Вы находитесь на странице: 1из 21

Conjunto Nacional

Felipe 12162400422
Priscilla 12181400413
Rafael 12181400411

Foto: Autores
Conjunto Nacional
LOCAL: Av. Paulista, 2073 - Consolação, São Paulo

ARQUITETO: David Libeskind

EMPRESÁRIO: José Tjurs

ANO PROJETO: 1954

OBRAS: 1955 -1962

ESTRUTURA GEODÉSICA: Hans Eger

TIPO DE USO: Misto

ÁREA DO TERRENO: 14.600 m²

ÁREA CONSTRUÍDA: 111.083,24 m²

Tombamento: 14/01/2014
Fonte: Condomínio Conjunto Nacional, 2019. Foto: Autores, 2019
Conjunto Nacional – Arte Moderna

O edifício do Conjunto Nacional pode ser


considerado como um precursor do que

viriam a ser mais tarde os shoppings

centers que podem ser vistos em toda a

parte da cidade hoje em dia. De qualquer

forma ele é considerado atualmente como

um dos mais significativos exemplares do

movimento moderno da arquitetura

em São Paulo (MORAES)

Foto: Autores, 2019


David Libeskind (1928-2014)
ARTE MODERNA

1952 Formou-se pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

CARREIRA: Iniciou seus trabalhos no Serviço de Patrimônio Histórico e

Artístico Nacional e foi membro do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB).

Mudou-se, após o término da faculdade para São Paulo atraído pelo

aquecimento do mercado imobiliário. Com apenas 26, tem aprovado seu

projeto do Conjunto Nacional. Ao longo das décadas de 1950 e 1960

também desenvolve projetos de edifícios residenciais em Higienópolis e de

casas no Pacaembu e nos Jardins.

CRÍTICA: "provavelmente, um arquiteto com 26 anos só conseguiria

conceber um projeto desta qualidade se estivesse interpretando um

desejo coletivo" - Fernando Viegas


Foto: http://www.condominioconjuntonacional.com.br/
David Libeskind (1928-2014)
Edifício Lever House 1952
Influência: Durante a faculdade, Libeskind frequenta o escritório que
Oscar Niemeyer. É provavelmente, através deste contato que Libeskind

conhece os projetos do Copan e do Conjunto JK.

Ao ser questionado sobre sua produção, Libeskind afirmava que sua


arquitetura era brasileira, e embora o arquiteto se declarasse influenciado

por Niemeyer e Corbusier, também é possível detectar, em sua produção,

influências de obras de arquitetos norte-americanos, sobretudo no

conjunto de residências produzidas nas décadas de 1950 e 1960. (FAUER,

2016).

Um dos edifícios mais expressivos que certamente influenciou a

arquitetura de Libeskind, situado em Nova York, é o Lever House, de

1952, projetado pelo arquiteto Gordon Bunshaft, da firma de arquitetura

Skidmore, Owings & Merrill (MORAES).


Foto: https://www.som.com
Conjunto Nacional – Contexto

Conjunto JK - Belo Horizonte


Conjunto Nacional - São Paulo Niemeyer (Construção 1952)
Lubeskind (Construção 1954)

Conjunto Habitacional - França


Le Corbusier (Construção 1947) Fotos: Reprodução\ Architectural Photographer
Conjunto Nacional – Contexto
● Período pós-guerra com expansão econômica;
● Arquitetura reflete cenário de modernização e

prosperidade econômica;

● Construções representam desenvolvimento;

● Disponibilidade de novos materiais e tecnologias;


Av. Paulista - década de 50

● Verticalização das construções;

● Migração das regiões centrais da cidade.

Fotos: Reprodução/Instituto de Engenharia Av. Paulista - década de 60


Conjunto Nacional – Inauguração (1958)
• Presença do Presidente Jucelino

• Folheto utilizado para anunciar a

inauguração do Conjunto Nacional.

Fotos: http://www.condominioconjuntonacional.com.br/
Conjunto Nacional – Contexto
Ano de 1962
● Tendência de aglutinação para suprir a demanda de

moradias e comércio

● Edificações como mini-cidades, concentrando

habitação e serviços básicos

Ano de 1960

Fotos: http://www.condominioconjuntonacional.com.br/
Conjunto Nacional – Caracterização local

Fotos: <http://cidade3d.blogspot.com/2017/05/>
Conjunto Nacional – Local
Quarteirão inteiro – Área do terreno de 14.600m²

Lado R. Augusta, Lado Alameda Santos, Lado R. Padre João Miguel.

Fotos: Autores, 2019.


Conjunto Nacional – Caracterização Física
Detalhes do projeto, declaração na íntegra do arquiteto:

“Na época, em 1955, a Avenida Paulista era inteiramente residencial e a Rua Augusta já era o

centro comercial onde estavam as lojas chiques, pois ainda não existiam shoppings centers. Assim,

sugeri uma construção que cominasse uma lâmina vertical, para apartamentos, e um jardim

suspenso com uma grande área comercial embaixo, que seria um prolongamento da Rua

Augusta. José Tjurs, assessorado por profissionais do setor, aprovou a minha ideia.

A composição arquitetônica era basicamente formada por duas lâminas: uma horizontal, para uso

comercial, que ocupava toda a área do terreno, e outra, vertical, de apartamentos. Separando as duas

lâminas, havia os pilotis que se apoiavam sobre o terraço-jardim que serve de cobertura de toda a área

comercial. Além dos pilotis, nesse terraço foram projetados um salão de festas e uma cúpula geodésica

para abrigar o conjunto de rampas e elevadores do hall central”.

Fonte: Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de São Paulo


Conjunto Nacional – Caracterização Física
Lâmina horizontal: galeria comercial

Lâmina vertical: com apartamentos e escritórios.

Croqui original doado ao IABsp

Fonte: Instituto de Arquitetos do Brasil – departamento de São Paulo


Conjunto Nacional – Histórico
• 1952 José Tjurs compra o terreno

• 1960: Instalou duas escadas rolantes

• 1961: Restaurante de Luxo Fasano –

Grandes espetáculos e artistas nacionais e

internacionais.

• 1961: Cine Astor – maior e mais luxoso

cinema da cidade

• 1969: Livraria Cultura - maior livraria do

país)

• 1962: Luminoso da Willys que foi

comprado em 1975 pelo banco Itaú.


Foto: http://www.condominioconjuntonacional.com.br/
Conjunto Nacional – Histórico
• O sistema de galerias e lojas sofreu várias • 1975, o edifício sofreu uma reforma que

modificações ao longo do tempo alterou parcialmente a sua concepção

inicial:lanchonetes e lojas, não previstas


• Anos 70 o edifício do Conjunto Nacional
para o local.
passou a conhecer um período de
decadência. • 1978 um grande incêndio (sem vítimas)

atingiu o Horsa II.


• As unidades começaram a perder valor e o
térreo do Conjunto Nacional virou muito • 1984 comprado grupo imobiliário Savoy o

mais uma passagem para pedestres do que que restava e foi eleita nova síndica.

um lugar de visita ou permanência.


• 1992: Programa de coleta seletiva (17

toneladas/mês)

• 1997 Espaço Cultural Conjunto Nacional


Conjunto Nacional – Caracterização Física
• RELÓGIO

• Legível a 12 km de distância.

• Em 2007: Lei Cidade Limpa.

• Em 2011: Itaú foi multado em R$ 14 milhões

• Em 2012 o letreiro foi retirado.

Foto: Nilton Fukuda / AE – (Estadão, 2011)

Foto: Autores, 2019


Conjunto Nacional – Caracterização Física
• Cúpula geodésica: cobre 1.000 m² (2º andar)

• Projeto: Hans Eger.

• Primeira construída na América Latina.

• 3,2t de perfis de alumínio com 2mm de espessura.

• Placas de plástico e lã de vidro

• Sua transparência permite passar uma luz difusa

até o térreo das galerias, criando singular efeito

plástico e arquitetônico.

• Primeira a ser construída na América Latina.

(MORAES)

Fotos: Autores, 2019.


Conjunto Nacional – Caracterização Física
• Estrutura em concreto armado

• Brises (10m)

• Rampa: Vigas engastadas com vazão de luz

• Mosaico Português

Fotos: Autores, 2019


Conjunto Nacional – Ambientes e funções
PAVIMENTOS 25 CINEMA Cine Arte – 2 salas
ENTRADAS 5
TEATRO Eva Hertz – Livraria Cultura
CALÇADAS 3.600 m²
ACADEMIA: de ginástica com 5.000 m²
JARDINS NO TERRAÇO3.000 m²
ESTACIONAMENTO 716 Vagas CENTRO COMERCIAL 66
estabelecimentos
ELEVADORES 24
EDIFÍCIO COMERCIAL – HORSA I
ESCADAS ROLANTES 2 562 estabelecimentos de pequeno e médio
porte
POPULAÇÃO FIXA 5.000 pessoas/dia EDIFÍCIO COMERCIAL – HORSA II
107 estabelecimentos de maior porte
POPULAÇÃO FLUTUANTE 30.000 pessoas/dia
EDIFÍCIO RESIDENCIAL
47 apartamentos
Fonte dados : http://www.condominioconjuntonacional.com.br/

Vídeo: Visitação do grupo


Conjunto Nacional – Considerações finais

 O Conjunto Nacional foi de grande


valor na arquitetura paulista.

 Corresponde ao período de
metropolização de São Paulo

 Conta com a inserção urbana e


abriga as qualidades urbanas
desejadas para espaços da cidade

 Mesmo após 60 anos, o Conjunto


Nacional está em harmonia com
a Avenida Paulista.

 Ativo centro comercial, promove


ações de utilidade pública, arte e
qualidade de vida.

Foto: Autores, 2019.


Referências
• Condomínio Conjunto Nacional. História. São Paulo. Disponível em: <http://www.condominioconjuntonacional.com.br/historia/>.
Acesso em: 21 mar. 2019.
• Frau, Fernanda Marafon. O Conjunto Nacional: entre arquitetura e urbanismo modernos. Dissertação de Mestrado - Pontifícia
Universidade Católica de Campinas, Campinas, 2016.
• Instituto de Arquitetos do Brasil – departamento de São Paulo. Álbum ARQUITETURAS GRAVADAS. São Paulo. Disponível em: <
http://www.iabsp.org.br/?noticias=album-arquiteturas-gravadas-2>. Acesso em: 21 mar. 2019.
• Itaú Cultural. David Libeskind. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa22802/david-libeskind/>. Acesso em: 21
mar. 2019.
• Moraes, Flávio Luiz. O Tombamento do Conjunto Nacional. em: <
http://www.belasartes.br/revistabelasartes/downloads/artigos/2/tombamento-do-conjunto-nacional/>. Acesso em: 21 mar. 2019.
• Viégas, Fernando Felipe. Conjunto Nacional: A construção do espigão central. Dissertação de Mestrado - Faculdade de Arquitetura
e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.