You are on page 1of 3

MINICRUSO 1

História, técnica e novas mídias:


Perspectivas teóricas entre a história e as tecnologias digitais

Pedro Telles da Silveira


pedrotellesdasilveira@gmail.com

Nos últimos anos, a história digital tem ganhado espaço na discussão historiográfica, em
grande medida devido ao reconhecimento do papel que as novas tecnologias
desempenham no mundo contemporâneo. Trata-se de um campo novo da prática e
reflexão históricas, cujo desenvolvimento é registrado desde a década de 1990 em
alguns países, como Estados Unidos e Itália, e, em período mais recente, tem
encontrado certa difusão no Brasil. Em muitos desses contextos, tais como o brasileiro e
o estadunidense, mas pode-se acrescentar também o europeu, com exceção do italiano, a
história digital é um desdobramento da história pública, por sua vez oriunda da história
oral. Por isso, ela é compreendida sob o viés da diversificação do registro histórico e
ampliação do público interessado em história, além das novas relações possíveis entre
historiadores e historiadoras e o público mais amplo. Infelizmente, também devido a
isso, as tecnologias digitais são muitas vezes reduzidas à categoria de ferramentas,
meros instrumentos que permitem ou realizar a pesquisa mais rapidamente ou auxiliar
na difusão do conhecimento histórico, sem o estabelecimento de um diálogo teórico
mais aprofundado para além das utilizações práticas que elas possibilitam.

Tendo isso em vista, o objetivo do mini-curso é apresentar alguns desdobramentos


teóricos do contato entre a historiografia e as tecnologias digitais. Pode-se mencionar,
entre esses desdobramentos, o questionamento de uma narrativa que justifica a história
digital pelo progresso tecnológico, argumentando a favor de um entendimento mais
amplo da relação da historiografia com a técnica e os desafios implícitos a essa relação;
além disso, é possível citar o impacto que as tecnologias digitais trazem para noções
caras à teoria da história, como o vestígio e a fonte história, a narrativa, a ação e o
tempo.

O mini-curso pretende discutir essas questões ao longo de duas aulas, de 90 minutos


cada mais 30 minutos para discussão. Os temas abordados serão divididos da seguinte
forma:
Aula 1: O que é digital na história digital?

- A relação entre a história digital e as narrativas do avanço tecnológico;


- Por um aprofundamento da relação entre história e técnica;
- Os conceitos de digital e pós-digital.

Aula 2: Problemas e perspectivas teóricas digitais: um panorama

- Dos vestígios à inscrição digital;


- Das fontes históricas às fontes históricas digitais;
- Da representação à mediação;
- Do tempo da ação social à microtemporalidade dos aparelhos técnicos.

Como se percebe pela amplitude dos temas, o objetivo do mini-curso não é esgotar os
problemas mencionados acima, mas explorar, junto com o público interessado, um
caminho alternativo à relação entre conhecimento histórico e novas tecnologias que não
seja somente o da história digital enquanto campo de atuação. O que as tecnologias
digitais têm a contribuir com a teoria da história?

Bibliografia:

ALMEIDA, Fábio Chang de. “O historiador e as fontes digitais: uma visão acerca da
internet como fonte primária para pesquisas históricas”, in Aedos, Porto Alegre, nº 8,
vol. 3, jan.-jun. 2011, pp. 10-30.

FLÓREZ, Jairo Antonio Melo. “Historia digital: la memoria en el archivo infinito”, in


Historia Critica, Bogotá, nº 43, enero-abril 2011, pp. 82-103;

FLUSSER, Vilém. Filosofia da Caixa Preta. Ensaios para uma futura filosofia da
fotografia. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

_____. O universo das imagens técnicas. Elogio da superficialidade. São Paulo:


Annablume, 2008.

HEIDEGGER, Martin. “A questão da técnica”, in Ensaios e conferencias. Petrópolis:


Vozes, 1998, pp. 11-38.

LUCCHESI, Anita. “Conversas na antessala da academia: o presente, a oralidade e a


história pública digital”, in História Oral, vol. 17, nº 1, jan./jun. 2014, pp. 39-69.
_____. Digital History e Storiografia digitale: estudo comparado sobre a escrita da
história no tempo presente (2001-2011). Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação
em História Comparada/UFRJ, 2014, dissertação de mestrado.

MANOVICH, Lev. The Language of New Media. Cambridge, Mass.: The MIT Press,
2001.

PONS, Anaclet. “Guardar como: la historia y las fuentes digitales”, in Historia Critica,
Bogotá, nº 43, enero-abril 2011, pp. 38-61.

SILVEIRA, Pedro Telles da. “As fontes digitais no universo das imagens técnicas:
crítica documental, novas mídias e o estatuto das fontes históricas digitais”, in Antíteses,
vol. 9, nº 17, jan./jun. 2016, pp. 270-296.

VITALI, Stefano. Pasato digitale. Le fonti dello storico nell’era del computer. Milano:
Bruno Mondadori, 2004.