Вы находитесь на странице: 1из 24

4

Potência Elétrica
em Corrente
Contínua e
Associação de
Resistores

Objetivos de aprendizagem
Ao final desta unidade você terá subsídios para:

‡‡ compreender o conceito de potência elétrica;


‡‡ medir e calcular a potência elétrica;
‡‡ identificar uma associação de resistores;
‡‡ calcular
a resistência elétrica de uma associa-
ção paralela, série ou mista.

Seções de estudos
Acompanhe nesta unidade o estudo das seções
seguintes:

Seção 1: Potência elétrica.


Seção 2: Associação de resistores.

89
Curso Técnico em Telecomunicações

Para iniciar
O objetivo maior dessa unidade é fazer com você conheça o que é
potência elétrica e realize associação de resistores com o circuito série,
paralelo e misto. Esse tipo de associação é fundamental para o aluno
compreender as variações entre corrente, tensão e resistência.

Sempre que precisar, mantenha contato conosco. Estaremos à sua dis-


posição para ajudá-lo a construir o seu conhecimento por meio de uma
sólida parceria, na qual, também estamos dispostos a aprender com
você. O seu contato conosco, além de indispensável, será sempre muito
bem-vindo!

“Sem coragem, as outras virtudes carecem de sentido.”

– Winston Churchill –

Seção 1:
Potência elétrica
Ao passar por uma carga instalada em um circuito, a corrente elétrica produz,
entre outros efeitos, calor, luz e movimento. Esses efeitos são denominados de
trabalho.

O trabalho de transformação de energia elétrica em outra forma de energia é


realizado pelo consumidor ou pela carga. Portanto, ao transformar a energia elé-
trica, o consumidor realiza um trabalho elétrico. O tipo de trabalho depende da
natureza do consumidor de energia. Um aquecedor, por exemplo, produz calor;
uma lâmpada, luz; um ventilador, movimento.

Sendo assim, a capacidade de cada consumidor produzir trabalho em determina-


do tempo, a partir da energia elétrica, é chamada de potência elétrica.

Ao analisar um tipo de carga como as lâmpadas, você verá que nem todas pro-
duzem a mesma quantidade de luz. Umas produzem grandes quantidades de luz
e outras pequenas quantidades, conforme você pode visualizar na figura a seguir.

90
Análise de Circuitos Elétricos

Figura 64 - Circuito básico incluindo lâmpada, bateria e chave.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

Da mesma forma, existem aquecedores que fervem um litro de água em 10 minu-


tos. E outros que fervem em apenas 5 minutos. Tanto um quanto o outro realizam
o mesmo trabalho elétrico: aquecer 1 litro de água à temperatura de 100 °C.
A única diferença é que um deles é mais rápido, realizando o trabalho em menor
tempo.

A partir da potência é possível relacionar o trabalho elétrico realizado com o


tempo necessário para a sua realização.

Potência elétrica é, então, a capacidade de realizar um tra-


balho numa unidade de tempo a partir da energia elétrica.

Reflita
E será que a potência elétrica pode ser medida?

Sim! A potência elétrica é uma grandeza e, como tal, pode ser medida.

Unidade 4 91
Curso Técnico em Telecomunicações

A unidade de medida da potência elétrica é o Watt, simbolizado pela letra W.

Desta forma, cabe ressaltar que um Watt (1 W) corresponde à potência desen-


volvida no tempo de um segundo em uma carga alimentada por uma tensão de
1 V(Volt), na qual circula uma corrente de 1 A (Ampere).

A unidade de potência elétrica Watt, tem múltiplos e submúltiplos como você


pode verificar na tabela a seguir:

Denominação Símbolo Valor com relação ao watt

MegaWatt MW 106 W ou 1.000.000 W


Múltiplos
QuiloWatt KW 103 W ou 1.000 W
Unidade Watt W 1
miliWatt mW 10-3 W ou 0,001 W
Submúltiplos
MicroWatt mW 10-6 W ou 0,000001 W
Tabela 18 - Múltiplos e submúltiplos do Watt.
Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

Matematicamente, pode-se dizer que a potência elétrica equivale ao produto da


tensão pela corrente elétrica.

Simplificando:

P=VxI

Observe o circuito a seguir e o respectivo cálculo da potência:

Figura 65 - Circuito básico mostrando como se calcula a potência.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005)

92
Análise de Circuitos Elétricos

Potência = tensão x corrente


P=VxI
P = 12 x 5 à 60 W

Assim, concluímos que a potência é de 60 W.

Já o instrumento de medida de potência elétrica é o wattímetro. As ligações


do wattímetro e seus similares devem ser feitas de tal maneira que permita ao
instrumento atuar como voltímetro e amperímetro, ao mesmo tempo.

Veja o exemplo do circuito a seguir:

Figura 66 - Ligação do wattímetro.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

No cotidiano costuma-se usar também outras unidades, tais como o Quilogrâ-


metro por segundo e o Kgm/s (unidade de potência do antigo Sistema Métri-
co). O Cavalo-Vapor (CV) e Horse-Power (HP) ainda são adotados pelo Sistema
Internacional de Unidades (SI). Portanto, confira a seguir a transformação de
cada uma dessas unidades.

9,8 W
1/75 CV
1 Kgm/s =
1/76 HP
0,0098 KW

Se você ler uma dessas plaquetas que indicam as características de um motor,


ficará sabendo qual é a sua potência mecânica em CV. A potência mecânica em
CV, nos motores elétricos, varia de 1/10 (0,1 CV) a 50.000 CV e, em certas usinas
elétricas, vai a mais de 100.000 CV.

Para sua transformação, existe a seguinte relação de equivalência:

Unidade 4 93
Curso Técnico em Telecomunicações

736 W
75 Kgm/s
1 CV =
736/746 HP
0,736 KW

O Horse-Power (HP) é a unidade inglesa de potência. Muitos motores apresen-


tam em suas plaquetas de características esta unidade inglesa. Para transformar
essa unidade deve-se também aplicar a regra de três simples.

A sua relação de equivalência com as outras unidades é:

746 W
76 Kgm/s
1 HP =
746/736 HP
0,746 KW

Agora, vamos praticar um pouquinho.

Uma lâmpada de lanterna de 6 V solicita uma corrente de 0,5 A das pilhas. Qual
a potência da lâmpada?

Formulando a questão, temos:

V = 6 V – tensão nos terminais da lâmpada;


I = 0,5 A – corrente que atravessa a lâmpada;
P=?
Como P = V x I, então: P = 6 x 0,5 = 3 W.
Portanto, P = 3 W.

A partir dessa fórmula inicial obtemos facilmente as equações de corrente para


o cálculo de quaisquer das três grandezas da equação. Veja!

Cálculo da corrente quando se dispõe da potência e da tensão

I= P
V

94
Análise de Circuitos Elétricos

Cálculo da tensão quando se dispõe da potência e da corrente

V= P
I

Muitas vezes é preciso calcular a potência de um componente e não se dispõe


da tensão, tampouco da corrente. Quando não se dispõe da tensão (V), não é
possível calcular a potência pela equação P = V x I.

Dica
Esta dificuldade pode ser solucionada com o auxílio da lei de Ohm.

Para facilitar a análise, você deve utilizar a fórmula que calcula a tensão da
primeira lei de Ohm (V = R x I) e a fórmula da potência (P = V x I). Em segui-
da, você precisa substituir o símbolo “V” na equação da potência por (R x I) da
equação da lei Ohm.

Portanto, a nova equação ficará assim:

V=RxI
P = R x I x I ou R x I2
Assim, P = R x I2

Esta equação pode ser usada para determinar a potência de um componente. É


conhecida como equação da potência por efeito joule.

Nota
Efeito joule é o efeito térmico produzido pela passagem da corrente
elétrica por meio de uma resistência.

É importante destacar que você pode realizar o mesmo tipo de dedução para
obter uma equação que permita determinar a potência a partir da tensão e da
resistência.

Assim, pela lei de Ohm temos:

Unidade 4 95
Curso Técnico em Telecomunicações

I = V
R

Fazendo a substituição, temos:

P=VxI

P=Vx V
R
P = V2
R

A partir das equações básicas é possível obter outras equações, por meio de
operações matemáticas.

A seguir são fornecidos alguns exemplos de como se utilizam as equações para


determinar a potência. Acompanhe!

Reflita
É praticando que se aprende!!

96
Análise de Circuitos Elétricos

Exemplo 1

Um aquecedor elétrico tem uma resistência de 8 Ω e solicita uma corrente de


10 A. Qual é a sua potência?

Formulando a questão, temos:

I = 10 A
R=8Ω
P=?

Aplicando a fórmula:

P = R x I²
P = 10² x 8 = 800 W
P = 800 W

Exemplo 2

Um isqueiro de automóvel funciona com 12 V fornecidos pela bateria. Sabendo


que a resistência do isqueiro é de 3 Ω, calcule a potência dissipada.

Formulando a questão, temos:

V = 12 V
R=3Ω
P=?

Aplicando a fórmula:

P = V2
R
P = 122 = 48 W
3

P = 48 W

Unidade 4 97
Curso Técnico em Telecomunicações

Atenção
Certos aparelhos como chuveiros, lâmpadas e motores têm uma
característica particular: seu funcionamento obedece a uma tensão
previamente estabelecida. Assim, existem chuveiros para 110 ou 220 V;
lâmpadas para 6, 12, 110, 220 V e outras tensões; motores para 110, 220,
380, 440 V e outras.

Esta tensão para a qual os consumidores são fabricados chama-se tensão


nominal de funcionamento. Por isso, os consumidores que apresentam tais
características devem ser sempre ligados na tensão correta (nominal), normal-
mente especificada no seu corpo. Quando esses aparelhos são ligados corre-
tamente, a quantidade de calor, luz ou movimento produzida é exatamente
aquela para a qual foram projetados.

A próxima seção traz associação de resistores com conceitos e formas de utili-


zação, classificação e exemplos, para que você possa por em prática os conheci-
mentos apreendidos.

Vamos juntos nessa caminhada de aprendizagem?

Seção 2:
Associação de resistores
A associação de resistores é uma reunião de dois ou mais resistores em um cir-
cuito elétrico. Veja o exemplo a seguir.

Figura 67 - Circuito misto.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

98
Análise de Circuitos Elétricos

As associações de resistores são utilizadas na maioria dos circuitos elétricos e


eletrônicos.

Pergunta
E quais são os tipos de associação de resistores?

Os resistores podem ser associados originando circuitos das mais diversas for-
mas. Acompanhe na figura a seguir alguns tipos de associação de resistores!

Figura 68 - Exemplos de circuitos.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

Como você pode observar na figura anterior, os pontos da associação que são
conectados à fonte geradora são denominados de terminais e os pontos onde
existe a interligação entre dois ou mais resistores são denominados de nós.

Apesar do ilimitado número de associações diferentes que se pode obter inter-


ligando resistores em um circuito elétrico, todas essas associações podem ser
classificadas segundo três designações básicas. São elas:

‡‡ associação paralela.
‡‡ associação série.
‡‡ associação mista.

Cada um dos tipos de associação apresenta características específicas de com-


portamento elétrico. Confira.

Unidade 4 99
Curso Técnico em Telecomunicações

Uma associação de resistores é denominada de associação série, quando os


resistores que a compõem estão interligados de forma que exista apenas um
caminho para a circulação da corrente elétrica entre seus terminais. A figura a
seguir mostra dois exemplos de associação série de resistores. Veja!

Figura 69 - Associação série.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

Conectando-se uma fonte geradora aos terminais das associações série, como
você pode observar na figura anterior, é possível verificar que existe realmente
apenas um caminho para a circulação da corrente elétrica, conforme ilustrado a
seguir.

Figura 70 - Caminho da corrente.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

Uma associação de resistores é denominada associação paralela quando os


resistores que a compõem estão interligados de forma que exista mais de um
caminho para a circulação da corrente elétrica entre seus terminais. Veja na
figura a seguir dois exemplos de associação paralela de resistores.

Figura 71 - Circuito em paralelo.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005)

100
Análise de Circuitos Elétricos

Conectando-se uma fonte geradora aos terminais das associações paralelas,


como você pode verificar na figura anterior, é possível verificar que existe sem-
pre mais de um caminho para a circulação da corrente elétrica. Acompanhe!

Figura 72 - Corrente no circuito paralelo.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

Uma associação de resistores é denominada associação mista quando for


composta por grupos de resistores em série e em paralelo. Veja os exemplos na
figura a seguir:

Figura 73 - Circuito misto.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

Quando se associam resistores a resistência elétrica entre terminais é diferente


das resistências individuais. Por esta razão, a resistência de uma associação de
resistores recebe uma denominação específica: resistência total ou resistência
equivalente.

Dica
A resistência equivalente de uma associação depende dos valores dos
resistores que a compõem e do tipo de associação feita.

Unidade 4 101
Curso Técnico em Telecomunicações

Resistência equivalente de uma associação série


Em uma associação série a mesma corrente elétrica flui por meio de todos os
resistores, um após o outro. Cada um dos resistores apresenta uma resistência à
circulação da corrente no circuito. Veja!

Figura 74 - Caminho da corrente no circuito série.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

Ao longo de todo o circuito, a resistência equivalente é a soma das resistências


parciais. Matematicamente, a resistência equivalente (Req) de uma associação
série de n resistores é dada por:

Req = R1 + R2 + R3 + ..... + Rn.

Onde R1, R2, R3 .... Rn são os valores ôhmicos dos resistores associados em série.
Assim, se um resistor de 120 Ω for conectado em série a um resistor de 270 Ω, a
resistência equivalente entre os terminais da associação será:

Req = R1 + R2
Req = 120 Ω + 270 Ω
Req = 390 Ω

Resistência equivalente de uma associação paralela


Na associação paralela, existe mais de um caminho para circulação da corrente
elétrica, como você pode verificar a seguir.

Figura 75 - Caminho da corrente no circuito paralelo.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

102
Análise de Circuitos Elétricos

Dispondo de dois caminhos para circular, a corrente flui com mais facilidade
do que se houvesse apenas um caminho. Desta forma, é possível verificar que
a oposição à passagem da corrente em dois (ou mais) resistores em paralelo é
menor do que apenas em um.

Atenção
O valor da resistência equivalente de uma associação de resistores em
paralelo é sempre menor que o resistor de menor valor.

Associando-se, por exemplo, um resistor de 120 Ω em paralelo com um resistor


de 100 Ω, a resistência equivalente da associação será obrigatoriamente menor
que 100 Ω.

Pergunta
E qual será a fórmula da resistência equivalente de uma associação
paralela de resistores?

Veja a equação:

Req = 1
1 + 1 + ... + 1
R1 R2 Rn

Sendo R1, R2 ..... Rn valores ôhmicos dos resistores associados.

Confira atentamente os exemplos a seguir:

Unidade 4 103
Curso Técnico em Telecomunicações

Exemplo 1:

Calcule a resistência equivalente da associação paralela dos resistores

R1=10 Ω, R2 = 25 Ω e R3 = 20 Ω.

Solução:

Req = 1
1 + 1 + 1
R1 R2 R3

Req = 1 = 1 = 5,26 Ω
1 + 1 + 1 0,1 + 0,04 + 0,05
10 25 20

Nota
O resultado encontrado comprova que a resistência equivalente da
associação paralela (5,26 Ω) é menor que o resistor de menor valor (10
Ω).

R eq = 1
Para associações paralelas com apenas dois
1 + 1 + 1você pode utilizar uma
resistores
equação mais simples, deduzida da equação
R 1 geral:
R2 R3

Req = 1 Req =Req = 1 1= =1 R1 x =R 5,226 Ω


1
1 + 1 + 1R+ 1+ R0,1 +0,04 +0R,05+ R2
10 25 1 20 2 1

R1 R2 R1 x R2

R eq = 1 1 R x R
A resistência equivalente da associação paralela de dois R =
resistores é dada =pela1 2
1 + 1 eq
R1 + R 2 +
R R
equação a seguir: R1 R2 1 2
x
R1 R 2

R1 x R 2
R eq =
R1 + R 2

R1 x R 2 1 .200 x 680 816 .000


104 R eq = = = = 434 Ω
R1 + R 2 1 .200 + 680 1 .880
R1 R2 R3
1 1 1 de Circuitos Elétricos
Análise
1 Req = 1 = =5,26 Ω R eq = R eq = 1
Req = = 1 + 1 + 1 0= ,15+,26 Ω +0,05
0,04 1 + 1 R1 + R
1
+ 1 + 1 10 0,1 +0,04 +
25 0,05
20 R1 R2
10 25 20 R1 x R

R eq = 1 R x R R x R
Exemplo 2:
1 R =R x 1R = 1 2 1 2
R eq = =
R eq 1 1 1 + 1 =
R 1 eq
= 1R 1 + 2R 2 R =
R eq+ R
+1 1 1 R 11 Req 2 R1 + R 2 R + xR 1 2R 1 + R 2
R+
Calcule Ra1 resistência+equivalente da associação R
1paralela
1 R
2 2
de dois resistores R1 =
R1 2 R 2 R3 R x R
1,2k Ω e R2 = 680 Ω. 1 2
R1 x R 2 1 .200 x 680 816
R x
1 R R = = =
Req = R 11 x RReq2== 1
Solução: 2 eq
=5,26 Ω R 1 + R 2 1 .200 + 680 1 .8
R eq = 1 1 1 0,1 + 0,04
+ + 0,05
+ + R1 R2
10 R 25+ 20 R2
1

R1 x R 2 1 .200 x 680 816 .000


R eq = R x R R1 1=.200 x 680= 816 .000 R= x R = 434 Ω
1 eq
= 1 + 1 =+ 1R + R = =
1 2
eq = =
R eq 1 R 2 1 . 1
200 + 680
= 434
1 Ω
1 . 880
2 1
1R ++ R1R 1 .R200
R + eq680 R 1+.880 R + R eq =
11 22 3 1 2 R R 1 1 1
R1 R2 1 2 1 + + .... +
x
R1 R 2 R 1 R 2 R n
1 1
Req = = =5,26 Ω
1
+ R1 +x1 R 0,1 +0,04 +0,05
Um 10 caso25 particular
20 2 da associação1de resistores é aquele que envolve a associa-
R eq = 1 1R eq =
ção de R eqdois
= ou mais resistores
1 de 1 mesmo 1 valor. Nesta situação, podemos utili-
R 1 1+ R 12 1 1 + + .... +
zar uma terceira equação,
1 + + .... + 1 R R
específica
2 paraR n associações paralelas, onde todos os
1 R R R R x R
R resistores
= têm1 o mesmo
2 valor.
R
n
= 1 = 1 2
R eq = R
eq
1 R+1 x1 R 2 1 .200 xeq 680R +816 R . 000R + R
R
Esta =
R1
eq equação =
R também é deduzida= da equação
1 2 = 434 Ω
1 geral.
2 n
R 1 +2R 2 1 .200 + 680R x 1R.880 O
1 2
Como neste caso todas as resistências são iguais a R, tem-se que: O valor de cada
R x R2 O valor de cada
R eq = 1 R eq = R
R 1 + RReq2 = R n 1
1n O número de =
resistores
R eq de 1mesmo valor
= em
R eq = O número de resistores de mesmo1 valor + 1 em
+ 1 1 
1
1
+
1
+ .... +
1
R R  + R n 
R x RR21 R12.200 x R680 816 .000 R 
R eq = 1 = n
= = 434 Ω
R 1 + R 2 1 .200 + 680 1 .880
1 1 R
R1eq = 1
1 = 1 R = =
1 R = = R eq =nRx1 n
= 1 = R
R eq = 1 +=1 + + 1 
1 + 1 + +R1 
R   R
n 
1 nx1n   n nx1 n n
R R  R R  R  O valor de cada
R 
1 R
R eq =
1 R eq1 = n 1 R eq =
120
= 40 Ω
1 + + .... + 3 em
R1 R2 R eq R=n R O número de resistores de mesmo valor
R eq = R n
n
Assim, a resistência equivalente da associação paralela de n resistores de mes-
mo valor R é dada pela equação:
120
120 1 R eqΩ = 3 = 40 1 Ω 1 R
= = 3 = 40
R eq
R eq = R = =
O valor de cada
1 + 1 + + 1 O valor
1 
de cada resistor nx1 n
R RR  R n  
R eq = R 
n
O número de resistores
O número de de
de resistores mesmo
mesmo valor em
valor em paralelo
R eq = R
n
1 1 R
R eq = 1
= R= =
1 120
R eq =+
1 +
= 40+Ω
1 1
n
nx1 n Unidade 4 105
R R
3
 R 
R 
O valor de cada
Curso Técnico em Telecomunicações
R
R eq =
n
O número de resistores de mesmo valor e

Exemplo 3:

de=1201Ω associados emR =


1 R
Calcule a resistência equivalente 1
R eq =de três resistores =
paralelo. 1 + 1 + + 1 1 nx1 n
R R  R n  
Solução:
R 

R eq = R
R
R eq = n
n

R eq = 120 = 40 Ω
3

Pergunta
Qual recurso você poderá utilizar para determinar a resistência
equivalente de uma associação mista?

Para determinar a resistência equivalente de uma associação mista de resistores,


você deve utilizar o seguinte recurso: dividir a associação em pequenas partes
que possam ser calculadas como associações série ou paralelas.

Para realizar corretamente a divisão da associação mista, utilize os nós forma-


dos no circuito. A partir da identificação dos nós, procure analisar como estão
ligados os resistores entre cada dois nós do circuito, conforme a figura a seguir:

Figura 76 - Associação paralela em circuito misto.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

106
Análise de Circuitos Elétricos

Desconsiderando-se tudo o que está antes e depois destes nós e examinando


x R3 associados,
a forma como R2 e RR3 2estão x concluímos que R2 e R3 formam uma
Req = = 180 270
associação paralela de
R2 +dois
R3 resistores,
180 + 270cuja resistência equivalente pode ser
calculada como:

Req = R1 + Ra + R4
R2 x R3 = 180 x 270
Req =
Req = 560 Ω + 108 Ω + 1.200 Ω = 1.868 Ω. R 2 + R3 180 + 270

Req = R1 + R2 48.600
R eq = = 108 Ω
Req = R1 + Ra + R4 450
Req = 10.000 + 3.300 = 13.300 Ω.
Req = 560 Ω + 108 Ω + 1.200 Ω = 1.868 Ω.

Req = R1 + R2 48.600
Os dois resistores R e R3 associados emRparalelo podem
= 108então ser substituídos
eq =
Ra x R3 13 .300 x 68 .0002 Ω
R eq = = 10.000
por 450
um resistor equivalente, que pode ser chamado de Ra, igual a 108 Ω.
R + RReq = 13
a 3 300 ++3.300 = 13.300 Ω.
.
68 000 .
Ao executar a substituição, a associação mista original torna-se uma associação
série simples, constituída pelos resistores R1, Ra e R4. Veja:
Req = 11.124 Ω.
Ra x R3 13 .300 x 68 .000
R eq = =
Ra + R3 13 .300 + 68 .000

Ra = R1 + R2
Req = 11.124 Ω.
Ra = 1.500 Ω + 180 Ω = 1.680 Ω.

Rb = R3 + R4
Ra = R1 + R2
Rb = 680 Ω + 1.000 Ω = 1.680 Ω.
Ra = 1.500 Ω + 180 Ω = 1.680 Ω.
Figura 77 - Circuitos equivalentes.
Fonte: SENAI-CTGAS (2005).
Rb = R3 + R4
A resistência equivalente de toda esta associação é determinada por meio da
Rb = 680 Ω + 1.000 Ω = 1.680 Ω.
R equação da associação série.
R eq =
n
Usando valores do circuito, você terá:

R eq = 1.680 = 840 Ω
2
R Req = R1 + Ra + R4
R eq =
n
Req = 560 Ω + 108 Ω + 1.200 Ω = 1.868 Ω.
R eq = 1.680 = 840 Ω
2

Unidade 4 107
Curso Técnico em Telecomunicações

O resultado significa que toda associação mista original tem o mesmo efeito
para a corrente elétrica que aquela de um único resistor de 1.868 Ω.

É importante que a cada etapa de cálculo dos resistores parciais seja feito o
desenho do novo circuito equivalente. Este procedimento facilita a análise de
circuitos mistos.

Exemplo 4:

Determine a resistência equivalente da associação de resistores apresentada na


figura a seguir:

Figura 78 - Circuitos mistos.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

Como você pode visualizar na figura anterior, os resistores R1 e R2 estão ligados


em série e, portanto, podem ser substituídos pelo seguinte resistor equivalente:

Req = R1 + R2
Req = 10.000 + 3.300 = 13.300 Ω.

Substituindo-se, portanto, R1 e R2 pelo seu valor equivalente Ra no circuito origi-


nal, temos:

Figura 79 - Circuito paralelo.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005).

108
Req = R1 + Ra + R4
Análise de Circuitos Elétricos
Req = 560 Ω + 108 Ω + 1.200 Ω = 1.868 Ω.

Req = R1 + R2 48.600
R eq = = 108 Ω
450
Req = 10.000
Analisando o circuito formado por R+a 3.300 = 13.300
e R3, vemos queΩ.estes resistores estão em
paralelo e, por isto, podem ser substituídos pelo seguinte resistor equivalente:

Ra x R3 13 .300 x 68 .000
R eq = =
Ra + R3 13 .300 + 68 .000
Req = 11.124 Ω.
Req = 11.124 Ω.

A partir deste resultado, conclui-se que toda a associação mista pode ser subs-
tituída por um único resistor de 11.124 Ω.
Ra = R1 + R2
Aplicando-se uma tensão a toda a associação de resistores ou a um único resis-
Ra = 1.500
tor de 11.124 Ω, a corrente Ω + circula
total que 180 Ω =no1.680 Ω. é a mesma.
circuito

Exemplo 5: Rb = R3 + R4

b = 680 Ω + 1.000
Determine a resistênciaRequivalente Ω = 1.680de
da associação Ω.resistores apresentada na
figura a seguir:

R
R eq =
n

R eq = 1.680 = 840 Ω
2

Figura 80 - Resolução dos resistores em paralelo - etapa 01.


Fonte: SENAI-CTGAS (2005)

Você pode observar na figura anterior que os resistores R1 e R2 estão ligados


em série e R3 e R4 também. Deste modo, R1 e R2 podem ser substituídos por um
resistor Ra equivalente e R3 e R4 por outro resistor equivalente Rb, cujos valores
são:

Ra = R1 + R2

Ra = 1.500 Ω + 180 Ω = 1.680 Ω.

Rb = R3 + R4

Rb = 680 Ω + 1.000 Ω = 1.680 Ω.

Unidade 4 109
Req = R1 + R2 48.600
R eq = = 108 Ω
Curso Técnico em Telecomunicações 450
Req = 10.000 + 3.300 = 13.300 Ω.

R x R3 13 .300 x 68 .000
R eq = a =
Substituindo R1 e R2 por Ra e R3 e RR4 por
+RRb no 13
circuito
.300 +original,
68 .000temos:
a 3

Req = 11.124 Ω.

Ra = R1 + R2

Ra = 1.500 Ω + 180 Ω = 1.680 Ω.

Rb = R3 + R4
Figura 81 - Resolução dos resistores em paralelo - etapa 02.
Fonte: SENAI-CTGAS (2005). Rb = 680 Ω + 1.000 Ω = 1.680 Ω.

A resistência equivalente da associação é, portanto:

R
R eq =
n

R eq = 1.680 = 840 Ω
2

Toda associação pode ser substituída por um único resistor de 840 Ω.

Dica
Lembre-se que durante seus estudos você pode contar com o apoio
do tutor, para compartilhar ideias, tirar dúvidas e discutir os assuntos
abordados.

Vamos lá! Aproveite esses momentos de interação com tutor para


explorar o aprendizado, construindo novos conhecimentos.

110
Análise de Circuitos Elétricos

Colocando em prática
Chegou o momento de colocar em prática os conhecimentos apreen-
didos. Acesse o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) e realize as
atividades que preparamos para você. Aproveite para sanar as dúvidas
que surgirem com o seu tutor, ele estará à disposição para ajudá-lo.

Encontro presencial
A aprendizagem acontece também quando experiências se concreti-
zam, por isso, você é convidado a participar do encontro presencial.
Esse é um ótimo momento para rever e explorar os assuntos estuda-
dos junto com o professor e colegas. Aprender exige envolver-se por
múltiplos caminhos de forma colaborativa, assim as descobertas serão
significativas para você.

Relembrando
Nessa unidade você estudou sobre circuito série e paralelo. No pri-
meiro modelo de circuito a corrente é a mesma e a tensão se divide.
Nos circuitos em paralelo é o inverso, a corrente se divide e a tensão
é a mesma. Você também aprendeu que a potência é a capacidade de
algo realizar trabalho. Nosso alvo nesta quarta unidade é associação de
resistores e potência elétrica em circuitos de corrente contínua.

Saiba mais
Aprofunde seus conhecimentos sobre o assunto desta unidade pesqui-
sando nos sites a seguir:

‡‡ <http://www.efeitojoule.com/2008/07/associacao-de-resistores.html>

‡‡ <http://www.scribd.com/doc/26033637/FM3-3-Corrente-continua-e-
alternada-Energia-electrica-e-Potencia-electrica.>

Unidade 4 111
Curso Técnico em Telecomunicações

Alongue-se
Faça uma pausa! Observe qual sua postura neste momento: sua ca-
beça deve estar equilibrada, os ombros alinhados com o quadril e este
bem apoiado na cadeira; pés apoiados no chão. Evite que ao longo do
tempo sua cabeça fique à frente do corpo, os ombros enrolados e o
quadril “escorregando” na cadeira. Este vício postural pode causar uma
série de complicações à saúde. Corrija sua posição e alongue-se! Retor-
ne às atividades somente após 10 minutos de pausa.

112