Вы находитесь на странице: 1из 7

MANUAL DE DEFESA PARA PROFESSORES

MANUAL DE DEFESA PARA PROFESSORES
MANUAL DE DEFESA PARA PROFESSORES

Horas depois da apuração dos votos, o candidato eleito a presidência do Brasil nas eleições de 2018, Jair Bolsonaro, veicula um vídeo afirmando que professo- res devem ser intimidados com referência aos conteú- dos que apresenta em sala de aula, que as falas, te- mas e atividades em sala devem ser filmadas, julgadas pelos partidários de Bolsonaro, e o professor achinca- lhado e notificado extrajudicialmente.

A pergunta frente a perseguição, a barbárie e o me- do é uma:

Como se defender?

A Cons tuição Federal – este item as vezes ignorado - assegura ao educador o direito à liberdade de cátedra, que se resume em sua liberdade de atuação em sala de aula. Portanto, qualquer lei que viole esse direito se tor- na incons tucional e, portanto, não passível de promul- gação pelo presidente da República. O art. 205 da Cons- tuição Federal assegura a liberdade de aprender, ensi- nar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o sa- ber. O mesmo princípio é reforçado no terceiro ar go da Lei de Nº 9.394 – de Diretrizes e Bases Nacional. Por- tanto, os professores que se sen rem constrangidos, censurados em sala de aula, podem e devem fazer o uso da legislação existente sobre o assunto para salvaguardar seu direito à liberdade de cátedra. De modo que devem buscar ajuda jurídica e proteger seus direitos e muitas vezes sua imagem e integridade sica.

A liberdade de Cátedra – ou de ensino – surge no ní- vel cons tucional na carta magna de 1934 em seu ar - go 155. Posteriormente, na Cons tuição Federal de 1946, em seu ar go 168. Reafirmado pela cons tuição de 1988 – conhecida como a cons tuição cidadã, o do- cente tem plena autonomia para escolher os métodos didá cos que respeitem a pluralidade de ideias e a não- discriminação. Escola “sem par do” como defendido pelos autoritários é escola com par do único, é escola Sem Sen do e no mínimo An cons tucional.

O QUE FAZER SE SUA AULA FOR INVADIDA?

1. Exigir a presença de testemunhas, como a diretora, coordenadora pedagógica e outros docentes da escola. Não saia da sala de aula, para isso basta pedir para um ou dois alunos chamar a presença deles.

Sempre esteja munido com o número do sindicato da sua cidade e/ou de um advogado.

2. A entrada de terceiros só pode ocorrer com a au- torização prévia do professor, ninguém pode invadir a sala de aula. Se aparecer alguém não convidado sim- plesmente feche a porta. Caso o invasor force a en- trada, disque 190 e acione a polícia. Peça a presença de uma ronda escolar.

O QUE FAZER EM CASO DE ASSÉDIO OU AMEAÇA?

3. Ninguém pode entrar no local de trabalho do pro- fessor de modo a constrangê-lo ou censurá-lo. Isso configura ameaça e assédio ao servidor público. O que também é passível de pena.

O QUE FAZER SE SUA AULA FOR FILMADA SEM A SUA AUTORIZAÇÃO?

4. Caso alguém grave vídeos na sala de aula, o do- cente pode entrar com processo por difamação, calú-

nia e uso indevido de imagem. A pena para o crime de difamação é de detenção, de três meses a um ano, e multa.

5. Em caso de ofensas e ameaças diante de alunos, peça para registrarem o episódio, reúna duas teste- munhas e acione o advogado do seu sindicato.

O QUE FAZER SE PUBLICAREM SUA IMAGEM OU O ACUSAREM DE “DOUTRINAÇÃO”?

6. Peça ajuda jurídica ao seu sindicato para denunci- ar as postagens em redes sociais (Facebook, Youtube e Google tem botões e formulários para denunciar postagens indevidas). Reúna um grupo de professo- res que também foram difamados e/ou ameaçados e entre com um processo coletivo pedindo indeniza- ção por danos morais ao autor da postagem e à rede utilizada. Envie cartas registradas para a sede do Go-

ogle e do Facebook, explicando o ocorrido e solicite a retirada do conteúdo do Sr. Procure veículos de mí- dia livre e alternativa como a Agência Pressenza, o QuatroV, Outras Palavras, Agência Ponte e Justifican- do, para dar sua versão do que ocorreu, pois os veí- culos de mídia tradicionais geralmente distorcem e manipulam os fatos.

Os professores não estão desamparados pela lei com relação a posturas fascistas que certos indivíduos podem tomar. Sua liberdade é assegurada em nível constitucional. Ao se depararem com situações onde sua liberdade está ameaçada, tem como recurso a le- gislação vigente para sua defesa.

SINDICALIZE-SE,

em tempos sombrios é sua melhor defesa.