You are on page 1of 50

Autoridade e Submissão

2018
Curitiba
FICHA CATALOGRÁFICA

COMITÊ EDITORIAL REVISÃO FINAL


Carlos Gustavo Cecyn Lundgren Carlos Gustavo Cecyn Lundgren
Paschoal Piragine Jr

FUNDAMENTAÇÃO TEOLÓGICA
Paschoal Piragine Jr
Carlos Gustavo Cecyn Lundgren

REDAÇÃO FINAL
Juliane Queirolo Carneiros Santos

DIAGRAMAÇÃO
Priscilla Gonçalves Lopes

CAPA
Lucas de Oliveira Santos

Paschoal Piragine Júnior


Pastor Titular e Presidente da Primeira Igreja Batista de Curitiba

Área Ministerial de Educação Cristã


CFM – Escola de Líderes
Caderno VI –Autoridade e Submissão

Curitiba – 2018
1ª edição
Tiragem: 300 exemplares

PRIMEIRA IGREJA BATISTA DE CURITIBA


R. Bento Viana, 1200, Batel - 80240-110 - Curitiba - PR
Telefone: (41) 3091-4347
E-mail: edcrista@pibcuritiba.org.br
Dia 1Sumário

Aula 1
Autoridade delegada ........................................................................................15

Aula 2
O propósito da autoridade ..............................................................................23

Aula 3
O sacerdócio universal dos cristãos ................................................................31

Aula 4
Submissão e disciplina ....................................................................................39
Linha de Ensino Dia 1
Introdução

CFM - Integração e Crescimento

O primeiro passo no seu crescimento espiritual na PIB Curitiba é chamado


de CFM - Integração e Crescimento, quando você se prepara para se
filiar à igreja local. Cada pessoa que chega na igreja tem uma história,
e pensando nisso a PIB Curitiba preparou um processo especial que se
aplica a todas elas. Existem quatro maneiras de se integrar na igreja. Veja
em qual você se encaixa:

1. Batismo: para quem está iniciando agora sua caminhada com Cristo e
deseja assumir um compromisso com o Senhor, batizando-se por imersão.

Processo: Discipulado Entrevista Profissão de Fé Batismo


Festa de Integração Assembleia Administrativa

Aulas de discipulado: quarta-feira às 19h; quinta-feira às 19:30h;


sábado às 18h; domingo às 9h ou 11h.
*Verifique com a Secretaria de Educação Cristã [edcrista@pibcuritiba.
org.br] ou a de Integração [integracao@pibcuritiba.org.br] a possibilidade
de outros horários.

2. Aclamação: para quem está vindo de outra denominação e já é


batizado(a) nas águas por imersão em nome do Pai e do Filho e do
Espírito Santo.

Processo: Módulo Igreja Entrevista Festa de Integração


Assembleia Administrativa

7
Introdução Linha de Ensino

3. Transferência: para quem está vindo de outra igreja batista filiada à


Convenção Batista Brasileira, à qual a própria PIB Curitiba está vinculada.
Processo: Módulo Igreja Entrevista Festa de Integração
Assembleia Administrativa

Aulas do Módulo Igreja: quinta-feira às 19:30h; sábado às 18h;


domingo às 9h ou às 11h.
*Importante que você escolha um dia, comece e termine o módulo
nesse mesmo dia da semana que escolheu. Informações: edcrista@
pibcuritiba.org.br ou integracao@pibcuritiba.org.br.

Antes da Assembleia Administrativa, os novos membros são convidados


para participar da Festa de Integração: o momento de festejar sua
chegada na igreja. A Festa de Integração é agendada de acordo com
a data da Assembleia Administrativa. Consulte o Ministério de
Integração para saber a data correta.

4. Reconciliação: para quem um dia conheceu o Senhor Jesus e por


algum motivo deixou os seus caminhos, mas agora quer novamente
retomar sua vida com Ele firmemente.

Processo: Marque um horário na secretaria do Ministério de Integração


para que o pastor possa conversar com você e lhe orientar em um processo
personalizado. Procure conhecer o programa chamado “Celebrando a
Recuperação” que temos em nossa igreja.

8
Linha de Ensino Dia 1
Introdução

Batismo de Juniores
No caso do batismo de juniores, é necessário, primeiramente, uma
entrevista com o pastor ou ministro responsável do Ministério Infantil.
A inscrição é feita no dia de sua escolha com o discipulador. Os módulos
são cíclicos, portanto você pode iniciar quando desejar.

Retiro Vida Vitoriosa


Após a Assembleia Administrativa, todos os que foram recebidos como
membros são convidados a participar do Retiro Vida Vitoriosa. Esse
retiro proporcionará uma revisão da sua vida, auxiliando-o no seu
desenvolvimento espiritual.

Mais informações: (41) 3091-4350 | vidavitoriosa@pibcuritiba.org.br

Contato: (41) 3091-4358 | integracao@pibcuritiba.org.br

CFM - Escola de Líderes


A Escola de Líderes é a segunda etapa de crescimento formal dentro da
PIB. A primeira, como você viu anteriormente, é a filiação na igreja local,
através do Módulo Discipulado ou Primeiros Passos e do Módulo Igreja.
Seguindo a sua filiação, a pessoa é direcionada para o CFM - Escola de
Líderes.

A Escola de Líderes tem a missão de despertar, desenvolver e aplicar seu


dom espiritual na dinâmica da vida eclesiástica. Todo cristão genuinamente
salvo por Cristo possui um dom espiritual que deve ser exercitado no
serviço em nome de Jesus. Por isso, todo cristão verdadeiro é um líder
espiritual.

9
Introdução Linha de Ensino

Para concretizar sua missão, a Escola de Líderes é composta por cinco


disciplinas. Juntas, essas cinco disciplinas contribuirão para a formação
de uma liderança bíblica, consistente e atuante na dinâmica de nossa
comunidade de fé.

□□ Caráter e Carisma
□□ Introdução à Teologia Sistemática
□□ Eu, um Discipulador
□□ Autoridade Espiritual e Submissão
□□ Liderando uma Célula Saudável

Horários: domingo das 9h às 10:30h e domingo das 11h às 12h30


(1 disciplina por vez). Verifique com seu líder de célula o dia e horário.

O aluno CFM - Escola de Líderes deve ser uma pessoa convertida,


membro da PIB, que manifesta o fruto de Espírito Santo em sua vida, e
que deseja ser preparado continuamente para a obra de Deus no poder do
Espírito Santo.

Contato: (41) 3091-4309 | cfm@pibcuritiba.org.br

CFM - Liderança, Missões e Adoração


O CFM - Liderança, Missões e Adoração é o passo seguinte para aqueles
que concluíram o CFM - Escola de Líderes. Este terceiro passo intencional
de formação cristã e ministerial da PIB tem como objetivo ampliar a

10
Linha de Ensino Dia 1
Introdução

formação da liderança da igreja, bem como fornecer uma capacitação para


o exercício da missão cristã.

O projeto de estudos do CFM - Liderança, Missões e Adoração


desenvolve-se em até dois anos de curso, em módulos ofertados às terças
e quintas, sempre das 19h às 22h. Algumas das disciplinas do CFM:
liderança bíblica, liderança e mentoria cristã, pregação expositiva, ensino
significativo, teologia bíblica de missões, antropologia missionária,
liderando voluntários, dentre outras.

Queremos uma transformação genuína na vida e no caráter cristão e a


restauração de valores cristãos essenciais para o ministério. Desejamos
instrumentar as pessoas através de aulas, semanas de imersão, retiros,
mentoria e atividades práticas para realizarem seus ministérios com
excelência. Os professores do CFM são cristãos experientes que inspiram
os alunos e os guiam em direção à excelência no desempenho da vivência
e proclamação do Evangelho de Jesus Cristo.

Horários: terças e quintas-feiras, das 19h às 22h, e uma hora semanal


para o encontro de mentoria (a combinar com o mentor). As aulas são
ministradas nas dependências da Primeira Igreja Batista de Curitiba.

Critérios para admissão de membros da PIB Curitiba: ter passado pela


Escola de Líderes. Desafiamos todos os líderes e supervisores de células,
líderes de ministérios em geral e pessoas com chamado missionário para se
inscrever no CFM - Liderança, Missões e Adoração.

Contato: (41) 3091-4309 | cfm@pibcuritiba.org.br

11
Introdução Linha de Ensino

CFM - Escola Bíblica


“Tendo acabado de falar, disse a Simão: ‘Vá para onde as águas são mais
fundas’ e a todos: ‘Lancem as redes para a pesca’” (Lucas 5.4). Ao ouvir
o Mestre, Pedro decide obedecer. A pesca, que até então, estava sem
sucesso, tornou-se uma das melhores experiências de sua vida. Da mesma
forma o Senhor convida seus filhos a irem cada vez mais fundo num
relacionamento íntimo e verdadeiro com Ele.

Inspirados nEle e por Ele, o Ministério de Educação Cristã criou


oportunidades para o fortalecimento da igreja, através da Escola Bíblica.
Desafiando os membros e frequentadores da PIB Curitiba a irem mais
fundo no relacionamento com a Palavra de Deus, com o propósito de
serem exemplos vivos do amor dEle, em nossa sociedade.

Mesmo que você ainda não tenha feito o CFM - Escola de Líderes e CFM
- Liderança e Missões, pode participar das classes da Escola Bíblica.

* Para saber mais dias e horários acesse:


www.pibcuritiba.org.br/escolabiblica/

Contato

www.pibcuritiba.org.br/cfm facebook.com/cfmpibcuritiba

cfm@pibcuritiba.org.br (41) 3091-4309

12
Linha de Ensino Dia 1
Introdução

LINHA DE ENSINO
PRIMEIRA IGREJA BATISTA DE CURITIBA

CFM  INTEGRAÇÃO
1 E CRESCIMENTO

I  DISCIPULADO:
PARA VOCÊ QUE QUER
SE BATIZAR.
II  IGREJA:
PARA VOCÊ QUE JÁ É BATIZADO
POR IMERSÃO.
III  RETIRO VIDA VITORIOSA:
facebook.com/vidavitoriosapib/

CFM  ESCOLA
2 DE LÍDERES
I  CARÁTER E CARISMA
II  INTRODUÇÃO A
TEOLOGIA SISTEMÁTICA
III  EU, UM DISCIPULADOR
IV  AUTORIDADE
ESPIRITUAL E SUBMISSÃO
V  LIDERE UMA
CÉLULA SAUDÁVEL
CFM  LIDERANÇA
3 MISSÕES, ADORAÇÃO E/OU
CFM  ESCOLA BÍBLICA

CFM  ESCOLA BÍBLICA


CENTRO DE FORMAÇÃO MINISTERIAL - Estudos Avançados do AT e NT
LIDERANÇA | MISSÕES | ADORAÇÃO - Linha da Família
- Escola de Pais
- O que a Bíblia diz sobre ...
- Inglês
- Adolescentes
- Mulheres Cristãs

CFM  LINHA
4 AVANÇADA

I  TEOLOGIA SISTEMÁTICA
II  CURSO DE CAPELANIA
III  TREINAMENTO DE
MENTORES

13
Introdução Organize-se

Organize-se!
Anote aqui a data em que se realizaram ou se realizarão cada um dos
encontros.

DATA DO ENCONTRO
Aula 1
_____/ _____/ _____
Autoridade delegada
Aula 2
_____/ _____/ _____
O propósito da autoridade
Aula 3
_____/ _____/ _____
O sacerdócio universal dos cristãos
Aula 4
_____/ _____/ _____
Submissão e disciplina

14
Aula 1
Autoridade Delegada
Dia: Autoridade Delegada Dia 1
Aula 1

Autoridade Delegada

Introdução
Objetivos da aula:
1. Entender o conceito Deus é a autoridade suprema do universo e domina
de autoridade delegada; sobre tudo. Quando estudamos sobre mordomia cristã
2. Conhecer os princípios entendemos que tudo pertence a Deus e que nós
para que a autoridade apenas administramos os recursos que Ele coloca em
seja delegada por Deus; nossa mão. Veja o que diz o Caderno do Discípulo:
3. Estabelecer as
relações entre santidade/
comunhão e o exercício
da autoridade delegada. Mordomia implica no uso, sob orientação divina, da própria
vida que o Senhor lhe concedeu, do tempo, das pessoas,
dos bens e tudo o mais.1

Watchman Nee, um chinês que viveu no século


Do Senhor é a terra e passado testemunhando sua fé em Cristo na China
tudo o que nela existe, comunista, usa o conceito de autoridade delegada para
o mundo e os que nele explicar que Deus investe as pessoas de autoridade para
vivem; [...]. que cumpram os propósitos divinos nesta terra2. Dessa
Salmos 24.1 forma, entendemos que há uma ligação entre o assunto
da autoridade e a mordomia, pois recebemos de Deus
Então, Jesus aproximou- esse “recurso” e devemos usá-lo sob a orientação dele.
se deles e disse: “Foi-me A autoridade delegada representa a autoridade de
dada toda a autoridade Deus e nunca dela mesma; a autoridade delegada não
no céu e na terra”. substitui a autoridade de Deus, somente a representa.
Mateus 28.18 O que isso significa? De maneira prática, significa que

1 Caderno do Discípulo, 2016, p.145.


2 Watchman Nee, Autoridade Espiritual, Ed. Vida, (2009). Sugerimos a leitura deste
livro para aprofundar o conhecimento dos assuntos desta aula.

17
Aula
1 aiD1 Autoridade Delegada

aqueles que estão em posição de autoridade devem estar em profunda


comunhão com Deus e simplesmente expressar a vontade dEle, mantendo
suas opiniões pessoais silenciadas. Percebe a responsabilidade?

No Reino de Deus ninguém deve andar sozinho, e reconhecer a autoridade


que Deus delegou a pessoas é uma forma de viver em conexão dentro
do Corpo de Cristo. Cada pessoa que exerce autoridade também deve
procurar uma autoridade a quem obedecer, assim, não há espaço para
atuação independente na igreja.

Atitudes Bíblicas para Exercer a Autoridade Delegada


A verdadeira autoridade vem de Deus. Representar a Então ele chamou a
autoridade de Deus implica em manter o “eu” submisso, multidão e os discípulos e
negado, dominado pelo poder do Espírito Santo. disse: “Se alguém quiser
acompanhar-me, negue-
Em nossos dias há um comportamento leviano a se a si mesmo, tome a
respeito da vontade de Deus e do falar de Deus. Por sua cruz e siga-me”.
todos os lados ouve-se “Deus me disse”; “Deus falou”; Marcos 8.34
“Deus mandou fazer”; e depois de um tempo, as coisas
não acontecem e o evangelho vai caindo no descrédito.
É preciso temor para representar a autoridade de Deus, Fui crucificado com
não apressar-se no falar, controlar-se e aguardar as Cristo. Assim, já não sou
orientações do Senhor. eu quem vive, mas Cristo
vive em mim. A vida que
Cuidando de pessoas você já se sentiu na obrigação agora vivo no corpo,
de ter resposta para tudo? Você já sucumbiu ao desejo vivo-a pela fé no filho
de expressar o seu ponto de vista sobre determinado de Deus, que me amou
assunto sem ter uma orientação do Senhor? Confesse e se entregou por mim.
esses pecados e abandone-os, buscando viver na Gálatas 2.20
dependência diária do Espírito Santo.

18
Autoridade Delegada Dia 1
Aula 1

O texto de Gálatas 2.20 pode ser facilmente compreendido, mas representa


o grande desafio de cada cristão. Viver pela fé na direção do Espírito Santo
é uma batalha diária.

Escreva como a vivência do versículo acima é importante no


processo de exercer autoridade espiritual.

Portanto, não sejam Anular opiniões pessoais e crucificar o “eu” não é algo
insensatos, mas natural. A natureza humana corrompida é inclinada
procurem compreender para o pecado e isso inclui a rebeldia. Cada autoridade
qual é a vontade delegada precisa buscar o enchimento do Espírito Santo
do Senhor. Não se para compreender qual é a vontade do Senhor e para
embriaguem com vinho, vencer a sua carne.
que leva à libertinagem,
mas deixem-se encher Se a autoridade delegada é recebida do Senhor,
pelo Espírito, [...] o que acontece quando a comunhão com Ele é
Efésios 5.17,18 interrompida?

Não se deixem vencer Sua resposta deve ter indicado que a autoridade delegada
pelo mal, mas vençam também é interrompida quando há rompimento
o mal com o bem. de comunhão com o Senhor. Se entendemos que
Romanos 12.21 a autoridade que exercemos é representativa, não é
possível cumprir os propósitos de Deus quando não há
mais conexão com Ele. Isso também mostra que o critério para exercer
autoridade delegada deve ser alimentado diariamente, através da devoção
diária e busca do Espírito Santo.

19
Aula
1 aiD1 Autoridade Delegada

Estamos estudando algumas atitudes bíblicas para exercer a autoridade


delegada a nós por Deus. Já ficou claro que para isso é necessário negar a
nossa própria vontade e aqui vemos mais uma área em que precisaremos
vencer a nós mesmos: o desejo de defendermos a nossa autoridade. A.
W. Tozer explica que um dos propósitos necessários para obter poder
espiritual é nunca se defender3. Segundo ele, quando tentamos defender
nosso serviço ou reputação, além de ser inútil, impedimos que Deus seja
o nosso defensor. Não é fácil permanecer quieto diante de calúnias ou
rebeldia deliberada de outras pessoas. Nosso desejo natural é nos defender,
pedir explicações, insistir para que nos ouçam.

Watchman Nee diz que jamais devemos dizer uma palavra sequer para
apoiar nossa autoridade:

Seja a atitude de vocês a


É muitíssimo desonroso falar em benefício de nossa mesma de Cristo Jesus,
autoridade ou tentar estabelecê-la por meio de esforço que, embora sendo
pessoal.(...) Que Deus estabeleça sua autoridade e que Deus, não considerou
nenhum homem tente fazer isso por si mesmo!4 que o ser igual a Deus
era algo a que devia
Quando sua autoridade for questionada não se apegar-se; mas esvaziou-
defenda, não lute, não se apresse, deixe que Deus se a si mesmo, vindo a
seja o seu defensor e lembre que em todas as coisas ela ser servo, tornando-se
trabalhará para o seu bem (Romanos 8.28). Se você semelhante aos homens.
permitir, nesse processo difícil também se tornará mais E, sendo encontrado
parecido com Cristo. em forma humana,
humilhou-se a si mesmo
Chegamos a outro ponto importante de nosso estudo. e foi obediente até à
Ser uma autoridade delegada implica negação do ego, morte, e morte de cruz!
e aqui encontramos a humildade. Muitas pessoas tem Filipenses 2.5-8

3 A.W.Tozer, Cinco Votos para Obter Poder Espiritual, Ed. Dos Clássicos, 2004.
4 Autoridade Espiritual, p.172-173.

20
Autoridade Delegada Dia 1
Aula 1

uma ideia equivocada a respeito da humildade. Veja os conceitos estudados


no módulo Caráter e Carisma:

□□ Autoestima: respeito e consideração por si próprio. Autoestima não


é egoísmo.
□□ Egoísmo: amor excessivo ao bem próprio, sem consideração aos
interesses alheios. Egoísmo não é o mesmo que considerar a si mesmo.
Mas temos esse □□ Humildade: virtude bíblica que nos dá a
tesouro em vasos de consciência de nossa fraqueza. Imagem negativa de si
barro, para mostrar não é humildade.
que este poder que a
tudo excede provém de Ser humilde é ser consciente de nossa fraqueza, de nossa
Deus, e não de nós. condição totalmente dependente da graça de Deus.
2Coríntios 4.7 Infelizmente, durante a caminhada cristã, podemos
esquecer dessa dependência e nos apoiar na experiência
Permaneçam em mim, ou conhecimento adquirido. Poderemos até achar que
e eu permanecerei somos diferentes dos outros ou mais espirituais. A
em vocês. Nenhum autoridade vem de Deus, não de nós mesmos. Somos
ramo pode dar fruto apenas mordomos de sua autoridade5.
por si mesmo, se não
permanecer na videira.
Vocês também não
Quem é o vaso de barro no texto acima? O que
podem dar fruto, se não
isso significa?
permanecerem em mim.
“Eu sou a videira; vocês
são os ramos. Se alguém
permanecer em mim e
eu nele, esse dá muito
Quando o ramo pode dar fruto?
fruto; pois sem mim
vocês não podem fazer
coisa alguma.
João 15.4,5

21
Aula
1 aiD1 Autoridade Delegada

Quando o ramo interrompe a frutificação?

O que significa permanecer em Jesus?

Que relação podemos fazer entre esse texto e a humildade


necessária para exercer a autoridade delegada?

22
Aula 2
O propósito da autoridade
Dia: O propósito da autoridade Dia 1
Aula 2

O propósito da autoridade

Introdução
Objetivos da aula:
1. Entender o propósito Quando Jesus edificou a Igreja e a designou como
da liderança em uma seu Corpo estabeleceu os princípios para que esse
igreja local; organismo funcionasse bem e cumprisse os propósitos
2. Reconhecer as por Ele estabelecidos. Alguém já disse que a Igreja
atitudes que envolvem é uma “impossibilidade sociológica”, isso porque,
um relacionamento
humanamente, é difícil entender como um ajuntamento
saudável com a liderança.
de pessoas tão diferentes possa funcionar em harmonia.
A verdade é que o comando da Igreja vem do Espírito
Santo que age em cada cristão e assim, ainda que haja
Dele todo o corpo, diferenças, as instruções de todos vêm da mesma fonte.
ajustado e unido pelo
auxilio de todas as Quando pensamos em autoridade podemos associar
juntas, cresce e edifica- com as palavras ordem e organização. O contrário é
se a si mesmo em o caos, ou seja, ausência de ordem. Dentro do Corpo
amor, na medida em de Cristo não há confusão; conforme o versículo de
que cada parte realiza Efésios que abre este estudo, vemos que, dentro do
a sua função. Corpo, cada parte realiza a sua função e assim todo o
Efésios 4.16 NVI Corpo cresce e se edifica.

Deus é criador da ordem. Já no início das Escrituras, nos primeiros


capítulos de Gênesis, Deus realiza ordenadamente a criação na terra
e coloca o homem como administrador do que foi feito. Também
enxergamos isso na formação da nação de Israel, quando libertada do
Egito, recebendo do Senhor as instruções sobre a organização da nova
vida como povo de Deus.

25
Aula
1 aiD2 O propósito da autoridade

Entretanto, algumas palavras podem assumir uma Há diferentes tipos de


conotação negativa ou distorcida em nossa cultura ao dons, mas o Espírito é
longo do tempo, e talvez seja preciso renovar a nossa o mesmo. Há diferentes
mente no que diz respeito a autoridade. tipos de ministérios, mas
o Senhor é o mesmo.
Reflita por algum tempo e responda: como você classifica Há diferentes formas de
sua relação com as autoridades (pais, professores, chefes, atuação, mas é o mesmo
governantes, líderes religiosos)? Deus quem efetua
tudo em todos. A cada
um, porém, é dada a
Definição
manifestação do Espírito,
Vejamos uma definição de autoridade conforme a visando ao bem comum.
Enciclopédia de Champlin: 1 Coríntios 12.4-7

A autoridade pessoal deriva-se do reconhecimento de que alguém sabe e tem


realizações em um campo específico. Autoridade oficial é aquela dada a uma
pessoa em razão de uma função ou poder que lhe tenha sido conferido por
outros, de acordo com a lei, com os costumes ou com outras convenções sociais.1

A qualificação de um líder no contexto secular é diferente daquela exigida


para um líder na igreja. Pense um pouco sobre isso e escreva com suas
palavras porque podemos fazer essa afirmação.

Propósito da autoridade na igreja


Deus coloca cada pessoa em posição estratégica para o cumprimento
de Seus propósitos. A autoridade eclesiástica não tem nenhuma relação
com o valor das pessoas para Deus, pois Ele não faz acepção de pessoas.
Dentro da igreja local, as posições de liderança existem para possibilitar a

1 Champlin, Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. Hagnos, 2011, vol.1, p.400.

26
O propósito da autoridade Dia 1
Aula 2

organização e o crescimento individual e comunitário. O modelo proposto


por Jesus é de liderança servidora:

Jesus os chamou e disse: ”Vocês sabem que aqueles que são considerados
governantes das nações as dominam, e as pessoas importantes exercem poder
sobre elas. Não será assim entre vocês. Ao contrário, quem quiser tornar-se
importante entre vocês deverá ser servo; e quem quiser ser o primeiro deverá ser
escravo de todos. Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas
para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”. Marcos 10.42-45

O líder é alguém disposto a servir, chamado pelo Senhor para investir


vida na vida de outras pessoas. Cada líder dentro da igreja local tem sobre
si a responsabilidade de viver de maneira exemplar e cuidar dos demais.
Vejamos alguns textos que indicam esse compromisso:

Ninguém o despreze pelo fato de você ser jovem, mas seja um exemplo para os
fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza. 1Timóteo 4.12

Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina, perseverando nesses
deveres, pois, fazendo isso, você salvará tanto a si mesmo quanto aos que o
ouvem. 1Timóteo 4.16

Lembrem-se dos seus líderes, que lhes falaram a palavra de Deus. Observem
bem o resultado da vida que tiveram e imitem a sua fé. Hebreus 13.7

Como deve ser o meu relacionamento com a liderança na igreja?


Considerando os grandes desafios que envolvem a vida dos líderes, a
Bíblia nos orienta a facilitar o trabalho deles, agindo de forma respeitosa,
cooperativa e submissa:

Obedeçam aos seus líderes e submetam-se à autoridade deles. Eles cuidam de


vocês como quem deve prestar contas. Obedeçam-lhes, para que o trabalho

27
Aula
1 aiD2 O propósito da autoridade

deles seja uma alegria e não um peso, pois isso não seria proveitoso para vocês.
Hebreus 13,17

Agora lhes pedimos, irmãos, que tenham consideração para com os que se
esforçam no trabalho entre vocês, que os lideram no Senhor e os aconselham.
Tenham-nos na mais alta estima, com amor, por causa do trabalho deles.
Vivam em paz uns com os outros. 1Tessalonicenses 5.12,13

O texto de Hebreus nos diz que não há proveito em dificultar o trabalho


da liderança, pois quando há cooperação e amor nas relações todos são
beneficiados e os objetivos são mais facilmente atingidos.

No Antigo Testamento vemos um exemplo negativo de relacionamento


entre o povo e uma autoridade levantada por Deus, no caso, o profeta
Ezequiel. Veja o que diz o texto:

“Quanto a você, filho do homem, seus compatriotas estão conversando sobre


você junto aos muros e às portas das casas, dizendo uns aos outros: ‘Venham
ouvir a mensagem que veio da parte do Senhor’.O meu povo vem a você, como
costuma fazer, e se assenta diante de você para ouvir as suas palavras, mas não
as põe em prática. Com a boca eles expressam devoção, mas o coração deles
está ávido de ganhos injustos. De fato, para eles você não é nada mais do que
alguém que entoa cânticos de amor com uma bela voz e que sabe tocar um
instrumento, pois eles ouvem as suas palavras, mas não as põem em prática.”
Ezequiel 33.30-32

De acordo com o texto, qual era a atitude do povo de Jerusalém


diante das palavras do profeta?

28
O propósito da autoridade Dia 1
Aula 2

Talvez você tenha registrado apenas uma palavra em sua resposta:


indiferença. Outros poderiam dizer que a atitude do povo mostrava
insensibilidade espiritual, incredulidade, falta de temor a Deus. O
povo ia ouvir Ezequiel como alguém que vai a um evento cultural, um
entretenimento (alguém que entoa cânticos de amor com uma bela voz!),
mas as palavras do profeta não provocavam nenhuma mudança na vida
daquelas pessoas.

Cabe aqui uma pausa para reflexão a respeito de nossa atitude diante
das orientações recebidas da liderança em nossa igreja. Se por um lado é
reprovável dificultar o trabalho da liderança com desrespeito, críticas não
construtivas, oposição e desobediência, de outro lado não há crescimento se
aquilo que ouvimos como orientação bíblica dos líderes não for valorizado
e colocado em prática. Paulo nos mostra que é preciso disposição para
aprender com os nossos líderes:

Ao servo do Senhor não convém brigar mas, sim, ser amável para com
todos, apto para ensinar, paciente. Deve corrigir com mansidão os que se lhe
opõem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento, levando-os
ao conhecimento da verdade, para que assim voltem à sobriedade e escapem
da armadilha do diabo, que os aprisionou para fazerem a sua vontade.
2Timóteo 2.24-26

Mostre o que você aprendeu!

Escreva em algumas linhas sobre o assunto desta aula e os


pontos que lhe chamaram a atenção. Deus ministrou algo em
seu coração que precisa ser mudado? Vamos lá, registre e firme
um compromisso de mudança de atitude no seu relacionamento
com seus líderes. Seguem algumas dicas do que escrever: qual o
propósito da liderança na igreja? Qual o modelo de Jesus para o

29
Aula
1 aiD2 O propósito da autoridade

líder? Que atitudes a Bíblia me ensina a ter em relação à liderança


na igreja?

30
Aula 3
O sacerdócio universal
dos cristãos
Dia: O sacerdócio universal dos cristãos Dia 1
Aula 3

O sacerdócio universal dos cristãos

Introdução
Objetivos da aula:
1. Compreender a Na antiga aliança o ofício sacerdotal estava reservado
função do sacerdote na para os descendentes de Arão, irmão de Moisés. O
Velha Aliança; sacerdote era uma autoridade espiritual investida por
2. Identificar a mudança Deus para oferecer sacrifícios e ofertas no Templo.
da figura sacerdotal na Os sacerdotes constituíam uma classe de pessoas
Nova Aliança; separadas, ou seja, os serviços religiosos estavam
3. Mostrar a importância restritos ou centralizados nessas pessoas.
da doutrina do
sacerdócio universal e Na Nova Aliança trazida por Jesus Cristo houve uma
suas implicações para a descentralização do sacerdócio. Ainda que no Novo
compreensão adequada Testamento não haja mais a figura do sacrifício de
da autoridade espiritual. animais para perdão de pecados e ofertas diversas
descritas na Lei de Moisés1, alguns princípios que
remetem à figura do sacerdote podem ser aplicados
a cada cristão. Essa doutrina é conhecida como
Vocês, porém, são sacerdócio universal dos cristãos e foi amplamente
geração eleita, defendida por Lutero na Reforma Protestante, como
sacerdócio real, nação base para contestar a classe clerical estabelecida na
santa, povo exclusivo época, que atuava novamente como intermediária
de Deus, para anunciar centralizadora do povo para com Deus.
as grandezas daquele
que os chamou das O professor Igor Pohl Baumann afirma que a
trevas para a sua compreensão dessa doutrina nos dá fundamento
maravilhosa luz. para entender que, através da Nova Aliança em Jesus,
1Pedro 2.9 todos os cristãos tem a mesma importância para

1 Para uma compreensão mais ampla sugerimos a leitura completa da epístola aos Hebreus.

33
Aula
1 aiD3 O sacerdócio universal dos cristãos

Deus, independente das funções que realizem dentro Ninguém toma esta honra
da igreja2. Segundo ele, esse entendimento nos ajuda para si mesmo, mas deve
a perceber modelos equivocados de liderança espiritual ser chamado por Deus,
na igreja. como de fato o foi Arão.
Hebreus 5.4

Sacerdotes da Nova Aliança


Se em Cristo foram abolidos totalmente os sacrifícios À medida que se
de animais e demais rituais que aconteciam no templo, aproximam dele, a pedra
como agem os sacerdotes da Nova Aliança? viva — rejeitada pelos
homens, mas escolhida
Sabemos que Jesus Cristo é o único mediador entre por Deus e preciosa
Deus e os homens. Assim, a epístola aos Hebreus nos para ele — vocês
apresenta Jesus como o Sumo Sacerdote perfeito: também estão sendo
utilizados como pedras
É de um sumo sacerdote como este que precisávamos:
vivas na edificação de
santo, inculpável, puro, separado dos pecadores, exaltado
uma casa espiritual para
acima dos céus. Ao contrário dos outros sumos sacerdotes, serem sacerdócio santo,
ele não tem necessidade de oferecer sacrifícios dia após dia, oferecendo sacrifícios
primeiro por seus próprios pecados e, depois, pelos pecados espirituais aceitáveis
do povo. E ele o fez uma vez por todas quando a si mesmo a Deus, por meio de
se ofereceu. Hebreus 7.26-27 Jesus Cristo.
1Pedro 2.4,5
O Sumo Sacerdote Jesus ofereceu o sacrifício perfeito
para perdão dos pecados e assim possibilitou a justificação pela fé de
todos aqueles que nele crerem. Assim, cada pessoa que passa pelo
processo de salvação ou novo nascimento passa a fazer parte de uma
comunidade de fé, uma comunidade de sacerdotes.

A doutrina do sacerdócio universal dos cristãos afirma que não há


diferença entre cristãos no quesito autoridade espiritual, já que todos
foram chamados para fazer parte desse novo sacerdócio santo. A Bíblia

2 Igor Pohl Baumann, Autoridade Espiritual (2015), p.54.

34
O sacerdócio universal dos cristãos Dia 1
Aula 3

não apoia diferença entre cristãos leigos e líderes eclesiásticos, não há


classes espirituais dentro do Corpo de Cristo. Cada cristão autêntico é
um sacerdote (por causa da salvação recebida de Jesus) e sua autoridade
espiritual depende somente de seu relacionamento com Deus.

Sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus

Os sacerdotes da Nova Aliança oferecem sacrifícios espirituais. O


que você entende por sacrifícios espirituais?

Vejamos alguns textos que nos ajudam a compreender esse assunto:

Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em


sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês.
Romanos 12.1

Cada cristão deve oferecer-se ao Senhor, buscando uma vida de santidade


que O agrade. Você é o sacrifício! Rick Warren3, em seu livro Uma Vida
com Propósitos, comenta de forma interessante o desafio do sacrifício vivo:

Na adoração, devemos “oferecer nosso corpo como sacrifício vivo”.


Normalmente, associamos o “sacrifício” com algo morto, mas Deus quer que
você seja um sacrifício vivo. Que você viva por ele! Entretanto, o problema com
o sacrifício vivo é a possibilidade de ele fugir sorrateiramente do altar, o que
muitas vezes acontece.

3 Rick Warren, Uma Vida com Propósitos (2013), p.122.

35
Aula
1 aiD3 O sacerdócio universal dos cristãos

Jesus ensinou que amando a Deus e ao próximo toda Amá-lo de todo o


a Lei de Deus era cumprida. Pense por um instante e coração, de todo o
tente registrar abaixo situações práticas de amor que são entendimento e de
como um sacrifício espiritual que prestamos a Deus. todas as forças, e amar
ao próximo como
a si mesmo é mais
importante do que todos
os sacrifícios e ofertas.
Marcos 12.33
De acordo com o texto acima, qual foi o sacrifício Recebi tudo, e o que
aceitável que os Filipenses fizeram? tenho é mais que
suficiente. Estou
amplamente suprido,
agora que recebi de
Epafrodito os donativos
que vocês enviaram.
Elas são uma oferta
de aroma suave, um
sacrifício aceitável e
Conclusão
agradável a Deus.
Não há hierarquia espiritual dentro do Corpo de Cristo. Filipenses 4.18
Cada cristão nascido de novo é filho de Deus e faz Todos vocês são filhos
parte de uma comunidade de sacerdotes, incumbidos de Deus mediante a fé
de oferecer sacrifícios espirituais a Deus, dentre eles a em Cristo Jesus, pois
devoção pessoal, humildade, arrependimento, ofertas, os que em Cristo foram
o amor ao próximo demonstrado através de boas batizados, de Cristo se
obras, evangelização e engajamento na expansão do revestiram. Não há judeu
Reino. A todos foi concedido o selo do Espírito Santo nem grego, escravo
e o enchimento desse mesmo Espírito só depende da nem livre, homem nem
busca de cada um. Não há elite espiritual ou concessões mulher; pois todos são
especiais a determinadas pessoas em função da posição um em Cristo Jesus.
que ocupam nas organizações eclesiásticas. Gálatas 3.26-28

36
O sacerdócio universal dos cristãos Dia 1
Aula 3

Pois em um só corpo A compreensão de que não há hierarquia


todos nós fomos espiritual dentro do Corpo de Cristo funciona
batizados em um único como um antídoto contra doutrinas equivocadas
Espírito: quer judeus, que apontam determinadas pessoas como
quer gregos, quer detentoras de autoridade espiritual diferenciada.
escravos, quer livres. E a Essa “autoridade” é muitas vezes usada como
todos nós foi dado beber instrumento de dominação, impedindo qualquer
de um único Espírito. tipo de contestação aos atos e interpretações das
1Coríntios 12.13 Escrituras praticadas por essas pessoas.

37
Aula 4
Submissão e Disciplina
Dia: Submissão e disciplina Dia 1
Aula 4

Submissão e disciplina

Introdução
Objetivos da aula:
1. Retomar o assunto O valor que queremos trabalhar nesta aula é o da
sobre a relação saudável submissão às autoridades eclesiásticas e o processo
entre liderança x liderado de disciplina na igreja local. A interação entre líder e
na igreja local; liderado deve ser marcada pela submissão.
2. Conhecer o processo
bíblico de disciplina na Essa submissão não se refere a uma atitude subserviente
igreja local; ou algum tipo de lealdade espiritual maior que a
3. Reconhecer as lealdade a Cristo e à Palavra de Deus. O pastor Igor
dificuldades para Pohl Baumann nos alerta que a obediência aos líderes
aplicação e aceitação espirituais não deve ser desprovida de avaliação
da disciplina na igreja crítica, pois reflexão bíblica a respeito de qualquer
e possíveis formas de ensino funciona como proteção contra lideranças
resolução. equivocadas que podem existir1.

Obedeçam aos seus Você já estudou anteriormente que todos os cristãos


líderes e submetam-se desfrutam da presença do Espírito Santo em suas
à autoridade deles. Eles vidas e que não há elite ou hierarquia espiritual
cuidam de vocês como dentro do Corpo de Cristo. O modelo de Jesus é a
quem deve prestar liderança servidora:
contas. Obedeçam-lhes,
para que o trabalho deles Vocês me chamam ‘Mestre’ e ‘Senhor’, e com razão, pois
seja uma alegria e não um eu o sou. Pois bem, se eu, sendo Senhor e Mestre de vocês,
peso, pois isso não seria lavei-lhes os pés, vocês também devem lavar os pés uns
proveitoso para vocês. dos outros. Eu lhes dei o exemplo, para que vocês façam
Hebreus 13.17 como lhes fiz. João 13.13-15

1 Igor Pohl Baumann, Autoridade Espiritual (2015).

41
Aula
1 aiD4 Submissão e disciplina

Entretanto, a Bíblia ensina que a igreja local, a comunidade dos


seguidores de Jesus, precisa de uma organização funcional para que haja
edificação e crescimento de todos.

Atitudes Bíblicas na Relação com Líderes Espirituais


Deus estabelece líderes e pastores na igreja local com a Os presbíteros que
finalidade de abençoar seu povo. Todavia, a liderança lideram bem a igreja são
será mais efetiva se encorajada pelos liderados. dignos de dupla honra,
especialmente aqueles
Vamos refletir sobre alguns textos da Palavra de Deus cujo trabalho é a pregação
que nos ajudam a entender o que Deus espera de cada e o ensino.
cristão no que diz respeito a sua relação com a liderança 1Timóteo 5.17
da igreja local.

O que significa honrar os líderes de maneira prática?

Qualquer que tenha sido a sua resposta, certamente indicou o


reconhecimento que devemos ter com o trabalho de pregação e ensino
da Palavra de Deus exercidos pelos líderes. Podemos honrá-los através de
palavras, atos de generosidade, suprimento de necessidades, cooperação.

Dediquem-se à oração, estejam alerta e sejam agradecidos. Ao mesmo


tempo, orem também por nós, para que Deus abra uma porta para a nossa
mensagem, a fim de que possamos proclamar o mistério de Cristo, pelo qual
estou preso. Orem para que eu possa manifestá-lo abertamente, como me
cumpre fazê-lo. Colossenses 4.2-4

2 Igor Pohl Baumann, Autoridade Espiritual (2015), p.54.

42
Submissão e disciplina Dia 1
Aula 4

Neste texto vemos o apóstolo Paulo pedindo oração aos cristãos de


Colossos pelo seu trabalho de pregador do evangelho. Da mesma forma,
cada líder da igreja local necessita das orações dos irmãos para que os
propósitos de Deus se cumpram através da vida dele.

Você tem o hábito de orar por seus líderes? Com que frequência?
Registre os nomes dos pastores e líderes no seu diário de oração e
clame ao Senhor por eles. Escreva nas linhas abaixo alguns pedi-
dos específicos de oração por eles:

Ninguém o despreze
Os líderes foram colocados por Deus em suas
pelo fato de você
funções para que possamos aprender com eles.
ser jovem, mas seja
Aproveite a oportunidade de caminhar com seus
um exemplo para os
líderes e crescer espiritualmente.
fiéis na palavra, no
procedimento, no amor,
na fé e na pureza. Como você poderia encorajar outros membros
1 Timóteo 4.12 da igreja a confiar nos pastores e líderes?

43
Aula
1 aiD4 Submissão e disciplina

Veja a orientação que Rick Warren traz no livro Uma Vida com
Propósitos, a respeito do apoio que devemos dar aos pastores e
demais líderes da igreja:

Não existe líder perfeito, mas Deus concede aos líderes responsabilidade
e autoridade para que mantenham a unidade da igreja. Durante conflitos
interpessoais, esse é um trabalho ingrato. O pastor tem a desagradável tarefa
de agir como mediador entre membros ressentidos e imaturos que vivem em
conflito. Ele também recebeu a impossível incumbência de fazer com que todos
fiquem felizes, algo que nem Jesus conseguiu realizar! (...) Protegemos a igreja
quando honramos os que nos servem no papel de líderes. Os pastores e anciãos
necessitam de nossas orações, incentivos, apreço e amor.2

Disciplina
Certa cronista escreveu que somos uma geração de adultos mimados.
Ironicamente, ela comparava a sociedade atual a um grande jardim de
infância, onde líderes e liderados não gostam de ser contrariados e agem
de forma imatura nas situações que lhes desagradam.

Ainda que a Bíblia nos instrua e saibamos que, como cristãos,


precisamos andar na contramão do mundo, é visível que somos
afetados pela cultura social que nos cerca. Pense um pouco sobre
os adultos mimados e escreva algumas situações que você tenha
vivido que mostram a sua dificuldade em lidar com o que lhe
contraria ou que você discorda.

2 Rick Warren, Uma Vida com Propósitos (2013), p.190-191.

44
Submissão e disciplina Dia 1
Aula 4

Não há lideres perfeitos e nem liderados perfeitos. Fazemos parte do


mesmo time! Cientes disso, podemos imaginar que há problemas na igreja
local e em todas no mundo inteiro, pois são igualmente compostas por
pessoas imperfeitas. Voltemos a Rick Warren:

Divorciar-se da igreja ao primeiro sinal de decepção ou desilusão indica


imaturidade. Deus tem coisas que quer ensinar a você e aos outros também.
Além do mais, não há igreja perfeita para onde você possa escapar.3

Propósitos da Disciplina na Igreja


Imagine uma família onde não houvesse nenhum tipo de disciplina ou
organização. Cada um faria o que quisesse, não teria que respeitar horários
de entrada, saída ou das refeições. Imagine que não houvesse definição
dos papéis de cada membro, nem penalidades para determinados
comportamentos. Ainda que a palavra disciplina traga certo desconforto
para algumas pessoas, fica claro que ela é imprescindível para que as coisas
funcionem, ou ainda mais, para que seja possível a convivência social.

A igreja é um organismo espiritual e também uma organização que


necessita de disciplina para se manter no padrão bíblico. A disciplina
na igreja local visa a sua pureza. Significa utilizar meios e medidas para
potencializar e aplicar a santificação e edificação espiritual do rebanho de
Deus, bem como eliminar as ameaças a santidade. Sem disciplina a igreja
pode se corromper. O livro de Provérbios está repleto de elogios para quem
acolhe uma repreensão, essa é a postura dos sábios. Veja alguns dos textos:

Quem ouve a repreensão construtiva terá lugar permanente entre os sábios.


Provérbios 15.31

3
Rick Warren, Uma Vida com Propósitos (2013), p.187.

45
Aula
1 aiD4 Submissão e disciplina

Todo o que ama a disciplina ama o conhecimento, mas aquele que odeia a
repreensão é tolo. Provérbios 12.1

O caminho do insensato parece-lhe justo, mas o sábio ouve conselhos.


Provérbios 12.15

Quem despreza a disciplina cai na pobreza e na vergonha, mas quem acolhe


a repreensão recebe tratamento honroso. Provérbios 13.18

É possível identificar três tipos de ações disciplinares na igreja:

a. Formativa – acontece durante os processos educacionais da igreja,


pregações, momentos de ensino e discipulado (1Timóteo 4.11-16;
2Timóteo 3.16-17)

Pense um pouco e liste abaixo quantas oportunidades de


disciplina formativa (ensino) a igreja lhe oferece.

O que tem impedido você de aproveitar melhor essas


oportunidades?

b. Corretiva – quando ajudamos, num processo crescente, na


restauração dos irmãos vacilantes, muitas vezes na presença de
uma ou mais pessoas espiritualmente maduras (Mateus 18.15-17;
Gálatas 6.1)

46
Submissão e disciplina Dia 1
Aula 4

Em que situações a disciplina corretiva pode falhar?

Quais seus sentimentos quando é corrigido por um líder


espiritual? Qual é a reação que Jesus espera de nós numa situação
dessas? Fundamente biblicamente sua resposta.

Você já precisou corrigir alguém por estar em posição de


liderança? Como se sentiu?

Há uma expressão que explica o motivo de muitas confusões na


comunicação interpessoal : “Tudo é o jeito de falar!”. No aplicativo
YesHeIs, um artigo sobre ser pacificador ensinava o seguinte: “Ser um
pacificador não significa evitar assuntos controversos. Significa falar a
verdade de um jeito que os outros se sintam amados e respeitados”4.

É o grande desafio para cada líder e cada liderado! Falar a verdade com
amor é um alvo desejável e certamente é preciso estar cheio do Espírito
Santo para alcançá-lo.

4 http://br.yesheis.com/br/blog/seja-pacificador, acessado em 06/09/2017.

47
Aula
1 aiD4 Submissão e disciplina

c. Cirúrgica – quando retiramos do rebanho os que se rebelam contra


o aconselhamento do Senhor e da comunidade. Esta atitude tem
respaldo bíblico e moral e acontece de modo solene e respeitoso
na presença da assembleia da comunidade (Mateus18.15-20; Atos
51-11;1Coríntios 5.1-8; 1Timóteo 2.19-20)

O que podemos fazer para evitar ao máximo que haja a disciplina


cirúrgica em nosso meio?

Mostre o que você aprendeu!


Escreva em algumas linhas sobre o assunto desta aula e os pontos
que lhe chamaram a atenção. Deus ministrou algo em seu coração
que precisa ser mudado? O Espírito Santo o convenceu de que há
dificuldades para você vivenciar a dimensão disciplinar dentro
da igreja local? Há pecados que você precisa confessar ao Senhor?
Não perca tempo!

48