Вы находитесь на странице: 1из 14

HISTÓRIA EM QUADRINHOS E VARIEDADE LINGUÍSTICA

Público alvo: Alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I (período de 5 aulas)

Conteúdo:
Gênero: História em Quadrinhos
Sinais de pontuação
Variedade linguística

Avaliação:

O importante dessa sequência didática é que, ao final, os alunos possam socializar o material realizado para
que os mesmos apreendam o significado de trabalhar o gênero textual história em quadrinhos de modo a
entender que toda produção escolar deve ser compartilhada, associada a outras ideias entre turmas, turnos,
professores, alunos, funcionários, pais etc.

Objetivos:
 Conhecer o gênero textual história em quadrinho (HQ);
 Diferenciar HQ de tirinhas e charges
 Conhecer o contexto histórico da História em Quadrinho;
 Entender a organização da produção do gênero textual HQ;
 Identificar a função dos balões relacionados à (fala, pensamento, ideia, cochicho, grito);
 Compreender a importância e a função do uso de onomatopéias na HQ, como recurso que transita
entre a imagem e a oralidade;
 Entender a organização da produção do gênero textual HQ;
 Reconhecer o uso da linguagem verbal e não verbal em situações de acontecimentos diários;
 Reforçar o uso da pontuação;
 Identificar personagens, suas características;
 Desenvolver a linguagem oral, leitura e a escrita em gêneros textuais de linguagem mista – verbal e
imagética;
 Compreender a variedade linguística enquanto marca de identidade local, social, e que as diferenças
precisam ser respeitadas;
 Reconhecer as expressões e ações de cada personagem e relacionar ao contexto da história;
 Produção das histórias em quadrinhos nas equipes;
 Apresentação do produto final (HQ) de cada aluno impresso para os pais;

Desenvolvimento:

ETAPA 1
Objetivo:

 Conhecer o gênero textual história em quadrinho (HQ);

Será feita uma abordagem sobre o gênero textual história em quadrinhos (HQ), a partir da leitura de uma
HQ apontando cada detalhe. Após será lançado questionamentos para identificar, a partir da oralidade, o
conhecimento prévio dos alunos sobre o conteúdo a ser trabalhado, indagando:

 Quem conhece este tipo de gênero textual?


 Quem já leu história em quadrinhos?
 Onde leu?
 Conhecem qual história em quadrinhos?
 Para quem já conhece a HQ, o que mais chamou atenção na estrutura da HQ?
 Para quem está vendo a HQ pela primeira vez, quais suas impressões?

Esta breve introdução dará suporte para os alunos fazerem uma leitura sobre as revistas do Sesinho, onde
os alunos terão contato direto com as HQs, fazendo uma contextualização diacrônica (Que estuda ou
entende uma situação, ou reunião de fatos, de acordo com a sua evolução no tempo) sobre a história em
quadrinhos.

ETAPA 2

Objetivos:
 Diferenciar HQ de tirinhas e charges
 Conhecer o contexto histórico da História em Quadrinho

A exploração das histórias em quadrinhos, ajudara a entender a produção desse gênero, de modo a
ampliar o repertório de conhecimento dos alunos através do contato e leitura de algumas HQs.
Fazer uma exposição material de tirinhas e charges com a proposta de demarcar a diferença existente
entre os gêneros textuais (tirinhas, charges, HQs). Este momento inicial é muito importante para que o
grupo possa compartilhar os conhecimentos sobre a HQs.
Exemplos de histórias em quadrinhos antigas, charges e tirinhas encontradas na Biblioteca:

HQs: Charge: Tirinha:

ETAPA 3
Objetivos:

· Entender a organização da produção do gênero textual HQ;


· Identificar a função dos balões relacionados à fala, pensamento, ideia, cochicho, grito;
· Compreender a importância e a função do uso de onomatopéias na HQ
· Entender a organização da produção do gênero textual HQ;
· Reconhecer o uso da linguagem verbal e não verbal;

Após a visita de campo, já em sala de aula, o professor disponibilizará diferentes HQs para serem
trabalhadas em grupos. Neste momento, o mediador conduzirá, através de questionamentos, o levantamento
das características relevantes e detectadas pelos alunos na estrutura das HQs. Sendo estes:

 Existem diferenças nos balões das falas dos personagens?


 Há diferenças nas cores das HQs?
 Há expressões em que a linguagem não está explicita na escrita? Se sim, a que tipo de linguagem se
refere?

O intuito é estimular a identificação dos elementos das histórias em quadrinhos como forma/quantidade da
escrita e pontuações. Tais elementos são: Requadro; Desenho ou vinheta; Linhas cinéticas; Metáforas
visuais; Onomatopéia; Balão; Recordatório; Cor. Esses elementos não serão explicitados diretamente. Para
maior compreensão desse conteúdo, acontecerá com a turma a construção dos balões e seus sentidos, essa
atividade será desenvolvida em equipe, a partir da construção dos elementos que compõe a HQ em papel
metro com a mediação do professor de maneira que será feira a explicação dos elementos durante a
atividade e em seguida será feita a exposição nas paredes da sala.

Ilustração de cada elemento:

1.REQUADRO
2. DESENHO OU VINHETA

3.LINHAS CINÉTICAS

4. METÁFORAS VISUAIS
5.ONOMATOPEIAS

1. BALÕES

IDEIA
GRITO

FALA

COCHICHO
PENSAMENTO

7.RECORDATÁRIO
8.COR

ETAPA 4

Objetivo:

• Reforçar o uso da pontuação dando continuidade a atividade em grupo e sua respectiva história em
quadrinhos, cada equipe ficará com um tipo de pontuação mais encontrado em HQs, apresentando um painel
com o conhecimento sobre o uso daquela pontuação. A construção de cada painel será exposta para toda a
turma.

Exemplos de pontuações presentes nas HQs:

(.) Ponto final - usa-se no final da frase, para concluir uma idéia sem expressar grande emoção do
personagem;

(,) Vírgula - seu uso geral é para separar os elementos da frase e marca uma pequena pausa na leitura;

(:)Dois pontos - usam-se antes de uma citação ou de uma lista, pode também ser usada para enfatizar a fala
que vem após os dois-pontos;
(!) Ponto de exclamação - usa-se no final da frase, para expressar surpresa ou um sentimento muito forte do
personagem (brabeza, medo, alegria incontrolável, etc.).
Vários deles juntos -!!! - pode representar um grito.

(?) Ponto de interrogação - usa-se no final da frase, quando esta for uma pergunta. Nos balões, é comum
este ponto vir junto com um ponto de exclamação para representar que o personagem está surpreso ou
duvidando do que acabou de ver ou ouvir. Exemplo: Será?!

(...) Reticências - indicam que a frase ou idéia está incompleta; assinalam uma hesitação ou uma pausa.

ETAPA 5

Objetivos:

· Identificar personagens, suas características;


· Desenvolver a linguagem oral, leitura e a escrita;
· Compreender a variedade linguística enquanto marca de identidade local, social, e que as diferenças precisam
ser respeitadas;
· Reconhecer a expressões e ações de cada personagem e relacionar ao contexto da história;

O professor deverá manter a organização das equipes, distribuindo novas HQs da turma da Mônica,
solicitando que os alunos identifiquem elementos que representem a leitura, variação linguística e as
características dos personagens.

Para maior apropriação do sentido da variação lingüística, o aluno deverá fazer o exercício de observação
em seu grupo familiar, comunidade local e ou escolar, com o objetivo de identificar as variações linguísticas
existentes nos grupos de sua convivência. Nesse momento, o professor deverá fazer uma reflexão sobre o
resultado da pesquisa dos alunos, direcionando uma discussão que permita entender que existem as
diferenças e estas deve ser respeitada.

Ainda para apropriação do conteúdo sobre características dos personagens das HQs selecionadas, o
professor deverá solicitar aos alunos que as registrem, no quadro impresso, a partir dos questionamentos
lançados pelo professor sobre a HQ dos grupos:

 · Quais são os personagens da HQ trabalhadas pelo grupo?


 · Que variações linguísticas há entre as falas dos personagens?
 · Qual o local onde a HQ está sendo retratada, em que cenário?
 · Quais as características dos personagens?
Observação: Caso os alunos não identifiquem a variação na fala do personagem Chico Bento, o professor
deve ressaltá-la.

Registro da atividade:

PERSONAGENS MÔNIC MAGAL CASCÃ CEBOLINH CHICO


A I O A BENT
O

CARACTERÍSTICA
S

ESPAÇO/TEMPO

Após a conclusão da atividade, o professor solicitará o relato dos alunos sobre as características registradas
acerca dos personagens das HQs trabalhadas. Incentivando os alunos a criarem personagens que irão
compor as produções das HQs de cada equipe com a proposta de organizar o esboço das histórias em
quadrinhos que serão realizadas por eles.

O exemplo da HQ turma da Mônica e a identificação das personagens com suas características ajudam os
alunos a pensarem na criação das suas personagens e qual as suas funções na história, para isso, o professor
chamará atenção a esse fato.
Observação: Vale ressaltar que a continuidade na organização das equipes ajudará na continuidade das
etapas do processo desta sequência didática.

ETAPA 6

Objetivos:
· Produção das histórias em quadrinhos das equipes;
· Utilizar as tecnologias digitais, quando necessário com o suporte do programa hagáQuê;

Nessa etapa, será elaborado o roteiro das HQs de cada equipe. O esbouço será conduzido pela escolha de
personagens, sequência temporal, espacial. O professor deverá disponibilizar, junto à escola, materiais como
papel ofício A3 e A4, papel manteiga, canetas coloridas, hidrocor, lápis de cor, cola, tesoura, grampeador e
outras variedades de materiais que possibilitem a produção com qualidade material e intelectual aos/dos
alunos. O professor deve mediar todas as produções das HQ´s na sala de aula e fazer as devidas
intervenções.

Exemplo:
Observação 1: Em caso de dificuldades de desenho, o professor deverá disponibilizar o recorte de desenhos
de revistas ou jornais para elaboração das HQs.

Observação 2: Caso seja possível, utilizar o laboratório de informática da escola, há uma ferramenta virtual
que auxilia na elaboração das HQs, tendo como resultado final HQs impressas.

Exemplos:
ETAPA 7- Atividade final

· Apresentação do produto final (HQ) de cada equipe;

Depois de construídas as histórias em quadrinhos, cada equipe deverá apresentar suas produções, ler as
histórias que fizeram, explicar porque escolheu aquele tema, assim ao final da atividade, quando todos já
tiverem ouvido as produções da turma, o professor poderá disponibilizar em uma estante para acesso dos
alunos e deverá divulgar o material numa feira cultural da escola, ou realizar um evento específico para
divulgação.
O importante dessa sequência didática é que ao final os alunos possam socializar o material realizado para
que os mesmos apreendam o significado de trabalhar o gênero textual história em quadrinhos de modo a
entender que toda produção escolar deve ser compartilhada, associada a outras ideias entre turmas, turnos,
professores, alunos, funcionários, pais etc.

REFERÊNCIAS:

ALMEIDA, Fernando Afonso de. Arquitetura da história em quadrinhos Vozes e linguagens. Linguagem &
Ensino, Vol. 4, Nº. 1, 2001 (113-140).

BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação verbal. São Paulo, Martins Fontes, 1992.

MARCUSHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola
Editorial, 2008. p.154-186.

Похожие интересы