You are on page 1of 2

ACIPOL

ACADEMIA DE CIÊNCIAS POLICIAIS

LICENCIATURA EM CIÊNCIAS POLICIAIS

FICHA DE LEITURA

NOME: Abdul Hilario Eduardo, N°01; Turma ʺCʺ 1ºAno

DOCENTE: Florinda Uaeca

DISCIPLINA: TÉCNICAS DE EXPRESSÃO

TEMA: Reportagem

É um género jornalistico que se baseia na observação directa das ocorrências.

É também um conteúdo jornalístico, escrito ou falado, baseado no testemunho


Definição directo dos factos e situações explicadas em palavras e, numa perspectiva
actual em histórias vividas por pessoas, relacionadas com o seu contexto.

Uma reportagem é também uma notícia mais aprofundada, que pode conter
opiniões de terceiros.

Levar os factos ao leitor ou telespectador de maneira abrangente. Isso implica


Objectivo em um factor essencial a um jornalista: falar bem e escrever bem.

1. Factos – relato objetivo de acontecimentos que obedece na redação à


forma da pirâmide invertida. Como na noticia, os factos são narrados em
sucessão, por ordem de importância ou cronologicamente. Em reportagens
televisivas, quando se cobrem grandes acontecimentos, a edição parte do
anúncio do facto, mas pode fazer de cada parte seguinte uma pequena
notícia independente. Embora se caracterize pela objectividade, é possível
encontrar exemplos em que o distanciamento seja menor.

2. Acção – relato movimentado, que começa sempre pelo facto mais


Tipos de atraente, para ir descendo aos poucos na exposição de detalhes. O
Reportagem importante nessas reportagens é o desenrolar dos acontecimentos de
maneira enunciante, próximo ao leitor, que fica envolvido com a
visualização das cenas, como num filme.

3. Documental – relato documentado, que apresenta os elementos de


maneira objectiva, acompanhados de citações que complementam e
esclarecem o assunto tratado. Comum no jornalismo escrito, esse modelo
é mais habitual nos documentários de televisão ou do cinema. Reportagem
Elaborado por Abdul Hilario Eduardo - 2017 Page 1
documental é expositiva e aproxima-se da pesquisa. Ás vezes tem carácter
denunciante. Na maioria dos casos é apoiada em dados que lhe conferem
fundamentação, adquirindo cunho pedagógico, e se pronuncia a respeito
do tema em questão.

4. Científica – destaca os avanços e as descobertas científicas mais recentes;

5. Explicativa – indaga sobre factos de transcendência entre a opinião


pública;

6. Investigativa – tenta captar detalhes desconhecidos sobre um facto feito


concreto;

7. Interesse humano – centrada numa pessoa ou numa colectividade.


A reportagem apresenta uma estrutura diferente da notícia, porque nela contem
Estrutura da fotografias, imagens e son, apesar de ter Antetitulo; título; subtítulo, corpo e
reportagem conclusão.

 A reportagem é mais extensa e complexa do que a notícia, devido ao seu


elevado detalhe e à sua descrição. É assinada pelo repoter, que foi ao local
“ver” e ou “vir” os testemunhos.
Características de
 Predende indicar o conteúdo da reportagem de um modo apelativo e sucinto;
reportagem
 Apresenta testemunhos, opiniões e citações Apresenta linguagem clara,
directa, objectiva e formal;
 Uso de discurso na 3ª pessoa e por vezez a 1ª pessoa;
 Existe também discurso directo com o intuito de exprimir os comentários
pessoais dos testemunhos.
O planejamento, a partir da pauta, é fase essencial da boa reportagem. É o
plano que vai dirigir a pesquisa de campo e orientar as acções futuras do
trabalho, evitando perda de tempo.
Como fazer uma
reportagem Antigamente a pauta era uma "camisa de força" da qual o repórter não podia se
desviar um milímetro. O repórter do grande texto precisa ter autonomia para
reinventar a pauta quando for necessário. Às vezes o repórter faz uma longa
viagem e se a pauta furar caberá a ele a iniciativa de criar outra adaptada ao
contexto em que se encontra, comunicando ao editor. Naturalmente o jornal e
os leitores esperam essa criatividade do jornalista.
 FLORESTA, Cleide. BRASLAUKAS, Ligia. Técnicas de
Reportagem e Entrevista em Jornalismo - Roteiro para uma Boa
Apuração. São Paulo: Saraiva 2009.
Bibliografia  FUSER, Igor (org.). A Arte da Reportagem. São Paulo: Scritta, 1996.
 LAGE, Nilson. (A Reportagem: teoria e técnica de entrevista e
pesquisa jornalística). Rio de Janeiro: Recorde, 2001.

Elaborado por Abdul Hilario Eduardo - 2017 Page 2