Вы находитесь на странице: 1из 6

Programa de Educação para a Sexualidade (9 aulas) para 3ºCEB e Sec.

Modelo conceptual do desenvolvimento integral


Sexualidade abordada a 3 níveis:

I. Componente biológica
1º aula

Objectivos:
 Conhecer a anatomia do sistema reprodutor
 Compreender a fisiologia do sistema reprodutor
 Identificar as hormonas sexuais dominantes e a sua acção

Conteúdos:
• Anatomia e fisiologia do aparelho reprodutor masculino e feminino
• Fertilidade masculina – hormona sexual masculina dominante (testosterona)
• Fertilidade feminina – hormonas sexuais dominantes femininas (estrogénios e
progesterona)
• Fases do ciclo reprodutivo feminino
• Ritmo hormonal masculino

Estratégias:
 Preenchimento da grelha do aparelho reprodutor masculino e feminino no inicio e sua
correcção no final com caneta de cor diferente
 Visualização do Filme Bio1 duração 15min elaborado pelo programa TEEN STAR.
Salientar aspectos relevantes do filme

Competências:
Respeito e valorização do seu sexo e do seu corpo
Respeito e valorização do sexo oposto e do corpo do outro

2º aula
Componente biológica

Objectivos:
 Identificar a aquisição da capacidade de ser fértil como acontecimento marcante da
adolescência
 Conhecer o mecanismo da reprodução
 Conhecer o desenvolvimento embrionário e fetal
 Perceber o parto e as várias fases que o compõem

Conteúdos:
• Compreender a aquisição da capacidade de ser pai e de ser mãe
• Fecundação e nidação
• Desenvolvimento embrionário e fetal
• Parto
• Amamentação

1
Estratégias:
 Visualização do Filme Bio3 duração de 6min elaborado pelo programa TEEN STAR.
Salientar aspectos relevantes do filme.

Competências:
Respeito e valorização da capacidade de ser pai e de ser mãe
Responsabilidade relacionada com a saúde reprodutiva
Respeito e valorização da vida humana

3º aula
Componente biológica

Objectivos:
 Compreender o dimorfismo sexual como suporte básico para uma relação de paridade

Conteúdos:
• As mudanças e transformações pubertárias
• Indicadores de fertilidade e seu reconhecimento
• Compreensão das diferenças e da complementaridade do dimorfismo sexual

Estratégias:
 Discussão dos esquemas do aparelho reprodutor feminino e masculino
 Construção pelos alunos dum quadro com referências similares entre os dois
aparelhos

Competências:
Construção dum conceito de paridade tendo como base a componente biológica
Responsabilidade relacionada com a saúde sexual e reprodutiva

II. Componente psico-afectiva


4ª aula

Objectivos:
 Reconhecer as diferenças separando as que são culturais das que são estruturais de
cada sexo
 Valorizar as diferenças como características próprias de cada sexo
 Interiorizar o conceito de que diferenças não são desigualdades

Conteúdos:
• Diferenças de género: Masculinidade e feminilidade
• Diferenças emocionais relacionadas com o ritmo hormonal masculino (diário) e o ciclo
hormonal feminino (mensal)
• Diferenças ao nível da estimulação/excitação sexual

2
Estratégias:
 Chuva de ideias: Reconhecer as diferenças separando as que são culturais das que
são reais.
Descrição: formar 2 grupos, um de rapazes e outro de raparigas. Cada grupo escreve num
papel 6 aspectos que caracterizem o sexo oposto (10mn). Divide-se o quadro em dois planos e
num escreve-se ser masculino e no outro ser feminino. Cada grupo alternadamente vai
dizendo a característica que apresenta justificando-a. Escreve-se no quadro as ideias de cada
grupo e discutem-se os aspectos que distinguem os dois sexos, separando as diferenças reais
das culturais (atribuídas pela sociedade).

Competências:
Construção dum conceito de paridade tendo como base a componente psico-afectiva
Comunicação assertiva

5ª aula
Componente psico-afectiva

Objectivos:
 Identificar emoções
 Compreender sentimentos
 Distinguir as formas de gerir emoções e de construir sentimentos

Conteúdos:
• Diferença entre emoções e sentimentos
(emoções: paixão e raiva; sentimentos: amor e ódio)
• Distinguir os vários tipos de amor
• Fomentar capacidades de auto-estima e de auto-controle

Estratégias:
 Chuva de ideias: formar 2 grupos, um de rapazes e outro de raparigas.
Entregar dois questionários: um sobre as intenções que têm quando saem com alguém do
sexo oposto; e outro sobre as intenções que atribuem ao outro quando os/as convida para
sair. Cada grupo escreve num papel as respostas mais consensuais (15mn). No final discutem-
se as ideias de cada grupo confrontando os dois grupos. No final pretende-se que os alunos
 Distingam sentimentos de emoções.
 Relacionem a sensação de bem-estar ou de mal-estar que nos provoca o controlo ou não
das nossas emoções
 Valorizem a confiança que temos quando percebemos as razões dos nossos sentimentos

Competências:
Auto-estima e auto-controlo como ferramenta para a tomada de decisão

3
6ª aula
Componente psico-afectiva

Objectivos:
 Compreender que a intenção da acção que realizo é independente do efeito que pode
provocar no outro
 Compreender as diferenças da interpretação da intimidade entre sexos
 Promover a comunicação baseada no respeito por si e pelo outro

Conteúdos:
 Identificar comportamentos com significados sensuais e eróticos
 Trabalhar conceitos de auto-estima e auto-controlo
 Discutir situações que requerem decisões prévias e fundamentadas

Competências:
Assertividade relacionada com o ajuste da intenção do comportamento de cada um e do efeito
que pode provocar no outro
O auto-controlo e a relação directa com auto-estima
Capacitação para a tomada de decisão

Estratégias:
Vinheta ética – perante uma analise de caso sequencial os alunos vão tomando decisões sobre
a atitude mais correcta
Vinheta ética sobre atitudes comportamentais

III. Componente do projecto da vida


7ª aula

Objectivos:
• Analisar os projectos de vida afectivos das pessoas de referência (pais, tios, avós)
• Reflectir sobre o projecto da vivência da sexualidade que cada um tem para si e quais as
razões e os valores em que assenta
•Perceber as dificuldades que existem em ser fiel ao projecto de vida e quais as competências
a desenvolver para o conseguir

Conteúdos:
• Discutir e analisar os projectos de vida afectivos das pessoas de referência (pais, tios, avós)
• Reflectir sobre o projecto da vivência da sexualidade que cada um tem para si e quais as
razões e os valores em que assenta
•Perceber as dificuldades que existem em ser fiel ao projecto de vida e quais as competências
a desenvolver para o conseguir

4
Estratégias:
 Perguntar aos alunos em relação à sexualidade e à vivência da sexualidade qual o
projecto que têm para quando forem adultos
 Estudo de caso

Competências:
Demonstrar capacidade para a construção de um projecto afectivo
Responsabilidade das escolhas e do contexto para as desenvolver
Amizade como elemento estruturante duma relação de paridade

8ª aula
Componente do projecto da vida

Objectivos:
 Compreender a dimensão das escolhas feitas e das tarefas inerentes
 Perceber os métodos de regulação da fertilidade segundo a dimensão ética

Conteúdos:
 As escolhas em sexualidade e a responsabilidade inerente
 Métodos de regulação de fertilidade:
Métodos compartilhados
Métodos contraceptivos

Estratégias:
 Filme do ciclo da mulher e a identificação da fase fértil
 Slides de métodos de regulação da fertilidade

Competências:
Liberdade para escolher
Compreensão da intimidade

9ª aula
Componente do projecto da vida

Objectivos:
 Identificar comportamentos de risco em sexualidade
 Perceber os mecanismos de prevenção e protecção das doenças sexualmente
transmitidas
 Conhecer os agentes patogénicos das infecções sexualmente transmissiveis,
tratamento e sequelas

Conteúdos:
 Comportamentos de risco em sexualidade e custos em saúde
 Classificação das IST/DST em bacterianas, virais e outros agentes
 Descrição das Infecções e doenças sexualmente transmissíveis quanto à:
o Epidemiologia
o Agente patogénico
o Etiologia

5
o Tratamento
o Sequelas

Estratégias:
 Slides sobre IST/DST

Competências:
Assertividade nas atitudes a desenvolver relacionadas com a sexualidade
Tomada de decisão com estratégia para prevenir comportamentos de risco
Fidelidade ao projecto de vida pretendido

Nota: inicia-se o programa com uma 1 aula zero em que se faz um teste diagnostico da turma
para ajustar os conteúdos uma sessão de chuva de ideias sobre o conceito de sexualidade. No
final das 9 sessões lectivas faz-se aula final de avaliação do programa desenvolvido. Com
estas duas sessões corresponde o programa a um total a 11 tempos lectivos e 1h para
divulgação da actividade, sumariando um total de 12h.