You are on page 1of 4

CETI - LUCINETE SANTANA DA SILVA

ENSINO MÉDIO INTEGRADO – PROEJA TÉCNICO EM ( ) EDIFICAÇÕES


DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA MOD: I ( ) ENFERMAGEM
PROF/ESP: FRANCILENE C. DA SILVA ( ) COMÉRCIO
( ) SAÚDE BUCAL
EDUCANDO: _____________________________________________________

I VERIFICAÇÃO DE APRENDIZAGEM - março/19


Leia com atenção e responda com caneta azul ou preta.
NÃO RASURE!
Bom trabalho!

1. Leia a tirinha:

a) Qual o tipo de linguagem utilizado nos três primeiros quadrinhos da tira?


__________________________________________________________________________
b) E no último? _____________________________________________________________
c) A falta de palavras, no último quadrinho, prejudica a compreensão da tira? Explique.
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
d) Quem são os interlocutores do texto?
__________________________________________________________________________
e) Que código linguístico foi utilizado na tira?_____________________________________

2. Leia o trecho de uma carta de amor escrita pelo poeta Olavo Bilac:

a) A linguagem utilizada na carta é uma linguagem verbal escrita. O tipo de linguagem é


padrão ou não padrão?
__________________________________________________________________________
b) Levando em consideração esse tipo de linguagem, o locutor tem ou não intimidade com o
interlocutor? Essa variante linguística está adequada ao tipo de texto e à situação?
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
c) Caracterize o locutor quanto ao seu nível de escolaridade.
__________________________________________________________________________

3. O personagem Chico Bento pode ser considerado um típico habitante da zona rural,
comumente chamado de ³roceiro´ ou ³caipira´. Considerando a sua fala, essa tipicidade é
confirmada primordialmente pela
a) transcrição da fala característica de áreas rurais.
b) redução do nome ³José´ para ³Zé´, comum nas comunidades rurais.
c) emprego de elementos que caracterizam sua linguagem como coloquial.
d) escolha de palavras ligadas ao meio rural, incomuns nos meios urbanos.

4.
Vivo do currá pro mato,
Sou correto e munto izato,
Por farta de zelo e trato
Nunca um bezerro morreu.
Se arguém me vê trabaiando,
A bezerrama curando,
Dá pra ficá maginando
Que o dono do gado é eu.
Internet: <www.tanto.com.br/ patativa±clássicos.htm>
Os versos acima são de Patativa do Assaré, poeta popular cearense. Sua linguagem
a) necessita de correções para ter valor.
b) é incorreta porque imita a fala do vaqueiro.
c) representa adequadamente a fala dos vaqueiros
d) é inadequada para poemas populares.

5. Leia: ”Muitas vezes, cidadãos são marginalizados por não saberem empregar a norma
culta na hora de falar ou de escrever. Esse comportamento é chamado de preconceito
linguístico. A língua é viva e sofre modificações de acordo com o contexto. É um engano
pensar que haja certos ou errados absolutos. Há razões históricas para que comunidades
inteiras se expressem de uma forma e não de outra. Exigir que todos empreguem a mesma
linguagem é um desrespeito às diferenças.” (Sarmento, Leila Lavar. Oficina de Redação.
São Paulo: Moderna, 2003 vol. 3, 7ª série, pág. 131.) Seguindo as ideias do texto, podemos
concluir que
a) a língua é morta e não sofre modificações.
b) a variação linguística no nosso país é respeitada.
c) a linguagem culta é a única língua falada no Brasil.
d) muitos cidadãos são marginalizados por não saberem a norma culta.

6.
Antigamente
Antigamente, as moças chamavam-se mademoiselles e eram todas mimosas e muito
prendadas. Não faziam anos: completam primaveras, em geral dezoito.
Carlos Drummond de Andrade.
As expressões mademoiselles, mimosas, prendadas constituem um recurso usado pelo
autor para explorar a mudança da língua no seu aspecto
a) espacial. c) profissional.
b) histórico. d) individual.

7. (CESUPA - CESAM - COPERVES) Segundo o linguísta Roman


Jakobson, "dificilmente lograríamos (...) encontrar mensagens verbais
que preenchem uma única função... A estrutura verbal de uma
mensagem depende basicamente da função predominante".

"Meu canto de morte Por fado inconstante.


Guerreiros, ouvi. Guerreiros, nasci:
Sou filho das selvas Sou bravo, forte,
Nas selvas cresci. Sou filho do Norte
Guerreiros, descendo Meu canto de morte,
Da tribo tupi. Guerreiros, ouvi."
Da tribo pujante, (Gonçalves Dias)
Que agora anda errante

Indique a função predominante no fragmento acima transcrito,


justificando a indicação.
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
___________________________________________________
8. Observe a seguinte afirmação feita pelo autor: “Em nossa civilização
apressada, o “bom dia”, o “boa tarde” já não funcionam para engatar
conversa. Qualquer assunto servindo, fala-se do tempo ou de futebol.”
Ela faz referência à função da linguagem cuja meta é “quebrar o
gelo” dar continuidade a comunicação. Indique a alternativa que
explicita essa função.
a) Função emotiva
b) Função referencial
c) Função fática
d) Função conativa
e) Função poética.
“Imagine uma nova história para sua vida e acredite nela.”