Вы находитесь на странице: 1из 31
UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI - URCA UNIDADE DESCENTRALIZADA DE IGUATU - UDI CURSO DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI - URCA

UNIDADE DESCENTRALIZADA DE IGUATU - UDI

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

Assistência de enfermagem ao trabalho de parto prematuro/indução do trabalho de parto
Assistência de enfermagem ao trabalho
de parto prematuro/indução do trabalho
de parto
Enfª Rachel Cardoso de Almeida
Enfª Rachel Cardoso de Almeida
Parto prematuro
Parto prematuro
Parto prematuro Pré-termo 22 semanas Termo 37 sem. – 41 sem. e 6 dias Pós-termo >

Pré-termo 22 semanas Termo 37 sem. 41 sem. e 6 dias Pós-termo > 42 semanas

37 sem. – 41 sem. e 6 dias Pós-termo > 42 semanas Conceito antigo OMS Prematuridade

Conceito antigo OMS

Prematuridade relacionada ao baixo peso ao nascer < 2.500 g

Novo conceito OMS

Relacionado a IG < 37 semanas

Parto prematuro
Parto prematuro
CLASSIFICAÇÃO  Prematuridade espontânea (75% dos casos) Precoce < 33 Tardia > 34  Prematuridade
CLASSIFICAÇÃO
 Prematuridade espontânea (75% dos casos)
Precoce < 33
Tardia > 34
 Prematuridade eletiva (25% dos casos)
Prematuridade espontânea (75% dos casos) Precoce < 33 Tardia > 34  Prematuridade eletiva (25% dos
Prematuridade espontânea (75% dos casos) Precoce < 33 Tardia > 34  Prematuridade eletiva (25% dos
Prematuridade espontânea (75% dos casos) Precoce < 33 Tardia > 34  Prematuridade eletiva (25% dos
Importância
Importância
PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA PRINCIPAL CAUSA DE MORBIMORTALIDADE NEONATAL MÉDIA MUNDIAL DE 13% BRASIL CERCA
PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA
PRINCIPAL CAUSA DE MORBIMORTALIDADE NEONATAL
MÉDIA MUNDIAL DE 13%
BRASIL CERCA DE 11,7%

COMPLICAÇÕES MAIS COMUNS:

Síndrome do desconforto respiratório (SARN)

Hemorragia intracraniana

Sepse

Enterocolite necrosante

Fatores de risco Etiologia desconhecida em 50% dos casos
Fatores de risco
Etiologia desconhecida em 50% dos casos

Fatores

epidemiológicos:

socioeconômicos, nutricional, idade materna, estresse físico e psicológico, tabagismo e drogas

Fatores obstétricos:

alterações hormonais, incompetência cervical, sangramentos vaginais, PP e DPP, polidrâmnio e gemelidade, RPMO, malformações fetais, RCIU, histórico prematuro antecedente

Fatores ginecológicos:

encurtamento do colo uterino, malformações uterinas, miomas

do colo uterino, malformações uterinas, miomas Fatores genéticos e iatrogênicos Fatores clínicos -

Fatores genéticos e iatrogênicos

uterinas, miomas Fatores genéticos e iatrogênicos Fatores clínicos - cirúrgicos: infecções, doenças

Fatores clínicos- cirúrgicos: infecções, doenças maternas, procedimentos cirúrgicos na gestação

Fisiopatologia
Fisiopatologia
 Prevenção (classificação de Hobel) Estágio I ▪ Gestantes com fatores de risco para a
 Prevenção (classificação de Hobel)
Estágio I
▪ Gestantes com fatores de risco para a prematuridade
▪ Pré-natal (presença de uma equipe multiprofissional)
I ▪ Gestantes com fatores de risco para a prematuridade ▪ Pré-natal (presença de uma equipe
Fisiopatologia
Fisiopatologia
 Prevenção (classificação de Hobel) Estágio I ▪ Ultrassonografia obstétrica e transvaginal ▪ Avaliação
 Prevenção (classificação de Hobel)
Estágio I
▪ Ultrassonografia obstétrica e transvaginal
▪ Avaliação do encurtamento do colo uterino
Fisiopatologia
Fisiopatologia
 Prevenção (classificação de Hobel) Estágio I  Pré-natal  Progesterona  Cerclagem cervical
 Prevenção (classificação de Hobel)
Estágio I
 Pré-natal
 Progesterona
 Cerclagem cervical
Fisiopatologia  Prevenção (classificação de Hobel) Estágio II  Eventos bioquímicos do trabalho de parto
Fisiopatologia
 Prevenção (classificação de Hobel)
Estágio II
 Eventos bioquímicos do trabalho de parto prematuro
 Útero irritável
Fisiopatologia
Fisiopatologia
 Prevenção (classificação de Hobel) Estágio III  Verdadeiro trabalho de parto prematuro • Contrações
 Prevenção (classificação de Hobel)
Estágio III
 Verdadeiro trabalho de parto prematuro
• Contrações uterinas regulares a cada 5 minutos
• Dilatação cervical de pelo menos 1 cm
• Esvaecimento cervical
• Progressões das alterações cervicais
Uso de
uterolíticos
cervical de pelo menos 1 cm • Esvaecimento cervical • Progressões das alterações cervicais Uso de
Fisiopatologia
Fisiopatologia

beta-agonistas, terbutalina e o salbutamol. Observação da frequência cardíaca e pressão da mãe, mantendo a frequência cardíaca abaixo de

12 bpm, auscultar

periodicamente pulmões e coração e monitorizar os BCF.

Sulfato de magnésio, deve ser avaliada quanto a diurese, frequência respiratória e reflexos patelares, tendo

sempre o gluconato de cálcio a mão.

bloqueadores do cálcio como o nifedipino.

Atentar para a presença

de enrubescimento facial, náuseas, cefaleia e hipotensão arterial.

antagonistas da

ocitocina, como o

atosibana. Possui efeitos colaterais leves e se restringem a náuseas, cefaleias, vômitos, tonturas, taquicardia e

hipotensão arterial.

A corticoterapia, para a maturação pulmonar fetal é utilizada entre 28 e 34 semanas.

Fisiopatologia
Fisiopatologia
Predição  Monitorização das contrações uterinas  Medida do comprimento do colo uterino (Toque vaginal
Predição
 Monitorização das contrações uterinas
 Medida do comprimento do colo uterino (Toque vaginal e USG transvaginal)
 Marcadores bioquímicos
Assistência ao parto
Assistência ao parto
 Avaliação da vitalidade fetal intraparto  Escolha da via de parto
 Avaliação da vitalidade fetal intraparto
 Escolha da via de parto
Assistência ao parto  Avaliação da vitalidade fetal intraparto  Escolha da via de parto
Amniorrexe Prematura
Amniorrexe Prematura
Amniorrexe prematura
Amniorrexe prematura
DEFINIÇÃO Rotura espontânea das membranas amnióticas após 20 semanas de gravidez e antes do início
DEFINIÇÃO
Rotura espontânea das membranas amnióticas após 20 semanas de gravidez e
antes do início do TP;
Rotura Prematura (Pré-termo) das Membranas.
Algumas Considerações.
 Ocorre em cerca de 10% das gestações;
 A RPPM acontece em 1 a 3%;
 Funciona como indutor do TP;
Amniorrexe prematura
Amniorrexe prematura
Tipos:
Tipos:
Espontânea e iatrogênica
Espontânea e iatrogênica
Amniorrexe prematura Tipos: Espontânea e iatrogênica complexa e multifatorial e envolve fatores que alteram a

complexa e multifatorial e envolve fatores que alteram

a estrutura das membranas,

cujo principal componente é o colágeno.

decorrente de cirurgias cervicais durante a gestação ou de procedimentos invasivos intrauterinos, como amniocentese, biópsia de vilosidades coriônicas

durante a gestação ou de procedimentos invasivos intrauterinos, como amniocentese, biópsia de vilosidades coriônicas
Amniorrexe prematura
Amniorrexe prematura
ETIOLOGIA Infecção e atividade inflamatória das membranas; Na gravidez a termo
ETIOLOGIA
Infecção e
atividade
inflamatória das
membranas;
Na gravidez a
termo
ETIOLOGIA Amadurecimento da membrana; ↓ da produção de fosfatidilinositol;
ETIOLOGIA
Amadurecimento
da membrana;
↓ da produção
de
fosfatidilinositol;
Amniorrexe prematura
Amniorrexe prematura
FATORES DE RISCO  Tabagismo;  Vaginose bacteriana;  TPP prévio;  Distensão Uterina; 
FATORES DE RISCO
 Tabagismo;
 Vaginose bacteriana;
 TPP prévio;
 Distensão Uterina;
 Sangramento Genital;
 Procedimentos Invasivos;
 Insuficiência Cervical;
 Deficiências Nutricionais;
 Sangramento Genital;  Procedimentos Invasivos;  Insuficiência Cervical;  Deficiências Nutricionais;
 Sangramento Genital;  Procedimentos Invasivos;  Insuficiência Cervical;  Deficiências Nutricionais;
 Sangramento Genital;  Procedimentos Invasivos;  Insuficiência Cervical;  Deficiências Nutricionais;
Amniorrexe prematura
Amniorrexe prematura
Riscos Maternos  Infecção Intrauterina (Corioamnionite);  Descolamento Prematuro da Placenta; Riscos
Riscos Maternos
 Infecção Intrauterina (Corioamnionite);
 Descolamento Prematuro da Placenta;
Riscos Fetais/Neonatais
 Infecção neonatal;
 Complicações decorrentes da prematuridade;
 Hipoplasia pulmonar;
 Prolapso de cordão;
 DPP;
 SARN.
 Complicações decorrentes da prematuridade;  Hipoplasia pulmonar;  Prolapso de cordão;  DPP;  SARN.
 Complicações decorrentes da prematuridade;  Hipoplasia pulmonar;  Prolapso de cordão;  DPP;  SARN.
Amniorrexe prematura
Amniorrexe prematura
Conduta  Intervencionista e Expectante;  Varia segundo a IG e condições materno-fetais;
Conduta
 Intervencionista e Expectante;
 Varia segundo a IG e condições materno-fetais;
Amniorrexe prematura Conduta  Intervencionista e Expectante;  Varia segundo a IG e condições materno-fetais;
Amniorrexe prematura
Amniorrexe prematura
Conduta Gestações a termo  Indução imediata do trabalho de parto com ocitocina; Gestações entre
Conduta
Gestações a termo
 Indução imediata do trabalho de parto com ocitocina;
Gestações entre 34 e 36 semanas
 Indução imediata do trabalho de parto com ocitocina;
Gestações entre 24 e 36 semanas
 Conservadora ou Intervencionista (a depender da rotina
do serviço obstétrico e condições materno-fetal)
semanas  Conservadora ou Intervencionista (a depender da rotina do serviço obstétrico e condições materno-fetal)
Amniorrexe prematura
Amniorrexe prematura
Conduta na presença de corioamnionite Medicações  Antimicrobianos (Amoxicilina + Clavulanato de Potássio ou
Conduta na presença de corioamnionite
Medicações
 Antimicrobianos (Amoxicilina + Clavulanato de Potássio ou Estearato de Eritromicina);
 Corticosteróides (Betametasona e Dexametasona)
Amniorrexe prematura
Amniorrexe prematura
Conduta  Recomendações Gerais  Todos os Casos  Pesquisa de Infecção Materna;  Gestações
Conduta
 Recomendações Gerais
 Todos os Casos
 Pesquisa de Infecção Materna;
 Gestações Maiores que 34 semanas
 Indução do Parto e Profilaxia estreptocóccica;
 Gestações entre 32 e 24 semanas
 Antibioticoterapia;
 USG;
 Corticoterapia;
 Indução do parto;
 Infecção → indução IMEDIATA!!!
 Antibioticoterapia;  USG;  Corticoterapia;  Indução do parto;  Infecção → indução IMEDIATA!!!
Indução do trabalho de parto
Indução do trabalho de parto
Indução do trabalho de parto
Indução do trabalho de parto
Estimulação de contrações uterinas em paciente fora de tp, por meio de métodos específicos e
Estimulação de contrações uterinas em paciente fora de tp, por meio de métodos
específicos e com o objetivo de promover o parto.
Indução do trabalho de parto INDICAÇÕES RPMO Pós-datismo CONTRAINDICAÇÕES Placenta prévia Gestação
Indução do trabalho de parto
INDICAÇÕES
RPMO
Pós-datismo
CONTRAINDICAÇÕES
Placenta prévia
Gestação múltipla
Placenta prévia
Macrossomia fetal
Sofrimento fetal
Apresentações anômalas
Malformações uterinas
Vício pélvico
Infecção ativa por herpes genital
Sorologia positiva para HIV
Carcinoma cervical invasivo
Maturação cervical Alterações no colo uterino onde o mesmo passa de um estrutura fechada, para
Maturação cervical
Alterações no colo uterino onde o mesmo passa de um estrutura fechada, para uma
estrutura macia complacente e capaz de se dilatar.
INDÍCE DE BISHOP
INDÍCE DE BISHOP
Maturação cervical
Maturação cervical
Métodos farmacológicos  Prostaglandinas
Métodos farmacológicos
 Prostaglandinas
Maturação cervical Métodos farmacológicos  Prostaglandinas
Indução do trabalho de parto
Indução do trabalho de parto
Métodos mecânicos  Dilatadores osmóticos  Cateter balão de Foley transcervical  Descolamento digital de
Métodos mecânicos
 Dilatadores osmóticos
 Cateter balão de Foley transcervical
 Descolamento digital de membranas ovulares
 Dilatadores osmóticos  Cateter balão de Foley transcervical  Descolamento digital de membranas ovulares
Indução do trabalho de parto
Indução do trabalho de parto
 Administração de Ocitocina, EV 2 mUl/ min, por meio de bomba de infusão 
 Administração de Ocitocina, EV 2 mUl/ min, por meio de bomba de infusão
 Administração de Misoprostol
Complicações da Ocitocina  Hiperstimulação uterina  Hiponatremia  Hipotensão
Complicações da Ocitocina
 Hiperstimulação uterina
 Hiponatremia
 Hipotensão
de Misoprostol Complicações da Ocitocina  Hiperstimulação uterina  Hiponatremia  Hipotensão
“O que você ouve e vê depende do lugar em que se coloca, como depende
“O que você ouve e vê
depende do lugar em que se
coloca, como depende
também de quem você é.”
C. S. Lewis
C. S. Lewis

OBRIGADA!

que você ouve e vê depende do lugar em que se coloca, como depende também de