You are on page 1of 80

Projetos de Prevenção

Encontro Sobre Prevenção Escolar Ao Uso de Drogas:


mosta de ações preventivas na escola

Projetos de Prevenção

Universidade Federal de Santa Catarina


Florianópolis, SC.
Catalogação na fonte pela Biblioteca Universitária
da
Universidade Federal de Santa Catarina

U58p Universidade Federal de Santa Catarina. Núcleo


Multiprojetos de Tecnologia Educacional.
Projetos de prevenção apresentados no Encontro Sobre
Prevenção ao Uso de Drogas [recurso eletrônico] : mostra
de ações preventivas na escola/ Núcleo Multiprojetos de
Tecnologia Educacional ; organizadoras, Fernanda Pereira
Labiak, Milene Peixer Loio. – 1. ed. – Dados
eletrônicos. - Florianópolis : NUTE/UFSC, 2015.
80 p. : fots.

ISBN:978-85-67994-04-8

1. Drogas – prevenção. 2. Promoção da saúde. 3.


Educação a distância I. Labiak, Fernanda Pereira. II.
Loio, Milene Peixer. III. Título.

CDU: 364.272
SUMÁRIO

PREFÁCIO 7

Porto Alegre/RS 10

ACOLHER E FORTALECER: AÇÕES PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE 11

INTEGRANDO VIDAS 12

PREVENÇÃO: SINÔNIMO DE CUIDADO E ATENÇÃO 13

BUSCANDO PARCERIAS PARA PREVENIR O USO


DE DROGAS EM NOSSA COMUNIDADE 15

REDE DE PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS 16

ESCOLA: A EDUCAÇÃO QUE ABRE PORTAS PARA


O FUTURO E PREVINE CONTRA AS DROGAS 17

PREVENÇÃO É A SOLUÇÃO 18

EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA ESCOLA 19

QUEM SE AMA SE CUIDA! 20

EDUCAÇÃO PREVENTIVA: NÃO ÀS DROGAS, SIM À VIDA 22

SIM A VIDA NÃO AS DROGAS 24

Curitiba/PR 26

O PROTAGONISMO JUVENIL COMO PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS 27

A IMPORTÂNCIA DAS REDES NA PREVENÇÃO ÀS DROGAS 29

PREVENÇÃO É AÇÃO 31

A SEMENTE PARA O AMANHÃ 32

DIGA SIM À VIDA 34


CONECTADOS COM A PREVENÇÃO 36

PEQUENOS DETALHES QUE FAZEM A DIFERENÇA 38

PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS 40

CONHECIMENTO E PREVENÇÃO 42

FORTALECENDO A PARCERIA ENTRE FAMÍLIA E ESCOLA 44

ABUSO DE DROGAS? PREVENIR É O CAMINHO 46

FORMANDO CIDADÃOS CONSCIENTES 48

PROJETO EDUCAÇÃO E SAÚDE: EDUCAÇÃO COMO MEDIADORA


NA PREVENÇÃO CONTRA O USO DE DROGAS 50

DROGAS: CRIANDO POSSIBILIDADES DE CONSCIENTIZAÇÃO E PREVENÇÃO 52

A ARTICULAÇÃO DE POLÍTICAS E SEGMENTOS DA ESCOLA


NA PREVENÇÃO DO USO DE DROGAS NUMA PERSPECTIVA
INTERDISCIPLINAR E INTEGRADA 54

AS DROGAS E O ADOLESCENTE EM CONFLITO COM A LEI 56

PROMOÇÃO DE SAÚDE INTEGRAL: VALORIZAÇÃO DE PARCERIA


COM A REDE INTERNA E EXTERNA 57

A IMPORTÂNCIA DA AUTORIDADE NA FAMÍLIA E NA ESCOLA 59

PROJETO ESPAÇO PAZ: A ESCOLA COMO


ESPAÇO DE INTEGRAÇÃO E PREVENÇÃO DO USO DE DROGAS 61

ANTES PREVENIR DO QUE REMEDIAR: UMA LUTA CONTRA AS DROGAS 63

PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS NA ESCOLA CYRO MARTINS 64

PREVENÇÃO DE DROGAS NA ESCOLA


MUNICIPAL PROFESSORA JOVITA KAISER 66

PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS: UM DESAFIO CONTEMPORÂNEO 68

DROGAS: CAMINHOS PARA A PREVENÇÃO 70


Florianópolis/SC 72

FAZENDO A DIFERENÇA 73
Florianópolis/SC 72
PROJETO DE PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS E PROMOÇÃO DA
FAZENDO
SAÚDE NAAESCOLA
DIFERENÇA
MUNICIPAL PROfº SYLVIO SNIECIKOVSKI 73
74

PROJETO
FORMAÇÃODEDOCENTE
PREVENÇÃO AO USO DE AO
E PREVENÇÃO DROGAS
USO E PROMOÇÃO DA
SAÚDE NA ESCOLA
DE DROGAS MUNICIPAL
EM CURSOS PROfº SYLVIO SNIECIKOVSKI
TÉCNICOS 74
75

FORMAÇÃO DOCENTE
EDUCAR PARA A PAZ E PREVENÇÃO AO USO 76
DE DROGAS EM CURSOS TÉCNICOS 75
IMPORTÂNCIA DA ESCOLA, FAMÍLIA E COMUNIDADE
EDUCAR PARA A DO
NA PREVENÇÃO PAZUSO DE DROGAS 76
77

IMPORTÂNCIA DA ESCOLA,
CONCEPÇÃO SOBRE FAMÍLIA E COMUNIDADE
PROMOÇÃO/EDUCAÇÃO EM SAÚDE 78
NA PREVENÇÃO
EQUIPE DO USO DE DROGAS
MULTIDISCIPLINAR: 77
Florianópolis/SC
EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO 72
CONFIGURAÇÕES, ESTRUTURA E DESAFIOS 79
FAZENDO A DIFERENÇA 73
EQUIPE MULTIDISCIPLINAR: 80
CONFIGURAÇÕES, ESTRUTURA E DESAFIOS
PROJETO DE PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS E PROMOÇÃO DA
79
SAÚDE NA ESCOLA MUNICIPAL PROfº SYLVIO SNIECIKOVSKI 74

FORMAÇÃO DOCENTE E PREVENÇÃO AO USO


DE DROGAS EM CURSOS TÉCNICOS 75

EDUCAR PARA A PAZ 76

IMPORTÂNCIA DA ESCOLA, FAMÍLIA E COMUNIDADE


NA PREVENÇÃO DO USO DE DROGAS 77

EQUIPE MULTIDISCIPLINAR:
CONFIGURAÇÕES, ESTRUTURA E DESAFIOS 79
PREFÁCIO

A questão dos problemas relacionados ao uso de drogas está na agenda de edu-


cadores de todas as partes do mundo, em função dos desafios que esse tema
impõe para aqueles que são responsáveis pela formação de crianças, adolescen-
tes e jovens em tempos contemporâneos. Como abordar o assunto dentro da es-
cola? Que preparo os professores devem ter para educar nessa temática? Quais
modelos de ação utilizar?

Sabe-se que a respeito da problemática do uso de drogas muitos reducionismos


foram produzidos nos últimos anos, ao ser enfocado o problema somente desta-
cando-se uma das múltiplas dimensões envolvidas no fenômeno, seja visando as
drogas em si mesmas, como se estas fossem o grande mal, esquecendo-se que
elas são buscadas por pessoas que lhe atribuem uma função; seja entendendo
a questão de forma moralista ou patologizante, como se o usuário trouxesse
dentro de si uma tendência intrínseca, genética ou de personalidade; seja ainda
aqueles que olham o meio familiar ou social de uma forma ahistórica, atribuin-
do à “desestrutura do meio social” as causas do uso problemático de drogas,
sem visualizar que as famílias e comunidades têm sua história entranhada por
situações desafiadoras e contraditórias. Qualquer desses reducionismos não dá
conta da complexidade do fenômeno em pauta e exige que se considere a in-
ter-relação entre esses vários fatores. Os princípios do Sistema Único de Saúde
e da Educação Integral propõe uma compreensão da integralidade do sujeito e
colocam-na como base das ações que se deve desenvolver com ele, sustentadas
na interdisciplinaridade e intersetorialidade.

Por isso, um olhar sistêmico sobre os problemas relacionados ao uso de drogas


é fundamental e serve como pauta para as ações, principalmente na perspectiva
da prevenção. Através desta busca-se atuar antes que o problema se instale ou
se agrave. Pensada no horizonte da promoção da saúde, busca-se atuar frente
aos condicionantes que produzem danos à saúde, visando modificar o contexto
ambiental onde se encontram as situações de risco ao abuso de drogas. Para
tanto, se faz necessário buscar minimizar os fatores de risco, reduzir os danos
provocados pela escolha do uso de drogas, e fortalecer os fatores de proteção.
Daí a importância de realizar formações qualificadas para os professores e pro-
fissionais que atuam no campo educativo, para que recebam conteúdos críticos
e bem fundamentados, visando a formulação de projetos consistentes para as
escolas e centros educacionais.

7
Este e-book congrega a amostra de trabalhos apresentados nos “Encontros so-
bre Prevenção Escolar ao Uso de Drogas – Mostra de ações preventivas na
escola”, realizados entre o mês de novembro e dezembro de 2014 nas cidades
de Porto Alegre, Curitiba e Florianópolis, como atividade de encerramento da 6ª
edição do Curso de Prevenção do Uso de Drogas para Educadores de Escolas
Públicas, ofertado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) para a
Região Sul do Brasil, no período de 17 de março a 02 de novembro de 2014 e,
promovido pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do Ministério da
Justiça (SENAD/MJ) e pela Secretaria de Educação Básica do Ministério da Edu-
cação (SEB/MEC).

O Curso, sob responsabilidade do Núcleo Multiprojetos de Tecnologias Educacio-


nais (NUTE), da UFSC, teve 10.424 matriculados entre os educadores dos estados
do sul do Brasil, sendo que o concluíram, com a realização das várias etapas pe-
dagógicas nos cinco módulos de ensino à distância e as avaliações decorrentes,
assim como com a entrega do projeto final, o total de 6.195 cursistas, dos quais
72% do Estado do Paraná, 19% do Rio Grande do Sul e 9% de Santa Catarina.

Para sua realização atuaram no curso, recebendo formação específica e semanal,


mais de 100 tutores, quase todos por sua vez educadores, que mediavam o pro-
cesso de ensino-aprendizagem cotidiano dos cursistas, assim como, dez super-
visores de tutoria, que davam o suporte técnico para as atividades pedagógicas
dos tutores e dez monitores, que mantinham o contato com os educadores-cur-
sistas, verificando e estimulando seu acesso ao Ambiente Virtual de Aprendiza-
gem (AVEA), auxiliando no controle das atividades acadêmicas. Também estava
por detrás da viabilização cotidiana do curso, uma equipe de profissionais empe-
nhados no Sistema de Acompanhamento do Estudante, assim como uma equipe
de coordenação, além dos consultores técnico-científicos.

Esses dados mostram o trabalho pedagógico rigoroso desenvolvido e o poten-


cial de formação permanente de profissionais realizados na modalidade de ensi-
no a distância, que atinge um número grande de pessoas, entre as quais muitas
teriam dificuldades de se capacitar em cursos presenciais, devido a suas cidades
e locais de residência estarem distantes de grandes centros formadores, ou em
função da carga horária de suas atividades profissionais, assegurando, assim,
através de meios virtuais, a acessibilidade à formação de qualidade que o gover-
no federal, em parceria com universidades, podem oferecer em temas tão cru-
ciais para a sociedade brasileira e, em especial, para a educação no Brasil, como
os problemas relacionados ao uso de drogas e a necessária ênfase nas atividades
preventivas e de promoção da saúde a eles relacionadas.

8
Porto Alegre/RS
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

ACOLHER E FORTALECER: AÇÕES PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE

Caroline dos Santos dos Santos1 , Kátia Andréa Reinheimer2 , Lucas Broenig3,
Luciane Coutinho4 , Marcia Werlang Berghan5 , Neiva Isabel Mielke Silva6 ,
Patrícia Bauermann7

1
E.M.E.F. Engº Ildo Meneghetti/Ivoti/RS/caiocarolss@gmail.com
2
E.M.E.F. Engº Ildo Meneghetti/Ivoti/RS/Kátia_armor@yahoo.com.br
3
E.M.E.F. Engº Ildo Meneghetti/Ivoti/RS/lucasbreunig@outlook.com
4
E.M.E.F. Engº Ildo Meneghetti/Ivoti/RS/luciane.coutinho@hotmail.com
5
E.M.E.F. Engº Ildo Meneghetti/Ivoti/RS/marciawerberg@yahoo.com.br
6
E.M.E.F. Engº Ildo Meneghetti/Ivoti/RS/nmielke@terra.com.br
E.M.E.F. Engº Ildo Meneghetti/Ivoti/RS/pbauerman@gmail.com
7

Resumo - A Escola Municipal de Ensino Fundamental Engenheiro Ildo Meneghetti atende


798 alunos da Educação Infantil ao Ensino Fundamental completo durante o dia, e à noite a
Educação de Jovens e Adultos (EJA). O bairro onde se localiza a escola é composto por famí-
lias assalariadas, oriundas de diferentes cidades e estados. A vulnerabilidade social do bairro,
a falta de referências (de modelos positivos), os alunos com fácil acesso a bebida alcoólica,
e a negligência familiar são alguns fatores de risco que justificam este projeto, que busca
promover a saúde física e psicossocial dos pré-adolescentes e adolescentes da nossa escola,
por meio de ações integradas com a rede de apoio interna e externa, e para atender este
objetivo conta com os seguintes objetivos específicos: promover eventos culturais e festivos
conjuntamente com os alunos e as famílias; criar espaços de diálogo com as famílias e alunos
e fortalecer as redes interna e externa, para reduzir os fatores de risco que contribuem para
o uso indevido de drogas. A metodologia utilizada para resgatar a autoridade da família e da
escola (Eixo 3) parte do princípio de que, a escola e a família, como grupos potenciais, serão
capazes de proporcionar aos adolescentes contextos que os tornem capazes de tomar de-
cisões e fazer distinções conscientes. Desta forma, elencamos como principais ações: a pa-
lestra para os pais prevista para o dia 29 de setembro de 2014, o Festival da Música, previsto
para 30 de outubro de 2014 e a Noite Cultural, com a peça teatral “Natal na Colônia” prevista
para 20 de novembro de 2014. Essas três ações ocorrerão no ginásio da escola e serão utiliza-
dos recursos materiais e tecnológicos. Os recursos financeiros serão obtidos numa parceria
do Círculo de Pais e Mestres e Conselho Escolar da Escola e da Secretaria Municipal de Edu-
cação e Cultura do município. Percebemos que o projeto abrange diversos sujeitos e redes
e para que possa ser efetivado será preciso construir e compartilhar novas possibilidades e
ações coletivas, somando às demais iniciativas que estão em andamento em nossa escola.

Palavras-chave: Redes de Apoio; Promoção da Saúde; Prevenção.

10
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

INTEGRANDO VIDAS

Dóris Margarete Priebbernow Pinz1, Eliana Köhler Kröning2, Valesca de Matos Duarte3

E.E.E.M. Dr. Carlos Meskó/Canguçu/RS/dorispinz@gmail.com


1

E.E.E.M. Dr. Carlos Meskó/Canguçu/RS/eliana.kr@hotmail.com


2

E.E.E.M. Dr. Carlos Meskó/Canguçu/RS/valesca.gat.mesko@gmail.com


3

Resumo - A E.E.E.M. Dr. Carlos Meskó, localizada na zona rural do município de Can-
guçu/RS, pensando em contemplar a legislação e promover a saúde propõe o “Pro-
jeto Integrando Vidas”, acreditando que através do desenvolvimento das atividades
propostas os alunos irão aprofundar conhecimentos sobre a vida e tomar decisões
construtivas para seu futuro. O projeto enaltece o bom entendimento do aluno de
temas que permeiam a vida cotidiana, de discernimento de informações, de relações
humanas baseadas em valores fraternos e por formas de obter e/ou manter uma
vida plena e saudável. Dentre seus objetivos destaca-se os de promover a saúde e
proporcionar momentos de aprendizagem e integração através de música, dança,
palestras e relatos de pesquisa. As suas ações destinam-se a rede interna, em espe-
cial aos alunos do Ensino Fundamental Anos Finais (105 alunos) e do Ensino Médio
Politécnico (145 alunos). Na escola o maior problema relacionado a não valorização
da vida é o uso indiscriminado do álcool e de energéticos, em virtude deste fator
a metodologia do projeto contempla o eixo de ação “Integração da prevenção no
currículo escolar”. Dentre as ações planejadas estão a “Semana de Valorização da
Vida, da Família e do Estudante”, os trabalhos interdisciplinares “A miscigenação na
cultura rio-grandense: conhecer para amar!” e “Conhecer o passado para entender
o futuro”, ações específicas nos componentes curriculares e palestras sobre Drogas.
Como recursos humanos conta-se com o corpo docente da escola, ex-alunos, fami-
liares e profissionais da unidade básica de saúde e como recursos materiais o prédio
da nossa escola, computador, projetor, aparelhos de som/vídeo e materiais de con-
sumo. A previsão de desenvolvimento das atividades está compreendida entre os
meses de julho a dezembro de 2014. O projeto oportuniza um maior conhecimento
e entendimento sobre as práticas pedagógicas da escola e proporciona momentos
de discussão e reflexão sobre elas. Considera-se positiva sua execução já que pro-
porciona encontros de professores, compartilhamento de vivências, aprendizado de
teorias, elaboração e execução de projetos interdisciplinares, em fim proporciona
grande crescimento para todos os envolvidos, em especial, no que diz respeito a
educação para a saúde, a prevenção de doenças e a proteção da saúde.

Palavras-chave: Vida; Integração; Conhecimento; Saúde.

11
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

PREVENÇÃO: SINÔNIMO DE CUIDADO E ATENÇÃO

Celso Antonio Cardoso1 , Daiane Tonieto Zuanazzi2 , Vanieli Marta Prigol Zaparoli3

1
Escola Municipal Ivone Salete Peruzzolo Demartini/Cacique Doble/RS/celvercardoso@yahoo.com.br
2
Escola Municipal Ivone Salete Peruzzolo Demartini/Cacique Doble/RS/daianetonieto@hotmail.com
3
Escola Municipal Ivone Salete Peruzzolo Demartini/Cacique Doble/RS/ vanielimarta@hotmail.com

Resumo - Este projeto foi executado em uma escola municipal, com cem alunos
das séries finais. Esta se encontra em um município pequeno, com clientela pro-
veniente de situações de vulnerabilidade social e como tantas outras se preocu-
pa com o desenvolvimento pessoal, social e cultural de seus educandos. O de-
sempenho escolar destes é considerado, devido às situações socioeconômicas,
heterogêneo, pois há alunos que recebem maior estímulo e acompanhamen-
to da família e outros que simplesmente esta designa para escola a formação
dos mesmos. O projeto objetiva contribuir com a formação transdisciplinar dos
educandos, visando torná-los aptos a resistir às propostas desviantes através
de uma visão crítica sobre as drogas, promovendo uma interação significativa
com pais, professores e alunos, oportunizando vivências que reflitam sobre o
compromisso de cada um no processo de ensino aprendizagem: desenvolvendo
oficinas nas áreas do conhecimento; proporcionando momentos de conversas
e orientação, criação de um grupo de apoio com a participação de diferentes
membros da comunidade escolar que oportunizem ao aluno ter um diálogo sem
punição. Este trabalho acalentou a preocupação escolar, em que adolescentes
começam a ingerir drogas lícitas e ilícitas, muito cedo, às vezes, sem a devida
orientação de seus familiares sobre as consequências advindas destas. Com a
orientação recebida do curso “Prevenção ao uso de drogas em escolas públicas”
pôde-se analisar a condição dos discentes atendidos, fazendo questionamentos
impessoais, oficinas motivacionais, rodas de conversa com pais e alunos, visuali-
zação de situações reais de pessoas envolvidas no mundo das drogas, concurso
de mascote, adesivagem nas ruas da cidade pelos alunos e professores. Todas as
atividades foram elaboradas visando a proporcionar crescimento pessoal e so-
cial pensando não somente no presente, mas sim no futuro destes inseridos na
sociedade, pretendendo atender os eixos: integração da prevenção no currículo
escolar; resgate da autoridade na família e na escola; acolhimento de educandos
em situações de risco. Em longo prazo, pretende-se apresentar o teatro “A famí-
lia”, relato de uma adolescente com o mundo das drogas e uma palestra moti-
vacional. Estas ações não foram realizadas ainda por falta de tempo e recursos
financeiros. Para realizar as demais propostas foram utilizados como recursos:

12
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

espaço físico, data-show, notebook, câmera digital, folhas de sulfite, balas, ca-
netas hidrográficas, papel pardo, papel crepom. Iniciou-se em quinze de agosto
com os questionários; de agosto a setembro realizaram-se as oficinas e concurso;
outubro os depoimentos pessoais; novembro a adesivagem de carros e premia-
ção. O projeto proporcionou maior integração, observação, diálogos e cuidado
no sentido de orientar para a vida.

Palavras-chave: Drogas; Cuidado; Prevenção; Diálogo; Escola.

13
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

BUSCANDO PARCERIAS PARA PREVENIR O USO DE


DROGAS EM NOSSA COMUNIDADE

Cláudia Maria Santos Sanches1, Rosa Lia Araújo2, Simone Gehlen3,


Simone de Vargas Habekost Costa4.

E.E.E.M. Frei Plácido/Bagé/RS/ctssanches@gmail.com.


1

2
E.E.E.M. Frei Plácido/Bagé/RS/rosalia_robaina@hotmail.com.
E.E.E.M. Frei Plácido/Bagé/RS/monyhab@yahoo.com.br.
3

E.E.E.M. Frei Plácido/Bagé/RS/monyhab@yahoo.com.br.


4

Resumo - Este projeto foi pensado a partir de levantamento de dados entre nossos jo-
vens alunos tendo em vista o expressivo número em nossa comunidade escolar que já
tiveram algum tipo de contato com drogas lícitas e ilícitas, aborda o tema drogas, tema
este bastante discutido na atualidade especialmente em se tratando de escolas. A expe-
riência apresentada ocorreu na Escola Estadual de Ensino Médio Frei Plácido, na cidade
de Bagé, RS. O presente projeto envolveu todos os professores, alunos do ensino mé-
dio, funcionários e direção da escola. Nosso objetivo foi fazer uma reflexão a respeito do
tema apresentando, uma vez que se faz necessário uma apropriação do conhecimento
teórico para a partir daí relacionar com a prática cotidiana e só então partir para uma
proposta interventiva. Proposta esta que foi desenvolvida na escola, onde professores,
equipe técnica e gestora se mobilizaram no sentido de buscar caminhos novos para pro-
blemas antigos e comuns às demais escolas. O tema proposto foi: O impacto do uso
das drogas em nossa comunidade, justamente por propor medidas e ações que desen-
cadearam no cotidiano escolar a preocupação em antes de mais nada prevenir nosso
jovens quanto ao sério problema da atualidade que são as drogas, através de palestras,
conscientização, discussões, depoimentos, leituras de textos relacionados ao assunto,
pesquisas, vídeos com depoimentos de dependentes, filmes e especialistas no tema
abordado, entre tantas outras atividades. Nosso projeto culminou com a confecção de
folders os quais foram distribuídos na comunidade. O resultado desta proposta permitiu
dimensionar a viabilidade e o alcance dos objetivos propostos, possibilitando à revisão e
atualização dos conteúdos didáticos a luz desse tema transversal que motiva e desperta
o interesse dos jovens e da comunidade. O projeto estabeleceu também uma parceria
entre a família e a escola como parceira no combate a este problema tão comum entre
nossos filhos e estudantes. Ao mesmo tempo analisamos as dificuldades e o despreparo
de professores e familiares para enfrentar e abordar de forma concisa o referido tema e
a busca de soluções para os problemas detectados nesta proposta de intervenção.

Palavras- Chave: Drogas; Jovens; Adolescentes; Prevenção.

14
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

REDE DE PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS

Elcio Joél Pastorio1, Nadia Maria Poglia Lasta2, Cristiane Piran Martinelli Batistella3

E.E.E.M. Floriano Peixoto/ Engenho Velho/ RS/ elciopastorio@yahoo.com.br.


1

E.E.E.M. Floriano Peixoto/ Engenho Velho/ RS/ pacto.nadia@gmail.com.


2

3
E.E.E.M. Floriano Peixoto/ Engenho Velho/ RS/ cristianemartinelli194@gmail.com.

Resumo - Pretende-se com o projeto de intervenção, desenvolver um processo per-


manente de estudo, pesquisa, análise e conscientização na comunidade escolar, a
fim de que se possa minimizar a utilização de drogas, lícitas ou ilícitas, entre ado-
lescentes que frequentam a escola, bem como capacitar aqueles que não tiveram
contato com elas a se manterem afastados pela conscientização desenvolvida, em
busca da formação de cidadãos conscientes, críticos e integrais, disseminadores
do processo preventivo. A escola recebe educandos de várias comunidades e um
número significativo de indígenas da tribo kaingang. Com esta miscigenação de
culturas, o natural conflito surge, a escola torna-se a mediadora e consequente-
mente a facilitadora das relações. Nesse intento, pretende-se, especificamente:
esclarecer aos estudantes os perigos do uso de drogas; Orientar as famílias a con-
versar com os jovens sobre o assunto; Identificar as causas do uso das drogas na
comunidade escolar. Toda a comunidade escolar será envolvida no projeto. O mes-
mo visa produzir conhecimento, acerca da problemática do uso de álcool e outras
drogas em suas diferentes dimensões e a experiência adquirida ao compor este
grupo de pesquisa. Ficaram evidentes as grandes desigualdades sociais existen-
tes em nossa comunidade, muitas histórias associadas à ausência de vida digna
e exposição a inúmeras vulnerabilidades, entre elas, o fácil acesso ao consumo
de drogas. Percebe-se ainda, uma descrença no potencial da juventude e muitos
deles, são excluídos do mercado de trabalho. Inicialmente, foi necessário traçar
uma estratégia de aproximação, delimitação do campo de pesquisa e escolha dos
participantes. O eixo escolhido foi a Integração da prevenção no currículo escolar
onde, sempre que possível é abordado o tema sobre o uso indevido de drogas
no ambiente escolar, por ser um tema que está cada vez mais inserido em nossa
sociedade. Há anos a escola vem promovendo palestras, seminários e projetos in-
terdisciplinares, com a participação de toda a rede externa da escola e outras pes-
soas capacitadas para tanto. O projeto está sendo realizado no decorrer do ano
de 2014 e prosseguirá em 2015, pois temos que estar sempre atentos no que está
ocorrendo na comunidade na qual estamos inseridos.

Palavras-chave: Rede; Drogas; Adolescência; Escola; Comunidade.

15
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

ESCOLA: A EDUCAÇÃO QUE ABRE PORTAS PARA O FUTURO


E PREVINE CONTRA AS DROGAS

Giovana Bittencourt Falkenback Picolo1

E. M. E. B. Professor Tadeu Silveira/Pinhal da Serra/RS/gigifalken@hotmail.com


1

Resumo - O presente projeto tem por finalidade diferenciar o ato de experimentar


e de necessitar continuar; sensibilizar professores para abordar a questão; mobi-
lizar a opinião escolar, mediante campanhas de alerta; difundir o conhecimento
sobre drogas através de vídeos, além de conscientizar que o uso de fumo e álcool
são perigosos. O público alvo de tal projeto foram os alunos de 7º série do ensi-
no fundamental, séries finais da Escola Municipal de Educação Básica Prof. Tadeu
Silveira que situa-se no município de Pinhal da Serra - RS. Assim, será observado
o eixo 2 – Participação Juvenil e a Formação de Multiplicadores, onde haverá a
participação em palestras diversificadas trazidas pelo pessoal da área da saúde,
em que serão convidados alunos de outras turmas (o presidente e o vice de cada),
para participarem e depois colocar o aprendizado em suas respectivas salas de
aula; assistirão a vídeos baixados da internet (Dráuzio Varela fala sobre drogas;
drogas e seus efeitos; Prevenção ao uso de drogas na escola; Astros dos dese-
nhos animados contra as drogas), sobre o consumo de álcool e drogas: o que isso
pode trazer para nossa vida, sendo que alguns vídeos serão disponibilizados aos
formadores que participarem das palestras, para que os mesmos possam passar
nas outras turmas, então a turma da sétima série confeccionará no laboratório de
informática um gibi instrucional orientando os demais colegas para não entrarem
na onda do consumo de drogas, a começar pelo álcool e também realizará teatro
de fantoches para chamar a atenção dos demais colegas (alunos da escola) para
o uso de drogas. O presente projeto precisa ser aplicado na escola em função de
haver grande número de pais que ingerem bebidas alcoólicas em casa e muitas
vezes não orientam seus filhos para que não as utilizem. Será realizado no período
de março a dezembro, pois depende de elaboração de atividades e também de
angariar pessoas ou órgãos competentes para auxiliar no que for preciso durante
a execução do mesmo.

Palavras- Chave: Drogas; Prevenção; Comunidade; Escola.

16
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

PREVENÇÃO É A SOLUÇÃO

Jair Cirne Fraga1, Nádia Mendonça Policarpo2, Marlene Lessa3,


Maria Lúcia Martins4, Márcia Gigante de Brum5

1
E. E. E. F. Prof. Milton Pacheco/Osório/RS/cirne.f.jair@hotmail.com
2
E. E. E. F. Prof. Milton Pacheco/Osório/RS/nadiapolicarpo@hotmail.com
3
E. E. E. F. Prof. Milton Pacheco/Osório/RS/lenaorientadora@gmail.com
E. E. E. F. Prof. Milton Pacheco/Osório/RS/proflucia8@hotmail.com
4

E. E. E. F. Prof. Milton Pacheco/Osório/RS/marciabrum@hotmail.com


5

Resumo - A ação preventiva se faz necessária, pois nossos alunos provêm de famílias
carentes, com grandes problemas sociais, vivenciam quase que cotidianamente o
uso e a venda de drogas. São educandos que na prática conhecem muito as dro-
gas, mas não têm a real dimensão do quanto ela destrói vidas e famílias inteiras.
Aprendemos que a prevenção começa em casa, entre pais e filhos, e quanto antes
melhor, só depois se estende à escola e à comunidade onde nós educadores es-
tamos inseridos, mas hoje não é mais assim, o mundo mudou as pessoas e tam-
bém as famílias, que na grande maioria estão desestruturadas. Nós educadores
não entendemos a prevenção no sentido limitado de apenas evitar a experiência
com substâncias psicoativas. Objetivo geral: refere-se à mudança que se pretende
alcançar com o projeto de prevenção, com propósitos de resultados positivos com
foco que visa atingir todos os segmentos envolvidos, promovendo a qualidade de
vida. Objetivo específico: é a realização do objetivo geral, referindo-se as fases,
das estratégias e medidas necessárias para atingir os resultados. Mas com certeza,
a prevenção é um desafio que se impõe a todos nós, é nosso dever desestimular a
experimentação. Portanto a prevenção do uso de drogas que se baseia em promo-
ção de saúde. A metodologia adotada se baseia no eixo3-Resgate da autoridade
na família e na escola, que deve concentrar na criação de ambientes saudáveis, por
meio do uso de estratégias personalizadas para diferentes fases do ciclo de vida.
CRONOGRAMA GERAL: dezembro 2014 à dezembro de 2015. Captação de recur-
sos: será solicitada a colaboração da escola, comércio da comunidade e órgãos
Municipais e Estaduais. Recursos humanos: professores, Escola, pais e comunida-
de que abrange o território. Materiais: Computadores, fichas de pesquisa. Público
alvo: alunos, pais de alunos e demais membros da comunidade.

Palavras-chave: Ação; Prevenção; Drogas; Famílias; Educandos.

17
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA ESCOLA

Clarice Brandenburg1, Janete Pertile Ott2, Vânia Denise L. Gazzola3

EMEF. Bom Pastor/Santa Bárbara do Sul/RS/cla1213@hotmail.com


1

EMEF. Bom Pastor/Santa Bárbara do Sul/RS/janete.p.ott@hotmail.com


2

3
EMEF. Bom Pastor/Santa Bárbara do Sul/RS/ vaniad-gazzola@hotmail.com

Resumo - O consumo de drogas vem se expandindo mundialmente e constitui hoje


uma ameaça, e o abuso de drogas entre jovens tem sido uma das questões que mais
afligem os pais e tem preocupado as instituições escolares. Grande maioria dos pais e
irmãos mais velhos consomem bebidas alcoólicas nos finais de semana, e alguns pais
fumam tabaco. Este projeto tem como principais objetivos promover uma conscien-
tização em relação à prevenção do uso de drogas, bem como reconhecer compor-
tamentos de riscos no contexto escolar. Informar sobre o mundo das drogas e seus
efeitos na família, escola e sociedade; sensibilizar a escola para tornar-se parceira
na formação pessoal dos alunos, através de várias atividades pedagógicas baseadas
nos valores humanos; introduzir a temática de educação para valores, como fator
de prevenção para o uso de drogas entre crianças, adolescentes e jovens e evitar o
envolvimento com a criminalidade; esclarecer as crianças, adolescentes, jovens, pais
e educadores quanto aos perigos do uso das drogas; alertar que a bebida alcoólica
também é uma droga e esclarecer sobre os efeitos físicos e comportamentais, bem
como de suas consequências; divulgar informações que orientem a prevenção e pro-
movam o tratamento de dependentes de substâncias. Informar sobre os efeitos das
principais drogas consumidas por adolescentes e jovens; divulgar quais os fatores de
risco relacionados ao consumo de drogas e o envolvimento com a criminalidade; mo-
bilizar as secretarias de saúde e de ação social para ações de prevenção e tratamen-
to de pessoas, principalmente, adolescentes usuários de substâncias psicoativas. Os
sujeitos da intervenção serão alunos, professores, funcionários da escola, pais, co-
munidade, profissionais da saúde, Juiz, Promotor de Justiça. Os métodos que serão
utilizados no projeto serão palestras, oficinas, atividades recreativas e participativas,
dinâmicas em grupo envolvendo os alunos, bem como ações preventivas e ações
curativas, e acolhimento de alunos em situação de risco. Este projeto teve início nes-
te ano e dará continuidade na íntegra no próximo ano. Através da escola podemos
chegar ao íntimo das necessidades de identidade e personalidade dos adolescentes,
e assim suprir as dificuldades de interação na sociedade, abrindo caminhos para uma
sociedade livre ou consciente dos problemas trazidos pela droga.

Palavras-chave: Drogas; Escola; Prevenção.

18
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

QUEM SE AMA SE CUIDA!

Janete Teresinha Schuh¹, Liane Mergen Marion², Lizete Mergen Dallanora³,


Vanusa de Fátima Fernandes4

1
E.E.E.F. Miguel Mergen/Segredo/RS/janeteschuh@yahoo.com.br
2
E.E.E.F Miguel Mergen/Segredo/RS/lianemergen@hotmail.com
3
E.E.E.F Miguel Mergen/Segredo/RS/lizetemergen@hotmail.com
E.E.E.F Miguel Mergen/Segredo/RS/vanusafatima@gmail.com
4

Resumo - O presente projeto foi elaborado com o objetivo principal de instigar o


pensamento crítico dos alunos, para juntos refletirmos acerca dos danos causa-
dos pelas drogas, a fim de sensibilizar, esclarecer e prevenir a comunidade es-
colar, quanto as consequências do uso das mesmas, através de uma proposta
interventiva prevenindo os educandos contra todos os tipos de drogas. Acre-
ditamos que com a prevenção e o conhecimento poderemos evitar o uso inde-
vido e generalizado das mesmas, enfim, acreditamos que a escola, ao lado da
família, ocupa lugar de destaque na formação e na socialização dos educandos.
Portanto, trabalhar com prevenção é um grande desafio, que exige conhecimen-
to, cautela e um trabalho em rede. A prevenção como uma ação sistêmica possi-
bilita uma rede de ação em diversos setores da sociedade. A partir de então, as
situações de riscos foram identificadas e anali-sadas através de pesquisas e de
contribuições dos relatos de pessoas que presenciam o dia a dia dos educandos.
Por ser uma comunidade pequena, praticamente todos os moradores se conhe-
cem, isso beneficia a interação e o conhecimento do contexto social das famílias
que os nossos alunos pertencem, facilitando o nosso trabalho enquanto educa-
dores. Foi elaborado uma proposta pedagógica com a integração da prevenção
no currículo escolar incluindo todos os educandos visando a promoção da saúde
integral dos mesmos. Foram realizadas pesquisas para conhecer a realidade dos
educandos e, então após houve a con-textualização do ensino. Dentre os pro-
jetos desenvolvidos evidenciamos os seguintes: Hora do Conto, Poesia, Música,
Esporte, Hora Cívica e oficinas oriundas do programa Mais Edu-cação. Alguns fo-
ram trabalhados e outros ainda estão com as atividades em desenvolvimen-to.
Todas as atividades contextualizadas com o projeto intitulado “Quem se ama se
Cuida!” desenvolvidas através de ações e de parcerias entre a escola e a comuni-
dade escolar, com a finalidade de implementar atividades que visam proteger e
fortalecer a autoestima do aluno. Neste momento, a equipe escolar está com o
olhar voltado para a questão da prevenção das drogas lícitas e ilícitas, contem-

19
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

plando todas as situações que possam estar causando risco aos educandos. Es-
peramos que com os conhecimentos adquiridos os educandos possam atuar de
maneira consciente, autônoma, pois conhecer é a melhor forma de se proteger,
só assim poderemos construir um mundo saudável e seguro. Consideramos que
uma semente foi disseminada, com a participação da família, o que representou
um diferencial no cotidiano escolar. Foram e serão realizadas ações que integra-
ram a família no espaço escolar, tendo em vista que, pequenas ações e atitudes
geraram grandes transformações na realidade dos alunos.

Palavras-chave: Drogas; Prevenção; Promoção; Saúde; Cooperação.

20
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

EDUCAÇÃO PREVENTIVA: NÃO ÀS DROGAS, SIM À VIDA

Danilo Janesk de Souza1, Eva Maria Rosa da Silva2, Janaína Vargas da Silva3,
Laura Eliane Mendes4, Maria de Fátima Domingues Teixeira5,
Rosane Manhães da Rocha Faria de Oliveira6

E.E.E.F. Dr. Jorge Guilherme Moojen/ Montenegro/ RS/ danilojanesk@yahoo.com.br


1

2
E.E.E.F. Dr. Jorge Guilherme Moojen/ Montenegro/ RS/ evinhajan@gmail.com
3
E.E.E.F. Dr. Jorge Guilherme Moojen/ Montenegro/ RS/ kcqmenina@gmail.com
4
E.E.E.F. Dr. Jorge Guilherme Moojen/ Montenegro/ RS/ lauraelianemendes@hotmail.com
5
E.E.E.F. Dr. Jorge Guilherme Moojen/ Montenegro/ RS/ fatimadomin@hotmail.com
E.E.E.F. Dr. Jorge Guilherme Moojen/ Montenegro/ RS/ rmrfaria@yahoo.com.br
6

Resumo - O uso abusivo de bebidas alcoólicas tem caracterizado um dos maiores


problemas com drogas envolvendo educandos e famílias em nossa comunidade
escolar e, em virtude de a dinâmica e a relação de nossas crianças e adolescentes
com o álcool apresentar natureza variada, justifica-se a criação do presente pro-
jeto. Os principais objetivos que nortearão as ações preventivas do nosso pro-
jeto caracterizam-se em auxiliar o estudante a fazer escolhas saudáveis à vida;
potencializar a participação efetiva e conjunta da família e da comunidade esco-
lar nas atividades de prevenção; inibir a atuação de fatores pessoais e vivenciais
que tornam o estudante e os demais membros da comunidade ao qual estão
inseridos mais vulneráveis a envolver-se em comportamentos de risco. As ações
preventivas estarão voltadas ao atendimento aos nossos estudantes do ensino
fundamental através de atividades mais centralizadas. Preocupamo-nos com fa-
tores de risco que favorecem o desenvolvimento da dependência do álcool, tais
como frequência de consumo, histórico familiar de alcoolismo, a necessidade de
afirmação em um grupo e falta de comprometimento ou fragilidade das atitudes
dos responsáveis, carência ou distorção dos valores morais, culturais e sociais. Já
a relação de confiança e afetividade entre nossos educandos e educadores é um
dos fatores de proteção mais significativos dentro do nosso ambiente escolar,
além da parceria e da articulação com outros segmentos e a efetiva participação
do grande grupo multiplicando as ações positivas. Nosso ponto de partida é in-
tegrar o projeto de prevenção ao currículo escolar, caracterizando o primeiro e
principal eixo de ações, visando auxiliar o estudante a fazer escolhas saudáveis.
Por intermédio das concepções sobre “A corrente do bem” teremos mais duas
ações: uma na participação juvenil e outra na formação de multiplicadores (cor-
rente) para auxiliar outros estudantes a fazer escolhas saudáveis (bem). Fortale-

21
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

cidas as bases, as atividades serão ampliadas para os responsáveis caracterizan-


do mais um eixo de ações ao promover o resgate da autoridade na família e da
escola. Estarão envolvidos no projeto a Equipe Escolar, alunos de todos os anos
do Ensino Fundamental, pais e voluntários na prestação de serviços. Os Recursos
Materiais serão fornecidos pela verba do Orçamento Participativo e pelos pro-
fissionais colaboradores. Para este ano o projeto está voltado para os meses de
outubro e novembro. É fundamental que todas as atividades estejam pautadas
no diálogo, na reflexão sobre o significado e consequências do uso da droga e da
adoção de comportamentos favoráveis a uma vida saudável que envolve o bem
-estar de toda comunidade escolar.

Palavras-chave: Álcool; Bem-estar; Drogas; Prevenção; Vida.

22
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

SIM A VIDA NÃO AS DROGAS

Brizida Nete Trindade Rodrigues1, Denise Santos de Oliveira2,


Eunice Santos Fraga Batista3

E.M.E.F Professor João Carlos Von Hohendorff / São Leopoldo/RS/ brizidanete@terra.com.br.


1

2
E.M.E.F Professor João Carlos Von Hohendorff / São Leopoldo/RS/ denises.oliveira39@gmail.com.
E.M.E.F Professor João Carlos Von Hohendorff / São Leopoldo/RS/ eunicesfb@gmail.com.
3

Resumo - A problemática enfrentada pela E.M.E.F Professor João Carlos Von


Hohendorff situada no bairro Scharlau, no Parque Itapema, retrata a realidade
mundial e nacional. Sendo crescente o número de usuários de drogas ilícitas e lí-
citas, os adolescentes se tornam um público alvo do consumo de drogas. A ques-
tão da drogadição e a prevenção ao uso de drogas precisa ser tema transversal
dentro do currículo desenvolvido pelas escolas no Brasil. Sendo que o professor
é fundamental para o enfrentamento desta questão por ser o sujeito mais pró-
ximo dos discentes. Considerando que são muitos e variados os fatores que cau-
sam os problemas com o abuso de drogas, são necessárias ações conjuntas, em
diferentes níveis, realizadas e dirigidas para os diversos grupos que compõem
a comunidade. Apostamos então que a escola como instituição educativa pode
ser um espaço privilegiado para mediar a formação, o debate e a prevenção ao
uso de drogas. O nosso principal objetivo é: Aprofundar a formação dos docen-
tes envolvendo a comunidade escolar em um projeto para prevenção ao uso de
drogas, criando e estimulando reflexões sobre esta temática e os fatores de ris-
co, formando multiplicadores para tais ações. Pretendemos ainda: Realizar um
diagnóstico da real situação do uso de drogas na escola; Iniciar o diálogo sobre
a temática desde os anos iniciais do Ensino Fundamental e que se estenda por
toda a vida; Discutir o projeto de vida dos alunos e da sociedade, enfatizando
consequências como doenças e drogadição; Tornar a prevenção uma discussão
permanente quando se discute temas de saúde na escola; Garantir que os alunos
construam hábitos saudáveis no seu cotidiano; Garantir a continuidade das ativi-
dades preventivas: enquanto temas transversais, e principalmente garantir que
os mesmos sejam trabalhados em eventos propostos pela escola como festas,
assembleia, projetos ou reunião de pais. Traçar estratégias de ações com a comu-
nidade. Envolver toda a comunidade escolar gradativamente. Identificar os fato-
res de risco dentro da realidade da comunidade. O público alvo se constitui de:
Pais, alunos, professores, direção e funcionários (comunidade escolar de forma
geral), enquanto parcerias contamos com o apoio do Programa Saúde na Escola

23
Porto Alegre/RS 03 e 04 de novembro de 2014

(PSE), Centro de Apoio Psicossocial (CAPs), Conselho Escolar e Circulo de Pais


e Mestres (CPM). A preocupação na forma de realização da pesquisa, incluso a
construção do programa de prevenção (o produto final) centra-se na perspectiva
participativa. Ou seja, o sujeito participante (os entrevistados) também partici-
pam da fase de construção do programa. Já enquanto procedimentos metodo-
lógicos, cita-se: questionários semi-estruturado, entrevistas diretivas e rodas de
conversas interagindo com alunos, professores e comunidade escolar.

Palavras-chave: Comunidade; Drogadição; Escola.

24
Curitiba/PR
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

O PROTAGONISMO JUVENIL COMO PREVENÇÃO AO USO


DE DROGAS

Mariel Guil Chociai1, Regina Guil Chociai2, Edina Halicki3,


Simone de Fátima Marconato Grensoski4

1
Colégio Estadual Vila Nova/Prudentópolis/PR/marielguil@hotmail.com
Colégio Estadual Vila Nova/Prudentópolis/PR/reginaguil@seed.pr.gov.br
2

Colégio Estadual Vila Nova/Prudentópolis/PR/e_halicki@yahho.com.br


3

Colégio Estadual Vila Nova/Prudentópolis/PR/segrensoski@yahoo.com.br


4

Resumo - O Colégio Estadual Vila Nova está localizado na periferia do município


de Prudentópolis no estado do Paraná e atende, na sua maioria, alunos de fa-
mílias com dificuldades financeiras e sociais, e os que estão na Casa Lar - abrigo
temporário de crianças em situação de risco familiar. Há muitos anos a escola
voltou ao Projeto Político Pedagógico para tratar, além dos conteúdos cientí-
ficos, das questões relacionadas à formação dos cidadãos, direcionando o tra-
balho do docente para a busca da autoestima dos nossos educandos. Como foi
constatado que a escola não possuía redes externas de proteção, firmamos uma
parceria com o CAPS ad desde o início do ano. Para a realização dessas atividades
de intervenção escolhemos uma turma do oitavo ano que tinha muitos proble-
mas de comportamento e aprendizagem. Os profissionais do CAPS ad fizeram
discussões e palestras sobre temas como cigarro e câncer de mama na escola, e
escolhiam junto com os alunos dessa turma um lugar do município onde o prota-
gonismo iria ser efetuado. Os discentes foram para esses locais e realizaram um
trabalho de esclarecimento junto à população sobre os cuidados que devemos
tomar com relação a nossa saúde. Os materiais usados nas ações de protago-
nismo foram financiados pelo CAPS e as ações (cinco no total) foram realizadas
ao longo do ano letivo. O projeto foi apresentado em reunião de pais e teve o
apoio da direção da escola. Realizamos também um levantamento sobre o uso
de drogas entre os nossos alunos de Ensino Médio, no qual foi constatado que
as drogas mais comuns entre nossos estudantes são o álcool e a maconha. A
pesquisa também levantou o fato da maioria dos alunos possuírem familiares
que usam algum tipo de droga em casa. Durante o ano, os jovens que relataram
usar drogas ou vieram para a escola sob o efeito delas, foram encaminhados para
acompanhamento e esclarecimento junto a CAPS ad. Esses casos são tratados
com base no diálogo aberto de maneira a orientar o educando buscar ajuda de

26
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

maneira consensual. Em 2015 iremos dar continuidade a esse trabalho, buscando


trabalhar de maneira interdisciplinar, visto que vários professores manifestaram
interesse em atuar de maneira coletiva nas ações de organização e realização do
protagonismo juvenil. Acreditamos que o jovem deve sentir-se como membro
atuante e como sujeito de mudança na nossa sociedade, pois dessa forma ele
estará criando maiores responsabilidades, sentindo-se como uma peça funda-
mental no mundo e exercendo a sua cidadania de maneira participativa e eficaz,
ficando assim mais fortalecido para chegar a uma vida adulta mais saudável do
ponto de vista físico e emocional. Avaliamos que os efeitos desse trabalho são
positivos, pois os alunos relataram gostar do projeto e têm participado efetiva-
mente de todas as ações.

Palavras-chave: Protagonismo; Autoestima; Prevenção; CAPS ad, Parceria.

27
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

A IMPORTÂNCIA DAS REDES NA PREVENÇÃO ÀS DROGAS

Cristiani dos Santos Campos1, Delma da Silva Rocha2, Doralice de Almeida3,


Margarete dos Santos Barbosa4, Maria Madalena Colonhese Camini5,
Rosemary Aparecida dos Reis Laverde6, Rosemeire Aparecida Gerônimo7,
Vania Nara Azevedo Franco8.

1
Colégio Estadual Jandaia do Sul - EFMP/Jandaia do Sul/PR/csccampos@yahoo.com.br
2
Colégio Estadual Jandaia do Sul - EFMP/Jandaia do Sul/PR/delmajandaia@hotmail.com
3
Colégio Estadual Jandaia do Sul - EFMP/Jandaia do Sul/PR/dorinha_2007@hotmail.com
4
Colégio Estadual Jandaia do Sul - EFMP/Jandaia do Sul/PR/margapde2012@gmail.com
5
Colégio Estadual Jandaia do Sul - EFMP/Jandaia do Sul/PR/mcamini@hotmail.com
6
Colégio Estadual Jandaia do Sul - EFMP/Jandaia do Sul/PR/rarlaverde@gmail.com
7
Colégio Estadual Jandaia do Sul - EFMP/Jandaia do Sul/PR/rose1970@seed.pr.gov.br
Colégio Estadual Jandaia do Sul - EFMP/Jandaia do Sul/PR/vanianara_rj@hotmail.com
8

Resumo - As drogas representam o maior problema social brasileiro atualmente,


e vem aumentando no ambiente escolar, causando várias implicações. É comum
o jovem ter acesso desde cedo às drogas, como medicamentos, álcool, cigarro. A
facilidade de acesso a essas drogas lícitas e ilícitas é facilitada pela influência de
familiares, amigos e da comunidade. O Projeto de Prevenção acontece, em 2014
e 2015, no Colégio Estadual Jandaia do Sul onde foi percebida a necessidade de
orientar os alunos sobre o perigo e as consequências do uso de drogas. A escola
deve fazer a orientação entre escola e família sobre a prevenção ao uso de dro-
gas pelos adolescentes, numa perspectiva de formação integral. O envolvimento
da família na prevenção do uso de drogas é importante, não só para a promoção
da saúde, mas também para reduzir a violência doméstica, o baixo rendimento
escolar e evasão. O público-alvo são alunos do Ensino Fundamental, por serem
os mais suscetíveis a influência do uso de drogas, dentro e fora da escola. Ao tra-
çarmos o perfil desses alunos, percebemos que muitos são oriundos da vulnera-
bilidade social em situação de risco. Participarão desse projeto, professores, com
vínculo permanente na escola e outros contratados, e agentes educacionais I e II.
A continuidade do projeto se dará na 1ª série do Ensino Médio. As redes externas
serão colaboradoras do nosso trabalho. Trabalhar-se-á com textos, filmes, levan-
tamentos de dados coletados por meio de questionários e demonstrados em
gráficos, além de palestras para os adolescentes e suas famílias e apresentações
de peças teatrais com adolescentes, pais e professores. As propostas de ações se

28
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

concretizam por meio de práticas pedagógicas educativas na conscientização e


prevenção ao uso das drogas que prejudicam a saúde e a vida social das famílias.
Desenvolver esse projeto surge a partir da necessidade de expor a escola, os pais
e os adolescentes de forma efetiva com esse assunto. A ação preventiva na esco-
la tem como justificativa o diagnóstico da situação de risco da comunidade, que
mostra um percentual elevado de adolescentes envolvidos com o uso de drogas
lícitas (álcool, tabaco) e diversas drogas ilícitas (maconha, crack, cocaína dentre
outras). Debater o tema somente com os adolescentes, não basta, é necessário
envolver a família, que é a primeira referência na vida dos adolescentes e a co-
munidade na qual estão inseridos. É essencial a intervenção da escola, junto aos
pais e comunidade, com a possibilidade de trocas de informações e orientação,
ampliando para fora dos muros da escola seu papel educativo.

Palavras-chave: Drogas; Prevenção; Família; Adolescente; Escola.

29
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

PREVENÇÃO É AÇÃO

Sidney Gilberto Gonçalves1

Escola Municipal Professora Nathalia De Conto Costa/Curitiba/PR/sidneygon@pop.com.br


1

Resumo - A cada ano que passa, percebe-se uma diminuição da participação escolar
nos assuntos relacionados à vida dos alunos, bem como há pais que não ajudam nas
tarefas de casa, não participam das reuniões, faltam quando solicitados sua presença
na escola, além de não terem hábito de diálogo com seus filhos. Diante disto, a escola
deve começar um trabalho sobre prevenção às drogas em conjunto com a família para
formar uma consciência de proteção à vida para os alunos, bem como alertar aos pais e
responsáveis do diálogo franco em casa. Apesar se ser uma comunidade escolar tran-
quila, não dá para caracterizar que alunos façam uso de drogas lícitas ou ilícitas, porém
vão crescer, por isso, é necessário promover aulas preventivas sobre drogas lícitas e
ilícitas na escola. O público-alvo de interesse deste projeto são os alunos dos quin-
tos anos, com idades entre 10 e 12 anos, totalizando aproximadamente 100 alunos. O
projeto se desenvolverá nas aulas de educação física de forma expositiva, audiovisual,
roda de debates e caixas das dúvidas e demais artifícios didáticos, uma vez por se-
mana com 55 minutos de duração, utilizando de audiovisual, banners, folders, dentre
outros. Os fatores de proteção vêm de encontro com as necessidades da prevenção
dos alunos como: Rede de Proteção, Ficha de Comunicação do Aluno Ausente (FICA),
Conselho de Escola, Associação de Pais, Professores e Funcionários, entre outros. No
entanto, paralelo aos fatores de proteção, tem-se os seguintes fatores de risco: pais
que omitem informações; falta de conscientização dos familiares ao beber e fumar;
exemplos de professores e funcionários fumando, mesmo fora da escola; ausência de
policiamento no perímetro escolar; fácil acessibilidade às drogas nas dependências da
escola. A dinâmica se dará em seis etapas (seis aulas), com cronograma de atividades
que vai de uma avaliação inicial e final, como a apresentação de cães farejadores. Com
isto, conclui-se que é de suma importância para a comunidade escolar estas ações
voltadas para a prevenção ao uso de drogas por parte dos adolescentes, sendo um
projeto que inicia este ano e que fará parte do currículo da escola. Não foi apontado
problemas significativos na implementação do projeto, muito pelo contrário, a acei-
tação da iniciativa foi positiva pela comunidade escolar, pois como sendo um projeto
de prevenção à saúde, unindo a socialização e interação família, escola, comunidade e
poder público, só tende a oferecer um futuro digno e sem tropeços aos alunos e fami-
liares, perante a um mal muitas vezes sem volta.

Palavras-chave: Prevenção; Educação; Adolescentes.

30
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

A SEMENTE PARA O AMANHÃ

Dahiane Inocência Silveira1

1
Escola Estadual Imaculada Conceição/Jacarezinho/PR/dahiasilveira@yahoo.com.br

Resumo - Em nossa realidade escolar percebe-se a necessidade da criação de am-


bientes de divulgação cultural, social, lazer, principalmente entre os jovens (que
na adolescência se afastam da família e se aproximam dos colegas) que apresen-
tam dúvidas, dificuldades e se apoiam nos amigos que cobram a identificação, se
o grupo utilizar substâncias tóxicas questionará o uso por quem está próximo,
surge então à ideia de multiplicadores da prevenção ao uso dessas substâncias,
não pela forma de crítica e falas denegridoras da imagem de quem o faz, mas por
meio do respaldo no eixo do protagonismo juvenil, onde o jovem partilhará boas
experiências com outros jovens através de espaços e atividades prazerosas que
gerem a produtividade juvenil. Trabalharemos com a conscientização dos alunos
de dois oitavos anos vespertinos da Escola Estadual Imaculada da Conceição so-
bre a problemática do uso e abuso de drogas e suas consequências para melhor
compreender os fatos e situações, intervindo da melhor forma, evitando envol-
vimentos com as substâncias, pois nesta série o conteúdo de Ciências trabalha os
vários sistemas do corpo humano. Este projeto objetiva formar semeadores de
prevenção às drogas por meio de atividades e oficinas que despertem outros in-
teresses nos adolescentes. Para alcançar isso deverá: entender o mecanismo de
funcionamento e prejuízos causados pelas drogas no organismo; compreender
a necessidade e a dificuldade do controle do uso das drogas; e oportunizar mo-
mentos de responsabilidade, salientando o importante papel da escola junto aos
alunos, a família e a comunidade. Identificamos como fatores de risco: a ausência
de conhecimento e controle da escola sobre a presença de drogas; a comunidade
com forte apelo ao consumo; a frágil articulação da escola com parcerias sociais
que fortaleçam sua ação educativa; os vínculos afetivos entre professores e alu-
nos limitados; a falta uma política consolidada por parte da escola com o objetivo
de prevenção ao uso drogas; a escola é próxima de bares. Detectamos como fa-
tores de proteção: as relações de respeito mútuo, o compromisso e cooperação
entre agentes educativos; as relações amistosas e de cooperação entre família
e escola; promoção de atividades sociais, esportivas e culturais significativas à
comunidade; a presença de afetividade e confiança no ambiente escolar entre

31
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

outros. O Projeto será executado pelo corpo docente composto por duas pro-
fessoras, de ciências e de arte, além de uma pedagoga. Será dividido em duas
etapas que acontecerão em um semestre e as ações serão sucessivas, renovadas
e avaliadas de acordo com a necessidade da escola. Como profissionais da educa-
ção podemos de alguma forma intervir e ajudar, por isso pretendemos ampliar as
discussões sobreo uso indevido de drogas na vida individual e coletiva.

Palavras-chave: Protagonismo juvenil; Ciências; Substâncias tóxicas.

32
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

DIGA SIM À VIDA

Aafke Marjan de Jager de Liz1, Maria Estela de Almeida2,


Marli de Jesus Koralevski Machado3

Escola Estadual do Campo Castrolanda/Castro/PR/aafkeliz@gmail.com


1

Escola Estadual do Campo Castrolanda/Castro/PR/stelinha0210@hotmail.com


2

Escola Estadual do Campo Castrolanda/Castro/PR/marlijk30@gmail.com


3

Resumo - A escola é sempre lembrada como o local de excelência onde deve se de-
senvolver ações de educação preventiva e a conscientização sobre os malefícios
causados pelo abuso de drogas à vida humana e que devem sim, buscar sempre
formas de melhorar a qualidade de vida, agindo com responsabilidade, preser-
vando a nossa maior fonte de felicidade e realização: a saúde. Dessa forma, a Es-
cola Estadual do Campo Castrolanda, que oferta ensino em período matutino e
vespertino, atendendo aproximadamente 165 alunos do ensino fundamental II,
chegará ao nosso principal objetivo que é: despertar e valorizar a vida. Para isso,
será necessário atingir os dois principais objetivos específicos do projeto, que
é atuar e realizar ações preventivas relacionadas às drogas na escola e inserir a
proposta no projeto político-pedagógico da escola da instituição, que subsidie o
desenvolvimento da prevenção ao uso indevido de drogas. O público-alvo são os
alunos da escola, e, consequentemente, toda a comunidade escolar. Sendo que,
não há evidências de que nossos alunos tenham envolvimento com drogas, mas
esse é um problema social e atinge direta ou indiretamente a todos e temos que
desenvolver atividades preventivas. Por isso, foi escolhido trabalhar a integração
da prevenção no currículo escolar (Eixo1), tendo em vista as especificidades do
nosso contexto escolar. Inclusive incluindo no Projeto Político Pedagógico na ins-
tituição. Iniciamos o projeto de prevenção “Diga Sim à Vida!”, na semana cultural
comunidade/escola, em agosto deste ano, com atividades de natureza interdis-
ciplinar na escola, com um dia voltado para essa temática, com explanação das
consequências do uso de drogas e a importância de valorizar a vida, utilizando
multimídia, também com teatro e música, procurando atingir os objetivos refe-
rentes a cada atividade, resultando em confecção de cartazes de campanhas em
favor da vida e contra as drogas, que foram expostas nas entidades comerciais
da região. Os professores darão continuidade no decorrer do ano letivo de dois
mil e quinze, de acordo com os conteúdos abordados em sala de aula e logo esse
projeto de prevenção estará incluído na proposta curricular para os próximos
anos letivos. Para isso, contaremos com a participação de toda a comunidade es-

33
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

colar e, primordialmente, o comprometimento dos professores na execução do


proposto no Projeto Político Pedagógico. O desafio deste projeto é a luta pela
valorização da vida como um bem social a serviço da construção de uma socieda-
de mais digna e fraterna e por isso é preciso desenvolver atividades pedagógicas
que abranjam os direitos, deveres e virtudes.

Palavras-chave: Prevenção; Saúde; Drogas; Escola; Comunidade escolar.

34
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

CONECTADOS COM A PREVENÇÃO

Itamara Peters1, Glaucia Sanchez2, Thaissa Regina Semchechen3,


Ana Lúcia Mathias4, Simone Fernandes5, Linda Kátia Coelho6,
Nádia Strobel de Lucca7, Thassiane Maria Poi8

1
Escola Municipal Julia Amaral Di’Lenna/Curitiba/PR/itamarapeters@gmail.com
Escola Municipal Julia Amaral Di’Lenna/Curitiba/PR/glauciasanchez@gmail.com
2

3
Escola Municipal Julia Amaral Di’Lenna/Curitiba/PR/thaissa.ams@gmail.com
Escola Municipal Julia Amaral Di’Lenna/Curitiba/PR/ analucia.mathias@gmail.com
4

5
Escola Municipal Julia Amaral Di’Lenna/Curitiba/PR/simonebem@curitiba.org.br
Escola Municipal Julia Amaral Di’ Lenna/Curitiba/PR/katiacoelho.linda@yahoo.com.br
6

7
Escola Municipal Julia Amaral Di’Lenna/Curitiba/PR/ndeluca85@gmail.com
8
Escola Municipal Julia Amaral Di’Lenna/Curitiba/PR/thassiane@gmail.com

Resumo - O consumo de drogas cresce consideravelmente a cada dia, ela não esco-
lhe religião ou nível social; está presente em todos os lugares e realidades desde
muito tempo. A prevenção do uso indevido de drogas é fundamental para a sen-
sibilização sobre os riscos e perigos causados por elas. As ações de prevenção
nas escolas não deveriam ser isoladas ou tratadas fora do contexto de uma prá-
tica pedagógica. Sendo assim, o presente projeto busca trabalhar com a temá-
tica do ponto de vista do fortalecimento individual e da discussão do tema. Tal
trabalho envolve um projeto multidisciplinar de intervenção a ser aplicado em
turmas do sétimo ano do Ensino Fundamental, da Escola Municipal Julia Amaral
Di’Lenna, integrando as ações de prevenção ao currículo escolar. Sua finalidade é
fortalecer os educandos e criar uma rede de prevenção, habilitando o estudante
a tomar decisões, fortalecer a autoestima e os vínculos interpessoais, resolver
problemas, refletir sobre suas ações e atitudes e capacitar para o manejo de suas
emoções. Para atingir esses objetivos propomos a criação e organização de um
blog com sugestões de atitudes e situações que incentivam hábitos saudáveis de
vida, tomando como base a cultura, a arte e o conhecimento científico. As ações
propostas foram intensificadas no terceiro trimestre do ano letivo de dois mil
e quatorze, finalizando a aplicação das propostas durante o mês de novembro
do mesmo ano com as publicações das atividades no blog criado e síntese do
trabalho. Para realizar as ações do projeto utilizamos recursos tecnológicos dis-
poníveis na escola, revistas, livros, artigos científicos, dinâmicas, dramatizações,
músicas, biografias e obras de arte. Trabalhar com a prevenção ao uso de dro-
gas proporcionou aos nossos estudantes uma socialização entre escola, família

35
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

e comunidade. A proposta realizada veio de encontro com as dificuldades de in-


teragir a temática no espaço educativo, onde a falta de oportunidades para dis-
cussão das questões dificultavam o acesso do conteúdo a ser trabalhado com os
docentes da escola. Mas, diante das dificuldades relacionadas acima observamos
o avanço do grupo tanto de docentes quanto de estudantes em refletir sobre
hábitos de vida saudável em relação ao uso de drogas licitas e ilícitas.

Palavras-chave: Escola; Conexão; Criança; Prevenção.

36
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

PEQUENOS DETALHES QUE FAZEM A DIFERENÇA

Elisandra Aparecida Czekalski1, Francieli Vanessa Schleider2,


RosianeMargottiStavicki3, Doroteia Roik4, Alessandra Bastos5,
Sirlei MargottiStavicki6, Elisabete Cristina Szumilo7,
Vanessa Ferreira Matozo8, Jocimara Almeida Franco9, Silvia Gravonski10

1
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/elisandra_czk@hotmail.com
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/francielischleider@hotmail.com
2

3
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/rosimargotti@hotmail.com
4
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/doroteia.roik@hotmail.com
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/allebastos30@hotmail.com
5

6
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/sirleimargotti@hotmail.com
7
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/elisabeteszs@hotmail.com
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/vane_fmatozo@hotmail.com
8

9
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/jocimara_almeidafranco@hotmail.com
10
CMEI Leopoldina Chudek/Irati/PR/tilvinha2007@hotmail.com

Resumo - O projeto desenvolvido no CMEI Leopoldina Chudek foi pensado a partir


da observação das brincadeiras das crianças que são atendidas na instituição.
Nestas brincadeiras as crianças representavam o que vivenciavam em suas casas,
brincando de fumar, de vender e beber bebidas alcóolicas. A partir desta reali-
dade pretendeu-se com o desenvolvimento deste trabalho, despertar uma nova
consciência para com os danos do uso de drogas, especificamente o do tabaco e
álcool, por parte dos funcionários e dos familiares dos alunos atendidos, propi-
ciar encontros com a participação da família para discutir o risco e medidas pre-
ventivas do uso de drogas, organizar e distribuir cartilhas informativas, e desen-
volver com as crianças apresentações para sensibilizar os familiares. Tendo como
foco principal funcionários e familiares dos educandos. Partindo da premissa do
Eixo 3 Resgate da autoridade na família e na escola, foram elencadas as ações
para efetivação do projeto, foi realizado palestra instrutiva aos funcionários e
familiares abordando os malefícios do uso do álcool e tabaco, a palestra foi reali-
zada através da parceria com o Departamento de Prevenção do uso de tabaco da
Secretaria Municipal de Saúde do município de Irati e com o Centro de Atenção
Psicossocial – CAPS. Pode-se afirmar que tanto o curso quanto a realização do
projeto foram de grande valia, pois todos os atores ali envolvidos puderam so-
mar e acrescentar conhecimentos, com certeza foi plantado uma sementinha em
cada consciência que se fez ali presente durante a palestra e demais atividades,
e que em algum momento no futuro irá produzir frutos de sabedoria em afastar-

37
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

se, ou de não deixar-se envolver-se pela sedução barata porém com alto custo
das drogas. Pretende-se dar continuidade ao projeto, mesmo sendo em alguns
momentos trabalhoso e complexo o trabalho relacionado às questões como das
drogas com as crianças pequenas, no entanto a receptividade a ele foi signifi-
cativa, e sabe-se que abordar questões da prevenção do uso de cigarro e álcool
na primeira infância é de suma importância principalmente no contexto escolar,
que é em muitos casos o único lugar onde esta criança terá acesso a informação
de forma adequada, o que poderá evitar que elas tenham curiosidade em experi-
mentar estas ou outras drogas futuramente, pois impera na sociedade a cultura
de que crianças não entendem o que presenciam, e que o simples fato de falar
não faça, os impedirá de seguir as ações dos adultos.

Palavras-chave: Educação Infantil; Prevenção; Drogas.

38
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS

Patrícia Perdomo Varag1, Érica Lúcia de Oliveira Schoffen Rodrigues2,


Clarice Aparecida Alves Palozi Faria3, Cleonice Aparecida Sofientini Fernandes4,
Lourdes Navarro Soler Malavazi5, Maria Aparecida Piovezan6,
Maria Rosiney Lacotiz Gabiati7, Marlene Panarali de Oliveira8

1
Colégio Est. Lúcia Alves de Oliveira Schoffen/Altônia/PR/patriciavarago@yahoo.com.br
2
Colégio Est. Lúcia Alves de Oliveira Schoffen/Altônia/PR/ericaschoffen@hotmail.com
3
Colégio Est. Lúcia Alves de Oliveira Schoffen/Altônia/PR/claricepalozi@hotmail.com
4
Colégio Est. Lúcia Alves de Oliveira Schoffen/Altônia/PR/nicesofernandes@hotmail.com
5
Colégio Est. Lúcia Alves de Oliveira Schoffen/Altônia/PR/lourdesnasoma@seed.pr.gov.br
6
Colégio Est. Lúcia Alves de Oliveira Schoffen/Altônia/PR/mariapiovezan@hotamail.com
7
Colégio Est. Lúcia Alves de Oliveira Schoffen/Altônia/PR/rosiney_lacotiz@hotmail.com
8
Colégio Est. Lúcia Alves de Oliveira Schoffen/Altônia/PR/marlenepanarali@hotmail.com

Resumo - Este projeto de prevenção ao uso de drogas desenvolvido no Colégio


Estadual Lúcia Alves de Oliveira Schoffen, cidade de Altônia, Paraná, pretendem
criar ações envolvendo: educandos, educadores e funcionários visando melhorar
a autoestima dos alunos, por meio de ações educativas, dando ênfase na preven-
ção do uso indevido de álcool e outras drogas. Os objetivos estabelecidos foram:
aumentar a autoestima dos alunos dos 9ºs anos, por meio de ações educativas,
dando ênfase na prevenção do uso indevido de álcool e outras drogas, realizar
palestra com profissional da área da saúde sobre qualidade de vida, exibir o filme:
Escritores da Liberdade, debatendo com os alunos os pontos relativos ao tema, or-
ganizar dinâmicas que estimulem a autoestima. Os fatores de risco identificados:
vivência de exclusão nas relações escolares, ausência de relações de cooperação
entre algumas famílias e a escola, frustração e pressão diante das experiências de
aprendizagem, desmotivação e desengajamento em relação às atividades escola-
res, proximidade da rede de distribuição de drogas com a escola, relações com os
colegas usuários de drogas dentro da escola, realização de trabalho em condições
adversas, como: atividades ilícitas e trabalho infantil, relações conflituosas na fa-
mília, com uso de violência para lidar com conflitos, baixas expectativas e baixo
investimento familiar em relação ao futuro e projeto de vida do adolescente. No
decorrer do projeto serão utilizados diversos recursos: Recursos humanos: Profes-
sores e funcionários do colégio, profissional da área da saúde, psicóloga. Recur-
sos materiais: recursos multimídia e audiovisuais; DVD, cartolinas, computadores,
vídeo clips, músicas, jornais, revistas, papel sulfite, giz de cera, lápis de cor, pen
drive, CD. Através da elaboração do presente projeto passamos a conhecer melhor

39
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

nossos educandos e a realidade onde vivem. Visto que nossa escola já conta com
a parceria de algumas entidades, grupos religiosos que oferecem apoio e encami-
nhamento para tratamento e recuperação, nós optamos por elaborar um projeto
visando à prevenção e integrado ao currículo. Acreditamos que esta atividade foi
uma pequena semente para melhorar a autoestima de nossos alunos, tendo assim
alcançado nosso objetivo pretendido. Os conhecimentos e experiências adquiri-
dos ao longo deste curso foram contribuições importantes para nosso trabalho
pedagógico, nos impulsionou a olhar de forma diferente nossos educandos com o
propósito motivá-los a ir além, buscarem sempre o melhor, serem sujeitos agentes
e transformadores em nossa sociedade.

Palavras-chave: Drogas; Prevenção; Autoestima; Qualidade de vida.

40
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

CONHECIMENTO E PREVENÇÃO

Iara Machado dos Santos1, José Renato Bonatto2, Milca Augusto da Silva Costs3,
Mirian Garcia Sári Kovaski4, Mirian Trindade Rosa5,
Rubia Basilli Beraldo Mendes Frontelli6, Sandra Regina Singer Aust7

1
COLÉGIO PAULO LEMINSKI, Curitiba/PR/ iara_santos@hotmailm
2
COLÉGIO PAULO LEMINSKI, Curitiba/PR/ jrbonatt@yahoo.com.br
COLÉGIO PAULO LEMINSKI, Curitiba/PR/milcaascosta@yahoo.com.br
3

4
COLÉGIO PAULO LEMINSKI, Curitiba/PR/ m.kovaski@hotmail.com
5
COLÉGIO PAULO LEMINSKI, Curitiba/PR/mirian.trindade50@gmail.com
6
COLÉGIO PAULO LEMINSKI, Curitiba/PR/ rubiabasilli@celepar.pr.gov.br
COLÉGIO PAULO LEMINSKI, Curitiba/PR/ sandraust@ibest.com.br
7

Resumo - O presente projeto é de caráter interdisciplinar, e envolverá a participa-


ção de professores de todas as áreas do conhecimento, direção, equipe peda-
gógica, especialistas, comunidade escolar, pais e alunos que entendemos como
sujeitos do projeto, para quem converge a preocupação e comprometimento do
espaço escolar. Na expectativa de conhecer esse nosso sujeito, sentimos a ne-
cessidade de traçar um perfil social mais detalhado dos alunos de nossa escola,
conhecendo a realidade dos seus pais, através de um questionário socioeconô-
mico observando suas profissões, escolaridade e estilo de vida. O objetivo geral
da proposta é a integração do grupo de pessoas que compõe a comunidade es-
colar do Colégio. Como específicos apontamos a capacitação dos profissionais, a
difusão das mazelas decorrentes da utilização das drogas além do oferecimento
à comunidade escolar aportes básicos necessários para garantir o acolhimento
e encaminhamento das pessoas que necessitem dos cuidados de profissionais e
órgãos competentes. A metodologia proposta é focar o tema em três momen-
tos: professores e funcionários; pais ou responsáveis; e alunos. A primeira etapa
do projeto refere-se à elaboração e reprodução do projeto para ser encaminha-
do para gestores, professores e funcionários em geral, realizada no decorrer do
ano de 2014, na segunda etapa, durante o final desse ano letivo serão convida-
dos profissionais e técnicos, paralelamente a esta etapa, os professores em suas
aulas farão leitura de textos, debates dirigidos, estimulação de paródias, danças,
músicas grafite, cartazes, teatros, sessões de cinema com apresentação de fil-
mes que abordem o narcotráfico para uma demonstração real e prática, contex-
tualizada sobre as consequências do uso indevido de drogas, para essa fase o

41
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

grupo fará uso de materiais disponibilizados pelo curso, pelo MEC e também do
jogo dos balões disponíveis no site Educar e Aprender. Para a operacionalização
do nosso projeto serão necessários os profissionais da escola, os que angariamos
em nossas redes de conhecimento para a propositura de vivências variadas e a
participação da família além da utilização de materiais multimídias, tinta spray e
os espaços comuns da escola.

Palavras-chave: Escola; Comunidade; Integração; Prevenção.

42
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

FORTALECENDO A PARCERIA ENTRE FAMÍLIA E ESCOLA

Cesarina Bossoni1, Claudia Maria Alves2, Elenice Lúcia Martins Franzói3,


Fátima Barbosa Guitti4, Faustino Vicente Lopes5, Isabel Uliana6,
Luzia Marques Queiroz7

Escola Estadual Princesa Izabel/Paiçandu/PR/ cesabossoni@hotmail.com


1

2
Escola Estadual Princesa Izabel/Paiçandu/PR/ Kumon.paicando@hotmail.com
3
Escola Estadual Princesa Izabel/Paiçandu/PR/ elefranzoi@hotmail.com
4
Escola Estadual Princesa Izabel/Paiçandu/PR/ fatimaguitti@hotmail.com
Escola Estadual Princesa Izabel/Paiçandu/PR/ Tino-lopes@hotmail.com
5

Escola Estadual Princesa Izabel/Paiçandu/PR/ isabelcatabriga@hotmail.com


6

7
Escola Estadual Princesa Izabel/Paiçandu/PR/ luziamq1@hotmail.com

Resumo - A Escola Estadual “Princesa Izabel” oferta o Ensino Fundamental nos


anos finais; Sala de Recursos do 6º ao 9º ano de Deficiência Mental/Intelectual
e/ou Transtornos Funcionais Específicos; e o curso de Espanhol pelo CELEM. Os
problemas que envolvem o uso de drogas em nossa escola são vários, desaten-
ção, conflitos familiares, perda de interesse na escola, desestruturação familiar,
presença de violência na família junto com a miséria que vive alguns adolescen-
tes, pais que fazem uso abusivo de drogas como álcool, cigarro e maconha, pais
excessivamente autoritários e os filhos quando tem uma oportunidade ou pela
influência dos amigos acaba entrando no mundo das drogas. O projeto surgiu da
necessidade de se falar abertamente sobre a questão das drogas na escola. O
objetivo geral foi desenvolver um trabalho coletivo no ambiente escolar incluin-
do a família no processo ensino-aprendizagem, como parceiros e colaboradores,
estimulando a participação da comunidade escolar como um todo na educação e
prevenção do uso de drogas. Os objetivos específicos são, conscientizar os alu-
nos de que o fumo e a bebida alcoólica constituem drogas perigosas; sensibilizar
para a participação direta nas atividades de prevenção ao uso indevido de dro-
gas; desenvolver a espontaneidade e a auto-estima dos alunos para facilitar a co-
municação com os pais; aumentar a participação da família nas ações educativas
de prevenção de drogas. Os sujeitos da intervenção são alunos de 5 turmas do
9º ano do período diurno (13 a 16 anos) e turmas dos 7º, 8º e 9º anos do período
noturno (14 a 20 anos). A metodologia se pauta em: reunião com todos os mem-
bros da escola para divulgação do projeto; sondagem nas turmas e nas famílias
por meio de um questionário; convite à patrulha escolar para palestras; convite a
membros da igreja que trabalham com dependentes químicos para palestrarem;
e atividades a serem realizadas nas turmas como: textos, filmes, vídeos, teatro,

43
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

músicas e paródia sobre prevenção; e convite às comunidades escolares para


participarem das palestras. Assim, o eixo definido pelo grupo contempla o resga-
te da autoridade na família e na escola, buscando a parceria escola-família como
um potencial. Trata se de oferecer espaços para compartilharem e construírem
juntos possíveis respostas às questões que são comuns à família e à escola no
cotidiano de cada uma junto ao aluno. Estarão envolvidos na realização do pro-
jeto durante o semestre: a comunidade escolar, famílias, membros do grupo de
teatro, patrulha escolar, grêmio estudantil e outros. Os recursos materiais são
espaço escolar, TV, pendrive, vídeos, data show, computador interativo entre ou-
tros. A nossa escola teve um ganho muito bom com a implementação do projeto,
tanto pelo conteúdo abordado como a participação da comunidade.

Palavras-chave: Prevenção, Família, Drogas, Comunidade, Escola.

44
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

ABUSO DE DROGAS? PREVENIR É O CAMINHO

Adriane Inês Wendler1, Ana Lucia Sergiki2, Anielle Moraes Mansani3,


Edson Luiz Rigoni4, FrancianeCzelusniak5, Geceli Maria Ragnini6,
Neri Teixeira de Freitas7, Sibeli Barausse8, Soraya Comin9

1
Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo/Palmeira/PR/adrianeines@seed.pr.gov.br
2
Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo/Palmeira/PR/anasergiki@seed.pr.gov.br
3
Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo/Palmeira/PR/animansani@hotmail.com
4
Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo/Palmeira/PR/edsonlrigoni@ig.com.br
5
Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo/Palmeira/PR/francianeczk@yahoo.com.br
6
Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo/Palmeira/PR/gecelicosta@gmail.com
Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo/Palmeira/PR/nerifreitas@seed.pr.gov.br
7

8
Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo/Palmeira/PR/sibele_b86@hotmail.com
9
Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo/Palmeira/PR/sosocomin@gmail.com

Resumo - O Colégio Estadual do Campo de Pinheiral de Baixo, situado na localida-


de de Pinheiral de Baixo, zona rural do município de Palmeira, estado do Paraná,
atende aproximadamente 160 alunos de diversas localidades adjacentes. Pela
manhã são atendidos alunos do Ensino Médio e no período da tarde os do Ensino
Fundamental do 6º ao 9º anos, aos quais se destinam esse projeto. Os alunos são
filhos de agricultores familiares, cuja renda está ligada praticamente ao plantio
de tabaco. Há índices de jovens envolvidos com uso de drogas, principalmen-
te bebidas alcoólicas. Não raro, percebem-se nas festas da comunidade jovens
maiores de idade comprando bebidas e distribuindo para menores. Sendo o foco
central a busca pela tomada de consciência da comunidade para prevenir o uso
dessas substâncias, primeiramente pelo conhecimento de quais são elas, seus
efeitos e implicações e com isso promover a saúde. Tendo em vista os fatores de
risco: a falta de informação da comunidade, o manuseio de substâncias tóxicas
como defensivos agrícolas e o cultivo do tabaco e os fatores de proteção (a rede
interna da escola e as redes externas como a própria comunidade informada e o
centro de referência em assistência social, patrulha escolar comunitária e a par-
ceria com o sindicato dos trabalhadores rurais de Palmeira), foi possível traçar
metas para desenvolver esse projeto. Por conseguinte, a sua efetivação consiste
primeiramente num estudo abrangente da temática dentro dos três eixos: inte-
gração da prevenção no currículo escolar, participação juvenil e a formação de
multiplicadores e acolhimento de educandos em situação de risco, dentro dos
meses de outubro e novembro de 2014. Propõe-se a divisão de tópicos por turma
abordando os conteúdos: o que são drogas e como surgiram, ficando essa parte

45
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

para a disciplina de História; tipos de drogas existentes, sendo trabalhado em


Ciências e Biologia; conflitos sociais e drogas, tema explorado pelas disciplinas
de Sociologia, Filosofia e Geografia; drogas e saúde pública, sendo trabalhada
essa temática em Educação Física; e as drogas e a mídia com enfoque nas discipli-
nas de Arte, Língua Portuguesa e Língua Inglesa. A partir dos estudos realizados
em sala, cada grupo deverá apresentar as sínteses no evento de culminância,
onde toda a comunidade deverá estar presente. Este evento terá a característica
de simpósio, onde serão apresentados os resultados do trabalho desenvolvido
em sala de aula, com uso de slides, vídeos, cartazes, músicas, paródias e palestra
com o responsável pelo PROERD no município. A partir da avaliação realizada
e dos ótimos resultados obtidos com a execução do projeto, pretende-se con-
solidar essa proposta no projeto político-pedagógico do colégio aprimorando-o
para o ano de 2015 e anos posteriores.

Palavras-chave: Prevenção; Drogas; Escola; Saúde.

46
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

FORMANDO CIDADÃOS CONSCIENTES

Rosimari Bueno Barbosa1, Vanusa Shirley Guiselim Borges2,


Camila Correia Gabeloni3, Marisalda de Souza Marquezoni4,
Ângela Maria Madeira Andrade5

Escola Municipal Tempo Integral/Umuarama/PR/rosimaribueno@hotmail.com


1

Escola Municipal Tempo Integral/Umuarama/PR/vanusasg@yahoo.com.br


2

3
Escola Municipal Tempo Integral/Umuarama/PR/ca_gabeloni@hotmail.com
Escola Municipal Tempo Integral/Umuarama/PR/marisalda_marquezoni@hotmail.com
4

Escola Municipal Tempo Integral/Umuarama/PR/ang_madeira@hotmail.com


5

Resumo - O presente trabalho se faz necessário como forma de prevenção e cons-


cientização dos alunos, pois os mesmos convivem com fatores de risco na família
e na comunidade. A escola está inserida num bairro de periferia da cidade com
um nível de violência considerado elevado, pois há consumo de substâncias tó-
xicas nas proximidades, furtos, depredação do patrimônio público, violência do-
méstica entre outros delitos. Por meio desse trabalho, objetiva-se desenvolver
ações preventivas quanto ao uso de drogas, salientando a importância de man-
ter-se longe das mesmas por meio de metodologias diferenciadas e de acordo
com cada faixa etária apontar as consequências do uso de drogas, conscientizar
as crianças a manter-se afastadas das drogas lícitas e ilícitas e sensibilizá-las aos
valores morais e éticos. Os sujeitos de intervenção serão os alunos do 1º e 2º
ciclos, sendo que, com os alunos do 1º ciclo o trabalhado será realizado por meio
de leitura do livro, de roda de conversa e produção de cartazes que mostrem as
atitudes que prejudicam a saúde, como o uso de bebidas alcoólicas, cigarro, me-
dicamentos, produtos de limpeza. Serão abordados temas sobre a amizade, res-
peito, gentileza, solidariedade, justiça e exposição de desenhos elaborados pe-
las crianças sobre o tema trabalhado. É pertinente salientar que o trabalho sobre
valores éticos e morais é realizado ao logo de todo ano letivo. Com os alunos do
2º do ciclo o trabalho será desenvolvido a partir de vídeos sendo um documen-
tário do Discovery com o tema “Como Funcionam as Drogas” e um vídeo de Hap
dos Racionais Mc´s com o tema “Depoimento de um viciado” a partir dos vídeos
e de questionamentos orais e escritos sobre o tema os alunos produzirão frases
sobre a importância de preservar a vida e promover a saúde, a partir disso con-
feccionaremos cartazes com ilustrações e frases para expor na escola. Com os
alunos do segundo e quinto ano, será realizada roda de conversa sobre o tema,

47
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

após a explanação do tema, os alunos produzirão cartazes que serão afixados


por toda a escola, como forma de chamar a atenção para o tema proposto, uma
maneira de que os pais percebam o engajamento da escola, quanto a prevenção
do uso de drogas. O período de desenvolvimento do presente projeto compreen-
derá os meses de maio a dezembro de 2014. O desinteresse de alguns pais em par-
ticipar da vida escolar do filho, o fato de 70% de nossos alunos sofrerem violência
doméstica, social, emocional e abuso sexual, são fragilidades. O engajamento de
toda a equipe que compõe o quadro de funcionários da escola, a presença de afe-
tividade e confiança no ambiente escolar, a relação de respeito mútuo e trabalho
em grupo contribui para a socialização e implementação do projeto.

Palavras-chave: Prevenção; Drogas; Conscientização.

48
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

PROJETO EDUCAÇÃO E SAÚDE: EDUCAÇÃO COMO


MEDIADORA NA PREVENÇÃO CONTRA O USO DE DROGAS

Dalva Maria Galmacci Cardoso1, José Mario Lenartovicz2,


Leila Aparecida Assolari Cardoso3, Leonice Liberato da Silva4,
Neiva Cristina de Oliveira5, Rosane Czekalski Barbosa6,
Vanilda Maria Teles Gouveia7

Colégio Estadual Rosa Delucia Calsavara/Cambira/PR/professoradalva@brturbo.com.br


1

Colégio Estadual Rosa Delucia Calsavara/Cambira/PR/zeejane@ibest.com.br


2

Colégio Estadual Rosa Delucia Calsavara/Cambira/PR/leilassolari@yahoo.com.br


3

4
Colégio Estadual Rosa Delucia Calsavara/Cambira/PR/leonicellsilva@hotmail.com
5
Colégio Estadual Rosa Delucia Calsavara/Cambira/PR/neivacambira@hotmail.com
Colégio Estadual Rosa Delucia Calsavara/Cambira/PR/naneczecalski@hotmail.com
6

Colégio Estadual Rosa Delucia Calsavara/Cambira/PR/vanitelegouveia@hotmail.com


7

Resumo - A educação e a saúde precisam estar interligadas, principalmente quan-


do o assunto é vida saudável, dignidade e respeito à vida. A cada ano percebe-
mos o aumento do uso indevido e abusivo de drogas na sociedade atual. Diante
desta situação, percebeu-se a necessidade da realização de um trabalho voltado
à prevenção do uso de drogas, mobilizando a comunidade interna e externa da
escola. De início na escola e posteriormente na comunidade local, nas famílias
dos alunos e demais órgãos do município. Após os resultados dos questionários
aplicados aos alunos, verificaram-se alguns casos em estágios bastante avança-
dos de dependência. Por se tratar de um município com poucos habitantes o
índice de usuários é bastante significativo entre crianças, jovens, adultos e até
idosos. A escola por concentrar um grande número de pessoas na faixa etária
em idade vulnerável torna-se alvo de sujeitos mal intencionados como usuários
e traficantes, que usam os próprios estudantes como “bodes expiatórios”, para
repassarem as drogas que depois também se tornam dependentes nas mãos
destas pessoas. A metodologia pretende inicialmente estimular a pesquisa con-
ceitual e informacional acerca do tema e propor algumas práticas com o intuito
de elevar o conhecimento, a conscientização e a prevenção de uso de álcool e
drogas. A primeira atividade a ser realizada será a sensibilização dos integran-
tes da comunidade escolar e pessoas da comunidade interessadas no assunto,
onde será promovida a sensibilização para a participação direta nas atividades
de prevenção. Será divulgado o resultado da pesquisa diagnóstica realizada com
alunos. Em seguida cada área de ensino, trabalhará o tema em suas aulas utili-
zando-se dos recursos disponíveis na escola, proporcionando pesquisas na inter-

49
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

net, orientações, prevenção e conscientização dos alunos, exibição de filmes e


vídeos, promoção de palestras, entrevistas e debates com autoridades policiais,
membros do conselho tutelar, médicos e outras pessoas que possam colaborar
para atingir o objetivo do presente projeto. As avaliações deverão acontecer
durante todo o processo de realização do projeto, através da observação dos
professores e baseada em critérios pré-estabelecidos. Como resultado espera-
se que as pessoas se tornem mais conscientes sobre os malefícios causados pelo
uso de drogas à vida humana e que busquem sempre formas de melhorar a sua
qualidade de vida, agindo com responsabilidade e preservando sua saúde, a de
seus amigos e familiares.

Palavras-chave: Educação e Saúde; Prevenção, Currículo; Gestão Participativa; Me-


diação no Combate às Drogas.

50
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

DROGAS: CRIANDO POSSIBILIDADES DE


CONSCIENTIZAÇÃO E PREVENÇÃO

Ângela Rosani Fontana1, Cássia R. Balvedi Zancan2, Eliza M. M. Baggio3,


Lílian Carla da Silva Santos4, Lorimar S. Spivakoski5, Cláudia Cristina B. de B. da Rosa6,
Cláudia Kunh7, Francisco Marcelo Correa8, Vera R. de Morais9

C.E.E.B.J.A. Novos Horizontes/Francisco Beltrão/PR/angelarf@seed.pr.gov.br


1

2
C.E.E.B.J.A. Novos Horizontes/Francisco Beltrão/PR/cassiazancan@seed.pr.gov.br
3
C.E.E.B.J.A. Novos Horizontes/Francisco Beltrão/PR/elizab@seed.pr.gov.br
4
C.E.E.B.J.A. Novos Horizontes/Francisco Beltrão/ PR /liliancarla@seed.pr.gov.br
5
C.E.E.B.J.A. Novos Horizontes/Francisco Beltrão/PR/lorimars@seed.pr.gov.br
C.E.E.B.J.A. Novos Horizontes/Francisco Beltrão/PR/claudiabarros@seed.pr.gov.br
6

7
C.E.E.B.J.A. Novos Horizontes/Francisco Beltrão/PR/claudiak@depen.pr.gov.br
8
C.E.E.B.J.A. Novos Horizontes/Francisco Beltrão/PR/franciscocorrea@depen.pr.gov.br
9
C.E.E.B.J.A. Novos Horizontes/Francisco Beltrão/PR/veramorais@depen.pr.gov.br

Resumo - Partindo da concepção de que a escola é uma instituição social, e que


busca através do processo educativo, a construção do sujeito individual e coleti-
vo, que se organiza socialmente ao longo da história, faz-se necessário conhecer
quem é este sujeito. Percebeu-se que o educando desta instituição de ensino,
que funciona dentro da Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão, onde todos
são privados de liberdade, que a grande maioria já teve contato com drogas, sen-
do elas lícitas ou ilícitas, alguns sendo dependentes químicos e outros consumi-
dores esporádicos. Baseado nisso, visando o pleno desenvolvimento da pessoa,
seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o mundo do
trabalho, e que, em especial, nosso educando têm mais um obstáculo pela fren-
te, que é a sua reinserção à sociedade, objetivou-se um projeto na unidade penal,
que contemplasse o assunto “drogas”, seus danos individuais, à família, à socie-
dade, profilaxia, conhecimento de dados importantes, enfim, uma gama de subi-
tens que priorizem ao educando, ações de promoção à saúde e sua inserção em
redes de proteção, visto que, fazem parte de um grupo considerado de risco, por
já ter tido contato com drogas e violência anteriormente. Outro objetivo é tor-
nar conhecido ao educando, a existência das múltiplas alternativas de serviços e
centros especializados, que fazem parte de uma rede de prevenção e proteção
que motivem o educando na sua reinserção social, que acontecerá no decorrer
do ano letivo de 2014 e 2015. Serão utilizados como recursos metodológicos
palestras por equipe multidisciplinar, relatos de experiências, peças de teatro
e elaboração de uma cartilha de orientação e divulgação referente às redes de

51
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

apoio de proteção e prevenção à saúde, que tem como eixo norteador – o acolhi-
mento do educando em situação de risco, em função da especificidade que este
educando, que também apresenta baixa escolaridade e longo tempo de afasta-
mento da escolarização; carência de atendimento por profissionais técnicos e
falta de iniciativas que objetivem de fato a reinserção social. Acreditamos que
a implementação do mesmo, colaborará para que o aluno/cidadão, privado de
liberdade, retorne ao convívio social, fortalecido e instrumentalizado de saberes
que minimizem os fatores de risco e lhe dêem novas perspectivas de convivência
social de forma lícita e digna.

Palavras-chave: Drogas; Prevenção; Proteção; Educando; Saúde.

52
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

A ARTICULAÇÃO DE POLÍTICAS E SEGMENTOS DA ESCOLA


NA PREVENÇÃO DO USO DE DROGAS NUMA PERSPECTIVA
INTERDISCIPLINAR E INTEGRADA

Ana Cacilda de Almeida1, Ana Maria Sampietro2, Eroni Aparecida de Camargo3,


José Maria de Oliveira4, José Armando Mellos Woitchekoski5,
Maria Joana A. Kramer Sens6, Zélia do Belém de Oliveira7

1
Colégio Estadual Procópio Ferreira Caldas/Pinhão/PR/ anacacilda@seed.pr.gov.br
Colégio Estadual Procópio Ferreira Caldas/Pinhão/PR/anamgeografia@yahoo.com.br
2

3
Colégio Estadual Procópio Ferreira Caldas/Pinhão/PR/camargoeroni@yahoo.com.br
4
Colégio Estadual Procópio Ferreira Caldas/Pinhão/PR/zedeoliveira@uol.com.br
5
Colégio Estadual Procópio Ferreira Caldas/Pinhão/PR/josearmandomw@yahoo.com.br
Colégio Estadual Procópio Ferreira Caldas/Pinhão/PR/joanasens@yahoo.com.br
6

Colégio Estadual Procópio Ferreira Caldas/Pinhão/PR/zeliapho@hotmail.com


7

Resumo - Este trabalho visa a demonstrar que a escola não é a única responsável
pela promoção de qualidade de vida, saúde e de educação, porém, ainda é a ins-
tituição onde os fatores de proteção são dominantes. Projetos desenvolvidos
em parceria com as diversas redes de serviço fortalecem as ações, abrangendo
de forma ampla e expressiva as práticas pedagógicas. Sendo assim, o Colégio
Procópio, que tem como demanda em sua maioria, alunos de bairros periféricos
que apresentam um contexto de risco e de vulnerabilidade em relação ao con-
tato com o mundo das drogas busca promover a conscientização e adoção de
práticas permanentes na área da prevenção e enfrentamento, de modo que se
abordem as diferentes relações com o uso de drogas pelos adolescentes. Rea-
liza-se um trabalho de prevenção voltado especificamente para os alunos dos
8º e 9º anos do Ensino Fundamental, em que a faixa etária é de 13 a 15 anos. Os
objetivos serão atingidos por meio da realização de reuniões com os segmentos
da escola, aplicação de questionário nas turmas, realização de oficinas e grupos
de convivência, elaboração, durante a Semana Pedagógica, de planos de aulas
por disciplina. Os objetivos e as ações listadas estão relacionados aos seguintes
eixos norteadores: integração da prevenção no currículo escolar; participação
juvenil e a formação de multiplicadores; resgate da autoridade na família e na
escola; fortalecimento da escola na comunidade e como comunidade; acolhi-
mento de educandos em situação de risco. O projeto vai envolver direção, fun-
cionários, alunos e professores e vai usar a estrutura física e material existente
na escola. As ações começaram a ser efetivadas no segundo semestre de 2014
e continuarão durante todo o ano letivo de 2015. Trata-se de um trabalho que

53
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

tem potencial para trazer significativas contribuições para o enfrentamento do


tema na área da educação escolar. Entretanto, o medo e a insegurança entre os
profissionais para tratar do tema se constituem nos principais desafios a serem
enfrentados. A se julgar pela receptividade da equipe de gestão e pelos profes-
sores, há a convicção do êxito das ações a serem implementadas.

Palavras-chave: Prevenção; Escola; Drogas.

54
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

AS DROGAS E O ADOLESCENTE EM CONFLITO COM A LEI

Alexandra Benicio dos Santos1, Anadélia Lucia Gouvea2,


Marcio Daniel dos Santos3, Nelmir Valério Salles Bittar4,
Paulo Sérgio de Oliveira5

1
Centro De Socioeducação De Maringá/Maringá/PR/alexandrasantos@seds.pr.gov.br
2
Centro De Socioeducação De Maringá/Maringá/PR/anagouvea1@hotmail.com
3
Centro De Socioeducação De Maringá/Maringá/PR/marcio_jhs@ig.com.br
Centro De Socioeducação De Maringá/Maringá/PR/nelmirbittar@ig.com.br
4

5
Centro De Socioeducação De Maringá/Maringá/PR/paulo_vitoria_eli@hotmail.com

Resumo - O Curso de Prevenção ao uso de Drogas para Educadores de Escolas


Públicas possibilita aos educadores a tomada de consciência a cerca deste mal
que aflige nossa sociedade, principalmente nossa infância e juventude. A escola
enquanto espaço de transmissão de saber e construção da consciência social co-
letiva, tem fundamental importância nesse processo formativo. Nesse ínterim a
função da socioeducação não é apenas formar jovens conscientes, mas retomar
um processo que foi prejudicado ou inexistente ao longo da infância e juventude
dos jovens apreendidos. O objetivo deste projeto é realizar o acolhimento ao jo-
vem infrator, identificando os níveis de uso e/ou abuso de álcool e outras drogas,
criando de forma humanizada um atendimento individual e coletivo que possibi-
lite a construção de uma consciência clara e objetiva dos efeitos e malefícios do
uso de substâncias psicoativas na vida pessoal e familiar. Realizaremos entrevis-
ta a fim de investigar e abordar a vida pregressa do adolescente de forma a iden-
tificar suas vulnerabilidades no tema relacionado ao uso de drogas; organizar
palestras e fórum de discussões com profissionais da área de saúde; organizar
grupos de debates e troca de experiências entre os jovens atendidos; verificar
o retorno das informações e alcance do projeto através da produção textual,
gráfica e artística dos adolescentes participantes; Como resultados esperamos
possibilitar aos adolescentes apreendidos a participação num projeto que visa
orientá-los, de forma compartilhada, sobre os riscos que a vivência desta expe-
riência de consumo traz à pessoa e aos que estão em seu entorno. Acreditamos
que com esse projeto poderemos construir uma consciência pessoal e coletiva
sobre as drogas, baseada em exemplos e vivências, não apenas num saber teóri-
co, possibilitando aos jovens a capacidade de definir seu futuro a partir de suas
próprias escolhas.

Palavras-Chave: Drogas; Prevenção; Comunidade; Escola; Saúde.

55
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

PROMOÇÃO DE SAÚDE INTEGRAL: VALORIZAÇÃO DE


PARCERIA COM A REDE INTERNA E EXTERNA

Florinda Silva de Oliveira1, Joenara Beatriz Cechete2,


Thais Damaris da Rocha Thomazini3

1
Colégio Wilson Joffre/Cascavel/Paraná/florindasoliveira@yahoo.com.br
Colégio Wilson Joffre/Cascavel/Paraná/ joenaracechet@hotmail.com
2

Colégio Wilson Joffre /Cascavel/Paraná/ thais.damaris@gmail.com


3

Resumo - Este projeto contempla ações que promovam à saúde dentro e fora do
contexto escolar, englobando a prevenção ao uso de drogas. Nesta perspectiva,
propõe-se relatar sobre a aplicação do projeto em nossa escola o Colégio Esta-
dual Wilson Joffre, o projeto denominado de Promoção de Saúde Integral: valo-
rização do desenvolvimento de parceria com a rede interna e externa da escola.
Optou-se pela aplicabilidade dos eixos de número 4 e 5, respectivamente nessa
ordem. Os eixos de ação e intervenção preventiva que orientam a realização des-
se trabalho são: EIXO 4 – Fortalecimento da escola na comunidade e como comu-
nidade; EIXO 5 – Acolhimento dos educandos em situação de risco. As estratégias
de ações se efetivarão através do contato verbal e escrito; sensibilização; reu-
niões; palestras; acolhidas; trocas de informações, experiências e, orientações. A
efetivação das ações demandará recursos materiais e humanos, entre os quais,
espaço para palestra e palestrante para efetivação do projeto. Atrelada a essa si-
tuação, busca-se o fortalecimento da escola na comunidade e como comunidade
e, concomitantemente, o acolhimento de educandos em situação de risco. As re-
feridas escolhas dos eixos de trabalho se deram por conta das necessidades diag-
nosticas no contexto escolar na etapa da caracterização da comunidade escolar,
dos educandos e da rede social e, a partir deste último, da elaboração dos fato-
res de risco e de proteção. Desse modo, também se pode pensar que os jovens
ao serem acolhidos pelos educadores e pela escola, de modo a serem chamados
a colaborar em ações voltadas à sua proteção, propiciará a estes uma tomada de
consciência de si mesmos. Destaca-se, que o presente estudo tem como objeti-
vo a atuação junto à comunidade escolar com o objetivo de fortalecê-la. Com o
propósito de alcançar o objetivo geral proposto nesse projeto de pesquisa que
se fundamenta em fomentar e fortalecer a participação da rede social interna e
externa da escola, as instâncias e sujeitos de representação do ambiente escolar,
e a integração entre escola, família e comunidade, pretende-se inicialmente, rea-
lizar um estudo teórico e diagnóstico acerca do contexto escolar relacionado à
problemática do consumo de drogas e promoção à saúde, e em sequência, ações

56
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

de intervenção articuladas em conjunto com o Grêmio Estudantil, Associação de


Pais, Mestres e Funcionários (APMF), conselho escolar, e instituições parceiras.
A base metodológica se fundamenta no diálogo constante entre as redes social
interna e externa da escola, considerando as especificidades e características da
comunidade escolar, em especial, o perfil dos estudantes e a relação destes com
a temática estudada e problematizada no projeto.

Palavras-chave: Drogas; Promoção de Saúde; Acolhimento.

57
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

A IMPORTÂNCIA DA AUTORIDADE NA FAMÍLIA E NA ESCOLA

Cleonice Aparecida Derval Alcântara1, Gizelli Jaquelini Alcântara2,


Roseli Franchi Cruk Garcia3, Rozilene Maria Nunes Messagi4,
Silvia Madalena Duarte Portella5

Centro Municipal de Educação Infantil Menino Deus/Ibiporã/PR/cleonice.200@hotmail.com


Centro Municipal de Educação Infantil Menino Deus/Ibiporã/PR/gizellij.alcantara@gmail.com
Centro Municipal de Educação Infantil Menino Deus/Ibiporã/PR/roseli.fcg@gmail.com
Centro Municipal de Educação Infantil Menino Deus/Ibiporã/PR/rozi.messagi100@hotmail.com
Centro Municipal de Educação Infantil Menino Deus/Ibiporã/PR/silviaduarte2013@hotmail.com

Resumo - O Centro Municipal de Educação Infantil Menino Deus, está situado a


7 km da região central, em área leste atendendo um bairro bem antigo da ci-
dade, com 68 crianças de 4 meses idade. As famílias tem renda de 1 a 3 salários
mínimos, com mães e pais em sua grande maioria com menos de 30 anos de ida-
de, e tem como formação o ensino fundamental incompleto e o ensino médio
incompleto. Os problemas enfrentados em nosso contexto são as crianças que
convivem com familiares usuários de drogas e a falta de limites, ocasionado por
pais que não estão sabendo educar seus filhos, elas vem sem limites de casa e
se deparam com um ambiente cheio de regras que é a escola e tem dificuldade
de se adaptar ou seguir regras. A metodologia a ser utilizada é a partir do Eixo 3-
Resgatando a autoridade na família e na escola. Com isso professores e direção
se mobilizaram fazendo reuniões e grupo de estudos para pesquisar e estudar
sobre o tema com objetivo de integrar os pais a escola e para juntos refletirmos
sobre o tema. Então foi elaborado um curso, para os pais com o título “Resgatan-
do a autoridade na família e na escola”, pautado nas orientações e nos livros de
Içami Tiba, para trabalhar com os pais a presença de regras claras no ambiente
familiar e escolar, a parceria entre a escola e família e também a prevenção do
uso de drogas. O curso teve quatro encontros no mês de setembro com duração
de1 hora e 30 minutos, no fim do período vespertino. Também percebemos du-
rante o curso que os pais têm muitas dúvidas, do que pode e do que não pode em
relação à educação dos filhos, também aproveitaram o momento para falar das
más criações dos filhos em casa eles estão perdidos sem rumo. Deixamos claro
aos pais que eles também precisam se especializar e estudar para dar uma boa
educação aos filhos, fez até uma simples analogia: o profissional não tem que
fazer cursos para se aperfeiçoar no seu trabalho para ser bem sucedido na pro-
fissão? os pais também precisam se aperfeiçoar e se capacitar para dar uma boa
educação aos filhos que se tornem cidadãos de bem, não tenham contato com

58
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

as drogas ou marginalidade. Enfim os pais que participaram do curso saíram com


material impresso para construir junto com os filhos as regras de dentro da casa
e esse material está se espalhando para outros pais que não fizeram o curso. Es-
tamos plantando a semente.

Palavras-chave: Pais, Escola, Autoridade, Prevenção, Drogas.

59
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

PROJETO ESPAÇO PAZ: A ESCOLA COMO ESPAÇO DE


INTEGRAÇÃO E PREVENÇÃO DO USO DE DROGAS

Leony Kozak Rebelatto Costa1 e Neuzimar Toczek de Sales2

1
Colégio Estadual Padre Sigismundo /Quedas do Iguaçu/PR/leonykozak@hotmail.com
Colégio Estadual Padre Sigismundo /Quedas do Iguaçu/PR/neuzimar@globo.com
2

Resumo - O projeto de intervenção na comunidade escolar que ora se apresenta


almeja envolver uma equipe engajada nos objetivos de trabalhar com medidas
de prevenção e de resgate, valorizando os aspectos relacionados à saúde física,
mental e emocional dos adolescentes e jovens, bem como apoio e orientação dos
familiares, para o enfrentamento da ameaça das drogas nas famílias e sociedade.
Para tal, pretende-se oferecer à comunidade escolar um ambiente de encontro,
apoio, proteção e promoção da saúde e prevenção do uso de drogas através de
atividades lúdicas, artísticas, culturais e de difusão de saberes para alunos, pais e
familiares do Colégio Estadual Padre Sigismundo de Quedas do Iguaçu por meio
do Projeto Espaço Paz. Dentre os objetivos específicos do projeto estão: mobi-
lizar o colegiado, bem como comunidade e rede de apoio para o estudo e pos-
terior abordagem do assunto drogas com os adolescentes e jovens do colégio;
Desenvolver a espontaneidade, criatividade e autoestima do alunado com o foco
nas formas de expressão e comunicação facilitando a comunicação entre seus
pares e com a família; Fortalecer a família através da oferta de capacitação e cria-
ção do espaço de discussão sobre o problema das drogas na comunidade escolar
e nas famílias, através de oferta de uma noite com palestra e mesa redonda com
profissionais ligados à educação e tratamento e combate às drogas. Realizar um
dia de mobilização na escola, com a participação de professores, voluntários e
profissionais da sociedade para atrair e engajar adolescentes e jovens na luta
contra as drogas; O Projeto Espaço Paz tem como público alvo os adolescentes
e jovens, alunos do colégio dos turnos matutino e vespertino das turmas do 8º
ano do Ensino Fundamental ao 2º ano do Ensino Médio com idades de 13 a 17
anos que serão convidados a participar do dia de mobilização com oficinas de ar-
tes, artesanato, dança e culinária em um primeiro momento. Essas oficinas serão
ministradas por voluntários, professores do colégio e membros da comunidade.
O espaço físico será a estrutura do próprio colégio e os materiais utilizados nas
oficinas serão patrocinados por empresas parceiras. Em um segundo momento,
o público alvo serão os pais e familiares dos alunos, para fortalecimento, infor-
mação e capacitação dos mesmos em um seminário sobre o tema drogas, com a
participação de profissionais habilitados voluntários da comunidade. As ações

60
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

previstas transformarão a escola em um espaço privilegiado de integração entre


os sujeitos, pais, alunos, e educadores, através de um ambiente amistoso e inte-
ressante, onde o assunto drogas será tratado leve e apontando a integração en-
tre pais e filhos como uma forma de resgate do respeito mútuo, de valorização
da escola e dos educadores, atendendo ao Eixo 3 do programa que é o Resgate
da autoridade na família e na escola, bem como o Eixo 4 Fortalecimento da esco-
la na comunidade e como comunidade. O Projeto Espaço Paz será realizado no
período que compreende entre 29 de setembro e 12 de novembro de 2014. O
Projeto Espaço Paz poderá se transformar em um programa contínuo com foco
na discussão e encaminhamentos possíveis para o combate e prevenção do uso
de drogas e promoção da saúde física e mental dos adolescentes e jovens da
comunidade escolar.

Palavras-chave: Drogadição; Integração Escola-família; Prevenção ao uso de drogas.

61
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

ANTES PREVENIR DO QUE REMEDIAR: UMA LUTA CONTRA


AS DROGAS

Maria de Fátima Telles André1, Rosana Silvia Borba Regiani2,


Rosana Pacheco Tormena3

APAE/Paraíso do Norte/PR/ tellesfa@hotmail.com


1

APAE/Paraíso do Norte/PR/ro_borba31@hotmail.com
2

APAE/Paraíso do Norte/PR/ rosana._pacheco@hotmail.com


3

Resumo - O presente projeto reflete o inicio da caminhada de nossa escola na pre-


venção ao uso de drogas no ambiente escolar. Atualmente estamos desenvol-
vendo as atividades propostas aliando o uso de tecnologias na elaboração de
materiais didático-pedagógicos, para trabalho de sensibilização e rede de apoio
pautada em um paradigma emancipatório e consciente. O projeto consistiu em
reformular o pensamento escolar e transformar nosso ambiente, antes somente
pedagógico, em um ambiente mais acolhedor de parceiros (famílias e comunida-
de), para capacitar e semear informações, aproveitando as habilidades naturais
de cada um em prol da prevenção contra drogas. Transformamos em uma rede
de comunicação e temos parceiros em todos os pontos da cidade, ajudando-nos
a preparar e neutralizar possíveis riscos para nossos alunos. Como Escola Espe-
cial, temos em nossa equipe, vários profissionais, como: pedagogo com formação
específica, psicólogo, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, assistente social e
neurologista. Aproveitamos estes sujeitos e organizamos uma rede interna com
assistência em todas as áreas e conseguimos estender para a comunidade e famí-
lias. Já estamos colhendo os frutos de nosso esforço através do reconhecimento
comunitário, diminuição de alunos em situação de risco e um elevado número de
parcerias. Isto indica que, com a implantação do projeto a escola recebeu uma
representatividade, e serve de alerta aos familiares e comunidade na prevenção
do uso de drogas licitas e ilícitas. Visando o sucesso, estamos trabalhando para
identificar as maiores dificuldades dos alunos, familiares e comunidade escolar e
formas de funcionalizar sua proteção, permitindo a intervenção e capacitação de
todos envolvidos para exercer sua autodeterminação informativa.

Palavras-chave: comunicação; prevenção; drogas; parcerias.

62
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS NA ESCOLA CYRO


MARTINS

Josiane Cristina Fávaro de Matos1, Daniele Fátima Rodrigues de Araujo2,


Elisangela Silveira3, Sonia Hoffmann4, Marcia Aparecida Mazur5,
Alessandra Antunes Guerreiro6, Maria Eulalia Dabul7, Carla Maria Miara8

1
Escola Municipal Prefeito Engenheiro Cyro Martins/Ponta Grossa/PR/favaromatos@bol.com.br
2
Escola Municipal Prefeito Engenheiro Cyro Martins/Ponta Grossa/PR/Cyro@pontagrossa.pr.gov.br
3
Escola Municipal Prefeito Engenheiro Cyro Martins/Ponta Grossa/PR/Cyro@pontagrossa.pr.gov.br
4
Escola Municipal Prefeito Engenheiro Cyro Martins/Ponta Grossa/PR/Cyro@pontagrossa.pr.gov.br
5
Escola Municipal Prefeito Engenheiro Cyro Martins/Ponta Grossa/PR/Cyro@pontagrossa.pr.gov.br
Escola Municipal Prefeito Engenheiro Cyro Martins/Ponta Grossa/PR/mariadabul@hotmail.com
6

7
Escola Municipal Prefeito Engenheiro Cyro Martins/Ponta Grossa/PR/carlamiara@uol.com.br

Resumo - A droga faz parte da realidade social, e não deve ser ignorada como se
não existisse ou não perturbasse a rotina do dia-a-dia, é necessário que trabalhe-
mos para que nossos alunos, comunidade escolar estejam bem informados quan-
to aos efeitos e consequências de seu uso. Desta forma desenvolvemos nosso
projeto voltado aos duzentos quarenta e quatro alunos, na faixa etária de cinco
a onze anos, matriculados em tempo integral. O objetivo geral elencado para o
desenvolvimento de nosso trabalho foi promover uma conscientização em rela-
ção à prevenção do uso de drogas, bem como reconhecer comportamentos de
riscos no contexto escolar. Como objetivos específicos: contribuir na formação
das ações antidrogas; informar sobre drogas, mostrando que elas causam de-
pendência mental e dependência física; despertar o interesse dos alunos, pais
e familiares na busca ou ações coletivas preventivas contra o uso de estimulan-
tes; demonstrar às crianças e jovens de que existem prazeres saudáveis e que
estão ao alcance de todos, em alternativa ao consumo de produtos que levam à
dependência; oportunizar o debate e reflexões em torno dos fatores sociais, fa-
miliares, econômicos que influem no uso abusivo das drogas. Quando o assunto
são as drogas, o principal papel da escola deve ser a prevenção, pensando nisso
desenvolvemos em nossa escola algumas atividades voltadas ao eixo de ação
“Integração da prevenção no currículo escolar”, como por exemplo: “Semana
da saúde na escola”, onde procuramos assegurar uma educação escolar voltada
para uma vida saudável nas diversas interfaces do educando, seus familiares e
demais integrantes da comunidade escolar; aulas de “Prevenção às drogas” onde
os alunos participaram de aulas ministradas pelo soldado do programa PROERD,
capacitado para trabalhar todas as questões voltadas as drogas-a parceria com

63
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

o PROERD tem como objetivo a promoção da conscientização em relação à pre-


venção do uso de drogas, bem como reconhecer comportamentos de riscos no
contexto escolar; “Palestra sobre o Bullying”, ministrada por soldados da Guarda
Municipal de Trânsito, estimulando debates quanto a prática do Bullying; o “Fes-
tival de tênis – “Raquete na mão Paz no coração” , que tem por objetivo trabalhar
valores de não violência junto as crianças de nossa escola, promovendo momen-
tos de reflexão sobre o tema; a “Palestra sobre como prevenir o uso de drogas”;
e a entrega de certificados dos multiplicadores ao combate das drogas, tendo
com objetivo geral promover uma conscientização em relação à prevenção do
uso de drogas, bem como reconhecer comportamentos de riscos no contexto es-
colar e como objetivos específicos contribuir na formação das ações antidrogas.
As pequenas atitudes de ação e conscientização ao combate as drogas, podem
mudar uma criança, uma família, uma escola, uma comunidade e quem sabe até
mesmo uma cidade.

Palavras-chave: prevenção, sensibilização, objetivos, parceria e valorização humana.

64
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

PREVENÇÃO DE DROGAS NA ESCOLA MUNICIPAL


PROFESSORA JOVITA KAISER

Ione Maria Vieira Galis Bueno1, Enedina Bertipalha Aires da Silva2,


Ana Larissa Gonçalves Andrade3, Rosijane Pedroso de Sousa4, Marly Maria Tavares Costa5

Escola Municipal Professora Jovita Kaiser/Londrina/PR/ione.bueno@londrina.pr.gov.br


1

Escola Municipal Professora Jovita Kaiser/Londrina/PR/enedinabertipalha@hotmail.com


2

3
Escola Municipal Professora Jovita Kaiser/Londrina/PR/ana_lari_g@hotmail.com
4
Escola Municipal Professora Jovita Kaiser/Londrina/PR/rosijane2@yahoo.com.br
Escola Municipal Professora Jovita Kaiser/Londrina/PR/marly_mtc@hotmail.com
5

Resumo - Drogas são substâncias que produzem alterações nas sensações físicas,
psíquicas e emocionais, porém existem drogas que quando usadas de maneira mo-
derada não representam nenhuma ameaça ao ser humano. Grupos de risco são to-
dos aqueles em que o adolescente fica exposto ou vulnerável ao uso de drogas. O
adolescente pertence a diversos grupos sociais, tais como: Familiar, escolar, do clu-
be, de igreja e amigos da comunidade onde mora, todos esses grupos a que perten-
ce, pode tanto protegê-lo das drogas, como pode favorecer ao uso delas. A família
pode agir de forma protetora com o adolescente, evitando que o mesmo fique
vulnerável a situações que possam conduzi-lo ao uso de drogas, ao mesmo tempo,
a família pode ser um fator que vem fragilizar o adolescente para o uso de drogas
lícitas e ilícitas. O presente projeto será realizado na Escola Municipal Professora
Jovita Kaiser, visando a prevenção ao uso de drogas. O projeto será aplicado aos
alunos de 4º e 5º anos e aos pais. Este tem por objetivos gerais: conscientizar os
pais e alunos sobre o uso e consequências do uso das drogas; identificar as princi-
pais drogas lícitas e ilícitas que existem;. Como objetivos específicos: diminuir o ris-
co de envolvimento com drogas; enfatizar a importância da prevenção, junto aos
pais, do uso de drogas entre crianças e adolescente; possibilitar o afastamento dos
grupos de risco através da formação de valores e posturas em relação às drogas;
identificar as crianças expostas nos grupos de risco em relação ao uso dessas dro-
gas;. O projeto contará com apoio da comunidade, Unidade Básica de Saúde (UBS)
que atende o bairro onde se localiza a escola, Guarda Municipal, profissionais da
educação que, em momentos diferentes ou em conjunto, proporcionarão pales-
tras, apresentarão as principais consequências do uso indiscriminado de drogas,
proporcionarão aos pais conhecer quais são as maiores causas do envolvimento de
crianças e adolescentes com drogas.Nas palestras serão abordadas questões fami-
liares e a necessidade de se planejar ações preventivas e adequadas a cada grupo
que se deseja atingir. Prevenir não é acabar com a possibilidade do uso de drogas

65
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

e sim considerar uma série de fatores que favoreçam ao indivíduo ter condições de
fazer suas escolhas. As palestras serão ministradas quinzenalmente por um perío-
do de três meses. Serão utilizados recursos, humanos e materiais que se fizerem
necessário para tal. Pretende-se, portanto, conscientizar pais, alunos e professo-
res a respeito das consequências do uso indiscriminado de drogas nas escolas, no
bairro, nos grupos de convivência, etc. Prós e contras surgirão, contudo, acredita-
se que com muita insistência e boa vontade de todos os envolvidos, o projeto será
um sucesso.

Palavras chave: drogas; conscientização; consequências de uso de drogas; prevenção.

66
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS: UM DESAFIO


CONTEMPORÂNEO

Adriana Aparecida Possatto Marx1, Cristiane Marx2, Denise Andreia Marx3,


Danieli Marx4, Eleana de Fátima Vidal5, Meri Ane Fátima Pina Wasczuk6,
Vanderleia Verdi7

1
Colégio Estadual do Campo João Paulo I – EFM/Chopinzinho/PR/adry_marx@yahoo.com.br.
2
Colégio Estadual do Campo João Paulo I – EFM/Chopinzinho/PR/crisk-m@hotmail.com.
3
Colégio Estadual do Campo João Paulo I – EFM/Chopinzinho/PR/deni_marx@yahoo.com.br
Colégio Estadual do Campo João Paulo I – EFM/Chopinzinho/PR/danielimarx@yahoo.com.br
4

5
Colégio Estadual do Campo João Paulo I – EFM/Chopinzinho/PR/eleanavidalvr@yahoo.com.br
6
Colégio Estadual do Campo João Paulo I – EFM/Chopinzinho/PR/waszczukmeri@hotmail.com
7
Colégio Estadual do Campo João Paulo I – EFM/Chopinzinho/PR/faculdade.ead@hotmail.com

Resumo - A realidade contemporânea nos apresenta diferentes desafios, entre


eles, o uso de drogas, que aparece como um dos principais problemas que atin-
ge grande número de jovens dos mais diversos níveis socioeconômicos. Este fato
transfere ao espaço escolar uma grande responsabilidade e um grande desafio, no
sentido de como trabalhar a prevenção, em detrimento ao tratamento de casos
de já usuários. O Colégio Estadual do Campo João Paulo I – Ensino Fundamental
e Médio (EFM), é uma escola de pequeno porte, composta por 6 turmas, sendo 3
do Ensino Fundamental e 3 do Ensino Médio. O Colégio Estadual do Campo João
Paulo I - EFM localiza-se na comunidade do Bugre que é essencialmente agrícola
com alguns produtores de leite e criadores de cavalos, bem como arrendatários
e meeiros. O trabalho a ser realizado na escola e comunidade tem caráter pre-
ventivo visando alertar os jovens quanto aos prejuízos causados pelo consumo,
especialmente, do tabaco e do álcool, drogas que estão mais susceptíveis ao con-
sumo no contexto a que nos referimos. O trabalho com o tema prevê a realização
de pesquisas sobre os diferentes tipos de drogas existentes, suas características,
implicações no organismo humano, prejuízos à saúde. Após serão confeccionados
cartazes para exposição na escola e locais estratégicos da comunidade. Panfletos
serão produzidos e distribuídos na escola e comunidade. Palestras, com profissio-
nais da saúde, médicos, psicólogos, assistentes sociais, serão realizadas. O projeto
tem por objetivos: sensibilizar os jovens e adolescentes sobre os prejuízos ocasio-
nados pelo uso de drogas; promover maiores conhecimentos sobre drogas entre
os professores, alunos, pais e comunidade em geral; Chamar a atenção dos pro-
fessores acerca dos fatores de risco presentes no contexto escolar em questão;
mobilizar a comunidade no intuito de prevenir o contato e o uso de drogas entre
os jovens e adolescentes. Os sujeitos da intervenção são os jovens e adolescentes

67
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

que integram o alunado do Colégio Estadual do Campo João Paulo I – EFM, pro-
fessores e demais indivíduos que fazem parte da comunidade em que a unidade
de ensino está localizada. O projeto terá como eixo de ação “O fortalecimento da
escola na comunidade e como comunidade”. O projeto será de grande relevância
para o fortalecimento da escola na comunidade e como comunidade, pois o traba-
lho prevê o envolvimento e a integração da comunidade escolar com a comunida-
de local visando sensibilizar, esclarecer e prevenir o uso de drogas.

Palavras-chave: Drogas; prevenção; escola; comunidade.

68
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

DROGAS: CAMINHOS PARA A PREVENÇÃO

Claudia Mendonça1, Eliane de Lima Balarin2, Leonici Graciano de Andrade Santos3,


Rosangela Brambila Yasutake4, Suely Garbelini Silva5

Colégio Estadual Prof.ª Cléia Godoy Fabrini da Silva/Londrina/PR/claudiagtn@gmail.com


1

Colégio Estadual Prof.ª Cléia Godoy Fabrini da Silva/Londrina/PR/elianebalarin@seed.pr.gov.br


2

Colégio Estadual Prof.ª Cléia Godoy Fabrini da Silva/Londrina/PR/leonici@hotmail.com


3

4
Colégio Estadual Prof.ª Cléia Godoy Fabrini da Silva/Londrina/PR/rosangelabyasutake@hotmail.com
Colégio Estadual Prof.ª Cléia Godoy Fabrini da Silva/Londrina/PR/suelygs28@hotmail.com
5

Resumo - Este projeto foi desenvolvido tendo como principal finalidade trabalhar
a prevenção do uso de drogas lícitas e ilícitas no Colégio Estadual Cléia Godoy Fa-
brini da Silva, situada no Parque Ouro Branco, no município de Londrina – Paraná.
A partir da articulação com a Universidade Federal de Santa Catarina, que está
nos ofertando esse curso, pretendemos levar à nossa comunidade escolar uma
discussão mais íntima com a relação às drogas diante dos problemas tanto so-
ciais, como de saúde, causados pelo uso indevido de drogas, buscando trabalhar
a prevenção de forma integrada com o corpo docente escolar, os alunos e suas
famílias. Valendo-se da integração da prevenção no currículo escolar e da parti-
cipação juvenil e a formação de multiplicadores como principais eixos de ação,
o projeto visa proporcionar aos alunos reflexões acerca da drogadição, buscan-
do conscientizá-los sobre os efeitos nocivos das drogas sobre sua saúde física
e mental bem como as consequências para sua vida familiar, social e financeira.
O trabalho tem como objetivo fornecer informações e ampliar o conhecimento
dos alunos acerca dos tipos, efeitos e consequências do uso de drogas; conscien-
tizá-los de que o fumo e as bebidas alcoólicas, embora produtos lícitos, também
constituem drogas; aumentar a participação dos pais de alunos nas ações educa-
tivas relacionadas ao uso de drogas realizadas na escola. Os procedimentos me-
todológicos previstos neste projeto pretendem desenvolver ações que integrem
a prevenção ao uso de drogas no currículo escolar. As atividades serão realizadas
de maneira integrada entre as diferentes disciplinas de forma criativa e motiva-
dora. O projeto será desenvolvido durante o ano letivo de 2015 e contará com
a colaboração de todos os profissionais da escola e o corpo discente. O projeto
será apresentado ao público alvo logo no início do ano letivo através de reuniões
entre pais, alunos e professores. Para a efetivação das ações serão utilizados
os espaços físicos disponíveis na escola: salas de aula, quadra de esportes, pá-
tio, biblioteca e sala de informática. Registramos que apesar da dificuldade de
elaborar e empregar metodologias para distanciar os jovens do uso de drogas,

69
Curitiba/PR - 17 e 18 de novembro de 2014

acreditamos em ações que sejam voltadas para a reflexão, oferecendo para isso
material rico e diversificado para que o aluno, através de informações embasa-
das na realidade dos malefícios que as drogas trazem, construa ele mesmo seu
próprio conceito sobre o uso de drogas, pois acreditamos que a única forma de
o adolescente não se interessar pelo consumo de drogas é a própria consciência
que tem a respeito do assunto.

Palavras-chave: drogas; educadores; prevenção; escola; família.

70
Florianópolis/SC
Florianópolis/SC - 01 e 02 de dezembro de 2014

FAZENDO A DIFERENÇA

Maria de Lourdes M. da Maia1, Monica Aparecida Asquino2

E.M. Dom Jaime de Barros Câmara/Joinville/SC/ mostowski@gmail.com


1

2
E.M. Dom Jaime de Barros Câmara/Joinville/SC/ monica.asquino@gmail.com

Resumo - Nossa ação preventiva visa atingir toda a comunidade escolar em geral, uma
vez que estamos localizados em uma região de alto risco. O projeto parte do princí-
pio que para mudarmos algo é necessário termos uma equipe pedagógica formada e
informada sobre a situação atual na qual está inserida, pois o conhecimento só pode
ser gerado se tivermos na escola pessoas detentoras deste conteúdo, para que pos-
sam divulgá-lo, ampliá-lo e direcioná-lo ao nosso objetivo principal. Portanto visamos
promover na entidade escolar, através da interação com a comunidade, atividades
que propiciem mudanças significativas tanto no desempenho escolar, como na con-
vivência social e familiar divulgando o projeto na comunidade, convidando os educa-
dores a participar buscando: o conhecimento da realidade atual do grupo de risco da
comunidade em geral, parcerias que possam fortalecer nosso projeto, incorporando-o
a projetos já existentes, estabelecendo vínculos que fortaleçam a cooperação, harmo-
nia e paz dentro da escola. Estimular a participação dos jovens nas atividades extra-
curriculares, através de atividades voltadas à reflexão acerca da saúde, tendo como
parceiros profissionais especializados oferecendo às famílias oportunidades de com-
preender e lidar com o problema de forma abrangente. Nosso projeto visa abranger
todos os membros da comunidade escolar, focando individualmente em seus déficits,
enfatizando a capacidade de colaborar com nosso projeto partindo cada qual de seus
talentos, suas particularidades. Para tal, temos por objetivo que todo o projeto seja
executado durante todo o ano letivo de 2015, abrangendo de forma transversal todas
as disciplinas possíveis, enfocando principalmente o bem-estar, a manutenção à saúde
e a autoestima, através de seminários, palestras, informativos, desenhos e expressão
corporal, utilizando princípios de arte-educação, onde se desenvolverá a sensibilização
e a participação. Sabemos que apesar de estarmos numa localidade de risco, podemos
contar com diversas parcerias, quer sejam públicas, como assistência social ou de saú-
de, mas também com parcerias privadas que oportunizarão a implementação deste
projeto em toda a comunidade escolar, relacionando o conhecimento a questões de
cunho social derivadas do uso de drogas tais como a violência e desinteresse da falta
de perspectivas dentro e fora da escola. Mas nosso principal objetivo é possibilitar que
os próprio alunos possam ser protagonistas deste nosso projeto.

Palavras-chave: Alunos; Drogas; Comunidade escolar; Parcerias.

72
Florianópolis/SC - 01 e 02 de dezembro de 2014

PROJETO DE PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS E


PROMOÇÃO DA SAÚDE NA ESCOLA MUNICIPAL PROfº
SYLVIO SNIECIKOVSKI

Aurora Alcenir de Souza Zimmermann1, Cristiane Beatriz Wzorek2, Cristiano Pereira da Silva3

Escola Municipal Professor Sylvio Sniecikovski/Joinville/SC/auroraasz@hotmail.com


1

Escola Municipal Professor Sylvio Sniecikovski/Joinville/SC/cristiane_bia@hotmail.com


2

Escola Municipal Professor Sylvio Sniecikovski/Joinville/SC/ttinosilva@gmail.com


3

Resumo - O tráfico, a distribuição de drogas, grupos rivais, o envolvimento de crianças e


adolescentes neste cenário preocupante, e a maioria das famílias com pouca escolaridade
e baixa renda, motivaram-nos na elaboração deste projeto de prevenção. A escola está
situada no bairro Jd. Paraíso em Joinville-SC, atende 1006 alunos do 1º ao 9º ano, com
faixa etária de 6 a 15 anos. Nosso objetivo é desenvolver ações de prevenção ao uso de
álcool e outras drogas, objetivando a redução da demanda e a promoção da saúde. Como
objetivos específicos, nossa intenção é fortalecer a autoestima, valorização da própria
identidade pessoal, o protagonismo, a responsabilidade, a aprendizagem, o acolhimento
e habilidades para a vida. Nosso público alvo serão os alunos do 4º ao 9º ano dentro de
uma proposta interdisciplinar com oficinas pedagógicas significativas e informativas com
início em fevereiro a dezembro de 2015. Este projeto terá o eixo 1 – Integração da preven-
ção ao currículo escolar como norteador, mas irá proporcionar a formação de lideranças e
multiplicadores entre os alunos, bem como ações envolvendo as famílias e a comunidade.
Ele também irá fortalecer as redes de proteção baseadas na prevenção, proteção e edu-
cação para a saúde de forma integral, diminuindo assim os fatores de risco. Os recursos
humanos e materiais utilizados, serão das parcerias e da própria escola. As parcerias serão
realizadas com todos os atores internos e externos, bem como integrados aos projetos já
existentes de prevenção na escola. Para isto, contaremos também com o P.S.E (Programa
Saúde na Escola), as universidades locais, os setores da saúde do município, CRAS, CREAS,
o Proerd, o Alcoólicos Anônimos e o Projeto Jovens de Atitude do Instituto Carlos Roberto
Hansen. Iniciaremos com a sensibilização de todos os envolvidos, com questionários, ati-
vidades interdisciplinares, palestras, dinâmicas, socializações, gincanas, show de talentos,
palestras aos pais, oficinas pedagógicas e outros. Os referenciais teóricos que embasam
este projeto serão alicerces fundamentais para este desafio e o abraço a esta causa por to-
dos os atores envolvidos sejam eles internos ou externos, bem como das famílias com seus
diferentes valores e referências pessoais. Assim, com a integração e a interdisciplinaridade
no currículo escolar e apoio de todos, os objetivos serão atingidos.

Palavras- Chave: Drogas; Prevenção; Saúde; Escola.

73
Florianópolis/SC - 01 e 02 de dezembro de 2014

FORMAÇÃO DOCENTE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS


EM CURSOS TÉCNICOS

Andréia Piana Titon1, Edna Maria Coelho Della Bruna2,


Olaine Aparecida Zilio Morona3, Priscila Bortolotto Milaneze4

IFSC Campus Criciúma/Criciúma/SC/andreia.titon@ifsc.edu.br


IFSC Campus Criciúma/Criciúma/SC/edna.maria@ifsc.edu.br
IFSC Campus Criciúma/Criciúma/SC/olaine.morona@ifsc.edu.br
IFSC Campus Criciúma/Criciúma/SC/primilanez_@hotmail.com

Resumo - Este projeto situa-se no Instituto Federal de Santa Catarina IFSC - Campus Cri-
ciúma. Temos como o objetivo a formação dos docentes e à sensibilização de toda co-
munidade escolar para a questão do uso de drogas a partir de ações ligadas ao teatro.
Mesmo assim, observamos um aumento no número de estudantes que fazem uso de
drogas e, por isso, considera-se importante ampliar estas ações, buscando a integração
desta temática ao currículo escolar, com o envolvimento dos docentes. Os objetivos es-
pecíficos serão: desenvolver ações voltadas à formação dos docentes sobre o uso de
drogas, buscando mobilizá-los a desenvolver estratégias de integração desta temática
no currículo escolar, com abordagem dos conceitos biológicos, psicológicos, sociais, eco-
nômicos envolvidos no uso de drogas. Os sujeitos da intervenção serão os docentes.
No entanto, o projeto de intervenção tem, como público estratégico, os estudantes dos
cursos integrados em Mecatrônica e Edificações, bem como os estudantes dos cursos
subsequentes em Eletrotécnica e Edificações. A maioria dos estudantes envolvidos pos-
sui faixa etária entre 14 e 18 anos, no caso dos cursos integrados, e 18 a 60 anos, no caso
dos cursos subsequentes. O eixo norteador das ações do projeto de intervenção será
a integração da prevenção no currículo escolar, já que há a intenção de contribuir para
que este tema seja, gradativamente, incorporado às unidades curriculares dos cursos da
instituição. O cronograma previsto será: de outubro a dezembro de 2014 - elaboração
da programação da formação docente a ser realizada durante o ano de 2015, com início
em fevereiro de 2015 e encontros bimestrais. Temas a serem abordados com os profes-
sores: identificação de comportamentos de risco em relação ao uso de drogas; aborda-
gens adequadas de alunos (possíveis) usuários; reconhecimento da rede de proteção no
âmbito das políticas públicas; estratégias e o uso de recursos didáticos na abordagem
da temática nas aulas de cada docente. Para os encontros da formação docente, pre-
tende-se convidar profissionais de diferentes áreas da rede de políticas intersetoriais
do município, além da participação da equipe de profissionais envolvidos neste projeto.

Palavras-chave: Formação; Docente; Prevenção; Drogas; Escola.

74
Florianópolis/SC - 01 e 02 de dezembro de 2014

EDUCAR PARA A PAZ

Angelita Maria dos Santos Felisbino1, Maria Terezinha Ventura2, Maria Tereza da Silva3

1
E.E.B. Nereu Ramos/Santo Amaro da Imperatriz/Sc/angelitafelisbino@hotmail.com
2
E.E.B. Nereu Ramos/Santo Amaro da Imperatriz/SC/mariaterezaventura@gmail.com
3
E.E.B. Nereu Ramos/Santo Amaro da Imperatriz/SC/terezahell@yahoo.com.br

Resumo - O presente projeto de prevenção tem como propósito promover parce-


rias entre a escola e órgãos externos, visando estabelecer um canal de diálogo
na busca de soluções para reduzir a violência em nosso dia a dia, sendo este im-
plantado na Escola de Educação Básica Nereu Ramos na cidade de Santo Amaro
da Imperatriz - SC. Buscando esclarecer procedimentos de como utilizar os ser-
viços ofertados as crianças e adolescentes pelas instituições. Tem como objetivo
instigar no aluno a consciência de não usar drogas, bebidas alcoólicas, remédios
sem orientação médica, cigarros entre outros, promovendo o desenvolvimento de
atitudes coerentes e preparando-os para a vida. O público alvo do projeto serão
todos os alunos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, pais, professores, fun-
cionários, bem como a comunidade escolar e local. O projeto pretende realizar o
segundo seminário “Educar para a Paz” em 2015, expondo as funções e atribui-
ções dos serviços ofertados; procedimentos para identificar, diagnosticar, intervir
quanto ao encaminhamento adequado no atendimento de crianças e adolescen-
tes vítimas de violência em nosso dia a dia; e possíveis parcerias para a construção
de uma Educação Pública com qualidade Social. A metodologia será desenvolvida
através da aplicação das atividades em cada área do conhecimento, bem como nos
momentos de interação e convivência, assim sendo, com foco no eixo de ações 1:
Integração da prevenção no currículo escolar. Dentre os recursos humanos desta-
ca-se a Associação de Pais e Professores – APP; o Conselho Deliberativo Escolar
- CDE e o apoio da Policia Militar como o Programa PROERD. Quanto aos recursos
físicos, além da estrutura da Escola será utilizado o auditório, o ginásio, e outros.
O projeto será realizado durante o ano de 2015. A avaliação será realizada durante
todo o desenvolver do projeto sempre analisando os pontos positivos para dar
continuidade e os pontos negativos para procurar melhorar.

Palavras-chave: Drogas; Prevenção; Comunidade; Escola.

75
Florianópolis/SC - 01 e 02 de dezembro de 2014

IMPORTÂNCIA DA ESCOLA, FAMÍLIA E COMUNIDADE NA


PREVENÇÃO DO USO DE DROGAS

Francieli Dalle Laste Valmorbida1, Giuvana Carla Bender2, Marilete Dallelaste3

E.M.E.B. João Henrique Pille/ Itá/SC/franci.dlv@outlook.com


1

E.M.E.B. João Henrique Pille/Itá/SC/gi.ub@hotmail.com


2

E.M.E.B. João Henrique Pille/Itá/SC/maridhartmann@yahoo.com.br


3

Resumo - Um dos grandes problemas ainda enfrentados na sociedade diz respeito


ao uso de drogas, sendo um dos principais causadores do aumento da criminali-
dade, da violência e dos conflitos familiares. Diante desses problemas que a so-
ciedade vem enfrentando, a escola tem papel fundamental nas ações protetivas
e preventivas, a qual deve enfatizar a importância da oferta de alternativas de es-
porte, cultura e lazer, promovendo a cidadania, saúde e o desenvolvimento social
à todos alunos e familiares. Na escola onde será desenvolvido o presente projeto,
não existem casos de adolescentes usuários de drogas e no seu entorno há poucas
evidências. Talvez isso ocorra por se tratar de uma escola exclusivamente rural e
com baixo número de alunos, além disso, a participação familiar na escola é bem
assídua. Verificando-se esta realidade, percebe-se que ações de prevenção que
envolvam escola, família e comunidade fazem a diferença, por este motivo, o pre-
sente projeto objetiva promover a prevenção efetiva do uso indevido de drogas,
sensibilizando os alunos sobre drogas e seus efeitos na família, escola e sociedade,
tornando-os cidadãos críticos, proporcionando conhecimentos sobre educação e
saúde. Participarão diretamente do projeto os alunos do ensino fundamental II de
uma escola localizada na área rural do município de Itá – SC. O projeto será desen-
volvido enfatizando o eixo de ação: integrando a prevenção no currículo escolar.
Em todas as etapas do desenvolvimento serão trabalhados os temas: drogas, pre-
venção e riscos, por meio de ações contínuas em todas as disciplinas que contem-
plam a grade curricular da unidade de ensino. Serão utilizadas estratégias diferen-
ciadas, como debates, atividades interdisciplinares e vídeos com os alunos, ainda
palestras com os pais e integrantes da comunidade, e com os recursos materiais
e humanos disponíveis na escola e em outras secretarias. Prevemos a socialização
do projeto com a comunidade escolar ainda no ano de 2014 e sua implementação
na escola a partir de 2015. Este projeto será trabalhado de forma contínua, sendo
reestruturado com a ajuda de todos os envolvidos e de acordo com as demandas
que surgirem ao longo do processo. O curso de Prevenção do Uso de Drogas em

76
Florianópolis/SC - 01 e 02 de dezembro de 2014

Escolas Públicas foi essencial para o desenvolvimento do projeto, pois além de


trazer conhecimentos, oportunizou a reflexão acerca dos problemas enfrentados
atualmente. Acredita-se que este projeto será bem aceito na escola e será uma
iniciativa de complementação aos projetos já existentes na unidade de ensino.

Palavras-chave: Prevenção; Uso de Drogas; Escola; Família; Comunidade.

77
Florianópolis/SC - 01 e 02 de dezembro de 2014

CONCEPÇÃO SOBRE PROMOÇÃO/EDUCAÇÃO EM SAÚDE


EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO

Maria Angelica de Moraes Assumpção Pimenta1, Nelza de Moura2,


Neusa Denise Marques3 e Sandra Rosabel Pereira4.

1
IFC Campus Camboriú/Camboriú/SC/angelica@ifc-camboriu.edu.br.
2
IFC Campus Camboriú/Camboriú/SC/nelzamoura@ifc-camboriu.edu.br.
IFC Campus Camboriú/Camboriú/SC/ndmoliveira@ifc-camboriu.edu.br.
3

IFC Campus Camboriú/Camboriú/SC/sandra@ifc-camboriu.edu.br.


4

Resumo – A escola é o espaço privilegiado dos encontros e interações entre jo-


vens. Contudo, existem fatores específicos que predispõem os adolescentes ao
uso de drogas, como por exemplo, a falta de motivação para os estudos, o absen-
teísmo e o mau desempenho escolar. A adolescência constitui um período crucial
no ciclo da vida, onde o risco para o início prematuro do uso de drogas se faz
mais presente, seja como mera experimentação, seja como consumo ocasional,
indevido ou abusivo dessas substâncias. Atualmente, não se tem informações
do envolvimento dos alunos da instituição com tráfico de drogas e outros pro-
blemas decorrente do uso dessas substâncias. No entanto, alguns profissionais
como técnicos administrativos das áreas de saúde, social e pedagógica da Ins-
tituição já demonstraram preocupação quanto ao uso de drogas pelos alunos,
porém não tem um procedimento definido sobre como agir ou intervir nesses
casos. Assim, esse estudo tem por objetivo geral: sensibilizar os adolescentes
sobre os efeitos nocivos à saúde, ao convívio social, causados pelo uso de droga,
a fim prevenir o uso destas substâncias e por objetivos específicos: analisar a
situação sobre o uso de drogas na instituição; diagnosticar o número de alunos
que já fizeram o consumo ou tiveram contato com algum tipo de drogas ilícitas
e quais tipos; analisar a concepção dos estudantes sobre a prevenção do uso de
drogas; desenvolver parcerias com os docentes visando à adoção da temática da
prevenção do uso de drogas; prevenir junto aos educandos o envolvimento com
as drogas lícitas e ilícitas, aprimorando o conhecimento dos mesmos sobre os
riscos que as drogas causam no organismo, no psicológico, no convívio social e
familiar; criar um espaço de reflexão e discussão dos temas prevenção ao uso de
drogas, estimulando autonomia e responsabilidade dos adolescentes para com
o seu bem estar e a saúde do próprio corpo. O projeto será desenvolvido no Ins-
tituto Federal Catarinense - campus Camboriú, localizado em Camboriú, Santa
Catarina. O eixo de ação que norteará o desenvolvimento do trabalho será o da
integração da prevenção no currículo escolar, esta escolha se deu por considerar

78
Florianópolis/SC - 01 e 02 de dezembro de 2014

as especificidades do contexto escolar da instituição e dos objetivos propostos


neste estudo. A primeira etapa será realizada por meio de um questionário apli-
cado aos estudantes da faixa etária de 13 a 18 anos, que estudam no ensino mé-
dio integrado, dos cursos técnicos em Agropecuária, Controle Ambiental, Infor-
mática e Hospedagem. A segunda etapa consistirá na realização de entrevistas
aos servidores da Instituição através de um roteiro previamente constituído. Os
professores serão questionados sobre conhecimento de aluno usuário de dro-
gas; droga utilizada; há quanto tempo; existência de tratamento; inclusão de te-
mas sobre prevenção do uso de drogas na disciplina que leciona; conhecimento
científico sobre o tema; participação em rede de apoio na instituição.

Palavras-chave: adolescentes; prevenção; educação; saúde; saúde escolar.

79
EQUIPE MULTIDISCIPLINAR:
CONFIGURAÇÕES, ESTRUTURA E DESAFIOS

Andreson Lopes de Lacerda1, Fernanda Pereira Labiak2, Thiago Mateus Dutra3,


Milene Peixer Loio4, Camila Aparecida Dantas Pereira5, Aline Oliveira Souza6

Universidade Federal de Santa Catarina/ Florianópolis/SC/adrelopescg@gmail.com


1

Universidade Federal de Santa Catarina/ Florianópolis/SC/fernanda_labiak@yahoo.com.br


2

Universidade Federal de Santa Catarina/ Florianópolis/SC/dutratm@me.com


3

Universidade Federal de Santa Catarina/ Florianópolis/SC/mileneloio.educ@gmail.com


4

5
Universidade Federal de Santa Catarina/ Florianópolis/SC/dantaspereira.camila@gmail.com
Universidade Federal de Santa Catarina/ Florianópolis/SC/ aline.educadores.ead@gmail.com
6

Resumo - O presente trabalho aborda aspectos inerentes à equipe multidiscipli-


nar composta para oferecer suporte antes, durante e após o Curso de Prevenção
ao Uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas, ofertado pela Universi-
dade Federal de Santa Catarina em 2014. Busca-se também apresentar as con-
figurações do curso, a sua estrutura e os desafios encontrados nas formações
técnico-pedagógicas da equipe multiprofissional, na organização do trabalho
da monitoria, tutoria, supervisão de tutoria e da equipe de gestão. Descreve-se
como se estabeleceu o período de divulgação do curso, os meios utilizados nessa
divulgação e os critérios de seleção para participação no curso dos educadores
cursistas, monitores, tutores e supervisores de tutoria. Também, apresenta-se
os números do curso extraídos da plataforma Moodle, compreendendo aspectos
relacionados à equipe multidisciplinar e a adoção de medidas utilizadas para es-
timular a participação dos educadores cursistas a realizar as atividades do curso.
Aspectos relacionados à mediação pedagógica e a formação coletiva da equipe
multiprofissional. Para a análise quantitativa dos dados utilizou-se a estatísti-
ca simples. Para a análise qualitativa utilizou-se como dados as postagens dos
educadores cursistas em fóruns de discussão e de dúvidas que evidenciaram o
trabalho da equipe. Adotou-se também como dados pesquisados as respostas
ao questionário de avaliação respondido pelos educadores cursistas, tutores, su-
pervisores de tutoria durante o curso. Conclui-se que um curso na modalidade de
educação a distância, a formação de equipes multidisciplinares torna-se impor-
tante, visto que essa modalidade de educação demanda aspectos que vão des-
de os aspectos técnicos e pedagógicos, até aqueles que envolvem a gestão de
pessoas e de recursos. Ainda, reflete-se que um curso dessa natureza a equipe
de apoio deve ser formada com bastante antecedência para que dessa maneira
encontre tempo hábil para planejamento das ações, refletir sobre as demandas
e compreender as minúcias que acercam a modalidade de educação a distância.

Palavras-chave: Educação a Distância; Equipe Multidisciplinar; Prevenção ao uso de


drogas.

80