Вы находитесь на странице: 1из 27

GUIA COMPLETO

PARA ENTENDER
O QUE SÃO FALTAS
JUSTIFICADAS E
NÃO JUSTIFICADAS
INTRODUÇÃO............................................................................................................................................................................................................................3

O QUE SÃO E QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE FALTAS JUSTIFICADAS E NÃO JUSTIFICADAS...................................................................5

REFLEXOS DAS FALTAS NÃO JUSTIFICADAS NA REMUNERAÇÃO E DIREITOS DO TRABALHADOR.....................................................8

ENTENDA QUAIS OS AFASTAMENTOS PREVISTOS NA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E SUAS REGRAS...............................................11

ENTENDA AS REGRAS PARA ACEITAÇÃO DO ATESTADO MÉDICO....................................................................................................................17

CONHEÇA OS BENEFÍCIOS QUE O ESTADO ASSUME EM CASO DE INCAPACIDADE LABORATIVA.....................................................21

CONCLUSÃO...........................................................................................................................................................................................................................25

SOBRE A METADADOS...............................................................................................................................................................................................................27
INTRODUÇÃO
Introdução
Existe muita dúvida sobre o que fazer com o empregado
que não comparece ao trabalho. Pode descontar do
salário? Pode reduzir os dias de férias? Essas e outras
perguntas dependem do conhecimento acerca das faltas
justificadas e não justificadas. A legislação trabalhista
brasileira prevê essas alternativas, bem como os
benefícios que o Estado concede ao funcionário que se
torna incapaz. Nosso eBook é sobre tudo isso! Vamos lá?

4
O QUE SÃO E QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE
FALTAS JUSTIFICADAS E NÃO JUSTIFICADAS
O que são e quais
as diferenças entre
faltas justificadas e
não justificadas
As faltas justificadas são aquelas que ocorrem quando
o empregado deixa de comparecer ao serviço sem
que isso afete sua remuneração e outros direitos
trabalhistas. São situações em que a lei autoriza a falta
ou em que há acordo entre a empresa e o empregado.

6
O QUE SÃO E QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE FALTAS JUSTIFICADAS E NÃO JUSTIFICADAS

Elas estão descritas, em sua


maioria, na CLT — Consolidação
das Leis Trabalhistas. Entretanto,
encontramos previsões também
em outras leis ordinárias e na ADCT
(Ato das Disposições Constitucionais
Transitórias) da Constituição Federal.

Por analogia, entendemos que as


faltas não justificadas são aquelas
que comprometem a remuneração do
trabalhador e alguns de seus direitos,
por não serem desculpáveis.

Além de interferir no salário, reflete,


por exemplo, nas férias, no descanso
semanal remunerado e no décimo
terceiro salário.

7
REFLEXOS DAS FALTAS NÃO JUSTIFICADAS NA
REMUNERAÇÃO E DIREITOS DO TRABALHADOR
Da mesma forma, não será devida a remuneração
referente ao descanso semanal remunerado (DSR) ou
feriado que recair na mesma semana, visto que a jornada
de trabalho não foi cumprida integralmente.

Porém, uma observação importante: se a empresa segue


o critério de não descontar o DSR do funcionário por
acordo, convenção ou contrato individual de trabalho,
não poderá alterá-lo, porque acarretaria prejuízo ao
empregado (art. 468 da CLT).

Como vimos anteriormente, as faltas podem refletir


Reflexos das faltas na perda do direito ao décimo terceiro salário, e
consequentemente haverá a interferência no seu valor. O
não justificadas décimo terceiro salário é a soma de 1/12 (um doze avos)
do salário de cada mês (ou fração igual ou superior a
na remuneração e 15 dias). Se o trabalhador não comparece ao serviço por
mais de 15 dias em um mês, perde o 1/12 correspondente.
direitos do trabalhador
No que diz respeito às férias, as faltas podem também
causar redução no período de gozo. Os empregados com
Quando o trabalhador, sem motivo justificado, jornada normal de trabalho podem ter:
faltar ao trabalho caberá o desconto do
respectivo dia de sua remuneração. » Até 5 faltas e usufruir de 30 dias de férias;

9
REFLEXOS DAS FALTAS NÃO JUSTIFICADAS NA REMUNERAÇÃO E DIREITOS DO TRABALHADOR

» Entre 6 e 14 faltas, terá 24 dias de


férias;

» Entre 15 e 23 faltas, 18 dias de


férias;

» Entre 24 e 32 faltas, 12 dias de


férias;

» Acima de 32 faltas, o empregado


perde o direito a férias.

Além de interferir nos direitos do trabalhador, as faltas injustificadas podem ser consideradas como faltas graves, constituindo
base para a demissão por justa causa. O empregador pode encaixar a falta do empregado nas hipóteses previstas no art. 482 da
CLT, tais como a desídia no desempenho das funções, abandono de emprego (faltas injustificadas pelo prazo igual ou superior a 30
dias, embriaguez habitual ou em serviço, ato de indisciplina ou insubordinação.

Entenda como o gestor de RH da empresa farmacêutica Kley Hertz otimizou esta e outras obrigações trabalhistas com uma
iniciativa que deu muito certo. Assista!
10
ENTENDA QUAIS OS AFASTAMENTOS PREVISTOS
NA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E SUAS REGRAS
Entenda quais
os afastamentos
previstos na
legislação trabalhista
e suas regras
As faltas justificadas são os afastamentos
previstos em lei que não acarretam desconto
na remuneração do empregado.

12
ENTENDA QUAIS OS AFASTAMENTOS PREVISTOS NA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E SUAS REGRAS

Ao mencionar dias “consecutivos”, pode-se


interpretar que a lei menciona a sequência
de dias de trabalho (sábado, domingo e
feriado não entram na contagem). Apesar
da palavra “consecutivo” também dar a
entender que se trata de dias seguidos,
contados sem qualquer interrupção, é
possível dar interpretação mais favorável
ao trabalhador.

São faltas justificadas, conforme a


legislação brasileira:

13
ENTENDA QUAIS OS AFASTAMENTOS PREVISTOS NA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E SUAS REGRAS

AQUELAS RELACIONADAS À SAÚDE E BEM-ESTAR PRÓPRIOS OU DE SEUS


FAMILIARES — ASCENDENTE, DESCENDENTE, IRMÃO E CÔNJUGE

» Licença-maternidade ou licença por aborto não criminoso, » Até 2 dias para acompanhar consultas médicas e
por 120 dias, ou 180 dias, se a empresa fizer parte do exames adicionais no período de gravidez da esposa ou
programa Empresa Cidadã. A licença também é de direito companheira.
da mãe adotante ou que obtém a guarda, e será de 120 dias
(criança de até 1 ano), 60 dias (criança entre 1 e 4 anos) ou » Até 2 dias seguidos quando há o falecimento do cônjuge,
30 dias (criança entre 4 e 8 anos). ascendente, descendente, irmão ou pessoa que viva
sob sua dependência econômica, desde que declarada
» Licença-paternidade. O empregado tem 5 dias, no em sua Carteira de Trabalho e Previdência Social — se o
decorrer da primeira semana a contar do nascimento do empregado for professor, até 9 dias.
filho, ou 20 dias, se a empresa fizer parte do programa
Empresa Cidadã. » Em virtude de casamento, até 3 dias consecutivos — se o
empregado for professor, até 9 dias.
» 1 dia por ano de trabalho, em caso de doação voluntária de
sangue devidamente comprovada. » Acidente do trabalho ou enfermidade atestada pelo
período de até 15 dias.
» 1 dia por ano para acompanhar ilho de até 6 anos em
consulta médica.

14
ENTENDA QUAIS OS AFASTAMENTOS PREVISTOS NA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E SUAS REGRAS

FALTAS RELACIONADAS
ÀS OBRIGAÇÕES LEGAIS

» Até 2 dias consecutivos ou não, para


se alistar como eleitor.

» O período de cumprimento de
exigências relacionadas ao Serviço
Militar.

» O tempo que se fizer necessário para


comparecer a juízo (como parte ou
testemunha, ou ainda como jurado
em Tribunal do Júri).

» Convocação para o serviço eleitoral.

» Afastamento do serviço em razão de inquérito judicial para apuração de falta grave, julgado improcedente.

» Se for representante de entidade sindical, é concedido o tempo para a participação de reuniões oficiais de organismo
internacional do qual o Brasil seja membro.

» Suspensão preventiva para responder a inquérito administrativo ou de prisão preventiva, quando for impronunciado ou
absolvido.

15
ENTENDA QUAIS OS AFASTAMENTOS PREVISTOS NA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E SUAS REGRAS

FALTAS RELACIONADAS OUTRAS FALTAS


AO EMPREGADOR JUSTIFICADAS:

» Aquela justificada pela empresa, » Os dias em que estiver


que não tiver determinado o comprovadamente realizando provas
desconto do correspondente salário. de exame vestibular para ingressar
no ensino superior.
» Os dias em que não tenha havido
serviço, por conveniência do » O período de frequência em curso
empregador. de aprendizagem.

» Os dias de greve, desde que haja » Os atrasos decorrentes de acidentes


decisão da Justiça do Trabalho, de transportes, comprovados
dispondo que, durante a paralisação mediante atestado da empresa
das atividades, ficam mantidos os concessionária.
direitos trabalhistas.
» Outras faltas dispostas em acordos
» Os casos de licença remunerada. ou convenções coletivas.

16
ENTENDA AS REGRAS PARA
ACEITAÇÃO DO ATESTADO MÉDICO
A primeira regra é obedecer à ordem preferencial
estabelecida na lei nº 605/49 para a consulta:

» médico da empresa ou do convênio;

» médico do Sistema Único de Saúde (SUS);

» médico do SESI ou SESC;

» médico a serviço da repartição federal, estadual ou


municipal;

Entenda as regras » médico de serviço sindical.

para aceitação do A empresa não está obrigada a aceitar atestado de


médico particular, salvo se na localidade não existam
atestado médico médicos que estão alistados na ordem de preferência.
Porém, conforme manifestações do Conselho Federal
de Medicina, os atestados particulares não podem ser
Os casos relacionados à saúde do trabalhador recusados, exceto se for reconhecido o favorecimento
demandam uma assistência médica comprovada ou a falsidade na emissão.
para que a falta seja abonada. Existem regras que
precisam ser obedecidas pelo empregado para que o Em todo caso, o empregador poderá exigir que o funcionário
atestado médico seja válido e aceito pelas empresas. passe por uma nova avaliação pelo médico da empresa.

18
ENTENDA AS REGRAS PARA ACEITAÇÃO DO ATESTADO MÉDICO

Em seguida, o atestado médico deve


conter informações obrigatórias a respeito
da consulta e da doença. O médico
precisa informar o tempo de afastamento
concedido (por extenso e por numeral) e
o código internacional da doença (CID) —
se o paciente expressamente concordar
—, além de assinar e carimbar o atestado
com seu nome completo e o número de
registro no conselho profissional.

E o prazo para o trabalhador apresentar


o atestado? Não há disposição legal
neste sentido, restando à empresa fixar
as regras em seu regulamento interno,
obedecendo ao bom senso.

É recomendável também que o


empregado comunique ao empregador
seu afastamento mesmo antes de
entregar o atestado, para que ele tome
as providências necessárias para suprir
sua ausência. São medidas simples que
reforçam a confiança entre as partes.

19
ENTENDA AS REGRAS PARA ACEITAÇÃO DO ATESTADO MÉDICO

Contendo as informações e obedecida Por outro lado, se a cirurgia plástica


a ordem, o atestado deve ser aceito se destina a corrigir um problema
pela empresa. Não custa lembrar que prejudicial à saúde da pessoa, a ausência
o atestado odontológico obedece às no serviço é falta justificada.
mesmas regras e é válido para abonar
faltas no trabalho. Por isso, é indispensável que, em caso de
cirurgias plásticas, o médico mencione
Uma situação que causa dúvida é o abono no atestado o motivo expresso da
de faltas mediante atestado médico intervenção cirúrgica.
relativo às cirurgias plásticas. A legislação
trabalhista é clara no sentido de autorizar Por fim, é importante dizer que não há
o abono quando se trata de doença. limite de apresentação de atestados
médicos. Existe apenas o limite de dias
No entanto, a cirurgia plástica por mera que a empresa custeia o afastamento,
questão de estética não é considerada que é de 15 dias. Após esse tempo,
justificativa plausível para o empregado o Estado assume os encargos da
deixar de comparecer ao serviço. O ideal incapacidade laborativa.
é realizá-la em um momento oportuno
combinado com o empregador.

20
CONHEÇA OS BENEFÍCIOS QUE O ESTADO ASSUME
EM CASO DE INCAPACIDADE LABORATIVA
CONHEÇA OS BENEFÍCIOS QUE O ESTADO ASSUME EM CASO DE INCAPACIDADE LABORATIVA

AUXÍLIO-DOENÇA

O auxílio-doença é um benefício previdenciário


concedido ao trabalhador segurado que apresenta
uma incapacidade total e temporária para realizar
seu trabalho por mais de 15 dias consecutivos.
O segurado que já era portador da doença ou
da lesão antes de se filiar à Previdência não tem
direito ao auxílio, a não ser em casos em que a
Conheça os benefícios atividade laboral tenha agravado o problema.

que o Estado A condição deve ser comprovada por perícia


médica e pode ser resultado de acidente de
assume em caso de trabalho ou não. O trabalhador tem direito ao
benefício apenas após o período de carência de
incapacidade laborativa 12 contribuições (exceto em casos de acidente
de trabalho ou doenças previstas em lei).

Os empregados que se afastam por motivos de Se o empregado retoma sua capacidade


incapacidade laborativa são remunerados pelo laborativa e pode retornar ao trabalho, o
próprio empregador nos primeiros 15 dias de pagamento de auxílio-doença é encerrado. Caso
afastamento. Após esse prazo e obedecidas o trabalhador não se recupere para exercer sua
as regras para concessão do auxílio-doença, a atividade habitual, poderá ser reabilitado para
responsabilidade passa a ser da Previdência Social. outra função ou aposentado por invalidez.

22
CONHEÇA OS BENEFÍCIOS QUE O ESTADO ASSUME EM CASO DE INCAPACIDADE LABORATIVA

APOSENTADORIA
POR INVALIDEZ

Esse benefício é concedido ao segurado


que apresenta incapacidade total e
permanente para exercer suas atividades
laborativas. Pode vir após o auxílio-
doença ou não, pois há casos em que
a incapacidade se constata por perícia
médica logo de início.

Para isso, na avaliação da perícia médica


do INSS, o trabalhador deve ser atestado
permanentemente incapaz de exercer
qualquer atividade laborativa ou que não
possa ser reabilitado em outra profissão.

O benefício será devido enquanto


persistir a incapacidade e pode ser
reavaliado pelo INSS a cada dois anos.

23
CONHEÇA OS BENEFÍCIOS QUE O ESTADO ASSUME EM CASO DE INCAPACIDADE LABORATIVA

AUXÍLIO-DOENÇA
ACIDENTÁRIO

Benefício disponibilizado ao segurado


que apresenta uma lesão que lhe causa
incapacidade parcial e permanente
resultando sequelas que reduzam
a capacidade para o trabalho que
habitualmente exercia. A lesão deve ser
decorrente de acidente de qualquer
natureza ou causa.

Podemos citar como principais


diferenças deste benefício, para o
auxílio-doença comum:

» Devido apenas para o empregado


vinculado à uma empresa.

» Não possui carência para sua concessão.

» O empregador deve depositar o FGTS do empregado durante o período de afastamento.

» O trabalhador ainda adquire uma estabilidade de 12 meses após o seu retorno.

24
FACILITE A EXECUÇÃO
Facilite a execução
As faltas justificadas e não justificadas estão previstas
na legislação brasileira e têm consequências para
o trabalhador, ora conferindo, ora diminuindo
direitos. Para serem abonadas pelo empregador,
as faltas devem obedecer a regras próprias,
inclusive acerca da apresentação de atestado
médico.
Para esta e outras obrigações trabalhistas , existem
ferramentas que facilitam sua realização. Quer
entender como elas melhoram o dia a dia do RH? O
gestor de Recursos Humanos da Kley Hertz conta como
qualificou seus processos internos e aumentou a
produtividade da equipe. Entenda no vídeo!

26
A Metadados é uma empresa
especializada no fornecimento de
soluções tecnológicas e serviços de apoio
à gestão de recursos humanos para
empresas.

Há 32 anos, oferece solucões em:


®
METADA DOS • Administração de Pessoal
• Gestão de Pessoas
• Saúde e Segurança do Trabalho
• Acessibilidade

Atende empresas de qualquer por e e em


qualquer segmento, contribuindo para a
excelência no desempenho das diferentes
tarefas dentro de uma organização.