Вы находитесь на странице: 1из 32

Programa de intervenção para pessoas com

transtorno do déficit de atenção e


hiperatividade

Duração da intervenção: 7 meses como 75 sessões


presenciais e 125 on-line para crianças e adolescentes/
57 sessões presenciais e 125 on-line para adultos.
Distribuição das sessões
• 5 sessões de avaliação para estabelecimento de linha de base da intervenção
atencional e motora, além de acompanhamento da evolução clínica.
• 4 Sessões de avaliação de seguimento e saída do programa.
• 24 sessões de intervenção do domínio atencional e comportamental (1 vez
por semana)
• 24 sessões de intervenção psicomotora (1 vez por semana)
• 12 Sessões em grupos para os pais ou responsáveis para manejo
comportamental no ambiente doméstico (exceto para TDAH adulto).
• 6 visitas na escola para estabelecer acordos de compartilhamento de
informações e conduta de intervenção integrada (exceto para TDAH adulto).
• 125 Sessões, sendo 3 semanais de treinamento on-line em ambiente
doméstico para os domínios cognitivos
Objetivo Geral

• Habilitar as vias de processamento sensório-motora.


• Habilitar a rede atencional para sustentar o processamento do estímulo,
inibir estímulos secundários e seleção, alternância e divisão entre
estímulos.
• Melhorar o funcionamento cognitivo global, especificamente executivos.
• Reduzir via intervenção o fardo da família em função de gestão
inadequada oriundas de tratamentos sem efeito clínico.
• Evitar despesas futuras com os tratamentos recorrentes sem resultados
funcionais.
Justificativa
O tratamento mais eficaz para o TDAH, por evidência clínica, é
a conjunção do uso de medicamentos com intervenção
cognitiva, motora e comportamental, psicoeducação para
aprender habilidades de enfrentamento e comportamentos
adaptativos, psicoeducação para pais e educação corretiva.
• Marcos não para quieto, parece
está ligado no 220v o tempo todo,
interrompe a professora e não
consegue se concentrar nas
tarefas...
• Ana vive em conflito com a mãe na
hora de fazer o dever de casa,
quando enfim a mãe consegue
convencê-la de realizar a tarefa se
mostra desinteressada e não faz
direito, as vezes parece estar “no
mundo da lua”...
• Tomás de 15 anos não quer mais ir
à escola, desde pequeno sempre
demonstrou um comportamento
muito impulsivo e cometia muitos
erros, hoje, apesar de não ser tão
Você já viu isso? irrequieto não se sente motivado à
frequentar a escola e tem muito
medo de errar...
Dados de Prevalência

Com base em estimativas, 5 a 10% de todas as crianças em idade


escolar no mundo inteiro apresentam TDAH, e o transtorno
interfere no trabalho escolar e na interação entre colegas. A
prevalência é maior em meninos do que em meninas. Estudos de
acompanhamento mostram que muitas pessoas diagnosticadas
com TDAH continuam a exibir alguns sintomas quando adultos,
que representam 2,5% dos adultos na maioria das culturas. Em
adultos os sintomas de hiperatividade tendem à reduzir.
Fontes: AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION; AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION (EDS.). Diagnostic and
statistical manual of mental disorders: DSM-IV-TR. 4th ed., text revision ed. Washington, DC: American
Psychiatric Association, 2000. BEAR; CONNORS; PARADISO (2008)
Desatenção
Principais
sintomas do Impulsividade
TDAH

Hiperatividade
Maturação de áreas corticais pré-frontais

Funções executivas e o córtex pré-frontal


Neurofisiologia
do TDAH Padrão de atividade elétrica do cérebro visto
por meio de Potenciais ou ondas de frequência
(EEG)

Circuitos neurais e sua relação com a integração


cognitva-motora
As funções executivas e os lobos frontais
• Compreendem cerca de um terço
do córtex cerebral humano
• Grande expansão na evolução
humana em relação à outras
espécies
• O cérebro como rede: Quase todas
as regiões corticais ou subcorticais
interagem influenciando a
atividade do córtex pré-frontal.
• O córtex pré-frontal se encontra
em uma região estratégica para
receber e transmitir sinais,
coordenando o processamento
através de amplas regiões do SNC.
• Planejamento
FUNÇÕES • Iniciação do comportamento
• Auto monitoramento
EXECUTIVAS • Tomada de decisão
• Controle inibitório
• Pensamento abstrato
• Flexibilidade cognitiva
• Atenção
• Multitarefa (Alvarez et al., 2006, Chan et
al., 2008)
• Memória de trabalho
COMPORTAMENTO ORIENTADO PARA UM
OBJETIVO/PLANEJAMENTO

IDENTIFICAR O
FERRAMENTAS
OBJETIVO E PREVER AS
PARA ATINGIR
DESENVOLVER CONSEQUENCIAS
SUBOBJETIVOS
SUBOBJETIVOS

Ducan 1995
A importância da
intervenção integrada
Comprometimento das funções executivas

Principais Dificuldades na manutenção da atenção

disfunções Comprometimento do comportamento motor

que devem ser Inquietude e agitação motora constante


consideradas Dificuldades principalmente no controle da coordenação
para montar o motora e planejamento de ações sequenciais complexas

programa de Dificuldades no equilíbrio estático e dinâmico

intervenção: Incapacidade de detectar erros no desempenho

Déficits na percepção, organização e estruturação espaço-


temporal
Modulações
Modulações
neuroanatômicas
neurofisiológicas
e funcionais

Efeito do exercício físico no


desempenho cognitivo:
Hipóteses
Melhora do Melhora,
desempenho nas especificamente
funções nas funções
cognitivas executivas
Principais conclusões da Revisão

01 02
No geral, os estudos demonstraram Outro importante resultado da
que a AF proporcionou uma melhora revisão foi a relação entre a AF
nas funções executivas, promovendo curricular e a melhora da
uma melhora no desempenho performance cognitiva, revelando
acadêmico que pode ser explicada a significância da EF na base
pela melhora dos aspectos
comportamentais e sociais envolvidos
curricular acadêmica de crianças e
no contexto das funções executivas, adolescentes.
especificamente no comportamento
inibitório.
Queixa principal:
Desatenção,
Caso Clínico TDAH hiperatividade e
impulsividade
Testagens
Entrevista Medidas de Peso e
Avaliação da Bateria
semiestruturada com altura/ avaliação
Psicomotora
responsável. nutricional

Teste ABC – Para


verificação da
Testes Neuropsicológicos maturidade necessária a
aprendizagem da leitura
e escrita.

Escalas aplicadas nos


Relatório Escolar.
responsáveis

Principais Medidas Aplicadas


Avaliação Cognitivo-Motora
Desempenho cognitivo-motor avaliado
• DISCIPLINA: inquieto; SOCIALIZAÇÃO: parcialmente participativo; TIPO DE
PARTICIPAÇÃO: parcialmente interessado e disperso; MÉTODO DE
TRABALHO: parcialmente orientado, descuidado e não persistente; RITMO
DE TRABALHO: cansado e rápido; TOMADA DE DECISÃO: toma iniciativa e
não solicita ajuda quando precisa. Logo, apresentou padrão cognitivo com
DIFICULDADES para as 3 etapas de processamento da informação/estímulo
(entrada, processamento e saída).
• Na primeira etapa do Stroop apresentou um ótimo desempenho, porém na
segunda etapa do teste, na qual na qual o controle inibitório é mais
exigido, o paciente apresentou um desempenho prejudicado,
demonstrando resistência e limitação de persistir na tarefa quando o erro
foi percebido.
Testes Neuropsicológicos

Funções Executivas

Atenção/Controle inibitório

Memória de trabalho/Flexibilidade cognitiva


Avaliação Psicomotora

Unidade 2
Unidade 1 Unidade 3
Lateralização
Tonicidade Praxia Global
Noção de Corpo
Equilibração Praxia Fina
Estruturação espaço-temporal

Unidade 1 lúria: alerta e vigilância


Unidade 2 lúria: recepção, análise armazenamento de informação
Unidade 3 lúria: Regulação da atividade
Desempenho cognitivo-motor avaliado
• Tonicidade – Desempenho bom
• Equilibração – Desempenho prejudicado
• Lateralização – Desempenho dentro do esperado para a idade

• Noção de Corpo – Desempenho ótimo


• Estruturação espaço-temporal – Desempenho prejudicado

• Praxia Global – Desempenho prejudicado


• Praxia Fina – Desempenho bom
Principais pontos para intervir - CIF
Regulação emocional/comportamental: b126- Funções de temperamento e da
personalidade; b130- Funções da energia e dos impulsos; b1302-Apetite; b1308-
Controle dos impulsos; b134- Funções do sono; b152- Funções emocionais.

Regulação Psicomotora: b1144-Orientação em relação ao espaço; b0140- Funções


da atenção; b1443-Memória de trabalho; b147- Funções psicomotoras; b156-
Funções da percepção; b260- Funções proprioceptivas; b760- Funções do controle
dos movimentos voluntários; d160 - concentrar a atenção; d175-resolver
problemas; d7202 - regular comportamentos nas interações.

Regulação cognitiva: b114- Funções da orientação; b1308-Controle dos impulsos;


b1400-Manutenção da atenção; b1443-Memória de trabalho; b156- Funções da
percepção.
Recursos de Intervenção e princípios básicos

• Atividades com integração cognitiva-motora


• Avaliação de segmento da intervenção sobre o afeto percebido
• Manter o controle sob as tarefas aplicadas
• Ficar atento aos estímulos distratores (avaliar a disposição dos objetos na sala)
• Reforçar a relação afetiva
• Preparar tarefas desafiadoras na medida certa (curva do desempenho ótimo)
• Estabelecer previamente regras claras
• Ser mediador apenas quando necessário
• Levar à criança a perceber-se capaz
• Tarefas para o aprimoramento do controle motor – manuseio de materiais com
diferentes formas, peso e tamanhos.
• Percepção auditiva – responder à estímulos auditivos diferentes em termos de tons,
vozes e decibéis.
• Memória de trabalho e atenção - Tarefas de categorização – Através de estímulos
auditivos.
• Atenção seletiva – jogos utilizando diferentes tipos de respostas relacionadas à alvos
fixos.
• Atenção divindade – Atividades envolvendo dupla tarefa.
• Controle das habilidades motoras – durante as práticas pontuar funções motoras
que podem ser aprimoradas.
• Controle motor global – tarefas que demandem equilíbrio dinâmico e controle da
força, assim como organização espacial.
Programação da intervenção
Etapas Semana I À partir da Semana III
Tarefa Dia 1 - Conhecendo o espaço Dia 1 - Jogo das categorias
Dia 2 - Jogo da velha Dia 2 - Jogo do alvo
Dia 3 - Jogo do alvo Dia 3 - Jogo do alvo
Dia 4 - Jogo das categorias Dia 4 – Dupla tarefa
Objetivo Regulação Regulação Psicomotora/cognitiva e
emocional/comportamental monitoramento das respostas
emocionais
Domínio Dia 1 - Percepção (espacial) Dia 1 - Controle inibitório
Cognitivo Dia 2 - Atenção/inibição Dia 2 - Atenção seletiva
Dia 3 - Percepção (auditiva) Dia 3 - Atenção seletiva
foco
Dia 4 - Jogo das categorias Dia 4 - Atenção dividida
Domínio Dia 1 - Percepção (espacial) Dia 1 - Equilibração
Motor foco Dia 2 - Controle motor global Dia 2 - Organização espacial
Dia 3 - Controle motor global Dia 3 - Controle motor (força)
Dia 4 - Controle motor global Dia 4 - Controle motor dinâmico (força e
equilíbrio)
AVALIAÇÃO DO AFETO

O afeto é compreendido
como um estado de prazer 12
ou descontentamento que
possui algum grau de
ativação e é vivenciado
constantemente (Russell & 21
Barrett, 1999). É entendido, 2 1
também, como um estado 12 12
neurofisiológico
conscientemente acessível,
sendo uma combinação do Dia 1
hedônico, prazer ou Dia 2 1 2
desagrado, e da ativação, Dia 3
quietude ou vigor (Russell, Dia 4
2003). Dia 5
Dia 6