Вы находитесь на странице: 1из 3

Wirlan Pajeú

Disciplina: Filosofia

Nesta unidade estudaremos sucintamente a mitologia


grega, pois ela exerceu influência decisiva no surgimento da
Filosofia, que ocorreu por volta do século VI a.C., na Ásia
Menor.
O mito é também uma maneira de contar como algo
aconteceu e, por extensão, explicar com quem, quando, onde e
por que tal coisa aconteceu. Exemplo: O que é o amor? O mito
de Eros buscava dar resposta a essa pergunta.
Mas uma reportagem noticiosa ou uma pesquisa
científica também fazem exatamente isso que lemos acima. Há
uma grande diferença, porém, entre a mitologia e outras
INTRODUÇÃO A FILOSOFIA formas de explicar as coisas: o mito relaciona os
acontecimentos a intervenções de deuses, do destino, das
Filosofia é um termo composto de duas palavras forças da natureza e de entidades sobrenaturais diversas como
gregas: philein, que significa amar, e sophia, que significa fadas, sereias, animais e objetos mágicos. E esses seres
sabedoria. Ser filosofo, portanto, quer dizer ter amor à sobrenaturais, eles mesmos submetidos ao destino, comandam
sabedoria. Assim, o "filósofo" seria aquele que ama e busca a todos os acontecimentos.
sabedoria, tem amizade pelo saber e deseja saber. Conforme a
Eles eram imortais. Acima de todos eles, estava Zeus,
tradição histórica, a criação da palavra filosofia é atribuída ao
o mais poderoso dos deuses, o senhor do Olimpo (monte onde
grego Pitágoras (c. 570-490 a.C.).
moravam os deuses).
Mas o que havia antes da filosofia lá na Grécia?
Havia a mitologia, um farto conjunto de lendas, fábulas e Características da mitologia grega
narrativas, escritas ou da tradição oral, e que se constituíam Naturalismo – fogo, terra, água, etc. Os deuses mantinham
em corpo de explicações para os fenômenos baseado em relação próxima com a natureza. Os próprios elementos da
crenças, deuses, seres sobrenaturais, magia, monstros, etc., os natureza eram deuses, como Poseidon, deus dos mares, Gaia, a
quais interviam na vida dos seres humanos, na natureza e até mãe-terra, etc.
mesmo em nossos pensamentos, além de criarem o universo.
Os primeiros filósofos não estavam satisfeitos com Explicação – o mito se apresentava como verdade no sentido
essas respostas baseadas em crenças, autoridade e tradição, de que oferecia uma explicação para os fenômenos e
por isso queriam encontrar explicações lógicas para os acontecimentos, claro, explicando que supunha crer.
fenômenos. Surgia assim a Filosofia no Ocidente.
Cosmogonia – os mitos tentam explicar o Cosmos (Universo)
Atitude Filosófica é: a partir do nascimento dos deuses (cosmo + gonia = origem).

Antropomorfismo – os deuses possuíam muitas


 Conhecer a si mesmo. características humanas – ódio, amor, beleza, etc.
 Questionar o óbvio e o complexo.
 Não se contentar com ideias pré-estabelecidas. Crença no destino – os deuses seriam sempre responsáveis
 Sair da Matrix. por tudo o que ocorria e sabiam, antecipadamente, o que ia
ocorrer. As deusas do destino (eram três, as moiras), por
exemplo, decidiam a vida dos gregos antes mesmo de eles
nascerem. Importante notar que os próprios deuses não tinham
A MITOLOGIA GREGA controle total do destino.

O homem, por sua vez, era vítima desse destino, não tinha
Explicar o mundo à nossa volta e também àquilo que como fugir dele, e assim era apenas figurantes dessas
se passa dentro de cada um de nós é um constante desejo e histórias.
necessário do ser humano.
O mito é uma forma de atender a esse desejo, pois “se
trata de um corpo de explicações abrangendo a maioria dos
fenômenos, tanto os físicos quanto os psicológicos, os
históricos e os sobrenaturais”.

SOMA Cursinho, pré-vestibular e concursos públicos.


Rua Dantas Barreto, 79, Centro – Jupi/PE, CEP: 55395-000.
Fone/Watsapp: (87) 9.9956-3836 – 9.9614-6971
Wirlan Pajeú

Disciplina: Filosofia

Homero e Hesíodo

Alguns poetas gregos peregrinavam de cidade em


cidade para narrar os mitos. Na Grécia, esses contadores de Tales de Mileto
histórias eram quase autoridades e tinham espaço garantindo
em qualquer lugar, porque se acreditava que manteriam Considerado o “pai” da Filosofia, foi o primeiro a
conversas com os deuses. Homero e Hesíodo são os mais formular um princípio filosófico. Dizia ele: “a água é o
conhecidos porque, por meio de suas obras, é possível princípio do Universo”. E dava uma explicação lógica para
perceber a evolução do pensamento grego rumo a explicações sua afirmação: a água se apresenta em vários estados; a água é
mais apuradas e racionais. imprescindível à vida; ela está em todos os lugares. Logo, deve
ter sido dela que surgiu o Universo, ou, deve ser ela o princípio
Homero (850 a.C.) escreveu dois livros: a constitutivo (arché) da natureza (physis) e da essência das
Ilíada, que conta a história da guerra de Tróia coisas.
(Ílion em grego), e a Odisseia, que conta o retorno
Essa metodologia de explicar logicamente aquilo que
de Ulisses (Odisseu) para os braços de sua amada
se diz é o que faz a diferença, basicamente, entre a filosofia e a
Penélope, após a guerra de Troia.
mitologia. Trata-se de passar do aceitar para o entender; do
Essas duas obras estão povoadas de deuses, confiar para o compreender e do crer para o saber.
centauros, ninfas, etc. Lê-las é mergulhar no mundo mágico da
religião oficial grega, das intervenções de deuses na vida dos
homens e da criação de monstros e objetos com poderes sobre Heráclito de Éfeso
os mares e sobre a Terra.
Para ele, o primeiro princípio era o fogo, pois que melhor
Hesíodo, também do século VIII a.C., realiza e representa o vir a ser, isto é, esse constante movimento
escreveu a obra que conta como nasceu cada um que faz as coisas surgiram e desaparecerem continuamente, sem
dos deuses, a Teogonia, além de Os trabalhos e nunca “serem”. Foi ele quem afirmou: “Ninguém se banha duas
os dias, em que explica as fases da história vezes no mesmo rio”.
humana na Terra; o castigo do trabalho; o
sofrimento e a superioridade do homem sobre os seres da
Terra mediante a técnica (o fogo). Parmênides de Eleia

A PASSAGEM DO MITO AO LOGOS Para Parmênides, não há movimento: tudo o que vemos
de movimento não passa de ilusão causada por nossos sentidos.
Para esse filósofo, o principio do universo era o ser, que é eterno,
Os pré-socráticos: primeiros filósofos imóvel e origem de todas as coisas. Logo, o movimento não
existe. Só o ser é lógico, pensável e verdadeiro.
Os primeiros filósofos surgiram na Jônia, conjunto de
colônias gregas da Ásia Menor (hoje Turquia), e, mais tarde,
ao sul da Itália, na então chamada Magna Grécia. Esses
filósofos acatavam apenas parcialmente os mitos, pois Pitágoras de Samos e outros
acreditavam que havia uma explicação racional para os
fenômenos. A maior preocupação deles era encontrar a arché O primeiro princípio para Pitágoras, era o número. Ao
(em grego = princípio fundamental) do Universo, isto é, observarmos o universo, segundo ele, percebemos a presença do
queriam saber qual o elemento que dera início ao Cosmos número em todas as relações.
(Universo). Assim, dizemos que os primeiros filósofos eram Já para Empédocles de Agrigento, o princípio
cosmológicos (cosmos = universo; logia = lógica, explicação) fundamental do universo eram os quatro elementos: ar, água,
e também físicos (ou fisicistas), pois queriam explicação para terra, fogo, e Demócrito de Abdera afirmava que o início de
o mundo físico – a natureza. Foram chamados pré-socráticos tudo era o átomo, de onde tudo derivava. Anaximandro dizia
porque com Sócrates tem início o período clássico da filosofia que o princípio de tudo era o apeiron, quer dizer, o ilimitado, e
e o surgimento dos grandes sistemas filosóficos. Anexímenes afirmava que a origem do universo estava no ar.
Para Anaxágoras, porém, essa origem estava no nous, isto é, na
Os principais pré-socráticos são: mente, na inteligência cósmica, que organiza as homeomerias
(partículas que formam o universo); para ele, as estrelas, a Lua e
o Sol eram rochas, não deuses.

SOMA Cursinho, pré-vestibular e concursos públicos.


Rua Dantas Barreto, 79, Centro – Jupi/PE, CEP: 55395-000.
Fone/Watsapp: (87) 9.9956-3836 – 9.9614-6971
Wirlan Pajeú

Disciplina: Filosofia

c) As explicações míticas constroem-se de maneira


O PERÍODO CLÁSSICO argumentativa e autocrítica.
d) O mito busca explicações definitivas acerca do
homem e do mundo, e sua verdade independe de
Sócrates, os sofistas, Platão e Aristóteles provas.
e) A verdade do mito obedece a regras universais do
No século V a.C., Atenas despontava como uma pensamento racional, tais como a lei de não-
importante cidade que tinha organizado o exército que unia contradição.
várias cidades gregas contra a Pérsia de Dario (guerras
Médicas). 2. (UFU-MG) No poema Teogonia, as Musas aparecem ao
poeta Hesíodo e dizem-lhe o seguinte: “sabemos dizer
Essa cidade grande, desenvolvida e rica, necessitava
muitas mentiras semelhantes aos fatos e sabemos, se
de uma Filosofia que atendesse aos problemas mais humanos,
queremos, dar a ouvir verdades” (vv. 25-6)
às inúmeras interrogações que os gregos já se faziam: O que é
viver em comunidade? Qual a melhor forma de governo? O Com base neste trecho é correto afirmar:
que é justiça, virtude, educação, etc.? E também sobre a
origem e o fim do ser humano. I – A Filosofia não se assemelha ao mito por entender que a
verdade baseia-se na pura racionalidade.
Por isso, as inúmeras propostas dos pré-socráticos
vão saindo do primeiro plano de discussões entre os filósofos II – No mito, não há espaço para contradições e incoerências,
e passando a ser à base das novas escolas. O novo período vai pois a verdade nele se estabelece em um plano em que atua a
ser antropológico, ou seja, vai à busca da lógica humana, dos racionalidade humana.
problemas humanos.
III – O mito entende que a verdade é bastante elástica, não
Sócrates, Platão e Aristóteles e os sofistas são os dependendo exclusivamente da racionalidade.
grandes nomes dessa época, chamada de período clássico da
Filosofia. IV – A crença e a confiança no mito provêm da autoridade
científica do poeta que o narra.
Com eles, pode-se dizer que está completa a
passagem daquele período mítico (quando o homem usava a) II e III são corretas.
lendas, seres e fenômenos sobrenaturais para explicar as b) I e III são corretas
coisas) para a Filosofia, quando o homem queria explicações c) I e IV são corretas.
racionais. d) III e IV são corretas.

#HORASOMA

#Probleminhas
1. (UEL-PR) “Zeus ocupa o trono do universo. Agora o
mundo está ordenado. Os deuses disputaram entre si,
alguns triunfaram. Tudo o que havia de ruim no céu
etéreo foi expulso, ou para a prisão do Tártaro ou para a
Terra, entre os mortais. E os homens, o que acontece com
eles? Quem são eles?”
(VERNANT, Jean-Pierre. O universo, os deuses, os homens. Trad. de Rosa
Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. p. 56.)

O texto acima é parte de uma narrativa mítica. Considerando


que o mito pode ser uma forma de conhecimento, assinale a A filosofia é o que todos fazemos quando estamos livres
alternativa correta. de nossas atividades cotidianas e temos uma chance de
nos perguntar o que é a vida e o universo. Como nos diz
a) A verdade do mito obedece a critérios baseados no o filosofo grego Platão: “Questionar é o atributo de um
sobrenatural e no fantástico. filósofo, porque não há outro início para a filosofia além
b) O conhecimento mítico segue um rigoroso desse”.
procedimento lógico-analítico para estabelecer suas
verdades.

SOMA Cursinho, pré-vestibular e concursos públicos.


Rua Dantas Barreto, 79, Centro – Jupi/PE, CEP: 55395-000.
Fone/Watsapp: (87) 9.9956-3836 – 9.9614-6971