Вы находитесь на странице: 1из 32

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Methodio Varejão de Godoy

ANÁLISE DE NÍVEL DE CURTO CIRCUITO

1. OBJETIVO
Este texto tem por objetivo realizar uma análise comparativa dos diferentes
níveis de curto circuito em um dado ponto de um sistema elétrico onde são
conhecidas as impedâncias equivalentes de Thevenin de sequencia positiva
(Z1), negativa (Z2) e zero (Z0) além de uma impedância de falta (Zf).

2. INTRODUÇÃO
A identificação da maior corrente de curto circuito e da maior sobretensão
temporária originada por curtos envolvendo a terra num dado ponto do sistema
elétrico são informações essenciais para definir as características elétricas dos
diferentes equipamentos desse sistema. A suportabilidade dos equipamentos e
materiais de um dado sistema elétrico referentes aos esforços térmicos e
dinâmicos produzidos por sobrecorrentes, bem como a definição da
suportabilidade máxima da isolação desses equipamentos a esforços elétricos
na frequencia industrial só podem ser perfeitamente definidos a partir dos
cálculos das faltas no ponto do sistema elétrico onde esses equipamentos ou
materiais está instalado. Os seguintes tipos de curto circuito serão analisados
neste texto:

a) Curto circuito trifásico;

b) Curto circuito monofásico;

c) Curto circuito bifásico com terra;

d) Curto circuito monofásico sem a terra.

1
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

3. CURTO CIRCUITO TRIFÁSICO


Considere um dado ponto P do sistema elétrico onde as impedâncias
equivalentes de Thevenin de sequencia positiva (Z1), negativa (Z2) e zero (Z0) e
uma impedância de falta (Zf) são conhecidas, pode-se estudar como mostrado
no esquema mostrado na Figura 1 o curto circuito trifásico nesse ponto P.
Assim:
Z 1 = R 1 + jX 1 Z 2 = R 2 + jX 2 Z 0 = R 0 + jX 0

VC

IC
VB
SISTEM A
ELÉTRICO
IB IA+ IB + IC
VA

Zf
IA

Figura 1- Curto Circuito Trifásico através de uma impedãncia de falta Zf

Num curto circuito trifásico as condições de contorno em termos de


componentes simétricas no ponto de falta são:

VA = VB = VC = ZF.(IA + IB + IC)
I A = ICC 3F

Desenvolvendo as condições de contorno, obtemos:

VB = VC
V0 + a .V1 + a.V2 = V0 + a.V1 + a 2 .V2
2

V1 .(a 2 + a) = V2 (a 2 + a)

V1 = V2

2
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

VA = VC
V0 + V1 + V2 = V0 + a.V1 + a 2 .V2
como : V1 = V2
V0 + 2 V1 = V0 + V1 .(a 2 + a)

V1 = 0

Como o curto circuito trifásico é simétrico, temos:

IA + IB + IC = 0

De modo que:

VA = 0
V0 + V1 + V2 = 0
como : V1 = V2 = 0

V0 = 0

As correntes de cada sequencia podem ser obtidas usando a equações que


relacionam as componentes simétricas das tensões com as componentes
simétricas das correntes, assim:

 V0   0   Z 0 0 0  I0 
 V  = E −  0 Z1 0 .I1 
 1   
 V2   0   0 0 Z 2  I 2 

V0 = 0 = − Z 0 .I 0 ⇒ I 0 = 0

V2 = 0 = − Z 2 .I 2 ⇒ I 2 = 0

E
V1 = − Z 1 .I1 ⇒ I 1=
Z1

Conhecendo-se aos componentes simétricas das correntes, podemos


determinar as correntes de curto trifásico em cada fase:

3
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

E E
ICC3FA = I A = I A 0 + I A1 + I A 2 = = ∠φ
Z1 Z1
E E
ICC3FB = IB = I A 0 + a 2 .I A1 + a.I A 2 = a 2 . = ∠φ − 120 0
Z1 Z1
E E
ICC3FC = IC = I A 0 + a.I A1 + a 2 .I A 2 = a. = ∠φ + 120 0
Z1 Z1

As corrente de curto circuito nas três fases são equilibradas, ressaltando o fato
que o curto circuito trifásico é uma falta simétrica, daí não existirem
componentes simétricos de corrente para as sequencia negativa e zero.

4. CURTO CIRCUITO MONOFÁSICO


Considere um dado ponto P do sistema elétrico onde as impedâncias
equivalentes de Thevenin de sequencia positiva (Z1), negativa (Z2) e zero (Z0) e
uma impedância de falta (Zf) são conhecidas, pode-se estudar o curto circuito
monofásico como pode ser visto no esquema mostrado na Figura 2. Assim:
Z 1 = R 1 + jX 1 Z 2 = R 2 + jX 2 Z 0 = R 0 + jX 0

VC

IC
VB
SISTEMA
ELÉTRICO
IB
VA

IA = ICC1F
Zf

Figura 2 - Curto Monofásico através de uma impedãncia de falta Zf

Num curto circuito monofásico as condições de contorno em termos de


componentes simétricas no ponto de falta são:

4
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

 VA = ZF.IA

 IB = I C = 0
 I = ICC1F
 A

Desenvolvendo as condições de contorno, obtemos:

IB = IC
I 0 + a 2 .I1 + a.I 2 = I 0 + a.I1 + a 2 .I 2
I1 .(a 2 + a) = I 2 (a 2 + a)

I1 = I 2

IB = 0
I 0 + a 2 .I1 + a.I 2 = 0
como : I1 = I 2 então :
I 0 = − I1 ( a + a )
2

I 0 = I1 = I 2

As tensões de cada sequencia podem ser obtidas usando a equações que


relacionam as componentes simétricas das tensões com as componentes
simétricas das correntes, assim:

 V0   0   Z 0 0 0  I 0 
 V  = E −  0 Z1 0 .I1 
 1   
 V2   0   0 0 Z 2  I 2 

V0 = − Z 0 .I 0
V2 = − Z 2 .I 2 = − Z 2 .I 0
V1 = E − Z 1 .I1 = E − Z 1 .I0

Usando a última condição de contorno, obtem-se:

VA = ZF.I A
V0 + V1 + V2 = Z F .(I 0 + I1 + I 2 ) = 3.Z F .I 0

5
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

 I 0 = I1 = I 2

 V0 + V1 + V2 − 3.Z F .I0 = 0

As últimas equações nos conduzem a associar em série as três redes de


sequencia com o termo -3.ZF.IO como pode ser visto na Figura 3 :
I1

REDE
DE
SEQUENCIA V1
POSITIVA V0 + V1 + V2- 3.ZF.I0 = 0

I2

REDE
DE
SEQUENCIA V2
NEGATIVA
I0 = I1 = I2

I0

REDE
DE
SEQUENCIA V0
ZERO

I0

3.ZF

Figura 3 – Associação das redes de sequência num curto monofásico

Analisando a associação dos circuitos de sequencia mostrados na Figura 3


pode-se verificar que a impedância de falta pode ser tratada como parte do
circuito de sequencia zero, pois a impedância 3.ZF é percorrida pela própria
corrente de sequencia zero.

6
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Substituindo na associação das redes de sequência apresentada na Figura 3,


as impedâncias equivalentes de Thevenin de cada sequencia obtém-se a
associação dos circuitos de sequencia mostrados na Figura 4.

Z0 Z2 Z0 3.ZF

I0

Figura 4 – Associação de impedâncias equivalentes de Thevenin

A partir da associação dos circuitos de sequencia mostrados na Figura 4, pode-


se obter todos os componentes simétricos de corrente e tensão requeridos
para obter a equação da corrente de curto circuito monofásico, assim:

- E + Z 1 .I1 + (Z 0 + 3.Z F ).I0 + Z 2 .I2 = 0

como : I1 = I2 = I0

E
I0 =
Z 1 + Z 2 + Z 0 + 3.Z F

ICC1F = I A = I0 + I1 + I2 = 3. I0

3.E
ICC1F =
Z 1 + Z 2 + Z 0 + 3.Z F

Como na grande maioria das situações práticas é perfeitamente possível se


assumir as impedâncias de sequencia positiva e negativa como sendo iguais, a
equação pode ser assim expressa:

3.E
ICC1F =
2.Z 1 + Z 0 + 3.Z F

7
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Pode-se proceder da mesma forma para determinar a tensão nas fases sãs ou
sadias, isto é obter a tensão nas fases que não estão submetidas a falta,
portanto:

VB = V0 + a 2 .V1 + a.V2

VB = (− Z 0 − 3.Z F ).I0 + a 2 .(E - Z 1 .I1 ) + a.(- Z 2 .I2 )

como : I1 = I2 = I0

[
VB = a 2 .E − a 2 Z 1 + a.Z 2 + Z 0 + 3.Z F .I0 ]
 2 a 2 Z 1 + a.Z 2 + Z 0 + 3.Z F 
VB = E a − 
 Z 1 + Z 2 + Z 0 + 3.Z F 

Procedendo de forma similar para o cálculo da tensão na fase sadia c, pode-se


obter a seguinte equação:

 aZ 1 + a 2 .Z 2 + Z 0 + 3.Z F 
VC = E a − 
 Z 1 + Z 2 + Z 0 + 3.Z F 

Admitindo as impedâncias de sequencia positiva e negativa iguais as equações


das tensões nas fases sadias b e c passam a ser expressas por:

 Z + 3.Z F − Z 1 
VB = E a 2 − 0 
 2Z 1 + Z 0 + 3.Z F 

 Z + 3.Z F − Z 1 
VC = E a − 0 
 2Z 1 + Z 0 + 3.Z F 

5. CURTO CIRCUITO BIFÁSICO SEM A TERRA


Considere um dado ponto P do sistema elétrico onde as impedâncias
equivalentes de Thevenin de sequencia positiva (Z1), negativa (Z2) e zero (Z0) e
uma impedância de falta (Zf) são conhecidas pode-se estudar o curto bifásico
sem terra como pode ser visto no esquema mostrado na Figura 5. Assim:

8
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Z 1 = R 1 + jX 1 Z 2 = R 2 + jX 2 Z 0 = R 0 + jX 0

VC

IC Zf ICC2FST= IB
SISTEMA
ELÉTRICO
VB
IB

VA

Figura 5 - Curto bifásico sem terra através de uma impedãncia de falta Zf

Num curto circuito bifásico sem a terra as condições de contorno em termos de


componentes simétricas no ponto de falta são:

 VB − VC = ZF.IB

 IB = −IC = ICC2FST
 I =0
 A

Desenvolvendo as condições de contorno, obtemos:

IA = 0
I 0 + I1 + I 2 = 0

I 0 = − ( I1 + I 2 )

IB = − IC
I 0 + a .I1 + a.I 2 = −I 0 − a.I1 − a 2 .I 2
2

2.I 0 + (a 2 + a).(I1 + I 2 ) = 0
como : I0 = - (I1 + I2 ) e a2 + a = - 1 então :

3.I 0 = 0

I0 = 0 e I1 = − I 2

9
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

As tensões de cada sequencia podem ser obtidas usando a equações que


relacionam as componentes simétricas das tensões com as componentes
simétricas das correntes, assim:

VB − VC = ZF.IB
V0 + a 2 .V1 + a.V2 - V0 − a.V1 − a 2 .V2 = ZF.(I0 + a 2 .I1 + a.I 2 )
(a 2 + a).( V1 − V2 ) = − ZF.I1 .(a 2 + a)

V1 + ZF.I1 − V2 = 0

 I0 = 0

 I1 = − I 2
 V + Z .I − V = 0
 1 F 1 2

Analisando os resultados, pode-se verificar que:

• A impedância ZF é percorrida pela corrente de sequencia positiva,


portanto ela pode ser considerada como estando conectada em
série com a rede de sequencia positiva,

• A rede de sequencia negativa está em paralelo com a rede de


sequencia positiva.
Assim:

I1 = - I2
I1 I2

REDE REDE
ZF
DE DE
SEQUENCIA V1 V2 SEQUENCIA
POSITIVA NEGATIVA

V1 - V2+ ZF.I1 = 0
Figura 6 - Redes de sequencia num curto bifásico sem terra

10
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Substituindo na associação das redes de sequência apresentada na Figura 6,


as impedâncias equivalentes de Thevenin de cada sequencia obtém-se a
associação dos circuitos de sequencia mostrados na Figura 7.
I1 I2

Z1 ZF Z2

E V1 V2

Figura 7 - Associação de impedâncias equivalentes de Thevenin

A partir da associação dos circuitos de sequencia mostrados na Figura 7, pode-


se obter todos os componentes simétricos de corrente e tensão requeridos
para obter a equação da corrente de curto circuito bifásico sem a terra, assim:

- E + Z 1 .I 1 + Z F .I 1 − Z 2 .I 2 = 0

como : I 1 = - I 2

E
I1 =
Z1 + Z2 + ZF

I CC2FST = I B = I 0 + a 2 .I 1 + a. I 2 = (a 2 − a).I 1

− j. 3 .E
I CC2SF =
Z1 + Z2 + ZF

Como na grande maioria das situações práticas é perfeitamente possível se


assumir as impedâncias de sequencia positiva e negativa como sendo iguais, a
equação pode ser assim expressa:

− j. 3.E
ICC2ST =
2.Z 1 + Z F

11
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

A tensão na fase sadia VA pode também ser obtida pela associação dos
circuitos de sequencia mostrada na Figura 7.

VA = V0 + V1 + V2

VA = Z F .I1 + (E - Z 1 .I1 ) + (- Z 2 .I2 )

como : I1 = - I2

VA = E + [Z 2 − Z 1 + Z F ].I1

 Z − Z 2 + ZF 
VA = E 1 − 1 
 Z1 + Z 2 + ZF 

 2.Z 1 + Z F 
VA = E  
 Z1 + Z 2 + ZF 

Admitindo as impedâncias de sequencia positiva e negativa iguais a equação


da tensão na fase sadia a passa a ser expressa por:

VA = E

Isto é, o curto circuito bifásico sem a terra não provoca sobretensão na fase
sadia.

6. CURTO CIRCUITO BIFÁSICO COM A TERRA


Para um dado ponto P do sistema elétrico onde as impedâncias equivalentes
de Thevenin de sequencia positiva (Z1), negativa (Z2) e zero (Z0) e uma
impedância de falta (Zf) vistas do ponto P são conhecidas, pode-se estudar o
curto circuito bifásico com a terra como pode ser visto no esquema mostrado
na Figura 5. Assim:

Z 1 = R 1 + jX 1 Z 2 = R 2 + jX 2 Z 0 = R 0 + jX 0

12
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

IC
VC

IB
VB
SISTEMA
ICC2FCT
ELÉTRICO

Zf
VA

Figura 8 - Curto bifásico com terra através de uma impedãncia de falta Zf

Num curto circuito bifásico com a terra as condições de contorno em termos de


componentes simétricas no ponto de falta são:

 VB = VC = ZF.(IB + IC ) = ICC2FST


 I =0
 A

Desenvolvendo as condições de contorno, obtemos:

IA = 0

I 0 + I1 + I 2 = 0

I 0 = − ( I1 + I 2 )

VB = VC
V0 + a .V1 + a.V2 = V0 + a.V1 + a 2 .V2
2

(a 2 + a).V1 = (a 2 + a).V2

V1 = V2

As tensões de cada sequencia podem ser obtidas usando a equações que


relacionam as componentes simétricas das tensões com as componentes
simétricas das correntes, assim:

13
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

VB = ZF.(IB + IC )
V0 + a .V1 + a.V2 = ZF.3.I0 = 3.ZF.I0
2

V0 + (a 2 + a).V1 = 3.ZF.I0

V0 − 3.ZF.I0 = V1

 I1 + I 2 + I 0 = 0


 V + 3Z .I = V = V
 0 F 0 1 2

Analisando os resultados, pode-se verificar que:

• A impedância ZF é pode ser analisada como uma impedância 3.


ZF percorrida pela corrente de sequencia zero, portanto ela pode
ser considerada como estando conectada em série com a rede de
sequencia zero,

• A rede de sequencia negativa está em paralelo com a rede de


sequencia positiva que por sua vez está em paralelo com a rede
de sequencia zero que por sua vez está em série com a
impedância 3.ZF.
Assim:
I0 + I1 + I2 = 0 3.ZF

I1 I2 I0

REDE REDE REDE


DE DE DE
SEQUENCIA V1 V2 SEQUENCIA V0 SEQUENCIA
POSITIVA NEGATIVA ZERO

V0 - 3.ZF.I0 = V1 = V2
Figura 9 - Redes de sequencia num curto bifásico com terra

14
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Substituindo na associação das redes de sequência apresentada na Figura 9,


as impedâncias equivalentes de Thevenin de cada sequencia obtém-se a
associação dos circuitos de sequencia mostrados na Figura 10.

Z1
I1 I2 I0

Z0

E V1 Z2

3.ZF

Figura 10- Associação de impedâncias equivalentes de Thevenin

A partir da associação dos circuitos de sequencia mostrados na Figura 10,


pode-se obter todos os componentes simétricos de corrente e tensão
requeridos para obter a equação da corrente de curto circuito bifásico com a
terra, assim:

E
I1 =
Z 2 .(Z 0 + 3.Z F )
Z1 +
Z 2 + (Z 0 + 3.Z F )

 Z2 
I 0 = - I1 . 
 Z 2 + (Z 0 + 3.Z F ) 
 
 Z2   E 
ICC2FCT = 3. I0 = −3.  .  
 (Z 0 + 3.Z F ) + Z 2   Z + Z 2 .(Z 0 + 3.Z F ) 
 1 Z + (Z + 3.Z ) 
 2 0 F 

− 3.Z 2 .E
ICC2CT =
Z 1 .Z 2 + Z 1 .( Z 0 + 3.Z F ) + Z 2 .(Z 0 + 3.Z F )

15
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Do ponto de vista prático, a intensidade da corrente de curto bifásico com a


terra não é tão importante e sim as correntes IB e IC, pois são essas
intensidades de corrente que circularão pelos condutores, que serão
interrompidas pelos disjuntores, isto é serão essas intensidades que
provocarão esforços térmicos e dinâmicos nos equipamentos e materiais do
sistema elétrico. As correntes IB e IC durante um curto circuito bifásico com a
terra podem ser obtidos pelas seguintes equações:

IBCC2FCT = I0 + a 2 .I1 + a.I2

E
I1 =
Z .( Z + 3.Z F )
Z1 + 2 0
Z 2 + (Z 0 + 3.Z F )

 Z2 
I 0 = - I1 . 
 Z 2 + (Z 0 + 3.Z F ) 

 Z 0 + 3.Z F 
I 2 = - I 1 . 
 Z 2 + (Z 0 + 3.Z F ) 

 Z2 a.(Z 0 + 3.Z F ) 
IBCC2FCT = a 2 − −  I1
 Z 2 + (Z 0 + 3.Z F ) Z 2 + (Z 0 + 3.Z F ) 

 a 2 .[Z 2 + (Z 0 + 3.Z F )] − Z 2 − a.(Z 0 + 3.Z F ) 


IBCC2CT = .I1
 Z 2 + (Z 0 + 3.Z F ) 

IBCC2CT =
[(a 2
− a )(Z 0 + 3.Z F ) + (a 2 − 1)Z 2 
.
] [Z 2 + (Z 0 + 3.Z F )].E 

Z 2 + (Z 0 + 3.Z F )  Z 1 .Z 2 + Z 1 .(Z 0 + 3.Z F ) + Z 2 .(Z 0 + 3.Z F ) 

IBCC2CT =
[(a 2
]
− a )(Z 0 + 3.Z F ) + (a 2 − 1)Z 2 .E
Z 1 .Z 2 + Z 1 .(Z 0 + 3.Z F ) + Z 2 .(Z 0 + 3.Z F )

16
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Procedendo de forma similar podemos obter a expressão para a corrente IC,


assim:

ICCC2CT =
[(a − a )(Z 2
+ 3.Z F ) + (a − 1)Z 2 .E
0 ]
Z 1 .Z 2 + Z 1 .( Z 0 + 3.Z F ) + Z 2 .( Z 0 + 3.Z F )

Como na grande maioria das situações práticas é perfeitamente possível se


assumir as impedâncias de sequencia positiva e negativa como sendo iguais,
as correntes IB e IC durante um curto circuito bifásico com a terra podem ser
expressas por:

IBCC2CT =
[(a 2
]
− a ).(Z 0 + 3.Z F ) + (a 2 − 1).Z 1 .E
Z 1 .[Z 1 + 2.( Z 0 + 3.Z F )]

ICCC2CT =
[(a − a ).(Z2
0 ]
+ 3.Z F ) + (a − 1).Z 1 .E
Z 1 .[Z 1 + 2.( Z 0 + 3.Z F )]

A obtenção da tensão na fase sadia VA durante a ocorrência de um curto


circuito bifásico com a terra, é também realizada pela associação dos circuitos
de sequencia mostrada na Figura 10.

VA = V0 + V1 + V2 = 3.V0

VA = - 3.(Z 0 + 3.Z F ).I0

 Z2 
como : I0 = - I1 . 
 Z 2 + Z 0 + 3.Z F 

 Z2 
VA = 3.(Z 0 + 3.Z F ). .I1
 Z 2 + Z 0 + 3.Z F 

3.(Z 0 + 3.Z F )Z 2 .E
VA =
Z 2 .(Z 0 + 3.Z F ) + Z 1 .(Z 0 + 3.Z F ) + Z 1 .Z 2

17
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Admitindo as impedâncias de sequencia positiva e negativa iguais a equação


da tensão na fase sadia a passa a ser expressa por:

3.(Z 0 + 3.Z F ).E


VA =
2.(Z 0 + 3.Z F ) + Z 1

7. EQUAÇÕES DAS CORRENTES DE CURTO CIRCUITO E TENSÕES


NAS FASES SADIAS SIMPLIFICADAS
Em sistemas elétricos de alta, extra alta e ultra alta tensão, o valor das
resistências envolvidas nos diversos componentes do sistema elétrico não são
tão significativas de modo que é usual nos cálculos de curto circuito sem auxílio
de computador digital se desprezar os valores dessas resistências, o que
efetivamente simplifica consideravelmente os cálculos. É importante ressaltar
que desprezar as resistências conduzem sempre a valores “pessimistas” de
corrente de curto circuito, isto é a valores maiores que os reais.

Além de desprezar as resistências dos componentes dos sistemas elétricos,


outra simplificação usual nos cálculos de corrente de curto circuito é assumir
as impedâncias de sequencia positiva e negativa como iguais. Esta
simplificação praticamente não introduz erros até porque o único componente
do sistema elétrico onde se considera que a impedância de sequencia positiva
e negativa são diferentes é a máquina síncrona de polos salientes. Portanto,
assumindo as simplificações descritas anteriormente, e considerando as faltas
sólidas (ZF=0), as impedâncias equivalentes de cada sequencia vistas do ponto
de falta são:

Z 1 = Z 2 ≅ jX 1 e Z 0 ≅ jX 0

As expressões simplificadas para as correntes de curto circuito trifásico,


monofásico, bifásico com e sem terra além das tensões nas fases sadias são
apresentadas na Figura 11, onde está também apresentado um resumo geral.

18
CIRCUITOS DE SEQUÊNCIA E TENSÕES NAS FASES
CORRENTES DE CURTO CIRCUITO
CONDIÇÕES DE CONTORNO

CURTO
SADIAS

TIPO DE
VPF VPF
I1= V2= I2= 0 V0 = I0 =0 ICC 3F = = I1
ZEQ1 jX1
ZEQ2 ZEQ0

TRIFÁSICO
ZEQ1 ZEQ2
V2 = V1
 − j. 3  VPF VACC 2FST 2.X 2
I1 = - I2 ICC 2FST =  . = I1 = =1
 VPF X1 + X2
VPF  2  jX 1

BIFÁSICO
V0 = I0= 0

SEM TERRA
V0 + V1 + V2 = 0  X 
 1− 1 
VBCC1F X0 
I0 = I1 = I2 VPF = a2 − 
VPF  2.X1 

19
I0 =
j.(2X 1 + X 0 ) 1+ X 
 0 
ZEQ1 ZEQ2 ZEQ0
 X 
3.VPF  1− 1 
ICC1F = = 3.I0 VCCC1F X 0 
j.(2X 1 + X 0 ) =a−
VPF VPF  2.X 1 
1+ 
 X0 

MONOFÁSICO COM TERRA


− 3.VPF
I0 = I1 = I2 ICC 2FCT = = 3.I0

Figura 11 – Resumo geral das equações


j.(2X 0 + X 1 )
V0 + V1 + V2 = 0 VACC 1F 3
 X  VPF =
( ) (
IBCC 2FCT =  a 2 − 1 + a 2 + a . 0  ) VPF X
 X1  j.( 2X 0 + X1 ) 2+ 1
ZEQ1 X0
ZEQ2 ZEQ0
VPF  X  VPF
(
ICCC 2FCT = (a − 1) + a + a 2 . 0 )
 X 1  j.(2X 0 + X 1 )

BIFÁSICO COM TERRA


Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

8. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O CURTO MONOFÁSICO E CURTO


TRIFÁSICO
Para realizarmos uma análise entre as intensidades das duas correntes de falta
em função da relação Z1/Z0 vamos utilizar o software MATLAB desenvolvido
pela MathWorks, com as seguintes considerações:

• A impedância de sequencia positiva será considerada igual a


impedância de sequencia negativa;

• Os gráficos traçados para realizar essa análise comparativa


apresentarão a relação entre os módulos das correntes de curto
circuito ICC1F/ICC3F em função do quociente entre os módulos das
impedâncias de sequencia positiva e zero Z0/Z1 com um
parâmetro variável que é a defasagem entre essas impedâncias.

• As expressões do quociente entre as correntes de curto circuito


trifásico e monofásico são as seguintes:

E 3.E
ICC3F = e ICC1F =
Z1 2.Z 1 + Z 0
3.E
ICC1F 2.Z 1 + Z 0 3.Z 1
= =
ICC`3F E 2.Z 1 + Z 0
Z1
ICC3F 3
=
ICC1F Z
2+ 0
Z1

Os comandos necessários a obtenção da curva mostrada na Figura 12,


comparando os módulos das correntes de curto circuito ICC1F /ICC3F em função
do quociente entre os módulos das impedâncias de sequencia positiva e zero
Z0/Z1 estão na Figura 13.

20
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Figura 12 - Comandos do MATLAB

Figura 13- Comparação do ICC3F com o ICC1F

Analisando os gráficos mostrados na Figura 13 pode-se observar que:

• A linha tracejada define duas regiões a de cima onde a


intensidade do curto monofásico é maior que a intensidade do
curto trifásico e a inferior onde o contrário ocorre.

21
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

• Quando ambas as impedâncias de sequencia positiva e negativa


tem a mesma relação X/R o curto circuito monofásico tem
intensidade maior que o trifásico desde que o módulo de Z0 seja
menor que o de Z1.

• A medida que a impedância de sequencia zero passa a ser mais


resistiva a impedância de sequencia zero tende a ser bem maior
que a de sequencia positiva para que a intensidade do curto
trifásico fique maior que o monofásico. Essa situação tende a ficar
mais intensa a medida que a impedancia de sequencia zero tende
a ficar capacitiva (sistemas elétricos tendendo a ficar isolados)
como pode ser visto na Figura 14.

Figura 14 – Comparação entre os níveis de curto monofásico e trifásico

22
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

9. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS CORRENTES IB E IC EM UM


CURTO BIFÁSICO COM A TERRA E O CURTO TRIFÁSICO
Para realizarmos uma análise entre as intensidades das duas correntes de falta
em função da relação Z1/Z0 vamos utilizar o software MATLAB com as
seguintes considerações:

• A impedância de sequencia positiva será considerada igual a


impedância de sequencia negativa;

• Os gráficos traçados para realizar essa análise comparativa


apresentarão a relação entre os módulos das correntes IB e IC da
corrente de curto circuito bifásico com a terra e o curto trifásico
(IBCC2FCT/ICC3F e ICCC2FCT/ICC3F) em função do quociente entre os
módulos das impedâncias de sequencia positiva e zero Z0/Z1 com
um parâmetro variável que é a defasagem entre essas
impedâncias.

• As expressões do quociente entre as correntes de curto circuito IB


e IC do curto bifásico com a terra e trifásico são as seguintes:

 
IBCC2FCT = (a 2 − a ). 0 + (a 2 − 1)
E Z E
ICC3F = e
Z1  Z1  2.Z 0 + Z 1

 2   2 
(a − a ). + (a 2 − 1) (a − a ). + (a 2 − 1)
Z0 E Z0
IBCC2FCT  Z1  2.Z 0 + Z 1  Z1 
= =
ICC`3F E Z
1 + 2. 0
Z1 Z1

 2 
(a − a ). + (a 2 − 1)
Z0
IBCC2FCT  Z1 
=
ICC3F Z0
1 + 2.
Z1

23
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

 
ICCC2FCT = (a − a 2 ). 0 + (a − 1)
E Z E
ICC3F = e
Z1  Z1  2.Z 0 + Z 1

   
(a − a ). (a − a ).
2 Z0 E 2 Z0
+ (a − 1) + (a − 1)
ICCC2FCT  Z1  2.Z 0 + Z 1  Z1 
= =
ICC`3F E Z0
1 + 2.
Z1 Z1

 
(a − a ).
2 Z0
+ (a − 1)
ICCC2FCT  Z1 
=
ICC3F Z
1 + 2. 0
Z1

Os comandos necessários a obtenção da curva mostrada na Figura 13,


comparando os módulos das correntes de curto circuito IBCC2FCT /ICC3F em
função do quociente entre os módulos das impedâncias de sequencia positiva
e zero Z0/Z1 estão na Figura 14.

Figura 15 – Comparação entre iB do curto bifásico com terra e trifásico

24
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Figura 16 – Comandos do MATLAB para obtenção das curvas

Para a obtenção da curva mostrada na Figura 17, comparando os módulos das


correntes de curto circuito ICCC2FCT /ICC3F em função do quociente entre os
módulos das impedâncias de sequencia positiva e zero Z0/Z1 os comandos no
MATLAB estão na Figura 18.

Figura 17 – Comparação entre iC do curto bifásico com terra e o trifásico

25
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Figura 18 - Comandos do MATLAB para obtenção das curvas

10. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS CORRENTES IB E IC EM UM


CURTO BIFÁSICO COM A TERRA E O CURTO MONOFÁSICO
Para realizarmos uma análise entre as intensidades das duas correntes de falta
em função da relação Z1/Z0 vamos utilizar o software MATLAB com as
seguintes considerações:

• A impedância de sequencia positiva será considerada igual a


impedância de sequencia negativa;

• Os gráficos traçados para realizar essa análise comparativa


apresentarão a relação entre os módulos das correntes IB e IC da
corrente de curto circuito bifásico com a terra e o curto
monofásico (IBCC2FCT/ICC1F e ICCC2FCT/ICC1F) em função do quociente
entre os módulos das impedâncias de sequencia positiva e zero
Z0/Z1 com um parâmetro variável que é a defasagem entre essas
impedâncias.

• As expressões do quociente entre as correntes de curto circuito IB


e IC do curto bifásico com a terra e monofásico são as seguintes:

 
IBCC2FCT = (a 2 − a ). 0 + (a 2 − 1)
3E Z E
ICC1F = e
2.Z 1 + Z 0  Z1  2.Z 0 + Z 1

26
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

 2 
(a − a ). + (a 2 − 1)
Z0 E
IBCC2FCT
=
Z1  2.Z 0 + Z 1
ICC1F 3E
2Z 1 + Z 0

IBCC2FCT  2  2Z 1 + Z 0
= (a − a ). 0 + (a 2 − 1)
Z
ICC1F  Z1  3.(2.Z 0 + Z 1 )

 2  Z 
(a − a ). + (a 2 − 1). 2 + 0 
Z0
IBCC2FCT  Z1  Z1 
=
ICC1F  Z 
3. 1 + 2. 0 
 Z1 

Procedendo de forma similar para a corrente da fase c de um curto circuito


bifásico obtemos:

 
ICCC2FCT = (a − a 2 ). 0 + (a − 1)
3E Z E
ICC1F = e
2.Z 1 + Z 0  Z1  2.Z 0 + Z 1

assim:

 
(a − a ). + (a 2 − 1)
2 Z0 E
ICCC2FCT
=
Z1  2.Z 0 + Z 1
ICC1F 3E
2Z 1 + Z 0

ICCC2FCT   2Z 1 + Z 0
= (a − a 2 ). 0 + (a − 1)
Z
ICC1F  Z1  3.(2.Z 0 + Z 1 )

  Z 
(a − a ).
2 Z0
+ (a − 1). 2 + 0 
ICCC2FCT  Z1  Z1 
=
ICC1F  Z 
3. 1 + 2. 0 
 Z1 

27
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

Os comandos necessários a obtenção da curva mostrada na Figura 19,


comparando os módulos das correntes de curto circuito IBCC2FCT /ICC1F em
função do quociente entre os módulos das impedâncias de sequencia positiva
e zero Z0/Z1 estão na Figura 20.

Figura 19 - Comandos do MATLAB para obtenção das curvas

Figura 20 – Comparação entre Ib do curto bifásico com a terra e Icc1f

28
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

A comparação entre os módulos das correntes de curto circuito ICCC2FCT /ICC1F


em função do quociente entre os módulos das impedâncias de sequencia
positiva e zero Z0/Z1 está apresentada na Figura 20.

Figura 21 - Comparação entre Ic do curto bifásico com a terra e Icc1f

11. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS TENSÕES NAS FASES SADIAS


VB E VC EM UM CURTO MONOFÁSICO COM A TERRA E A TENSÃO NA
FASE SADIA VA NUM O CURTO MONOFÁSICO
Para procedermos uma análise comparativa entre as intensidades das tensões
nas fases sadias durante as faltas envolvendo a terra em função da relação
Z1/Z0 vamos utilizar o software MATLAB com as seguintes considerações:

• A impedância de sequencia positiva será considerada igual a


impedância de sequencia negativa;

• Os gráficos traçados para realizar essa análise comparativa


apresentarão a relação entre os módulos das tensões nas fases

29
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

sadias VB e VC na ocorrência de um curto circuito monofásico com


a terra e a tensão na fase sadia VA num curto bifásico com a terra
(VBCC1FCT/VACC2FCT e VCCC1FCT/VACC2FCT) em função do quociente
entre os módulos das impedâncias de sequencia positiva e zero
Z0/Z1 com um parâmetro variável que é a defasagem entre essas
impedâncias.

• As expressões do quociente entre a tensão VB na ocorrência de


curto circuito monofásico e VA na ocorrência de um curto bifásico
com a terra são as seguintes:

 Z 
 1− 1 
Z0 3.E
VB = E a 2 −  e VA =
 2Z 1  Z
 1+ 2+ 1
 Z 0  Z0

 Z   Z 
 1− 1   2 + 1 
VB Z0 Z0
= a 2 −  . 
VA  2Z 1   3 
 1 +
 Z 0   

Procedendo de forma similar para a tensão na fase c de um curto circuito


monofásico obtemos:

 Z 
 1− 1 
Z0 3.E
VC = E a −  e VA =
 2Z 1  Z
 1+ 2+ 1
 Z 0  Z0

 Z   Z 
 1− 1   2 + 1 
VC Z0 Z0
= a −  . 
VA  2Z 1   3 
 1+
 Z 0   

30
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

EXERCÍCIOS

1. Realize a comparação entre os módulos da tensão VB na ocorrência de


curto circuito monofásico e VA na ocorrência de um curto bifásico com a
terra em função do quociente entre os módulos das impedâncias de
sequencia positiva e zero Z0/Z1.

2. De forma similar a questão anterior faça a comparação da tensão VC na


ocorrência de curto circuito monofásico com a tensão na fase sadia VA na
ocorrência de um curto bifásico com a terra em função do quociente entre
os módulos das impedâncias de sequencia positiva e zero Z0/Z1..

3. Mostre que num curto circuito monofásico na fase A de um dado ponto P de


um sistema elétrico onde as impedâncias equivalentes de sequencia
positiva, negativa e zero são Z1=Z2 ≅ jX1 e Z0 ≅ jX0 mostre que o módulo das
tensões nas fases sadias B e C são iguais. Qual a relação entre as fases?

4. Mostre que num curto circuito bifásico entre as fases B e C e a terra em um


dado ponto P de um sistema elétrico onde as impedâncias equivalentes de
sequencia positiva, negativa e zero são Z1=Z2 ≅ jX1 e Z0 ≅ jX0 mostre que o
módulo das correntes de curto circuito nas fases B e C são iguais. Qual a
relação entre as fases?

5. Se num curto circuito monofásico na fase A de um dado ponto P de um


sistema elétrico onde as impedâncias equivalentes de sequencia positiva,
negativa e zero são Z1=Z2 ≅ jX1 e Z0 ≅ R0 + jX0 , explique o que se pode
afirmar sobre o módulo das tensões nas fases sadias B e C e as suas
respectivas fases. Utilize o MATLAB para ilustrar suas afirmações.

6. Se num curto circuito monofásico na fase A de um dado ponto P de um


sistema elétrico onde as impedâncias equivalentes de sequencia positiva,
negativa e zero são Z1=Z2 ≅ R1 + jX1 e Z0 ≅ jX0 , explique o que se pode

31
Exercícios de Fixação – Análise de Nível de Curto Circuito

afirmar sobre o módulo das tensões nas fases sadias B e C e as suas


respectivas fases.

7. Se num curto circuito bifásico entre as fases B e C e a terra em um dado


ponto P de um sistema elétrico onde as impedâncias equivalentes de
sequencia positiva, negativa e zero são Z1=Z2 ≅ jX1 e Z0 ≅ R0 + jX0 explique
o que ocorre com o módulo e as fases das correntes de curto circuito nas
fases B e C. Qual a relação entre elas? Utilize o MATLAB para fundamentar
sua resposta.

8. Se num curto circuito bifásico entre as fases B e C e a terra em um dado


ponto P de um sistema elétrico onde as impedâncias equivalentes de
sequencia positiva, negativa e zero são Z1=Z2 ≅ R1 + jX1 e Z0 ≅ jX0 explique
o que ocorre com o módulo e as fases das correntes de curto circuito nas
fases B e C. Qual a relação entre elas? Utilize o MATLAB para fundamentar
sua resposta.

9. Num dado ponto P de um sistema elétrico onde as impedâncias


equivalentes de sequencia positiva, negativa e zero são : Z1=Z2 ≅ j0.22X1 e
Z0 ≅ j0.34. Qual a maior corrente de curto circuito que circula em cada uma
das fases neste ponto? Qual a maior sobretensão numa fase sadia em
faltas envolvendo a terra neste ponto? Utilize o MATLAB para fundamentar
sua resposta.

10. Num dado ponto P de um sistema elétrico onde as impedâncias


equivalentes de sequencia positiva, negativa e zero são : Z1=Z2 ≅ j0.22X1 e
Z0 ≅ j0.24. Qual a maior corrente de curto circuito que circula em cada uma
das fases neste ponto? Qual a maior sobretensão numa fase sadia em
faltas envolvendo a terra neste ponto? Utilize o MATLAB para fundamentar
sua resposta. Que conclusões podem ser obtidas comparando as respostas
das questões 9 e 10?

32