You are on page 1of 5

PALESTRA SOBRE: O OITAVO PONTO DO CAPITULO VINTE E

DOIS (22), DA CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE 1689

Pr. Jorge Vicente Azevedo

Que diz: 8. O Sabath é assim santificado ao Senhor quando os homens, tendo devidamente
preparado os seus corações, e ordenado os seus assuntos comuns de antemão, não apenas observam
um santo descanso durante todo o dia a partir de suas próprias obras, palavras e pensamentos sobre
suas ocupações e recreações mundanas30; mas também dedicam todo o tempo em exercícios
públicos e privados de Seu culto e nos deveres de necessidade e misericórdia.31

30 Isaías 58:13; Neemias 13:15-22


31 Mateus 12:1-13.

INTRODUÇÃO:

Gostaria de iniciar minha exposição nesta tarde, chamando a atenção dos irmãos
para alguns fatos, detalhes, que encontramos aqui nesse ponto 8.

1º - A que fim esse ponto nos leva? O quarto mandamento está em vigor?
2º - Que Aplicabilidade tem, ou teria essa normativa?
3º - Como observar esse dia?
4º - Conclusão

1º - A que fim esse ponto nos leva? O quarto mandamento está em vigor?

Resposta: Em seu livro; O DIA DO SENHOR E O CULTO REFORMADO — De Ian Hamilton. Publicada
pela editora os Puritanos. O autor nos diz:

DOIS ASPECTOS COM RESPEITO À GUARDA DO DIA DO SENHOR

Explicando e Destacando dois aspectos com respeito à guarda do dia do Senhor:

1. Explicando o caráter obrigatório do Dia do Senhor para o cristão. Essa era a


convicção dos reformados e puritanos e que surgiu de uma compreensão correta das
Escrituras.

2. Destacando o significado e os benefícios de se observar o Dia do Senhor


reservando-o para um culto que honra a Deus.

Página 1 de 5
1. Caráter Obrigatório

A) - Inicialmente gostaria de dizer que o Dia do Senhor foi instituído por Deus na
criação. Lemos em Gênesis 2 que Deus terminou sua obra no sexto dia e no sétimo
descansou do que havia feito. Deus abençoou o sétimo dia e o santificou porque nele
descansara de todas as obras que havia feito. Antes que o pecado entrasse no mundo Deus
já havia providenciado um sábado (descanso) para Adão e Eva e seus filhos. Nas palavras
do grande presbiteriano John Murray, o sábado é uma ordenança da criação dada por Deus
para o benefício de todas as Suas criaturas.
B) - A segunda coisa que tenho para afirmar é que o sábado cristão está baseado no
exemplo divino. Esse é o ponto de Moisés em Êxodo 20:11. O ritmo do homem alternado
entre trabalho e descanso é o sério padrão do ritmo criador. John Murray faz a seguinte
afirmativa: “Podemos pensar no exemplo que Deus nos deu de trabalho e descanso como
sendo um padrão de conduta eterno para a raça humana nas ordenanças de trabalho e
descanso”.

▬ Assim; o entendimento normativo é que: A vigência do 4º mandamento é


perpétuo e moral. Como podemos aferir a luz do ponto 7 da nossa confissão que diz:
“7. Pelo desígnio de Deus, há uma lei da natureza que, em geral, uma proporção
do tempo seja destinada ao culto a Deus; desta forma, em Sua Palavra, por um
preceito positivo, moral e perpétuo, válido a todos os homens em todas as eras, Deus
particularmente nomeou um dia em sete para um descanso, para ser-Lhe
santificado.28

Desde o início do mundo até a ressurreição de Cristo, foi o último dia da semana;
e, a partir da ressurreição de Cristo, foi mudado para o primeiro dia da semana, o que
é chamado de Dia do Senhor,29 e deve continuar até o fim do mundo como o Sabath
Cristão; sendo abolida a observação do último dia da semana”.

28 Êxodo 20:8
29 1 Coríntios 16:1-2; Atos 20:7; Apocalipse 1:10.

2º - Que Aplicabilidade tem, ou teria essa normativa?

2. Significado e Benefícios

I) O Sabath nos dá uma oportunidade de buscar o Senhor e adorá-lo sem distração.


No ano passado passei um tempo no Marrocos visitando famílias cristãs. Viver num país
muçulmano como aquele significa não ter liberdade para guardar o Dia do Senhor como os
cristãos gostariam. Mas em países como Brasil e Escócia ainda temos o privilégio precioso
dado por Deus de preservar e guardar o Dia do Senhor como um dia santo. Irmãos, valorizem
o Dia do Senhor; lutem por ele; os assuntos relacionados com a guarda do dia de descanso

Página 2 de 5
são profundos. Essa provisão que Deus nos faz que o adoremos sem distração alguma é
uma visão que vem do próprio Deus.
II) O shabbat nos dá oportunidade de adorar coletivamente a Deus e buscá-lo juntos.
O shabbat enfatiza o caráter bíblico e corporativo do culto que se deve prestar a Deus. O
nosso Deus fez uma provisão graciosa por seu povo. Ou seja, que O adoremos juntos. Esta
verdade perece dia após dia em nossa época. Desde o iluminismo, na cultura ocidental e
particular, o indivíduo tornou-se o centro de todas as coisas e essa preocupação absorvente
com o indivíduo desfechou um golpe mortal no pensamento bíblico com respeito à aliança.
Os cristãos não têm mais qualquer doutrina, não têm mais esta compreensão o caráter
coletivo da Igreja, e mesmo os cristãos que se professam reformados não têm mais qualquer
sentido do caráter corporativo do culto da aliança. Estou cada vez mais convencido que o
sábado cristão é talvez o meio principal usado por Deus de educar o seu povo na vida e no
culto do pacto. Guardar o Dia do Senhor, o sábado cristão, é o antídoto poderoso para aquele
individualismo absorvente que marca tanto o mundo que nós vivemos como a igreja de
Cristo.

{{O DIA DO SENHOR E O CULTO REFORMADO » IAN HAMILTOM

Assim se expressa o pr. Batista reformado.

3º - Como observar esse dia.

Em um de seus livros (Como Observar o Dia do Senhor Por John Owen = The Works of
John Owen, Vol. 18, Exercitation 6, “The Practical Observance of the Lord’s Day” (#11-20) [Obras de John
Owen, Vol. 18, Exercício 6, “A Observância Prática do Dia do Senhor” (# 11-20),

O pastor congregacional, John Owen diz:

Observância no Domingo

Em público. A observância pública é a principal. As observâncias privadas são


secundárias, seja por um indivíduo ou uma família.

Deveres públicos. Devemos atender e executar todas as partes do culto solene


ordenadas por Deus para as santas congregações, precisamente obedecendo a Sua
vontade revelada nas Escrituras. Uma finalidade deste dia é dar glória a Deus. É por
isso que Ele nos deu ordens e deveres específicos. Sem estes, poderíamos nos tornar
inovadores na adoração, mas isso ofenderia a Deus. Portanto, Ele declarou
plenamente o que e como devemos fazer para a adoração no Dia do Senhor, de modo
que seja aceitável a Ele e O glorifique. Não é meu propósito pormenorizar todas as
partes bíblicas sobre o culto da igreja, mas eu gostaria de oferecer alguns conselhos
gerais.

Página 3 de 5
O culto solene e público ao culto privado. Normalmente, estes não precisam se
interferir, mas se o fizerem, devemos escolher o culto público, porque é uma das
principais razões que Deus separou o Dia do Senhor como Seu. Erram aqueles que
negligenciam o culto público desnecessariamente, mesmo que seja para frequentar o
culto individual ou familiar, pois estão estabelecendo sua própria escolha e desejos
contra a sabedoria e autoridade de Deus.

Prefira igrejas onde possamos cumprir melhor os propósitos bíblicos do Dia


do Senhor, desde que você não viole outros aspectos da ordem divinamente
designada. É legítimo buscar as melhores ajudas para nossa fé e obediência.
Devemos usar os meios mais apropriados para o nosso crescimento na luz espiritual,
conhecimento e graça.

Adore com reverência, seriedade, ordem, diligência e atenção. Essas


características internas da adoração verdadeira são muito importantes, embora não
possamos fazer digressões para explicá-las e defendê-las aqui.

Auxílios aos deveres públicos. Ao dedicar um dia inteiro ao culto de Deus,


devemos ter cuidado com os problemas comuns que podem minar sua utilidade
espiritual.

Ouçamos as palavras de Richard Baxter:

“Qual o dia mais apropriado para subir ao céu do que aquele em que Ele
ressurgiu da terra e triunfou completamente sobre a morte e o inferno? Use o seu
shabbat como passos para a glorificação até que tenha passado por todos eles e
chegue à glória”.

A religião puritana floresceu no solo regozijam-te da guarda do sábado cristão.


É por causa destas coisas que somos chamados em Isaías 58, pelo próprio Senhor,
para considerarmos o sábado como um deleite e a isso ele adiciona uma promessa.
Se guardarmos seus sábados como sendo um deleite, encontraremos nossa alegria
no Senhor.

Esse capítulo 58 de Isaías é mais uma confirmação de que a guarda do


sábado cristão deveria ser considerada como parte da Lei Moral e não simplesmente
mais uma observância pertinente às leis cerimoniais.

Esta passagem de Isaías onde o mero cerimonialismo é denunciado pelo


profeta, há um apelo para a guarda do sábado como sendo importante para o culto
espiritual.

Conclusão:

Página 4 de 5
O dia do Senhor é um marco. No tempo e a fora do tempo. Como acima mostramos
nas palavras do grande pregador batista:

“Qual o dia mais apropriado para subir ao céu do que aquele em que Ele ressurgiu da
terra e triunfou completamente sobre a morte e o inferno? Use o seu shabbat como
passos para a glorificação até que tenha passado por todos eles e chegue à glória”.

Richard Baxter.

Também é o dia em que os filhos e filhas do Senhor, reunidos no mundo todo, vão
juntos ao mercado, o grande mercado da alma. Para juntos, colhermos os frutos que
nos conduzirá para a vida, a vida eterna com Deus por meio de sua Palavra em nós
implantada!!!

Amém

Pr. Jorge Vicente Azevedo.


É pastor da 1ª Primeira Igreja Batista Reformada em Campo Maior – Pi.

Página 5 de 5