Вы находитесь на странице: 1из 7
 

EA CPCAR

EXAME DE ADMISSÃO AO 3 o ANO DO CPCAR 2008 – LÍNGUA PORTUGUESA E LÍNGUA INGLESA – VERSÃO A

1

Leia atentamente o Texto I para responder às questões de 01 a 08.

 

comecem de novo. Não há pressa. Que diferença faz receber o diploma um ano antes ou um ano depois? Em tudo isso o que causa a maior ansiedade não é

 

Texto I

75

nada sério: é aquela sensação boba que domina pais e filhos de que a vida é uma corrida e que é preciso sair correndo na frente para ganhar. Dá uma aflição danada ver os outros começando a corrida, enquanto a gente fica para trás.

Mas a vida não é uma corrida em linha reta. Quando se começa a correr na direção errada, quanto mais rápido for o corredor, mais longe ele ficará do ponto de chegada. Lembrem-se daquele maravilhoso aforismo de T.S Eliot: “Num país de fugitivos os que andam na direção

Muito cedo para decidir

 

Gandhi se casou menino. Foi casado menino. O contrato, foram os grandes que assinaram. Os dois nem sabiam direito o que estava acontecendo, ainda não haviam

completado 10 anos de idade, estavam interessados em

80

5

brincar. Ninguém era culpado: todo mundo estava sendo levado de roldão pelas engrenagens dessa máquina chamada sociedade, que tudo ignora sobre a felicidade e vai moendo as pessoas nos seus dentes. Os dois passaram o resto da vida se arrastando, pesos enormes, cada um

85

contrária parecem estar fugindo.”

ALVES, Rubem – Estórias de quem gosta de ensinar O fim dos Vestibulares. SP: Ars Poética, 1995. p.31.

 

10

fazendo a infelicidade do outro.

(

)

 

Antigamente, quando se queria dizer que uma decisão não era grave e podia ser desfeita, dizia-se: “Isso não é casamento!”. Naquele tempo, sim, casamento era decisão irremediável, para sempre, até que a morte os

01 - Assinale abaixo o único recurso argumentativo que NÃO foi utilizado no texto.

15

separasse, eterna comunhão de bens e comunhão de males. Mas agora os casamentos fazem-se e desfazem-se até mesmo contra a vontade do Papa, e os dois ficam livres para começar tudo de novo Pois dentro de poucos dias vai acontecer com

 

a) Exemplificação.

 

b) Citação de falas alheias.

 

c) Argumento de autoridade.

d) Interpelação ao receptor.

20

nossos adolescentes coisa igual ou pior do que aconteceu com o Gandhi e a mulher dele, e ninguém se horroriza, ninguém grita, os pais até ajudam, concordam, empurram, fazem pressão, o filho não quer tomar a decisão, refuga, está com medo. “Tomar uma decisão para o resto da minha

RESOLUÇÃO:

 

25

Argumento de autoridade não é utilizado no texto como recurso argumentativo. A citação de T.S. Eliot, que poderia ser confundida com argumento de autoridade, não é usada como “apoio para tratar de um mesmo tema”, ou seja, não é base para a argumentação, além disso, T.S. Eliot não pode ser considerado uma autoridade no assunto abordado no texto.

RESPOSTA: opção c

vida, meu pai! Não posso agora!” e o pai e a mãe perdem o sono, pensando que há algo errado com o menino ou a menina, e invocam o auxílio de psicólogos para ajudar Está chegando para muitos o momento terrível do vestibular, quando vão ser obrigados por uma máquina, do

30

mesmo jeito como o foram Gandhi e Casturbai (era esse o nome da menina), a escrever num espaço em branco o nome da profissão que vão ter. Do mesmo jeito não: a situação é muito mais grave. Porque casar e descasar são coisas que se resolvem rápido.

Às vezes, antes de se descasar de uma ou de um, a pessoa já está com uma outra ou um outro. Mas, com a profissão não tem jeito de fazer assim. Pra casar, basta amar. Mas na profissão, além de amar tem de saber. E o saber leva tempo pra crescer. A dor que os adolescentes enfrentam agora é

que, na verdade, eles não têm condições de saber o que é que eles amam. Mas a máquina os obriga a tomar decisão para o resto da vida, mesmo sem saber. Saber que a gente gosta disso e gosta daquilo é

 

02 - Só NÃO se pode inferir do texto que a

 

35

 

a) decisão profissional satisfatória demanda maturidade e conhecimento de opções.

b) obrigação de tomar decisões precocemente, as quais afetarão a vida futura, é não só um engano como uma temeridade.

40

c) aproximação entre sagrado e profano está presente no texto por meio de comparações.

d) escolha profissional e a conjugal encontram-se em um mesmo patamar de importância.

fácil. O difícil é saber qual, dentre todas, é aquela de que a

RESOLUÇÃO:

 

45

gente gosta supremamente. Pois, por causa dela, todas as outras terão de ser abandonadas. A isso que se dá o nome de “vocação”; que vem do latim, vocare, que quer dizer “chamar”. É um chamado, que vem de dentro da gente, o sentimento de que existe alguma coisa bela, bonita e

De acordo com o quinto parágrafo (linha 32 a 42), a escolha profissional é mais delicada e irreversível, demandando saber que, segundo o autor, leva tempo para crescer.

50

verdadeira à qual a gente deseja entregar a vida. Entregar-se a uma profissão é igual a entrar para uma ordem religiosa. Os religiosos, por amor a Deus, fazem votos de castidade, pobreza e obediência. Pois, no momento em que você escrever a palavra fatídica no espaço em

RESPOSTA: opção d

 

03 - Com

base

no

texto,

assinale

(V)

para

as

proposições

 

verdadeiras e (F) para as falsas.

 

55

branco, você estará fazendo também os seus votos de dedicação total a sua ordem. Cada profissão é uma ordem religiosa, com seus papas, bispos, catecismos, pecados e inquisições.

(

) O autor critica certa banalização na escolha da profissão, decorrente da pressão imposta pelo ritmo acelerado da sociedade moderna.

(

)

(

) O autor faz uso do padrão lingüístico socialmente considerado modelar por se dirigir formalmente aos pais de jovens em fase pré-vestibular.

 

Não fique muito feliz se o seu filho já tem idéias

 

60

claras sobre o assunto. Isso não é sinal de superioridade. Significa, apenas, que na mesa dele há um prato só. Se ele só tem nabos cozidos para comer, é claro que a decisão já está feita: comerá nabos cozidos e engordará com eles. A dor e a indecisão vêm quando há muitos pratos sobre a

 

(

) A ironia é um recurso usado pelo autor para expressar seu ponto de vista acerca da decisão profissional.

(

) O casamento, na atualidade, apresenta o mesmo caráter inexorável de que era revestido no passado.

65

mesa e só se pode escolher um. Um conselho aos pais e aos adolescentes: não levem muito a sério esse ato de colocar a profissão naquele lugar terrível. Aceitem que é muito cedo para uma decisão tão grave. Considerem que é possível que vocês, daqui a

 
 

Assinale a alternativa com a seqüência correta.

 

a) V – F – V – F

 

c)

F – V – V – V

b) V – V – V – V

d)

V – F – F – F

70

um ou dois anos, mudem de idéia. Eu mudei de idéia várias vezes, o que me fez muito bem. Se for necessário,

 

EA CPCAR

EXAME DE ADMISSÃO AO 3 o ANO DO CPCAR 2008 – LÍNGUA PORTUGUESA E LÍNGUA INGLESA – VERSÃO A

 

2

RESOLUÇÃO:

   

RESOLUÇÃO:

 

A

primeira afirmativa é verdadeira (V) porque, de acordo com

Em ambos os períodos, foi destacado um pronome relativo que substitui as palavras “chamado” e “os/aqueles” respectivamente.

as linhas 28, 39, 40 e 41, os jovens são levados a tomar decisões pouco sábias por uma “máquina” que evidencia-se, no penúltimo parágrafo como “uma corrida” em que “é preciso

sair correndo na frente para ganhar” (linhas 74 e 75)

 

RESPOSTA: opção d

 

A

segunda afirmativa é falsa (F), pois o autor se dirige não só

 

aos pais, mas também aos filhos informalmente, como em um

bate-papo (v. 8 o e 9 o parágrafo)

 

06-

Pode-se afirmar que a palavra foi substituída corretamente em

A

terceira afirmativa é verdadeira (V) já que a ironia está

 

presente em alguns momentos do texto, cito como um exemplo as linhas 66, 67 e 68.

quarta afirmativa é falsa (F), pois o texto deixa claro que

A

 

a) “Lembrem-se daquela maravilhosa máxima de T.S Eliot

(linhas 83 e 84) b) “

no momento em que você escrever a palavra exata no

atualmente o casamento pode ser facilmente dissolvido (linhas 12 a 17 e linhas 32 e 33), não sendo, portanto, inabalável.

 

espaço em branco

(linhas 53 a 55)

 
 

c) “O difícil é saber qual, dentre todas, é aquela de que a gente gosta particularmente.” (linhas 44 e 45)

RESPOSTA: opção a

 

d) “Naquele tempo, sim, casamento era decisão previsível, para

   

sempre, até que a morte os separasse

”.(linhas

13 a 15)

04 - Leia o trecho abaixo e analise as proposições.

   

RESOLUÇÃO:

 

“Naquele tempo, sim, casamento era decisão irremediável, para sempre, até que a morte os separasse, eterna comunhão de bens e comunhão de males.”

A

palavra “máxima” pode ser substuída por “aforismo” sem

prejuízo semântico, já que ambas significam conceito, pensamento ou apoftegma.

I - A expressão para sempre refere-se tanto ao substantivo casamento, quanto à expressão adverbial naquele tempo. II - Em “eterna comunhão de bens e comunhão de males” há um trocadilho entre bens e males, já que bens tanto pode se referir a objetos materiais quanto a valores morais.

RESPOSTA: opção a

 

07 - Assinale a opção em que todas as palavras destacadas retomam um termo ou uma oração já citados anteriormente no texto.

III - O termo sim entre vírgulas é uma marca de oralidade, portanto as vírgulas podem ser suprimidas.

 

a) “Em tudo isso o que causa a maior ansiedade não é nada sério: é aquela sensação boba que domina pais e filhos de que a vida é uma corrida e que é preciso sair correndo na frente para ganhar.”(linhas 74 a 77)

IV -

No trecho “

até

que

a

morte

os

separasse

a

 

expressão até que indica um limite temporal.

 

Estão corretas apenas

 

b) “Saber que a gente gosta disso e gosta daquilo é fácil.”(linhas 43 e 44)

a) I e II.

 

c)

II e III.

c) “Pois, por causa dela, todas as outras terão de ser abandonadas. A isso que se dá o nome de ‘vocação’; que vem do latim, vocare, que quer dizer ‘chamar.’”(linhas 45 a

48)

b) II e IV.

d)

III e IV.

RESOLUÇÃO

 

Na proposição II, o trocadilho se deve ao emprego da palavra bens que tanto pode se referir a bens materiais nas expressões casamento em comunhão de bens, separação de bens quanto a valores em oposição ao vocábulo males. Na proposição IV, a expressão destacada indica o período que se inicia com o casamento e é finalizado com a morte. Na proposição I, a expressão destacada refere-se somente ao substantivo casamento. Na proposição III, o uso das vírgulas serve para isolar o termo que se quer realçar.

d) “Um conselho aos pais e aos adolescentes: não levem muito a sério esse ato de colocar a profissão naquele lugar terrível.” (linhas 66 a 68)

RESOLUÇÃO:

 

O pronome demonstrativo “isso” retoma a idéia expressa anteriormente: saber o que se gosta supremamente. Nas orações seguintes o pronome relativo “que” substitui, respectivamente, vocação e vocare.

RESPOSTA: opção c

 

RESPOSTA: opção b

   
 

08 - Analise as assertivas abaixo.

 

05 - Assinale

a

opção

cujas

palavras

destacadas

possuem

a

 

mesma função morfossintática.

   

I - Prosopopéia, antítese e gradação são figuras de linguagem exploradas pelo autor do texto. II - A palavra pois (linha 19) não tem valor explicativo, sua função no texto é provocar uma mudança de sentido na argumentação.

a) “A isso que se dá o nome de ‘vocação’; que vem do latim, vocare, que quer dizer ‘chamar’.” “Lembrem-se daquele famoso aforismo de T.S Eliot ”

b) “Aceitem que é muito cedo para uma decisão tão grave.” “Que diferença faz receber o diploma um ano antes ou um ano depois?”

c) “Não fique muito feliz se o seu filho já tem idéias claras sobre o assunto.” “Quando se começa a correr na direção errada, quanto mais rápido for o corredor , mais longe ele ficará do ponto de chegada.”

III -

O uso das reticências (linha 18) denota a possível continuidade do ciclo de casar e descasar.

IV - O uso da vírgula após o substantivo contrato (linha 2) justifica-se pela elipse de um termo facilmente identificável.

Estão corretas apenas

a) I e III.

 

c)

III e IV.

d) “É um chamado, que vem de dentro da gente, o sentimento de que existe alguma coisa bela ” “Num país de fugitivos os que andam na direção contrária parecem estar fugindo.”

b) I e II.

d)

II e III.

EA CPCAR

EXAME DE ADMISSÃO AO 3 o ANO DO CPCAR 2008 – LÍNGUA PORTUGUESA E LÍNGUA INGLESA – VERSÃO A

3

RESOLUÇÃO:

 

das várias situações apresentadas, nos convida a uma reflexão. A alternativa II está correta, porque há vários verbos (no poema) que necessitam de complementação.

RESPOSTA: opção d

II. A conjunção pois pode ser considerada explicativa quando introduz uma justificativa para o que foi enunciado anteriormente, o que não acontece nesse caso. A conjunção marca uma mudança da argumentação do passado para o presente. III. As reticências são utilizadas para indicar uma interrupção na seqüência normal da frase e, entre outros usos, sugere que o leitor complete o raciocínio, tendo em vista que o contexto anterior aponta para a circularidade casar, descasar, casar novamente e descasar (linhas 16 a 20).

10 - Sobre os versos de 1 a 4 do Texto II é INCORRETO afirmar que o/a(s)

a) ocorrências do termo ou na posição intermediária, nos versos, estabelece uma relação de alternância.

RESPOSTA: opção d

 

b) ocorrência do termo ou na posição inicial, no verso 1, estabelece a idéia de escolha que percorre todo o texto.

 

Texto II

 

c) uso de verbos no presente indica condições rotineiras e não ações presentes.

Ou isto ou aquilo

d) uso do ponto de exclamação indica a surpresa do eu-lírico ao constatar a situação.

 

Ou se tem chuva ou não se tem sol, Ou se tem sol ou não se tem

chuva!

RESOLUÇÃO

 

Não ocorre, nos versos citados, na posição intermediária a relação de alternância de opção. A conjunção ou, no contexto, estabelece a idéia de consequência.

Ou se calça a luva e não se põe

 

o

anel,

 
 

Ou se põe o anel e não se calça

RESPOSTA: opção a

 
 

a

luva!

 
 

Quem sobe nos ares não fica no

 

chão,

11 - Sobre o poema de Cecília Meireles, pode-se afirmar que

 

Quem fica no chão não sobe nos ares.

a) há dois momentos marcados pela mudança das pessoas do discurso.

É

uma grande pena que não se

 

possa

b) a ocorrência do termo se em todo o poema estabelece sempre a mesma relação de condição.

c) os recursos literários mais empregados pela autora são assíndeto e aliteração.

 

estar ao mesmo tempo em dois lugares! Ou guardo dinheiro e não compro doce, Ou compro doce e não guardo dinheiro. Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo

e

d) o esquema rítmico do poema é composto por rimas, versos curtos e assonâncias.

RESOLUÇÃO:

 

Até o 16 o verso, observa-se o uso da 3ª pessoa do singular de forma a indicar uma indeterminação, pois se trata de circunstâncias relativas a condições climáticas ou às pessoas em geral. A partir do 17 o verso, observa-se o uso da 1ª pessoa do singular, isto é, o eu-lírico passa a indicar circunstâncias relativas a si.

RESPOSTA: opção a

 

vivo escolhendo o dia inteiro! Não sei se brinco, não sei se estudo, se saio correndo ou fico tranqüilo. Mas não consegui entender ainda qual é melhor: se é isto ou aquilo.

MEIRELES, Cecília. Obra Poética. RJ: Nova Aguilar, 1987.

Leia atentamente o Texto III para responder às questões de 12 a 17.

09 - Analise as proposições abaixo.

   

Texto III

I - Enquanto Cecília Meireles apresenta uma série de alternativas para se seguir, Rubem Alves nos propõe uma maior reflexão para um plano de vida. II - No poema Ou isto ou aquilo, observa-se o emprego de verbos que necessitam de complementação. III - O emprego de duas expressões com sentido indefinido no título do poema de Cecília Meireles apresenta-nos a dificuldade de se tomar uma decisão. IV - Quando Cecília Meireles diz que “É uma grande pena que não se possa / estar ao mesmo tempo em dois lugares!”, remete-nos a uma certeza de que é muito simples tomar uma decisão na vida.

Filtro Solar

 

(

)

Aproveite bem, o máximo que puder, o poder e a beleza da juventude. Ou, então, esqueça. Você nunca vai entender mesmo o poder e a beleza da juventude até que tenham se apagado. Mas pode crer que daqui a

5

vinte anos você vai evocar as suas fotos, e perceber, de um jeito que você nem desconfia hoje em dia, quantas, tantas alternativas se escancaravam a sua frente.

Não se preocupe com o futuro. Ou então preocupe-se, se quiser, mas saiba que preocupação é tão eficiente

10

quanto mascar chiclete para tentar resolver uma questão de álgebra. As encrencas de verdade em sua vida tendem a vir de coisas que nunca passaram pela sua cabeça preocupada, e o pegam no ponto às 4 da tarde de uma terça-feira modorrenta.

Estão corretas apenas as proposições

a) I, II e IV.

c)

I, III e IV.

b) II, III e IV.

d)

I, II e III.

RESOLUÇÃO:

 

15

Todo dia, enfrente pelo menos uma coisa que lhe meta medo de verdade.

As alternativas I e III interpretam corretamente os textos. Cecília Meireles, quando emprega o conectivo ou e, mesmo, os vocábulos de sentido indefinido, já nos demonstra a dificuldade de se fazer uma escolha. Rubem Alves, através

Cante

 

(

)

Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida.

 

EA CPCAR

EXAME DE ADMISSÃO AO 3 o ANO DO CPCAR 2008 – LÍNGUA PORTUGUESA E LÍNGUA INGLESA – VERSÃO A

4

 

As pessoas mais interessantes que eu conheço não

 

de verdade.

 

20

sabiam aos vinte e dois o que queriam fazer da vida. Alguns dos quarentões mais interessantes que eu conheço ainda não sabem. ( ) Faça o que fizer não se autocongratule demais, nem seja severo demais com você. As suas escolhas têm

sempre metade das chances de dar certo. É assim para todo mundo.

d)

Não te sintas culpado de não saber o que fazer da vida.

 

RESOLUÇÃO:

Os

verbos fazer e saber não devem ser flexionados na 2ª

 

25

pessoa do singular porque o verbo saber funciona como complemento do adjetivo culpado e o verbo fazer é parte de uma locução verbal (vai fazer) cujo auxiliar está implícito.

 

http://pedro-bial.letras.terra.com.br/letras/138161/

Acesso em 15/05/2007 às 14:09 Adaptado

RESPOSTA: opção d

12

- A partir da leitura do texto, assinale a alternativa INCORRETA.

15 - Observe a frase abaixo.

 

a) O acaso é um fator importante no sucesso ou no fracasso das escolhas, as quais não são inteiramente de nossa responsabilidade.

b) Nem todas as coisas podem ser resolvidas no presente, grande parte das opções só poderão ser conhecidas no futuro.

c) A certeza sobre metas a serem alcançadas é uma característica da maturidade, fase em que as decisões se tornarão mais fáceis.

 

“As

pessoas

mais

interessantes

que

eu

conheço

não

sabiam aos vinte e dois o que queriam fazer da vida.”

Analise as proposições a seguir.

I - A indecisão faz parte da vida, independe da idade da pessoa. II - Os verbos que figuram no excerto necessitam de complementação para efetivarem a comunicação.

d) A expressão o máximo que puder é uma oração intercalada que tem por objetivo ratificar a intensificação da ação de aproveitar.

III - Pode-se estabelecer uma relação sinonímica entre interessante e modorrenta (linha 14) de acordo com o contexto.

RESOLUÇÃO:

 

IV - O vocábulo que em que eu conheço / o que queriam (linhas 19 e 20) figura na frase com a mesma função sintática.

A

maturidade não significa certeza, conforme atestam as linhas

19 e 20.

 

Estão corretas apenas

RESPOSTA: opção c

a) I, II e III.

c)

I, II e IV.

 

b) II, III e IV.

d)

I, III e IV.

13

- Leia o fragmento abaixo retirado do texto e assinale com (V) verdadeiro ou (F) falso as assertivas.

RESOLUÇÃO:

A

proposição I está correta, pois, na frase confirma a idéia de

 

“Aproveite bem, o máximo que puder, o poder e a beleza da juventude. Ou, então, esqueça.” (linhas 1 e 2)

que indecisão independe da faixa etária.

Na

proposição II, todos os verbos que configuram na frase são

(

) As três formas verbais, que se encontram no fragmento, apresentam o mesmo tempo e modo verbal.

transitivos. Na proposição IV, o vocábulo que é classificado, nas duas

 

ocorrências, como pronome relativo.

 

(

) Da última oração, infere-se que o emissor apresenta um certo relativismo em relação às suas convicções.

RESPOSTA: opção c

(

) O termo então, presente no 2º período, não é uma referência temporal.

(

) Se as vírgulas presentes no 2º período forem retiradas, não ocorrerá prejuízo sintático ou semântico.

16 - Assinale as assertivas abaixo sobre o texto com (V) verdadeiro

 

ou

(F) falso.

 

Assinale a seqüência correta.

 

(

) “Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida.” (linha 18) O termo grifado pode ser substituído por com a sem prejuízo sintático ou semântico.

a) V – F – F – V

c)

F – F – V – V

b) V – V – V – F

d)

F – V – F – F

(

) A ocorrência do verbo saber nas linhas 18, 20 e 22 tem o mesmo complemento.

RESOLUÇÃO:

(

) “Não se preocupe com o futuro. Ou então preocupe-se, ”

(linhas 8 e 9). Substituindo os termos

se quiser

A

1ª assertiva é falsa (F), pois as formas verbais aproveite e

destacados por te teríamos: não te preocupas e

esqueça estão no modo imperativo e a forma verbal puder encontra-se no futuro do subjuntivo.

preocupa-te.

(

) “As encrencas de verdade em sua vida tendem a vir de coisas que nunca passaram pela sua cabeça

A

2ª assertiva é falsa (F) porque não há relativismo, ao

contrário, o emissor, ao apresentar duas possibilidades –

preocupada

(linhas

11

a

13).

As

expressões

aproveitar ou esquecer –, reafirma sua convicções.

destacadas não constituem complementos verbais de vir e passaram respectivamente.

A

3ª assertiva é verdadeira (V), pois o termo então, no

contexto, indica a ênfase que o emissor dá à 2ª possibilidade.

 

A

4ª assertiva é verdadeira (V) já que as vírgulas nesse caso

Marque a seqüência correta.

são usadas para efeito de ênfase.

 
 

a) F – V – V – F

c)

V – F – V – F

 

RESPOSTA: opção c

 

b) F – V – F – V

d)

V – V – F – F

 

RESOLUÇÃO:

14

- Assinale a alternativa que está de acordo com o padrão culto

 

da língua.

 

A

primeira assertiva é falsa (F) porque a substituição

 

acarretaria prejuízo semântico. O termo de indica uma noção

 

a) Faz o que fizeres não se autocongratules demais.

de

destino, enquanto a expressão com a, indica conteúdo.

b) O poder e a beleza da juventude não serão compreendidas, até apagarem-se, por isso você nunca vai entendê-las realmente.

A

2ª assertiva é verdadeira (V) já que nas três ocorrências tem-

se

como complemento verbal o objeto direto representado por

“o

que fazer da vida”, “o que queriam fazer da vida” e “o que

c) Todo dia, enfrenta ao menos uma coisa que lhe meta medo

queriam fazer da vida”, este último de forma implícita.

 

EA CPCAR

EXAME DE ADMISSÃO AO 3 o ANO DO CPCAR 2008 – LÍNGUA PORTUGUESA E LÍNGUA INGLESA – VERSÃO A

5

A

3ª assertiva é falsa (F), pois as formas encontradas após a

19 - Assinale a alternativa correta.

 

substituição são não te preocupes e preocupa-te.

 
substituição são não te preocupes e preocupa-te .  

A

4ª assertiva é verdadeira (V), pois ambos os verbos, no

contexto apresentado, são intransitivos.

 

RESPOSTA: opção b

 

17

- Marque a opção INCORRETA.

 
 

a)

Se na oração “daqui a vinte anos, você vai evocar as suas

 

fotos

”,

a locução verbal for substituída por evocou,

também será necessário alterar a circunstância temporal para há vinte anos.

a) O verbo implicar (1 o quadrinho) está empregado de acordo com a norma padrão escrita da língua, sua idéia necessita de complementação introduzida por preposição.

 

b) Em “As encrencas de verdade em sua vida tendem a vir de

 

coisas que nunca passaram pela sua cabeça

”,

o verbo vir

pode ser flexionado na 3ª pessoa do plural para concordar com o sujeito encrencas.

b) A tirinha utiliza exclusivamente a denotação, e o humor decorre da constatação de diferenças valorativas entre os personagens.

c) As idéias do 1º quadrinho mantêm relação semântica com idéias desenvolvidas da linha 43 à linha 50 do Texto I.

 

c) Se a expressão destacada no período “Alguns dos quarentões mais interessantes que eu conheço ainda não sabem.”, fosse substituída por alguns de vós, o verbo saber não sofreria adaptação para manter a correção

gramatical.

d) A tirinha relaciona-se com o Texto III tendo em vista que ambos valorizam a busca de ganhos materiais através das escolhas.

d)

No período “As suas escolhas têm sempre metade das chances de dar certo.”, o verbo dar não pode ser flexionado para concordar com chances.

 

RESOLUÇÃO:

 
 

RESOLUÇÃO:

 

A relação semântica evidencia-se ao pensarmos em perdas como abandono de todas as outras coisas e ganhos como satisfação, facilmente inferida no contexto, de atender ao “chamado que vem de dentro da gente”.

A

locução constitui um todo indivisível; os vários elementos

formam um só elemento e cabe somente aos verbos auxiliares a flexão de número.

 

RESPOSTA: opção c

 
 

RESPOSTA: opção b

   

18

- Relacione a 1 a coluna à 2 a .

Leia abaixo dois poemas de Álvares de Azevedo e, a seguir, responda as questões 20 e 21

 

1 a coluna

   

Poema I

(1)

Texto I

Soneto

(2)

Texto II

 

(3)

Texto III

 

Pálida, à luz da lâmpada sombria, Sobre o leito de flores reclinada, Como a lua por noite embalsamada, Entre as nuvens do amor ela dormia!

 

2 a coluna

 

(

) O autor utiliza exemplos para embasar seus argumentos.

 

(

) O emissor enfatiza a inutilidade de viver um presente em função de um futuro.

Era a virgem do mar! Pela maré das águas embalada! Era um anjo entre nuvens d’alvorada Que em sonhos se banhava e se esquecia!

(

) A vida é feita de escolhas que se alternam e se excluem.

(

) O emissor aparenta angústia e preocupação diante do tema escolha.

(

) É possível associá-lo ao ideal neoclássico Carpe Diem.

Era a mais bela! O seio palpitante Negros olhos as pálpebras abrindo Formas nuas no leito resvalando

 

A

seqüência correta é

 

a) 1, 3, 2, 1, 3.

c)

1, 2, 3, 1, 2.

Não te rias de mim, meu anjo lindo! Por ti – as noites eu velei chorando, Por ti – nos sonhos morrerei sorrindo!

b) 2, 1, 3, 3, 1.

d)

3, 3, 1, 2, 2.

RESOLUÇÃO:

 
   

AZEVEDO, Álvares de. Álvares de Azevedo. SP:

 

O

texto I usa exemplos (o casamento de Gandhi, a dieta de

 

Abril Educação, 1982.p.22.

nabos) para embasar seus argumentos. O texto III aborda a necessidade de viver o presente em função do presente (v. linhas 8, 9, 10 e 15) No texto II, a idéia de alternância e exclusão é marcada pelo uso constante dos conectivos ou e se.

O texto III afirma a necessidade de viver o presente, sem mortificações acerca do futuro em consonância com o ideal “Carpe Diem” = “aproveite o dia” bastante utilizado no Neoclassicismo.

 

Poema II

É ela! É ela! É ela! É ela

É

ela! É ela! – murmurou tremendo,

E

o eco ao longe murmurou – é ela!

Eu a vi minha fada aérea e pura –

 
 

A

minha lavadeira na janela!

 

RESPOSTA: opção a

   
 

Dessas águas-furtadas onde eu moro Eu a vejo estendendo no telhado Os vestidos de chita, as saias brancas; Eu a vejo e suspiro enamorado!

Esta noite eu ousei mais atrevido Nas telhas que estalavam nos meus passos

EA CPCAR

EXAME DE ADMISSÃO AO 3 o ANO DO CPCAR 2008 – LÍNGUA PORTUGUESA E LÍNGUA INGLESA – VERSÃO A

6

Ir

espiar seu venturoso sono,

 

relação à

amada

o

qual se coloca numa posição de

Vê-la mais bela de morfeu nos braços!

admiração.

Como dormia! que profundo sono! Tinha na mão o ferro do engomado Como roncava maviosa e pura! Quase caí desmaiado!

Afastei a janela, entrei medroso Palpitava-lhe o seio adormecido

 

RESOLUÇÃO:

 

A

relação amor idealizado/natureza aparece apenas no

primeiro poema e não é marcada pela presença da coruja. Esta aparece apenas no 2 o poema e não estabelece tal relação.

Fui beijá-la

roubei

do seio dela

RESPOSTA: opção a

 

Um bilhete que estava ali metido

 

Oh! de certo

(pensei) é doce página

22 - Leia as afirmativas abaixo.

 

Onde a alma derramou gentis amores;

 

São versos dela

que amanhã de certo

I - A obra de Cruz e Souza, no nosso Simbolismo, apresenta uma evolução importante, uma vez que abandona o subjetivismo e a angústia iniciais em nome de posições mais universalizantes. II - Olavo Bilac sempre comungou plenamente com a estética do movimento parnasiano, pois nunca se distanciou, em suas poesias, dos valores formais impostos por essa escola. III - Na produção poética de Cláudio Manuel da Costa, têm espaço elementos da paisagem local como referência ao ambiente agreste e rústico de Minas Gerais.

Ela me enviará cheios de flores

 

É

ela! É ela! – repeti tremendo

Mas cantou nesse instante uma coruja Abri cioso a página secreta Oh! Meu Deus! Era um rol de roupa suja!

 

AZEVEDO, Álvares de. Poesias completas de Álvares de Azevedo. RJ: Ediouro, 1995.p.60.

20 - Assinale as afirmativas abaixo com (V) verdadeiro ou (F) falso

Pode-se dizer que estão corretos os fragmentos

 

e,

em seguida, marque a seqüência correta.

 
 

a) I e II apenas.

 

c)

II e III apenas.

(

) Em ambos os poemas, a mulher e o amor são idealizados, o que difere é o cenário em que as mulheres amadas se encontram.

b) I e III apenas.

d)

I, II e III.

RESOLUÇÃO:

 

(

) No primeiro poema, mesmo a mulher estando nua, percebe-se um eu-lírico que se coloca diante da amada de forma casta e carregada de sentimentalismo.

Embora Bilac tenha comungado plenamente com a estética parnasiana, defendendo-a inclusive em seu famoso poema Profissão de fé, vez ou outra depreende-se de sua obra certa valorização dos sentimentos que lembra o Romantismo.

(

) O título do segundo poema, pela repetição e pela sonoridade desagradável da expressão “É ela!”, foge dos padrões do Romantismo.

(

) O primeiro poema descreve a mulher amada idealizando-a e apresenta o eu-lírico numa posição antitética como se verifica nos dois últimos versos.

RESPOSTA: opção b

 

(

) No segundo poema podem ser observados procedimentos típicos do amante do Romantismo, como ousadia, a adjetivação e forte sentimento.

23 - Assinale a alternativa correta em relação aos versos abaixo.

Lira I (primeira parte)

 

a)

F – V – F – V – V.

c)

V – F – V – F – F.

Eu, Marília, não sou algum vaqueiro, Que viva de guardar alheio gado,

 

b)

F – V – V – F – V.

d)

V – V – V – F – F.

 

De

tosco trato, de expressões grosseiro,

RESOLUÇÃO:

 

Dos frios gelos, e dos sóis queimado. Tenho próprio casal e nele assisto;

A

primeira afirmativa é falsa (F) porque a mulher não é alvo da

Dá-me vinho, legume, fruta, azeite; Das brancas ovelhinhas tiro o leite, E mais as finas lãs, de que me visto. Graças, Marília bela, Graças à minha estrela.

idealização romântica.

 

A

segunda afirmativa é verdadeira (V), pois a postura do

eu-lírico diante da mulher é de recato, verifique-se a linguagem

utilizada.

 

A

terceira afirmativa é verdadeira (V) já que o som repetido

 

produz um som desagradável que foge aos padrões do lirismo amoroso do Romantismo.

 

GONZAGA, Tomás Antônio. A poesia dos inconfidentes. RJ: Nova Aguilar, 1996.

A

quarta afirmativa é fasa (F), pois, mesmo ocorrendo a

 

idealização, não se verifica a postura antitética do eu-lírico.

a) Como Marília é um vocativo, infere-se que esses versos fazem parte de um diálogo entre o eu-lírico e sua amada.

A

quinta afirmativa é verdadeira (V) já que o ato de escalar o

telhado e mesmo retirar o rol de roupa suja ao roubar o beijo

b) O fingimento poético, característica do Arcadismo brasileiro, não é percebido nessa estrofe.

denotam ousadia. A adjetivação só faz reforçar o sentimento.

RESPOSTA: opção b

 

c) O eu-lírico mostra-se um homem simples, um vaqueiro de poucas posses que aceita a sua sorte, a sua estrela.

21 - Sobre os dois poemas de Álvares de Azevedo, só NÃO se pode afirmar que

d) Os versos são compostos dentro de um formalismo estético, o que caracteriza a tendência neoclássica do poema.

RESOLUÇÃO:

 

a) a presença da coruja estabelece a relação entre amor idealizado e natureza tão cara à estética romântica.

Uma das características da estética neoclássica é o zelo pela forma poética, presente no poema através de rima e métrica apuradas, por exemplo.

b) a pontuação empregada, em ambos os poemas, com a presença de exclamações e reticências dá vazão aos arroubos de um eu-lírico enamorado.

c) a desconstrução irônica que é realizada no segundo poema pode ser percebida também no uso do vocabulário e na forma.

RESPOSTA: opção d

 

d) há uma posição de quase vassalagem do eu-lírico em

 

EA CPCAR

EXAME DE ADMISSÃO AO 3 o ANO DO CPCAR 2008 – LÍNGUA PORTUGUESA E LÍNGUA INGLESA – VERSÃO A

7

24

- Do excerto abaixo, só NÃO se pode afirmar que o/a

RESOLUÇÃO:

“Capitu olhou para mim, mas de um modo que me fez lembrar

Observam-se as características listadas, como a seguir:

definição de José Dias, oblíquo e dissimulado; levantou o olhar, sem levantar os olhos. A voz um tanto sumida, perguntou-me:

a

Registro nebuloso morte (As mãos da morte), o uso de expressões como: longe, sombra, brumosas, distantes, visões;

Aliteração longe/eleve, brumosas/brancas, tempo/tantas;

Diga-me uma coisa, mas fale a verdade, não quero disfarce; há de responder com o coração na mão.

Que é? Diga.

Misticismo presença de termos como altares, consagram, visões defuntas e idéia de morte;

Branco em expressões como neve, tons marfíneos, brumosas, brancas.

Se você tivesse que escolher entre mim e sua mãe, a quem você escolheria?

Eu?

Fez sinal que sim

 

Eu escolhia

Mas para que escolher? Mamãe não é capaz

RESPOSTA: opção d

 

de me perguntar isso.”

 

ASSIS, Machado de: Dom Casmurro. SP: Ática, 2000.

 

a) fragmento pertence à estética realista em que a preocupação em traçar o perfil psicológico do personagem é evidente.

b) linguagem caracteriza-se por uma postura analítica e científica diante da realidade.

c) trecho evidencia que a personagem Capitu é vista a partir do ponto de vista do narrador que visa reunir vestígios para elaborar uma imagem negativa dessa personagem.

d) narrador machadiano, além de narrar os acontecimentos, apresenta ao leitor suas reflexões sobre eles.

RESOLUÇÃO:

 

Não há traços de cientificismo na linguagem, uma característica do Naturalismo e não do Realismo, estética a qual pertence o excerto analisado.

RESPOSTA: opção b

Leia o poema abaixo e responda ao que se pede.

As mãos da morte

 

Mãos de finada, aquelas mãos de neve, De tons marfíneos, de ossatura rica, Pairando no ar, num gesto brando e leve, Que parece ordenar, mas que suplica.

Erguem-se ao longe como se as eleve Alguém que ante os altares sacrifica:

Mãos que consagram, mãos que partem breve, Mas cuja sombra nos meus olhos fica

Mãos de esperança para as almas loucas, Brumosas mãos que vêm brancas, distantes, Fechar ao mesmo tempo tantas bocas

Sinto-as agora ao luar, descendo juntas, Grandes, magoadas, pálidas, tateantes, Cerrando os olhos das visões defuntas

 

GUIMARAENS, Alphonsus de. Poesia. RJ: Agir, 1976.

25

- Assinale a alternativa correta.

a) Nos versos “Mãos de finada, aquelas mãos de neve, / De tons marfíneos, de ossatura rica,” há o emprego de sinestesia, figura de linguagem amplamente utilizada no Simbolismo.

b) É característica da poesia de Alphonsus de Guimaraens, o abandono da temática intimista em favor de temas universais.

c) O poeta vale-se da metonímia como o principal recurso estruturador de seu texto.

d) O poema apresenta características simbolistas como o registro nebuloso da realidade, aliteração, misticismo e referências à cor branca.