Вы находитесь на странице: 1из 9

Revistas e Livros Criar conta Entrar

Baixar Compartilhar Exportar

Journal of Acupuncture and Meridian Studies


Volume 8, Edição 5 , outubro de 2015 , páginas 255-258
acesso livre

Relato de caso clínico

Tratamento de acupuntura da dor lombar crônica usando o modelo


Jingjin (Meridian Sinews)
David Legge
Mostre mais

https://doi.org/10.1016/j.jams.2015.07.013 Obtenha direitos e conteúdo


Sob uma Creative Commons licença

Abstrato
Este relato de caso detalha o alívio inesperado e sustentado da dor lombar crônica em um paciente após
um único tratamento com acupuntura . O tratamento administrado nessa ocasião baseou-se no modelo
jingjin (ou seja, "tendão meridiano") da acupuntura tradicional. Os tratamentos baseados no modelo
jingjin envolvem a colocação de agulhas nos pontos ah shi (isto é, localmente sensíveis) no tecido
miofascial ao longo da via jingjin . Cadeias apertadas podem ser agulhadas para tratar sintomas que estão
próximos ou a alguma distância do local do tratamento com agulhas. Nesta paciente, os pontos estavam
no músculo gastrocnêmio e nos músculos isquiotibiais, que fazem parte do caminho da bexiga jingjin . A
paciente, uma mulher de 69 anos, tinha dores nas costas há mais de 40 anos. O alívio da dor ocorreu
dentro de um dia após o tratamento e, no momento deste relato, o alívio persistiu por 5 meses. Este
relatório examina dois possíveis mecanismos para tal resultado: (1) um aumento local na extensibilidade
dos isquiotibiais pode ser responsável ou (2) as interações complexas dentro do sistema nervoso central
que estão envolvidas no tratamento com acupuntura podem ser fatores mais importantes.

anterior Próximo

Palavras-chave
acupuntura; isquiotibiais; jingjin; lombalgia; merews sinews

1 . Introdução
A dor lombar é comum e cara [1] . Causa mais incapacidade global do que qualquer outra condição [2] .
Entre os muitos tratamentos conservadores para dor lombar, a acupuntura é uma das mais promissoras,
com o peso das evidências tendendo agora a apoiar sua eficácia, pelo menos a curto prazo [3] , [4] .

No âmbito da prática contemporânea de acupuntura, muitas estratégias potenciais podem ser usadas
para uma determinada apresentação de dor lombar [5] . É improvável que estas sejam igualmente
eficazes; no entanto, não existe consenso sobre qual abordagem funciona melhor. Este estudo de caso
apresenta um exemplo do modelo jingjin (ou seja, tendões do canal), fornecendo a base para um
tratamento superior para um paciente em particular.

2 . Relato de caso
Uma mulher de 69 anos estava recebendo tratamento intermitente na clínica do autor por dor lombar
crônica há 23 anos. Queixas ocasionais em outras áreas, como o ombro e os pés, exigiam tratamento
durante esse período; no entanto, sua dor lombar permaneceu a mais persistente e grave de seus
problemas.

A dor se espalhou pelos dois lados de sua região lombossacra e foi encaminhada para a nádega direita .
Era pior à direita e estava associada à dor toracolombar à direita e à eventual dor midorácica. Não houve
sinais ou sintomas neurológicos . A dor esteve presente na vigília , após a imobilidade e na flexão
prolongada do tronco. Ela classificou a intensidade de sua dor diária aos 7 anosna escala visual analógica
(EVA).

A dor teve um início agudo 40 anos antes, depois de ter carregado uma carga pesada. Ele estava presente
como dor crônica desde então, com episódios agudos ocasionais que duravam de alguns dias a várias
semanas. Esses episódios podem estar desativando e exigindo que ela tire uma folga do trabalho. A
intensidade da dor durante as exacerbações foi de 8–9 na EAV.

O exame revelou alguma restrição geral do movimento lombar e alguma rigidez nos isquiotibiais. O
tônus muscular do lado direito era excessivo - quase espasmódico - como se fosse causado por uma
lesão do neurônio motor superior .

A imagem de raios X mostrou uma vértebra de transição em S1. Houve um processo transversal livre de
S1 à direita e uma articulação de faceta direita assimétrica entre S1 e S2. No lado esquerdo, S1 estava
mais completamente fundido com S2 e havia um disco rudimentar entre S1 e S2.

O tratamento exato variou ao longo de suas visitas, mas um tratamento típico envolveu uma terapia
manual suave na região lombar e na pelve em combinação com a acupuntura . O tratamento com
acupuntura foi direcionado para suas articulações lombares baixas ( pontos huatuo jiaji em L5 / S1 e / ou
S1 / S2, Bl 25) + Bl 58, Bl 23 e ah shi (isto é, localmente sensível) apontam para a hipertonicidade
muscular nas regiões torácica lombar e baixa.

Esta abordagem de tratamento não eliminou sua dor, mas o paciente ficou feliz com a redução geral em
sua intensidade. Ela achava que o tratamento ocasional ajudava a melhorar sua capacidade funcional
diária e eliminara os graves surtos que ela costumava experimentar.

No final do ano passado (agosto de 2014), ela mencionou que os tendões da mão direita estavam
particularmente apertados. Decidi estruturar o tratamento em torno da abordagem jingjin empregando o
jingjin da Bexiga . Isso envolvia a inserção de várias agulhas nos pontos ah shi da parte superior da
panturrilha e dos isquiotibiais (isto é, lateral e medial, mas principalmente lateral). As agulhas foram
inseridas a profundidades de 1-1,5 cun de modo que a agulha penetrasse nas alterações do tecido
sensível identificadas à palpação . Este tratamento produziu alívio rápido do aperto dos isquiotibiais
(que era a intenção principal) e sua dor lombar. Dentro de 24 horas, a dor lombar diminuiu para um
nível mínimo.

Em várias visitas de retorno nos próximos meses, o alívio da dor lombar persistiu. Em sua última
consulta (5 meses após o tratamento baseado em jingjin ), a dor lombar tinha praticamente desaparecido
(sua EVA era 0-2), sua rigidez matinal era muito menor e o tônus muscular excessivo na parte inferior
das costas e coluna torácica baixa. foi notavelmente reduzida. O tratamento com jingjin não foi repetido
em nenhum tratamento subsequente.

Ela relatou que sentiu que sua necessidade de tratamento havia diminuído e que pretendia me ver com
uma frequência muito menor.

3 . Discussão
Na prática contemporânea de acupuntura , muitos modelos alternativos estão disponíveis para tratar
qualquer apresentação em particular. Esses modelos determinam a forma (por exemplo, seleção de
ponto, técnica de agulha) e a intenção (ou seja, o efeito desejado) do tratamento com acupuntura. O
sistema jingjin é um desses modelos.

Este relatório destaca o valor da mudança dos modelos usados para diagnóstico e tratamento quando é
aparente que as abordagens anteriores foram, na melhor das hipóteses, apenas parcialmente bem
sucedidas. Ele também detalha um exemplo de um resultado particularmente bem-sucedido de um
tratamento baseado no modelo jingjin da acupuntura.

Os jingjin têm sido traduzidos como “meridianos tendinomusculares” [6] , “canais de tendão” [7] , [8] ,
“canais musculares” [9] e “tendões meridianos” [10] . Eles foram mencionados pela primeira vez no
Neijing (Segundo Século EC) [11] e são apresentados em textos modernos, mas têm sido pouco utilizados
na prática clínica recente. Houve algum interesse recente no modelo jingjin na literatura chinesa [12] ,
[13] , [14] .

Os tratamentos de Jingjin visam o sistema muscular. Essencialmente envolvem a colocação de agulhas


nos pontos ah shi ao longo de cadeias ou caminhos de tecido miofascial. As agulhas são inseridas a uma
profundidade que é indicada pelas alterações teciduais detectadas pela palpação e pela necessidade de
proteger estruturas vulneráveis nas imediações.

Existem 12 jingjin , um associado a cada meridiano principal. As vias foram descritas no material
original de Neijing e desde então foram reexaminadas por este autor para esclarecer os tecidos
específicos associados a cada via. Em geral, os tecidos dentro de uma determinada via compartilham
muitas características estruturais, biomecânicas e neuromusculares.

O jingjin da bexiga foi usado neste paciente. Corre da fáscia plantar na sola do pé, através do tendão de
Aquiles , dos músculos da panturrilha, dos isquiotibiais, do ligamento sacrotuberoso , dos músculos
paraespinhais e occipito-frontal, e termina entre os olhos ( fig. 1 ). A parte do jingjin usada no tratamento
foi entre a parte superior da panturrilha e a origem dos isquiotibiais na tuberosidade isquiática .
Baixe imagem de alta resolução (655KB) Baixar imagem em tamanho real

Figura 1 . A bexiga jingjin .

O modelo jingjin fornece pelo menos dois benefícios clínicos substanciais. Em primeiro lugar, facilita o
tratamento bem sucedido da dor causada por pontos-gatilho miofasciais , que é a causa mais comum de
dor musculoesquelética . Em segundo lugar, incentiva a inserção de cadeias apertadas de tecido para
reduzir a tensão e aliviar a dor. Em termos biomecânicos simples, liberar uma corrente rígida reduz a
pressão sobre uma área sintomática que, na verdade, é um elo fraco.

Pontos de gatilho nos isquiotibiais não referem dor à região lombar [15] . Portanto, é o segundo
benefício que provavelmente proporcionou o alívio no paciente em discussão.
A associação entre dor lombar e aperto ou encurtamento dos isquiotibiais é bem reconhecida, mas
pouco compreendida [16] . Claramente, essa rigidez pode ser uma consequência da dor lombar crônica
[17] , [18] , [19] , [20] , [21] , [22] ou como resposta secundária à irritação da raiz do nervo ciático [16] ou
outros mecanismos de proteção reflexa .

A possibilidade de que o encurtamento dos isquiotibiais possa ser uma causa de dor nas costas foi
investigada em adolescentes [23] , [24] , [25] , mas não forneceu uma resposta clara.

Os isquiotibiais apertados ou curtos restringem a flexão do tronco. Eles fazem isso restringindo a
rotação pélvica para a frente através de sua fixação na tuberosidade isquiática e exercendo pressão sobre
o sacro através do ligamento sacrotuberoso. As fibras superficiais do implante do bíceps femoral são
contínuas com as do ligamento sacrotuberoso [26] , razão pela qual este ligamento é incluído como parte
da bexiga jingjin .

A história natural da dor lombar crônica envolve uma recuperação gradual (40-70% ao ano). As
evidências mostram que a eficácia do tratamento tende a ser menor [27] . Portanto, é seguro dizer que
uma melhora súbita e dramática em um paciente com dor lombar crônica é fora do comum e merece
exame.

Como o tratamento administrado a esse paciente em particular resultou em uma melhora tão dramática
na dor lombar de longa data? O paciente estava familiarizado com todos os aspectos da experiência do
tratamento e não tinha motivos para esperar um resultado diferente do habitual e não estava passando
por mudanças significativas na vida; portanto, não há nada que sugira que um efeito do tipo placebo
tenha sido responsável pelo alívio.

Existem duas possibilidades que valem a pena considerar. Primeiro, é possível que o tratamento com
jingjin simplesmente tenha melhorado a extensibilidade dos isquiotibiais através de efeitos reflexos
locais e simples. Esta ação então reduziu suficientemente a pressão sobre os tecidos da região lombar
para eliminar a dor. Isso implicaria que a dor que ela estava experimentando era um simples caso de
nocicepção decorrente de tensão mecânica. Mesmo que a natureza complexa da dor crônica seja
ignorada, sua falta de uma resposta substancial à terapia manual anteriore o tratamento com acupuntura
sugere que essa não é a circunstância. No entanto, se o agulhamento produzir um relaxamento e uma
extensibilidade mais substanciais dos isquiotibiais do que o alongamento repetitivo, talvez tais efeitos
profundos na região lombar sejam possíveis. Vale a pena considerar os possíveis efeitos sobre a vértebra
de transição em S1 / S2 neste contexto. Uma redução na tensão na cadeia miofascial que passa pelos
isquiotibiais (especialmente o bíceps femoral) e o ligamento sacrotuberoso teria uma influência direta
sobre as forças que atuam nesse segmento, que pode muito bem ser o elo fraco.

A segunda possibilidade é que os benefícios do tratamento com acupuntura usando o modelo jingjin se
estendam além das respostas locais e biomecânicas simples. Os efeitos do agulhamento são difundidos
[28] , [29] e a resposta terapêutica geral pode ser devido à combinação de diferentes mecanismos. Estes
podem incluir efeitos mecânicos locais, atividade reflexa segmentar simples, alterações nos neurônios
do corno dorsal, alterações simpáticas reflexas e alterações na função de uma ampla gama de centros no
cérebro.

Os tecidos associados a uma via particular da jingjin , como a jingjin da Bexiga, têm uma relação
estrutural, biomecânica e neurológica, que provavelmente se reflete no sistema nervoso central . Para
produzir as alterações, a estimulação aferente do agulhamento dos isquiotibiais poderia interagir com as
vias envolvidas na nocicepção crônica e dor vivenciadas por esse paciente.
Este estudo de caso apoia vários cursos de ação: (1) um acupunturista deve sempre modificar as técnicas
usadas se os resultados forem menos que satisfatórios; (2) o modelo jingjin / meridian sinews deve ser
mais explorado; e (3) os isquiotibiais valem a pena em pacientes com lombalgia. Pesquisas futuras devem
decidir se o agulhamento proporciona melhoras na extensibilidade e no comprimento dos isquiotibiais
em comparação com o alongamento.

Declaração de Divulgação
O autor não tem interesses financeiros nem conflitos de interesse a declarar em relação ao material do
manuscrito.

Artigos recomendados Citando artigos (1)

Referências
[1] R. Buchbinder , F. Blyth , L. março , P. Brooks , A. Woolf , D. Hoy
Colocando a carga global da dor lombar no contexto
Melhor Pract Res Clin Rheumatol , 27 ( 2013 ) , pp. 575 - 589
Artigo Download PDF Ver Record in Scopus Google Scholar

[2] D. Hoy , L. March , P. Brooks , F. Blyth , A. Woolf , C. Bain , et al.


A carga global de dor lombar: estimativas do estudo Global Burden of disease 2010
Ann Rheum Dis , 73 ( 2014 ) , pp. 968 - 974
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[3] M. Lam , R. Galvin , P. Curry


Eficácia da acupuntura para dor lombar crônica inespecífica: uma revisão sistemática e meta-
análise
Coluna , 38 ( 2013 ) , pp. 2124 - 2138
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[4] QL Yuan , TM Guo , L. Liu , F. Sun , YG Zhang


Medicina tradicional chinesa para dor no pescoço e lombalgia: uma revisão sistemática e meta-
análise
PLoS One , 10 ( 2015 ) , p. e0117146
CrossRef Google Acadêmico

[5] D. Kalauokalani , KJ Sherman , DC Cherkin


Acupuntura para
lombalgia
crônica: padrões de diagnóstico e tratamento em acupunturistas avaliando o mesmo paciente
South Med J , 94 ( 2001 ) , pp. 486 - 492
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[6] L. Van Germeesch ,


Síndromes de
P. Sun
Bi
SATAS , Bruxelas, Bélgica ( 1994 ) , p. 123
Visualizar registro no Scopus Google Scholar

[7] QC Wang
Canais Secundários e Colaterais
Editora Médica do Povo , Pequim, China ( 2006 ) , p. 349
Artigo Download PDF Ver Record in Scopus Google Scholar

[8] P. Deadman , M. Al-Khafaji


Um Manual de Acupuntura
Revista de Publicações de Medicina Chinesa , Hove ( 1998 ) , p. 26
Google Scholar

[9] Faculdade de Xangai da Medicina Tradicional Chinesa


As Fundações Teóricas da Medicina Chinesa
Eastland Press , Chicago, IL ( 1981 ) , p. 90
Google Scholar

[10] Região do Pacífico Ocidental da


OMS Terminologias Padrão Internacional da OMS sobre Medicina Tradicional na Região do
Pacífico Ocidental, Manila, Filipinas
Organização Mundial da Saúde (OMS) , Genebra ( 2007 ) , p. 34
Google Scholar

[11] YM Chen , Y. Zhao , XL Xue , QC Zhang , Wu XY , H. Li , et al.


Características de distribuição da síndrome do nervo meridiano ( jingjin) em 313 casos de
distúrbios associados à formação de chicote
Chin J Integr Med , 21 ( 2015 ) , pp. 234. ° - 240
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[12] N. Liu
Jingjin e weiqi
Zhongguo Zhen Jiu , 35 ( 2015 ) , p. 185 - 188
[Em chinês]
Visualizar registro no Scopus Google Scholar

[13] ZS Shen
Reconhecimento da teoria do jinglin no “Clássico Interno”
Zhongguo Zhen Jiu , 26 ( 2006 ) , pp. 639 - 640
[Em chinês]
Visualizar registro no Scopus Google Scholar

[14] G. Maciocia
Os Canais de Acupuntura
Elsevier , Philadelphia, PA ( 2006 ) , p. 285
Google Scholar

[15] JG Travell ,
Dor e Disfunção Miofascial
DG Simons
: O Manual do Ponto de Disparo
vol. 2 , Lippincott, Williams e Wilkins , Philadelphia, USA ( 1993 ) , p. 317
Visualizar registro no Scopus Google Scholar

[16] R. Rebain , GD Baxter , S. McDonough


Uma revisão sistemática do teste de elevação da perna reta passiva como um auxílio diagnóstico
para dor lombar
Spine , 27 ( 2002 ) , pp. 388 - 395
Google Scholar

[17] A. Radwan , KA Bigney , HN Buonomo , MW Jarmak , Moats de SM , JK Ross , e outros.


Avaliação da diferença intra-sujeito na flexibilidade dos isquiotibiais em pacientes com
lombalgia: um estudo exploratório
J Back Musculoskelet Rehabil ( 2014 )
[Epub ahead of print]
Google Scholar

[18] S. Pirouzi , J. Couros , C. Richardson , R. Darnell , R. Toppenberg


lombar pacientes com dor demonstram um aumento da actividade do músculo extensor da anca
durante os esforços de rotação submáximas padronizados
Spine , 31 ( 2006 ) , pp. E999 - E1005
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[19] F. Biering-Sorensen
Medições físicas como indicadores de risco para problemas lombares durante um período de um
ano
Spine , 9 ( 1984 ) , pp. 106 - 119
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[20] G. Hultman , H. Saraste , H. Ohlsen


Antropometria, largura do canal vertebral e flexibilidade dos músculos da coluna e isquiotibiais
em homens de 45 a 55 anos com e sem dor lombar
J Spinal Disord , 5 ( 1992 ) , pp. 245 - 253
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[21] J. Hirayama , M. Yamagata , K. Takahashi , H. Moriya


Efeito da estimulação elétrica nociva do nervo peroneal na atividade reflexa de estiramento do
músculo isquiotibial em ratos: possíveis implicações de mecanismos neuronais no
desenvolvimento de isquiotibiais apertados na hérnia de disco lombar
Spine , 30 ( 2005 ) , p. 1014 - 1018
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[22] JP Halbertsma , LN Goeken , AL Hof , JW Groothoff , WH Eisma


Extensibilidade e rigidez dos isquiotibiais em pacientes com lombalgia inespecífica
Arch Phys Med Rehabil , 82 ( 2001 ) , pp. 232 - 238
Artigo Download PDF Ver Record in Scopus Google Scholar

[23] JW Fisk , ML Baigent


Isquemia de Isquiotibiais e Doença de Scheuermann: um estudo piloto
Am J Phys Med , 60 ( 1981 ) , pp. 122 - 125
Visualizar registro no Scopus Google Scholar
[24] DE Feldman , I. Shrier , M. Rossignol , L. Abenhaim
Fatores de risco para o desenvolvimento de dor lombar na adolescência
Am J Epidemiol , 154 ( 2001 ) , pp. 30 - 36
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[25] AN Sjolie
Dor lombar em adolescentes está associada a baixa mobilidade do quadril e alto índice de massa
corporal
Scand J Med Sci Sports , 14 ( 2004 ) , pp. 168 - 175
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[26] JP van Wingerden , A. Vleeming , CJ Snijders , R. Stoeckart


Uma abordagem funcional-anatômica do mecanismo espinha-pelve: interação entre o músculo
bíceps femoral e o ligamento sacrotuberoso
Eur Spine J , 2 ( 1993 ) , pp. 140 - 144
CrossRef View Record no Scopus Google Acadêmico

[27] JM Menke
Do terapias manuais ajudam a dor lombar?
Spine , 39 ( 2014 ) , pp. 463 - 472
Google Scholar

[28] B. Cagnie , V. Dewitte , T. Barbe , F. Timmermans , N. Delrue , M. Meeus .


Efeitos fisiológicos do agulhamento seco
Curr Pain Headache Rep , 17 ( 2013 ) , p. 348
Google Scholar

[29] LW Chou , MJ Kao , JG Lin


Prováveis mecanismos de terapia com agulhas para controle da dor miofascial
Evid Based Complement Alternat Med , 2012 ( 2012 ) , p. 705327
Google Scholar

Copyright © 2015 Publicado por Elsevier BV

Sobre o ScienceDirect Acesso remoto Carrinho de compras Contato e suporte Termos e condições
Política de privacidade

Usamos cookies para ajudar a fornecer e aprimorar nossos serviços e personalizar conteúdo e anúncios. Ao
continuar, você concorda com o uso de cookies .
Copyright © 2019 Elsevier BV ou seus licenciadores ou colaboradores. ScienceDirect ® é uma marca
registrada da Elsevier BV