You are on page 1of 6

ESTÁCIO CAMPO GRANDE-CAMPUS TV MORENA

Física Experimental II – Prof.ª Luciane M de Barros

Empuxo

André Ferreira de Almeida

Elismar Lobato

Raphael Renan de Paula

Rodrigo Roberto de Santana

Vinícius Xavier

06/10/2015
ESTÁCIO CAMPO GRANDE-CAMPUS TV MORENA
Física Experimental II – Prof.ª Luciane M de Barros

1. INTRODUÇÃO
A pratica realizada no laboratório mostrou conceitos do Teorema de
Arquimedes, relacionado ao empuxo. Quando um corpo está total ou
parcialmente submerso em um fluido uma força de empuxo 𝐹⃗𝐸 exercida pelo
fluido age sobre o corpo. A força é dirigida para cima e tem um módulo igual ao
peso 𝑚𝑓 𝑔 do fluido deslocado pelo corpo. De acordo com o principio de
Arquimedes o módulo da força de empuxo é dado por

𝐹𝑒 = 𝑚𝑓 𝑔

Onde 𝑚𝑓 𝑔 é a massa do fluido deslocado pelo corpo.

Peso aparente em um fluido: o peso aparente de um corpo está relacionado ao


peso real e à força de empuxo através da equação.

(peso aparente) = (peso real) – (módulo da força empuxo),

Que pode ser escrita na forma.

𝑝𝑒𝑠𝑜𝑎𝑝 = peso - 𝐹𝑒

O módulo da força empuxo a que está sujeito a um corpo que flutua é igual ao
peso do corpo. A equação nos diz, portanto, que um corpo que flutua tem um
peso aparente igual a zero; o corpo produziria um leitura zero ao ser pesado em
uma balança.

2. OBJETIVO
Verificar a presença do empuxo em função da aparente diminuição da força peso
de um corpo submerso num líquido; verificar, experimentalmente a dependência
do empuxo em função do volume do líquido deslocado e a densidade do líquido.

3. MATERIAL UTILIZADO:
1-Um cilindro de acrilico
2-Um suporte cilindrico
3-Uma becker
4-Agua Mineral
4. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL:
Primeiramente colocou-se aproximadamente 275 ml de água dentro do Becker.
Posteriormente encaixou-se o dinamômetro no conjunto Arete, em seguida
pendurou-se o suporte cilíndrico no dinamômetro para medir seu peso. Depois
mediu-se o peso do cilindro de acrílico da mesma forma. Feito isso, montou-se o
sistema dinamômetro, suporte cilíndrico, cilindro de acrílico e Becker com água;
nesta ordem. Nesse sentido, emergiu-se o cilindro de acrílico dentro do Becker
com água, de modo que o mesmo não tocasse o fundo, e nem as extremidades do
Becker. Verificou-se uma nova medida no peso total do sistema. Finalizamos o
experimento colocando água dentro do suporte cilíndrico, equivalente ao mesmo
volume do cilindro de acrílico, com o intuito de “devolver” o peso real do
cilindro de acrílico.

R = raio da base do cilindro


H= altura do cilindro
Volumecilindro = π.r².h
Volumecilindro = π.(1,4.10−2 m)².7,23.10−2m
Volumecilindro = 14,1708.10−6 π m³

Materiais Medições/Unidades
Peso do suporte cilíndrico 0,20 N
Peso do cilindro de acrílico 0,58 N
Base do cilindro de acrílico 2,80 cm
Altura do cilindro de acrílico 7,23 cm
Peso do cilindro de acrílico na água 0,18 N
Volume cilindro de acrílico 14,1708.10−6 π m³

5. RESULTADOS EXPERIMENTAIS E DISCUSSÃO


O experimento procedeu-se determinando com o dinamômetro o peso aparente do
corpo imerso parcial ou totalmente no líquido, sendo este água e álcool.
Primeiramente ajustou-se o dinamômetro no zero e usando a garra prendeu-se a
carcaça cilíndrica do dinamômetro á haste. Com o cilindro de nylon pendurado na
parte inferior do dinamômetro anotou-se o valor do peso real, depois de despejar
700 mL de água (Parte I) ou álcool (Parte II), colocou-se o sistema dinamômetro-
cilindro dentro da proveta soltou-se a garra e devagar desceu o sistema,
mergulhando parcialmente o cilindro até que o nível da água atinja o nível desejado
(10 mm, 20 mm,...). Sendo assim anotou-se em cada medida o peso aparente
revelado no dinamômetro e o novo volume do líquido na proveta.
Ainda determinou-se o volume do líquido deslocado pelo cilindro parcialmente
mergulhado observando a variação do volume lido na proveta. Já o empuxo foi
calculado em cada escala do cilindro através da Equação 12. Os valores
encontrados foram relatados nas Tabelas 1 e 2.
A partir das medidas experimentais feitas ao longo da prática, obtiveram-se os
valores apresentados na Tabela 1, os dados referentes as 10 medidas de peso
aparente, volume final da proveta, o empuxo da água e o volume deslocado.

Tabela 1 – Peso aparente do cilindro, empuxo da água e volume deslocado pelo


cilindro de nylon.
Peso aparente
Escala no
médio do Volume final na Empuxo do fluido Volume deslocado
cilindro
cilindro proveta (mL) (N) (mL)
(mm)
(N)
0±1 1,58±0,01 700±5 0±0,02 0±10
10±1 1,46±0,01 720±5 0,12±0,02 20±10
20±1 1,32±0,01 730±5 0,26±0,02 30±10
30±1 1,21±0,01 740±5 0,37±0,02 40±10
40±1 1,08±0,01 750±5 0,50±0,02 50±10
50±1 0,96±0,01 770±5 0,62±0,02 70±10
60±1 0,84±0,01 780±5 0,74±0,02 80±10
70±1 0,70±0,01 790±5 0,88±0,02 90±10
80±1 0,58±0,01 810±5 1,00±0,02 110±10
90±1 0,46±0,01 820±5 1,12±0,02 120±10
100±1 0,32±0,01 830±5 1,26±0,02 130±10

1,6

1,4

1,2
Peso Aparente (N)

1,0

0,8

0,6

0,4

0,2

0,0
0 20 40 60 80 100
h submergida(mm)

A esse gráfico ajustou-se uma reta do tipo 𝒚 = 𝒂 − 𝒃𝒉, onde, tem-se que:
𝒂 = 𝑷𝒓𝒆𝒂𝒍
𝒃 = 𝝆𝒇 𝑨𝒈
Assim:

𝒃
𝝆𝒇 = 𝑨𝒈 Eq. 15

Da reta ajustada, temos que:

𝒂 = (𝟏, 𝟓𝟖𝟐 ± 𝟎, 𝟎𝟎𝟒)𝑵


𝒃 = (𝟎, 𝟎𝟏𝟐𝟓𝟑 ± 𝟎, 𝟎𝟎𝟎𝟎𝟔)𝑵/𝒎𝒎𝟏

Calcula-se então o valor da densidade da água a partir da Equação 15, bem como o
erro associado através da Equação 24 (anexo A), considerado a gravidade em
Toledo, Paraná, de 9,81 m/s2 temos:

ρ (água) = 1016,42 x 10-6 ± 0,08 x 10-6kg/mm³


Ou ainda:
ρ (água) = 1016,42 ± 0,08 kg/m³

Analisa-se também o gráfico do peso aparente contra o volume de água


deslocado pelo cilindro (Gráfico 2):

1,5
Peso Aparente(N)

1,0

0,5

0,0
0 20 40 60 80 100 120 140
3
Vol. de agua deslocado(cm )
A esse gráfico ajustou-se uma reta do tipo 𝒚 = 𝒄 − 𝒅∆𝒗, onde, tem-se que:

𝒄 = 𝑷𝒓𝒆𝒂𝒍
𝒅 = 𝝆𝒇 𝒈
Assim:

𝒅
𝝆𝒇 = 𝒈 Eq. 16

Da reta ajustada, temos que:

𝒄 = (𝟏, 𝟔𝟏 ± 𝟎, 𝟎𝟐)𝑵
𝒅 = (𝟎, 𝟎𝟎𝟗𝟕 ± 𝟎, 𝟎𝟎𝟎𝟐)𝑵/𝒄𝒎𝟑

Calcula-se então o valor da densidade da água a partir da Equação 16, bem como o
erro associado através da Equação 25 (anexo A), considerado a gravidade em
Toledo, Paraná, de 9,81 ms-2 temos:

ρ (água) = 9,9 x 10-4 ± 0,2 x 10-4kg/cm³


Ou ainda:
ρ (água) = 9,9 x 102, ± 0,2 x 102 kg/m³

6. CONCLUSÃO
De acordo com os dados coletados e com os cálculos, pode-se afirmar que o teorema
de Arquimedes é bastante eficaz, que o empuxo é igual ao peso do volume deslocado
pelo corpo, e que o somatório de forças (força resultante) em um corpo, depende do
meio que este está contido, seja num fluido ou não.

7. BIBLIOGRAFIA
Fundamentos de Física – Volume 2 – 8ª Edição - Halliday, Resnick – Editora LTC