Вы находитесь на странице: 1из 4

A bíblia como a Palavra de Deus

Essa expressão a principio pode causar um certo impacto, pois quando nos
referimos a bíblia a chamamos de Palavra de Deus, esse modo de falar está
correto porque, Deus é o autor da bíblia, Ele inspirou os seus escritores sagrados
a escreverem cada palavra que está na bíblia, tudo por revelação e inspiração
do próprio Deus.
Quando usamos a expressão “a bíblia contém a Palavra de Deus” não estamos
nos referindo à sua inspiração, mas sim ao que Deus falou, existe na bíblia o
registro da fala de vários homens, pessoas ímpias e inclusive o próprio satanás
falando, ou seja, várias falas foram registras textualmente na bíblia.
Vemos sem dúvidas a Palavra de Deus no relato da fala do próprio Deus, por
exemplo quando o Senhor fala com Moises dando os dez mandamentos (Êxodo
20), esta é a Palavra de Deus registrada na forma escrita no texto bíblico,
portanto quando usamos a expressão “A Palavra de Deus”, estamos querendo
dizer, aquilo que Deus falou, a expressão que Deus usou.
Conforme o texto de Hebreus 1 Deus falou ao povo de diversas maneiras mais,
hoje, Deus fala conosco através de seu Filho, no passado os verdadeiros
profetas falavam inspirados por Deus, em quanto que os falsos profetas falavam
contrariamente, na peleja entre Jeremias e o falso profeta Hananias vemos isso
claramente, o profeta de Deus dizia que os babilônicos por intermédio de
Nabucodonosor iriam invadir e saquear a cidade, o falso porém diziam que não,
falava que o povo não seria destruído, que teriam vitória, que haveria paz, que a
invasão não aconteceria, evidentemente a palavra contrária que estava na boca
desse falso profeta não era a Palavra de Deus, a verdadeira Palavra de Deus
estava na boca do profeta. (Jeremias 28).
Deus Se usou dos profetas para anunciar ao povo sua Palavra, por várias vezes
advertiu a nação de Israel, anunciando castigos, punições, sempre que Deus
queria executar algum juízo na terra usava-se dos profetas, então é neste sentido
que falamos que a Bíblia contém a Palavra de Deus, no entanto textos contrários
a Deus, ditos por homens maus, perversos e nem tão pouco ditos pelo maligno
podem ser considerados Palavra de Deus.
O primeiro exemplo que temos na bíblia como não sendo Palavra de Deus, são
as palavras usadas pela serpente para tentar Eva no Éden, a serpente usou de
mentiras para enganar a mulher e, evidentemente suas palavras não eram de
Deus (Genesis 3:1-5), outro exemplo claro de uma fala que não é Palavra de
Deus está no texto de Jó, as expressões de satanás contrapondo-se ás de Deus
em relação ao caráter deste homem não eram verdadeiras, por não conhecer o
interior dos homens, satanás alegava que Jó só temia a Deus por causa das
riquezas, porém como o Senhor conhece o intento, o coração e o íntimo de cada
ser, o Altíssimo sabia que satanás estava mentindo, e mais uma vez o texto não
contém a Palavra de Deus mas a palavra mentirosa do maligno (Jó 1:9-11).
Também vemos palavras proferidas pela vontade humana, seduzidas por um
desejo maligno na boca de homens ímpios, de reis maus que com suas palavras
de corrupção conduziam o povo pelo caminho do erro e do pecado, as palavras
do rei Senaqueribe desafiando o Deus vivo, afrontando o rei Ezequias, é notório
que tais palavras não se tratam de Palavras de Deus, esses relatos e outros
contrariando a Palavra de Deus eram humanos, proviam de homens de corações
perversos, maus e induzidas pelo diabo.
Ciente de todos esses esclarecimentos, fica claro que a bíblia contém a Palavra
de Deus, ela contém a Palavra falada por Deus, expressada por Deus, e
contrapondo-se a isso, em outras ocasiões temos palavras de homens ímpios e
do maligno tentando desconstruir a Palavra de Deus.
Pensar desta maneira não contradiz o que disse o apóstolo Pedro, quando fala
que nenhuma profecia foi produzida por vontade humana, ele está referindo-se
ao fato de que toda profecia divina não é produzida no coração humano, mas os
homens temente a Deus falaram movidos pelo Espirito Santo, o que esses
homens santos falaram incontestavelmente é Palavra de Deus, pois eles
reuniam condições de santidade para serem usados pelo Espirito Santo de Deus.
“Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os
homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo”.(II Pedro 1:21).
Da mesma forma não há contradição no que o apóstolo Paulo disse para
Timóteo:
“Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para
redarguir, para corrigir, para instruir em justiça” (II Timóteo 3:16)
O que Paulo quer dizer, é que toda a escritura de Genesis a Apocalipse foi escrita
por ordenança de Deus, nenhum texto bíblico foi escrito por vontade humana, os
escritores sagrados não escreveram o que queriam, mais sim o que Deus os
inspirou a escrever, Paulo quer dizer que independente do texto, existe a
possibilidade de aprendizado, qualquer texto é capaz de ensinar, aprendemos
com o que Deus diz e também aprendemos com falas de homens ímpios e até
mesmo com a fala do adversário. Aprendemos na fala da serpente por exemplo
que satanás é mentiroso, exatamente como Jesus disse do maligno em João 10,
que é mentiroso, não se firma na verdade e é pai da mentira, aprendemos ao
longo do livro de Jó, que Deus tinha razão em respeito a esse servo, que o Eterno
conhece o íntimo do homem, mas que ao contrário satanás conhece apenas o
exterior, enxerga superficialmente, que desconhece os segredos do coração dos
homens, aprendemos que satanás está completamente equivocado no que diz
respeito a opinião de Deus.
Em Mateus 4 no texto sobre tentação de Jesus, quando o inimigo faz suas
propostas e essas são rechaçadas por Jesus, nós aprendemos que o adversário
é conhecedor da Palavra de Deus, e que a usa de forma distorcida para ludibriar,
para enganar, esse texto nos ensina uma lição importante, muitas vezes pessoas
são usadas pelo maligno para distorcer a Palavra de Deus, afastar as pessoas
da verdadeira e Santa Palavra, devemos aprender com isso e termos cuidado
com o que ouvimos pensando ser Palavra de Deus, sempre que alguém distorcer
as escrituras com intuito de induzir ao erro e ao pecado, este tal é um instrumento
do maligno, na continuação do texto satanás é desmascarado por Cristo e sua
interpretação distorcida da Palavra é devidamente esclarecida por Jesus, Paulo
corrobora essa lição dizendo que mesmo que um anjo vier dos céus anunciando
um outro evangelho além do que já temos ouvido, seja ele anátema, maldito,
amaldiçoado, porque certamente esse é um anjo mal, não proveniente de Deus
(Gálatas 1:8-9).
Essa forma de aprendermos com o texto bíblico se encaixa harmoniosamente
com o escrito de Paulo em Romanos 4:15:
“Tudo que dantes foi escrito, foi escrito para nosso ensino”,
ou seja, aprendemos com tudo o que está escrito na bíblia, aprendemos
gloriosamente com o ensino e as Palavras de Deus, e aprendemos também com
o que escreveu os escritores sagrados inspirados por Deus registrando a fala de
homens ímpios e mesmo a do maligno, para que tudo servisse de ensino para
nós, para aprendermos e termos cuidado.
Quando falamos que a bíblia contém a Palavra de Deus, é no sentido de
separarmos a Palavras de Deus da palavra de homens ímpios e da do maligno,
obviamente vemos diferença nessas palavras, o que nos dá plena convicção de
que, o que foi dito por ímpios e pelo maligno não é a Palavra de Deus, tudo que
é distorção e contrário a Deus não é de forma alguma a Palavra de Deus, não
estamos falando da inspiração da escritura, porque os escritores dos sessenta e
seis livros da bíblia foram inspirados por Deus para registrar tudo para nosso
aprendizado, se não fosse assim a bíblia conteria histórias vagas, se não
houvessem registros de falas de homens ímpios e até mesmo as de satanás,
nosso ensino seria incompleto, foi uma permissão de Deus o registro de todos
feitos mesmos os contrários, para que essas impiedades, esses erros, servissem
de lições para nós.
Por diversas vezes a bíblia trata com o homem pecador, com as suas mazelas,
com suas imperfeições e neste tratamento existem as contrariedades do pecado,
o agir do diabo, e com isso não queremos dizer que a bíblia está incompleta ou
que contém falhas, de maneira nenhuma, a bíblia é completa na sua escrita, na
sua Santa inspiração, este texto é apenas para separar, distinguir o que foi dito
por Deus e o que foi dito pela boca do maligno, o que foi proferido pela boca de
homens maus, ímpios é fala do maligno, Deus porém usou-se de homens
profetas como seus oráculos para anunciar Sua Palavra. Nesta distinção vemos
o que verdadeiramente é Palavra de Deus, mediante toda a ordenação e
inspiração de Deus aos homens santos que escreveram a bíblia, sem sombras
de dúvidas intendemos que foi para o nosso bem, para lições do nosso cotidiano.
Amém.

R.M