Вы находитесь на странице: 1из 16

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ESCOLA DE TECNOLOGIA E GESTÃO


INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

RELATÓRIO CONFERÊNCIAS
CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Autor
Nicolas Hernandez Reyes

Orientador
Professora Helena Maria Coelho da Rocha Terreiro Galha Bártolo

Mestrado em Engenharia Civil - Construções Civis

LEIRIA
2018
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

ÍNDICE

1. CONFERÊNCIA “A FABRICAÇÃO ADITIVA NA CONSTRUÇÃO E NA


ENGENHARIA” ............................................................................................................................. 3
1.1. INTRODUÇÃO ........................................................................................................................... 3
1.2. ABSTRACT ................................................................................................................................. 3
1.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO ................................................................................. 3
1.4. ANÁLISE CRÍTICA................................................................................................................... 4
2. CONFERÊNCIA “O VIDRO COMO SOLUÇÃO DE CONFORTO NO ÂMBITO DA
CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL” ................................................................................................ 5
2.1. INTRODUÇÃO ........................................................................................................................... 5
2.2. ABSTRACT ................................................................................................................................. 5
2.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO ................................................................................. 6
2.4. ANÁLISE CRÍTICA................................................................................................................... 6
3. CONFERÊNCIA “PORTUGAL STEEL” ............................................................................. 8
3.1. INTRODUÇÃO ........................................................................................................................... 8
3.2. ABSTRACT ................................................................................................................................. 8
3.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO ................................................................................. 8
3.4. ANÁLISE CRÍTICA................................................................................................................... 8
4. CONFERÊNCIA “CAPTURANDO O POTENCIAL DE POUPANÇA ENERGÉTICA
NOS EDIFÍCIOS” ........................................................................................................................ 10
4.1. INTRODUÇÃO ......................................................................................................................... 10
4.2. ABSTRACT ............................................................................................................................... 10
4.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO ............................................................................... 10
4.4. ANÁLISE CRÍTICA................................................................................................................. 11
5. CONFERÊNCIA “A MADEIRA COMO MATERIAL ESTRUTURAL SUSTENTÁVEL”
12
5.1. INTRODUÇÃO ......................................................................................................................... 12
5.2. ABSTRACT ............................................................................................................................... 12
5.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO ............................................................................... 12
5.4. ANÁLISE CRÍTICA................................................................................................................. 13
6. CONCLUSÕES ..................................................................................................................... 15
7. REFERÊNCIAS .................................................................................................................... 16

2
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

1. CONFERÊNCIA “A FABRICAÇÃO ADITIVA NA


CONSTRUÇÃO E NA ENGENHARIA”

Figura I. Robôs de soldagem na construção

1.1. INTRODUÇÃO
A área da construção é na maioria nos países industrializados um dos sectores que mobiliza o maior
número de recursos económicos e humanos. Em Portugal é um sector que tem uma projeção
económica muito grande. Uma das características principais desta indústria é que o custo pela mão
de obra é muito alto, porque projeta-se que o custo esta ao redor do 50% do custo total da execução.

A robótica como o principal objetivo é substituir a mão de obra pelas máquinas especialmente nas
operações de trabalho manual intensivo e repetitivo que exige precisão e rapidez. O sector da
construção é a área perfeita para o desenvolvimento destes robôs devido a que têm implicações
muito amplas ao longo de todos os processos da construção.

1.2. ABSTRACT
The construction sector is mostly in the industrialized countries one of the sectors that mobilizes
the greatest number of economic and human resources. In Portugal it is a sector that has a very big
economic projection. One of the main characteristics of this industry is that the cost for labor is
very high, because it is projected that the cost is around 50% of the total cost of the execution.

Robotics as the main goal is to replace labor by the machines especially in the intensive and
repetitive manual labor operations that requires precision and speed. The construction sector is the
perfect area for the development of these robots because they have very broad implications
throughout all construction processes.

1.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO

3
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

Para melhorar os atuais métodos de construção é necessário aplicar a tecnologia robótica que temos
ao nosso alcance devido a que permite que o trabalho seja feito com uma precisão elevada para
qualquer tipo de labor. Entretanto há que determinar que tipo de tarefas vai ser desenvolvida pelo
robô porque não podem ser todas.

1.4. ANÁLISE CRÍTICA


A implementação de um robô nos processos da construção requer um estudo prévio e detalhado,
estimando as vantagens e desvantagens na sua implementação. Ainda que aumenta a qualidade da
tarefa a ser desenvolvida porque o robô trabalha de forma constante, aumenta a produtividade
porque eles realizam o trabalho de forma rápida e com menos interrupções durante vários turnos
sem dificuldades.

Portanto os robôs foram criados para aumentar a produtividade e qualidade da construção devido
a que são máquinas de trabalho continuo sem perder a precisão e qualidade na execução nas tarefas.
Esta situação não se presenta nas atividades feitas manualmente porque o homem precisa de fazer
pausas porque o grau de fadiga aumenta ao longo do tempo de trabalho e que por sua vez é
traduzido em perdida de precisão, qualidade e produtividade nos trabalhos. (Craveiro, 2018)

A tecnologia robótica avança todos os dias a passos gigantescos. O caso da competição por um
emprego entre humanos e robôs é um bom exemplo de um problema que cada vez mais cria
controvérsias porque isto implicaria enxertar implantes que tornem os humanos mais robóticos para
que a competência seja justa. Porem, à ciência e a engenharia esta a trabalhar todos os dias para
criar protótipos melhores que os anteriores.

No momento no mercado existem os exosqueletos, robôs de demolição, robôs de soldagem, robôs


de impressão, robôs de limpeza e robôs de alvenaria. Os exosqueletos são esqueletos de trabalho
que incrementam a força e a velocidade do operador, embora são robôs caros e precisam de uma
instrução com certeza será o futuro. Os robôs de demolição permitem que os trabalhadores fiquem
longe dos resíduos e poluentes das demolições de pequena escala porque podem ser controlados de
forma remota. Os robôs de soldagem permitem realizar processos de solda com muita precisão.
Robôs de impressão são usados para a impressão 3D de elementos prefabricados para diminuir a
utilização de cofragens. Os robôs de limpeza são possíveis programar para que comece a limpar
em quanto os trabalhadores estão fora. E finalmente os robôs de alvenaria são capazes de colocar
seis vezes mais rápidos tijolos com muita precisão que o homem.

Uma das maiores preocupações na robótica aplicada à construção é a segurança devido a que
demasiada tecnologia implica muita segurança. As máquinas ainda que estão feitas para auxiliar
os humanos um possível descontrole destas máquinas pode ocasionar acidentes catastróficos e por
isso se esta a estudar a forma de que os trabalhadores levem um sensor para o robô detetar a
presença de pessoas. (de Araújo, Uchôa, Silva, Florentino, & Saraiva, 2013)

4
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

2. CONFERÊNCIA “O VIDRO COMO SOLUÇÃO DE


CONFORTO NO ÂMBITO DA CONSTRUÇÃO
SUSTENTÁVEL”

Figura II. Construção em vidro Edifício NOS

2.1. INTRODUÇÃO
Em relação com a construção sustentável, tanto os engenheiros quanto os arquitetos estão na
procura constante de alternativas para os edifícios que afeitem menos o meio ambiente. O vidro
devido a sua versatilidade é um material que atualmente está a utilizar-se muito porque é um
material 100% reciclável e por ter uma capacidade muito grande de unir a estética e desempenho.
A transparência do vidro proporciona iluminação natural ao espaço permitindo evitar o uso
constante de energia artificial.

O avanço da tecnologia permitiu desenvolver vidros de autolimpeza, de controle solar, de


isolamento térmico e de isolamento acústico para ajudar à conservação do meio ambiente e
melhoras as técnicas de construção sustentável. Os vidros de autolimpeza permite economizar o
uso da agua e de detergentes que afeitam o meio ambiente e os vidros de isolamento termino
permite evitar o uso continuo de ar condicionados.

A variedade dos produtos que Saint-Gobain Glass atualmente oferece permito ao projetista
desenvolver um projeto de construção sustentável.

2.2. ABSTRACT
In relation to sustainable construction, both engineers and architects are constantly seeking
alternatives to buildings that shave less the environment. Glass due to its versatility is a material
that is currently being used a lot because it is a 100% recyclable material and for having a very
great capacity to unite aesthetics and performance. The transparency of the glass provides natural
lighting to the space allowing to avoid the constant use of artificial energy.

5
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

The advancement of technology has allowed the development of self-cleaning, solar control,
thermal insulation and acoustic insulation glass to help conserve the environment and improve
sustainable building techniques. The self-cleaning glass allows to save the use of water and
detergents that shave the environment and the glass insulation finish allows to avoid the continuous
use of air conditioners.

The variety of products that Saint-Gobain Glass currently offers allow the designer to develop a
sustainable construction project.

2.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO


As empresas na área da construção começarão a adotar cada vez mais processos sustentáveis em
seu dia a dia sempre pensando numa melhora ao meio ambiente e diminuição de custos. Portanto
a tecnologia de fabricação de vidros esta a trabalhar para melhorar o desempenho dos projetos.

2.4. ANÁLISE CRÍTICA


O vidro tem a particularidade de iluminar naturalmente os espaços e diminuir o costo pela
utilização de iluminação artificial. Quando é utilizado vidros de controle solar permitem evitar a
utilização de ar acondicionados nos projetos e isto implica poupar energia e outros aspetos.

Em edifícios enormes e comerciais é evidente o uso de ar acondicionados todo o dia, mas também
é importante o uso destes aparelhos em edifícios residenciais durante toda a noite. Utilizar o vidro
de proteção solar permite reduzir o custo de energia num 30% ao ano, isto quer dizer que mesmo
que o valor de um vidro deste calibre é mais caro o custo tem um período de retorno muito rápido.
Além de que o custo de colocar vidro como revestimento é aproximadamente o 3% do custo total.
(Brandão, 2018)

A seleção do tipo de vidro depende das necessidades e benefícios porque despende do processo de
fabricação do material. Pode ser um vidro térmico, acústico, de segurança ou simplesmente de
luminosidade. Os vidros térmicos garantem que a temperatura interna seja ótima para diminuir o
uso de aquecedores. Os vidros acústicos vão bloquear o ruido exterior para diminuir os níveis de
som e garantir o conforto das pessoas. Os vidros de segurança são feitos de microcristais para
tornar-lhos mais resistentes ao roubo. E finalmente o vidro de luminosidade são aqueles capazes
de poupar o consumo energético de um projeto porque garante a iluminação necessária para evitar
doenças visuais nas pessoas.

Por tanto é necessário o acompanhamento de um especialista na área de revestimentos e


acabamentos nas obras com enfase em vidros porque para obter bons resultados é necessário o
analise detalhado do tipo de cristal que vai ser instalado no projeto e cumprir com
fundamentalmente os critérios de segurança, durabilidade, conforto e estilo.

Usar muito vidro numa construção pode ser mais económico que utilizar outros materiais e pode
ser aplicado em diversas situações como fachadas, decoração, portas, janelas, etc. Porem muitas
pessoas acham que o material tem alto custo e descartam sua utilização.

6
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

A primeira comparação de uma parede de alvenaria contra vidro temperado fixo se percebe uma
diferença do 12% além de que o vidro traz inúmeros benefícios. A segunda comparação de uma
janela de vidro comum contra janela de vidro de proteção solar a diferença é de 13% e pode ser
defendida quando se explica que em cerca de três anos aproximadamente há retorno desse
investimento já que há uma economia na conta de energia elétrica em função do consumo de ar
acondicionado. A terceira comparação de uma porta de entrada em madeira maciça contra alumínio
e vidro neste caso o vidro laminado tem uma diferença de 7% ainda que tem mais estética e permite
a entrada da luz natural faz um fator diferencial. E finalmente o revestimento de mármore contra
vidro pintado traz benefícios do 7% além de que é um material resistente a manchas e mais leve.

Utilizar muito vidro nas construções pode agregar sofisticação, conforto, estética e segurança aos
ambientes. Alem disso, é possível criar aplicações diferenciadas como cobertura de vidro e piso de
vidro por exemplo. Sabendo escolher as melhores soluções é possível economizar e ter um ótimo
custo-benefício.

7
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

3. CONFERÊNCIA “PORTUGAL STEEL”

Figura III. Construção em aço Ponte de Dom Luis I

3.1. INTRODUÇÃO
A importância do projeto de “Portugal Steel” é principalmente explicar sua forte participação e
influência na economia nacional e no setor da construção. Nas construções em aço além de que o
custo na mão de obra é menor que as construções de betão armado o tempo de execução é menor.
A diferença de outros materiais o aço é 100% reciclável, isto quer dizer que estimula a construção
sustentável.

3.2. ABSTRACT
The importance of the "Portugal Steel" project is mainly to explain its strong participation and
influence in the national economy and in the construction sector. In steel constructions, besides the
fact that the cost in labor is lower than the concrete constructions, the execution time is shorter.
Unlike other materials steel is 100% recyclable, this means that it stimulates sustainable
construction.
3.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO
A principal missão de “Portugal Steel” é reunir todas aquelas empresas que estão relacionadas com
a construção metálica, projetistas, diretores, construtores, engenheiros, arquitetos, consultores e
intervenientes interessados na investigação desta área. Por esse motivo “Portugal Steel” assumiu a
responsabilidade de fomentar o conhecimento científico e tecnológico deste sector da construção.

A nível internacional o programa é membro efetivo da ECCS (European Convention for


Constructional Steelwork) que é a principal entidade europeia da área da construção metálica.

3.4. ANÁLISE CRÍTICA

8
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

Construir com aço gera muitos benefícios para as obras que devem ser levados em conta no
momento de escolher qual é a melhor opção pelo projetista. As estruturas metálicas oferecem
resistência, economia e produtividade porque permite terminar as obras num menor tempo a
diferença do betão armado.

O aço é um material muito resistente com uma vida útil maior que outros materiais porque as
estruturas metálicas podem ser galvanizadas em suas superfícies para não sofrer efeitos da corrosão
e outros agentes naturais. Da mesma forma são estruturas resistentes ao fogo, isto que dizer que
caso de um incendio o material garante que as pessoas consigam evacuar antes do colapso.

Do mesmo modo construir com aço permite que o prazo entre o planejamento e a execução seja
menor. Isto ocorre porque quando as estruturas metálicas são fabricadas em planta permite que os
controles de qualidade sejam melhores, o transporte é feito sem atrasos e a montagem é rápida
totalmente adaptáveis às mudanças exigidas na obra.

As estruturas metálicas apresentam um melhor desempenho que o betão armado devido a que
podem ser até 10% mais leves. Dado que os perfis metálicos são fabricados em diferentes medidas
e secções adaptáveis em qualquer tipo de obra a fomentar a construção sustentável com menos
impacto ao meio ambiente. (Simões, 2018)

Uma das mais importantes obras no mundo é em estrutura metálica. A Torre Eiffel é uma carta de
garantia sobre o material. Existem muitas razoes para defender o uso do aço contra outros materiais
em obras civis, industriais e/ou publicas. A primeira é a disponibilidade porque a produção do aço
hoje é 20 vezes maior e isto faz que o preço seja menor que outros materiais com capacidades
estruturais. O desempenho devido a que é um material com capacidade de deformar-se bastante
sem ocasionar danos permanentes. A sustentabilidade porque é um material 100% reciclável e
permite diminuir a emissão de gases derivados à fabricação de outros materiais. A versatilidade
permite que novos elementos estruturais sejam aderidos à estrutura metálica com facilidade para
facilitar a montagem. A eficiência porque além de que são estruturas capazes de suportar cargas
elevadas também o peso são menores e permitem estruturas relativamente ligeiras com uma vida
útil longa. (Ribeiro, 2005)

9
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

4. CONFERÊNCIA “CAPTURANDO O POTENCIAL


DE POUPANÇA ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS”

Figura IV. Certificado energético para edifícios de habitação e/ou de comercio e serviços

4.1. INTRODUÇÃO
O setor da construção tem a capacidade de implementar medidas focalizadas a melhorar o
desempenho energético nas obras devido a que os edifícios representam mais do 40% do consumo
total de energia na Europa. Portanto é que este setor precisa mudar, investir e atuar para lograr um
balanço energético menor.

4.2. ABSTRACT
The construction sector has the capacity to implement targeted measures to improve energy
performance at the works because buildings represent more than 40% of total energy consumption
in Europe. So it is that this sector needs to change, invest and act to achieve a lower energy balance.

4.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO


O principal objetivo da palestra é construir propostas de melhora da eficiência energética nos
edifícios através do estudo de cada um deles. Energeticamente um edifício se considera dentro do
conceito de construção sustentável quando é capaz de gerar seu propiá energia garantindo ao
mesmo tempo o conforto de seus habitantes.

10
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

4.4. ANÁLISE CRÍTICA


No setor da construção um das principais problemáticas é a poupança energética devido a que os
novos regulamentos impõem que se adotem novas técnicas eficientes para conseguir novas
soluções ao problema. Por esse motivo os edifícios poderiam ser os heróis do clima.

A área da construção na EU tem a capacidade de poupar o 40% do consumo de energia total que
atualmente é responsável para abastecer seus 160 milhões de habitantes. No resto do mundo países
tais como a China ou a India este valor aumenta rapidamente pelo seu boom da construção.

Hoje o 60% do consumo de energia de um edifício é destinado ao aquecimento e uso do ar


acondicionado. Portanto é necessário o uso de alternativas como os vidros de isolamento térmico
que é capaz de reduzir o consumo de energia e as emissões de gases relacionadas pela estufa.

Finalmente a mudança pode começar imediatamente dado que existe opções que permitem um
melhor desempenho dos edifícios, sem afetar o conformo dos habitantes. Os cientistas calculam
que a energia necessária para aquecer ou refrigerar um espaço podem ser reduzidos até um 90%
utilizando técnicas energeticamente eficientes. (Santos, 2018)

É importante esclarecer que conforme ao novo regulamento quem publicitar a venda ou


arrendamento de uma casa ou imoveis de empresas sem certificado de eficiência energética esta
sujeito a uma multa. Devido a que o certificado energético é obrigatório em edifícios novos e
antigos a partir no momento em que são colocados no mercado para venda ou arrendamento, pelos
proprietários ou pelos mediadores imobiliários. O documento tem que ser apresentado quando é
assinado o contrato de compra e venda, locação financeira ou arrendamento, atestando a
informação divulgada de início sobre a classe energética a que o imóvel pertence. Também os
edifícios que são sejam alvo de intervenções superiores a 25% do seu valor, são obrigados a
solicitar a emissão do certificado energético.

O certificado energético avalia a eficácia energética de um imóvel numa escala de A+ até F emitido
por técnicos autorizados pela ADENE. Contem informação sobre as caraterísticas de consumo
energético relativas a climatização e águas quentes sanitárias. Indica medidas de melhora para
reduzir o consumo. O documento tem validade desde 6 até 10 anos dependendo da dimensão do
edifício e uso.

11
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

5. CONFERÊNCIA “A MADEIRA COMO


MATERIAL ESTRUTURAL SUSTENTÁVEL”

Figura V. Construção em madeira Tamedia Office Building

5.1. INTRODUÇÃO
A madeira é provavelmente o material mais antigo na construção. A facilidade de obtenção e
adaptação deste material permitiu que fosse o primeiro material para a construção das primeiras
urbanizações.

A madeira ainda é um dos mais importantes e versáteis materiais na construção relacionada desde
a obra mais simples como a obra mais complexa. Com ela se fazem e se fizeram casas, armazéns,
templos, moveis, etc. Em consequência é o único material 100% renovável e na época industrial
era o único que podia suportar esforços de flexão e compressão a diferença de outros materiais na
época como a pedra e a argila que somente podia suportar esforços de compressão. (Cervi, 2003)

5.2. ABSTRACT
Wood is probably the oldest material in construction. The ease of obtaining and adapting this
material allowed it to be the first material for the construction of the first urbanizations.

Wood is still one of the most important and versatile materials in construction related since the
simplest work as the most complex work. With it are made and made houses, warehouses, temples,
furniture, etc. As a result it is the only 100% renewable material and in the industrial era was the
only one that could withstand bending and compression efforts unlike other materials at the time
like stone and clay that could only withstand compression efforts.

5.3. PRINCIPAL CONCEITO ABORDADO


A madeira é um material perfeito para a construção de um projeto com baixo impacto ambiental
dentro dos outros materiais empregados na construção civil, porque além de ser de fonte renovável

12
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

e de produção natural é aquele que gasta menos energia durante seu ciclo de vida. Em função ao
anterior o propósito principal da palestra era ampliar os conhecimentos sobre os diferentes
benefícios e tipos de madeiras para a construção sustentável.

5.4. ANÁLISE CRÍTICA


Uma das grandes vantagens da madeira é que pode ser obter a preços em comparação com outros
materiais no mercado relativamente baratos e além disso autorrenováveis. É facilmente trabalhar
com ela porque precisa de ferramenta muito simples, relativamente o peso por metro quadrado é
menor em comparação com o betão armado e contem qualidades de isolamento térmico e absorção
acústica o que permite melhorar o conformo no espaço. A relação entre estética e desempenho é
quase excelente.

Não obstante quando é comparada com outros materiais algumas desvantagens devem ser levadas
em consideração devido a que é combustível, vulnerável a agentes externos biológicos como
fungos e bactérias e suscetível à umidade. Mas algumas vezes os processos de fabricação como o
aquecimento na estufa e tratamentos de ignifugação permitem prevenir e diminuir estos problemas
num 90%.

Atualmente a madeira como material renovável esta a ser estudada e o tema de desenvolvimento
de muitas dissertações para incentivar a construção sustentável. As melhores madeiras têm um
tempo de crescimento muito longo até a idade corte razão pelas quais se esta a investigar o uso de
alternativas de fazer uma mistura de madeiras com crescimento muito elevadas e recriar as mesmas
propriedades que tem as madeiras com as melhores qualidades. (Negrão, 2018)

Construir com madeira pode ser rápido, barato, económico e sustentável. Entendendo que o uso
responsável da madeira pode ser uma importante ferramenta de apoio para a gestão e manutenção
das florestas. O sector da construção civil precisa repensar seus procedimentos para o novo seculo
porque a construção civil gera aproximadamente 60% dos resíduos sólidos no mundo. Por isso, é
necessário modificar os processos deste setor e torna-lhos mais amigáveis com o meio ambiente.

A EIA órgão que trata políticas energéticas no mundo, afirma ainda que o setor da construção civil
consome cerca de 40% da energia elétrica gerada em todo o planeta e pode gerar até 47% das
emissões de gases de efeito estufa na terra. Esta provado que contruir com madeira pode diminuir
a demanda da agua e energia e reduz as emissões de gases poluentes.

A madeira para a construção esta presente em todas as etapas de uma obra seja ela em fôrma,
estruturas, escoramentos, forros, pisos, esquadrias, revestimento e inclusive na mobiliaria final. O
uso da madeira nunca deixo de ser dispensável para muitos arquitetos e engenheiros graças a seu
diferencial estética

Além dos benefícios práticos e estéticos devido a que é um material mais leve e com tempo de
construção reduzido. O uso responsável da madeira em projetos de arquitetura, urbanismo e
engenharia pode contribuir na gestão das florestas no mundo, na conservação da biodiversidade e
na mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. Por isso, toda afluência que lida com a
exploração responsável e equilibrada da madeira tem que considerar o sector da construção civil
como um mercado chave. Para garantir o desenvolvimento sustentável e o seu aumento de matéria-
prima as empresas possuem a responsabilidade de assegurar a origem deste material e a

13
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

procedência legal e evitar o enriquecimento ilícito de empresários que não se preocupam com o
futuro.

Portanto a área da construção sustentável tem como iniciativa e objetivo promover o uso
responsável da madeira na construção civil para compreender sobre a valorização dos produtos
florestais e dos benefícios importantes que isso traz para o nosso futuro.

14
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

6. CONCLUSÕES

Hoje falar do futuro da construção civil é falar do futuro da construção sustentável como um
caminho sem volta porque o nível de consciência ambiental da população hoje cresceu mais nos
jovens que não só se preocupam pelo impacto ambiental daquilo que adquirem se não também
influenciam as pessoas de seu ao redor sobre o assunto.

Em todos os relatórios anteriores estão relacionados com a construção sustentável porque não é
uma palavra de moda ou tendência momentânea. Ela é e será uma prática cada vez mais comum
que todos os engenheiros, empresas e governos tem que adotar porque marca o futuro da construção
sustentável.

O principal conceito da sustentabilidade na construção civil é a economia dos recursos. Ainda que
boa parte dos materiais utilizados não são recicláveis e que o setor movimenta quantidades tão
grandes de diferentes tipos de materiais e recursos naturais, qualquer iniciativa que reduza seu uso
já poder ter um impacto considerável no futuro e se consideram como ações sustentáveis.

Em consequência de que é inevitável parar o crescimento da população, os governos criam


incentivos pela sustentabilidade nas construções e pelo desenvolvimento de novos produtos e
técnicas mais eficientes que consumem menos água e energia devido a que são os recursos mais
importantes do futuro. Portanto as empresas de construção civil também estão a trabalhar em isto
para manter seu potencial competitivo.

15
RELATÓRIO CONFERÊNCIAS

7. REFERÊNCIAS

Cervi, C. D. (2003). Influência da Madeira Como Material de Construção Visando a


Sustentabilidade. Dissertação para Licenciatura em Engenharia Civil. Universidade do
Planalto Catarinense, Santa Catarina.
Negrão, J. (2018). A Madera Como Material Estrutural Sustentável. Leiria.
Santos, P. (2018). Capturando o Potencial de Poupança Energética nos Edifícios. Leiria.
Simões, L. (2018). Portugal Steel. Leiria.
Brandão, A. (2018). O Vidro como Solução de Conforto no Âmbito da Construção Sustentável.
Leiria.
Craveiro, F. (2018). A Fabricação Aditiva na Construção e na Engenharia. Leiria.
de Araújo, T. L., Uchôa, S. B., Silva, P. B., Florentino, E. G., & Saraiva, L. A. (2013). Análise
das Tendências da Aplicação da Robótica e Automação na Indústria da Construção.
Ribeiro, L. L. (2005). Utilização de Estruturas Metálicas em Edificações.

16