Вы находитесь на странице: 1из 4

Constelações Organizacionais não

são iguais às Familiares.


21 de novembro de 2016

Alexandre Tauszig Banner, Constelação Familiar, Constelação


Organizacional, Solução Sistêmica Leave a Comment

Em nosso post anterior (Constelação Familiar versus Constelação


Estrutural), dissemos que ao tratar de Constelação Familiar, nos
referimos à obra de Bert Hellinger, independentemente de o trabalho ser
realizado com famílias ou organizações. Isso se dá porque as
Constelações Familiares são, acima de tudo, uma forma de análise
sistêmica terapêutica.

Para não causar confusão ao leitor esclarecemos que, para esse post
especificamente, usaremos um conceito diferenciado. Quando falarmos
de Constelações Familiares, nos referimos ao trabalho com Constelações
exclusivamente no âmbito familiar. Já nos casos em que citarmos
Constelação Organizacional, estamos nos referindo ao trabalho com
Empresas, apresentado no primeiro post dessa série (Problemas ocultos
nas organizações: solução através de Constelações) .

Guillermo Echegaray fez uma análise bastante interessante a respeito


das diferenças entre as Constelações Familiares e Organizacionais. E ele
cita quatro pontos que ilustram algumas das distinções entre os dois
tipos de trabalhos.

1) Essa é a mais óbvia das diferenças. Pertencemos a uma família desde


o nascimento, e continuaremos a fazer parte da família mesmo depois de
nossa morte. Já no caso de uma organização esse pertencimento é
temporário, além de ser uma escolha. Só isso já torna o sistema
organizacional muito mais complexo. Entender, portanto, quem pertence
ao sistema de uma organização é muito mais difícil. Um funcionário
demitido de uma organização deixa um legado e uma história por lá. Esse
passado deve ser considerado no sistema. Mas até quando? Só com
esse exemplo é possível perceber que há diversas possibilidades de
vínculo e pertencimento que estão presentes nos sistemas
organizacionais, mas não nos familiares.

2) O princípio da ordem é muito mais simples em uma família. Numa


organização, a hierarquia pode ter diferentes contextos. O que vem
primeiro numa empresa, o mais antigo e experiente em um posto, ou o
mais qualificado e mais especialista em uma atividade?

3) As famílias são serviços orientados à auto conservação, enquanto que


as organizações são sistemas orientados às tarefas.

4) O trabalho com Constelações Familiares tem sido executado


fundamentalmente por terapeutas. Já no âmbito empresarial, os
facilitadores que vem proporcionando as Constelações Organizacionais
tem um perfil mais próximo de um consultor de empresas. Desse modo,
a linguagem o modo de trabalho, as abordagens, visões, etc. tem
também suas distinções.
Cecílio Regojo adicionou algumas reflexões importantes nessa avaliação
comparativa.

5) Na Constelação Organizacional a função de um membro é menos


definida e pode mudar ao longo do tempo, o que não costuma ocorrer na
Constelação Familiar.

6) Testagens e simulações não estão presentes nas Constelações


Familiares. Já nas Constelações Organizacionais há a possibilidade
de testar soluções ou simular vários cenários.

7) As Constelações Organizacionais têm uma carga menos emocional


do que as Constelações Familiares.

8) A experiência mostrou que não é muito importante acabar as


Constelações Organizacionais até encontrar uma solução como nas
Constelações Familiares. As Constelações Organizacionais funcionam
mais como um impulso que se desenvolve mais tarde, é como o início da
mudança.

Complementamos essa análise de Echegaray e Regojo.

9) As Constelações Organizacionais também envolvem outros tipos de


elementos óbvios, mas que precisam ser listados quando se trata de uma
comparação com Constelações Familiares: clientes, concorrentes,
fornecedores, mercado, produto, projeto, fundadores, sócios, etc.,
podem ser representados, conforme o contexto.

“O trabalho com Constelações Sistêmicas


não mudará o mundo, mas pode produzir a
pequena diferença que faz a diferença.”
(Jan Jacob Stam, diretor do Instituto Bert
Hellinger, Holanda – para o prefácio do livro
“Para Comprender las Constelaciones
Organizacionales”, Guillermo Echegaray)
Jan Jacob Stam

Se quiser conhecer todos os posts que


publicamos a respeito deste tema, bem como nossas referências
bibliográficas, consulte o link abaixo:
Constelações Organizacionais: guia de referência rápida

Похожие интересы