You are on page 1of 194

Constança Maria Lima de Almeida Lucas

Desenho como palavra, desenho como imagem


Experiências desenhadas
Constança Maria Lima de Almeida Lucas

Desenho como palavra, desenho como imagem


Experiências desenhadas

Tese apresentada à Escola de Comunicações e Artes


da Universidade de São Paulo como exigência parcial
para a obtenção do título de Doutora em Artes Visuais

Área de Concentração: Poéticas Visuais


Linha de Pesquisa: Processos de Criação em Artes Visuais

Orientador: Prof. Dr. Evandro Carlos Frasca Poyares Jardim

São Paulo, 2012


Autorizo a reprodução total ou parcial deste trabalho por qualquer meio convencional
ou eletrônico, para fins de estudo e pesquisa, desde que citada a fonte.

As 192 páginas deste volume foram impressas no papel color plus marfim 120 g/m².
A fonte utilizada foi a Arial Narrow.

Catalogação na publicação
Serviço de Biblioteca e Documentação
Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo

Lucas, Constança Maria Lima de Almeida


Desenho como palavra, desenho como imagem : experiências desenhadas /
Constança Maria Lima de Almeida Lucas – São Paulo : C. M. L. A. Lucas, 2012.
2 v. : il.

Tese (Doutorado) – Escola de Comunicações e Artes / Universidade de São


Paulo.
Orientador: Evandro Carlos Frasca Poyares Jardim

1. Desenho 2. Poesia visual 3. Livro de artista 4. Palavra e imagem 5. Poesia 6.


Artes visuais 7. Poéticas visuais I. Jardim, Evandro Carlos Frasca Poyares II. Título

CDD 21.ed. – 700


Banca examinadora

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________
Agradecimentos

Evandro Carlos Jardim


Rogério Carlos Gastaldo de Oliveira
CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Resumo
O meu projeto de pesquisa e criação artística tem como foco o
desenho na minha produção pessoal. Desenhar como forma de
pensamento, pensamento como ato de criação nos diários de
desenhos, pinturas, gravuras, livros de artista, poemas visuais e
cadernos de anotações, onde o desenho é palavra e imagem.

Palavras chave:
Desenho, poesia visual, livro de artista, palavra e imagem, poesia.

Abstract
The main focus of my research project and artistic creation is the
drawing in my personal art work. To draw as a way of thinking,
thinking as an act of creation in the drawing diaries, paintings,
prints, artist books, and sketch-books, where the drawing is word
and image.

Key words:
Drawing, visual poetry, artist book, word and image, poetry.
Sumário

Desenho como palavra, desenho como imagem .................... 15


Poesia visual é partilha primordial............................................ 21
Poemas visuais em formato postal.......................................... 57
Entoar .................................................................................... 101
Caminhos urbanos ................................................................ 102
De quando em vez ................................................................ 103
As palavras mudam as batidas do coração a cada instante 123
Alinhavar sonhos ................................................................... 124
Percursos ............................................................................... 131
“O sonho é ver formas invisíveis” .......................................... 132
Desenhar ânforas é como entrar no mundo das demoras .... 146
Nos livros de artista experimento ......................................... 158
Tempo é pseudônimo de espera ........................................... 165
Palavras se desenham .......................................................... 169
Onde as palavras nascem é segredo .................................... 173
Referências Bibliográficas ..................................................... 181
Índice das obras .................................................................... 188

Anexo: Livro de Artista “Desenhar Hoje”


12
13
14
Desenho
como palavra,
Desenho
como imagem.
Ecoam em mim palavras
des e n h a d a s , m e l ó d i c a s , e s t r i d e n t e s ,
tel ú r ic a s , a u s e n te s , gr áf i c as , poét i c as .
Pa la v r a s s e r e c r i am , danç am f r as es
s opr a d a s , c a la m, a pr endem s ol i dão,
têm v o z e s e n t r a n h a d a s n a s b r i s a s ,
têm l e t r a s q u e a d o r m e c e m n o i n v e r n o
s eco , tr o p e ç a m n a s f ol has e gr av am
as f l o r e s d a s á r v o r e s d i s t a n t e s , n o
v erão h a b ita m fr a s es onde as c er t ez as

15
se esv a e m , n ã o s e l e m b r a m d o r o s t o ,
nem d o s a l , m o r a m n a l u z a b r a ç a d a a o
extrem o d o s o n h o o n de nas c em v oos .
Palavras soam na memória
longín q u a d e s o r r i s o s e l á g r i m a s ,
nos e s q u e c ime n to s com s abor es
des enh a d o s n a ma r e s i a – i nv ent am
penumb r a s .
Pa l a v r a s f a z e m f r a s e s i n v i s í v e i s ,
criam r u m o r e s d e n t r o d a s s í l a b a s ,
exigem a s s o m b r a s d o s d i a s
acaric i a d o s p e l a s c o r e s e p e l o s v e n t o s
de lin h a s a g u ç a d a s onde es t r em ec em
cançõ e s i n t e r n a s – o s c o r p o s a q u e c e m
seu p r ó p r i o c a n t o , v o z e s p a s s a g e i r a s
reforç a m o o l h a r s o l e t r a d o a t é
am anh e c e r.
De n tr o d a s p a la vr as c am i nho c om

16
ped r a s n o s b o l s o s p a r a n ã o e s q u e c e r
o traç a d o d a v ia g e m , e guar dar a
lum in o s id a d e d a s le t r as c al c ár i as num
horiz o n te p le n o d e c ant i gas de al ent o.
No lamento das ausências,
des e n h a d a s n a s a lm as , nos poem as
c anta d o s , n a s n o ite s , nos am or es
adia d o s o u m o r t o s – o n d e c a d a l e t r a
sorv e a s s í l a b a s d a s v i d a s s o n h a d a s
ou d e s a p a r e c i d a s – n o m a r o s a l
abra ç a a s g a r g a n ta s ao s aber das
lágr i m a s i n t e r n a s e n t o a d a s l e t r a a l e t r a
num a ma r c h a ma d o f ado.
No fado que é dado a alguns
saber cantar, dança a voz em muitas
notas para uma sílaba só, ornamentos
melódicos com os poemas, fado que
nos habita, ouvimos as vozes, com

17
elas moramos, amamos mais longe,
lamentamos o desconhecido, abraçamos
docemente o bem querer do ser vivido,
gostamos do fado para inventarmos
amores e neles nos perdermos
mares adentro, com as melismas a
desenharem nossos saberes.
Nas p a is a g e n s g u ar dadas , s ons
secre t o s , e m á g i c a s f o r m a s e m a n a d a s
dos g r a n ito s g r a v a d os pel os v ent os
secula r e s , r o c h a s e s c u l t ó r i c a s , p e d r a s
habita n t e s c o m e s p e l h o s n a s m i c a s
s erran a s .
As p e d r a s d e s mo r onam em
c onv u ls õ e s , mu r o s d o c ot i di ano a
canta r e m e x p e r i ê n c i a s o n í r i c a s .
Ob s t i n a d a e a t e n t a o b s e r v o a s
c orren te z a s d o s d ia s onde l api do

18
dize r e s , r e l a t o a s f o l h a s d a s p a l m e i r a s ,
obs e r v o o s t o n s a b a l a n ç a r e m a o
ven t o , f o t o g r a f o a s n u v e n s f u g i d i a s ,
regis tr o o s e s tilh a ços na pai s agem
s em p r e r e n o v a d a .
Olh o a c id a d e habi t ada c om s eus
hori z o n t e s v e l o z e s , o n d e r e c e p t á c u l o s ,
tais c o m o v i d r o s , f r a s c o s , â n f o r a s ,
c háv e n a s , c a ix a s , e t c . , i nv adem os
ritmo s g r á fic o s d a s pai s agens do
c oti d ia n o . De s e n h o es s es r ec ept ác ul os
de o b s e r v a ç ã o e d e m e m ó r i a ,
recr i o s u a s f o r m a s e r e i n v e n t o s e u s
con t e x t o s . D e s e n h o s d o s r e c e p t á c u l o s
e de s e n h o s d a s p a l av r as f undem -
se e f o r m a m p o e m a s v i s u a i s , c r i a n d o
esp a ç o s d e r e f l e x ã o o n d e f o r m a s e
c onte ú d o s e s tã o e m pl ena s i nt oni a.

19
20
Poesia visual é partilha primordial

A poesia visual tem um espaço privilegiado


dentro do meu trabalho artístico. A forma é ditada
pela palavra e a palavra é forma. Estabeleço
relações de intimidade gráfica e cultural entre a
escrita e o desenhar.
A arte adquire sentidos mais amplos na
esfera do sensível e da memória coletiva quando
é partilhada.
Partilhei milhares de poemas visuais através
do correio, os expus em diversas estações do
metrô paulistano, foram publicados em livros,
revistas, jornais culturais, redes sociais, sites,
blogs e foram expostos em galerias, espaços
públicos e ateliers.

Reúno aqui poemas visuais e desenhos


realizados nos últimos quatro anos.

21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
56
Poemas Visuais
em formato postal

De 2009 a 2012, enviei 42 poemas visuais


editados em formato de cartão postal. Postais
como suporte de um projeto artístico específico.
Tendo como premissa a partilha de realidades
e pensamentos poéticos. O poema visual como
obra de arte integrante de uma renovação
contínua do meio cultural em que existe.
Usei os correios para o envio dos postais
com poemas visuais a uma lista de poetas,
historiadores, artistas visuais, jornalistas,
professores, instituições e revistas culturais, no
Brasil e no exterior. Criando assim uma rede
de cumplicidade, onde cada participante tomou
posse do poema visual recebido.

57
58
59
60
61
62
63
64
65
66
67
68
69
70
71
72
73
74
75
76
77
78
79
80
81
82
83
84
85
86
87
88
89
90
91
92
93
94
95
96
97
98
99
100
entoar

dormem em mim
palavras crispadas
desconheço-me,

nos dias de agora


respiro vogais,
entôo saberes
em nada brutais,

e docemente esqueço-me
de esquecer

101
Caminhos urbanos
Costuras poéticas
“Não haverá nunca uma porta. Estás dentro
E o alcácer abarca o universo
E não tem nem anverso nem reverso”
Jorge Luis Borges - Elogio da Sombra

Desenho caminhos urbanos, labirintos


construídos nos instantes, nas descobertas.
Revejo e relaciono a matéria gráfica do céu,
da cidade, nas linhas, nas palavras.
Sensível à magia da natureza desenho
nuvem, matéria incisiva e flutuante, densa e
leve, clara e escura, mutante, invenção tempo-
atmosfera nos desenhos impregnados de
imagens textuais, num envolvimento citadino.
Tempo e espaço se fundem numa intensa
costura, apresento cidades onde poesia é
conversa com o mundo.

102
103
104
105
106
107
108
109
110
111
112
D e q u a n d o e m v ez

“Oh vem silêncio serenado e oculto


De um recordar que a vida só repete
Se a repetimos de memória antiga! “

Jorge de Sena - Exorcismos

113
114
115
116
117
118
119
120
121
122
As palavras mudam as batidas do coração a cada instante,
desenho palavras sobre memórias
no tempo e espaço,
que se fundem.
Navego pelo tempo no ato de desenhar.
O desenho foi desde sempre um bom lugar para se viver.

123
A l i n h a v a r s o n h os
Viv enc ia r e s p a ç o s o n de os s onhos
projet a m- s e n o s d e s e nhos

124
125
126
127
128
129
130
P erc urs os
As p a l av r as s ão es t r el as ,
f i r m am ent o s us pens o
nas s om br as .

131
“O s o n h o é v e r fo r ma s i nv i s í v ei s
Da di s tâ n c ia imp r e c is a, e, c om s ens í v ei s
Movime n to s d a e s p ’r a nç a e da v ont ade,
Bus c a r n a lin h a fr ia do hor i z ont e
A árvo r e , a p r a ia , a fl or, a av e, a f ont e –”

F e rn a n d o P essoa, Mensagem

132
133
134
135
136
137
138
139
140
141
142
143
144
145
Desenhar ânforas
é entrar no mundo das demoras,
ânforas – sinônimos de viagens.
Ânforas habitam meus desenhos e
têm lugar cativo nos segredos das águas.
São recipientes nos desafios diários,
onde vozes ecoam sonoridades e
tecem redes nas linhas desenhadas
por cantigas além do horizonte.
Nelas saboreio as raízes das
minhas paisagens maternas.

146
147
148
149
150
151
152
153
154
155
156
157
Nos livros de artista experimento entre as
fronteiras da poesia e das artes visuais. Exploro
a palavra como elemento visual, numa sequência
de momentos, sintaxes próprias e vivências do
cotidiano.
A escolha do formato de livro acontece
pelo tato, o tempo, o volver a página, o fluxo de
páginas, o mistério da narração folha após folha,
a tridimensionalidade e a participação de quem
folheia o livro de artista.

158
160
161
162
163
164
tempo é o pseudônimo de espera

a espera partiu-se na noite


nas árvores das casas brancas
e nas coisas impossíveis procuradas em vão,
nos sonhos que nos acompanham
a espera faz-se longa e esquecida
pergunta quem sou eu, não nos mares
mas em ti que habito a cada dia
eu que sinto excessivamente tudo
no meu coração sem sossego
há-de o mundo ter descanso

165
166
167
168
palavras se desenham
como se o mar fosse da praia,
nos sopros fugidios do sal
as cidades das nuvens
procuram caminhos

169
170
171
172
Onde as palavras nascem é segredo, não

têm morada fixa, existe uma linha imaginária

entre o desenho de cada letra e os desejos.

Há palavras internas que cintilam nas almas,

navegam em ciclos, germinam no aprendizado

dos silêncios perfumados pelas maresias e

entendem limites através da linha desenhada.

173
174
175
176
177
178
179
180
Referências Bibliográficas
Livros:
AGUIAR, Fernando. Tudo por tudo. São Paulo: Escrituras Editora, 2011.
_______. Maximino, Jorge. Imaginários de Rupturas e Poesia Experimental. Lisboa: Instituto
Piaget, 2002.
AMARAL, Fernando Pinto do. Às Cegas. Lisboa: Relógio d’água, 1997
ANDRADE, Carlos Drummond de. Antologia Poética. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio
Editora, 1978.
_______. Corpo. Rio de Janeiro: Editora Record, 2011.
_______. Claro Enigma. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.
ANDRADE, Eugénio de. O Outro Nome da Terra. Porto: Editora Limiar, 1988.
ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner. Poemas Escolhidos. São Paulo: Companhia das
Letras, 2004.
_______. Dual. Lisboa: Moraes Editores, 1977.
ANTONIO, Jorge Luiz. Poesia Digital: teoria, história, antologias. São Paulo: Fapesp e
Editora Navegar, 2010
ANTUNES, Arnaldo. As coisas. São Paulo: Editora Iluminuras, 2002.
_______. n.d.a. São Paulo: Editora Iluminuras, 2010.
ARGAN, G. C. Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.
APOLLINAIRE, Guillaume. Caligramas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2008.
BARBOSA, Ana Mae (Org.). Arte/Educação Contemporânea – Consonâncias Internacionais.
São Paulo: Cortez Editora, 2008.
_______. AMARAL, Lilian. Interterritorialidade, mídias contextos e educação. São Paulo:
Editora SENAC e Edições SESC 2008.
BELO, Ruy. A Margem da Alegria. Lisboa: Moraes Editores, 1974.
BERTO, Al. O Medo trabalho poético 1974-1986. Lisboa: Contexto, 1987.
BARROS, Manoel de. Livro Sobre Nada. Rio de Janeiro: Editora Record, 2001.
_______. Ensaios fotográficos. Rio de Janeiro: Editora Record, 2007.
BORGES, Jorge Luis. Esse Ofício do Verso. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

181
_______. Elogio da Sombra. Rio de Janeiro: Editora Globo, 2001.
_______. SABATO, Ernesto. Diálogos, São Paulo: Editora Globo, 2005.
BOSI, Alfredo. O Ser e o Tempo da Poesia. São Paulo: Cia das Letras. 2000.
BRASSAÏ. Conversas com Picasso. São Paulo: Cosac Naify, 2000. 
BRITTO, Paulo Henriques. Formas do Nada. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.
BROSSA, Joan. Poesia Vista. São Paulo: Ateliê Editorial/Amauta Editorial, 2005.
CALVINO, Italo. Seis Propostas para o próximo milénio. Lisboa: Teorema, 1990.
CAMARGO, Iberê. Gaveta dos Guardados. São Paulo: EDUSP, 1998.
CASTRO, E. M de Melo; Nádia Battella Gotlib (Org). O fim visual do século XX e outros textos
críticos. Sã Paulo: Edusp, 1993.
CAUQUELIN, Anne. Arte Contemporânea. São Paulo: Martins Fontes, 2005.
_______. A Invenção da Paisagem. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
CÉSAR, Ana Cristina. A Teus Pés. São Paulo: Editora Ática, 1999.
CHARTIER, Roger. Os desafios da Escrita. São Paulo: Editora Unesp, 2002.
_______. A aventura do livro do leitor ao navegador. São Paulo: Editora Unesp, 2002.
CRUZ, Gastão. A moeda do tempo e outros poemas. Rio de Janeiro: Língua Geral Livros, 2009.
CUMMINGS, e.e. xix poemas. Lisboa: Assírio &Alvim, 1991.
DEXTER, Emma. Vitamin D: New Perspectives in Drawing. London: Phaidon, 2005.
DIAS, Geraldo Souza. Mira Schendel – do espiritual à corporeidade. São Paulo: Cosac Naify, 2009.
DICKINSON, Emily. Uma centena de poemas. São Paulo: T.A. Queiroz Editor/ EDUSP, 1985.
DONDIS, Donis A. Sintaxe da Linguagem Visual. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
ECO, Humberto. Construir inimigos e outros escritos. Lisboa: Gradiva 2011.
_______. CARRIÉRE, Jean-Claude. Não contem com o fim do livro. Rio de Janeiro: Editora
Record, 2001.
FARIA, Maria Isabel; PERICÃO, Maria da Graça. Dicionário do Livro - Da escrita ao livro eletrônico.
São Paulo: Edusp, 2008.
FERREIRA, Glória; COTRIM, Cecilia. Escritos de Artistas anos 60/70. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.
FERREIRA, Orlando da Costa. Imagem e Letra. São Paulo: Edusp, 1994.

182
FIGUERES, Josep M.; SEABRA, Manuel de. Antologia da Poesia Visual Européia. Lisboa:
Editorial Futura, 1977.
FILIPE, Daniel. Pátria lugar de exílio. Lisboa: Editorial Presença, 1977.
FOCILLON, Henri. A vida das formas. Lisboa: Edições 70, 2001.
GEDEÃO, António. Poesias Completas (1956-1967). Lisboa: Portugália Editora, 1975.
GENET, Jean. O ateliê de Giacometti. São Paulo: Cosac Naify, 2000.
GIL, José. Sem título: escritos sobre arte e artistas. Lisboa: Relógio d’água, 2005.
GULLAR, Ferreira. Em alguma parte alguma. Rio de Janeiro: José Olympio, 2010
HATHERLY, Ana. A Casa das Musas. Lisboa: Editorial Estampa, 1995.
_______. A Idade da Escrita. São Paulo: Escrituras Editora, 2005.
HELDER, Herberto. Última Ciência. Lisboa: Assírio e Alvim. 1988.
_______. A cabeça entre as mãos. Lisboa: Assírio e Alvim. 1982.
HIGOUNET, Charles. História Concisa da escrita. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.
JEAN, Georges. A Escrita Memória dos Homens. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2002.
JORGE, Luiza Neto. Corpo insurrecto e outros poemas. São Paulo: Escrituras Editora, 2008.
JÚDICE, Nuno. Por dentro do fruto a chuva. São Paulo: Escrituras Editora, 2004.
KAVAFIS, Konstantinos. 25 Poemas. Lisboa: Edições Cotovia, 1988.
KLEE, Paul. Sobre a arte moderna. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
_______. Diários. São Paulo: Livraria Martins Fontes, 1990
LISPECTOR, Clarice. Aprendendo a viver. Rio de janeiro: Editora Rocco, 2004.
LOURENÇO, Eduardo. A Nau de Ícaro. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.
LUPTON, Ellen. Pensar com tipos. São Paulo: Cosac & Naify, 2008.
MAN, John. A História do Alfabeto. São Paulo: Ediouro, 2001.
MATISSE, Henri. Escritos e Reflexões sobre Arte. Lisboa: Editora Ulisseia,1972.
MEGGS, Philip B. História do Design Gráfico. São Paulo: Cosac Naify, 2009.
MEIRELES, Cecília. Mar Absoluto / Retrato Natural. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1983.
MENEZES, Philadelpho. Poesia Concreta e Visual. São Paulo: Editora Ática, 1998.
MOLINA, José Gómez. Las lecciones del Dibujo. Madrid: 2003.

183
NETO, João Cabral de Melo. O cão sem plumas. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2007.
O’NEIL, Alexandre. Poesias Completas 1951/1981. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da
Moeda, 1982.
PACHECO, Fernando Assis. Respiração Assistida. Lisboa: Assírio &Alvim, 2003.
PADÍN, Clemente. La Poesia Es La Poesia. Buenos Aires: Ediciones Imaginarias, 2003.
PAIVA, Ana Paula Matias de. A aventura do Livro Experimental. São Paulo: Autêntica Editora e
EDUSP, 2010.
PAMUK, Orhan. O romancista ingênuo e sentimental. São Paulo: Companhia das Letras, 2011
PAZ, Octavio. A Outra Voz. São Paulo: Editora Siciliano, 2001.
_______. PAZ, Marie José. Figuras e Figurações. Lisboa: Assírio &Alvim, 2000.
PEIXOTO, José Luís. Abraço. Lisboa: Quetzal, 2011.
_______. A criança em ruínas. Vila Nova de Famalicão: Edições Quase, 2003.
_______. Gaveta de Papéis.Lisboa: Quetzal, 2011.
PESSOA, Fernando. Livro do Desassossego. Volumes I e II. Lisboa: Edições Ática, 1997.
_______. Alberto Caeiro-Poemas Completos. São Paulo: Editora Saraiva, 2007.
PONTES, Hugo. Poemas Visuais e Poesias. São Paulo: Dix Editorial, 2007.
PRADO, Adélia. A Duração do dia. Rio de Janeiro: Editora Record, 2011.
READ, Herbert. As Origens da Forma de Arte. Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1981.
ROSA, António Ramos. Clareiras. Lisboa: Ulmeiro, 1986.
_______. A Intacta ferida. Lisboa: Relógio de água, 1991.
_______. As Palavras. Porto: Capo das Letras, 2001.
ROSA, João Guimarães. Ave, Palavra. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1978.
ROSÁRIO, Maria do. O canto do vento nos ciprestes. São Paulo: Escrituras Editora, 2008
SABATO, Ernesto. O escritor e seus fantasmas. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
SAID, Edward. Representações do Intelectual – As Conferências Reith de 1993. São Paulo:
Companhia das Letras, 1994.
_______. Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

184
SALLES, Cecília Almeida. Gesto Inacabado – Processo de Criação Artística. São Paulo:
Annablume, 2001.
_______. Redes de Criação – Construção da obra de arte. Vinhedo: Editora Horizonte, 2006.
SALZSTEIN, Sônia (Org.). Matisse/ Imaginação, erotismo e visão decorativa. São Paulo:
Cosac Naify, 2009.
SANTOS, Milton. Pensando o espaço do Homem. São Paulo: EDUSP, 2004.
SARTRE, Jean-Paul. Alberto Giacometti. São Paulo: Wmf Martins Fontes 2012.
SENA, Jorge de. Exorcismos. Lisboa: Circulo de Poesia – Moraes Editores, 1972.
SILVEIRA, Paulo. A Página Virada – Da ternura à injúria na construção do livro de artista.
Porto Alegre: Editora da Universidade, 2001.
SENNETT, Richard. O Artífice. Rio de Janeiro: Record, 2009.
SONTAG, Susan. Diante da Dor dos Outros. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
STEINBERG, Leo. Outros Critérios. São Paulo: Cosac Naify, 2008. 
VALÉRY, Paul. Degas Dança Desenho. São Paulo: Cosac Naify, 2003.
_______. Variedades. Editora Iluminuras, São Paulo, 1991.
WILKINSON, Alan. Henry Moore: Writings and Conversations. Los Angeles: University of
California Press, 2002
ZANINI, Walter (Org.). História Geral da Arte no Brasil. São Paulo: Instituto Walther Moreira
Salles – Fundação Djalma Guimarães, 1984.

Catálogos
FERNANDES, Maria João. Caligrafias - a nascente dos nomes. Lisboa: Fundação
Portuguesa de Comunicações, 2008.
MUBARAC, Claudio. O desenho estampado a obra gráfica de Evandro Carlos Jardim. São
Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2005.
PÉREZ-Oramas, Luís. León Ferrari; Mira Schendel – o alfabeto enfurecido. Porto Alegre:
Fundação Iberê Camargo, 2010.
WIESINGER, Véronique. Giacometti. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

185
Documentos eletrônicos consultados
Sites e Blogs
Antologia Boek Visual: http://boek861.blog.com.es/
Artes Postal e poesia visual – Saudarte: http://webs.uvigo.es/saudarte/
Biblioteca Nacional de Portugal: http://www.bnportugal.pt/
Brazilian Digital Art and Poetry on the Web: http://www.vispo.com/misc/BrazilianDigitalPoetry.htm
Centro de Documentación de Poesía Visual de Espana: http://centrodepoesiavisual.blogspot.com/
Cronópios – portal de literatura e arte: http://www.cronopios.com.br/site/poesia.asp?id=4735
Germina revista :http://www.germinaliteratura.com.br/constanca_lucas.htm
Jornal de Poesia: http://www.jornaldepoesia.jor.br/poesia.html
Mostra Internacional de Poesia Visual e Eletrônica:
http://arteonline.arq.br/museu/library_pdf/mostra_poesia.html
Mostra Internacional de Poesia Visual 13 de junho a 08 de julho de 2005:
http://www.iar.unicamp.br/alunos/poesiavisual/inicial.html
Multiplicidades: http://www.multiplicidades.art.br/
Poema Visual: http://www.poemavisual.com.br/
Poesía visual contra violencia de gênero: http://pvcontravg.blogspot.com/
Portal de Poesia Ibero America: http://www.antoniomiranda.com.br/index.html
Tanto: http://www.tanto.com.br/opoemavisual.htm
Vídeo com Poemas visuais de Constança Lucas realizado por Boek 861 / Espanha:
https://www.youtube.com/watch?v=ensBLhPJTvQ&feature=player_embedded

Site e Blogs de Constança Lucas


Constança Lucas : http://www.constanca.lucas.nom.br/
Imagem e Palavra: http://www.constancalucas.blogspot.com.br/
Projeto: Postais com Poemas Visuais: http://postaiscompoemasvisuais.blogspot.com.br/
Poemas Visuais de Constança Lucas no Metrô de São Paulo:
http://poemasvisuaisnometrosp.blogspot.com/
Arte Postal Pela Paz: http://artepostalpelapaz.blogspot.com/
Arte postal - Os Livros: http://artepostaloslivros.blogspot.com/

186
Índice das Obras

Poemas Visuais
Instigar Pazes - desenho digital................................................................................................... 12
Poesia Use várias vezes ao dia - desenho digital . ............................................................................. 13
Saudade - desenho digital ...................................................................................................................... 14
As nossas aldeias são as nossas veias - desenho digital ................................................................. 21
Caixinha de Palavras - desenho digital . ............................................................................................... 22
Palavras exiladas - desenho digital ....................................................................................................... 23
Aplainar desgostos - tinta nanquim . ..................................................................................................... 24
Feminino Masculino - desenho digital . ................................................................................................. 25
Segredos - desenho digital ..................................................................................................................... 26
Luto - desenho digital . ............................................................................................................................. 27
Ensaios do não - desenho digital . ......................................................................................................... 28
Cola - desenho digital .............................................................................................................................. 29
Sementes - desenho digital .................................................................................................................... 30
Terra de despedidas - desenho digital .................................................................................................. 31
Ética - imagem digital desenho digital ........................................................................................................ 32
Conserta enguiços - tinta nanquim ....................................................................................................... 33
Divisão de sumiços - tinta nanquim ...................................................................................................... 34
Instantes - tinta nanquim ........................................................................................................................ 35
Memórias Já - tinta nanquim . ................................................................................................................ 36
Nuvens - tinta nanquim ........................................................................................................................... 37
Machismo - desenho digital .................................................................................................................... 38
Ora Pois - desenho digital . ..................................................................................................................... 39
Mundos e Mundos - desenho digital ..................................................................................................... 40
Tempos - desenho digital ........................................................................................................................ 41
Almas aflitas - desenho digital . .............................................................................................................. 42
Beijos - desenho digital ........................................................................................................................... 43
Amores - desenho digital ................................................................................................................... 44
Desbrigar - desenho digital ..................................................................................................................... 45
Retórica de bolso - desenho digital ....................................................................................................... 46
Dizeres novoentos - desenho digital ..................................................................................................... 47
Vertigens - desenho digital . .................................................................................................................... 48
Solicitude - desenho digital ..................................................................................................................... 49

187
Extrato de nevoeiro - desenho digital . .................................................................................................. 50
Esquecimento - desenho digital ............................................................................................................. 51
Impossíveis - desenho digital ................................................................................................................. 52
Colecionar vozes - desenho digital . ...................................................................................................... 53
Cheiros de Céu - desenho digital . ......................................................................................................... 54
Prazimento - desenho digital .................................................................................................................. 55
Vento - desenho digital ............................................................................................................................ 56

Projeto: Postais com Poemas Visuais


2009 /2012 - 42 poemas visuais - 14 cm X10cm

Cócegas - 2009 - desenho digital .......................................................................................................... 58


O tempo é pseudónimo de espera - 2009 - desenho digital ............................................................. 59
Memórias Breves - 2009 - desenho digital . ......................................................................................... 60
Solidariedade fermento para as almas - 2009 - desenho digital ...................................................... 61
Preconceito altamente mortal - 2009 - desenho digital ...................................................................... 62
Palavras - frágil - 2009 - desenho digital .............................................................................................. 63
Sampa & Lx - tinta permanente ideias passageiras - 2009 - desenho digital ................................ 64
Água doce - 2009 - desenho digital . ..................................................................................................... 65
Silêncios - 2009 - desenho digital .......................................................................................................... 66
Faltas atávicas - 2009 - desenho digital ............................................................................................... 67
Desenhar as vidas todos os dias - 2009 - desenho digital ................................................................ 68
Gentileza uso contínuo - 2009 - desenho digital ................................................................................. 69
Sorrisos - uso facultativo - 2010 - desenho digital .............................................................................. 70
Sintaxe - 2010 - desenho digital . ........................................................................................................... 71
Pax - evaporável - 2010 - desenho digital ............................................................................................ 72
Repentes - uso esporádico - 2010 - desenho digital .......................................................................... 73
Vislumbres - realidade - 2010 - desenho digital .................................................................................. 74
Paisagens - 2010 - desenho digital ....................................................................................................... 75
Sol - 2010 - desenho digital ................................................................................................................... 76
Paciência - uso cantarolado - 2010 - desenho digital . ....................................................................... 77
Ar - 2010 - desenho digital ...................................................................................................................... 78
Raízes - Diálogo perenal - 2010 - desenho digital .............................................................................. 79
Dor - uso individual - 2010 - desenho digital . ...................................................................................... 80
Fados - 2010 - desenho digital . ............................................................................................................. 81
Missivista - 2011 - desenho digital ......................................................................................................... 82
Precisão não é preciso - 2011 - desenho digital ................................................................................. 83
Reciprocidade - 2011 - desenho digital . ............................................................................................... 84

188
Criar conhecimento - 2011 - desenho digital . ...................................................................................... 85
Afetos de transumância - 2011 - desenho digital ................................................................................ 86
Todavia querer - 2011 - desenho digital . .............................................................................................. 87
Fazes falta - 2011 - desenho digital . ..................................................................................................... 88
Coisas - 2011 - desenho digital .............................................................................................................. 89
Minúcias agridoces - 2011 - desenho digital ........................................................................................ 90
Frequentemente - 2011 - desenho digital ............................................................................................. 91
Desassossegos - 2011 - desenho digital .............................................................................................. 92
Cerzir sonhos - 2011 - desenho digital ................................................................................................. 93
Alinhavos crispados para tardes chuvosas - 2012 - desenho digital ............................................... 94
Prazeres - 2012 - desenho digital .......................................................................................................... 95
Fluxos - 2012 - desenho digital .............................................................................................................. 96
Urdir vozes - 2012 - desenho digital . .................................................................................................... 97
Palavras delicadas - 2012 - desenho digital ........................................................................................ 98
Entoar memórias para esquecer esquecimentos - 2012 - desenho digital . ................................... 99
Óleo para maquinetas estreladas - 2012 - desenho digital ............................................................. 100

Caminhos Urbanos
2010/2011 - desenhos - nanquim sobre papel, 21cm X 30 cm

Caminhos urbanos 1 ........................................................................................................................ 103


Caminhos urbanos 2 ........................................................................................................................ 104
Caminhos urbanos 3 ........................................................................................................................ 105
Caminhos urbanos 4 ........................................................................................................................ 106
Caminhos urbanos 5 ........................................................................................................................ 107
Caminhos urbanos 6 ........................................................................................................................ 108
Caminhos urbanos 7 ........................................................................................................................ 109
Caminhos urbanos 8 ........................................................................................................................ 110
Caminhos urbanos 9 ........................................................................................................................ 111
Caminhos urbanos 10 ...................................................................................................................... 112

De quando em vez
2010 desenhos - letra set e nanquim sobre papel

De quando em vez I . ........................................................................................................................ 114


De quando em vez I I ....................................................................................................................... 115
De quando em vez III ...................................................................................................................... 116
De quando em vez IV ....................................................................................................................... 117
De quando em vez V ....................................................................................................................... 118

189
De quando em vez VI ....................................................................................................................... 119
De quando em vez VII . ................................................................................................................... 120
De quando em vez VIII . ................................................................................................................... 121
De quando em vez IX ...................................................................................................................... 122

Alinhavar sonhos
2011, desenhos - nanquim sobre papel,15 cm X 21 cm

Alinhavar sonhos 001 ....................................................................................................................... 124


Alinhavar sonhos 002 ....................................................................................................................... 125
Alinhavar sonhos 003 ...................................................................................................................... 126
Alinhavar sonhos 004 ....................................................................................................................... 127
Alinhavar sonhos 005 ....................................................................................................................... 128
Alinhavar sonhos 006 ....................................................................................................................... 129

Percursos
2011/2012,desenhos - nanquim sobre papel, 15 cm X 21 cm

Camadas ............................................................................................................................................ 133


Cantar ................................................................................................................................................. 134
Durante ............................................................................................................................................... 135
Conversa ............................................................................................................................................ 136
Esquecimentos .................................................................................................................................. 137
Saberíamos ........................................................................................................................................ 138
Construir ............................................................................................................................................. 139
Cansa .................................................................................................................................................. 140
Desvelados ........................................................................................................................................ 141
Amainar .............................................................................................................................................. 142
Renunciar ........................................................................................................................................... 143
Memória .............................................................................................................................................. 144
Mas ...................................................................................................................................................... 145

Ânforas
2011/2012 – desenhos digitais, 30cmx21cm

Ânfora I ............................................................................................................................................... 147


Ânfora II .............................................................................................................................................. 148
Ânfora III ............................................................................................................................................. 149
Ânfora IV . ........................................................................................................................................... 150
Ânfora V .............................................................................................................................................. 151

190
Ânfora VI . ........................................................................................................................................... 152
Ânfora VII . .......................................................................................................................................... 153
Ânfora VIII .......................................................................................................................................... 154

2011, desenho a caneta e lápis de cor, 14cm X 10cm


Ânfora . ................................................................................................................................................ 155
Ânfora . ................................................................................................................................................ 156
Ânfora . ................................................................................................................................................ 157

2010/2011, desenho a nanquim e tinta permanente, 14cmX18cm


Livro de artista: conversas nas ânforas . ....................................................................................... 159
Livro de artista: conversas nas ânforas . ....................................................................................... 160
Livro de artista: conversas nas ânforas . ....................................................................................... 161

2010/2011, desenho a nanquim e tinta permanente, 14cmX18cm


Livro de artista: Floresta .................................................................................................................. 162
Livro de artista: Floresta .................................................................................................................. 163
Livro de artista: Floresta .................................................................................................................. 164

2011, desenho a caneta, 14cmX18cm


Livro de artista: O Fundo do Mar .................................................................................................... 165
Livro de artista: O Fundo do Mar .................................................................................................... 166
Livro de artista: O Fundo do Mar .................................................................................................... 167

2010/2011, desenho a nanquim, 18cmX12,7cm


Livro de artista: Cidades .................................................................................................................. 170
Livro de artista: Cidades .................................................................................................................. 171
Livro de artista: Cidades .................................................................................................................. 172

2011/2012, desenho a nanquim, 21cmX14cm


Livro de artista: Perdidamente ........................................................................................................ 174
Livro de artista: Perdidamente ........................................................................................................ 175
Livro de artista: Perdidamente ........................................................................................................ 176

2011/2012, desenho a nanquim, 21cmX13cm


Livro de artista: Temporalidade . ..................................................................................................... 177
Livro de artista: Temporalidade . ..................................................................................................... 178
Livro de artista: Temporalidade . ..................................................................................................... 179

191
São Paulo | 2012