Вы находитесь на странице: 1из 5

1

Introdução

O método Hipotético-Dedutivo surgiu como forma de resolver a problematização, característica


dos métodos indutivo e dedutivo. O método hipotético-dedutivo preocupa-se em observar os
problemas e propor conjecturas que possam soluciona-lo, mas acima de tudo esse método,
preocupa-se em formular conjecturas que sejam passiveis de testes por meio de experimentação
e técnicas de falseabilidade.

Introdução

Estudar os mecanismos do método hipotético-dedutivo, implica entender o processo inerente


para o conhecimento cientifico moderno. Não só porque a ele estão ligados as técnicas de
observação e experimentação mas também porque dele provem uma maior flexibilidade e
confiabilidade a metodologia cientifica.

Conceito de Método

“Em seu sentido mais geral, o método é a ordem que se deve impor aos diferentes processos
necessários para atingir um dado ou um resultado desejado. Nas ciências, entende-se por método
o conjunto de processos que o espirito humano deve empregar na investigação e demonstração
da verdade” (CERVO E BERVIAN, 1978:17).

O método é um processo sistemático e racional utilizado para se chegar em um determinado fim


com maior confiabilidade e eficácia. De modo abrangente, as ciências provem-se de métodos
científicos para elaboração e comprovação de suas teses. Não existe ciência sem método
científicos, porém, é preciso que nos alertemos que a utilização de métodos científicos não está
associada restritamente as ciências.
2

É preciso entender que os métodos científicos não constituem uma verdade absoluta, mas
acrescentam maior vigor e praticidade as pesquisas cientificas por meio da sistematização
racional de ideias e paradigmas.

Método Hipotético Dedutivo

Os sentidos nos enganam, suas indicações são confusas e obscuras, só as ideias da razão são
claras e distintas. O acto da razão que percebe directamente os primeiros princípios é a intuição.
A dedução limita-se a veicular, ao longo das belas cadeias da razão, a evidencia intuitiva das
“naturezas simples”. A dedução nada mais é do que uma intuição continuada. (DESCARTES,
René)

O método hipotético-dedutivo nasce como uma crítica ao método indutivo e uma adaptação do
método dedutivo. Apesar de ter sido sistematizado inicialmente por descartes, seu maior
defensor foi Sir Karl Raymund Popper. Baseia-se principalmente na dedução, porém, para os
defensores dessa linha de pensadores, não basta apenas formular teorias, mas tais conjecturas
devem ver quais hipóteses resistem como mais hábeis na luta pela vida, assim, resistindo as
tentativas de refutação e falseamento.

Segundo Popper, toda pesquisa tem sua origem num determinado problema, cuja solução o
cientista se propunha encontrar por meio de tentativas, esse método pode também ser chamado
de “método de tentativas de eliminação de erros”.

Etapas do Método Hipotético-Dedutivo

Popper esquematizou as etapas do conhecimento da seguinte maneira:

Expectativas ou conhecimento prévio → Problema → Teorias → Falseamento

Há, portanto esses momentos do processo investigatório:


3

a) Problema – Toda investigação resulta de um problema teórico. Surge diante agitações


de perspectivas e teorias já existentes. Nosso conhecimento consiste num conjunto de
expectativas que são os pilares do conhecimento. Quando há uma quebra desses
paradigmas, surge então um problema que vai desencadear uma investigação e a partir
dessa o pesquisador selecionara aquilo que é relevante ou não para sua pesquisa.
b) Solução proposta resultando numa nova conjectura - dedução de resultados na
formas de preposições suscetíveis a testes. A conjectura é lançada para explicar ou prever
aquilo que nos intrigou. Suas condições fundamentais são a compatibilidade com o
conhecimento pré-estabelecido e a falseabilidade.
c) Teste de falseamento – tentativas de contestação, principalmente através da observação
e experiência. Quanto mais falseável for uma conjectura, mais cientifica será. Essa
falseabilidade é feita mediante o modus tollens (modo de negação). Exemplo: Se a+b=c,
então b=2 e b

Se durante o processo a hipótese demonstrar insuficiente para testes, está será falseada era
necessária uma reformulação do problema e da hipótese, que se suportar os testes rigorosos será
corroborada (confirmada) temporariamente, não definitivamente como é o caso dos indutivistas.
Reorganizando essa esquematização do método hipotético-dedutivo teremos então um
conhecimento prévio sob determinado assunto, mas eis que surge um problema ao qual proporei
soluções por meio de conjecturas que serão impostos as técnicas de falseabilidade que consiste
na observação e experimentação. Após essas testagens caso nossa hipótese seja refutada deverá
haver a elaboração de outras hipóteses que novamente serão sujeitas a testes. Se após a testagem
demonstrar ser verdadeira ainda não poderemos aceita-las como verdade absoluta, deveremos
fazer uma reavaliação das soluções ou hipóteses para constatar se cometemos ou não algum
equívoco e assim caso seja corroborada poderemos dizer então que temos uma nova teoria. Esse
esquema é um quebra cabeça importante para a consolidação da ciência. Porém, é preciso
compreender que após todo esse procedimento uma teoria ainda assim poderá ser em algum
momento refutada. E essa, segundo uma afirmação de Einstein a maior característica do método
hipotético dedutivo e, portanto a característica da ciência. Segundo ele, na medida em que um
4

enunciado científico trata da realidade, ele tem que s er refutável, sujeito a observação, a
contestação, a experimentação; na medida em que não é falseável, então não estaremos
tratando de uma realidade. Em outras palavras só exist e ciência se houver essa possibilidade
de falseabilidade. Se fossemos comp rovar uma hipótese, tentaríamos a qu alquer custo
reunir fatos que comprovem a m esma, e portanto nossas ferramentas tornariam-se
meramente figuras ap ologéticas. No entanto, diremos que a não existência de algo culminará
na confirmação d a hipótese. Mesmo que essa hipótese s eja alvo de provisoriedade: é váli
da parcialmente porque superou todos os testes, mas poderá surgir um fato que a invalide
como é o ex emplo da teoria atômica que ao lon go dos tempos sofreu diversas modificações
até chegar em um resultado dito como o mais próximo da realidade, o mais aceitável.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Após a análise das características apresentadas no texto, é possível entender qu e o
método hipot ético-dedutivo consiste em uma tenta tiva de equilíbrio entre o método indutivo
e método dedutivo. Para o cientista, não basta apenas supor, lançar hipótese s sobre det erminado
problema, mas essas hipóteses devem ser sujeitas a int ensivos testes para comprovação
das mesmas, esses testes são feitos principalmente po r meio da observ ação, ex perimentação.
No processo de comprovação dessas hipót eses, há também o que chamamos de tentativa
de falseamento, que consiste em che gar ao resultado pretendido por meio da negação
(modus tollens).
O método hipotético-dedutivo é uma ferramenta de fundamental importância para as ciências.
É possível afirmar ainda que sem o artifício desse método, a ciência não teria alcançado sua
independência, tornando-se apenas conhecimento pejorativo e utópico.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria. Metodologia Científica. 6ª edição:
São Paulo: editora Atlas S.A. – 2011.
http://www.partes.com.br/reflexao/sobremetodos.asp
5

http://passeidireto.com.br