Вы находитесь на странице: 1из 36

GUIA PRÁTICO DO PROFESSOR GRÁTIS

4 pôsteres
especiais de apoio!

TA

DO•ED
OR •
U

TÃO DISTANTE
E TÃO PRÓXIMO
NÚMERO 107 - PREÇO R$ 6,90

Será que as crianças sabem que o meio


ambiente começa no entorno da escola?
Fada invernal
Ludicidade, contação Dengue, Séries iniciais
Reconhecimento de
Vamos festejar?
Dia do
de histórias e NÃO!!! letras e pequenas
palavras. A sua
Correio
arte para Esclareça turma lê bem? Aéreo
sobre a doença, Nacional
saudar o o mosquito e faça Percepção musical e as tradicionais
inverno uma mosqueteca
Vamos estudar a altura das notas
por meio de gestos corporais! festas juninas...

INCLUSÃO: EUGÊNIO CUNHA EXPLICA AS DIFICULDADES QUE DEIXAM O ALUNO FRAGILIZADO


4
Entrevista
Entenda o que é inclusão e
diversidade com a ajuda do
educador Eugênio Cunha
Olá, professor!
Junho é um mês inspirador! Além das tão esperadas festas juninas, ele
Matéria de capa

8
Apesar de o tema ser bastante
já prenuncia as avaliações do semestre e as férias que estão quase chegando.
discutido na escola, será que as Mas ainda há tempo de apresentar às crianças o conceito de meio ambiente
crianças sabem, realmente, o
que é meio ambiente? para que entendam que todos nós somos parte da natureza. Assim, antes de
quererem preservar o planeta Terra, elas aprenderam a cuidar do entorno da
própria escola e do lugar onde moram – a busca de soluções, com certeza, já
Oficina de

12
ajudará o mundo.
criatividade Na prática, sugerimos a criação de decorações para as tradicionais come-
Leve a magia das fadas
à escola morações do mês, incluindo um envelope alusivo ao Dia do Correio Aéreo
Nacional, que se transforma em um pequeno avião para a criançada montar.
Ensinamos como fazer um artefato que interrompe o ciclo do mosquito da

14
Ciências dengue que, se disseminado pela comunidade, combate o inseto transmissor
As crianças vão criar um da doença em progressão geométrica. Propomos também a preparação de
artefato que impede o ciclo de
vida do mosquito da dengue um joguinho simples que lhe ajudará avaliar o reconhecimento das letras
e das pequenas palavras entre as séries iniciais e de uma atividade física
que permite a identificação da altura das notas musicais a partir de gestos

18
Português corporais. Para finalizar, entre outras opções, ainda temos a seção destinada
Nesta edição: o
à formação do professor para que seja aproveitada em todos os detalhes.
reconhecimento lúdico de
letras e pequenas palavras Até a próxima edição! Da esquerda para a direita:
Morgana Gomes Thais H. Kulczar, Ilza Araujo
V. dos Santos, Renata Ap.
redação@2deditora.com.br Julia Alves Idalino, Rita
Magali Costa, Fabiana B. G.

20
Educação musical T. Domingues e Jô Muniz
Atividade para a identificação
da altura das notas a partir de
gestos corporais
Cenário do mês ................................
Desta vez, estivemos no Colégio Raposo Tavares
(que fica na Rua Paolo Agostini nº 650, Parque Ipê,
Datas zona oeste de São Paulo), cuja proposta pedagógica

22
comemorativas
Itaci Batista

tem como finalidade transformar os alunos em


Em junho, temos o Dia do Correio
Aéreo Nacional e as tradicionais
cidadãos éticos e atuantes, que acreditam no papel
festas juninas, cada qual com suas modificador que podem exercer na qualidade de
respectivas atividades manuais
grandes agentes da construção de um mundo melhor.

Projeto do leitor

28
O Centro da Dinâmica de Ensino
(Cede) mostra como é possível Projeto do leitor
estimular e ainda incluir alunos DI O Centro da Dinâmica de Ensino (Cede), no qual os projetos de
por meio da arte
arte já fazem parte do plano de aula dos professores, mostra como
estimular crianças e jovens com deficiência intelectual (DI) a partir
de atividades artísticas que os ajudam expressar seus sentimentos,
exteriorizar suas emoções e desenvolver a própria criatividade.
Biopsicoética

30
Como todos precisam de novas ideias, faça como eles: compartilhe
da Educação seus trabalhos com outros professores! Para tanto, envie-nos um
Espaço dedicado à formação
do professor descritivo de seu projeto, acompanhado por fotos em alta resolução que, logo,
ele também estará em nossas páginas!

Rua Professor Sousa Barros, 197


Planalto Paulista – São Paulo/SP – CEP 04307-100
Matemática

33 Pura lógica: as crianças redacao@2deditora.com.br


vão aprender um truque
divertido que requer muita
concentração... Pôsteres
1. Riscos das 2. Dicas para 3. Meio ambiente 4. Dez Sapos,
atividades interromper o ciclo do de Quentin Blake

34
Para saber + mosquito da dengue
Materiais didáticos e
paradidáticos, além de dica de site
sobre “Vida Sustentável – Ecologia,
Reciclagem e Sustentabilidade”
Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 3
Entrevista

Objetivo:
H Propiciar uma maior
reflexão sobre a prática
docente, que requer
o trabalho com a
diversidade e a inclusão de
alunos com necessidades
educacionais especiais.

Faixa etária:
Professores em geral.

Dica de
leitura!
H Práticas Pedagógicas para
Inclusão e Diversidade

digitalscribbler.com
O livro de Eugênio Cunha é
primordial para o professor
que não sabe o que fazer
quando recebe alunos com

x
necessidades educacionais
especiais em sua sala de
aula. Como resultado de
experiências pedagógicas

Inclusão e
vivenciadas pelo próprio
autor, ele busca responder
questões presentes no
cotidiano escolar, entre as
quais como educar e incluir.
Afinal, propiciar uma práxis
inclusiva é reconhecer que

diversidade
a inclusão se refere, em sua
essência e legitimidade,
a toda a Educação. Logo,
também é relevante a
compreensão de que os
alunos adquirem identidade
própria. Segundo Cunha,
todos nós possuímos traços
particulares que, ao mesmo
tempo, distinguem-nos
e nos aproximam. Como
Será que o professor, de um modo geral, já se mostra capaz de pautar
características indissociáveis
da condição humana,
sua prática pedagógica de acordo com a diversidade que, por vezes,
eles devem fazer parte
das ações educativas na
implica na inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais?

T
construção de uma escola
para a diversidade. Com odos os docentes sabem que a aprendizagem as dificuldades de aprendizagem expressam um
160 páginas, o exemplar
custa R$ 30,00. é um processo complexo que proporciona grupo heterogêneo de desordens que impedem a
Mais informações: mudanças no interior do aluno para, depois, percepção, a compreensão e a aquisição de saberes
Editora Wak (www.
wakeditora.com.br) manifestar-se exteriormente, por meio de ações que, por sua vez, podem ser de natureza cognitiva,
cognitivas, emocionais e comportamentais. Já neurológica, motora, emocional ou social.

4 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Sobre a lei
nº 7.853/89
Dispõe sobre o apoio às
pessoas portadoras de
deficiência e sua integração
social. Define como crime
recusar, suspender, adiar,
cancelar ou extinguir a
matrícula de um estudante
por causa de sua deficiência,
em qualquer curso ou nível
de ensino, seja ele público
ou privado. A pena para o
infrator pode variar de um
ano a quatro anos de prisão,
mais multa.
www.themobilityresource.com

Estatuto da
Criança e do
Adolescente
Partindo dessas duas definições, o professor
(ECA)
“Em termos práticos, quando eu Em seu artigo 55, reforça
Eugênio Cunha explica que são as dificuldades os dispositivos legais
educo um aluno com deficiência, citados na lei nº 7.853/89,
que deixam o aluno fragilizado, com pouca
autoestima, sem confiança, angustiado e
eu estou trabalhando a ao determinar que “os
pais ou responsáveis têm

com outros transtornos emocionais. Mas para


diversidade e incluindo” a obrigação de matricular
seus filhos ou pupilos na
contornar essa situação, há três etapas do trabalho Independentemente do aluno, a prática rede regular de ensino”.

pedagógico que se aplicam em qualquer contexto combinada dessas três ações resulta no
da Educação e que são imprescindíveis diante das fazer pedagógico, conforme explica o nosso
dificuldades do educando: entrevistado: “É natural que antes de educar
haja observação e avaliação das características,

1. Observação – Durante essa fase, o


professor deve procurar conhecer seu
aluno, suas necessidades e virtudes; e ainda
dificuldades e possibilidades do estudante,
e do instrumental pedagógico disponível
no ambiente escolar. Logo, mediar é fazer
registrar o que vê, porém sem a preocupação a interlocução entre o aluno e o saber a ser
inicial da interpretação dos dados. Com conquistado. É transformar a intenção de
a prática, é possível chegar às qualidades ensinar em prática docente”.
e também às limitações do educando. No A partir dessa contextualização, acompanhe a Dica de
entanto, apesar das dificuldades apresentadas, entrevista com Eugênio Cunha: leitura!
H Gosto de ser eu mesmo
são as virtudes e possibilidades que deverão O livro de Jennifer
fundamentar o trabalho pedagógico a partir Guia Prático para o professor do Ensino Moore-Mallinos mostra
as situações pelas quais
de então. Fundamental I – Muito se fala em inclusão e passa uma criança que
utiliza a cadeira de rodas,
diversidade, mas poucos sabem a definição dos bem como alguns de seus

2. Avaliação – É o momento em dois termos. O senhor poderia nos explicar ao sentimentos, especialmente
o desejo de pertencer a um
que se busca compreender como que cada um deles corresponde? grupo e ser aceito pelos
o aprendente se comporta diante dos Eugênio Cunha – A diversidade se refere à colegas. Ao lê-lo, as crianças
ampliarão a compreensão
instrumentos de ensino e aprendizagem. heterogeneidade discente; saberes, culturas etc. das dificuldades que
outros enfrentam
Portanto, a avaliação deve ser usada com É trabalhar com a diferença, com a multiplicidade e ainda perceberão
o objetivo de melhorar decisões futuras e de comportamentos e com formas diferentes que a perseverança,
a determinação e o
ainda para traçar novas estratégias. de aprender. Envolve, acima de tudo, alunos trabalho levam qualquer
com necessidades educacionais especiais. Já a pessoa ao sucesso,
independentemente do

3. Mediação – É por meio dela que o


docente realiza sua prática pedagógica,
em consequência da observação e da avaliação.
inclusão é o trabalho pedagógico que atenta para
essa diversidade. Em termos práticos, quando
eu educo um aluno com deficiência, eu estou
desafio a ser superado.
Editora: Escala Educacional
Preço: R$ 28,00
Onde encontrar: www.
escalaeducacional.com.br
trabalhando a diversidade e incluindo.

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 5


Entrevista

Sobre a
Educação
inclusiva
Ela atenta à diversidade
inerente à espécie humana,
com o objetivo de perceber
e atender as necessidades
educativas especiais dos
alunos, que frequentam
salas de aulas comuns
em estabelecimentos de
ensino regulares, com a
finalidade de promover
a aprendizagem e o
desenvolvimento pessoal de
todos em conjunto.

psalm139verse14.blogspot.com
Conceito de
Necessidades
Educativas
Especiais (NEE)
Ele foi adotado a partir de
1978, com a formulação
no “Relatório Warnock”,
que foi apresentado ao
EF – Os docentes de escola pública já se “... incluir verdadeiramente, entre
parlamento do Reino Unido, mostram capazes de realizar um trabalho outras coisas, é dar autonomia,
depois que o 1º comitê de inclusão?
britânico, constituído para emancipar, comunicar saberes,
reavaliar o atendimento aos Cunha – Existem escolas com bons trabalhos,
deficientes, concluiu que que são atributos essenciais à
professores interessados e capacitados,
20 % das crianças Educação de qualidade”
apresentam NEE em algum mas, infelizmente, não é a maioria. É preciso
período de sua vida escolar.
maior investimento dos governos (municipal,
estadual e federal) na formação docente, inicial e Jeito Diferente de Aprender, um Jeito Diferente
continuada, além de investimento nos de Ensinar aborda justamente esse aspecto da
espaços escolares. aprendizagem escolar, que é comum a todos os
aprendentes. Quanto ao estímulo familiar, é a
EF – Qual a diferença entre incluir e educar? mesma coisa. A família deve ser parceira da escola
Cunha – Eu costumo dizer que são duas ações independentemente se o aluno tem dificuldades
que andam juntas. Quando eu verdadeiramente de aprendizagem ou não.
educo, eu incluo o meu aluno. Nada melhor para
incluir do que uma boa Educação. Da mesma EF – Considerando que o preconceito é
forma, quando eu incluo, eu educo, pois incluir aprendido com adultos com os quais a criança
verdadeiramente, entre outras coisas, é dar convive, em sala de aula, como o professor
autonomia, emancipar, comunicar saberes, que deve proceder para que haja a aceitação
são atributos essenciais à Educação de qualidade. e consequente inclusão de um aluno com
Portanto, são duas ações que não se separam. necessidades educacionais especiais?
Cunha – Fazendo um pouco o que falamos
EF – Como explicar para um pai que seu filho na primeira pergunta: trabalhar a diversidade.
poderá ser incluso, mas que o aprendizado dele Explicar para pais, professores e alunos que as
se dará de forma diferente das outras crianças e nossas diferenças são as nossas semelhanças. É
ainda dependerá do estímulo familiar? natural ser diferente, então, não devemos ter
Cunha – Aprender diferentemente é preconceitos, mas aceitar as pessoas como elas
algo comum a todo ser humano. Cada aluno são. Para isso, o professor poderá mostrar que
aprende de forma diferente. Cada aluno reage todos têm suas diferenças. As diferenças que
diferentemente diante do conhecimento. O estão em nós devem ser somadas, e não excluídas,
meu livro mais recente Autismo na Escola: um para formar a diversidade escolar.

6 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


A amplitude
do conceito
de NEE
Posteriormente, redefinido
pela Declaração de
Salamanca (Unesco,
1994), ele se tornou mais
amplo e, então, passou
a abranger tanto as
crianças em desvantagem
de aprendizado como as
chamadas superdotadas,
bem como as de rua, as
de situação de risco, que
trabalham, vivem em
populações remotas ou
nômades, pertencem
a minorias étnicas ou
culturais, são desfavorecidas
ou marginais, além
daquelas que apresentam
problemas de conduta e de
ordem emocional.
Istockphotos

“... as nossas diferenças são as materiais concretos, coloridos, lúdicos e sensoriais. Na


nossas semelhanças” verdade, foi a partir da criança que Maria Montessori
concebeu a sua maneira de ensinar.
EF – A metodologia montessoriana ainda
continua ligada às crianças com deficiência EF – Quais as considerações finais que o
ou seus inúmeros benefícios já são aceitos senhor poderia fazer sobre o tema?
normalmente para o aprendizado infantil? Cunha – Eu vejo a escola inclusiva como uma
Cunha – A pedagogia montessoriana traduz muito orquestra, com instrumentos distintos, em que o Dica de
leitura!
bem o sentido universal da Educação, pois um mesmo aluno com necessidades educacionais especiais não H Autismo e Inclusão
material pode ser utilizado por todos os alunos, com é um ser solitário compondo uma música que só ele – Psicopedagogia e
Práticas Educativas na
refinamentos diferentes, de acordo com a capacidade ouve. Ele faz parte dessa orquestra, cujo maestro Escola e na Família
Na prática docente
de cada um. Isso torna a metodologia montessoriana é o seu desejo, pois é para ele que o aluno sempre é possível perceber
muito atual para a escola regular ou especial. É olha. E o professor? O professor é o músico que dá dificuldades para a
elaboração de um currículo
muito pertinente para a Educação Infantil, pois traz vida ao ritmo que sustenta a música até o fim. com atividades adequadas
e funcionais para alunos
com autismo, que favoreça
a inclusão escolar e social.
Mas o livro de Eugênio
Sobre Eugênio Cunha Cunha mostra que há nos
processos de aprendizagem
Doutorando e mestre em Educação, possibilidades que
demandam a atuação
psicopedagogo, jornalista, palestrante, coletiva e a dedicação
pesquisador do GRUPPE/UFF/CNPq, professor do espontânea, que são
movidas por uma teia de
Sistema Montessori e da Faculdade Cenecista de desejos e aspirações. Em
Itaboraí, ele ainda trabalha na educação de alunos meio a esse movimento
de afetos e sonhos, que
com dificuldades de aprendizagem e necessidades vai além da condição
educacionais especiais. Também é autor dos limítrofe do autista, o
docente pode estabelecer
seguintes livros: Afeto e Aprendizagem, Autismo a natureza de aprendente
e Inclusão, Afetividade na Prática Pedagógica e e os atributos necessários
para educá-lo tanto pelo
Arquivo Pessoal

Práticas Pedagógicas para Inclusão e Diversidade, exemplo quanto pelo


todos publicados pela Wak Editora. Para obter amor. Com 140 páginas, o
exemplar custa R$ 20,00.
mais informações sobre o entrevistado desta Mais informações:
edição, acesse: www.eugêniocunha.com. Editora Wak (www.
wakeditora.com.br).

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 7


Matéria
de capa

Objetivo:
H Permitir a compreensão
do que é meio ambiente
a partir do entorno da
escola e do local onde as
crianças moram.

Faixa etária:
Crianças partir do 1º ano.

Dica de
leitura!
H Meio Ambiente
e Sociedade O meio
Wikimedia Commons
O que é meio ambiente?

ambiente
O que são ecossistema e
biodiversidade? Por que
a questão energética é
tão importante para a
ecologia? O crescimento
populacional ameaça o
meio ambiente? O que
podemos fazer pela saúde
do planeta? O livro de
Marcelo Leite responde a Comemorado em 5 de junho, o tema é sempre discutido na escola... Mas
todas essas perguntas para
que as crianças entendam será que as crianças realmente sabem o que é meio ambiente?
alguns pontos, sobre os

D
quais podem e devem e acordo com a Conferência das Nações Embora esse enunciado seja o oficial,
atuar para melhorar o
mundo em que vivemos e, Unidas sobre o Meio Ambiente, ocorrida em dificilmente, as crianças irão entendê-lo. Portanto,
assim, preservar as espécies
existentes nele. Com Estocolmo (Suécia), no ano de 1972, “meio no momento de se referir ao tema, explique que
48 páginas, o exemplar ambiente é o conjunto de componentes físicos, meio ambiente é tudo aquilo que abrange todas
custa cerca de R$ 33,00.
químicos, biológicos e sociais capazes de causar as coisas vivas e não vivas que podem afetar os
Mais informações: Editora
efeitos diretos ou indiretos, em um prazo curto ou homens, os animais e as plantas do nosso planeta
Ática (www.atica.com.br).
longo, sobre os seres vivos e as atividades humanas". ou de alguma região específica dele.

8 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Primeira atividade Sobre a
expressão Meio
Ambiente
Apesar de ser pleonástica,
pois uma ou outra palavra
já seria suficiente para
dar o sentido necessário
ao tema dentro de um
contexto próprio, a
expressão se tornou
muito difundida e, em
consequência, acabou
sendo aceita sem maiores
questionamentos.

O velho
problema
do lixo
Ele existe e persiste
desde os primórdios da
humanidade. Quando o
www.mybloggerspalace.com

homem ainda vivia no


interior das cavernas,
ele já coabitava com
os resíduos de caça e
restos de animais com
os quais se alimentava.
Depois, ao construir seus
primeiros povoados, ele
passou a jogar o lixo
em sua periferia. Com o
crescimento populacional,
além do entorno local,
Na intenção de ampliar o aprendizado os rios e, por fim, os
mares também passaram
infantil, além da teoria, parta para a a receber os detritos,
que hoje são vistos em
prática. De início, peça às crianças que qualquer canto do planeta.
desenhem aquilo que entendem por meio
www.stmichaelschurch.co.uk

ambiente. Depois, reúna as ilustrações


e analise cada uma delas, conforme o
enunciado oficial. Certamente, a maioria
vai optar por representar florestas,
plantas, mares, animais e peixes em
perfeito estado de equilíbrio na natureza.
Embora a realidade não seja essa,
há uma explicação para tal fato. Para
as crianças, o meio ambiente ainda é Mas como todos nós somos parte do meio Dica de
algo à par te ou muito distante, por ambiente, aproveite a semana da comemoração leitura!
H Meu ambiente
isso, ele é imaginado em harmonia, para evidenciar essa situação para os alunos. começa aqui!
sem interferências danosas causadas De nada adianta falar em ecologia, preservação Artur e Melissa são
colegas de turma e de
pelo homem. Raramente, elas se ambiental, extinção de espécies e até sobre a condomínio que, depois
de uma campanha com os
lembram de representar os problemas importância da reciclagem, se eles não se veem vizinhos, estão mais atentos
ou o próprio local onde moram, o lixo como elementos da própria natureza intrínseca e bem informados sobre o
meio ambiente. Quando
acumulado nas cidades ou nas margens ao entorno de cada um. a professora aborda o
dos pequenos córregos, as inundações, Nesse contexto, partindo do aprendizado tema, eles descobrem
que fazem parte do meio
os congestionamentos, a devastação das centralizado no microcosmo em que a escola ambiente e que cuidar
dele não se resume apenas
matas próximas, os pequenos insetos que está inserida, individualmente, cada criança a preservar a natureza.
infestam os lugares abandonados (caso poderá expandir seus conhecimentos e ampliar Autora: Shirley Souza
Editora: Escala Educacional
do mosquito da dengue, por exemplo) , suas ações, ao longo dos anos, em direção ao Preço: R$ 23,90
entre outros aspectos. macrocosmo do meio ambiente terrestre. Onde encontrar: www.
escalaeducacional.com.br

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 9


Matéria
de capa

Debates
sobre os
detritos
A maioria das cidades,
além de acúmulos
indesejáveis de resíduos,
ainda abriga aterros e
lixões, que contaminam
o solo. Muitos acreditam
que a incineração seria

lrd.buffalohair-jage.com s
uma solução para, pelo
menos, reduzir o volume
de lixo. Em meio à
problemática recorrente,
o homem já percebeu que
a única saída seria a de
não gerar detritos, mas
desenvolver técnicas que
eliminem os desperdícios,
rumo ao chamado
desenvolvimento
sustentável.
A degradação provocada pelo homem
Aqui, novamente, a imaginação infantil se volta para o

martynkowa-nadzieja.blogspot.com
que há de maior: o desmatamento da floresta amazônica,
queimadas que destroem os habitats dos animais que,
sem um lugar adequado para viver nem a alimentação
Progresso necessária, passam a correr risco de extinção; a matança das
sustentável baleias; a poluição causada pelas grandes empresas etc.
Implica em não esgotar os
recursos e ainda conciliar Todos esses temas fazem parte da mídia e são
crescimento econômico incutidos diariamente na mente infantil, como algo
com preservação
ambiental. Se passássemos desastroso que deve ser transformado em nome da
a usar os recursos
preservação ambiental. Mas essa consciência só se Meio ambiente
naturais com respeito
ao próximo e ao meio despertará de verdade se o foco da problemática for estragos que os homens provocam ao meio ambiente?
ambiente, poderíamos
atender às necessidades mudado, a partir de alertas sobre atitudes menores, No caso da natureza, ter conhecimento é importante,
da atual geração, sem sobre as quais todas poderão ter responsabilidade. mas esse saber também deve ser aplicável quando
comprometer a capacidade
das futuras em prover suas Entre as crianças, poucas sabem que o papel o assunto é preservação. Portanto, se colocados no
próprias demandas.
jogado pela janela de um carro também polui o meio papel de agentes transformadores, de acordo com a
ambiente; que a bituca de um cigarro acesa rejeitada possibilidade real de cada um, até os alunos das séries
de um modo incorreto, tanto quanto os balões que iniciais se tornam mais pensativos e ativos. Logo, de
enfeitam os céus nessa época do ano, por vezes, causam forma progressiva, ao crescerem, eles carregarão
incêndios grandiosos; que garrafas PETs lançadas nas consigo a consciência dos danos causados por atitudes
ruas entopem bueiros que, durante a época das chuvas, impensadas, ignoradas e até mesmo propositais, e, assim,
causam inundações devido ao transbordamento em terão maior participação política, para agir socialmente,
conjunto. Sem falar nos pequenos pássaros ou outros analisar e julgar as realidades que se escondem por trás
bichos silvestres que, quando engaiolados, colocam de determinadas atitudes que atingem o meio ambiente.
em ameaça de extinção determinadas espécies; que
a quantidade de lixo descartado incorretamente, Segunda atividade
além de indicar o alto nível de consumo da sociedade, Após as crianças assimilarem o que é meio
contamina o solo e os lençóis subterrâneos de água ambiente, repita a seção de desenhos para averiguar
e, ao mesmo tempo em que enfeia os mais diversos a compreensão do tema. Nessa etapa, elas já deverão
locais, ainda atrai ratos, baratos, moscas, pombas, entre esboçar o ambiente em que vivem, inserindo-se nele
outros vertebrados e invertebrados sinantrópicos que junto a amigos ou familiares. Portanto, a criançada do
provocam danos à saúde humana. meio urbano deverá desenhar ruas congestionadas,
Esses são só alguns exemplos, entre vários outros, que algumas árvores, prédios etc. Já as do meio rural
invocam uma questão: é mais fácil educar uma criança para representarão o campo, enquanto aquelas que vivem à
que cuide do local que habita ou apenas fazê-la entender os beira-mar delinearão a praia, e assim consecutivamente.

10 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Mais sugestões de atividades Movimentos
ambientalistas
Eles surgiram na década
de 1960, devido a

1 Após o embasamento teórico e a


produção dos desenhos, proponha
uma discussão sobre o tema, para que os
contaminação das
águas doces e salgadas.
Depois se expandiram
para outras causas.
Mas, desde então, eles
alunos listem os problemas ambientais do sempre se fundamentam
entorno da escola ou do local onde moram. em aspectos políticos,
sociais e filosóficos, para
advogar várias ações,

2
cujo foco de interesse é
Em seguida, sugira que proponham proteger a natureza que
soluções práticas. resta no ambiente natural
ou restaurar e expandir o
papel dela nesses mesmos

3 Verifique a viabilidade das resoluções ambientes.

e, se possível, coloque-os em campo


para agir. cleansd.wordpress.com

4 Escolha um dia e, preferencialmente,


na hora do intervalo, deixe que
as crianças ensinem os coleguinhas a
Objetivos
ambientalistas
Além da redução da
poluição, do consumo
separar o lixo descartável. Em paralelo, dos combustíveis não

7
dependendo do montante que poderá ser Ressalte a importância do combate à renováveis e dos recursos
escassos, destacam-se
acumulado, contate uma associação para dengue e da criação e disseminação do o desenvolvimento
de fontes de energia
que, após alguns dias, busque o que foi artefato (que se destaca na seção ciências) alternativas, a proteção
devidamente separado. que interrompe o ciclo do mosquito que dos ecossistemas
representativos ou
transmite a doença. únicos, a preservação de

5
espécies em perigo ou
Em sala de aula, explique que um
ameaçadas de extinção
dos maiores problemas ambientais
em locais ocupados pelo homem é o
lixo descartado indevidamente. Fale
8 Dependendo da região e da
localização da escola, leve as crianças
para passear nas ruas paralelas, para
e o estabelecimento
de reservas naturais e
biosferas para proteger
a biodiversidade e os
ecossistemas, dos quais
dos serviços de coleta e cata-bagulhos que verifiquem como o lugar está sendo todos os homens e outras
vidas na Terra dependem.
organizados pelos municípios brasileiros. tratado pelos moradores. Conforme a
Embora somente alguns tenham caminhões vontade posterior delas, promova uma ação
para coleta seletiva, como todos tem hora comunitária de limpeza nas ruas, parques,
e dia para passar pelas áreas residenciais, margens de rios, terrenos baldios, lagoas e
sugira que confeccionem lembretes para praias adjacentes (para quem não sabe, nos
alertar os vizinhos sobre como ensacar e Estados Unidos e Europa, essa atitude é bem
colocar o lixo na rua no momento certo, comum nas escolas).
com a finalidade de evitar a proliferação
de insetos e roedores.
9 Propicie oficinas de reciclagem e
aproveite a oportunidade para falar

6 Logo após, saliente que o lixo


eletrônico (pilha, celulares velhos,
monitores etc.) também provoca a
tanto do consumo exacerbado quanto das
formas de evitá-lo. Em paralelo, estimule a
confecção de cartazes que alertam sobre as
contaminação e a poluição do meio possibilidades que podem ser tomadas em
ambiente. Explique que há lugares de nome da preservação ambiental.
descarte correto e, então, peça às crianças
que pesquisem e elaborem uma lista com
os endereços possíveis. Feito isso, fixe uma
lista no pátio da escola e distribua cópias
10 Por fim, explique que são atitudes
simples que transformam o mundo
e, a partir delas, cada um, de acordo com a
para que os alunos possam espalhá-las vontade própria, poderá abraçar uma causa
pela comunidade local. bem maior em um futuro próximo.

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 11


Oficina de
criatividade

Objetivos:
H Estimular a imaginação
infantil e a criação artística
a partir do fascinante
mundo das fadas.

Faixa etária:
Crianças partir do 1º ano.

Dica de
leitura!
H Contos de Fadas
Ideal para pais, professores
e crianças, a charmosa
edição de bolso, ilustrada
com cerca de 90 pinturas
e desenhos – muitos deles
raros, de ilustradores
célebres como Gustave
Doré –, traz as mais famosas

Itaci Batista
histórias infantis, em
versões originais – sem
adaptações – de Grimm,
Perrault e Andersen, entre
outros autores, cujas
biografias também se
destacam na pequena obra.

Leve a
Com 268 páginas, o livro
custa cerca de R$ 24,00.

Mais informações:
Editora Zahar (www.

à escola
zahar.com.br).

Dizem que, durante os meses de inverno, os espíritos da natureza


descansam, mas, se convidados, eles despertam e passam a nos acompanhar

O
mundo dos seres elementais (fadas, passa a acompanhá-las no dia a dia, com o objetivo
gnomos, silfos, salamandras etc.) fascina de protegê-las dos mais variados malefícios.
as crianças e até os adultos. Cheio de Entre essa e outras histórias que podem ser
fantasia, ele ainda oferece possibilidades lúdicas narradas durante a elaboração das peças, de um
para a criação artística, ao mesmo tempo em que modo prático, ainda é possível escalar um time de
instiga a imaginação infantil. Por isso, que tal fadas para entregar o correio elegante durante
aproveitar as cores frias que lembram o inverno, as festas juninas. Embora o cúpido seja o deus
para dar vida a uma bela fada invernal? Vivian do amor, elas também prenunciam o mesmo
Zago, artesã do Ateliê Maria Flor, mostra como sentimento, em meio à alegria contagiante que
elaborar as asas e a varinha de condão desse espalham pelo mundo, quando batem suas asas
pequeno ser da natureza que, segundo as lendas, no momento de realizar os desejos mais secretos
gosta de crianças e, quando recebe permissão, da humanidade.

12 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Para as asas
Como fazer:
Materiais:
H 1 folha de A famosa
E.V.A. na cor Fada do Dente
roxa Presente em vários países,
H 1 folha de inclusive no Brasil, as
E.V.A. na cor histórias sobre a Fada do
Dente circulam desde o
rosa-claro H Tesoura
início do século 20. Embora
H Retalhos de H Elástico
ninguém saiba sua origem
Divulgação Pritt

E.V.A. com chato exata, trocar “dentes de


gliter nas H Cola Pritt 2. Usando a asa roxa como molde, leite” por presentes – que
cores roxa e Hobby recorte o E.V.A. rosa. Cole ambas são colocados, durante a
branca H Risco 1. Transfira ao risco da asa para o as partes, para obter uma peça noite, sob o travesseiro
das crianças, é algo que
E.V.A. roxo. Recorte. dupla. Deixe secar. remonta aos vikings há mais
de mil anos.

4. Enquanto isso, recorte dois pedaços Anote!


de elástico, cada um com cerca 5. Para finalizar, ainda de acordo com As fadas são seres
3. Ainda de acordo com o risco, de 30 cm. Quando a peça estiver o risco, recorte mais quatro círculos lendários, característicos
recorte quatro círculos nos retalhos totalmente seca, cole ambas as no E.V.A. rosa e cole-os sobre as dos mitos célticos, anglo-
saxões, germânicos e
de E.V.A. branco (com gliter) e dois extremidades dos dois pedaços extremidades dos elásticos, tanto nórdicos. O primeiro
no E.V.A. roxo (com gliter). Cole-os de elástico no lado rosa da asa para dar maior fixação quanto autor que as mencionou
sobre o lado roxo da asa, conforme (observe a foto). Deixe secar. um melhor acabamento à peça foi Pompônio Mela,
um geógrafo que viveu
a foto. Deixe secar. (observe a foto). durante o século 1º
d.C. em Tingentera
(atual Algeciras, cidade
portuária do sul da

Para a varinha de condão Espanha). Depois, aos


poucos, elas também
ganharam espaço na
cultura ocidental e, então,
Como fazer: surgiram os contos de
Materiais: fadas, nos quais, quando
mencionadas, elas
passaram a ter “asas de
libélula” e “varinhas de
Divulgação Pritt

condão”, cuja função era a


de ajudá-las a realizarem
encantamentos.

H Retalho de E.V.A. com gliter 2. Passe cola na tira branca e encape o


na cor roxa 1. Transfira o risco para o E.V.A. palito de churrasco (observe a foto).
H Tira de E.V.A. na cor branca
roxo e recorte-o por duas vezes. Fixe a extremidade final do E.V.A.
H 1 palito de churrasco
H Fita no 2 na cor rosa
Reserve. Deixe secar.
H Cola Pritt Hobby
H Risco
Preparo:
Ateliê Maria Flor
(www.amariaflor.com.br)
3. Recorte a fita em quatro pedaços Execução:
de 20 cm. Cole três delas no verso Vivian Zago
de uma das estrelas. Deixe secar. Apoio:
Logo após, cole uma estrela no Pritt
(www.pritt.com.br)
verso da outra. Antes da fixação
Grau de
completa, passe cola em uma 4. Por último, faça um laço delicado dificuldade:
das extremidades do palito já com o quarto pedaço de fita e Fácil
encapado e encaixe-o entre elas cole-o sobre a estrela, exatamente Tempo de
(observe a foto). Deixe secar. onde foi encaixado o palito. execução:
30 minutos (cada peça)

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 13


Ciências

Objetivo:
H Disseminar a criação de
um artefato simples, capaz
de impedir a proliferação
do mosquito da dengue.

Faixa etária:
Crianças partir do 1º ano.

Itaci Batista
Diga ... ao mosquito
transmissor da dengue!
Dica de
leitura!
H Coleção a Escola no
Combate à Dengue
Composta por nove
volumes, mais um manual
de orientação destinado
O único modo de evitar a transmissão da doença é o combate aos
ao professor, a coleção
motiva os pequenos leitores
focos de acúmulo de água que oferecem condições ideais para a
a buscar soluções para o
combate à dengue, ao
desova do indesejável inseto

T
mesmo tempo em que os
convida a se assumirem odo mundo já ouviu falar do Aedes aegypti, (acima do chão). Por isso, normalmente, ele pica os
como agentes de
transformação em casa e na
o nefasto mosquito que pica tanto durante pés, tornozelos e pernas de sua vítima, momento
vizinhança. Com histórias o dia quanto à noite – ao contrário do em que pode ou não transmitir a doença.
divertidas, fáceis de ler e
ricamente ilustradas, cada mosquito comum, que pica somente à noite. É ele Esse fato se explica porque o mosquito macho
volume traz informações que transmite a dengue e também a febre amarela só se alimenta de frutas ou outros vegetais
sobre o mosquito, os
sintomas da doença e o nas grandes cidades. adocicados. Já a fêmea prefere sangue animal,
que fazer para impedir a
proliferação do inseto em
Típico de regiões urbanas de clima tropical e principalmente humano. Quando ela pica, ao
determinadas situações do subtropical (que apresentam calor e chuvas), ele mesmo tempo em que retira o sangue de sua
dia a dia. Cada exemplar,
com 16 páginas, custa mede menos de um centímetro, tem aparência vítima, também aplica uma substância anestésica
aproximadamente R$ 12,00. inofensiva, cor café ou preta, além de listras que elimina a dor e a coceira. Logo, o indivíduo
Mais informações: brancas no corpo e nas pernas. Seu ruído é não sente nada – até aparecer os primeiros
Blue Editora (www.
blueditora.com.br).
inaudível para o homem. Bastante pequeno, sintomas, o que só acontece quando a fêmea
costuma voar a uma altura máxima de meio metro responsável picada está infectada.

14 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Processo de transmissão da doença dias. Após esse período, a fêmea se torna apta
Para a fêmea do mosquito se infectar, ela a retransmitir a doença até o fim da sua vida,
tem que picar uma pessoa já contaminada que dura apenas cerca de 30 dias, mas pode se
pela dengue ou febre amarela. Quando isso tornar catastrófica para a população. Portanto,
acontece, o sangue que ela retira de sua vítima é preciso combater a procriação dos mosquitos.
fica incubado em seu organismo por até 15 Mas como já sabemos que a fêmea sempre
deposita seus ovos em
locais com água parada
(limpa ou pouco poluída),
para tanto, basta eliminar,
constantemente, o acúmulo
do líquido de pneus, vasos,
garrafas, entulhos, entre
outros objetos, que podem
estar dentro ou fora de casa.
IWikimedia Commons

Além disso, é preciso manter


as latas de lixo, as caixas
de água e as cisternas bem
tampadas. Sem o ambiente Anote!
Quando não encontra
favorável, o Aedes aegypti recipientes apropriados
para depositar seus ovos,
Mosquito da dengue não consegue se reproduzir. a fêmea do Aedes aegypti
pode voar por até três
quilômetros, para localizar
um ponto que considere
ideal. Depois, mesmo que
ela desove em um local
O ciclo de vida do mosquito seco, seus ovos podem
sobreviver por até 450 dias –
Ele é composto por quatro fases: um ano e dois meses. Nesse
ovo, larva, pupa e adulto. As três período, se eles entram em
contato com a água, em um
primeiras são aquáticas e a última prazo curtíssimo – de dois a
terrestre. Tudo começa na época três dias –, tornam-se ativos,
transformam-se em larva e
do acasalamento, período em que em pupa e, então, atingem
a fase adulta.
as fêmeas precisam de sangue para
garantir o desenvolvimento dos ovos.
Obtido, elas procuram lugares com
águas paradas para desovar. Uma
vez imersos, os ovos desenvolvem-
se rapidamente em larvas, que dão
origem às pupas, das quais surgem os
adultos em um prazo de até nove dias.
Embora o ciclo seja conhecido, o
controle do mosquito da dengue é
difícil, pois a fêmea é muito versátil
na escolha dos criadouros. Além
disso, seus ovos são ex tremamente
resistentes, pois podem sobreviver
vários meses, a espera da água
necessária à incubação. Apesar dos
órgãos públicos combaterem os focos
IWikimedia Commons

de transmissão, a responsabilidade
também é da população que, ao ser
conscientizada, pode tomar medidas
simples e, assim, colaborar com a
erradicação do mal no Brasil.

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 15


Ciências

Preste
atenção!
A fêmea só põe ovos onde
identifica que a água tem
alimento suficiente para
as larvas.

Números
reveladores
Dados divulgados pelo
Ministério da Saúde, no
fim de fevereiro de 2013,
mostram que o número
de casos de dengue
no início do ano quase
triplicou em relação ao
mesmo período de 2012.
Foram registrados, até
o dia 16 de fevereiro,
204.650 mil casos, contra
70.489 notificados em
2012, o que representa um
aumento de 190%.

Itaci Batista
Vamos criar uma mosqueteca? classe aderisse a ideia, o combate ao mosquito da
Para estimular a criação e a propagação do dengue se daria em progressão geométrica.
artefato, explique que cada fêmea do Aedes Afinal, se 20 alunos criassem a armadilha,
aegypti desova por quatro vezes em sua breve 12 mil mosquitos deixariam de existir (20 x
vida. No entanto, como cada uma delas põe 600). Só esses dados já são suficientes para a
entre 150 e 200 ovos a cada vez, se a maioria criançada disseminar o experimento por toda sua
dos ovos de uma única fêmea passasse pelas comunidade, principalmente, porque o artefato
três fases aquáticas, no mínimo, teríamos 600 funciona por si mesmo, desde que seja disposto
mosquitos adultos (150 x 4) voando por aí. Já com em lugares estratégicos, sempre à sombra e onde
a armadilha, esse mesmo número seria reduzido já haja mosquitos – como em jardins, debaixo de
a zero, por um único aluno. Logo, se toda a árvores, em parapeito de janelas etc.

Materiais:
H 1 garrafa PET de 1,5 ou 2 litros com tampa
H Faca serrilhada
H Estilete
H Fita isolante
H Tesoura
Itaci Batista

H Um pedaço de microtule (ele tem a trama


menor que a do tule comum)
H Um pedaço de lixa grossa, alpiste e água

Dica: dá para substituir o microtule por um pedaço de tela de mosqueteiro fina, desde que sua
trama (furinhos) tenha o diâmetro igual ou menor que 1 mm.

16 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Como fazer:
Sintomas
da dengue
clássica
Geralmente, eles iniciam
de uma hora para outra
e duram entre cinco
e sete dias. A pessoa
infectada tem febre
alta (39° a 40°C), dores
de cabeça, cansaço,
dores musculares e nas
2. Com o estilete, divida a garrafa em duas partes. A partir do articulações, indisposição,
fundo dela, marque de 12 a 15 cm . Recorte para obter uma enjoos, vômitos, manchas
vermelhas na pele, dor
1. Com a faca serrilhada, corte a tampa da garrafa espécie de copo. Meça 1 cm a menos e recorte também a
abdominal (que acomete,
(observe a foto). Reserve. parte referente ao gargalo para ter um funil. principalmente, as
crianças), entre outros
sintomas. Por isso,
em caso de suspeita
de dengue, o ideal é
procurar imediatamente
um médico, para obter a
orientação necessária e
ser medicado.

3. Em seguida, lixe a parte interna tanto do copo quanto 4. Sobre a boca da garrafa, estenda o microtule e
do funil, para criar ranhuras ásperas que facilitarão a prenda-o com a tampa recortada (no primeiro passo)
evaporação da água. para fechar o funil (observe a foto).

Sobre a
mosqueteca
Inventada pelo professor
Maulori Cabral, do Instituto
de Microbiologia da
Universidade Federal do
Rio de Janeiro (UFRJ), em
parceria com biólogos da
Fundação Oswaldo Cruz
(Fiocruz), ela já foi testada,
5. Coloque o alpiste e um pouco inclusive em larga escala, e
de água no copo da PET. Em 6. Para finalizar, vede ambas as realmente funciona.
seguida, sobreponha o funil partes com fita isolante. O
invertido a ele. artefato está pronto para o uso.

Funcionamento Por isso, é necessário verificar quando pequenos mosquitos


da mosqueteca periodicamente sua integridade. aparecerem em seu interior, agite
É a evaporação da água que Se rasgar, além de perder sua o artefato para afogar todos eles.
atrai as fêmeas para a armadilha. função, a armadilha ainda pode se Feito isso, retire a fita isolante,
Quando elas desovam sobre o transformar em mais um criadouro acrescente cloro e despeje a
microtule, devido à trama do do Aedes aegypti. mistura de líquidos, com as
tecido, os ovos descem para o larvas e os mosquitos já mortos
interior da PET. Na parte inferior Descarte do experimento na terra, preferencialmente, em
do experimento, eles encontram Após uma semana de uso, um buraco com mais de 10 cm
as condições necessárias para dependendo da região, é bem de profundidade. Em seguida, Preparo
se desenvolverem. Porém, ao provável que já tenha alguma recubra-o. Na ausência de terra, do artefato:
chegarem à fase adulta, os desova na armadilha. Por isso, despeje tudo no vaso sanitário Simone Bellini

mosquitos são impedidos de sair acrescente mais água para e dê descarga. Para reaproveitar
Grau de
dificuldade:
do artefato pelo próprio microtule, facilitar a eclosão dos ovos, o a mosqueteca , lave-a com Fácil
que funciona como uma barreira desenvolvimento das larvas e a detergente, deixe-a secar e repita Tempo de
entre o meio interno e externo. transformação da pupa. Depois, todo o procedimento. execução:
30 minutos

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 17


Português

Objetivo:
H Verificar, ludicamente, se
os alunos já reconhecem as
letras e a relação delas com
a formação das palavras.

Faixa etária:
Crianças do 1º e 2º ano.

Dica de
leitura!
H Algazarra das Letras

Os
Ideal para as séries iniciais
do Ensino Fundamental, o
livro de Marciano Vasques,
com ilustrações de João

Itaci Batista
já reconhecem
Pinheiro, traz literatura
associada a atividades de
linguagem. Também as
letras, as rimas e os sons
das palavras brincam o
tempo todo de enganar os

as ?
sentidos de quem ouve ou
lê. Por quê? Ora, se uma
letra foge da “feira”, a
sexta vira sexta-feia. Se as
vogais resolvem trocar de
lugar, então, que confusão:
é maluco, é maloca, é
meleca, é moqueca,
nossa, que mico! Com
Quase no fim do primeiro semestre, a resposta para tal questão é uma
24 páginas, o exemplar
custa cerca de R$ 28,00.
das maiores preocupações dos professores das séries iniciais

Q
Mais informações: Editora uando a criança ingressa no Ensino e precisam ser contornadas, muitas vezes, com
Noovha América (www.
noovhaamerica.com.br). Fundamental, as expectativas em relação certa urgência, pois a alfabetização é o momento
à alfabetização dela aumentam muito. mais significativo da formação escolar. Porém,
Independente do método usado pela escola, os como ninguém aprende a ler e a escrever apenas
pais cobram, mas desconhecem o significado e as memorizando a relação das letras e dos sons, faz-se
técnicas de letramento, as dificuldades infantis necessário proporcionar desafios, principalmente
diante do processo de ensino-aprendizagem para os alunos das séries iniciais.
e os problemas enfrentados pelo professor no Por isso, as atividades de sala de aula sempre
momento de alfabetizar. devem estimular o contato com as letras, com o
Eles apenas almejam ver seus filhos lendo com objetivo de instigar o aprendizado para, depois,
discernimento – o que demanda tempo, estímulo oportunizar a diferenciação dos traços de cada
e muito incentivo. No entanto, poucos sabem que de uma delas. Somente dessa forma, aos poucos,
entre 6 anos e 7 anos, a alfabetização leva em conta os alunos das séries iniciais passam a estabelecer
as ideias que a própria criança tem sobre o processo critérios quantitativos e qualitativos sobre as letras.
de escrita e leitura, antes de ser inserida no ambiente Ultrapassada essa fase, eles já começam a fazer uma
escolar. Se ela vive em um meio motivador, entre associação entre elas e a formação das palavras.
leitores e livros, sua alfabetização se dará de forma Depois, por meio de atividades lúdicas, também
mais tranquila. Mas se ainda não teve contato com acabam estabelecendo relações conscientes entre a
as letras nem com a leitura, as dificuldades surgem escrita e o som e as imagens e as palavras.

18 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Cubos das letras básico da escrita –, ao dobrar e colar os cubos.
A atividade é simples e o material necessário Dependendo do número deles, dá para trabalhar Alfabetização
para a execução pode ser elaborado junto às somente as letras ou pequenas palavras que, por formal
Ela deve ser realizada
crianças que, assim, também terão a chance de sua vez, irão demonstrar na prática que se formam no primeiro e segundo
ano do ensino básico. A
trabalhar a motricidade refinada – requisito a partir da associação das letras.
partir daí, considera-se
que o aluno já é um leitor,
pressuposto essencial para
que ele inicie o período de
Materiais: interpretação de textos.
Partindo dessa concepção,
H Cartolina branca e em cores H Agulha de tricô ou suporte é necessário ensinar às
(usamos a azul) para bexiga crianças a linguagem e a
H Tinta para artesanato nas cores H Cola Pritt Hobby escrita e não somente a
das cartolinas que serão usadas H Pedaços retangulares de isopor escrita de letras. Portanto,
H Tesoura (para o suporte dos cubos) o professor deve fazer uso
H Canetas hidrográficas coloridas H Régua de letras
do lúdico para permitir um
diálogo no qual ela tenha a
H Pincel chato H Risco
possibilidade de expor suas
próprias ideias.
Dica: os cubos das letras funcionam como o tradicional cubo mágico. As crianças devem rodá-
los para achar determinadas letras ou formar as palavras possíveis, a partir da combinação dos
signos impressos neles.

Como fazer:

Anote!
A alfabetização vai
além do aprendizado
do alfabeto e de sua
utilização como código
de comunicação. De um
modo mais abrangente,
1. Transfira o risco do cubo, com todos os detalhes, para a ela é definida como
cartolina. Recorte o número necessário de peças (para 2. Do lado oposto aos furos, com a régua de letras, desenhe um processo no qual
o indivíduo constrói a
trabalhar só as letras, bastam três; já para as pequenas quatro delas (seguindo o esquema do pôster ou criando gramática com
palavras são necessários, no mínimo, quatro cubos). combinações próprias), em cada cubo que será utilizado. suas variações.
Perfure, com a ajuda de um lápis, o ponto marcado em Feito isso, pinte o interior das letras, alternando as cores
todos os cubos. das canetinhas hidrográficas. Deixe secar, para não borrar.

3. Em seguida, dobre cada cubo e cole. Deixe secar. 4. Enquanto isso, pinte os retângulos de isopor. Deixe secar.

Dica de
leitura!
H Abc...até Z!
Bartolomeu Campos de
Queirós, com palavras
ritmadas e muita magia,
nos conta uma infinidade
de histórias a partir do
abecedário. A cada letra,
uma visita diferente aos
sonhos e fantasias
Autor: Bartolomeu
5. Quando todas as peças estiverem
Campos de Queirós
secas, encaixe os cubos, um a um, 6. Para finalizar, espete a ponta da Editora: Larousse
na agulha de tricô ou no suporte agulha de tricô ou do suporte para Preço: R$ 29,50
Onde encontrar: www.
de bexiga. bexiga no retângulo de isopor.
larousse.com.br

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 19


Educação
musical

Objetivo:
H Permitir a identificação
das notas musicais e de
suas respectivas alturas, a
partir de gestos.

Faixa etária:
Crianças partir do 2º ano.

Dica de
leitura!
H Musicalizando Crianças

Shutterstock
– Teoria e Prática da
Educação Musical
O livro de Ieda Camargo
Moura, Bernadete Zagonel
e Maria Teresa Trevisan

A das
Boscardin foi especialmente
elaborado para professores
de Educação Musical.
Mas graças ao uso da
linguagem simples e
didática, ele consegue
atingir todos que valorizam

notas
a educação estética e
procuram despertar o
desejo de aprender a fazer
música. Com 180 páginas,
em média, o exemplar
custa R$ 55. Publicado
pela Editora IBPEX, ele
pode ser encontrado
nas melhores livrarias,
Apesar dos inúmeros sons empregados na composição de uma música,
inclusive as virtuais.
para representá-los, usamos apenas sete notas
Por Fabio Perucci*

O
conjunto das notas musicais é formado por a percepção de altura também está intimamente ligada
Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si, sinais que também a conceitos de melodia, harmonia e afinação.
representam a altura respectiva dos sons. Perante essa breve explicação, provavelmente,
Contudo, a percepção dessa altura é relativa, pois muitos já devem estar se perguntando como
depende da forma que o ouvido humano assimila a apresentar as notas musicais às crianças. Parece
frequência dos sons (ou o tom deles). As frequências difícil, mas não é. Para começar, que tal introduzir
baixas são percebidas como sons graves, as mais altas uma atividade simples, que associa a identificação
como sons agudos e as médias, que se situam entre e a respectiva altura de cada nota musical com
Dica de ambas as anteriores, são percebidas como sons médios. gestos corporais?
leitura!
H Musicarium Apesar dessa classificação, como já foi constatado Ideal para alunos a partir de 7 anos, esse exercício
Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si...
que cada pessoa tem a capacidade de perceber pode ser desenvolvido até com grupos de faixa etárias
Estripulias de todas as
notas, numa sinfonia determinada frequência de um modo particular, é diferentes. Se a escola tiver teclado ou flauta doce
de riso e cor. Um livro
para (en)cantar sabido que nossos ouvidos não escutam os sons da ficará ainda mais fácil para a criançada desenvolver a
Autor: Telma Guimarães mesma maneira. Por isso, se duas pessoas percebem atividade. Caso não tenha, o professor deve fazer a
Editora: Larousse
Preço: R$ 30,50 um som produzido, uma delas ainda pode sentir vocalização das notas musicais e estimular os alunos a
Onde encontrar: www.
diferentes detalhes, entre os quais as qualidades acompanhá-lo, ao mesmo tempo em que desenvolvem
larousse.com.br
harmônicas e inarmônicas, desse mesmo som. Portanto, o exercício em conjunto.

20 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Como desenvolver a atividade Preste
atenção!
H Em uma lousa, apresente os signos relativos às sucesso, além de O trabalho com música

Itaci Batista
desenvolve as habilidades
notas musicais: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si. durar no máximo físico-cinestésica, espacial,
H Em seguida, reúna as crianças em um lugar
lógico-matemática,
uma hora, os alunos verbal e musical, tanto
amplo, onde possam movimentar os braços sem devem ser estimulados das crianças quanto
dos adultos. “Ele ainda
atrapalhar nem esbarrar nos colegas. a acompanhar tanto a movimentação quanto a contribui para a formação
H Explique que cada nota musical tem sua altura e emissão das notas musicais. integral do indivíduo e,
enquanto reverencia os
que essa altura tem um gesto correspondente. H Depois, enquanto se dá o desenvolvimento do valores culturais, difunde
H Demonstre quais são esses gestos.
o senso estético; promove
exercício, aproveite para alertá-los que o objetivo a sociabilidade e a
H Na sequência, inicie a apresentação dos gestos principal da atividade é fazê-los sentir a diferença expressividade; introduz
o sentido de parceria e
junto à vocalização das notas musicais. Apenas de altura (frequência) de uma nota para outra, a cooperação; e auxilia o
lembre-se que, para a atividade alcançar certo partir dos gestos representativos de cada uma. desenvolvimento motor,
ao exigir a sincronia de
movimentos”, explica
Sonia Regina Albano de
Esquema gestual para a apresentação das notas musicais Lima, diretora regional da
Associação Brasileira de
Ensino Musical (ABEM) e
dos cursos de graduação
e pós-graduação em
Música e Educação Musical
da Faculdade de Música
Carlos Gomes (FMCG).

DÓ – Considerada a base do
sistema tonal, o Dó é a primeira
nota da escala diatônica Anote!
(escala de oito notas, com De acordo com a lei nº
11.769, sancionada em 18
cinco intervalos de tons e dois RÉ – É a segunda nota MI – É a terceira nota de agosto de 2008, desde
o início de 2012, todas as
intervalos de semitons entre da escala diatônica e, em da escala diatônica e, em escolas públicas e privadas
elas) – e a única que não possui altura, ela fica acima do altura, ela fica acima do Dó do Brasil deveriam incluir o
ensino da música em suas
acidentes. Sua frequência é de Dó. Sua frequência é de e do Ré. Sua frequência é de grades curriculares.
aproximadamente 261.6 Hz1. aproximadamente 294 Hz. aproximadamente 330 Hz.

*Fabio
Perucci
é pós-graduado em
Educação Musical Novas
Metodologias e possui
graduação em Educação
Musical; História, Turismo
e Conservatório Musical.
Lá – É a sexta nota da
escala diatônica e, em
altura, ela fica acima
Fá – É a quarta nota da Sol – É a quinta nota da das cinco primeiras –
escala diatônica e, em escala diatônica e, em normalmente, ela é usada Si – É a sétima nota da
altura, ela fica acima altura, ela fica acima como referência de altura escala diatônica e, em
das três primeiras. das quatro anteriores. para todas as outras altura, ela fica acima das
Sua frequência é de Sua frequência é de notas. Sua frequência é demais. Sua frequência
aproximadamente aproximadamente de aproximadamente é de aproximadamente
349 Hz. 392 Hz. 440 Hz. 495 Hz.

1
Hertz, cujo símbolo é Hz, é a unidade de frequência derivada do Sistema Internacional (SI), expressa em
termos de ciclos por segundo.

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 21


Datas
comemorativas
Mês de junho

Objetivo:
H Evidenciar a
importância das datas
comemorativas, a partir
da criação de peças
artesanais.

Faixa etária:
Crianças partir do 1º ano.

Dica de
leitura!
H Trabalhos Manuais
com Material Reciclado
Excelente para a formação
consciente e para o
desenvolvimento do
potencial artístico, com

Itaci Batista
esse livro, as crianças vão
aprender a construir,
passo a passo, brinquedos
e outras peças artesanais
divertidas, a partir de

Celebrações
materiais reciclados.
Durante as atividades
propostas, se orientadas,
elas ainda poderão
compreender que, ao
desprezar o consumo
exagerado, também
estarão respeitando a

de
natureza. O exemplar,
com 128 páginas, custa
cerca de R$ 42,00.

Mais informações:
Editora Girassol (www.
girassolbrasil.com.br).

Entre outras datas de interesse


pedagógico que se destacam no
mês, elegemos o Dia do Correio
Aéreo Nacional e as já tradicionais
festas juninas para a criançada
comemorar e se divertir

A
mbas as comemorações, aparentemente, não
Ilustrações: Fabiana Neves

têm nada em comum, mas, de uma forma


lógica, se não tivesse ocorrido a integração
nacional, iniciada pelo Correio Aéreo no início do
século 20, não teríamos a chance de conhecer os
mais variados costumes do nosso país, como as festas
juninas típicas do nordeste.

22 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Dia do Correio Aéreo Nacional (CAN) O voo inicial
do CAN
A rota escolhida para ligar
Rio de Janeiro a São Paulo
passou por cima das altas
montanhas do litoral,
mas a altitude de voo e
a consequente queda
de potência do pequeno
monomotor resultaram
em uma diminuição da
velocidade, que ainda foi
agravada por um vento de
frente e um ar turbulento,
apesar do dia claro.
Antônio Milena para Agência Brasil

Curiosidades
sobre a viagem
inicial
Como a velocidade foi de
apenas 80 quilômetros por
hora, o biplano chegou
a São Paulo ao anoitecer.
Porém, como os dois pilotos
tiveram dificuldades em
Atual avião do Correio Aéreo Nacional (CAN) sobrevoando a região amazônica, perto do município de localizar o Campo de Marte,
eles resolveram aterrissar
Marechal Thaumaturgo no Prado da Mooca. Mas o
hipódromo estava fechado
A comemoração dos 82 anos do CAN 5h20min. Três dias depois, eles retornaram com e deserto. Sem alternativa,
os dois pularam o muro
tem suma importância para a integração mais correspondência, momento em que se deu para sair do local, tomaram
um táxi e levaram a mala
nacional. Por quê? É bem simples. Em tempos a implantação de uma rota direta de integração postal até a Estação Central
de comunicação virtual, parece que qualquer entre as duas cidades. dos Correios (em imagem
de 1930), na Avenida São
lugar é muito próximo, principalmente para as Nos dias de hoje, esse fato pode até parecer João. No dia seguinte,
crianças. Mas pela extensão do Brasil, apesar dos banal para as crianças. Mas na época foi uma pela manhã, o avião foi
rebocado para o Campo de
mais variados meios de transporte existentes, grande façanha. Depois, com a melhora dos Marte, na época sede do
Destacamento da Aviação
sabemos que não é bem assim. Se na atualidade aviões, as atividades do CAN se intensificaram de São Paulo.
atravessar o país já demanda tempo, imagine com a implantação de rotas que chegaram até
as dificuldades enfrentadas no início do século Goiás, Mato Grosso, Paraná e Bahia. Somente em
passado para estabelecer a comunicação entre 1935, o serviço alcançou a Amazônia para, no
uma localidade e outra. Tudo era muito distante ano seguinte, tornar-se internacional. Em janeiro
e se deslocar de um ponto a outro significava se de 1936, a primeira linha que não se limitava ao
aventurar pelo desconhecido. território nacional passou a atuar entre as cidades
Para contornar essa situação, em 1931, foi do Rio de Janeiro e Assunção, no Paraguai.
criado o serviço postal militar brasileiro que, em Cumpria-se, assim, o papel social do serviço,
12 de junho do mesmo ano, entrou em operação. que visava à integração das diversas regiões do
Na data, os tenentes do Exército Casimiro país – e também dos demais países fronteiriços.
Montenegro Filho e Nelson Freire Lavenère- Isso permitiu uma maior ação governamental
Wanderley, a bordo do monomotor biplano em comunidades de difícil acesso. A velocidade
Curtiss Fledgling – carinhosamente apelidado “encurtava” as distâncias do Brasil e, enquanto
de "Frankenstein" –, transportaram uma mala aproximava as pessoas, também levava
postal com duas cartas, do Rio de Janeiro para conhecimento, auxílio, progresso e esperança de
São Paulo, em um voo inaugural que durou melhores condições de vida a elas.

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 23


Datas
comemorativas
Mês de junho

O regresso
Com a experiência
adquirida, a volta foi feita Para recordar a
em três horas e meia. Os importância da data
pilotos seguiram o Vale do
Rio Paraíba até a cidade É possível oferecer um pequeno
de Resende e dali para o avião ou um simples envelope com as
Rio de Janeiro. A “rota
do Vale do Paraíba” só bordas verdes e amarelas às crianças.
deixou ser a ligação oficial Porém, na dúvida, prefira os dois.
entre Rio e São Paulo,
com a entrada dos aviões Assim elas poderão colorir e montar o
bimotores no serviço. avião, que deverá ser descartado do
próprio envelope!

Itaci Batista
Materiais:
H Papel cartão na cor branca H Estilete
H Pincel chato H Canetas hidrográficas nas
H Tinta para artesanato cores verde, amarela e azul
nas cores azul profunda e profunda
Dica de amarela H Logotipo dos correios
leitura! H Lápis preto H Risco
H 100 Aviões de Papel
para Dobrar e Voar!
Com esse livro, cujo titulo Dica: se preferir, em vez de cortar e pintar as partes do avião, apenas vinque o tracejado correspondente a
já diz tudo, qualquer elas com o estilete, para que as crianças possam destacar e, em seguida, pintar as asas e o corpo da aeronave.
criança – ou adulto – vai se
tornar um ás da aviação.
São 100 folhas destacáveis Como fazer:
para criar todos os tipos
de aeronaves, aviões
de combate, foguetes
espaciais e muito mais.
Com 200 páginas, o
exemplar custa cerca de
R$ 29,00. Publicado pela
Editora Usborne, ele
se encontra disponível
nas melhores livrarias,
inclusive as virtuais. 1. Transfira o risco para o papel
cartão. Com as canetas 3. Com a tinta amarela, pinte a
hidrográficas verde e amarela, de 2. Em seguida, com o estilete, parte traseira do corpo do avião
forma alternada, pinte o tracejado recorte as partes tracejadas do e a asa maior. Com a tinta azul,
das bordas do envelope (observe a interior dele, para obter o corpo pinte o restante do avião e a asa
foto). Deixe secar para não borrar. e as asas do avião. menor. Deixe secar.

6. Por último, desmonte o avião e


encaixe as três partes em seus
lugares originais. Coloque o kit
de peças dentro de um envelope
4. Quando todas as partes 5. Encaixe as duas asas no corpo pardo e entregue às crianças para
estiverem secas, cole o logotipo do avião. Cole os outros que abram a correspondência e se
dos correios na “rabeta” do logotipos nas pontas das asas surpreendam com a recordação,
avião (observe a foto). maiores e deixe secar. que deverá ser montada.

24 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Festas juninas Sobre as
festas juninas
Em sua essência, elas são
multiculturais, embora
o formato com que hoje
as conhecemos tenha
se originado das festas
dos santos populares em
Portugal: Santo Antônio,
São João e São Pedro.

As roupas
“caipiras”
Elas são uma clara
referência ao povo
campestre, que povoou
principalmente o Nordeste
do Brasil. Porém, todas têm
muitas semelhanças com o
modo de vestir dos antigos
portugueses interioranos.
Itaci Batista

Caracterizadas por danças – como a quadrilha que


se encerra com o casamento caipira – , comidas típicas –
na maioria das vezes à base de milho –, leilões, bingos,
bandeirinhas, além das peculiaridades de cada região, elas se
iniciam no dia 12 de junho, véspera do Dia de Santo Antônio e
encerram-se no dia 29, Dia de São Pedro. No entanto, o ponto
mais elevado dos festejos sempre ocorre nos dias 23 e 24, dias
consagrados a São João.
Embora sejam típicas de várias regiões, na escola, as
festas juninas proporcionam o encontro dos alunos com a
comunidade e, por muitas vezes, elas ainda servem para
arrecadar fundos ou materiais essenciais à instituição (como
livros para a biblioteca, alimentos destinados à doação,
brinquedos para a brinquedoteca etc.). Por isso, selecionamos
duas ideias para os alunos iniciarem os preparativos da
comemoração: o convite de participação e alguns bonecos com
trajes tradicionais, que poderão assumir três funções – boliche,
jogo das argolas ou apenas decoração.

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 25


Datas
comemorativas
Mês de junho
Convites de participação

Anote! Materiais:
Chamadas inicialmente H Cartolina na cor vermelha H Balas de goma
de festas joaninas em H Retalho de tecido xadrez H Papel celofane
referencia a São João, H Cola Pritt Hobby H Palitos de dente
no Brasil, elas ficaram

Itaci Batista
H Cordão de sisal H Palito de churrasco
conhecidas como festas
H Pipocas H Fita fina na cor desejada
juninas porque acontecem
no mês de junho. H Tesoura H Risco

Como fazer:

Além da
influência de
Portugal
A festa foi trazida para o
Brasil pelos portugueses,
mas a tradição veio de
outros países europeus
cristianizados, dos quais
também são oriundas
as comunidades de
imigrantes que aqui
chegaram a partir de
meados do século 19. 1. Transfira o risco do convite para 2. Sobre a aba do convite, cole o 3. Em seguida, vire o convite e
a cartolina, recorte e dobre. retalho estampado e deixe secar. recorte o excesso de pano.

4. Dobre novamente o cartão. 5. Para fechar o convite, enrole 6. Para fazer a flor que vai enfeitá-
Na parte central inferior, cole o cordão nas pipocas (observe -lo, espete três balas de gomas
uma pipoca. Depois, fixe o a foto). na ponta do palito de churrasco
cordão de sisal sobre o tecido (observe a foto). Reserve.
e, em cima dele, outra pipoca
(observe a foto). Deixe secar.

7. Divida os palitos de dentes pela 8. Ao terminá-la, embrulhe-a


metade. Coloque uma bala de no papel celofane, cujo
goma em cada um deles. Em excesso deve ser preso por um
seguida, espete a ponta de cada pequeno laço. Para finalizar,
palito de dente na bala de goma encaixe a flor no fecho de sisal.
central já fixada anteriormente no
palito de churrasco. Prossiga até
formar uma flor (observe a foto).

26 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Personagens multifuncionais para as festas juninas
Sobre a festa
Todos eles, em conjunto, representam os de São João
participantes de uma quadrilha: tem noiva, noivo e Ela é típica da região
Nordeste em virtude
convidados. A partir da execução do primeiro, dá para da religiosidade do
povo. Como a região é
criar vários outros, com apenas pequenas mudanças muito árida, os devotos
nos detalhes ou nas cores dos tecidos. Além de simples agradecem anualmente
o santo e também a São
enfeites decorativos, se o frasco base da estrutura dos Pedro, pelas chuvas que
favorecem as lavouras
personagens for preenchido com areia, eles ainda
e propiciam a colheita
poderão assumir o lugar dos pinos de um boliche ou do milho. Por isso, as
comidas típicas da época
se tornarem os principais elementos de um jogo de são feitas com os grãos
argolas – duas atividades típicas das festas juninas. que passaram a integrar a

Itaci Batista
tradição. Entre elas temos
Depois das celebrações, cada personagem ainda pode a pipoca, a canjica, o
cuscuz, a pamonha etc.
ser usado como um charmoso peso de porta.

Materiais:
H Frascos de xampu H Retalhos de juta
H Tesoura H Pedaço de fita e outros
H Retalhos de E.V.A. na cor bege enfeites disponíveis
H Lã colorida para o cabelo dos H Cola Pritt Hobby
personagens H Canetinhas hidrográficas
H Olhos móveis nas cores vermelha, preta
H Retalhos de tecidos coloridos e marrom

Dica: dependendo da função dos personagens, encha os frascos com areia, para dar certo peso às peças.
Depois, para fazer as saias das figuras femininas, corte uma tira de tecido, franza e ajuste-a ao frasco. Em
seguida, amarre-a ou, então, cole-a sobre a base já forrada. Os xales, lenços, chapéus e outros detalhes
devem se improvisados com retalhos e fitas para, depois, serem fixados ao frasco. Já os cabelos são feitos
com chumaços de lã e pompom picotados.

Como fazer:

1. Escolhido o tecido que vai forrar


o frasco, recorte-o em tamanho 3. Enquanto isso, recorte e
adequado e cole-o sobre a 2. Conforme o tamanho do dobre – se necessário – os
superfície lisa. No momento de frasco usado, recorte um retalhos que irão simular as
fixar as partes arrendadas, faça círculo para simular a carinha vestimentas do personagem
pequenas pregas ou picote o do personagem. Cole-o na (gravata, xale, saia etc.).
tecido para melhor ajustá-lo à parte superior central da peça Cole-os em seus devidos
base (observe a foto). Deixe secar. (observe a foto). Deixe secar. lugares. Deixe secar.

Execução
do artefato:
Simone Bellini
4. Em seguida, prepare os chumaços de lã e os
Grau de
pompons. Separe também os adereços que serão 5. Logo após, cole os olhos móveis e deixe secar. dificuldade:
usados (lenços, chapéus, lacinhos etc.). Sobre a Para finalizar, com as Fácil
carinha, na parte superior central do frasco, cole canetinhas hidrográficas, Tempo de
o “cabelo” e os demais elementos, de forma faça os detalhes da execução:
harmoniosa. Deixe secar. carinha do personagem. De 30 minutos a 1 hora
(cada peça)

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 27


Projeto
do leitor

Objetivo:
H Oferecer alternativas
para o professor repensar
a inclusão de crianças com
deficiência intelectual.

Faixa etária:
Crianças partir do 1º ano.

Arquivo Pessoal
por
Dica de
leitura!
H O Coelho Sem Orelhas
Ideal para crianças das
meio da
Trabalhos manuais ajudam crianças e jovens com deficiência intelectual
séries iniciais, a fábula
de Klaus Baumgart e Til a expressar seus sentimentos, exteriorizar suas emoções e desenvolver
Schweiger, ilustrada por
Ilse Luder, apresenta a a criatividade
questão do respeito às

N
diferenças de uma forma
divertida e poética. O
o Centro da Dinâmica de Ensino – Cede 1 , uma Apesar de o foco desse trabalho ser a Arte,
personagem principal escola muito especial, para alunos mais especiais a escolha da disciplina é facilmente justificada: a
é um coelho de pelo
fofinho, rabinho redondo, ainda, os projetos de Artes já fazem parte do atividade artística proporciona a oportunidade de
bigodes compridos, mas plano de aula dos professores, que estimulam crianças vivenciar outra forma de expressão, além da verbal,
sem orelhas! Apesar de
ser diferente, ele podia e jovens com deficiência intelectual (DI) por meio de por meio da qual as crianças e os jovens podem
fazer tudo o que os outros
faziam, só que ninguém
atividades artísticas. mostrar suas habilidades e, em consequência, a
queira ser seu amigo. O Cede é totalmente diferente de outras instituições própria capacidade individual. Tais habilidades,
Porém, em um belo dia,
ele encontrou um ovo de ensino que tentam, devido à lei existente, fazer mesmo quando são constantemente estimuladas, por
na porta de sua casa. o acolhimento de crianças DI, mas que acabam por muitas vezes, não aparecem em atividades rotineiras.
Tentou achar o seu dono
de diversas maneiras, negligenciar os alunos por falhas próprias, excesso de No entanto, costumam surgir durante a produção
mas como não conseguiu,
resolveu cuidar dele, na estudantes em sala de aula, falta de acompanhamento artística, inclusive quando ela acontece com o
esperança de encontrar individual, professores despreparados e episódios de acompanhamento das mães.
ali um amigo sem orelhas.
Quando o ovo quebrou, violência. A instituição, para desenvolver o potencial de “No Ateliê de Artes, o aluno desenvolve a
algo inesperado aconteceu! cada criança que atende, chega a envolver as mães em coordenação motora, a criatividade, a sensibilidade,
Com 56 páginas, em média,
o exemplar custa R$ 30. trabalhos específicos, com o objetivo de contribuir para o o senso crítico e a atenção. As mães que frequentam
Mais informações: desenvolvimento motor e intelectual de seus alunos, bem as oficinas que realizamos ainda vivenciam nosso
Editora Panda Books (www. como para promover uma maior interatividade entre ambiente escolar junto aos filhos”, explica a diretora
pandabooks.com.br).
pais, filhos e demais envolvidos nos trabalhos de criação. escolar Célia Regina Mills Carvalho.

28 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Anote!
O desenvolvimento do trabalho Uma escola pode ser
considerada inclusiva,
A maioria das atividades acontece no quando não faz distinção
espaço de interação e convívio da escola, entre seres humanos e nem
seleciona ou diferencia com
onde é oferecido aos alunos, de segunda à base em julgamentos de
valores como “perfeitos e
sexta-feira, atividades nos períodos da manhã
não perfeitos” ou “normais
e da tarde. Além dos próprios professores e anormais”. Além disso, ela
ainda deve proporcionar
da instituição, em uma iniciativa inovadora uma Educação voltada

Arquivo Pessoal
– que também pode se tornar inspiradora para todos, de forma que
qualquer aluno que dela
para professores que se preocupam com a faça parte, independente
de ser ou não portador
inclusão social –, diretoria e coordenadores de necessidades especiais,
recorrem à ajuda de artistas plásticos, tenha condição de
conhecer, aprender, viver e
inclusive reconhecidos, artesãos famosos Marysia Portinari, entre outros, já estiverem ser, num ambiente livre de
e outros parceiros para ampliar o leque de no Cede para instruir os alunos que, auxiliados preconceitos que estimule
suas potencialidades e
possibilidades oferecido às crianças. Gustavo por eles, desenvolveram trabalhos de extremo favoreça a formação de sua
consciência crítica.
Rosa, Inácio Rodrigues, Eduardo Iglesias e bom gosto.

O exemplo do último Dia das Mães de DI, tudo parecia muito fácil e até simples Preste
Orientadas por artesãs do Ateliê Maria de ser feito. Mas como o que se visava com a atenção!
Flor, que trabalham em parceria com as colas atividade era o desenvolvimento da criatividade Deficiência intelectual (DI)
é um termo que se aplica
Pritt, as crianças do Cede confeccionaram uma e, em paralelo, a interação entre alunos, pais, quando uma criança ou
pessoa apresenta certas
pequena lembrança para a data: uma colher de professores e parceiros, o que foi obtido em limitações, tanto em seu
pau decorada. A despeito das dificuldades, em termos de inclusão social, adquiriu um valor funcionamento mental
quanto no desempenho de
meio à alegria e compenetração dos portadores inigualável, digno de aplausos. tarefas comuns, como as
Na ocasião, todos os envolvidos de comunicação, cuidado
pessoal, relacionamento
no processo de criação ainda social etc. Logo, portadores
de DI são mais lentos para
explicaram que o melhor desse aprender e se desenvolver.
projeto é que ele pode ser
reproduzido em qualquer escola,
inclusive nas públicas. Para tanto,
basta querer e ter uma boa dose
de vontade no momento de buscar
greenowlart.blogspot.com

alternativas e parcerias capazes


de ajudar na tarefa de inclusão.
Embora poucos saibam, em todos
Dica de
os Estados brasileiros, há muitas leitura!
pessoas, instituições e Ongs H Um amigo especial
Guga, o irmão mais novo
dispostas a cooperar! de Nina, tem um amigo
inseparável: Pepê. Eles
passam horas e horas
Sobre o Cede seu potencial de forma individualizada mediante
brincando, e o fato de Pepê
ser 'diferente' é o que deixa
Desde sua fundação, em setembro de 1976, a a adaptação curricular adequada. A partir daí, ainda a amizade deles mais
evidente. O problema é
instituição de ensino que respeita as limitações de as atividades especialmente desenvolvidas e que alguns pais de colegas
da turma querem tirar
seus alunos DI elabora programas e planejamentos coordenadas atravessam as paredes da escola e
o Pepê da classe de seus
que visam a aperfeiçoar o grau de aprendizagem colocam o aluno frente às experiências do dia a dia. filhos, porque dizem que
o aluno 'especial' não
deles. Por meio de avaliações individuais, seus Muitos dos que já passaram pelo Cede conseguiram acompanha a turma... É ai
docentes diagnosticam sob que condições se se adaptar ao mercado de trabalho e, hoje, são que Guga e seus amigos
mostram aos seus pais qual
produzem as dificuldades de ensino-aprendizagem recepcionistas, auxiliares de classe, auxiliares de é a especialidade de Pepê e
dão um grande exemplo!
e, assim, detectam as características de cada aluno escritório, almoxarifes, artistas plásticos, garçons,
Autora: Shirley Souza
para, depois, trabalhar progressivamente com balconistas, vendedores, músicos e atores. Editora: Escala Educacional
Preço: R$ 23,90
Onde encontrar: www.
escalaeducacional.com.br
1
CEDE: www.cede.com.br

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 29


Biopsicoética
da Educação

Objetivo:
H Propor subsídios e uma
maior reflexão sobre a
prática docente.

Faixa etária:
Professores em geral.

Dica de
leitura!
H Sobre Caminhos...
O Novo Caminho
para a Educação
O livro é uma polifonia de
idéias e pensamentos que

Arquivo Pessoal
leva a experimentação de
uma trajetória ideal para
abrigar a emoção, a razão,
o processo, a educação e o
conhecimento globalizado,
que José Camelo Ponte
chama de Biopsicoética. Ele Um contexto escolar biopsicoético no Ensino Fundamental, Colégio MAIS de Assis, São Paulo – da esquerda para a
propõe uma nova matriz
que orienta e organiza
direita: Gabriel K., professora Alessandra, Daniel, Vinícius, Samuel, Pedro, Gabriel A., Beatriz, Guiliana e Karen. (In
o conhecimento para CAIXA DE BRINQUEDOS, MAIS, 2010)
uma vivência em todas

O ESPAÇO DE FORMAÇÃO
as dimensões das ciências
humanas, que tira da rotina
o ensino-aprendizagem-

DO
educação que centra o
homem e o integra ao
universo, que se dispõe e se
amplia numa interrelação
e transrrelação do que
está próximo e distante.
Segundo o autor é uma
incursão filosófica através
da prosa poética, uma
Como vivermos nossos valores é como construiremos nossa credibilidade;
engenharia da prática
e da práxis da palavra
como vivermos a equidade é como será nosso local de trabalho; como
(verbo/ação), que edifica
e modifica caminhos e
vivermos o respeito é como, na prática, partilharemos nossas vidas.
opções de estudiosos
das ciências humanas.
Assim será o nosso mundo e, dessa forma, desenvolveremos nossas
Disponível nas melhores
livrarias, inclusive virtuais, o
competências e o presente do futuro em conviver
exemplar com 104 páginas, Por J. Camelo Ponte
custa cerca de R$ 20.

1 2
Biopsicoética é uma epistemologia O espaço de formação do professor é diferente
(conhecimento organizado) formulada a (o constructo) da formação do professor. Assim
partir de seus pilares fundantes, a saber: Ideia, como é diferente da formação do “formador
Pensamento e Ação. Estes pilares são individualmente de formadores”, indelevelmente.
fiat lux à palavra contextualizada no espaço
pedagógico, compreendendo projeto político- Caminhar e construir
pedagógico, entorno escolar, comunidade, numa O Caminho descobre uma resposta particular e
perspectiva local, regional e global de educação. nutre-se desse impulso como estímulo que o habilita

30 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


para olhar e ver, ouvir, pensar e refletir,
falar e enunciar ao Caminhante sobre o
que permanece de uma situação antiga
(ou nova) ou de um antigo sentimento (ou
novo), modus vivendi contínuo no espaço e
no tempo de ser rio e beber o sol de todas
as manhãs. Sobre o
Veritate e realitate constituem o autor do texto
somniu, inspiração que deu origem a É pedagogo (licenciatura

Arquivo Pessoal
plena) com habilitação
Ideia (causa) que fecundou o Pensamento em Magistério das
matérias pedagógicas
(efeito, destino) perseguido com interesse
do Ensino Médio e
e paixão até que se consuma em Ação Administração Escolar
do Ensino Fundamental,
(atitude, resultado e efeito desse processo) Equipe de Pediatria do - Hospital Geral de Fortaleza (HGF) Médio e Magistério nos
pelos Caminhos, com os Caminhantes em durante a “Implantação da Sistematização da Assistência de quatro anos iniciais do
Ensino Fundamental;
suas Sobrevivências. Enfermagem-SAE e Processo de Enfermagem-PE com foco em especialista em Psicologia
“Sobre vivências...” é a trama do Biopsicoética” - sob a coordenação da Dra. Eva Marques Falcão na USP; mestre em língua
dos Santos e equipe portuguesa, PUC-SP;
Contexto d’alma e do espírito arrebatados professor universitário
e coordenador de curso
pela extraordinária beleza do curso das águas, e do ter esperança e praticar a caridade no deserto de superior e de pós-
destino do rio em sua serenidade oculta, correnteza cada sobrevivência, na dúvida de cada caminho, graduação lato sensu; e
cientista em Biopsicoética.
afoita, e todos os designíos sobre ele e com ele em na dor de cada caminhante.
suas margens! Priscas enfeitam o leito do rio, e o exercício
Sobre os Caminhos Sacris solemniis e o abraço das águas em movimentos contínuos apreendem a
biopsicoético revolvendo a pedagogia para liberdade de ser rio, e de ensinar e aprender com
Significado
efetivar processos e técnicas, princípios e métodos as margens; linguagens em luzeiros munindo a
de Confluentia
para que a semente que mais se aqueceu ao sol e oralidade, leitura & escrita, e a linguagem híbrida Ação, movimento,
solidariedade social e
se guardou para o plantio, possa ser efetivamente em seus pactos e convivências com a palavra sentimento coletivo
aquela que mais se nutrirá da água que o solo solitária que compõe a totalidade. de construção de
conhecimento; espírito de
fértil há de revelar-lhe sob medida para germinar Há uma rede que assegura o lugar onde cooperação nos indivíduos;
com esplendor, e ser a mais frutífera entre todas, cada informação está, e sua possibilidade de processo de integração
mais intensa dos agentes
porque não teve medo da luz e se deixou à vida convivência, independente, identitária, sem no grupo em relação com o
mundo; movimento próprio
para servir ao seu talento. tomar parte ou invadir a privacidade de outros do “Eu” (Ontológico)
Os caminhos contam suas histórias em “Eus” em suas “com vivências” que ensinam em relação ao Ser
(axiológico) e ao “Mundo”
rodas de conversas e os rios se entremeiam aos Caminhantes um olhar reflexivo sobre o (epistemológico); afluência
em confluentia com o Bom, o Belo e Bem mundo, laços correlacionados, imbricados, de ideias, pensamentos
e ações de um grupo de
entressachados ao mistério de Pedro, o pescador semelhantes, mas individuais, interdependentes, estudos, pesquisa e ações.
de homens, que de pouca fé, quase se afogou ontológicos, axiológicos, e epistêmicos, capazes
na Palavra e os livros foram escritos, e o silêncio de ascender em todas as direções imagináveis do
revelou-se no Interminável. E a palavra se fez conhecimento e de compor a natureza pertinente
música e poesia aos homens e ao vento enquanto na tessitura textual do seu memorial, do seu
Deus pensa, fala e inspira toda a humanidade em propósito de vida em sua Biopsicoética de leitura
seu silêncio eterno, muito além do pensamento e e de vivência de mundo.
da imaginação humana.
Cria e recria a vida, organiza o tempo, Para colocar em prática
o espaço e todos os movimentos, tangíveis Com a importância da imprevisibilidade da
e intangíveis, conscientes e inconscientes, criação em seu átimo de ocorrência, e em seu
Sacrossanto Mistério da fé, esperança e amor; estado de Consciência de Mundo, o acidental da
inspiração Única; em Sua Onipotência cria descoberta e da experimentação ganha escopo e
universos e edifica Caminhos; em Sua Onisciência a Identidade, um dos pilares da Biopsicoética da
vela o espaço, tempo e ação do Caminhante, Educação, revela o espiral transcendente em si
induz à virtude, infunde o sentimento; em mesmo em movimentos similares aos galácticos,
Sua Onipresença desemborca os cestos dos movimentos da criação que em nossa realidade
pescadores, abastece transeuntes, alivia a dor desenhamos como caminhos da razão à emoção,
dos moribundos, ensina a mover montanhas, a da emoção à razão e aplicamos à vida. É um

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 31


Biopsicoética
da Educação caminho dual que na mesma medida que se que em sua visão de mundo correspondem aos
pratica na relação com o aluno, efetivamente títulos (como exemplo, se o título é água, o
também se pratica em nosso “Eu / Ser” X “Ser/ Eu”. termo correspondente é H2O). Depois em outras
Essa relação simétrica e transitiva deve páginas em branco, desenhe triângulos, recorte-
Sobre a
serciência expandir-se na fórmula, progressivamente: Eu / os e monte uma pirâmide [tem um molde no
Refere-se à fluidez da Ser/ Mundo X Mundo / Eu / Ser X Ser/ Mundo / Eu, pôster para facilitar seu trabalho]. Recorte as
informação a partir
da decodificação de para deliberarmos sobre um plano tangente com palavras, incluindo os títulos, e os cole em cada
dados catalogados em abordagem em Biopsicoética da Educação por lado da pirâmide.
prática de formação no
Contexto Biopsicoético Competência: Gestão do Conhecimento para o De acordo com o exemplo dado, teremos
da Educação, quer seja no
trabalho, estudo, pesquisa
século XXI. um triângulo com a seguinte formação: Título:
e ensino-aprendizado. Essa experiência pode ser praticada a partir Pensamento. Palavra escrita na folha branca:
de uma atividade com a Pirâmide Biopsicoética ou Água. Termo correspondente a esta palavra: H2o.
de rodas de conversas independentemente dos Recorte esse conjunto e o cole em um dos lados
cursos de origem dos participantes. Bastando para da pirâmide. E, assim, sucessivamente, teremos
Preste o sucesso dela, vivência Ética, acordos prévios uma figura geométrica construída por nós a partir
atenção para organizar a atividade e objetivo com foco daquilo que é o nosso “eu” interior, nossa cultura
Serciente é aquele que
vivencia em profundidade preestabelecido sem omissão de um quesito e formação.
a Consciência de Mundo, em especial “a atitude” observada em todos os Não faça isso em seu smar tphone. Utilize
um dos pilares da
Biopsicoética; que pratica envolvidos no processo. Inclusive a avaliação papel, cola, canetas coloridas e procure termos
suas relações com a vida individual e coletiva, oral e escrita pelo grupo. realmente significativos em suas vidas para
no presente do presente
e se deixa fluir nessas construir algo que além de ter um sentido
relações, cônscio de
sua Identidade, Ética e Vamos à experimentação e construção? próprio de si, possa realmente contribuir para
Contexto Biopsicoético. Desvelaremos uma prática como “atitude uma reflexão, isto é, que você desenvolva todos
fundante” e leitura de mundo, o mundo externo os passos e possa vivenciar sobre aquilo que
e interno aos nossos tantos “Eus”. E, o que essa você traz como habilidades, competências,
leitura pode influir na organização de nossas valores e ética.
Definição de ideias, pensamentos e ações, quando “de fato”, Atribua um nome técnico ao resultado e por
Postfólio iniciamos uma ação com raízes no “Pensamento” fim, avalie. Esse exercício “pode” servir como
Trabalho contínuo
desenvolvido por uma que foi fecundado pela “Ideia” (inspiração da exemplo prático de como podemos externar nossos
pessoa, grupo ou Consciência Universal). “elos biopsicoéticos”, aqueles que constituem
coletividade em condições
de assumir determinado Como constatação desta vivência citamos a o arcabouço de nossa cultura da educação e
papel político, técnico,
profissional etc. Também
“formação, capacitação, estudos e pesquisas” do da educação da cultura. Além dos resultados
pode se referir a um Grupo de Trabalho, Estudos e Pesquisa do Hospital citados, poderemos mensurar quais os obstáculos
conjunto não limitado
de documentos (base de Geral de Fortaleza - GTEPB - como exemplo de encontrados, recursos, apoio à discursão do
conhecimento, fixada Confluentia e práticas biopsicoéticas de educação projeto, implementação, acompanhamento,
materialmente e disposta
de maneira que se possa da cultura e cultura da educação com objetivos revisão de metas, objetivos, hábitos, flexibilidade
utilizar para consulta,
estudo, prova,) ou obras
de atendera a necessidades da comunidade em seus caminhos, compreensão, processos,
que abrange autores e instituições qualitativas na área da saúde e paradigmas, autenticidade, transparência,
diversos sob um título
geral indicativo de assunto educação. Pois o HGF é um hospital Escola. humildade, disciplina, verdade de ser, realidade de
ou área, para atendimento ter e sonhar.
de segmentos definidos
para estudo, pesquisa e Desenvolvimento da atividade Esse é o instante em que marcamos um
constructo histórico.
Propomos que encontro conosco. Um encontro vivo, onde Eu falo
tenha algumas para mim; onde Eu me escuta em meus próprios
páginas em branco. sons; e me procuro em lugares onde penso estar;
Pegue cada uma ou, onde na realidade deveria encontrar-me
delas e atribua “agora?!”. (Cf.: PONTE, 1969, p. 92).
um dos seguintes Absorto: Procuras / nesta longa trajetória / o
títulos: Ideia; que sonhas, / olhando o vazio. / Descansa... / O
Pensamento; instante é / o que importa / e pode ser eterno /
Ação. Nas páginas como um rio. (Prisma Errante. Fortaleza, Ceará:
correspondentes aos Editora Henrique Galeno, p. 92).
títulos nomeados
escreva as palavras Continua na próxima edição

32 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I


Matemática

Objetivo:
H Estimular o cálculo
mental a partir de uma
atividade lúdica que, para
os desavisados, assumirá
ares de mágica.

Faixa etária:
Crianças partir do 1º ano.

Dica de
leitura!
Itaci Batista

H Almanaque das
Curiosidades Matemáticas
O livro de Ian Stewart é
ideal para o professor
pesquisar casos curiosos
de Matemática, na

Não é ,é !
intenção de adaptá-los
e aplicá-los em sala de
aula, com a finalidade
de demonstrar que a
disciplina, além de essencial
no dia a dia, também
Mostre às crianças como surpreender os coleguinhas com um truque que pode ser divertida. Com
315 páginas, o exemplar
requer muita, mas muita concentração... custa cerca de R$ 40,00.
Publicado por Jorge Zahar

A
Editores, o livro pode ser
atividade é simples, mas para impressionar os canto superior esquerdo das tabelas indicadas, que o encontrado nas melhores
demais, depois de ser aprendida em sala de resultado será o numeral que havia sido pensado! livrarias, inclusive virtuais.

aula, ela deve ser executada fora da escola. De


início, desenhe as tabelas que seguem na lousa para Demonstração prática
demonstrar o mecanismo da “mágica”. Se o número pensado for 9, note que ele aparece
Em seguida, peça para que um aluno apenas na 1ª e 3ª tabela. Considerando que os números do
pense em um número qualquer entre 1 e 15. Na canto superior esquerdo de ambas são 1 e 8, a soma
sequência, faça com que ele aponte em quais tabelas deles dará 9 que, por sua vez, foi o número eleito!
esse numeral aparece. Após a informação, empenhe- Após demonstrar o mecanismo “mágico”, sugira que
se na “concentração” e, então, anuncie com exatidão eles copiem as tabelas para se divertirem à vontade,
o número pensado! Como? O processo não é nada porque ninguém irá desconfiar dos “esforços de
complicado: basta somar os números que estão no concentração” necessários ao cálculo mental!

1ª tabela 2ª tabela 3ª tabela 4ª tabela


1 5 2 6 8 14 4 12

13 7 11 14 9 15 5 13

15 11 3 15 10 13 6 7

9 3 10 7 12 11 14 15

Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 33


Para
saber +

Mural do
• Abril 2013 • ano 9 • nº 107 • R$ 6,90 •
• www.escalaeducacional.com.br •
• ISSN 1679-9879 •
educador
O Guia Prático para Professores de Educação Funda-
mental é uma publicação mensal da Edições Escala Educacional.
ISSN 1679-9879. O Guia Prático não se responsabiliza por conceitos
O canto do Uirapuru
emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e
comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes.
Quase o ano todo, o uirapuru fica quieto no seu
canto. É quase, e não o ano todo, porque tem um

Coordenação editorial: Daniella Tucci


dia, só um dia,que ele resolve cantar e espalhar
Consultor de conteúdo: Sérgio Alves
Assessoria de imprensa: Ofício das Letras
pelos cantos o seu canto... Será que é hoje? Canta
(11) 3021-9216 (adriana@oficiodasletras.com.br)
uirapuru! Neste livro, brincando com o canto da
ave e os cantos nos quais se vive, sempre com
muito humor, Marcelo Cipis apresenta o uirapuru –
ave característica da região Amazônica.
Autor: Marcelo Cipis
Edições Escala Educacional
Editora: Lafonte

Divulgação
Av. Profª Ida Kolb, 551 – Casa Verde
CEP 02518-000 – São Paulo/SP
Tel.: (11) 3855-2201 – Fax: (11) 3855-2189
Preço: R$ 36,90
Central de Atendimento ao Leitor
Entre em contato conosco. Envie suas críticas e sugestões para:
Onde encontrar: www.larousse.com.br
Tel.: (11) 3855-2175 (São Paulo) – 0800 772 2120 (Outras localidades)
atendimento @escalaeducacional.com.br
www.escalaeducacional.com.br

Marketing
marketing@escalaeducacional.com.br
Alfredo não tem medo! Autora: Suppa
Alfredo, o destemido, Editora: Lafonte
Distribuição nacional realizada pela própria editora. Números anteriores
podem ser solicitados ao seu jornaleiro ou na Central de Atendimento ao Sempre exibido, Preço: R$ 41,90
Leitor (11) 3855-2175 ou pelo site www.escalaeducacional.com.br,
ao preço do último número, acrescido dos custos de postagem.
Enfrenta todo e Onde encontrar: www.larousse.com.br
Filiada à Qualquer perigo.

E o Dom Diniz,
Coitado,

REALIZAÇÃO
vive estressado,
mas descobre que
Pode ser feliz e descansar sossegado.

www.2deditora.com.br
Nesta Turma do Nariz
Direção Editorial: Valter Costa • Direção deArte:
Divulgação

Rosana Munhoz • Redação: Morgana Gomes Tem até uma elegante e


• Editora-assistente: Vanessa Buzeti •
Designer Gráfico: Fabiana Neves • Fotos: Exuberante Miss.
Itaci Batista, Rogério Andrade, Shutterstock, iS-
A Eulália, amiga da famosa Anaíz.
tockphotos e arquivo 2D • Colaboraram nesta
edição: José Cássio Castanho (assessor de im-
prensa), equipe de pedagogas do Ateliê Maria
Flor, professoras do Colégio Raposo Tavares e
Simone Bellini (arte-educadora) • Depto. Web:
Jaqueline Cardeal • Atendimento ao leitor:
(11) 3804-6141 • redacao@2deditora.com.br Na Web .....................................................
No mês em que comemoramos o Dia do Meio Ambiente, o
site Vida Sustentável – Ecologia, Reciclagem e Sustentabilidade
é um verdadeiro achado, principalmente, para o professor
que quer dar uma ênfase maior ao tema, a partir de exemplos
concretos. Entre as várias seções que trazem informações,
Divulgação

vídeos e dicas práticas sobre economia, arquitetura, energia


IMPRESSÃO E ACABAMENTO
alternativa, gestão de resíduos, meio ambiente, modo de vida
Oceano Indústria Gráfica Ltda. e sustentabilidade, o espaço destinado à reciclagem merece um
Nós temos uma ótima impressão do futuro
destaque especial. Nele, é possível encontrar inúmeras ideias
eficientes e simples, em passos detalhados, inclusive em vídeos explicativos, que visam à reciclagem e à reutilização
de produtos, objetos, embalagens e outros materiais, que todo mundo tem em casa (como tampinhas de garrafa,
botões, PETs, latinhas de alumínio etc.). Como nenhuma das sugestões exige ferramentas especiais ou grandes
habilidades, certamente não faltarão opções para envolver as crianças no processo de criação ecologicamente
correto. Confira: www.vidasustentavel.net.
RESPONSABILIDADE AMBIENTAL
Esta revista foi impressa na Gráfica Oceano, com emissão
zero de fumaça, tratamento de todos os resíduos químicos
e reciclagem de todos os materiais não químicos.
34 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I
Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I 35
4 CAPA