacia.
As importâncias pagas por pessoa jurídica a outra pessoa jurídica pela
prestação de serviços de elaboração e atualização de programas de
computador sujeitam-se à incidência do imposto na fonte tratada neste
texto por enquadrarem-se nos itens 06 e 30 da lista.
Manutenção de programas de computador estão sujeitos a retenção de
1,5.
Revenda de software de prateleira e de suas licenças não estão sujeitos
a retenção.
Cooperativas de Trabalho
Ficam sujeitas à incidência do Imposto de Renda na Fonte, à alíquota de
1,5%, as importâncias pagas ou creditadas por pessoas jurídicas a
cooperativas de trabalho. Para efeito de retenção do IRRF sobre as
importâncias pagas ou creditadas, pelas pessoas jurídicas a cooperativas de
trabalho, deve ser observado o seguinte (Ato Declaratório Normativo Cosit
nº 1/1993 ):
a) as importâncias relativas aos serviços pessoais prestados pelos
associados deverão ser discriminadas nas faturas separadamente das
importâncias que corresponderem a outros custos ou despesas;
b) a alíquota do imposto incidirá apenas sobre as importâncias relativas aos
serviços pessoais.
O imposto deve ser recolhido por meio de Darf preenchido em 2 vias,
colocando-se no campo 04 (código de receita) o código 3280.
Cooperativas de Trabalho
Medico
CONSULTA Nº 58 de 07 de Junho de 2011
ASSUNTO: Imposto sobre a Renda Retido na Fonte - IRRF
EMENTA: As receitas auferidas pelas cooperativas de trabalho, na condição
de operadoras de planos de saúde odontológicos, decorrentes de contratos
pactuados com pessoas jurídicas na modalidade de preço preestabelecido,
que estipulem o pagamento mensal de valores fixos pelo contratante, não
estão sujeitas à retenção na fonte do Imposto de Renda prevista no art. 647
do Decreto nº 3.000, de 1999.
Entretanto, as importâncias pagas ou creditadas por pessoas jurídicas a
cooperativas de trabalho odontológico relativas a serviços pessoais que lhes
forem prestados pelos associados dessas cooperativas, ou colocados a sua
disposição, sujeitam-se à incidência do Imposto sobre Renda Retido na Fonte
à alíquota de 1,5% (um e meio por cento), nos termos do art. 652 do Decreto
nº 3.000, de 1999.
DATA DE PAGAMENTO - IRRF

Para os fatos geradores ocorridos desde 1º.10.2008, o Imposto de Renda


na fonte deverá ser pago até o último dia útil do segundo decêndio do
mês subsequente ao mês de ocorrência do fato gerador.
Código da Receita no campo 04 -1708.
Contribuições Retidas na
Fonte PIS/COFINS/CSLL
PIS – CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP
COFINS – CONTRIBUIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO
DA SEGURIDADE SOCIAL
CSLL – CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO
LIQUIDO
FATO GERADOR
Pagamentos de alguns serviços prestados por Pessoa Jurídica a outra
Pessoa Jurídica, exceto se o prestador do serviço for optante pelo
Simples Nacional.
Fornecimento de declaração para a dispensa de retenção, art. 11 da IN
459/2004.
Aplica-se inclusive os pagamentos efetuados por:
Associações, entidades sindicais, federações, confederações (vide
pag.119 da apostila).
Tipos de Serviços Prestados
Sujeitos a Retenção na Fonte
Limpeza
Conservação
“proteger, preservar alguma coisa”
Manutenção
“conservação de alguma coisa em boas condições de uso”
Vamos ver na apostila o entendimento da Receita Federal sobre
limpeza, conservação, serviços de informática, conserto.
Lei 13137/2015

Com a alteração dada pela LEI Nº 13.137, DE 19 DE


JUNHO DE 2015, atividade que estejam no ROL das
atividades obrigadas a retenção (PIS/COFINS/CSLL)
e fature acima de R$ 215,05, deverá realizar/sofrer
a retenção dos referidos Tributos!
Prazo de pagamento
Prazo de pagamento

APURAÇÃO VENCIMENTO

1A.QUINZENA DE JUNHO/2015 30/06/2015

16 A 21 DE JUNHO DE 2015 15/07/2015

A PARTIR DE 22 DE JUNHO DE 2015 20/07/2015 e seguintes


Este artigo foi revogado – pela
lei 13137

Art. 31 . § 4º Ocorrendo mais de um pagamento no mesmo mês à mesma


pessoa jurídica, deverá ser efetuada a soma de todos os valores pagos no
mês para efeito de cálculo do limite de retenção previsto no § 3º deste artigo,
compensando-se o valor retido anteriormente. (Incluído pela Lei nº 10.925, de
2004)
Apuração Mensal
Para efeito de cálculo do limite de retenção o período de apuração é
mensal, ou seja, ocorrendo mais de um pagamento no MESMO MÊS A
MESMA PESSOA JURIDICA, deve efetuar à soma de TODOS os valores
pagos no mês.
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE : DEDUZIR O VALOR RETIDO
ANTERIORMENTE.
Vamos o mesmo exemplo anterior!!
PERIODO DE APURAÇÃO E DATA
DE VENCIMENTO - REVOGADO
O PERIODO PARA RECOLHIMENTO DOS TRIBUTOS RETIDOS É QUINZENAL
Os valores retidos na quinzena deverão ser recolhidos de forma
centralizada, pelo estabelecimento MATRIZ da pessoa jurídica (tomador
do serviço) até o ÚLTIMO DIA UTIL da quinzena subsequente aquela
quinzena em que tiver ocorrido o pagamento à pessoa jurídica
(prestador).

O PERIODO DE APURAÇÃO É QUINZENAL


EXEMPLO DE NOTA FISCAL COM RETENÇÃO –
PG 128
Insc. Municipal 00000-00 CNPJ 00.000.000/0001-00
Natureza do Serviço Data da Emissão DATA LIMITE PARA EMISSÃO
03/08/2009 00/00/0000

Fatura Fatura / Duplicata Duplicata


Vencimento
Número Valor R$ Nº de Ordem

1 R$ 9.535,00 13/08/2009
Descont o de
At é
Cond. Especiais
USUÁRIO DOS SERVIÇOS
Nome / Razão Social
Endereço

Bairro Município Estado Cep

CNPJ Inscrição Estadual / Municipal

Valor Por
Extenso
Deve(m) à (Razão Social do Estabelecimento), a importância acima pelos serviços prestados, nesta nota Fiscal-Fatura de Serviços em
cuja cobertura emitimos duplicatas de igual número, valor e data, que pedimos seja aceita no prazo da Lei.

Preço
Unidade Quant. Discriminação dos Serviços TOTAL R$
Unitário
HONORÁRIOS CONTÁBEIS R$ 10.000,00

CSLL - 1% R$ 100,00
PIS - 0,65% R$ 65,00
COFINS - 3% R$ 300,00
TOTAL DE RETIDO - R$ 465,00

O Imposto sobre Serviços foi calculado pela alíquota de .........% VALOR TOTAL DA NOTA R$
R$ 10.000,00
CÓDIGO DO DARF
O valor da CSLL,Cofins e para o PIS, será determinado mediante a
aplicação sobre o montante a ser pago, percentual de 4,65%:
1% --------CSLL
3%---------COFINS
0,65%-----PIS
Código do DARF 5952
Se o prestador do serviços estiver amparado por medida judicial veja os
códigos na apostila.
Retenção do INSS
INSS – RETENÇÃO NA FONTE
SOBRE A FOLHA DE PAGAMENTO
Mecanismo de incidência da contribuição previdenciária sobre a folha
de pagamento.

ANTECIPAÇÃO DO VALOR DO INSS PELO TOMADOR DO SERVIÇO.

Vamos tomar como exemplo uma Empresa com 3 funcionários, salários


variam de R$ 1.000,00 a R$ 1.200,00.
TABELA PROGRESSIVA PARA O CÁLCULO MENSAL DO
IMPOSTO DE RENDA DA PESSOA JURIDICA

Tabela progressiva mensal aplicável a partir de Abril/2015


Parcela a deduzir do
Base de cálculo R$ Alíquota %
imposto R$
Até 1.903,98 - -
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 142,8
De 2.826,66 até 3.751,05 15 354,8
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 636,13
Acima de 4.664,68 27,5 869,36

Dedução por dependente: R$ 189,59


tabela de contribuição previdenciária dos segurados
empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso, para
pagamento de remuneração a contar de 1º.01.2016:

Alíquota para fins de


Salário-de-contribuição (R$)
recolhimento ao INSS

até 1.556,94 8%

de 1.556,95 a 2.594,92 9%

de 2.594,93 a 5.189,82 11%


EMPREGADOS E A RETENÇÃO
DO INSS
EMPREGADO A EMPREGADO B
SALÁRIO 1000 SALÁRIO 1100
INSS 80 INSS 88
SALARIO
SALARIO LIQUIDO 920 LIQUIDO 1012

EMPREGADO C
SALÁRIO 1200
INSS 96
SALARIO
LIQUIDO 1104

TOTAL DE INSS DESCONTADO DOS


FUNCIONÁRIOS 264,00
INSS – Encargos Empregador Folha Pagamento

FPAS (Fundo de Previdência e Assistência Social) sobre


remuneração paga, devida ou creditada

 Empresas em geral = 20%

 Instituições financeiras = 22,5%

 Transportador rodoviário autônomo = 15%


INSS – Encargos Empregador Folha Pgto

RAT – Risco Ambiental do Trabalho


 Decorre dos riscos do trabalho – exposição do trabalhador
a agentes nocivos a saúde e/ou integridade física
 Alíquota variável de função do grau de risco de trabalho –
varia de 1% a 3%
 De acordo com CNAE - Classificação Nacional de
Atividades Econômicas
INSS – Encargos Empregador Folha Pgto

Contribuições para Terceiros (Tabela auxiliar do INSS)

Percentuais da maioria das empresas


SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas
Empresas) – 0,6%
SENAC/SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial/
Industrial) – 1,0%
SESC/SESI (Serviço Social do Comércio e Indústria) – 1,5%
INCRA ( Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) – 0,2%
Salário-Educação – 2,5%
Exemplo da Empresa de
Limpeza

Retido dos Empregados................R$ 264,00


Cota Patronal.................................R$ 660,00
RAT 2%...........................................R$ 66,00
Terceiros 5,8%................................R$ 191,40
GUIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL – CÓDIGO 2100 retenção de INSS
poderá abater
2100
3 CÓDIGO DE /compensar o inss
MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL – MPS PAGAMENTO
INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS retido na GPS
GUIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - GPS 4 COMPETÊNCIA

5
IDENTIFICADOR
1 NOME OU RAZÃO SOCIAL/FONE/ENDEREÇO:
990,00
6 VALOR DO
INSS
Limpa Tudo Ltda
7

9 VALOR DE 191,40
OUTRAS
ENTIDADES

2 Vencimento 10 ATM, MULTA E


(Uso do INSS) JUROS

ATENÇÃO: É vedada a utilização de GPS para recolhimento de receita de valor


inferior ao estipulado em Resolução publicada pelo INSS. A receita que resultar valor
inferior deverá ser adicionada à contribuição ou importância correspondente nos 11 TOTAL
meses subseqüentes, até que o total seja igual ou superior ao valor mínimo fixado. 1181,40
12 .AUTENTICAÇÃO BANCÁRIA
Instruções para Preenchimento
Da retenção do INSS PJ – Definições Básicas

A empresa contratante de serviços prestados mediante cessão de


mão-de-obra ou empreitada, inclusive em regime de trabalho
temporário deverá reter 11% do valor bruto da nota fiscal, da fatura
ou do recibo de prestação de serviços e recolher à Previdência Social
a importância retida, em documento de arrecadação identificado
com a denominação social e o CNPJ da empresa contratada.

Art. 112 - IN 971/2009


Da retenção do INSS PJ – Definições Básicas

Cessão de mão-de-obra é a colocação à disposição da


empresa contratante, em suas dependências ou nas de
terceiros, de trabalhadores que realizem serviços contínuos,
relacionados ou não com sua atividade fim, quaisquer que
sejam a natureza e a forma de contratação, inclusive por
meio de trabalho temporário.

Dependências de terceiros são aquelas indicadas pela


empresa contratante, que não sejam as suas próprias e que
não pertençam à empresa prestadora dos serviços.

Art. 115 - IN 971/2009


Da retenção do INSS PJ – Definições Básicas

Serviços contínuos são aqueles que constituem


necessidade permanente da contratante, que se repetem
periódica ou sistematicamente, ligados ou não a sua
atividade fim, ainda que sua execução seja realizada de
forma intermitente ou por diferentes trabalhadores.

Art. 115 - IN 971/2009


INSS – RETENÇÃO NA FONTE
As empresas contratantes de serviços, prestados mediante cessão de
mão de obra ou empreitada, deverão proceder à retenção
previdenciária, em geral, de 11% do valor bruto da nota fiscal, da fatura
ou do recibo de prestação de serviços de empresas por elas
contratadas, e recolher à Previdência Social a importância retida.
Os serviços sujeitos a retenção de INSS na fonte mediante empreitada
ou cessão de mão de obra que estão sujeitos à retenção são:
Serviços prestados mediante cessão
de mão de obra ou empreitada
Os serviços a seguir relacionados encontram-se sujeitos à retenção previdenciária independentemente de
serem prestados mediante cessão de mão de obra ou empreitada:
a) limpeza, conservação ou zeladoria, que se constituam em varrição, lavagem, enceramento ou em outros
serviços destinados a manter a higiene, o asseio ou a conservação de praias, jardins, rodovias, monumentos,
edificações, instalações, dependências, logradouros, vias públicas, pátios ou de áreas de uso comum;
b) vigilância ou segurança, que tenham por finalidade a garantia da integridade física de pessoas ou a
preservação de bens patrimoniais;
c) construção civil , que envolvam a construção, a demolição, a reforma ou o acréscimo de edificações ou de
qualquer benfeitoria agregada ao solo ou ao subsolo ou obras complementares que se integrem a esse
conjunto, tais como a reparação de jardins ou passeios, a colocação de grades ou de instrumentos de recreação,
de urbanização ou de sinalização de rodovias ou vias públicas;
d) natureza rural, que se constituam em desmatamento, lenhamento, aração ou gradeamento, capina,
colocação ou reparação de cercas, irrigação, adubação, controle de pragas ou de ervas daninhas, plantio,
colheita, lavagem, limpeza, manejo de animais, tosquia, inseminação, castração, marcação, ordenhamento e
embalagem ou extração de produtos de origem animal ou vegetal;
e) digitação, que compreendam a inserção de dados em meio informatizado por operação de teclados ou de
similares;
f) preparação de dados para processamento, executados com vistas a viabilizar ou a facilitar o processamento
de informações, tais como o escaneamento manual ou a leitura ótica.
Serviços prestados apenas
mediante cessão de mão de obra
a) acabamento, que envolvam a conclusão, o preparo final ou a
incorporação das últimas partes ou dos componentes de produtos,
com a finalidade de colocá-los em condição de uso;
b) embalagem, relacionados com o preparo de produtos ou de
mercadorias visando à preservação ou à conservação de suas
características para transporte ou guarda;
c) acondicionamento, compreendendo os serviços envolvidos no
processo de colocação ordenada dos produtos quando do seu
armazenamento ou transporte, a exemplo de sua colocação em
paletes, empilhamento, amarração, entre outros;
d) cobrança, que objetivem o recebimento de quaisquer valores
devidos à empresa contratante, ainda que executados
periodicamente;
Serviços prestados apenas mediante
cessão de mão de obra
e) coleta ou reciclagem de lixo ou de resíduos, que envolvam a busca, o
transporte, a separação, o tratamento ou a transformação de materiais inservíveis
ou resultantes de processos produtivos, exceto quando realizados com a utilização
de equipamentos tipo contêneires ou caçambas estacionárias;
f) copa, que envolvam a preparação, o manuseio e a distribuição de todo ou de
qualquer produto alimentício;
g) hotelaria, que concorram para o atendimento ao hóspede em hotel, pousada,
paciente em hospital, clínica ou em outros estabelecimentos do gênero;
h) corte ou ligação de serviços públicos, que tenham como objetivo a interrupção
ou a conexão do fornecimento de água, de esgoto, de energia elétrica, de gás ou
de telecomunicações;
i) distribuição, que se constituam em entrega, em locais predeterminados, ainda
que em via pública, de bebidas, de alimentos, de discos, de panfletos, de
periódicos, de jornais, de revistas ou de amostras, entre outros produtos, mesmo
que distribuídos no mesmo período a vários contratantes;
Serviços prestados apenas
mediante cessão de mão de obra
j) treinamento e ensino, assim considerados como o conjunto de serviços envolvidos na transmissão de
conhecimentos para a instrução ou para a capacitação de pessoas;
k) entrega de contas e de documentos, que tenham como finalidade fazer chegar ao destinatário
documentos diversos, tais como conta de água, conta de energia elétrica, conta de telefone, boleto de
cobrança, cartão de crédito, mala direta ou similares;
l) ligação de medidores, que tenham por objeto a instalação de equipamentos destinados a aferir o
consumo ou a utilização de determinado produto ou serviço;
m) leitura de medidores, aqueles executados, periodicamente, para a coleta das informações aferidas
por esses equipamentos, tais como a velocidade (radar), consumo de água, de gás ou de energia
elétrica;
n) manutenção de instalações, de máquinas ou de equipamentos, quando indispensáveis ao seu
funcionamento regular e permanente e desde que mantida equipe à disposição da contratante;
o) montagem, que envolvam a reunião sistemática, conforme disposição predeterminada em processo
industrial ou artesanal, das peças de um dispositivo, de um mecanismo ou de qualquer objeto, de
modo que possa funcionar ou atingir o fim a que se destina;
p) operação de máquinas, de equipamentos e de veículos relacionados com a sua movimentação ou
funcionamento, envolvendo serviços do tipo manobra de veículo, operação de guindaste, painel
eletroeletrônico, trator, colheitadeira, moenda, empilhadeira ou caminhão fora-de-estrada;
Serviços prestados apenas
mediante cessão de mão de obra
q) operação de pedágio ou de terminal de transporte, que envolvam a manutenção, a conservação, a
limpeza ou o aparelhamento de terminal de passageiros terrestre, aéreo ou aquático, de rodovia, de
via pública, e que envolvam serviços prestados diretamente aos usuários;
r) operação de transporte de passageiros, inclusive nos casos de concessão ou de subconcessão,
envolvendo o deslocamento de pessoas por meio terrestre, aquático ou aéreo;
s) portaria, recepção ou ascensorista, realizados com vistas ao ordenamento ou ao controle do trânsito
de pessoas em locais de acesso público ou à distribuição de encomendas ou documentos;
t) recepção, triagem ou movimentação, relacionados ao recebimento, à contagem, à conferência, à
seleção ou ao remanejamento de materiais;
u) promoção de vendas ou de eventos, que tenham por finalidade colocar em evidência as qualidades
de produtos ou a realização de shows, de feiras, de convenções, de rodeios, de festas ou de jogos;
v) secretaria e expediente, quando relacionados com o desempenho de rotinas administrativas;
w) saúde, quando prestados por empresas da área da saúde e direcionados ao atendimento de
pacientes, tendo em vista avaliar, recuperar, manter ou melhorar o estado físico, mental ou emocional
desses pacientes; \
x) telefonia ou de telemarketing, que envolvam a operação de centrais ou de aparelhos telefônicos ou
de teleatendimento.
Alíquota de INSS regra geral e
desoneração da folha
Em geral, a alíquota a ser aplicada sobre o valor bruto da nota fiscal, da
fatura ou do recibo de prestação dos serviços é de 11%.
Se o prestador do serviço estiver enquadrado na desoneração da folha
de pagamento a alíquota será de 3,5%.
A empresa prestadora de serviços deverá comprovar a opção por
antecipar sua inclusão na tributação substitutiva, fornecendo à empresa
contratante declaração de que recolhe a contribuição previdenciária na
forma do caput dos arts. 7º ou 8º da Lei nº 12.546/2011.
Alíquota de INSS regra geral e
desoneração da folha
Em geral, a alíquota a ser aplicada sobre o valor bruto da nota fiscal, da
fatura ou do recibo de prestação dos serviços é de 11%.
Se o prestador do serviço estiver enquadrado na desoneração da folha
de pagamento a alíquota será de 3,5%.
A empresa prestadora de serviços deverá comprovar a opção por
antecipar sua inclusão na tributação substitutiva, fornecendo à empresa
contratante declaração de que recolhe a contribuição previdenciária na
forma do caput dos arts. 7º ou 8º da Lei nº 12.546/2011.
Declaração – Desoneração da Folha de
Pagamento- Anexo III da IN 1436/2013
Base de cálculo da retenção
Base de cálculo da retenção - Apuração
Em geral, a base de cálculo da retenção previdenciária é o valor bruto
da nota fiscal, da fatura ou do recibo de prestação dos serviços.
Entretanto, em algumas situações os valores relativos a material e/ou
equipamentos utilizados na realização dos trabalhos podem ser
deduzidos do valor total para efeito de apuração da base de cálculo da
retenção.
Fornecimento de material ou utilização de
equipamento previsto contratualmente

Os valores de materiais ou de equipamentos, próprios ou de terceiros,


exceto os equipamentos manuais, fornecidos pela contratada,
discriminados no contrato e na nota fiscal, na fatura ou no recibo de
prestação de serviços, não integram a base de cálculo da retenção, desde
que comprovados.

O valor do material fornecido ao contratante ou o de locação de


equipamento de terceiros, utilizado na execução do serviço, não poderá ser
superior ao valor de aquisição ou de locação para fins de apuração da base
de cálculo da retenção. Compete à contratada apresentar à fiscalização da
Secretaria da Receita Federal do Brasil os documentos fiscais de aquisição
do material ou o contrato de locação de equipamentos, conforme o caso,
relativos ao material ou aos equipamentos cujos valores foram
discriminados na nota fiscal, fatura ou recibo de prestação de serviços.
Fornecimento de material ou utilização de
equipamento contratualmente previsto, mas sem
discriminação de valores
Os valores de materiais ou de equipamentos, próprios ou de terceiros, exceto os
equipamentos manuais, cujo fornecimento esteja previsto em contrato, sem a respectiva
discriminação de valores, desde que discriminados na nota fiscal, na fatura ou no recibo
de prestação de serviços, não integram a base de cálculo da retenção. O valor dessa base
de cálculo deve corresponder, no mínimo, aos percentuais a seguir relacionados,
aplicados sobre o valor bruto da nota fiscal, da fatura ou do recibo de prestação dos
serviços:
a) 50% para serviços em geral;

b) 30% para os serviços de transporte de passageiros, cujas despesas de combustível e


de manutenção dos veículos corram por conta da contratada (prestador dos serviços);

c) 65% quando se referir à limpeza hospitalar;

d) 80% quando se referir aos demais tipos de limpezas.


Fornecimento de material ou utilização de equipamento
contratualmente previsto, mas sem discriminação de valores
– regra para a Construção Civil
No caso de prestação de serviços na área da construção civil, aos percentuais a seguir
relacionados:
a) pavimentação asfáltica: 10%;

b) terraplenagem, aterro sanitário e dragagem: 15%;

c) obras de arte (pontes ou viadutos): 45%;

d) drenagem: 50%;

e) demais serviços realizados com a utilização de equipamentos, exceto manuais:


35%.
Fornecimento de material ou utilização de equipamento
contratualmente previsto, mas sem discriminação de valores
– regra para a Construção Civil
No caso de prestação de serviços na área da construção civil, aos percentuais a seguir
relacionados:
a) pavimentação asfáltica: 10%;

b) terraplenagem, aterro sanitário e dragagem: 15%;

c) obras de arte (pontes ou viadutos): 45%;

d) drenagem: 50%;

e) demais serviços realizados com a utilização de equipamentos, exceto manuais:


35%.
Alimentação e Vale Transporte
Poderão ser deduzidas da base de cálculo da retenção as parcelas que
estiverem discriminadas na nota fiscal, na fatura ou no recibo de
prestação de serviços, que correspondam:
a) ao custo da alimentação in natura fornecida pela contratada, de
acordo com os programas de alimentação aprovados pelo Ministério do
Trabalho e Emprego (MTE), conforme a Lei nº 6.321/1976 ;
b) ao fornecimento de vale-transporte de conformidade com a Lei nº
7.418/1985 e o Decreto nº 95.247/1987 , observadas as alterações
posteriores.
A fiscalização da RFB poderá exigir da contratada a comprovação das
deduções mencionadas
Empresas dispensadas de retenção
ATUALIZAR apostila
a) Valor correspondente a 11% ou mais, dos serviços contidos em cada
nota fiscal, fatura ou recibo de prestação de serviço for inferior ao limite
estabelecido na legislação para recolhimento em documento de
arrecadação (atualmente R$ 10,00).
b) a contratada atender cumulativamente aos seguintes requisitos:
b.1) não possuir empregados;
b.2) o serviço for prestado pessoalmente pelo titular ou sócio;
b.3) seu faturamento do mês anterior for igual ou inferior a 2 vezes o
limite máximo do salário-de-contribuição , ou seja, R$ 10.379,64 (R$
5.189,82 x 2). O valor do limite máximo citado é valido no ano de 2016;
Empresas dispensadas de
retenção
c) a contratação envolver somente serviços profissionais relativos ao
exercício de profissão regulamentada por legislação federal ou serviços
de treinamento e ensino, desde que prestados pessoalmente pelos
sócios, sem o concurso de empregados ou outros contribuintes
individuais.

Declaração - Na hipótese da letra “b” e “c” para que não haja retenção o
prestador do serviço deve fazer declaração atestando sua condição para
o tomador do serviço.
Serviços não sujeitos a retenção no
âmbito da construção civil
a) administração, fiscalização, supervisão ou gerenciamento de obras;

b) assessoria ou consultoria técnicas;

c) controle de qualidade de materiais;

d) fornecimento de concreto usinado, de massa asfáltica ou de argamassa usinada ou preparada;

e) jateamento ou hidrojateamento;

f) perfuração de poço artesiano;

g) elaboração de projeto da construção civil;

h) ensaios geotécnicos de campo ou de laboratório (sondagens de solo, provas de carga, ensaios de resistência, amostragens,
testes em laboratório de solos ou outros serviços afins);

i) serviços de topografia;

j) instalação de antena coletiva;

k) instalação de aparelhos de ar condicionado, de refrigeração, de ventilação, de aquecimento, de calefação ou de exaustão;

l) instalação de sistemas de ar condicionado, de refrigeração, de ventilação, de aquecimento, de calefação ou de exaustão,


quando a venda for realizada com emissão apenas da nota fiscal de venda mercantil;

m) instalação de estruturas e esquadrias metálicas, de equipamento ou de material, quando for emitida apenas a nota fiscal de
venda mercantil;

n) locação de caçamba;
Destaque na nota fiscal ou recibo
de prestação de serviços
A empresa prestadora dos serviços deverá destacar o valor da retenção,
com o titulo “Retenção para a Previdência Social”, na emissão da nota
fiscal, da fatura ou do recibo de prestação de serviços.

O mencionado destaque deverá ser identificado logo após a descrição


dos serviços prestados e não será abatido do valor total da nota, fatura
ou recibo.
Valor retido - Recolhimento
A competência a ser observada para efeito de recolhimento do valor retido
é aquela correspondente à emissão da nota fiscal, fatura ou recibo de
prestação dos serviços.
O tomador dos serviços deve recolher o valor retido até o dia 20 do mês
seguinte ao da emissão da respectiva nota fiscal, da fatura ou do recibo de
prestação de serviços, antecipando-se esse prazo para o dia útil
imediatamente anterior quando não houver expediente bancário naquele
dia.
No campo identificador do documento de arrecadação deverá ser
informado o CNPJ do estabelecimento da empresa contratada ou a
matrícula CEI da obra de construção civil, no campo "nome ou
denominação social“ a razão do prestador do serviço , seguida da
denominação social da empresa contratante.O código de receita a ser
utilizado no campo 3 da Guia da Previdência Social (GPS) será:
2631 - Contribuição Retida sobre a NF/Fatura da Empresa Prestadora de
Serviço - CNPJ
PRESTADOR DO SERVIÇO DO
SIMPLES NACIONAL
Estabelece o art. 191 da Instrução Normativa RFB nº 971/2009 que as
Microempresas(ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP), optantes pelo
Simples Nacional que prestarem serviços mediante cessão de mão de
obra ou empreitada não estão sujeitas à retenção previdenciária, em
geral de 11%, incidente sobre o valor bruto da nota fiscal, da fatura ou
do recibo de prestação de serviços emitidos, excetuada:
a ME ou a EPP tributada na forma do Anexo IV da Lei Complementar nº
123/2006 - construção de imóveis e obras de engenharia em geral,
inclusive sob a forma de subempreitada, execução de projetos e
serviços de paisagismo, bem como decoração de interiores.
Recolhimento dos valores retidos: Penalidade
Penalidade: a falta de recolhimento, no prazo legal, das importâncias
retidas configura, em tese, crime contra a Previdência Social previsto no art.
168-A do Código Penal (art. 132)
 Código Penal, art. 168-A: Apropriação indébita previdenciária
Art. 168-A. Deixar de repassar à previdência social as contribuições recolhidas dos contribuintes,
no prazo e forma legal ou convencional:
Pena – reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa.
§ 1o Nas mesmas penas incorre quem deixar de:
I – recolher, no prazo legal, contribuição ou outra importância destinada à previdência social
que tenha sido descontada de pagamento efetuado a segurados, a terceiros ou arrecadada do
público;
II – recolher contribuições devidas à previdência social que tenham integrado despesas
contábeis ou custos relativos à venda de produtos ou à prestação de serviços;
III - pagar benefício devido a segurado, quando as respectivas cotas ou valores já tiverem sido
reembolsados à empresa pela previdência social.