You are on page 1of 31

HENRIQUE ANTONIO TONASSE

Seu trabalho será avaliado pelo CopySpider no decorrer do desenvolvimento do tra

SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Londrina
2017
HENRIQUE ANTONIO TONASSE

SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado


à Faculdade Pitágoras de Londrina. como
requisito parcial para a obtenção do título de
graduado em Engenharia Civil.

Orientador: Vitor Akio Tanno

Londrina
2017
HENRIQUE ANTONIO TONASSE

SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado


à Faculdade Pitágoras de Londrina, como
requisito parcial para a obtenção do título de
graduado em Engenharia Civil.

BANCA EXAMINADORA

Prof(ª). Titulação Nome do Professor(a)

Prof(ª). Titulação Nome do Professor(a)

Prof(ª). Titulação Nome do Professor(a)

Londrina, 04 de Dezembro de 2017


Dedico este trabalho ao meu Pai, Mãe e
minhas Irmãs pelo apoio e todo o suporte
durante a principal etapa de minha vida.
AGRADECIMENTOS

Agradeço a Deus e a todos que direta ou indiretamente contribuíram para que


eu pudesse realizar mais uma etapa de minha vida e de conseguir ter como carreira
profissional algo que amo.
Em especial agradeço a minha família e amigos que pacientemente
compreenderam parte minha ausência e também pelo carinho que me foi dedicado
em todos esses anos.
Agradeço aos Amigos e colegas de turma, os quais apoiamos, auxiliamos e
orientamos uns aos outros, como uma equipe, para atingir este objetivo.
Aos professores e a todos que colaboraram de alguma forma com minha
formação; o meu MUITO OBRIGADO e que Deus abençoe e esteja sempre presente
nos pensamentos e atitudes para que possamos construir um amanhã cada vez
melhor.
TONASSE, Henrique Antonio. Sustentabilidade na Construção Civil. 2017.
Número total de folhas: 33 Páginas. Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação
em Engenharia Civil – Faculdade Pitágoras de Lodrina, Londrina, 2017.

RESUMO

O termo sustentabilidade na construção não é algo recente, ela vem conquistando


espaço no cotidiano, embora, nem todos estejam engajados nesta mudança. A
humanidade está em busca de produtos e ideias que não agridam o meio ambiente,
tentando reverter muitos danos causados pelo homem em suas construções. São
poucos os empreendimentos sustentáveis no país, sendo fundamental o
desenvolvimento de novas pesquisas nesta área. O objetivo principal desse trabalho
consiste em abordar como pode ser feito algumas melhorias para redução dos
impactos da construção civil, assim identificar problemas e quais suas possíveis
soluções na execução de projetos de construção que visam mais economia e
conservação. Através de pesquisa bibliográfica, artigos publicados, foram
selecionados os seguintes tópicos: Sustentabilidade na Construção civil, Práticas
Urbanas Sustentáveis, Entulho da Construção Civil e Tratamento e Resultados,
desta forma a motivação para realizar o trabalho explorando os impactos ambientais
causados pela construção com a exposição e algumas intervenções para minimizar
tal efeito, integrando o conceito de construção sustentável, surgiu após algumas
pesquisas nesta área. Constatou-se que os empreendimentos poderiam incorporar
mais alguns materiais e tecnologias sustentáveis, sem grande alteração em seu
custo final, o que demonstra que há falta de conhecimento sobre os materiais
sustentáveis e seus benefícios.

Palavras-chave: Sustentabilidade; Construção; Reaproveitamento; Desperdício;


Ambiente.
TONASSE, Henrique Antonio . Sustainability in Construction. 2017. Número total
de folha: 33 Páginas. Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em
Engenharia Civil – Faculdade Pitágoras de Londrina, Londrina, 2017.

ABSTRACT

The term sustainability in construction is not something recent, it has been gaining
space in everyday life, although not everyone is engaged in this change. Humanity is
in search of products and ideas that do not harm the environment, trying to reverse
many man-made damages in its constructions. There are few sustainable ventures in
the country, and the development of new research in this area is fundamental. The
main objective of this work is to address how some improvements can be made to
reduce the impacts of civil construction, to identify problems and what possible
solutions in the execution of construction projects that aim at more economy and
conservation. Through a bibliographical research, published articles, the following
topics were selected: Sustainability in Civil Construction, Sustainable Urban
Practices, Rubble of Construction and Treatment and Results, in this way the
motivation to carry out the work exploring the environmental impacts caused by the
construction with the exhibition and some interventions to minimize this effect,
integrating the concept of sustainable construction, emerged after some research in
this area. It was found that ventures could incorporate some more sustainable
materials and technologies, with little change in their final cost, which demonstrates
that there is a lack of knowledge about sustainable materials and their benefits.

Key-words: Sustainability; Construction; Reuse; Waste; Environment.


LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 1 – Impactos Ambientais .............................................................................. 15


Figura 2 – Margem Desmatada ............................................................................... 17
Figura 3 – Emissão de Gases de Efeito Estufa ....................................................... 18
Figura 4 – Direcionamento do Vento ....................................................................... 21
Figura 5 – Telhado Verde – Exemplos de conforto Térmico .................................. 22
Figura 6 – Planejamento da uma obra de forma sustentável. ................................. 23
Figura 7 – Aproveitamento de Recursos Naturais ................................................... 24
Figura 8 – Gestão e estudo para economia de água ............................................... 24
Figura 9 – Gerenciamento Correto de resíduos ...................................................... 25
Figura 10 – Bloco de Cimento ................................................................................. 28
Figura 11 – Forest Stewardship Council ( Selo Verde) ............................................ 29
Figura 12 – Entulho de Obra ................................................................................... 30
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO......................................................................................................13

1. IMPACTOS AMBIENTAIS GERADOS PELA CONSTRUÇÃO CIVIL............15


1.1 CONCEITOS:IMPACTOSAMBIENTAIS..................................................15
1.1.1 Impactos daConstrução...........................................................................16
1.1.2 Desenvolvimento e o Meio Ambiente......................................................19

2. SUSTENTABILIDADE E SEUS BENEFÍCO....................................................20


2.1 MEIO AMBIENTE....................................................................................20
2.1.1 Usuários...................................................................................................21
2.1.2 Empreendedores.....................................................................................23

3. MATÉRIAIS SUSTENTÁVEIS NA CONTRUÇÃO CIVIL.................................27


3.1 SOLO CIMENTO.....................................................................................27
3.1.1 Madeira Alternativa.................................................................................28
3.1.2 Concreto Reciclado.................................................................................29

CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................32

REFERÊNCIAS.....................................................................................33
13

INTRODUÇÃO

O trabalho apresentado ira abordar o tema Sustentabilidade da construção


civil, pois os vários tipos de construção sustentável estão ligados diretamente ao
homem e meio-ambiente com questões que podem reduzir os impactos, quando se
resolve investir em uma construção adequada para o meio ambiente. O conceito da
construção sustentável provém da definição de desenvolvimento sustentável, no
qual este defende um desenvolvimento económico, ambiental e social é capaz de
atender ás necessidades desta geração, sem comprometer o atendimento das
necessidades das gerações futuras.
Atualmente o setor da construção é um dos principais responsáveis pelos
impactos ambientais no mundo. Nos últimos anos seu crescimento foi constante
ocasionado pelo aumento da procura e os meios de acessos financeiros que
facilitaram sua aquisição, assim é preciso aumentar o controle na escolha de
materiais, de forma a colaborar com uma projeto responsável. A construção
sustentável é ambientalmente responsável, lucrativa e saudável para viver e
trabalhar, dentre muitas formas de contribuir com esse desenvolvimento a principal é
a escolha e uso consciente de materiais para desenvolvimento de sua construção,
pois estes materiais ditam os impactos ambientais durante todo o ciclo de vida de
sua edificação.
A Ideia da sustentabilidade na construção não é algo recente, ela vem
conquistando espaço no cotidiano, embora, nem todos estejam engajados nesta
mudança. Quais são as medidas necessárias para a realização de uma construção
sustentável?
O objetivo geral desse trabalho consiste em fazer uma abordagem de como
pode ser feito para melhorar o impacto da construção civil, assim apontar problemas
e quais suas possíveis soluções na execução de projetos de construção que visam
mais economia e conservação. Dentre os objetivos específicos estão:

 Apresentar um referencial teórico dos impactos ambientais gerados


pela construção civil no Brasil e no mundo. Abordar aspectos
relacionados ao crescimento da construção civil e aumento dos
impactos.
14

 Indicar os benefícios que a sustentabilidade oferece para o meio


ambiente, usuários e empreendedores. Exemplo:

 Para o meio ambiente: Economia de recursos naturais, diminuição


de impactos na fauna e na flora.

 Para usuários: Conforto ambiental e térmico.

 Para os empreendedores: Maior valor de mercado e menor custo


de manutenção.

 Abordar a importância de materiais sustentáveis utilizados na


construção civil.

A metodologia aplicada para o desenvolvimento desse trabalho foi realizada


através de pesquisa bibliográfica, artigos publicados e internet. Após essa análise
foram selecionados os seguintes tópicos: Sustentabilidade na Construção civil,
Práticas Urbanas Sustentáveis, Entulho da Construção Civil e Tratamento e
Resultados do Reaproveitamento.
15

1. IMPACTOS AMBIENTAIS GERADOS PELA CONSTRUÇÃO CIVIL

1.1 Conceito: Impactos Ambientais

Impactos ambientais são os resultados da interação dos aspectos ambientais


com o meio ambiente, por exemplo, poluição do solo e da atmosférica terrestre,
contaminações de lençóis freático e aquecimento global. segundo o Artigo 1° da
Resolução CONAMA, de 23 de janeiro de 1986, impacto ambiental é considerado
qualquer alterações das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio
ambiente, causada por qualquer forma de matéria resultante das atividades
humanas que, direta ou indiretamente, afetam:

 A saúde, a segurança e o bem-estar da população;


 As atividades sociais e econômicas;
 As condições estéticas e sanitárias do meio ambiente;
 A qualidade dos recursos ambientais.

Figura 1: Impactos Ambientais – Mal uso de fontes naturais e gerenciamento


de resíduos.

Fonte: Gazeta do Povo – Sustentabilidade na construção (2016).


16

1.1.1 Impactos da Construção

O início do século 21 trouxe, com força renovada, o enorme desafio do


desenvolvimento sustentável, ou seja, buscar a economia do desenvolvimento aliada
ao não esgotamento dos recursos existentes no planeta. O conceito do
desenvolvimento sustentável mais difundido pode ser definido como aquele que
“satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações
futuras de suprir suas próprias necessidades”(United Nations, 1987).
Considerando que o crescimento da população depende acima de tudo do
funcionamento contínuo dos sistemas de suporte à vida do ambiente natural como
ar, água, e organismos vivos, então esse conceitos de crescimento e
desenvolvimento requer um modificador de sustentabilidade já que os parâmetros
relevantes de vida na Terra são tomados como finitos e nem todas as formas de
crescimento consideradas indefinidamente sustentáveis.
O planejamento urbano é muito importante não só para a qualidade de vida
atual, mas também, para o futuro de próximas gerações. Atualmente são poucos
serviços realizados em prol de produção de impactos positivos ou uma minimização
de impactos negativos no meio ambiente. Entre algumas, Podem-se citar: melhorias
nos transportes coletivos referente a gases poluentes, reciclagem de resíduos
sólidos urbanos, tratamento de esgoto sanitário e manutenção de áreas verdes.
O Conselho Internacional da Construção (CIB) intende que a construção civil
como o setor de atividades que mais contribuem com o consumo de recursos
naturais e utilização de energia de forma intensiva, gerando grandes impactos
negativos ao ambiente. Buscando um novo meio de construção, surge o conceito de
construção sustentável, sendo uma percepção de que o mundo possui recursos
finitos que não estão sendo utilizados de maneira adequada e que deve haver a
descontinuidade desse comportamento.
O consumo desnecessário de recursos naturais tem consequência rápida no
esgotamento de recursos e na geração de resíduos. No entanto outros impactos
podem ser identificados, como: emissão de gases poluentes e gasto de energia
durante a extração, transporte do recurso ou fabricação; contaminação da água por
lavagem de matéria prima por processos industriais; consumo de energia e água,
17

entre outros.A produção de cimento Portland, por exemplo, responde por cerca de
6% de todas as emissões antropogênicas2 de CO2 (JOHN, 2003).
A formação de áreas danificadas se inicia na extração de recursos naturais. A
retirada de matéria prima resultar na extinção das algumas fontes, alterações na
flora e fauna e entorno dos locais de exploração, aceleração do processo erosivo,
modificações dos cursos de rio, interceptação do lençol freático, aumento da
emissão de gases no ar, aumento de ruídos e vibrações no solo. Na figura 2, a área
degradada é um rio já assoreado, resultado da utilização na construção civil como
agregados naturais, a areia por exemplo.

Figura 2: Margem desmatada – com erosão causando assoreamento na área de


extração de areia.

Fonte: Inpe (2007, apud Vale Verde 2008)

O cimento tem grande importância e é muito utilizado pela sociedade, as


obras e construções, especialmente em grandes centros urbanos, fazem grande uso
do cimento como elemento de ligação, concretagem e elementos estruturais. A sua
matéria-prima, especialmente o calcário, é muito barata. Desta forma grandes e
pequenas obras realizadas no mundo utilizem o cimento, fato que está diretamente
relacionado à melhoria de qualidade de vida das populações.
A produção do cimento gera impactos no meio ambiente e na saúde humana,
em quase todas as suas fases de produção. Há impactos e danos à saúde desde a
extração de matéria-prima, que gera degradação no ambiente natural e também
próximo às fábricas, passando pela emissão de material particulado, causador de
muitos problemas à saúde humana. (Maury e Blumenschein, 2012).
18

As indústrias de cimentos são responsáveis por aproximadamente 3% das


emissões mundiais de gases de efeito estufa e por aproximadamente 5% das
emissões de CO2 (CSI, 2002). A Figura 3 mostra que a queima de combustíveis
fósseis contabiliza cerca e 54%, o desmatamento por queimadas 9% e outros
emissores de gases de efeito estufa 14,8%. Nas emissões específicas da indústria
do cimento, aproximadamente 50% referem-se ao processo produtivo, cerca de 5%
ao transporte, 5% ao uso da eletricidade e os outros 40% ao processo de
clinquerização (WBCSD, 2002).

Figura 3: Emissão de gases de efeito estufa – das industrias de cimentos.

Fonte: adaptado de WBCSD (2002)


19

1.1.2 O desenvolvimento e o Meio Ambiente

Pela história da humanidade, uma visão de progresso vem se confundindo


com uma crescente transformação da natureza. Nesse paradigma, os recursos
naturais são vistos como ilimitados. Resíduos gerados durante a produção e ao final
da vida útil dos produtos são depositados em aterros, caracterizando um modelo
linear de produção (CARNEIRO et al, 2001).
O chamado desenvolvimento sustentável vem da percepção sobre uma
ineficiência deste modelo de produção, sendo incapaz de manter a preservação do
meio ambiente, e a qualidade de vida do homem. O desenvolvimento das cidades
brasileiras cresce a demanda por novas residências ao mesmo tempo surge a
construção de novas indústrias, estradas e varias obras de infraestrutura, desta
forma mostra a importância do ramo da construção civil no crescimento do país e a
grande influência que as construções tem no meio ambiente.
Segundo Schenini, Bagnati e Cardoso (2004), A grande falha é a falta de uma
consciência ecológica na indústria da construção, assim resultando em grandes
danos ambientais, que foram agravados pelo processo de migração ocorrido século
passado, assim houve uma enorme demanda por novas habitações. Uma ação
visando a diminuição do impacto, tem que mudar a nossa cultura e maneira de agir.
No primeiro momento não é preciso investir em novas tecnologias nem mudar
algumas técnicas usadas no momento. Basta querer investir em mudança na cultura
dos colaboradores, gerando assim uma redução das perdas e da geração de
entulho. Embora uma ação barata e sem investimentos financeiros, essa simples
ação leva muito tempo para ser desenvolvida por todos envolvidos no processo. Não
tem uma fórmula especifica se tratando da redução dos impactos ambientais, assim
cada caso deve ser analisado e estudado separadamente.
20

2. SUSTENTABILIDADE E SEUS BENEFÍCIOS

Sustentabilidade trata-se de uma ação e atividade humana, com o intuito de


suprir as principais necessidades dos seres humanos, assim, não havendo nenhum
desgaste para as próximas gerações, pois ela esta ligada diretamente ao
desenvolvimento, econômico e material, desta forma, sem agredir o ambiente. Seus
Benefícios são pequenas ações feitas no dia a dia que garantem a médio e longo
prazo um desenvolvimento com ótimas condições para diversas formas de vida,
garantindo recursos naturais como (floresta, matas, rios, lagos e oceanos), para
manutenção destes para as futuras gerações.

2.1 Meio Ambiente

A economia de recursos naturais, é um dos principiais motivos que nos leva a


sustentabilidade nas construções, pois preservando esses recursos como (floresta,
matas, rios, lagos e oceanos) estamos preservando nosso futuro e o das próximas
gerações que depende da nossa responsabilidade hoje para que eles possam ter
uma vida saudável em nosso planeta.
Algumas medidas preventivas devem ser tomadas, como seu próprio nome
indica, devem se antecipar e impedir ou minorar a ocorrência dos fatores de
degradação. Duas razões principais tornam preferencial a aplicação dessas
medidas. A primeira pois sua implantação depende de custos financeiros menores,
desta forma, pressionar menos os caixas públicos e privados na disputa de recursos
que são sempre escassos para atender ao conjunto das demandas da sociedade. A
segunda é que as medidas preventivas serão mais eficazes se tomadas antes de
haver alguma ocorrência de degradação ambiental e de consequentes outros custos
de natureza econômico e social. Em contrapartida, sua aplicação depende de uma
sociedade estar suficientemente organizada para planejar, gerenciar e assegurar o
principal motivo dessas medidas, que é a distribuição das atividades humanas no
espaço e no tempo( planejamento territorial e de uso de solo) de maneira compatível
com padrões desejáveis de qualidade ambiental.
21

2.1.1 Usuários

O conforto ambiental mostra os princípios básicos a serem seguidos durante


a elaboração de projetos e na execução. Princípio de sustentabilidade ambiental,
todas as construções deveriam ser projetadas para um meio ambiente social e físico
específico, para um determinado clima e tempo.
Beraldo (2006), afirma que o clima e as estações do ano influenciam na
sensação de conforto térmico. Porém, apesar de possível o controle do clima interno
do edifício, o externo não pode ser controlado, devendo ser então minimizado
através da envolvente do edifício e da interação deste com o meio ambiente. Assim,
de acordo com Ribeiro (2007), uma das funções da arquitetura é oferecer ao homem
condições térmicas compatíveis ao conforto ambiental humano no interior dos
edifícios, independente das condições climáticas externas. Como pode ser visto nas
figuras abaixo alguns exemplos que podem garantir tal conforto:

Figura 4: Direcionamento do vendo – Ilustração.

Fonte: Dutra – Ilustração Sobre o Direcionamento do Vento (2004)


22

Figura 5: Telhado Verde – Exemplos de conforto Térmico.

Fonte: Internet – https://www.trendir.com

O conforto está relacionado à sensação de bem-estar e esse conforto nos


espaços internos vem da combinação de objetivos e de fatores ao usuário. Oliveira e
Ribas (1995), afirmam que a obtenção de conforto térmico se processa quando o
organismo perde para o ambiente calor produzido compatível com sua atividade,
sem recorrer a nenhum mecanismo de termo - regulação.
Para Grzybowski (2004), o calor cada vez mais intenso afeta o conforto e a
eficiência dos ocupantes de determinado ambiente. O calor excessivo provoca
efeitos sobre o indivíduo, deixando-o cansado, reduzindo sua atenção e aumentando
as tendências a incorrer em erros ou acidentes, além de poder causar as chamadas
doenças do calor.
23

2.1.2 Empreendedores

Para os empreendedores que estão desenvolvendo seus projetos, a


Construção sustentável, pode ser uma alternativa muito útil, no inicio da construção
e no acabamento da obra pode ter uma um gasto maior, mas será um investimento,
a longo prazo, por existir uma grande procura a também uma valorização ao valor de
mercado, pois este tipo de empreendimentos trás vários benefícios tanto para a
construção quanto para a população e meio ambiente, como por exemplo telhados
verdes, paredes verde com plantas, reduzindo o custo de manutenção em relação a
estética, também o aquecimento no interior do ambiente para seus usuários e para o
meio urbano. Como pode ser visto abaixo algumas ideias para a construção
sustentável:

Figura 6: Planejamento da uma obra de forma sustentável.

Fonte: Internet – http://revistapegn.globo.com


24

Figura 7: Aproveitamento de vários recursos naturais disponíveis


inesgotáveis (ventilação, luminosidade naturais).

Fonte: Internet – https://es.dreamstime.com

Figura 8: Gestão e estudo para economia de água.

Fonte: Internet – http://equipedeobra.pini.com.br


25

Figura 9: Gerenciamento correto de resíduos.

Fonte: Internet – http://www.reciclabr.com

Uma edificação sustentável começa antes do inicio das obras com escolhas
de alguns materiais bem menos agressivos ao ambiente, duráveis e também com o
mínimo de impacto até a conclusão da obra. Podemos considerar a utilização dos
materiais reciclados assim podendo ser classificados em dois tipos: pós-industrial, o
material reciclado vem de resíduos industriais e depois do consumo, sendo o caso
de tijolos, madeira e vários tipos de entulhos de demolições podendo ser
aproveitados em construções e também reciclados e transformados em alguns
materiais como por exemplo, o concreto feito das cinzas de chaminé.
Na escolha de materiais certos é extremamente necessário verificar as fontes
dos fornecedores para ter uma garantia que a procedência seja segura
ambientalmente, principalmente no uso de madeira.
Ainda em fase de inicio de obra, deve ser analisado o ciclo da vida dos
empreendimentos e dos materiais utilizados, estudo de impacto ambiental de uma
construção, o planejamento na gestão dos resíduos que são gerados e a melhor
forma de utilizar o material, assim a planta tem que ser planejada de maneira que
26

aproveite sempre o máximo de recursos naturais disponíveis, luminosidade natural e


ventilação dentro dos ambientes.
27

3. MATÉRIAIS SUSTENTÁVEIS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

O uso em excesso de recursos naturais, trás uma grande preocupação em


relação a sustentabilidade na construção civil. Neste cenário, a conscientização
sobre a importância do meio ambiente com equilíbrio, vem com pensamentos de um
amanhã melhor, e tem feito uma grande diferença em relação a motivação das
pessoas na criação de novas alternativas. Assim com muitas ofertas de matérias
sustentáveis, vários profissionais da construção tem investido muito em adotar esses
novos materiais verdes e ter uma gestão do começo ao fim de obra sustentável. A
seguir será apresentado algumas etapas de uma obra, com matérias mais
sustentáveis, tornando assim uma construção responsável ambientalmente.

3.1 Solo Cimento

O solo-cimento nada mais é que uma mistura da terra crua junto com cimento
e água. Muito utilizado em meios rurais por ter uma disponibilidade maior de matéria-
prima, pois a maior parte da mistura vem do chão. É cimento para argamassa ou
estrutura, é adequado para uso nos revestimentos de pisos e de paredes pela sua
elasticidade, usado para pavimentação, confecção de tijolos e também telhas sem
que tenha alguma queima previa. O solo cimento é um material homogêneo
resultante da mistura de solo com o cimento e a água, ideal para construções de
pequeno porte. O solo usado é composto por uma parte maior de areia e outra
menor de argila.
Existe alguns modelos de tijolos solo-cimento, por serem mais largos e por ter
furos maiores, possibilitam embutir neles as instalações elétricas e hidráulicas sem
ter corte de paredes, desta forma evitando entulho e menores gastos em alguns
aspectos, além de sua parte estrutural, como as colunas e vergas de concreto
armado, sem utilizar formas de madeira, pregos, arame, e todo o trabalho de
carpintaria necessário. Existe alguns pontos negativos, mas os pontos positivos
compensam em longo prazo.
28

Figura 10: Bloco Solo Cimento.

Fonte: Internet – https://ecodomusbrasil.wordpress.com

3.1.1 Madeiras Alternativas

A madeira é ótimo material e também um dos mais usados, utilizada sempre


em quase todas as obras e encontrada em varias cores, cheiros e durabilidades,
porém, todos sabem dos riscos da extração sem um limite estabelecido, mas poucos
levam isso a serio, assim não tomando as medidas ambientais. Varias espécies de
árvores e suas florestas foram destruídas para abastecimento do consumo humano
em toda a história da terra. Assim surge a preocupação na utilização de madeiras
alternativas (de reflorestamento e certificadas) de extrema importância quando
usadas na construção sustentável, aquelas madeiras que no momento da compra
podem provar a origem de onde foram retiradas como:

Reflorestamento - A madeira de reflorestamento vem de lugares que mantém


uma área de floresta original ou que são replantadas, através de maneiras
sustentáveis de produção. A atividade tem como base a preservação das matas ao
mesmo tempo em ela sustenta a extração.
29

Certificadas - As madeiras certificadas são as que conseguem comprovar a


origem de onde foram extraídas, pelo selos concedidos por órgãos competentes e
avaliadores. O mais conhecido é o selo verde do Forest Stewardship Council
(Conselho de Manejo Florestal) presente em vários países, abaixo uma foto do selo
FSC®.

Figura 11: O FSC®, ou Forest Stewardship Council (em português, Conselho


de Manejo Florestal) “Selo Verde”.

Fonte: Internet – http://blog.bvtreinamento.com

3.1.2 Concreto Reciclado

O concreto reciclável possui muitas fórmulas e vários tipos de combinações


possíveis. Alguns encontrados no mercado com escória de alto forno, material
refugado resultado na fabricação de cimento, alguns utilizam sobras de asfalto, e
também os recolhidos em demolições e entulhos. O uso do deste tipo de concreto
tem despertado uma consciência de reaproveitamento de muitos materiais que
antigamente eram descartados sem nenhum reaproveitamento, como restos de
telhas e tijolos, assim abrindo espaço para varias empresas que separam e
30

comercializam o que sobram nos canteiros de obras como pode ser visto na imagem
abaixo.

Figura 12: Entulho de Obra.

Fonte: Internet – http://www.pensamentoverde.com.br

A reciclagem de concreto é um processo para fazer a recuperação dos


entulhos de prédios ou casas (Construções em geral) destruídos. O concreto de
edifícios demolidos sempre foi depositado em aterros sanitários ou abandonado em
locais irregulares, mas novas técnicas na reciclagem do concreto na construção
civil para evitar o desperdício de material a ser reciclado. A reciclagem envolve o
esmagamento dos material antigo para agregar pequenas substâncias e despois
poder usar como cascalho ou como componente de um novo concreto fresco.
O processo de reciclagem de concreto começa com o esmagamento do
concreto antigo (entulho) em pedaços menores, este processo pode ser repetido
varias vezes até que um agregado de tamanho pequeno tenha sido obtido. O
agregado então vai passar por vários processos diferentes para a separação dos
agentes contaminantes. Ímãs são utilizados para remover alguns tipos de
vergalhões e até mesmo alguns metais. O agregado é composto de concreto
esmagado e também pode ser usado em uma variedade de aplicações.
31

O agregado obtido através da reciclagem do concreto pode ser utilizado em


varias outras aplicações. O produto se limpo e tendo uma boa aparência, pode ser
aproveitado então como material de paisagismo em jardins internos ou externos e
também pode ser usado em gaiolas de arame usado na criação de muros de
contenção.
As principais finalidades da reciclagem de concreto visa conseguir um
impacto positivo no ambiente e reduzir bastantes os custos associados a novas
construções. Impactos positivos no meio ambiente são alcançado através da
reciclagem de um material que por sua vez iria ocuparia um espaço em aterros,
assim economizando em gasto de energia para a trituração do concreto antigo que
iria ficar sem nenhum uso.
32

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Como ressaltado ao longo deste trabalho, o setor de construção é


responsável por uma grande parte considerável da degradação do ambiental, em
particular os impactos relativos ao volume de poluentes emitidos e grande consumo
de recursos naturais. Existem grande abrangência para tal adaptação, mas sua
aplicação é influenciada por um grande número de fatores, devido a uma variação
de custos se comparados aos sistemas convencionais já utilizados.
O fator da decisão, depende do proprietário da obra, em quais são seus
interesses (ambientais ou econômicos). Se o interesse for somente econômico, será
por um meio que reduzem gastos com energia e consumo de água, ou por material
de qualidade, mas com custo menor ao tradicional. Se o interesse for ligado a
questão da sustentabilidade, poderá ter escolhas como o pavimento intertravado,
tijolos ecológicos, os blocos de concreto a ecotelhado entre outros, esses materiais
não garantem a economia reduzida, pois exige um investimento maior, a longo
prazo, mas outros benefícios, como conforto térmico, permeabilidade, maior área
verde e melhor qualidade ambiental.
O setor da construção civil vem se adaptando a essa necessidade de projetar
um ambiente mais saudável, assim o objetivo é obter edificações cada vez mais
sustentáveis de acordo com as questões ambientais, assim analisando questões
simples como (Reuso, Reutilizar, Reciclar). Ainda falta da parte dos profissionais do
setor, propostas que substituam materiais e técnicas tradicionais por novas
tecnologias sustentáveis. E, por outro lado, buscar um desenvolvimento tecnológico
no intuito de alcançar uma edificação sustentável para atender as principais
necessidades dos seres humanos visando a preservação de recursos naturais
renováveis e de baixo custo.
Com o objetivo de aprofundar e dar continuidade a este trabalho sugere-se:

Realizar análise de custos, através de orçamento comparativo completo dos dois


sistemas: convencional e sustentável.

Analisar custo benefício e tempo de retorno, de um empreendimento comum e os


sustentáveis.
33

REFERÊNCIAS

BERALDO, J. C. Eficiência energética em edifício: avaliação de uma proposta


de regulamento de desempenho térmico para a arquitetura do estado de São
Paulo. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Universidade de São Paulo. São
Paulo, 2006.

JONH, V. M., et al., Agenda 21 for the Braszilian Constgruction Industr - a


proposal. In: CIB Symposium Cosntruction and Envirnonment Thery to
Practice. São Paulo: PUC USP/CIB, 2000.

MAURY, Maria Beatriz; BLUMENSCHEIN, Raquel Naves. Produção de cimento:


Impactos à saúde e ao meio ambiente. Sustentabilidade em Debate, Brasília, v.
3, n. 1. 2012. p. 75-96. Disponível em:
<http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/12110/1/ARTIGO_ProducaoCimentoImpac
to.pdf>. Acesso em 03 set, 2017

Importância da reutilização de materiais na construção civil. Disponível em


http://www.pensamentoverde.com.br/reciclagem/importancia-reutilizacao-
materiais-construcao-civil//>. Acesso em 09 out. 2017.

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis. Conselho


Nacional do Meio Ambiente. Resolução Nº 001, de 23 de janeiro de 1986. Rio de
Janeiro. 1986.
Disponívelem:<http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res86/res0186.html>.
Acesso em 05 set. 2017

ROMEIRO, A. R. Desenvolvimento sustentável: uma perspectiva


econômicoecológica. 2012. Disponível em:
<http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/10625>. Acesso em: 10 abril. 2017

SATTLER, Miguel. “Sustentabilidade: a construção fazendo a sua parte”.


Conselho em Revista – Matérias, n°33. Rio Grande do Sul, 2007

GRZYBOWSKY, G. T. Conforto térmico nas escolas públicas em Cuiabá – MT:


estudo de caso. Dissertação (Mestrado em física e meio ambiente) – Universidade
Federal de Mato Grosso. Cuiabá, 2004.

Reciclagem de Concreto na Construção


Disponível em:< http://www.manutencaoesuprimentos.com.br/conteudo/3864-
reciclagem-de-concreto-na-construcao//> . Acesso em 10 out. 2017.

OLIVEIRA, T. A. de; RIBAS, O. T. Sistemas de controle das condições


ambientais de conforto. Ministério da Saúde. Brasília, 1995.
34

Reciclab BR – Gerenciamento de Residuos


Disponívelem:< http://www.reciclabr.com/gerenciamento-de-residuos/>. Acesso em
07 out. 2017.

Recursos Naturais - Vento - energia solar casa


Disponível em:< https://es.dreamstime.com/stock-de-ilustraci%C3%B3n-viento-
hogar-de-energ%C3%ADa-solar-image49795001/>. Acesso em 07 out. 2017.

Sebrac Apresenta soluções sustentáveis para pequenas empresas.


Disponível em http://revistapegn.globo.com/Dia-a-dia/noticia/2015/07/serie-do-
sebrae-apresenta-solucoes-sustentaveis-para-pequenas-empresas.html/> . Acesso
em 07 out. 2017.