Вы находитесь на странице: 1из 37

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco

Acionamentos de Máquinas Elétricas II


Campus Afogados da Ingazeira

Soft-Starters Professor: Diego Lopes

12/03/2019 AFOGADOS DA INGAZEIRA, MARÇO DE 2019 1/37


Chaves de Partidas Eletrônicas
•Com o advento da eletrônica de potência, torna-se cada vez mais economicamente viável e
prático o uso de chaves eletrônicas de partida de motores.
•Uma das chaves eletrônicas mais utilizadas é o soft-starter.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 2/37


Soft-Staters
•São chaves destinadas ao comando de motores
de corrente contínua e de corrente alternada.
•Asseguram a aceleração e desaceleração
progressivas e permitem uma adaptação da
velocidade às condições de operação.
•A alimentação do motor é realizada através do
aumento progressivo da tensão, o que permite
uma partida sem “golpes” e reduz o pico da
corrente.
•É possível obter esse tipo de partida através de
uma configuração de tiristores em anti-
paralelo, montados dois-a-dois em cada fase
da rede.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 3/37


Soft-Staters
•A subida progressiva da tensão pode ser
controlada pela rampa de aceleração ou
dependente do valor da corrente de limitação,
ou ligadas a esses dois parâmetros.
•A soft-starter assegura:
• O controle das características de funcionamento,
principalmente durante os períodos de partida e
de parada;
• A proteção térmica do motor e do controlador;
• A proteção mecânica da máquina movimentada
por supressão dos golpes e redução da corrente
de partida.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 4/37


Soft-Staters
•Vantagens: •Desvantagens:
• Controle da corrente de partida; • Redução do torque de partida;
• Proteção ao motor incorporada; • Gera hamônicos devido ao chaveamento dos
• Diminuição dos choques mecânicos com rampa SCR’s;
de aceleração e desaceleração; • Os SCR’s provocam perda de potência se
• Possibilidade de partida de vários motores. continuarem ligados ao circuito após a partida.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 5/37


Princípio de Funcionamento
•O funcionamento das soft-starters está baseado na utilização de tiristores, ou seja, na ponte
tiristorizada na configuração em anti-paralelo.
•Uma placa eletrônica controla o funcionamento dessa ponte, a fim de ajustar a tensão de saída,
conforme programação feita pelo usuário.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 6/37


Princípio de Funcionamento

12/03/2019 SOFT-STARTERS 7/37


Princípio de Funcionamento
•A soft-starter controla a tensão da rede por meio do circuito de potência constituído de seis
SCRs.
•Através da variação do ângulo de disparo, varia-se o valor de tensão eficaz aplicada ao motor.
•Pode-se dividir os circuitos da soft-starter em dois:
• Circuito de potência;
• Circuito de controle.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 8/37


Circuito de Potência
•É o circuito pelo qual circula a corrente que é
fornecida para o motor.
•É constituído basicamente por SCRs, suas
proteções e TC’s (Transformadores de
Corrente).
• O circuito RC, representado no diagrama
(snubber), tem como função proteger os
tiristores contra variações da tensão aplicadas
sobre eles (dv/dt).
• Os transformadores de corrente fazem a
monitoração da corrente de saída, permitindo
que o controle eletrônico efetue a proteção e
manutenção do valor de corrente em níveis
predefinidos (função de limitação da corrente
ativada).

12/03/2019 SOFT-STARTERS 9/37


Circuito de Controle
•É o local onde ficam localizados os circuitos
responsáveis pelo comando, monitoração e
proteção dos componentes do circuito de
potência.
•Também estão localizados os circuitos de
comando, sinalização e interface homem-
máquina (IHM), que são configurados pelo
usuário em função da aplicação.
•Atualmente, a maioria das chaves soft-starters
disponíveis no mercado é microprocessada,
sendo totalmente digital.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 10/37


Principais Funções da Soft-Starter
•As soft-starters possuem funções programáveis que permitem configurar o sistema de
acionamento de acordo com as necessidades do usuário.
•O comando dos tiristores é feito por um microprocessador que fornece as seguintes funções:
• Controle das rampas de aceleração e desaceleração;
• Limitação de corrente ajustável;
• Conjugado na partida;
• Frenagem por injeção de corrente contínua;
• Proteção do acionamento por sobrecarga;
• Proteção do motor contra aquecimentos devido a sobrecargas ou a partidas demasiadamente
frequentes;
• Detecção de desequilíbrio ou falta de fases.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 11/37


Principais Funções da Soft-Starter
•Rampa de tensão na aceleração: as chaves de partidas estáticas podem ser ajustadas no
módulo de tensão, de forma a se ter uma tensão inicial de partida adequada, responsável pelo
torque inicial que aciona a carga.
•Ao fazer o ajuste da tensão de partida num valor Vp e um tempo de partida Tp, tensão cresce do
valor Vp até atingir a tensão de linha do sistema, em um intervalo de tempo Tp.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 12/37


Principais Funções da Soft-Starter
•Como resultado, temos as seguintes curvas de corrente x velocidade angular e corrente x tempo:

Corrente X velocidade angular Corrente X tempo

12/03/2019 SOFT-STARTERS 13/37


Principais Funções da Soft-Starter
•É possível controlar o conjugado de partida,
bem como a corrente de partida, por meio do
controle da tensão eficaz aplicada ao motor.
•As soft-starters geram na saída uma tensão
eficaz gradual e continuamente crescente até
que se atinja a tensão nominal da rede.
•Assim durante o tempo Tp o circuito de
controle eleva a tensão nos terminais do
motor, iniciando com o valor de partida da
rampa que, em geral, pode ser de 15% a 100%
da tensão do sistema.
•O tempo de aceleração até o valor nominal
também depende das características
dinâmicas do sistema motor/carga.
12/03/2019 SOFT-STARTERS 14/37
Principais Funções da Soft-Starter
•Não existe regra que possa ser aplicada para
definir o valor de tempo a ser ajustado e o
melhor valor de tensão inicial para que o
motor possa garantir a aceleração da carga.
•O valor de tensão Vp deve ser ajustado de
acordo com o tipo de carga que é acionado.
•Alguns Exemplos de aplicação da rampa de
tensão na aceleração:
• Bombas;
• Ventiladores.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 15/37


Principais Funções da Soft-Starter
•Rampa de tensão na desaceleração: existem duas possibilidades para que seja executada a
parada do motor: por inércia, em que a soft-starter leva a tensão de sáida diretamente para
zero, ou através da redução gradual da tensão de saída até um valor mínimo em um tempo
predefinido.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 16/37


Principais Funções da Soft-Starter
•Na rampa de desaceleração, o valor de tensão de Vd reduz o seu valor na forma de uma rampa
decrescente até o valor de desligamento final.
•O tempo de desligamento Td pode ser ajustado de 1 a 20 segundos, dependendo do fabricante,
e a tensão de desligamento Vd pode ser parametrizada em até 90% do valor de tensão.
•A redução de tensão leva à perda de conjugado provocando a perda de velocidade. Este recurso
é muito usual em aplicações que necessitam de uma parada suave do ponto de vista mecânico,
tais como:
• Bombas centrífugas;
• Ponte rolante;
• Transportadoras;
• Esteiras;
• Etc.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 17/37


Principais Funções da Soft-Starter
•Pulso de tensão de partida (kick start): esta
função é aplicada em cargas de elevada inércia
que, no momento da partida, exigem um
esforço extra do acionamento em função do
algo conjugado resistente.
•O valor da tensão deve ser suficiente para se
obter um conjugado no motor que possa vencer
o conjugado resistente da carga.
•Essa função aplica um pulso de tensão com
amplitude e duração programáveis.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 18/37


Principais Funções da Soft-Starter
•Na prática o pulso de tensão de partida deve ser
ajustado entre 75% e 90% da tensão do sistema,
com duração entre 100 e 300 milisegundos,
dependendo do tipo de carga a ser acionada.
•Esta função só deve ser utilizada em casos que
seja estritamente necessários, visto que a
atuação da limitação da corrente de partida não
ocorre nesse caso.
•O sistema ao qual o motor está conectado pode
sofrer elevadas quedas de tensão durante o
tempo ajustado para o pulso de tensão.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 19/37


Principais Funções da Soft-Starter
•Limitação de corrente: Na maioria dos casos em
que a carga apresenta uma inércia elevada, é
utilizada essa função, que faz com que o sistema
forneça ao motor somente a corrente
necessária para que seja executada a aceleração
da carga.
•Este recurso garante um acionamento
realmente suave .
•A limitação da corrente também é muito
utilizada na partida de motores cuja carga
apresenta um valor mais elevado de momento
de inércia.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 20/37


Proteções
•A utilização dos soft-starters não fica restrita
apenas a partida dos motores, esses
dispositivos também garantem a proteção
necessária.
•Assim quando atua, é emitida uma mensagem
de erro correspondente para permitir ao
usuário visualizar o ocorrido

12/03/2019 SOFT-STARTERS 21/37


Proteções
•Sobrecorrente Imediata de Saída: Ajusta o máximo de valor de corrente que a soft-starter
permite conduzir para o motor por período de tempo pré-ajustado

12/03/2019 SOFT-STARTERS 22/37


Proteções
•Sobrecorrente Imediata: Ajusta o mínimo valor de corrente que a soft-starter permite conduzir
para o motor por período de tempo pré-ajustado. Essa função é utilizada para proteção de
cargas que não possam operar em vazio, como, por exemplo: sistemas de bombeamento.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 23/37


Proteções
•Outros parâmetros: Além dos já apresentados as soft-starters, possuem diversas proteções, tais
como:
• Sobretemperatura nos tiristores;
• Sequência de fase invertida;
• Falta de fase na rede;
• Falta de fase no motor.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 24/37


Proteções
•Economia de Energia: quando o motor opera
em carga reduzida, consequentimente opera
com baixo fator de potência. A soft-starter tem
uma função que otimiza o ponto operacional
do motor, minimizando as perdas de energia
reativa, fornecendo apenas a energia ativa
requerida pela carga.
•Esta função é aplicada quando o motor
permanece funcionando em vazio por um
longo periodo de tempo. Isto é possível devido
a redução da tensão nos terminais do motor
durante a operação em vazio.
•Pode-se obter uma economia de energia de 5%
a 40% da potencia nominal, para uma carga no
eixo de apenas 10% da potencial nominal.
12/03/2019 SOFT-STARTERS 25/37
Proteções
•A função de economia de energia não oferece
nenhuma vantagem quando aplicada por
curtos períodos de tempo.
•Na prática esta função só tem sentido em ser
utilizada caso a carga seja menor que 50% da
nominal durante um periodo de operação
superior a 50% do tempo de funcionamento do
motor.
•Essa função pode ser aplicado em cargas como:
• Motores de serraria;
• Esmeril;
• Esteiras transportadoras de aeroportos;
• Cargas similares as citadas anteriormente.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 26/37


Descrição dos Parâmetros
•Os parâmetros são agrupados de acordo com suas características e particularidades:
•Parâmetros de Leitura: variáveis que podem ser visualizadas no display, mas não podem ser
alteradas pelo usuário, tais como: tensão %, corrente %, potencial ativa, etc.
•Parâmetros de Regulação: são os valores ajustáveis a serem utilizados pelas funções da soft-
starter, tais como: tempo inicial, tempo da rampa, etc.
•Parâmetros de Configuração: definem as características da soft-starter, as funções a serem
executadas, bem como as entradas e saídas, por exemplo: parâmetros dos relés de saída e das
entradas da soft-starter.
•Parâmetros do Motor: define as características nominais do motor, por exemplo: ajuste de
corrente do motor, fator de serviço.
•OBS: Os parâmetros podem ser retornados aos originais de fábrica. Nessa configuração são
escolhidos de modo a atender o maior número de aplicações reduzindo ao máximo a
necessidade de reprogramação durante a colocação em funcionamento.
12/03/2019 SOFT-STARTERS 27/37
Formas de Ligação
•Existem várias formas de ligar uma soft-starter:
•Ligação Direta: Nesse tipo de ligação o motor é
ligado diretamente a soft-starter. Pode ser
ligado diretamente, ou com auxílio de
contatores, fusíveis e relés de sobrecorrente.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 28/37


Formas de Ligação
•Existem várias formas de ligar uma soft-starter:
•Ligação com Contator em Paralelo (contator
de by pass): Essa ligação é feita para reduzir as
perdas na soft-starter quando o motor está em
regime normal de trabalho. Para tanto, é
utilizado um contator em paralelo quando o
motor estive em regime.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 29/37


Formas de Ligação
•Existem várias formas de ligar uma soft-starter:
•Ligação em Partida Sequencial de Diversos
Motores: podem ser ligados diversos motores
com a mesma soft-starter, reduindo o custo
das partidas. Para tanto, é partido um motor, e
após ser concluída a sua partida, esse motor é
alimentado com a tensão da rede, e a soft-
starter fica liberada para efetuar a partida de
outro motor.
•Para a partida sequencial recomenda-se o uso
de motores de mesma potência e
características de carga, assim pode ser
utilizado o mesmo ajuste para ambos os
motores

12/03/2019 SOFT-STARTERS 30/37


Formas de Ligação
•Existem várias formas de ligar uma soft-starter:
•Ligação Simultânea de Vários Motores: para
efetuar essa ligação, a capacidade da soft-
starter deve ser maior ou igual a soma das
potências de todos os motores.

12/03/2019 SOFT-STARTERS 31/37


Formas de Ligação
•Diagramas de Comando da Soft-Starter: a
Soft-starter possui um determinado número de
entradas e saídas analógicas e digitais. As
saídas podem ser parametrizadas para:
• Comando:
• Ligar;
• Desligar.
• Sinalização:
• Alarmes;
• Sobrecorrente;
• Falta de alimentação, etc.
• Controle:
• Indicação de final de rampa, etc.
• As tensões de operação desses relés digitais
podem ser de 110Vac a 240Vac a 24Vdc, a
depender do fabricante.
12/03/2019 SOFT-STARTERS 32/37
WEG SSW-05

12/03/2019 SOFT-STARTERS 33/37


WEG SSW-05

12/03/2019 SOFT-STARTERS 34/37


WEG SSW-05

12/03/2019 SOFT-STARTERS 35/37


WEG SSW-05

12/03/2019 SOFT-STARTERS 36/37


Dúvidas?

12/03/2019 SOFT-STARTERS 37/37