Вы находитесь на странице: 1из 9

Preparação para o Exame Final Nacional 2020 Biologia e Geologia – 11.

º ano

Prova-modelo

Nos itens de escolha múltipla, selecione a opção que completa corretamente cada uma das
afirmações.

Grupo I

São muitas as evidências que apontam para a existência de um vulcão em Loihi, uma
região próxima da ilha do Havai situada na placa do Pacífico (figura 1). Este vulcão eleva-se
3 km acima do fundo oceânico e, no seu topo relativamente plano, existirá uma caldeira onde
foram observados fluxos de lavas em almofada (pillow lavas) de formação recente.
Datações radiométricas em amostras obtidas neste vulcão mostram que as lavas mais
antigas possuem cerca de 400 000 anos, estimando-se que 40% do volume desta estrutura
se tenha formado nos últimos 100 000 anos.
Entre 16 de julho e 9 de agosto de 1996 registou-se em Loihi uma crise sísmica, tendo sido
contabilizados, aproximadamente, 4000 sismos. A maior parte destes abalos teve uma
magnitude superior a 3, tendo algumas dezenas ultrapassado o grau 4. A esta crise sísmica
sucedeu-se uma erupção que emitiu cerca de 100 milhões de metros cúbicos de lava,
verificando-se de seguida o colapso do flanco sul do vulcão. Dados sísmicos também indicam
que os focos mais profundos sob Loihi se confundem com os dos sismos profundos sob a ilha
vizinha. Estas evidências sugerem que os vulcões Loihi e Mauna Loa possam ser alimentados
pela mesma fonte de magma associada ao ponto quente daquela região.

Figura 1. Localização do vulcão Loihi.

Baseado em https://geology.com/usgs/loihi-seamount/ [Consult. 22 mar 2019]

1. Considerando o tipo de produtos vulcânicos, é possível inferir que as erupções que


edificaram o Loihi foram de natureza _____, associadas a magmas _____.
(A) explosiva ... ácidos (C) efusiva ... básicos
(B) explosiva ... básicos (D) efusiva ... ácidos

1
2. Ao contrário das lavas em almofada, as lavas escoriáceas
(A) apresentam-se como cordas sobrepostas.
(B) são mais irregulares e ásperas.
(C) são mais arredondadas.
(D) formaram-se em ambiente aquático.

3. Tendo em conta as duas datações radiométricas apresentadas, pode considerar-se que,


relativamente a determinado par isótopo-pai/isótopo-filho,
(A) existe uma maior quantidade de isótopo-pai na rocha de idade superior.
(B) existe uma maior quantidade de isótopo-filho na rocha de idade inferior.
(C) a razão entre o isótopo-pai e o isótopo-filho é maior na rocha de idade superior.
(D) a razão entre o isótopo-pai e o isótopo-filho é maior na rocha de idade inferior.

4. O vulcão Loihi está situado em contexto _____, apresentando uma deslocação _____ da
placa do Pacífico.
(A) intraplaca ... independente (C) intraplaca ... dependente
(B) interplaca ... dependente (D) interplaca ... independente

5. As rochas magmáticas que integram a crosta oceânica são _____, sendo essencialmente
constituídas por minerais _____.
(A) melanocratas ... máficos (C) melanocratas ... félsicos
(B) leucocratas ... félsicos (D) leucocratas ... máficos

6. A magnitude 4 registada durante a crise sísmica que afetou a região do Loihi foi
determinada com base
(A) nos efeitos provocados sobre as rochas da região.
(B) na análise de sismogramas.
(C) na intensidade dos sismos.
(D) nos efeitos provocados nos edifícios da ilha vizinha do Havai.

7. A movimentação _____ originou os sismos referidos no texto, cujas ondas P fizeram vibrar
as partículas rochosas _____ de propagação.
(A) do magma ... perpendicularmente à direção
(B) da placa tectónica ... na mesma direção
(C) do magma ... na mesma direção
(D) da placa tectónica ... perpendicularmente à direção

8. Faça corresponder a cada uma das afirmações da coluna I uma expressão da coluna II.

Coluna I Coluna II
(a) Região com uma constituição essencialmente (1) Crosta continental
basáltica. (2) Crosta oceânica
(b) Região sólida de natureza metálica. (3) Manto
(c) Região situada abaixo da descontinuidade (4) Núcleo externo
de Mohorovicic. (5) Núcleo interno

9. Tendo em conta a hipótese dos pontos quentes, a próxima ilha da cadeia havaiana deverá
formar-se a sudeste da ilha do Havai. Relacione a localização dessa ilha com o movimento
da placa do Pacífico.

2
Grupo II

Dados recentes parecem indicar que a abundância de insetos gigantes, no final da era
Paleozoica, pode estar relacionada com um episódio de hiperóxia, um aumento da
concentração de oxigénio atmosférico relativamente aos níveis atuais, que se situam próximo
dos 21%. Esta evidência permite sustentar a hipótese de que o tamanho dos insetos é limitado
pela capacidade de fornecimento de O2 aos tecidos.
Para testar esta hipótese, foi desenvolvido um estudo com várias espécies de libelinhas de
tamanhos diferentes. Estes insetos partilham muitas características morfológicas com o
Protodonata, um inseto gigante do Paleozoico superior.
Sete grupos destes insetos foram colocados em câmaras com nitrogénio e concentrações
de O2 crescentes (2,5; 5; 7,5; 10; 15; 21 e 30%). Outros sete grupos foram colocados em
câmaras com as mesmas concentrações de O2, mas com hélio, em vez do nitrogénio, o que
tornou estas atmosferas menos densas. Durante o estudo, as condições de luz e temperatura
foram mantidas constantes. Para os diferentes grupos de libelinhas, foram medidas as taxas
metabólicas e a produção de CO2 durante o voo (figura 2A). Na figura 2B apresenta-se a
duração do tempo de voo em função do peso do corpo para três espécies de libelinhas.
A
B Espécie I Espécie II Espécie III

Figura 2.

Baseado em Henry, J. R. et al. (2014). Effects of body size on the oxygen sensitivity
of dragonfly flight. The Journal of Experimental Biology, 217, 3447-3456.

1. O estudo referido no texto teve como objetivo determinar


(A) a duração total do voo nas libelinhas.
(B) a variação da produção de CO2 nas diferentes espécies.
(C) a relação entre o fornecimento de O2 às células e o tamanho corporal.
(D) o tempo de repouso entre os voos das libelinhas.

2. As variáveis independentes nesta investigação foram a concentração do O2 e


(A) o volume total da atmosfera.
(B) o CO2 libertado para a atmosfera.
(C) o O2 absorvido da atmosfera.
(D) a densidade da atmosfera.

3
3. A ______ variação na taxa metabólica, para valores superiores a 2,5% de O2, resulta do
facto de a sua determinação ter ocorrido em períodos de _____ para todos os animais
envolvidos.
(A) elevada ... inatividade
(B) reduzida ... atividade
(C) elevada ... atividade
(D) reduzida ... inatividade

4. Dos resultados expressos na figura 2B, é possível concluir que a espécie _____ possui
uma maior sensibilidade para as variações das concentrações de O2 do que as espécies de
_____ tamanho corporal.
(A) III ... menor
(B) III ... maior
(C) I ... menor
(D) I ... maior

5. Nas libelinhas, o fluido circulante banha _____ as células, _____ no transporte de gases.
(A) diretamente ... intervindo
(B) indiretamente ... não intervindo
(C) diretamente ... não intervindo
(D) indiretamente ... intervindo

6. Faça corresponder a cada afirmação da coluna I, referente ao processo de produção de


gâmetas nos insetos, um dos termos da coluna II.

Coluna I Coluna II
(a) Ocorrência de troca de informação entre cromossomas (1) Anáfase I
homólogos. (2) Metáfase II
(b) Disposição dos centrómeros na placa equatorial. (3) Prófase I
(c) Clivagem dos centrómeros e ascensão polar de (4) Metáfase I
cromossomas. (5) Anáfase II

7. Ordene as afirmações de A a E, de modo a reconstituir o processo aeróbio de obtenção de


energia nas células dos insetos.
A. Oxidação citoplasmática da glicose.
B. Transporte de eletrões na cadeia respiratória com a produção de ATP.
C. Difusão de O2 para as células musculares.
D. Redução do O2 na membrana interna das mitocôndrias.
E. Abertura dos espiráculos e entrada de ar para as traqueias.

8. Relacione a produção de CO2 com a necessidade energética dos insetos em repouso e


durante o voo.

4
Grupo III

Na região do Vale do Sousa existem rochas magmáticas cuja instalação está associada a
uma colisão continental que ocorreu no final da era Paleozoica. Este episódio, denominado
orogenia varisca, culminou com a formação do supercontinente Pangeia e conduziu à
formação de magmas que originaram granitos de duas micas (moscovite e biotite) e granitos
biotíticos. Estes últimos, mais recentes que os de duas micas, possuem uma origem mais
profunda e terão resultado da mistura de magmas gerados na crusta e no manto superior. O
granito de duas micas aflora, por exemplo, no centro da cidade do Porto, enquanto o granito
biotítico é o mais comum na região do Vale do Sousa.
As rochas metassedimentares (rochas metamórficas com origem sedimentar) que afloram
na região pertencem, sobretudo, ao Paleozoico inferior e médio (541-359 M.a.). Os
sedimentos que originaram estas rochas possuem uma natureza essencialmente marinha,
oscilando entre depósitos mais grosseiros típicos de mares pouco profundos até materiais
mais finos caraterísticos de mares com maior profundidade. No seu conjunto, estas rochas
encontram-se dobradas numa grande estrutura tectónica formada durante a colisão orogénica
varisca – o anticlinal de Valongo.
A oeste deste anticlinal formou-se, no Carbonífero (359-299 M.a.), uma bacia sedimentar
intramontanhosa lacustre na qual se depositaram detritos vegetais provenientes de florestas
equatoriais. O carvão, mais tarde aí formado, foi explorado nas minas do Pejão e de S. Pedro
da Cova.
Baseado em https://adersousa.pt/terras-do-sousa/caracterizacao-
fisica/geologia/ [Consult. fev 2019]

1. A edificação da cadeia orogénica varisca resultou, sobretudo,


(A) de um estiramento crustal.
(B) da atuação de tensões distensivas.
(C) de um espessamento crustal.
(D) de movimentos significativos ao longo de falhas normais.

2. O granito de duas micas que aflora no centro da cidade do Porto formou-se por
consolidação, _____, de um magma _____ viscoso.
(A) em profundidade … muito
(B) em profundidade … pouco
(C) à superfície … muito
(D) à superfície … pouco

3. Indique qual dos dois granitos terá resultado da consolidação de um magma mais ácido.

4. A grande estrutura tectónica observada em Valongo é uma dobra com a concavidade


voltada para _____, apresentando as rochas mais _____ no seu núcleo.
(A) cima … recentes
(B) baixo … recentes
(C) cima … antigas
(D) baixo … antigas

5
5. A transição de depósitos mais grosseiros para depósitos mais finos, da base para o topo
de uma sequência sedimentar,
(A) terá ocorrido num período de regressão marinha.
(B) ocorreu sob a influência de um aumento da energia de transporte.
(C) terá ocorrido num período de transgressão marinha.
(D) contraria o princípio da sobreposição de estratos.

6. Considere as afirmações seguintes:


I. O carvão existente em S. Pedro da Cova resultou da acumulação de depósitos vegetais
em ambiente pantanoso sob a influência de marés.
II. As rochas metassedimentares da região de Valongo ter-se-ão formado por ação de
tensões não litostáticas em rochas preexistentes.
III. A biotite apresenta clivagem, uma propriedade segundo a qual o mineral fratura
preferencialmente através de planos paralelos.

(A) II e III são verdadeiras; I é falsa.


(B) I e II são verdadeiras; III é falsa.
(C) III é verdadeira; I e II são falsas.
(D) I é verdadeira; II e III são falsas.

7. Na região de Valongo extraiu-se


(A) ouro, que após beneficiação permitiu obter minério.
(B) minério, que após beneficiação permitiu obter ouro.
(C) ouro, cujo interesse económico é inferior ao minério.
(D) ganga, de modo a produzir estéreis de ouro.

8. Faça corresponder a cada uma das descrições expressas na coluna I, um dos termos que
consta na coluna II.

Coluna I Coluna II
(a) Rocha magmática com textura granular. (1) Micaxisto
(b) Rocha metamórfica não foliada. (2) Quartzito
(c) Rocha metamórfica foliada de grão fino que se divide (3) Granito
facilmente em lâminas. (4) Riólito
(5) Ardósia

9. Explique em que medida uma possível exploração de estanho na região do Vale do Sousa
obrigará a equacionar a probabilidade de contaminação de aquíferos livres da região.

6
Grupo IV

Os microrganismos endófitos, como alguns fungos, vivem no interior de plantas. O


maracujá-doce da espécie Passiflora alata é uma planta nativa da América do Sul,
frequentemente colonizada por estes fungos. Os genes que codificam as subunidades dos
ribossomas destes fungos estão separados no DNA por duas regiões que são transcritas, mas
não incorporadas no rRNA que entra na constituição dos ribossomas. Estas regiões,
designadas por ITS (Internal Transcribed Spacer), permitiram aos investigadores criar uma
base de dados que possibilita não só a distinção entre as espécies de fungos, mas também o
estabelecimento de relações filogenéticas entre eles.
Com o objetivo de identificar fungos endófitos em Passiflora, foram colhidas 18 amostras
de DNA fúngico para comparação das sequências nucleotídicas das suas regiões ITS com as
existentes na base de dados. Das dezoito, apenas a amostra 12 apresentou um resultado
com qualidade suficiente para a análise filogenética. Esta amostra foi identificada como
pertencente ao género Cercospora (figura 3), uma vez que possui uma sequência nucleotídica
99% idêntica. Algumas espécies do fungo Cercospora, de que são exemplos C. zeae-maydis
e C. sorghi, são patogénicas.

Figura 3.

Baseado em Santos, M. S. et al (2013). Identificação molecular baseada


no sequenciamento de rDNA de fungos endofíticos Foliares de Passiflora
spp. Anais do III Simpósio de Bioquímica e Biotecnologia.

1. Considere as seguintes afirmações relativas à reprodução assexuada por esporulação do


fungo C. zeae-maydis.
I. No processo de formação dos esporos ocorrem fenómenos de recombinação genética.
II. Ao germinarem, os esporos dão origem a fungos geneticamente idênticos.
III. A possível ocorrência de mutações génicas constitui a única fonte de variabilidade genética
entre os esporos.

(A) I é verdadeira; II e III são falsas.


(B) II é verdadeira; I e III são falsas.
(C) II e III são verdadeiras; I é falsa.
(D) I e III são verdadeiras; II é falsa.

7
2. O DNA analisado contém a informação para a síntese de uma molécula essencial para a
formação de estruturas _____, fundamentais na _____.
(A) não membranares … transcrição (C) membranares … transcrição
(B) membranares … tradução (D) não membranares … tradução

3. A análise da figura 3 permite-nos afirmar que


(A) Septoria e Cercospora apresentam um ancestral comum mais recente do que o fungo da
amostra 12 e Cercospora.
(B) o fungo da amostra 12 e Septoria apresentam um ancestral comum mais recente do que
Gibberella e Sphaceloma.
(C) Septoria partilha mais informação genética com Gibberella do que com o fungo da
amostra 12.
(D) Sphaceloma partilha mais informação genética com Mycosphaerella do que com
Fusarium.

4. Relativamente à taxonomia de Passiflora alata, C. sorghi e C. zeae-maydis pode afirmar-se


que
(A) C. sorghi e C. zeaemaydis pertencem à mesma ordem.
(B) Passiflora alata e C. sorghi pertencem ao mesmo filo.
(C) C. sorghi e C. zeaemaydis pertencem ao mesmo género, mas não à mesma classe.
(D) Passiflora alata e C. sorghi pertencem à mesma família.

5. Na replicação das moléculas de DNA não são utilizados nucleótidos de


(A) adenina. (C) timina.
(B) citosina. (D) uracilo.

6. Os fungos efetuam
(A) absorção seguida de digestão intracelular.
(B) digestão extracelular seguida de absorção.
(C) absorção seguida de digestão extracelular.
(D) ingestão seguida de absorção.

7. Passiflora alata é haplodiplonte, apresentando, por isso, meiose


(A) pós-zigótica, da qual resultam células haploides.
(B) pré-espórica com formação de esporos diploides.
(C) pré-gamética com formação de gâmetas haploides.
(D) pré-espórica com formação de esporos haploides.

8. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos


acontecimentos que levam ao transporte e à acumulação de substâncias orgânicas em frutos
localizados acima dos órgãos fotossintéticos de Passiflora alata.
A. Aumento da pressão de turgescência no interior dos tubos crivosos.
B. Movimento ascendente da seiva elaborada.
C. Formação de moléculas de glicose a partir da redução do dióxido de carbono.
D. Saída da sacarose por transporte ativo do floema.
E. Aumento da pressão osmótica nas células dos tubos crivosos.

9. Explique de que modo as regiões ITS permitem inferir relações filogenéticas entre os
diferentes fungos.

8
Cotações
Questão
Grupo Total
Cotação
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
Grupo I 50
5 5 5 5 5 5 5 5 10
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.
Grupo II 50
5 5 5 5 5 5 5 15
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
Grupo III 50
5 5 5 5 5 5 5 5 10
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
Grupo IV 50
5 5 5 5 5 5 5 5 10
Total 200