Вы находитесь на странице: 1из 5

MENSAGEM – A PARÁBOLA DA OVELHA PERDIDA

TEXTO BÍBLICO – LUCAS 15.3-7


3 Então, lhes propôs Jesus esta parábola: 4 Qual, dentre vós, é o homem que, possuindo cem ovelhas
e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-
la? 5 Achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo. 6 E, indo para casa, reúne os amigos e vizinhos,
dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. 7 Digo-vos que, assim, haverá
maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam
de arrependimento.

SÉRIE – AS PARÁBOLAS DE JESUS


Estamos em uma série de mensagens com o tema “As parábolas de Jesus”.
Contando parábolas, Jesus retratava o mundo ao seu redor. Ele usava uma histó ria tirada do
cotidiano para ensinar algo importante.
- Ja vimos a parábola de Lucas 9.57-62, onde Jesus usou exemplos de raposas, aves, um funeral e o
arado para falar de princípios espirituais.
- Depois falamos da parábola do bom samaritano!
- Depois conversamos da parábola do semeador
- Depois vimos a parábola do Filho Pródigo.
- Por último a parábola do Rico e Lázaro!
- Hoje vamos falar da parábola da ovelha perdida

UM HOMEM POSSUIA 100 OVELHAS v.4


4 Qual, dentre vós, é o homem que, possuindo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no
deserto as noventa e nove e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-la?
Nos dias de Jesus os seus ouvintes estavam bem acostumados com a vida do campo, do cuidado de
ovelhas. Um dos salmos mais conhecidos, o Salmo 23, também é retirado deste contexto da vida do pastor.
23.1 O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará.23.2 Ele me faz repousar em pastos verdejantes.
Leva-me para junto das águas de descanso; 23.3 refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por
amor do seu nome. 23.4 Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque
tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam.23.5 Preparas-me uma mesa na presença dos
meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. 23.6 Bondade e misericórdia
certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre.
Nós estamos longe do contexto do salmo 23. Estamos distantes da parábola da ovelha perdida.
Estamos tão distantes deste contexto bucólico, do pasto, do campo, que se perguntar para criança da onde
vem o leite, ela vai afirmar que é da caixinha.
A ovelha que pode ser chamado no masculino por carneiro e quando pequeno como cordeiro. A
ovelha (fêmea) é um animal dócil, e sem nenhum mecanismo natural de defesa. As ovelhas requerem mais
atenção do que qualquer outro tipo de rebanho. Elas não podem cuidar de si mesmas. As ovelhas não
enxergam longe, são desajeitadas e se assustam facilmente. Um rebanho inteiro pode fugir
desabaladamente ao se assustar com um coelho.
A ovelha é um animal indefeso, míope e incapaz de cuidar de si mesma. Ela necessita do cuidado do
pastor. O que a ovelha faz para se defender, animais que tem garras, dentes, veneno, odores. A ovelha se
cansa, se protege com a cabeça, mas a cabeça e onde enxergamos. Não tem um mecanismo rápido. São
criaturas tímidas. O único recurso que têm é correr se não tiverem um pastor para protegê-las. As ovelhas
não têm instintos que a dirijam para casa. Um cachorro, gato podem encontrar o caminho de casa, mas uma
vez que uma ovelha se perde não se pode mais contar com ela a não ser que alguém a encontre e a traga de
volta.
alguns atributos das ovelhas:
1) A ovelha é o animal menos capaz de cuidar de si própria – As ovelhas são simplesmente ingênuas
e tolas.
2) As ovelhas são indefesas – Elas não possuem presas ou garras. Elas não podem mordê-lo nem
correr mais que você.
3) As ovelhas são sujas – Um gato pode limpar-se. Um cachorro também. Vemos pássaros no banho
e ursos no rio. Mas ovelhas? Elas se sujam e ficam assim mesmo.
4) As ovelhas são míopes – Elas não enxergam os perigos. Elas não vêem o abismo nem percebem a
chegada do predador.
5) As ovelhas são teimosas – Muitas vezes o pastor precisa usar a vara e até mesmo o cajado para
tirá-la do abismo, porque ela teima em andar longe do rebanho.
6) As ovelhas não têm senso de direção – Se deixadas sozinhas podem cair em abismos e seguir trilhas
perigosas.
7) Os seus dotes podem ser a sua ruína – A sua lã pode ser um peso mortal. Quando a ovelha cai na
água a sua lã a arrasta para o fundo do poço e ela pode morrer se não for resgatada.
Não por acaso, na Bíblia nós somos comparados a ovelhas. Podemos perceber claramente a
similaridade: temos uma visão limitada das coisas principalmente quando estamos no meio de um problema,
não sabemos o amanhã e queremos aproveitar ao máximo a vida até o fim. Assustamos-nos com a vida, suas
mudanças e os problemas que aparecem. Não sabemos como nos defender e sempre precisamos de ajuda
seja de um aconselhador, de um amigo, de um parente. Não sabemos o caminho de casa e nos afastamos
de Deus, achando que somos suficientes.
Somo seres de extrema e absoluta dependência de Deus. Dependemos de Deus para todas as coisas.
Dele depende a nossa vida. Por mais que seja difícil reconhecer, a melhor coisa que uma pessoa pode fazer
é chegar diante de Deus e admitir a sua impotência.

PERDEU UMA DELAS v.4


4 Qual, dentre vós, é o homem que, possuindo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no
deserto as noventa e nove e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-la?
Jesus faz uma pergunta: "qual dentre vós?" que se possuísse 100 ovelhas e perdesse uma, não sairia
atrás da ovelha perdida.
Em Lucas 15 há o registro de três parábolas com a mesma mensagem central: a restauração do que
se perdeu. A ovelha perdeu-se por displicência; o filho perdeu-se por deliberação e a dracma foi perdida por
descuido. Jesus usou um ser racional, o filho pródigo; um ser irracional, a ovelha e um objeto inanimado,
uma dracma.
Deus é representado pelo pastor que procura a ovelha perdida, pela mulher que diligentemente
procura a dracma perdida e pelo pai que corre para abraçar e beijar o filho que retorna ao lar.
O amor de Deus é incansável no propósito de buscar o perdido.
A parábola do Filho Pródigo é o clímax das três parábolas. Ela retrata a triste trajetória do filho, que
insatisfeito saiu da casa do pai e foi para um país distante, onde dissipou todos os seus bens, vivendo
dissolutamente. Atraído pelos encantos do mundo, bebeu todas as taças dos prazeres, cercado de amigos.
Porém, sua aparente felicidade transformou-se em solidão amarga, em pobreza extrema e em fome
assoladora. Foi parar no fundo do poço, ou seja, num chiqueiro de porcos. Ali estava só, faminto e
maltrapilho. Então, lembrou-se de seu pai e tomou a decisão de voltar; agora, não mais como filho, mas
apenas como um empregado. Para sua surpresa, o pai o avistou de longe, correu, abraçou-o, beijou-o,
mandou colocar nele a melhor roupa, o anel no dedo e as sandálias nos pés. O pai lhe perdoou e lhe
restaurou, dando-lhe a dignidade de filho. É assim o amor de Deus por nós. Ele nos perdoa e nos restaura.
Perdoa completa e incondicionalmente.
Na realidade a ovelha perdeu-se porque afastou-se do rebanho. A ovelha é um animal míope,
inseguro, indefeso e também rebelde. Ela não pode proteger-se contra os predadores. Ela não tem um bom
senso de direção. Sua segurança está em ficar perto do pastor e junto do rebanho. Sempre que se desgarra
e se afasta da companhia das outras ovelhas, está sujeita a cair e ferir-se. A figura da ovelha é sugestiva.
O pastor saiu em busca da ovelha perdida. Ele veio buscar e salvar o perdido. Ele veio para os doentes.
Ele veio salvar pecadores. Ele move os céus e a terra para conquistar-nos e atrair-nos para si. Seu amor é
eterno, sua compaixão é infinita, seu prazer é ter-nos na sua presença.
POE SOBRE OS OMBROS v.5
5 Achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo.
O pastor fez tudo pessoalmente, em afeto exuberante, porquanto a pobre ovelha era impotente.
Não houve qualquer reprimenda contra a ovelha que se desviara, nem houve qualquer murmuração
por causa das dificuldades enfrentadas.
Não vemos aqui o mero interesse próprio, mas aqui transparece o amor...a ovelha estava exausta de
tanto vaguear; e o pastor deu-lhe descanso.
Não podendo ela andar, o pastor a tomou no colo.
Em vez de sacrificá-la, o pastor alegrou-se em encontrá-la e festejou a sua reintegração no meio do
rebanho. É assim que Deus faz conosco. Ele não desiste denos amar. Ele não abre mão da nossa vida. Ele não
abdica do direito que tem de nos tomar para si e nos manter na sua presença.
O pastor correu riscos para encontrar a ovelha perdida. Jesus desceu da glória. Fez-se carne. Sofreu,
foi perseguido, humilhado, cuspido, pregado na cruz. Ele desceu ao inferno e suportou na sua carne oflagelo
dos nossos pecados. Ele bebeu sozinho o cálice da ira de Deus contra o pecado e morreupor nós para nos
resgatar da morte. Ó bendito amor, sublime amor, incomensurável amor!
Jesus evidencia seu imenso amor a ponto de nos carregar no colo. Ele nostoma em seus braços
eternos. Ele nos toma pela sua mão direita e nos conduz à glória. Ele não sente nojo da ovelha que caiu no
abismo, mas desce os despenhadeiros mais perigosos para arrancar das entranhas da morte a ovelha que se
perdeu e encontra-a, toma-aamorosamente nosbraços e a leva para o aprisco.

MINHA OVELHA PERDIDA v.6


6 E, indo para casa, reúne os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a
minha ovelha perdida.
Jesus nos valoriza. O pastor poderia ter se contentado com as noventa e nove que estavam seguras
e desistido da ovelha peralta que rebeldemente desgarrou-se. Mas o pastor não desistiu de buscar a ovelha,
ainda que fosse uma ovelha rebelde.
0 simbolismo da ovelha é uma representação da humanidade toda. Fala do amor dE Deus, que não
desiste do ser humano.
O amor de Deus é incansável no propó sito de buscar o perdido. Deus não abdica do seu direito de
nos ter. Ele nos busca mesmo quando o ignoramos. Ele nos ama mesmo quando somos hostis e inimigos.
Ele nos conquista mesmo quando lhe viramos as costas.
Na verdade, se Deus não nos buscasse, jamais poderi ́amos encontrá-lo. A ovelha desgarrada e cai ́da
nà o pode salvar a si mesma.
O pecado nos afastou de Deus e nos jogou num tremedal de lama. A não ser que Deus nos estenda
a mà o, jamais poderemos nos levantar. A nào ser que Deus infunda vida em nó s, jamais nos ergueremos
dentre os mortos. A nossa esperança está no fato de que Deus nos ama e jamais desistiu de nos procurar.
Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo.
Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei
para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça. (João 15.16)
O significado das palavras de Jesus era: “Vocês nunca me teriam escolhido, se eu não os tivesse
escolhido”.
ILUSTRAÇÃO PORTA
ILUSTRAÇÃO – MINHA VOCAÇÃO
EXEMPLO DE DAVI

FESTA NO CÉU v.7


7 Digo-vos que, assim, haverá maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende do que por
noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.
Nas três parábolas: da ovelha perdida, da dracma perdida e do filho perdido encontramos o mesmo
desfecho, a celebração festiva pelo encontro do que estava perdido. O pastor chamou seus vizinhos e amigos
para festejar com ele (Lc 15.6). A mulher igualmente chamou suas vizinhas e amigas para celebrar com ela
(Lc 15.9) e o pai mandou preparar um banquete, dizendo: "… comamos e regozijemos-nos, porque este meu
filho estava morto, e reviveu; estava perdido e foi achado. E começaram a regozijar-se” (Lc 15.23,24).
Há mais alegria por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove que pensam que não
precisam de arrependimento (Lc 15.7). Há júbilo diante dos anjos de Deus por um só pecador que se
arrepende (Lc 15.10). Há festa na casa do pai, quando o pródigo volta ao lar (Lc 15.23,24). Deus festeja e
celebra a nossa volta para ele. Que grande amor! Que imenso amor! Que sublime amor, o amor de Deus!

CONCLUSÃO
VIDEO – ESTIMA (STENIO MARCIUS)
ESTIMA (Stênio Március) - Um lamento de cortar o coração Ecoou no vale, todo mundo ouviu Um
pastou aflito Conta e reconta sem querer acreditar Falta uma ovelha no curral Comovido vai em busca de
encontrá-la Ela é fraca e tola, mas ele a estima Sobe e desce morro, mil perigos Vai exausto sem jamais
perder A ternura quando chama o nome dela Por lugares tortos e sombrios Sofre quando a imagina ali Fosse
outro encerraria a busca Mas incompreensivelmente a ama E no fim da madrugada a encontra Ferida e
assustada, mas com vida E desce a ribanceira como aos vinte anos E a toma com cuidado Sobre os ombros
fartos Que alarido é esse no amanhecer? É o pastor fazendo festa no arraial Como se tivesse achado O maior
tesouro que jamais se viu É só uma ovelha, Mas como a estima
Música – Ele não desiste de você
Música – Me ama