Вы находитесь на странице: 1из 18

PROEDUCADOR

PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE EDUCADORES


CURSO DE APERFEIÇOAMENTO - PROGRAMA

MÉTODO PARA O DESENVOLVIMENTO DAS UNIDADES


CURRICULARES TÉCNICAS DE REDAÇÃO EM
LÍNGUA PORTUGUESA E COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - Departamento Regional de São Paulo - Ano 2012
PROEDUCADOR – Programa de Formação de Educadores do SENAI-SP – Curso
de Aperfeiçoamento – Método para o Desenvolvimento das Unidades
Curriculares Técnicas de Redação em Língua Portuguesa e Comunicação Oral e
Escrita – Programa – 32 h.

SENAI-SP, 2012

Diretoria Técnica Ricardo Figueiredo Terra

Gerência de Educação João Ricardo Santa Rosa

Supervisão Paulo Rogério Borges

Coordenação dos Programas Eliana Misko Soler

Margarida Maria Scavone Ferrari

Elaboração Eliana Misko Soler

Margarida Maria Scavone Ferrari

1
2
SUMÁRIO

I. OBJETIVO............................................................................................................... 5
II. REQUISITOS DE ACESSO .................................................................................... 5
III. ORGANIZAÇÃO DO CURSO ................................................................................. 5
a) Modalidade e carga horária do curso .........................................................5
b) Organização de Turmas .............................................................................6
c) Desenvolvimento Metodológico do Curso ..................................................6
d) Conteúdo Formativo ...................................................................................7
IV. AMBIENTES PEDAGÓGICOS ............................................................................. 10
V. BIBLIOGRAFIA PARA CONSULTA..................................................................... 10
VI. CERTIFICADOS.................................................................................................... 12

3
4
I. OBJETIVO

O curso Método para o Desenvolvimento das Unidades Curriculares


Técnicas de Redação em Língua Portuguesa e Comunicação Oral e Escrita
tem por objetivo aplicar metodologia específica adotada nestas unidades
curriculares, tendo em vista desenvolver nos alunos a capacidade de elaborar
textos, com ênfase na função referencial da linguagem, essencial para a
elaboração de textos técnicos.

II. REQUISITOS DE ACESSO

Para realizar o curso é necessário exercer uma das funções:


 Docente do quadro:
– professor de Técnicas de Redação em Língua Portuguesa e ou de
Comunicação Oral e Escrita.

 Coordenador de Atividades Pedagógicas.

Além da exigência acima, é necessário ter realizado anteriormente um dos


cursos - Prática Pedagógica para Cursos Estruturados com Base em
Competências ou Planejamento de Ensino e Avaliação do Rendimento
Escolar - PEARE.

III. ORGANIZAÇÃO DO CURSO

a) Modalidade e carga horária

O curso Método para o Desenvolvimento das Unidades Curriculares


Técnicas de Redação em Língua Portuguesa e Comunicação Oral e Escrita
é desenvolvido na modalidade presencial com 32 horas.

5
b) Organização de Turmas

As turmas são organizadas com um número máximo de 40 participantes.

c) Desenvolvimento Metodológico do Curso

O curso Método para o Desenvolvimento das Unidades Curriculares Técnicas de


Redação em Língua Portuguesa e Comunicação Oral e Escrita tem uma proposta
metodológica centrada no fazer docente, considerando a relevância do
desenvolvimento das capacidades técnicas (didático-pedagógicas) do participante.

A crença é que discussões sobre métodos, estratégias e técnicas para o


desenvolvimento das aulas nessas unidades curriculares permitam ao participante as
decisões didático-pedagógicas mais adequadas, tendo em vista o desenvolvimento
linguístico de seus alunos com a relação a interpretação e elaboração de textos em
diferentes situações comunicacionais.

Assim, o objetivo é levar o participante, docente, a criar situações de comunicação


verbal, oral e escrita, contextualizadas, para que o aluno adquira um método de
elaboração de textos e desenvolva autonomia para optar por diferentes estruturas
textuais, de acordo com as exigências de uma situação real.

Além disso, outra discussão a ser feita refere-se ao desenvolvimento de funções


cognitivas, que pode se dar a partir do estabelecimento de relação dialógica com os
alunos, adotando-se uma postura mediadora.

Durante o curso são criadas oportunidades para que o participante elabore textos,
analise e avalie a qualidade de estruturas textuais e planeje os processos de ensino e
aprendizagem. A realização dessas atividades deve ser acompanhada por avaliação
formativa, cujos resultados devem levar à superação imediata das possíveis
dificuldades, condição essencial para que o participante possa evidenciar os
desempenhos esperados.

6
d) Conteúdo Formativo

O conteúdo formativo é composto de capacidades técnicas, sociais,


organizativas, metodológicas e conhecimentos a estas relacionados.

Curso: Método para o Desenvolvimento das Unidades Curriculares Técnicas de Redação em Língua
Portuguesa e Comunicação Oral e Escrita – 40horas
Capacidades Técnicas Conhecimentos
1 Documentos Norteadores da Educação
1. Identificar a finalidade das Unidades Curriculares no Senai-SP:
Redação Técnica em Língua Portuguesa e Comunicação 1.1. Proposta Educacional,
Oral e Escrita, nos cursos técnicos e de aprendizagem do 1.2. Proposta Pedagógica,
Senai-SP, referenciando-se no perfil profissional, 1.3. Plano de Curso,
consolidado no Plano do Curso. 1.4. Elementos Curriculares,
2. Relacionar as diretrizes e procedimentos educacionais do 1.5. Ditec 008 e seus anexos.
Senai-SP com o desenvolvimento das unidades 2. Comunicação:

curriculares Redação Técnica em Língua Portuguesa e 2.1. Elementos constitutivos:

Comunicação Oral e Escrita. 2.1.1. emissor,

3. Selecionar diferentes estratégias e ou técnicas para o 2.1.2. receptor,


2.1.3. referente,
desenvolvimento de funções da linguagem e níveis de
2.1.4. canal,
fala.
2.1.5. código,
4. Avaliar textos, considerando o uso adequado das funções
2.1.6. mensagem;
da linguagem.
2.2. Funções da linguagem:
5. Avaliar textos, considerando o uso adequado dos níveis
2.2.1. emotiva ou expressiva,
de fala.
2.2.2. apelativa ou conativa,
6. Aplicar técnica de estruturação de parágrafo descritivo.
2.2.3. referencial,
7. Aplicar técnica de estruturação de parágrafo narrativo.
2.2.4. fática,
8. Aplicar técnica de estruturação de parágrafo dissertativo.
2.2.5. metalingüística;
9. Avaliar a qualidade de um parágrafo, considerando a
2.3. Níveis de fala:
estrutura, a unidade interna e o seu tipo.
2.3.1. gíria,
10. Selecionar diferentes estratégias para o desenvolvimento 2.3.2. linguagem coloquial,
da capacidade de estruturar parágrafos. 2.3.3. língua padrão.
11. Aplicar método de intelecção de textos, considerando as 3. Paragrafação
análises textual, temática e interpretativa. 3.1. Estrutura interna:
12. Sintetizar texto, preservando sua estrutura. 3.1.1. Tópico frasal,
13. Aplicar técnica de elaboração de texto descritivo de 3.1.2. Idéias secundárias;
objeto, de processo, de ambiente, considerando 3.2. Unidade interna:
parágrafos de introdução, desenvolvimento e conclusão. 3.2.1. Sequência de idéias,
14. Avaliar a qualidade de uma descrição, considerando as 3.2.2. Coerência,
características textuais para objeto, processo e ambiente. 3.2.3. Concisão;
15. Selecionar diferentes estratégias para o desenvolvimento 3.3. Tipos de parágrafo:
da capacidade de elaborar descrição. 3.3.1. Narrativo,
16. Aplicar técnica de elaboração de texto dissertativo. 3.3.2. Descritivo,

7
Curso: Método para o Desenvolvimento das Unidades Curriculares Técnicas de Redação em Língua
Portuguesa e Comunicação Oral e Escrita – 40horas
considerando parágrafos de introdução, desenvolvimento
3.3.3. Dissertativo.
e conclusão. 4. Técnica de Intelecção de Texto:
17. Elaborar argumentos pró e contra. 4.1. Análise Textual - etapa de
18. Selecionar diferentes estratégias para o preparação para a compreensão do
desenvolvimento da capacidade de elaborar dissertação. texto:
19. Avaliar a qualidade de diferentes estruturas-padrão, 4.1.1. Visão global do texto,
considerando o contexto para sua utilização. 4.1.2. Levantamento dos conceitos e
20. Analisar as características da estrutura básica de um dos termos fundamentais,
relatório. 4.1.3. Identificação de idéias
21. Avaliar a qualidade de um relatório, considerando a principais e secundárias do
seleção do tipo mais adequado a uma determinada parágrafo,
situação. 4.1.4. Identificação das inter-
22. Aplicar diferentes técnicas de correção de textos relações textuais,
produzidos pelos alunos. 4.1.5. Identificação de introdução,
23. Planejar o ensino, considerando o desenvolvimento das desenvolvimento e conclusão,

aulas e a avaliação do desempenho dos alunos e de 4.1.6. Esquematização do texto.

acordo com a metodologia proposta para o curso (PEARE 4.2. Análise Temática - etapa de

ou Norteador da Prática Pedagógica) compreensão da mensagem


global:
4.2.1. Depreensão do assunto,
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
4.2.2. Depreensão do tema,
4.2.3. Depreensão da mensagem,
1. Trabalhar em equipe
4.2.4. Resumo do texto
2. Ter senso crítico
4.3. Análise Interpretativa - etapa de
3. Ter visão sistêmica
interpretação do texto:
4. Ter capacidade de análise
4.3.1. Coerência interna,
5. Ter capacidade de síntese
4.3.2. Profundidade no
6. Ter capacidade de avaliação
tratamento do tema,
7. Ser pró-ativo
validade e relevância da
8. Ser criterioso
argumentação (e da contra-
9. Ter iniciativa
argumentação),
4.3.3. Elaboração de texto crítico
5. Descrição
5.1. Objeto,
5.2. Processo,
5.3. Ambiente.
6. Dissertação
6.1. Estrutura:
6.1.1. Introdução,
6.1.2. Desenvolvimento,
6.1.3. Conclusão;
6.2. Argumentação.

7. Estruturas-padrão:
7.1. Requerimento,
7.2. Memorando,
8
Curso: Método para o Desenvolvimento das Unidades Curriculares Técnicas de Redação em Língua
Portuguesa e Comunicação Oral e Escrita – 40horas
7.3. Ordem de serviço,
7.4. Orçamento,
7.5. Carta comercial,
7.6. Curriculum vitae.
8. Relatório:
8.1. Estrutura Básica;
8.2. Tipos de relatório:
8.2.1. De Atividade,
8.2.2. De Ocorrência,
8.2.3. De Estudos ou de
Pesquisa.

9
IV. AMBIENTES PEDAGÓGICOS

SALA DE AULA CONVENCIONAL


 Carteiras e cadeiras que permitam diferentes arranjos físicos;
 Quadro branco;
 Flip-chart;
 Computador com acesso a internet;
 Data-show;
 Pincel atômico de diferentes cores;
 Canetas para quadro branco de diferentes cores;
 20 folhas de papel A0 para flip-chart;
 100 folhas de papel sulfite A4;
 Lápis;
 Borracha;
 Bloco para rascunho;
 Material didático impresso: 1 exemplar para cada participante e 1 para o docente.

Obs: o participante do programa deve ter em mãos:


 Proposta pedagógica da escola em que leciona.
 Planos de ensino ou de situação de aprendizagem, elaborados para a
unidade curricular.
 Diferentes textos que utilize para o desenvolvimento de suas aulas.
 Computador portátil com o pacote Office.

V. BIBLIOGRAFIA PARA CONSULTA

1. ANDRÉ, Hildebrando A. de. Curso de redação. São Paulo, Moderna, l988.

2. BLIKSTEIN, Isidoro. Técnicas de comunicação escrita. São Paulo, Ática,


1985.

3. CEGALLA, Domingos P. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa.


IBEP Nacional, 48 ed., 2009.

10
4. CUNHA, Celso e CINTRA, Lindley. Nova Gramática de Português
Contemporâneo. Editora Lexikon, 5ª ed., 2008.

5. DEPRESBITERIS, L. O Desafio da Avaliação da Aprendizagem. São


Paulo: EPU, 1989.

6. FERREIRA, Aurélio B. de Holanda. Dicionário Aurélio da Língua


Portuguesa. Editora Positivo, 5ª ed, 2010.

7. FIORIN, José Luiz e SAVIOLI, Francisco Platão. Para entender o texto.


São Paulo, Ática, 1990.

8. FIORIN, José Luiz. Elementos de análise do discurso. São Paulo,


Contexto, 1989.

9. GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna – aprenda a


escrever aprendendo a pensar. Rio de Janeiro: FGV, 27ª ed.2010.

10. GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. Cascavel, Assoeste,


1985.

11. GOMES, C. M. A. Feuerstein e a construção mediada do conhecimento.


Porto Alegre: Artmed, 2002.

12. GRANATIC, Branca. Técnicas básicas de redação. São Paulo: Scipione,


1988.

13. HOUAISS, Antonio. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Editora


Objetiva, 1ª ed., 2009.

14. JAKOBSON, R. Lingüística e comunicação. São Paulo, Cultrix, 1981.

15. KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça e TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Texto e


Coerência. São Paulo: Cortez Editora, 4ª edição, 1995.

16. MEIER, Marcos; GARCIA, Sandra. Mediação da aprendizagem:


contribuições de Feuerstein e de Vygotsky. 3 ed. Curitiba: Edição do
Autor, 2008. 212p.

17. MELO, M. M. (ORG). Avaliação na Educação. Pinhais, PR: Editora


Melo,2007.

18. MOLINA, Olga. Ler para Aprender. São Paulo, E.P.U., 1992.

11
19. PRETTI, Dino. Sociolingüística: os níveis de fala. 6a ed. rev. mod. São
Paulo, Nacional, 1987.

20. SANTAELLA, Maria Lúcia. O que é semiótica. Brasília, INEPE, 1983.

21. SARGENTIM, Hermínio. Redação: curso básico. São Paulo, IBEP, s/d.

22. SENAI.SP. DITEC 008 – versão 02. São Paulo, 2008.

23. SOARES, Magda. Aprendizagem da língua materna. Brasília, INEPE,


1983.

24. ________. Linguagem e escola. São Paulo, Ática, 1986.

25. SOUZA, A. M. M; DEPRESBITERIS, L.; MACHADO, O. T. M. A mediação


como princípio educacional. Bases teóricas das abordagens de
Reuven Feurstein. Porto Alegre: Artmed, 2004.

VI. CERTIFICADOS

O aluno que concluir o curso, demonstrando desempenho de acordo com as


capacidades prescritas como conteúdo formativo, recebe um certificado de
Método para o Desenvolvimento das Unidades Curriculares Técnicas de
Redação em Língua Portuguesa e Comunicação Oral e Escrita.

12
CONTROLE DE REVISÕES

REV. DATA NATUREZA DA ALTERAÇÃO


00 Julho/2011 Emissão do documento

13
Programa de Formação de Educadores
SENAI-SP

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial


Departamento Regional de São Paulo
www.sp.senai.br