Вы находитесь на странице: 1из 2

ALTA IDADE MÉDIA –

IMPÉRIO BIZANTINO

O Império Romano, no período de Teodósio, 395, foi dividido em Ocidente e Oriente, sendo suas
sedes em Roma e Constantinopla. A capital Oriental chamava-se anteriormente Bizâncio e
apresentava grande desenvolvimento econômico comercial, inclusive por sua privilegiada
localização, entre os mares Egeu e Negro. O imperador Constantino planejava transformá-la na
nova sede do Império Romano e construiu palácios e prédios públicos, chamando-a de
Constantinopla.
Os orientais preferiam chama-la, por questões de costume, por seu antigo nome, daí o Império
Oriental ser conhecido como Império Bizantino. A localização privilegiada de Constantinopla era
de vital importância estratégica, cultural e comercial. Neste último caso, em virtude das rotas
que passavam obrigatoriamente pela cidade, ligando a Europa à Ásia.

No século VII, o Império Bizantino foi alvo de incursões árabes, que se estenderam pelos séculos
seguintes. Todavia, a força militar dos bizantinos impediu que sua capital e algumas partes do
território fossem conquistadas até o século XV, quando marca, efetivamente a sua tomada pelos
turcos Otomanos, que a transformaram na capital do seu Império.
A força do Império Bizantino era devido ao seu grande comércio, que favoreceu o fortalecimento
econômico do Estado e permitiu a formação de uma monarquia centralizadora, despótica,
teocrática e hereditária. O imperador possuía grandes poderes políticos, além de ser chefe do
Exército e da Igreja, originando o Cesaropapismo.
O principal imperador foi Justiniano, que governou no século VI, entre os anos de 527 e 565.
Justiniano conferiu poderes ilimitados ao imperador, que ampliou os privilégios do clero e da
nobreza, marginalizando colonos e escravos. Durante seu governo houve uma grande extensão
territorial na Península Itálica e Ibérica e até territórios ao norte da África.

Aquela que é a maior realização de


Justiniano foi o campo jurídico,
com a publicação do Código de
Justiniano, que serviu de referência
a códigos civis de diversas nações,
inspirado no Direito Romano.
Entretanto, o declínio do Império
Bizantino foi motivado pelos
constantes ataques que Bizâncio
sofreu de povos italianos, árabes e
bárbaros no século XI. Depois de
um longo cerco em 1453, os turcos
otomanos conquistaram a cidade
de Constantinopla, marco da
Igreja de Santa Sofia, uma das maiores obras arquitetônicas criadas
no período Bizantino.
transição da Idade Média para a
Idade Moderna.