Вы находитесь на странице: 1из 29

ÃO DA ADVOC

ZAÇ A
RI
CI
O
ANHA DA VAL

AP
REVIDENCIÁR
MP
CA

IA

Previdência para a Advocacia 1


ÃO DA ADVOC
ZAÇ A
RI

CI
O
ANHA DA VAL

AP
REVIDENCIÁR
MP
CA

IA
Palavra do para a Advocacia”
apresenta os conceitos
objetivamente pela
Cartilha é a incidência
cobertura complementar
aos riscos sociais
de previdência social e de contribuição básicos, tais como
Presidente explica quais são os tipos previdenciária sobre os morte, invalidez e renda
de regime aos quais honorário advocatícios. educacional.
A previdência social faz estamos submetidos.
parte da vida de todos O documento também A Cartilha também É com grande satisfação
os cidadãos brasileiros, esclarece quais são os elucida os diferentes que nós, da OAB/DF,
dos mais humildes segurados atendidos, tipos de benefícios disponibilizamos a você,
a o s m a i s a b a st a d o s . os prazos de carência previdenciários advogado, este material
Mais do que presente, e elucida o “período de existentes e ainda completo, preparado
a p rev i d ê n c i a s o c i a l graça”. auxilia o advogado com muita dedicação
é necessária para nos a realizar os cálculos e carinho. Espero que
atender quando chega a O advogado é desses benefícios. Outro goste e que sirva de
hora da aposentadoria. segurado obrigatório importante assunto suporte para você no
No entanto, o assunto da previdência social e tratado no documento desempenho de sua
é complexo e muitas aquele que não contribuir é a OAB Prev, entidade atividade profissional.
são as dúvidas sobre o é considerado irregular fechada de previdência
tema. Na advocacia não perante o Estado. Não à complementar destinada
é diferente. toa, as diferentes formas exc l u s i va m e n te a o s
de recolhimento voltadas advogados. Funciona
Para auxiliar o advogado a o s a d vo g a d o s s ã o como uma espécie Juliano Costa Couto
Presidente da OAB/DF
nessa árdua tarefa, a abordadas nesta Cartilha. de poupança, um
Comissão de Seguridade A advocacia pode investimento de longo
S o c i a l d a OA B / D F contribuir, por exemplo, prazo para você,
preparou esta cartilha como contribuinte advogado, e sua família.
repleta de informações individual, como Por fim, o advogado
importantes para todos advogado empregado, poderá se familiarizar
nós. Com linguagem como advogado com o PBPA, um plano
simples e didática, a associado, entre outras. previdenciário que tem
Cartilha “Previdência Outro tópico abordado por objetivo oferecer

4 Previdência para a Advocacia


Conselheiros Seccionais Theophilo de Oliveira • Laura Maria Costa Silva
• Adair Siqueira de Quei- Netto • Edvaldo Nilo de Souza • Leandro Daroit
roz Filho • Adelvair Pego Almeida • Elaine Ferretti Feil (licenciado) • Leo-
Cordeiro • Alceste Vilela Costa Starling • Erich En- nardo Henrique Mundim
Júnior • Alessandra Ca- drillo Santos Simas • Erik Moraes Oliveira • Liliana
marano Martins • Alexan- Franklin Bezerra • Ewan Barbosa do Nascimento
dre Vieira de Queiroz • Teles Aguiar • Fabiana So- Marquez • Livia Magalha-
Seccional da Ordem dos ares de Sousa • Felipe de es Ribeiro • Lucia Divina
Ana Carolina Reis Maga-
Advogados do Brasil do Almeida Ramos Bayma Barreira Bessa Martins •
lhães • Andre Lopes de
Distrito Federal Sousa Felipe • Fernanda Luciana Ferreira Gonçal-
Sousa • Antonio Gilvan
Presidente: Melo • Antonio Rodrigo Gonzalez da Silveira Mar- ves • Luiz Gustavo Barrei-
Juliano Costa Couto Machado de Sousa • Bru- tins Pereira • Fernando ra Muglia • Manoel Coelho
no Nascimento Coelho • de Assis Bontempo • Fer- Arruda Júnior • Marcelino
Vice-Presidente: nando Luis Russomano Rodrigues Mendes Fi-
Daniela Teixeira Camila Gomes de Lima •
Camilo Andre Santos No- Otero Villar • Fernando lho • Marcelo Martins da
Secretário-Geral: leto de Carvalho • Carlos Martins de Freitas • Flavia Cunha • Marcelo Olivei-
Jacques Veloso Augusto Lima Bezerra • Dias Amaral • Frederico ra de Almeida • Marcone
Christiane Rodrigues Pan- Bernardes Vasconcelos • Guimarães Vieira • Maria
Secretário-Geral Adjunto:
toja • Claudio Demczuk Glauco Alves e Santos • Dionne de Araújo Felipe
Cleber Lopes
de Alencar • Claudio San- Hellen Falcão de Carvalho • Mariana Prado Garcia
Diretor Tesoureiro: • Igor Martins Carvalho de Queiroz Velho • Ma-
tos da Silva • Cleider Ro-
Antonio Alves Filho Rodrigues • Ildecer Me- riano Borges de Faria •
drigues Fernandes • Cris-
tiane Damasceno Leite • neses de Amorim • Indira Marilia Mesquita Araujo •
Conselheiros Federais Ernesto Silva Quaresma Marlúcio Lustosa Bonfim
Cristiane Rodrigues Britto
Ibaneis Rocha • Marcelo • Cristiano de Freitas Fer- • Italo Maciel Magalhães • Maurício de Figueiredo
Lavocat Galvão • Carolina nandes • Cristina Alves • Janine Malta Massuda Correa da Veiga • Og Pe-
Petrarca • Severino Caja- Tubino • Denise Andrade • Joao Paulo Amaral Ro- reira de Souza • Paulo Re-
zeiras • Felix Angelo Pala- da Fonseca • Denise Apa- drigues • José Domingos nato Gonzalez Nardelli •
zzo • Manuel de Medeiros recida Rodrigues Pinheiro Rodrigues Lopes • José Pierre Tramontini • Rafael
de Oliveira • Dino Araú- Gomes de Matos Filho • Thomaz Favetti • Renata
jo de Andrade • Divaldo Juliana Gonçalves Navar- de Castro Vianna Prado
ro • Kildare Araujo Meira • Renato Guanabara Leal

6 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 7


Araújo • Ronald Siqueira Suplentes:
Barbosa Filho (licencia- Daniela Caetano e
do) • Sérgio Palomares • Daniel da Silva Antunes
Silvestre Rodrigues da Sil-
Apresentação
va • Silvia Andrea Cuper- Apoio:
Esta cartilha foi elaborada pela Comissão de
tino • Sueny Almeida de
Seguridade Social da OAB/DF com o intuito de
Medeiros • Thais Maria Comissão de Apoio ao
Riedel de Resende Zuba • Advogado Iniciante orientar a advocacia do Distrito Federal sobre a
Thiago Machado de Car- importância da previdência pública e da privada em
Presidente: sua vida.
valho • Victor Emanuel Tiago Santana de
Alves de Lara • Walter de Com conhecimento técnico, a cartilha reúne as
Lacerda informações necessárias para que a advocacia possa
Castro Coutinho • Wan-
derson Silva de Menezes • Vice-Presidente: estar ciente de seus direitos e deveres previdenciários
Wendel Lemes de Faria • Marina Gondin Ramos e, assim, esteja preparada para as situações de riscos
Wesley Ricardo Bento da Secretário-Geral: da vida, tornando-se instrumento de consulta à
Silva Filipe Bianchini de sociedade de advogados e familiares.
Oliveira
Caadf
Secretário-Geral Adjunto: “Trabalhar por uma Advocacia Previdente
Presidente: Lucas Santos Riether é cumprir com nossa missão de cuidar do
Ricardo Alexandre R. Azoubel futuro das advogadas e advogados do Distrito
Peres
Federal! Obrigada a todos que contribuíram
Vice-Presidente: para esse projeto!”
Pedro Anísio Mendes
Secretário-Geral:
Maxmiliam Patriota Thais Riedel
Carneiro Presidente da Comissão de Seguridade
Social da OAB/DF
Secretária-Geral Adjunta:
Clarisse Dinelly Ferreira
Diretor Tesoureiro:
Marcelo Lucas de Souza

8 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 9


Secretário-Geral: CARMEM LÚCIA TEIXEI- JEDER ROCHEFORT DE
Equipe ÍCARO DE JESUS MAIA RA PEDROLLO ALMEIDA PINHEIRO
CAVALCANTI CECÍLIA OLIVIERI E JOSE HAILTON LAGES
Conselho Editorial JORGE DIANA JUNIOR
Thais Maria Riedel de Secretária-Geral Adjunta:
LARA CRISTINA SOUTO CHRISTIANE PASTORA KARLA PATRICIA ALVES
Resende Zuba PINHEIRO OLIVEIRA GUIDA RIBEIRO
Alessandra de Bragança DA COSTA
CICERA FERNANDA DE KAROLINA DA CONCEI-
Nunes Leite Membros: ARAUJO MAGALHÃES ÇÃO FARIA DINIZ
Carmem Lúcia Teixeira ADRIANA CASTRO DE CINTHYA DE SOUZA LARA FERNANDES
Pedrollo ALMEIDA SANTOS MARTINS CARNEIRO BARBOSA
Fernanda Dorneles de AILSON FRANCA DE SA CLARISSA DE SOUZA LARISSA MARIA CAR-
Oliveira dos Santos ALESSANDRA DAMIAN MIRANDA NEIRO DE MELO
Maria Margarete de CAVALCANTI CRISTIANO LUIZ BRAN- LEANDRO MADUREIRA
Queiroz Bezerra ALESSANDRA MAGDA DAO CUNHA SILVA
Marlene Moreira dos VIEIRA GASPAR DEILSA CARLA SANTOS LETICIA DA ROCHA
Santos ANA CAROLINA SIL- DE SOUZA GOMES
Talita Thais Luciana do VEIRA FABIANA RODRIGUES LETÍCIA DE MENEZES
Nascimento ANA MARIA VILANOVA GONÇALVES EIRADO ABREU
Tânia Cristina Martins DA SILVA BARROS FERNANDA DORNE- LIDIANNE VIVIAN XA-
Araújo ANA RAQUEL DE LES DE OLIVEIRA DOS VIER DA SILVA
Thaís Barcelos Dornellas AGUIAR CASTRO SANTOS LUCIANA ALCANTARA
Diego Monteiro Cherulli ANDRÉA BACHIÃO FERNANDA REBELO DE MEDEIROS
MARTINS COLOMBARI ALVES FERREIRA LYA CRISTINA RIBEIRO
Comissão de Seguridade PEREIRA GABRIELA DO AMARAL MARCOS LIMIRIO DE
Social da OAB/DF ANDRESSA KEICO SANTOS SALGADO OLIVEIRA
Presidente: YOKOTA VERA GLAUCIA THERESINHA MARCOS PAULO BATIS-
THAIS MARIA RIEDEL BÁRBARA TUÍRA DE SANTANA TA DE OLIVEIRA
DE RESENDE ZUBA SOUSA SOARES GRAZIELLE DE SOUZA MARIA ELIANIA COSTA
Vice-Presidente: BRUNO ULISSES DA BOÁZ MARIA MARGARETE DE
DIEGO MONTEIRO SILVA CARNEIRO GUSTAVO BEIRAO QUEIROZ BEZERRA
CHERULLI CAMILLA MONTEIRO ARAUJO MARLENE MOREIRA
RAW DOS SANTOS

10 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 11


MAYRA COSMO DA TÂNIA CRISTINA MAR-
TINS ARAUJO
SILVA
MICHELLINE CANGUCU TATHIANA DE MELO Sumário
IWAMOTO VISCONDE LESSA AMORIM
NATASHA NAYADE MO- TATIANA FREIRE ALVES
REIRA BASÍLIO TELES MAESTRI
14 Previdência Social
PHILYPPE CAMPOS THIAGO RAMOS SÁ 14 Conceito
MONTEIRO DE LIMA GONDIM Quais são os regimes de Previdência?
14
PEIXOTO VALMIR ROSULINO DE 17 Quais são os tipos de segurado?
PRISCILLA BICALHO OLIVEIRA JUNIOR 21 O que é carência?
FERREIRA DELFINO VIRGINIA MOTTA SOU- 21 O que é período de graça?
RAQUEL GALVAO RO- ZA 22 A contribuição do Advogado
DRIGUES DA SILVA 22 Como contribuir como Contribuinte Individual?
RAYANNE ILLIS NEIVA 24 Como contribuir como advogado empregado
MÁXIMO 25 Como contribuir com a sociedade de advogados?
REGIANE MARIA BAR- 26 Como contribuir como advogado associado?
BOSA 27 A contribuição incide sobre os honorários advocatícios?
REJANE ALVES DOS 27 Como o advogado efetua o recolhimento enquanto
contribuinte individual?
SANTOS
28 Cálculo dos benefícios previdenciários
RICARDO HORTA DE
30 Quais são os Benefícios Previdenciários?
ALVARENGA
47 Previdência Privada
SARAH CHRISSIE RA- 48 OAB Prev
MOS DE SOUZA 48 O que é a OAB Prev?
SHAYLA BICALHO FER- 49 Como Funciona?
REIRA 49 O que é PBPA?
SIMONE RIBEIRO PRE- 50 Como são feitas as contribuições?
VEDELLO 51 Quais são os benefícios previdenciários oferecidos pela
TALITA DA SILVA LEVAY OABPrev?
TALITA THAIS LUCIANA 52 Qual a diferença entre a OABPrev e a Previdência
DO NASCIMENTO Pública do INSS?

12 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 13


– INSS e regido pela Lei 8.213/91, sendo um dos três
pilares da Seguridade Social (Saúde, Assistência e
Previdência Social Previdência Social).
Abrange, obrigatoriamente, todos os trabalhadores
urbanos e rurais que exerçam atividade remunerada,
Conceito
com ou sem vínculo empregatício, e que não estejam
Organizada sob a forma de regime geral, de caráter
protegidos por Regime Próprio de Previdência Social.
contributivo e de filiação obrigatória, a previdência é
Abarca também as pessoas que não trabalham, mas
um seguro público dentro de uma política pública de
que queiram, de forma facultativa, contribuir para o
proteção da população dos riscos sociais.
sistema.
Por não sermos, via de regra, previdentes, o Estado
Com vistas à proteção do cidadão e ao bem-estar
nos obriga a contribuir para um seguro público capaz
social, garante a cobertura dos riscos sociais aos seus
de nos atender nos momentos de infortúnios, que
segurados que sejam ocasionados por incapacidade,
possam impedir ou reduzir a capacidade de trabalho
invalidez, morte, idade avançada, maternidade,
e o consequente recebimento de renda, como: a idade
desemprego involuntário e reclusão, atuando também
avançada, invalidez, morte, reclusão, maternidade,
como importante regulador das relações de trabalho
entre outros.
e protetor da saúde do trabalhador.
A partir da filiação ao sistema previdenciário, o
segurado fica protegido e receberá alguma renda
II. Regimes Próprios de Previdência Social –
no momento em que não conseguir trabalhar. Para
RPPS.
complementar essa renda, poderá ainda, de forma
Na mesma linha de função constitucional e social,
facultativa, contratar uma previdência privada.
os Regimes Próprios de Previdência Social – RPPS
foram criados e destinados à proteção dos Servidores
Quais são os regimes de Previdência?
Públicos titulares de cargo efetivo da União, Estados,
Distrito Federal e Municípios, bem como de seus
A Constituição Federal prevê três regimes
dependentes.
previdenciários. São eles:
Protegendo os riscos sociais em caso de incapacidade,
invalidez, morte, idade avançada, maternidade e
I. Regime Geral de Previdência Social – RGPS.
reclusão, também possuem caráter contributivo
O Regime Geral de Previdência Social – RGPS é
e solidário, mediante contribuição do respectivo
administrado pelo Instituto Nacional do Seguro Social
ente público, dos servidores ativos e inativos e dos

14 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 15


pensionistas, observados critérios que preservem o Fundo de Pensão, que tenha por objetivo instituir
equilíbrio financeiro e atuarial. planos privados de concessão de benefícios
complementares ou assemelhados aos do RGPS.
III. Regime de Previdência Complementar – Esses planos são restritos aos empregados de uma
RPC. ou mais empresas, servidores, categorias profissionais,
Como forma de garantir ao cidadão, trabalhador ou associados ou membros de pessoas jurídicas. São
não, uma renda complementar nas situações de riscos constituídos sob a forma de fundação ou sociedade
sociais, a Constituição prevê criação e funcionamento civil e normalmente operam tanto na modalidade
dos Regimes de Previdência Complementar, os quais de Contribuição Definida, quanto na de Benefício
terão caráter facultativo e serão organizados de forma Definido. Como exemplo, tem-se a OABPREV
autônoma, baseados na constituição de reservas (Advogados), PREVI (funcionário do Banco do
financeiras (poupança) que garantam o benefício Brasil), FUNCEF (funcionários da CAIXA), Postalis
contratado no futuro. (funcionários dos Correios), dentre outros.
Estes regimes podem ser criados na modalidade
aberta ou fechada e serão sempre fiscalizados pelo Quais são os tipos de segurado?
Estado.
Aberta SEGURADOS OBRIGATÓRIOS
Funcionará na modalidade aberta a instituição São as pessoas físicas, brasileiras ou estrangeiras,
financeira, com fins lucrativos ou não, que disponibilize que prestam serviços de natureza urbana ou rural
ao público em geral a possibilidade de contratação e são, por esta razão, filiadas compulsoriamente
dos planos de previdência, os quais terão seus à Seguridade Social, com direito aos benefícios
investimentos e regras previstos em regulamento pecuniários previstos para sua categoria a encargo
próprio. da Previdência Social.
Como exemplos, têm-se as modalidades de
investimento VGBL e PGBL oferecidos por bancos Os segurados obrigatórios são discriminados pela Lei
públicos e privados. Normalmente adotam o sistema 8.213/91 no art. 11, e em resumo podem enquadrar-se
de capitalização ou contribuição definida. como:
Fechada 1. Empregado
Funcionará na modalidade fechada a pessoa jurídica É a pessoa física que presta serviços de natureza não
sem fins lucrativos, conhecida popularmente como eventual a empregador, sob a dependência deste e

16 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 17


mediante salário. Ao contrário da legislação trabalhista, intermediação obrigatória do órgão de gestão de mão
o conceito previdenciário de empregado é amplo, de obra (OGMO) ou do sindicato da categoria. Embora
incluindo os detentores de cargos eletivos - políticos não tenham vínculo de emprego, possuem todos os
(Deputados, Senadores, Prefeitos, Vereadores, etc.), direitos trabalhistas (férias, 13°, etc.) e previdenciários.
servidor público de cargo em comissão, trabalhadores
em organismos internacionais em funcionamento no Como exemplo, têm-se os trabalhadores portuários
Brasil ou no exterior, dentre outros, desde que não (capatazia, estiva, conferência, conserto de carga,
estejam protegidos por outro regime previdenciário vigilância de embarcação e bloco, alvarenga,
(RPPS ou previdência obrigatória de outro país). a m a r ra d o r, e n s a c a d o r, c a r re g a d o r, p r á t i co,
2. Empregado Doméstico m ov i m e n t a d o r, c l a s s i f i c a d o r, e m p a co t a d o r,
Conforme o art. 1º da Lei Complementar nº 150/2015, guindasteiro, dentre outros).
empregado doméstico, assim considerado aquele 5. Segurado Especial
que presta serviços de forma contínua, subordinada, Segundo o art. 12, VII, da Lei 8.212/91, considera-se
onerosa e pessoal e de finalidade não lucrativa à segurado especial a pessoa física, residente no imóvel
pessoa ou à família, no âmbito residencial desta. rural ou em aglomerado urbano ou rural próximo a ele,
3. Contribuinte Individual individualmente ou em regime de economia familiar,
É o conhecido “autônomo”, ou seja, a pessoa física ainda que com o auxílio eventual de terceiros a título
que exerce atividade de natureza urbana ou rural, com de mútua colaboração, na condição de produtor rural
ou sem fins lucrativos, mas que não se enquadra como (seja como proprietário, condômino, usufrutuário,
empregado na forma da legislação previdenciária. possuidor, assentado, acampado, parceiro, meeiro,
Como exemplo são os Advogados não empregados comodatário, arrendatário rural), que explore a
(associados, parceiros, etc.), o empresário, o atividade de: agropecuária (até 4 módulos fiscais),
vendedor autônomo (em sinais, eventos, etc.), o seringueiro ou extrativista vegetal; quilombola;
síndico de condomínio, quando remunerado direta ou pescador artesanal; e o indígena.
indiretamente, dentre outros. 6. Segurado Facultativo
4. Trabalhador Avulso Pode se inscrever facultativamente na Previdência
É o trabalhador, sindicalizado ou não, que presta Social do RGPS o maior de dezesseis anos de
serviço de natureza urbana ou rural a diversas idade, mediante contribuição, desde que não exerça
empresas, sem vínculo empregatício, com a atividade remunerada que o enquadre como segurado
obrigatório da previdência social e não esteja

18 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 19


vinculado a nenhum outro regime previdenciário. O que é carência?
São exemplos de segurado facultativo a dona-de-casa;
o síndico de condomínio, quando não remunerado; o Alguns benefícios previdenciários exigem como
estudante; o brasileiro que acompanha cônjuge que requisito para sua concessão a preexistência de uma
presta serviço no exterior; aquele que deixou de ser determinada quantidade de contribuições sem atraso
segurado obrigatório da previdência social; o membro para o sistema chamada carência.
de conselho tutelar, quando não estiver vinculado a De acordo com o art. 24 da Lei 8.213/91, carência
qualquer outro regime de previdência social; o bolsista é o número mínimo de contribuições mensais
e o estagiário; o bolsista que se dedique em tempo indispensáveis para que o beneficiário faça jus
integral a pesquisa, curso de especialização, pós- ao benefício previdenciário, consideradas a partir
graduação, mestrado ou doutorado, no Brasil ou no do transcurso do primeiro dia dos meses de suas
exterior, desde que não esteja vinculado a qualquer competências.
regime de previdência social; o presidiário que não A carência exigida para a concessão dos benefícios
exerce atividade remunerada nem esteja vinculado devidos pela Previdência Social será sempre aquela
a qualquer regime de previdência social; o brasileiro prevista na legislação vigente, na data em que o
residente ou domiciliado no exterior, salvo se filiado interessado tiver implementado todas as condições
a regime previdenciário de país com o qual o Brasil para a concessão do benefício, mesmo que após essa
mantenha acordo internacional; o segurado recolhido data venha a perder a qualidade de segurado.
à prisão sob regime fechado ou semiaberto, que, Portanto, é importante a ciência de que, além da
nesta condição, preste serviço, dentro ou fora da contribuição previdenciária ser obrigatória, ela
unidade penal, a uma ou mais empresas, com ou sem deve ser vertida no prazo correto para que não haja
intermediação da organização carcerária ou entidade eventual prejuízo futuro para fins de carência.
afim, ou que exerce atividade artesanal por conta
própria. O que é período de graça?
O advogado se enquadra como segurado obrigatório
quando trabalha como empregado, empresário ou É o período em que o segurado mantém o seu vínculo
prestador de serviços autônomos. com o sistema previdenciário, mesmo não estando
contribuindo e/ou não exercendo uma atividade
remunerada, assegurando todos os direitos inerentes
à condição de segurado.
Este direito está previsto no art. 15 da Lei 8.213/91,

20 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 21


variando entre 3 a 36 meses, a depender da situação (honorários), chamados de salários-de-contribuição
concreta. para fins previdenciários.
Em regra, a qualidade de segurado perdura por 12 O salário-de-contribuição, por sua vez, não poderá ser
meses após a cessação das contribuições. Após esse superior ao teto do RGPS, R$ 5.645,80 (em 2018), por
período, deixa de estar protegido pela Previdência competência mensal. Não incide, assim, contribuição à
Social, ou seja, perde a sua qualidade de segurado. seguridade social sobre os valores que ultrapassarem
Destaca-se que a qualidade perdura quando a tal valor.
obrigação de recolhimento é do empregador ou Poderá o Advogado contribuinte individual optar,
tomador de serviços, não sofrendo o trabalhador o nos termos do §2º do art. 21 da Lei nº 8.212/91, por
ônus de tal desídia ou omissão. contribuir pela alíquota de 11%, porém, renunciando
ao direito à aposentadoria por tempo de contribuição,
ficando resguardados todos os demais direitos
previdenciários.
A Contribuição do Advogado
CUIDADO: INFORMAÇÕES À RECEITA FEDERAL
O Advogado é segurado obrigatório da Previdência O Advogado contribuinte individual deverá concatenar
Social, devendo contribuir na qualidade de segurado sua contribuição previdenciária às informações
empregado ou como contribuinte individual. acerca do Imposto de Renda Pessoa Física – IRPF.
O Advogado que não contribui está irregular perante Atualmente os dados são cruzados com vistas a evitar
o Estado, podendo vir a ser cobrado futuramente e arcar a sonegação. Na primeira fase, muitos Advogados
com as penalidades legais tributárias, civis e penais. foram flagrados em situação de irregularidade, se
expondo a multas, juros e demais penalidades legais.
Como contribuir como Contribuinte Individual? Ao receber precatórios, RPV ou alvarás, verifique
sempre seu enquadramento tributário antes de optar
Enquanto contribuinte individual ou advogado pela isenção ou não do IRPF.
autônomo, para ter direito pleno na Previdência Social,
deverá contribuir observando a alíquota definida pelo
art. 21 da lei 8.213/91, ou seja, 20% (vinte por cento)
sobre o valor obtido pela prestação dos serviços

22 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 23


Tabela Para Contribuinte
Individual E Facultativo 2018 Tabela Para Empregado, Empregado Doméstico
e Trabalhador Avulso 2018
Salário de Contribuição
Alíquota Valor
(R$)

Salário de
5% (não dá direito a Alíquota
Contribuição (R$)
Aposentadoria por Tempo de
R$ 954,00 R$ 47,70
Contribuição e Certidão de
Tempo de Contribuição)* Até R$ 1.693,72 8%

11% (não dá direito a


Aposentadoria por Tempo de De R$ 1.693,73 a R$ 2.822,90 9%
R$ 954,00 R$ 104,94
Contribuição e Certidão de
Tempo de Contribuição)**
De R$ 2.822,90 até R$ 5.645,80 11%
Entre R$
190,80 (salá-
R$ 954,00 até 5.645,80 20% rio mínimo)
e R$ 1.129,16 Como contribuir com a sociedade de advogados?
(teto)
As sociedades de advogados, regularmente inscritas
no CNPJ, são equiparadas a empresa para os fins
Como contribuir como advogado empregado? tributários e previdenciários. Logo, via de regra, devem
pagar contribuição social à alíquota de 20% (vinte por
Sendo Advogado empregado, sua contribuição cento) sobre as remunerações pagas a empregados
será de 8% a 11%, a depender de sua faixa salarial, a e a contribuintes individuais (autônomos), inclusive
qual deverá ser retida pelo empregador e por este sobre as remunerações pagas aos sócios a título de
recolhida junto com suas contribuições patronais, via pró-labore.
de regra em 20% sobre a folha de salários da empresa, É comum os estatutos sociais dos escritórios
acrescida de percentuais variáveis de 1% a 3% para preverem que os sócios retirarão pró-labore, sobre o
fins de Seguro Acidente do Trabalho - SAT. qual incidirá a contribuição previdenciária do sócio
e da empresa, que também arcará com o Seguro de

24 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 25


Acidente de Trabalho (SAT), que corresponde a 1% da contribuição previdenciária, inclusive sob a base
sobre o pró-labore. correta de contribuição. Caso contrário, quando da
Quanto ao resto dos honorários, estes serão retirados aposentadoria, sofrerá redução na base de cálculo.
na forma de lucro, os quais não sofrem incidência de
tributação. A contribuição incide sobre os honorários
Caso o Advogado queira complementar sua advocatícios?
contribuição mensal, deverá fazê-lo na condição
de contribuinte individual, pagando alíquota de O Advogado, ao exercer sua atividade na condição
20% sobre a complementação até o teto do INSS, de empregado ou contribuinte individual, se torna
atualmente em R$ 5.645,80, lembrando sempre de obrigatoriamente segurado da Previdência, trazendo
recolher o “carnê leão”, sob pena de cair na “malha para si o dever de recolher a respectiva contribuição, a
fina” da Receita Federal e sofrer as penalidades legais. qual será calculada sobre os honorários advocatícios,
em caso de contribuinte individual, sobre o salário, no
Como contribuir como advogado associado? caso do empregado, ou sobre o pró-labore, no caso
do advogado sócio de Escritório de Advocacia.
O advogado associado é considerado um prestador
de serviços autônomo e, desta forma, a sociedade de Como o advogado efetua o recolhimento enquanto
advogados reterá na fonte, para fins de recolhimento contribuinte individual?
à Seguridade Social, a alíquota de 11% (onze por
cento) sobre o salário de contribuição (remuneração As contribuições previdenciárias devem ser recolhidas
auferida por mês). Em conjunto, a sociedade de por meio da Guia da Previdência Social – GPS, seja
Advogados deve contribuir com 20% (vinte por por meio de carnê adquirido em papelarias, no qual
cento) a título de contribuição patronal. deverá ser observado o preenchimento manual da
Sendo a responsabilidade tributária do escritório guia a ser paga, ou pelo site do INSS.
de advocacia, o Advogado Associado não poderá O pagamento deve ser feito até o dia 15 do mês
ter seus direitos previdenciários cerceados por subsequente ao recebimento dos honorários.
omissão do tomador dos serviços. Para tanto, é Além da GPS, o Advogado deverá informar seus
aconselhável ao Advogado Associado que exija do ganhos à Receita Federal, por meio do Carnê Leão,
escritório os relatórios mensais de pagamentos e a com vistas ao recolhimento do IRPF em caso de
RPA – requisição de Pagamento Autônomo, como enquadrar-se acima da faixa de isenção, na forma da
forma de comprovar, no futuro, o direito e a retenção legislação tributária.

26 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 27


Apurar o Valor
dos Salários-de-
-contribuição

Cálculo dos Benefícios Atualizar


pelo INPC
Previdenciários
Excluir os 20%
Com vistas a manter o equilíbrio econômico e
Menores B.C.
financeiro do sistema de previdência do RGPS, os
benefícios serão calculados com base na média
Atualizadas
contributiva do segurado ao sistema. Dessa forma, o
benefício previdenciário deve refletir os salários-de- Média Aritméti-
contribuição, retornando ao segurado todo o aporte ca Simples
de investimento que fizera.
Os meses compreendidos entre a primeira e a última
contribuição ao sistema é chamado de Período Básico
Esse cálculo não poderá resultar em valor inferior ao
de Cálculos – PBC. Ao apurar todos os salários-de-
salário-mínimo ou superior ao teto do INSS.
contribuição, o próximo passo é atualizá-los mês
Portanto, a advocacia deve estar ciente de que sua
a mês pelo INPC. Em seguida, devem ser excluídos
aposentadoria pública futura será correspondente ao
os 20% menores salários-de-contribuição, fazendo
que foi contribuído ao longo de sua vida laboral.
uma média aritmética simples dos 80% maiores.
Ademais, o valor máximo de benefício a ser recebido
Após a apuração da média, aplica-se o coeficiente de
pelo sistema público será no valor do teto do INSS
benefício, informado a seguir, e o fator previdenciário
(R$ 5.645,80 no ano de 2018), sendo importante a
(quando for obrigatório).
análise de uma complementação de aposentadoria
pela previdência privada, caso haja o interesse de
recebimento de valor acima desse patamar.

28 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 29


Continuação.
C) Reduzido em 5 anos o limite de
idade para os trabalhadores rurais
Quais são os Benefícios de ambos os sexos e para os que
exerçam suas atividades em regime
...
Previdenciários? de economia familiar, nestes incluídos
o produtor rural, o garimpeiro e o
pescador artesanal, (art. 201, § 7. II,
da CF).
O advogado segurado do INSS, ou seus dependentes,
tem direito aos seguintes direitos: aposentadoria por Beneficiários Todos os segurados do RGPS
idade; aposentadoria por tempo de contribuição;
aposentadoria especial (caso trabalhe em ambiente A) 180 contribuições mensais para os
insalubre); aposentadoria à pessoa com deficiência; segurados inscritos após 24.07.1991;
auxílio-doença; aposentadoria por invalidez; B) Tabela Progressiva do art. 142 da
auxílio acidente; pensão por morte; auxílio-reclusão; Lei nº 8.213/1991: para os segurados
salário-maternidade; e salário-família. inscritos antes de 24.07.1991;
Seguem os principais requisitos para cada tipo de C) O trabalhador rural deve comprovar
benefício: Carência o efetivo exercício de atividade rural,
ainda que de forma descontínua,
no período imediatamente anterior
ao requerimento do benefício ou,
1) Aposentadorias Voluntárias: conforme o caso, ao mês em que
A) Aposentadoria por Idade cumpriu o requisito etário, por
tempo igual ao número de meses
de contribuição correspondente à
carência do benefício pretendido.

Aposentadoria por As regras gerais da aposentadoria por


Benefícios Idade Código da idade encontram-se no art. 201 da CF,
Espécie (Inss) : B-41 Legislação nos arts. 48 a 51 da Lei 8.213/1991 e nos
arts. 51 a 55 do Decreto nº 3.048/1999.

A) Homem:
Evento 65 Anos + Carência;
Gerador B) Mulher:
60 Anos + Carência;

Continua...

30 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 31


Continuação.

• Todos os segurados do RGPS, salvo o


B) Aposentadoria por Tempo de Contribuição segurado especial.

• O contribuinte individual, o
microempreendedor individual e o
Aposentadoria por Tempo de segurado facultativo (inclusive a dona
Benefício Contribuição Código da Beneficiários de casa de baixa renda) que optarem
pela contribuição com alíquota
Espécie (Inss): B-42
reduzida não farão jus à aposentadoria
por tempo de contribuição, salvo se
A) Homem: complementarem as contribuições
35 anos de contribuição + carência de feitas em alíquota menor que a regra
180 meses; geral.
Evento B) Mulher:
Gerador 30 anos de contribuição + carência de A) 180 contribuições mensais para os
180 meses; segurados inscritos após 24.7.1991;
C) Professores: 5 anos a menos no
período de contribuição. Carência B) tabela progressiva do art. 142 da Lei
nº 8.213/91: para os segurados inscritos
antes de 24.7.1991.
O Segurado que em 16.12.1998 não
havia complementado o tempo mínimo As regras gerais para aposentadoria
exigido para aposentadoria por por tempo de contribuição encontram-
tempo de contribuição, tem direito a se no art. 201 da CF, na EC nº 20/1998,
Legislação nos arts. 52 a 56 da Lei 8.213/1991,
aposentadoria proporcional desde que
Aposentadoria cumprida a carência e os seguintes e nos arts. 56 a 63 do Decreto nº
requisitos de forma cumulativa: 3.048/1999.
Proporcional
pelas Regras A) idade: 53 anos para o homem e 48
de Transição anos para a mulher; C) Aposentadoria Especial
da Emenda
B) tempo de contribuição: 30 anos de
Constitucional contribuição para o homem e 25 anos Aposentadoria Especial
nº 20/1998 de contribuição para a mulher; Benefício Código da Espécie
C) tempo de contribuição adicional: (INSS): B-46
equivale a 40% (quarenta por cento) do
tempo que, em 16.12.1998, faltava para Trabalho em condições prejudiciais à
Evento
atingir o limite de contribuição. saúde ou à integridade física, por 15, 20
Gerador ou 25 anos, conforme o caso.

Continua... Continua...

32 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 33


Continuação. Continuação.
I – quinze anos: • A caracterização e a comprovação
do tempo de atividade sob condições
- Trabalhos em mineração subterrânea, especiais obedecerá ao disposto
em frentes de produção, com exposição na legislação em vigor na época da
à associação de agentes físicos, prestação do serviço.
químicos ou biológicos. Comprovação
de Exposição • Será feita por formulário denominado
II – vinte anos: Perfil Profissiográfico Previdenciário
aos Agentes
(PPP), preenchido pela empresa ou seu
... A) trabalhos com exposição ao agente Nocivos preposto, com base em Laudo Técnico
químico asbestos (amianto); ou de Condições Ambientais do Trabalho
(LTCAT) expedido por médico do
B) trabalhos em mineração subterrânea, trabalho ou engenheiro de segurança
afastados das frentes de produção, do trabalho.
com exposição à associação de agentes
físicos, químicos ou biológicos.
As regras gerais da aposentadoria
III – vinte e cinco anos: demais especial encontram-se no art. 201
hipóteses. Legislação da CF, nos arts. 57 a 58 da Lei nº
8.213/1991 e nos arts. 64 a 70 do
Decreto nº 3.048/1999.

• Será devido ao segurado empregado,


trabalhador avulso e contribuinte D) Aposentadoria aos Segurados com Deficiência
individual, este somente quando
cooperado filiado à cooperativa de
trabalho ou de produção (Decreto nº Aposentadoria aos Segura-
3.048/1999). Benefício dos com Deficiência Lei
Complementar Nº 142/2013
• Contribuinte individual: INSS limita o
Beneficiários reconhecimento até 29.04.1995.
Jurisprudência autoriza: Súmula nº A) Aposentadoria por Tempo de
62 da TNU: “O segurado contribuinte contribuição:
individual pode obter reconhecimento
de atividade especial para fins Evento • 25 (vinte e cinco) anos de tempo de
previdenciários, desde que consiga contribuição, se homem, e 20 (vinte)
comprovar exposição a agentes noviços
Gerador
anos, se mulher, no caso de segurado
à saúde ou integridade física”. com deficiência grave;
...

Continua... Continua...

34 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 35


Continuação.
• 29 (vinte nove) anos de tempo de
contribuição, se homem, e 24 (vinte 2) Benefícios por Incapacidade:
e quatro) anos, se mulher, no caso de A) Auxílio-Doença
segurado com deficiência moderada;

• 33 (trinta e três) anos de tempo de Auxílio-Doença Códigos da


contribuição, se homem, e 28 (vinte
e oito) anos, se mulher, no caso de Benefício Espécie (Inss): B-31 (Previden-
segurado com deficiência leve; ou ciário) ou B-91 (Acidentário)
... B) aposentadoria por idade: Incapacidade temporária para a
atividade laborativa decorrente de
• 60 (sessenta) anos de idade, se acidente ou doença.
homem, e 55 (cinquenta e cinco) anos
de idade, se mulher, independente Fato • Súmula n. 77 da TNU: “O julgador
do grau de deficiência, desde não é obrigado a analisar as
que cumprido tempo mínimo de Gerador
condições pessoais e sociais quando
contribuição de 15 (quinze) anos e não reconhecer a incapacidade do
comprovada a existência de deficiência requerente para a sua atividade
durante igual período. habitual”.

Todos os segurados do RGPS, salvo Todos os segurados do RGPS, para o


a aposentadoria por tempo de auxílio-doença previdenciário. No caso
Beneficiários contribuição que só é devida ao do auxílio-doença por acidente do
segurado especial que contribua Beneficiários trabalho (B-91), somente o segurado
facultativamente. empregado, inclusive o doméstico,
o trabalhador avulso e o segurado
especial.
Carência 180 contribuições mensais.
A) não é exigida, em caso de acidente
do trabalho, doenças ocupacionais e
As regras gerais da aposentadoria situações equiparadas, ou acidente
especial aos segurados portadores de de outra natureza, e no caso de
doenças tipificadas no art. 151 da Lei n.
deficiência encontram-se no art. 201 da Carência 8.213/91 como graves, contagiosas ou
Legislação CF, na Lei Complementar nº 142/2013,
incuráveis;
no Decreto nº 8.145/2013 e na Portaria
Interministerial SDH/MPS/MF/MOG/
AGU nº 1/2014. B) 12 contribuições mensais,
nos demais casos.
Continua...

36 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 37


Continuação. Continuação.
As regras gerais sobre o auxílio-doença
B) 12 contribuições mensais,
Legislação
encontram-se no art. 201 da CF, nos ... nos demais casos.
arts. 59 a 63 da Lei 8.213/1991, nos arts.
71 a 80 do Decreto nº 3.048/1999.
• Não será concedido o benefício,
caso o segurado já seja portador da
B) Aposentadoria por Invalidez enfermidade incapacitante antes de
sua filiação ao RGPS, salvo em caso
de progressão ou agravamento desta
Aposentadoria por Invalidez após o início da atividade laboral que o
Enfermidade vinculou ao Regime.
Códigos da Espécie (Inss):
Benefício Preexistente à
B-32 (Previdenciária); B-92 • “Não há direito a auxílio-doença ou
Filiação
(Acidentária). a aposentadoria por invalidez quando
a incapacidade para o trabalho é
Incapacidade permanente para toda preexistente ao reingresso do segurado
e qualquer atividade laborativa, no Regime Geral de Previdência Social”
insuscetível de reabilitação. (Súmula nº 53 da TNU).

Fato • Súmula nº 47 da TNU: “Uma vez


Gerador reconhecida a incapacidade parcial As regras gerais da aposentadoria por
para o trabalho, o juiz deve analisar invalidez encontram-se no art. 201 da
as condições pessoais e sociais
do segurado para a concessão de
Legislação CF, nos arts. 42 a 47 da Lei 8.213/1991
e nos arts. 43 a 50 do Decreto nº
aposentadoria por invalidez”. 3.048/1999.
Todos os segurados do RGPS, para
a aposentadoria por invalidez
previdenciária. No caso de C) Auxílio-Acidente
aposentadoria por acidente do
Beneficiários trabalho (B-92), somente o segurado
empregado, inclusive o doméstico, Auxílio- Acidente Códigos da
o trabalhador avulso e o segurado
especial. Espécie (Inss): B-36 (Previ-
Benefício
denciário) ou B-94 (Aciden-
A) não é exigida, em caso de acidente tário).
de trabalho (e situações equiparadas)
ou acidente de outra natureza, e no
Carência caso de doenças tipificadas no art.
• Segurado que sofre acidente e
Evento fica com sequelas que reduzem sua
151 da Lei nº 8.213/1991 como graves, capacidade de trabalho.
contagiosas ou incuráveis. Gerador
...
Continua...

38 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 39


Continuação.
3) Benefício de Proteção à Família e à
(c) a redução parcial e definitiva da
...
capacidade para o trabalho habitual Maternidade:
(sequela), e (d) o nexo causal entre o
acidente a redução da capacidade.
A) Pensão por Morte

Pensão por Morte Códigos


da Espécie (INSS): B-21
Carência Não é exigida. Benefício (previdenciário) ou B-93
(acidentário).
• É paga ao conjunto de dependentes
do segurado, segundo classificação do
O auxílio-acidente, por ter caráter art. 16 da Lei 8.213/91.
de indenização, pode ser acumulado
com outros benefícios pagos • A dependência econômica na classe
pela Previdência Social exceto 1 (cônjuges, companheiros, filhos
aposentadoria. Beneficiários menores de 21 anos ou inválidos) é
presumida e não admite prova em
• Súmula n. 507 do STJ: “A acumulação contrário.
Cumulatividade do auxílio-acidente com aposentadoria Dos dependentes da classe 2 (pais) e
pressupõe que a lesão incapacitante 3 (irmãos menores de 21 ou inválidos),
e a aposentadoria sejam anteriores a a dependência econômica deve ser
11/11/97, observado o critério do artigo comprovada.
23 da Lei 8.213/91 para definição do
momento da lesão nos casos de doença
Qualidade de segurado do de cujus e
profissional ou do trabalho”. Requisitos prova da dependência do requerente.

• óbitos anteriores a 05.04.1991: 12


contribuições mensais;
Carência
• óbitos a partir de 05.04.1991: não tem
período de carência.
As regras gerais sobre o auxílio-doença
encontram-se no art. 201 da CF, nos
Legislação arts. 59 a 63 da Lei 8.213/1991, nos arts. • As regras gerais sobre a pensão
71 a 80 do Decreto nº 3.048/1999. por morte encontram-se no art. 201
Legislação da CF, nos arts. 74 a 79 da Lei nº
8.213/1991 e arts. 105 a 115 do Decreto
nº 3.048/1999.

40 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 41


Continuação.
• Se a realização do casamento ocorrer
B) Auxílio-Reclusão durante o recolhimento do segurado
... à prisão, o auxílio-reclusão não será
devido, considerando a dependência
superveniente ao fato gerador.
Auxílio- Reclusão Código da
Benefício
Espécie (INSS): B-25 • A reclusão deverá ter ocorrido no
prazo de manutenção da qualidade de
Cumprimento de pena privativa da segurado.
liberdade (regime fechado, semiaberto
ou em prisão provisória) pelo segurado. • Ser segurado de baixa renda, segundo
critério instituído pela EC n. 20/1998.
• Equipara-se à condição de recolhido
Evento • A TNU fixou orientação no sentido
à prisão a situação do segurado com
Gerador idade entre 16 e 18 anos que tenha de que no momento de avaliar
sido internado em estabelecimento o preenchimento dos requisitos
educacional ou congênere, sob necessários à concessão do auxílio-
custódia do Juizado de Infância e da Requisitos reclusão, deve ser considerada
Juventude. a legislação vigente à época em
que ocorreu a prisão, e ainda, que
o benefício também é devido aos
dependentes do segurado que, na data
Dependentes do segurado recolhido à
do efetivo recolhimento, não possuía
prisão sob regime fechado, semiaberto
salário de contribuição – como no caso
ou em prisão provisória.
de desempregado – desde que mantida
a qualidade de segurado (PEDILEF
• Por Força de decisão judicial, ACP
5000221-27.2012.4.04.7016, j. em
2000.71.00.009347-0, foi garantido o
8.10.2014).
direito ao companheiro ou companheira
do mesmo sexo, para eventos ocorridos
Nos termos da Lei 8.213/1991, não há
Beneficiários a partir de 5.4.1991, desde que Carência necessidade de carência.
atendidas todas as condições exigidas
para o reconhecimento do direito a
esse benefício. Valor Limite para A partir de 01/01/2018, será de R$
Direito ao Auxílio- 1.319,18 - Portaria Ministerial n. 15 de
• O filho nascido durante o -Reclusão 16/01/2018.
recolhimento do segurado à prisão terá
direito ao benefício de auxílio-reclusão As regras gerais sobre a pensão por
a partir da data do seu nascimento. morte encontram-se no art. 201 da CF,
Legislação nos art. 80 da Lei nº 8.213/1991 e arts.
116 a 199 do Decreto nº 3.048/1999.
Continua...

42 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 43


Continuação.

• Para a segurada especial exige-se a


C) Salário-Maternidade
... comprovação da atividade rural nos 10
meses anteriores ao parto.

Salário-Maternidade Código
Benefício As regras gerais do salário-
a Espécie (Inss): B-80 maternidade encontram-se no art. 201
Legislação da CF, nos arts 71 a 73 da Lei 8.213/1991
O parto, inclusive de natimorto, o
Evento e nos arts. 93 a 103 do Decreto nº
aborto espontâneo, a adoção ou a 3.048/1999.
Gerador guarda judicial para fins de adoção.

• Seguradas de todas as espécies e, a


partir da Lei 12.873/2013, também os D) Salário-Família
segurados do sexo masculino, estes
em caso de adoção ou guarda para
fins de adoção, e ainda nos casos de
falecimento da segurada ou segurado Benefício Salário-Família
(cônjuge ou companheiro/a) que
fizera jus ao recebimento do salário-
Ter o segurado (de baixa renda) filhos
Beneficiários
maternidade originariamente. Evento
ou pessoas equiparadas até 14 anos de
Gerador idade, ou inválidos com qualquer idade.
• Ressalvado o pagamento do salário-
maternidade à mãe biológica, não
poderá ser concedido o benefício a Segurados empregados de baixa renda,
mais de um segurado, decorrente do observado o valor previsto por Portaria
mesmo processo de adoção ou guarda, à época da concessão do benefício;
ainda que os cônjuges ou companheiros Beneficiários aposentados por invalidez ou idade,
estejam submetidos a Regime Próprio urbanos ou rural; e demais aposentados
de Previdência Social. com mais de 65 anos, se homem, ou 60
anos, se mulher.
Para as seguradas empregadas,
domésticas e avulsas, não é exigida.
• Para as seguradas facultativas e
contribuintes individuais, é exigida a As regras gerais do salário-família
Carência carência de 10 contribuições mensais, encontram-se no art. 201 da CF, nos
reduzindo-se proporcionalmente em Legislação arts. 65 a 70 da Lei nº 8.213/1991, nos
caso de parto antecipado. arts. 81 a 92 do Decreto nº 3.048/1999.
...

Continua...

44 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 45


Continuação.
Além dos requisitos necessários para cada espécie
de benefício, é importante saber quais são as regras Aposentadoria por 70% = 1% a cada 12
idade contribuições
de cálculo para se compreender quanto será pago a
título de prestação previdenciária pelo sistema. Segue
tabela indicativa:
Pensão por morte 100%

Renda Mensal Inicial


Coeficiente Aplicado Auxílio-reclusão 100%
Espécie de
Sobre o Salário de
Benefício
Benefício
Salário-maternidade 100%
91% limitado à média das 12
Auxílio-doença últimas contribuições
Não são calculados com base
no Salário de Benefício, mas
Aposentadoria por sim em regra específica a
Aposentadoria por tempo de contribuição depender do tipo de segurada
100%
invalidez (proporcional) (última remuneração,
ou média dos 12 últimos
contribuições, etc)
Auxílio-acidente 50% Não são calculados com
base no Salário de Benefício,
mas sim em valor definido
Salário-família anualmente pelo governo
Aposentadoria por correspondente a cotas por
100%
tempo de contribuição filho.

Aposentadoria por
70% + 5% a cada ano de
tempo de contribuição
(proporcional)
contribuição Previdência Privada
Aposentadoria Para uma aposentadoria mais tranquila, com
100%
especial rendimentos adicionais aos percebidos pela
Continua...

46 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 47


previdência pública, é de se avaliar a adesão a um Roraima, além de Minas Gerais. São instituidoras do
plano de previdência privada. PBPA as OABs e CAAs de todas as seccionais citadas.
Existem várias possibilidades no mercado, entre A entidade está submetida à Lei Complementar
entidades abertas e fechadas de previdência Nº 109, de 29 de maio de 2001, e é fiscalizada
complementar, e a advocacia deve conhecer seu pela Superintendência Nacional de Previdência
regramento antes de fazer a opção por esse tipo de Complementar (Previc).
investimento.
Uma opção a ser considerada pela advocacia é a Como funciona?
OABPrev, entidade fechada, específica para o grupo
de advogados, estagiários inscritos na OAB, seus Ter um plano de previdência da OABPrev é como ter
familiares e dependentes, que inclui também os uma “poupança”. É um investimento de longo prazo e
advogados do Distrito Federal. uma forma de investir em renda futura, em que você
pode acompanhar, por meio de extratos e pelo site da
OABPrev, a rentabilidade de seus investimentos.
OAB Prev
O valor mínimo de contribuição atualmente (2018)
O que é a OAB Prev? é de R$ 98,00 para advogados; de R$ 70,00 para
jovens advogados, e de R$ 50,00 para dependentes
Com quase 14 anos de existência, o Fundo de Pensão até 18 anos de idade. O participante pode, a qualquer
Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do momento, realizar aportes extras para incrementar o
Brasil, OABPrev, é uma entidade instituidora sem fins seu saldo.
lucrativos que realiza a gestão do Plano de Benefícios
Previdenciários dos Advogados (PBPA) e tem como O que é PBPA?
finalidade levar conforto, tranquilidade e segurança
aos advogados, estagiários inscritos na OAB, seus É o Plano de Benefícios Previdenciários dos
familiares e dependentes. Advogados que tem por objetivo oferecer
A OABPrev possui sede administrativa localizada em cobertura complementar aos riscos sociais
Belo Horizonte (MG) e sua atuação se estende às básicos: Sobrevivência (na forma de aposentadoria
seccionais da OAB e da CAA do Distrito Federal e dos programada), Invalidez (na forma de aposentadoria
estados do Acre, Amapá, Espírito Santo, Maranhão, por Invalidez Total e Permanente), Morte (na forma
Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e de Pensão por Morte aos Beneficiários designados

48 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 49


pelo participante ativo), Pensão por Morte aos permite que a OABPrev assuma essas coberturas por
Beneficiários designados pelo participante assistido) causa do risco atribuído a essas instituições.
e Renda Educacional.
Quais são os benefícios previdenciários oferecidos
Como são feitas as contribuições? pela OABPrev?

CONTRIBUIÇÃO BÁSICA - É a contribuição que você


define quando entra no plano para acumular recursos BENEFÍCIOS OABPrev
pensando na aposentadoria programada. Ela compõe
o saldo de contas, é obrigatória e tem um valor
Requisitos: ter pelo menos 50
mínimo estabelecido pela OABPrev. Aposentadoria
anos de idade e 24 meses de
Programada vinculação ao plano.
CONTRIBUIÇÃO EXTRA - Contribuição livre e
opcional que também compõe o saldo de contas. O Requisitos: preencher as
valor mínimo acompanha o mínimo vigente mensal condições previstas no
definido para a Contribuição Básica. A Contribuição regulamento da OABPrev para
Aposentadoria por a caracterização da invalidez
Extra (ou Eventual) é um instrumento importante Invalidez Total e permanente e total, com base
de que o participante pode se valer para aumentar Permanente em conclusão médica ou
seu saldo de conta ou mesmo para se beneficiar da reconhecimento, por parte
da Previdência Social, da
dedução fiscal, caso faça opção pela declaração condição de inválido.
completa do Imposto de Renda. Por este motivo, a
OABPrev lança campanhas periódicas estimulando
os participantes a incrementarem sua poupança Pensão por Morte de Requisitos: falecimento do
Participante Ativo participante.
previdenciária por intermédio da contribuição
(aporte) extra.
Pensão por Morte de Requisitos: falecimento do
Participante Assistido participante.
CONTRIBUIÇÃO DE RISCO - O participante pode
optar pelas coberturas adicionais de risco de
aposentadoria por invalidez total e permanente e de
risco de pensão por morte. A atual legislação não

50 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 51


Importante ressaltar que o participante da OABPrev
tem direito aos institutos da PORTABILIDADE
(transferência dos valores aportados para outros
fundos) e do RESGATE (saque dos valores aportados,
desde que cumprido o prazo mínimo de carência do
plano).

Ademais, o participante da OABPrev tem direito


à dedução das contribuições mensais, para fins
de apuração do Imposto de Renda, na declaração
completa, até o limite de 12% do rendimento anual
durante o período de acumulação.

Qual a diferença entre a OABPrev e a Previdência


Pública do INSS?

A Previdência Pública do INSS é distinta da


Previdência Privada, ou seja, da OABPrev. Enquanto a
primeira é obrigatória e protege o cidadão até o valor
do teto do INSS, a OABPrev é facultativa e pagará
ao participante benefício conforme o planejamento
do participante, que verterá contribuições pré-
definidas ao longo do tempo para formar um capital
que servirá para recebimento de sua aposentadoria
complementar futura.

52 Previdência para a Advocacia Previdência para a Advocacia 53


SITUAÇÃO
Um advogado de 30 anos de idade decide adquirir o plano de pre-
vidência da OABPrev a uma taxa de juros projetada a 6% a.a. e sal-
do inicial de R$ 20.000,00. Confira o saldo que ele acumulará da-
qui a 30 anos de acordo com cada opção de contribuição mensal.

SALDO ACUMULADO PROJETADO


R$ 541.683,94

Planejando seu futuro R$ 377.405,42


R$ 459.544,68

R$ 295.266,16

POR QUE INVESTIR EM PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR R$ 213.126,90

É TÃO IMPORTANTE?

O brasileiro já entendeu que é necessário poupar hoje para garantir um


futuro com mais tranquilidade financeira. Por isso, a Previdência Comple- R$ 150,00 R$ 250,00 R$ 350,00 R$ 450,00 R$ 550,00
mentar Fechada cresce a cada ano.
Na prática, os planos de previdência funcionam como uma “poupança”. São Quanto mais cedo você investir, maior será o valor mensal a ser
investimentos de longo prazo e uma forma flexível e transparente de in- recebido no futuro.
vestir.
DADOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL
Conheça o melhor plano de previdência para advogados.

PREVIDÊNCIA SOCIAL
NO BRASIL - INSS
Como você vai estar Agende uma visita pelo site
quando se aposentar?
www.caadf.org.br
1%
ou entre em contato por telefone:
A SITUAÇÃO DOS
NOSSOS APOSENTADOS Fernandes: (61) 98127.7047
25%
 Dependem de parentes Hugo Vital: (61) 981317710
46%
 Dependem de caridade

28%  São obrigados a trabalhar


Unimed Seguradora S.A. - CNPJ/MF 92.863.505/0001-06 - Reg. SUSEP 694-7 PARCERIA:
 São independentes Alameda Ministro Rocha Azevedo, 346 - Cerqueira César • CEP: 01410-901
• São Paulo – SP - Atendimento Nacional: 0800 016 6633 | Atendimento ao
Deficiente Auditivo: 0800 770 3611 - Ouvidoria: www.segurosunimed.com.br/
ouvidoria ou ligue 0800 001 2565 - www.segurosunimed.com.br
56 Previdência para a Advocacia