Вы находитесь на странице: 1из 5

5

PEDIR FACTURA COMPENSA



Novas regras em nome da justiça fiscal entram em vigor a 1 de Janeiro
euros de l
Consumidor pode receber até 250
recompensa efectiva se obrigar comerciantes a emitirem facturas de tudo o que vendem p.14 E
CONSUMIDOR
FTSTAT TZAM
ATOQCO
DE 250 EUROS
Em Janeiro, todos os comerciantes são obrigados
a passar facturas. Acabam-se os talões.
Os consumidores ganham se exigirem a factura
AGOSTINHO SILVA
asilva@dnoticias.pt dicional a um alisamento de cabelo trolo lhe escapa
num cabeleireiro, ou uma mudança "Não é um sistema perfeito, mas é
Comerciantes e consumidores têm, altamente eficaz", classificou ao
de óleo numa oficina automóvel. Se
a partir de 1 de Janeiro, novas regras até são simples de DIÁRIO o director regional dos
os casos descritos
no relacionamento fiscal com o Es- outros há como a Assuntos Fiscais. João Machado
operacionalizar,
tado. Por um lado são generalizadas de reconhece que as potencialidades
distribuição de gás oú outras ven-
as obrigações declarativas - tudo do cruzamento de números de
das ambulantes que terão de munir-
passa pelo número de contribuinte contribuinte sejam "medidas um
se de um pequeno terminal para
de quem compra e de quem vende - pouco fortes", mas recusa a ideia
emissão de facturas, ou em alternati-
e por outro o cidadão comum é 'se- de um sistema "persecutório" seja
va facturas manuais fornecidas por
duzido', por apenas 250 euros de re- contra quem for. Trata-se tão so-
tipografias autorizadas.
compensa efectiva, a obrigar os co- No essencial, as operações descri- mente de procurar que os impos-
merciantes a cumprirem as regras. tos cobrados aos contribuintes se-
tas constituem a parte do 'trabalho
Convém desde logo clarificar que jam efectivamente entregues à ad-
de campo'. O resto será feito pela po-
se trata da prossecução de uma efec- fiscaL
tente máquina da Autoridade Tribu- ministração
tiva justiça fiscal e não de simples
tária e Aduaneira (AT) que se encar- Portal das Finanças
atitudes persecutórias: todos os con-
regará de cruzar a conta-corrente de Para um cabal esclarecimento dos
tribuintes devem saber que ao exigi-
cada cidadão, consumidor ou co- contribuintes -quer sejam comer-
rem o cumprimento fiscal a tercei- merciante, através do número de ciantes, quer sejam simples consu-
ros estão a contribuir activamente
contribuinte, ou seja, o NTF-Núme- midores - a Autoridade Tributária e
para que o Estado não seja ludibria- ro de Identificação FiscaL no
Aduaneira (AT) disponíbiliza
do. É que, em muitos casos, há co-
Entre as inúmeras interpretações Portal das Finanças, na Internet,
merciantes a cobrar imposto que de-
possíveis, a máquina fiscal pode fa- uma série de informações e simula-
pois não entregam ao Estado. O con- cilmente presumir o que um estabe-
tribuinte deve também mentalizar- ções que respondem a todas as dúvi-
lecimento comercial -pequeno, das.
se que quanto maior for a arrecada- -
grande ou médio produziu em ter- O DIÁRIO seleccionou algumas
ção de imposto, no fim da linha, me- mos de vendas, mesmo que nada de- das questões mais pertinentes, a co-
nor será a sobrecarga fiscal que lhe é clare ou o faça através de números
exigida para pagamento de serviços meçar pela clarificação do novo re-
fraudulentos. Basta reunir a infor-
públicos. Ou de empréstimos da gime de facturação, que consiste na
mação de todos os outros comer- obrigatoriedade de emissão de fac-
'troika', como é o caso actual em ciantes que fizeram fornecimentos.
Portugal. tura por parte de quem está abrangi-
Ou seja, através de uma simples con-
Para cumprirem as novas exigên- do pelo IVA na venda de bens ou
sultairiformatizada, agora é possível
cias"; òsí-ômêrciantes que ainda não prestação de serviços. Até nos casos
controlar as vendas, não através da
o fazem passam a ser obrigados a em que os consumidores finais não
declaração expontânea do comer- exijam factura.
emitir facturas de tudo o que ven- ciante, mas através da listagem das Fundamental nas facturas é a in-
dem. Desde um café numa tasca tra- compras que tenha feito - cujo con-
dicação do número de identificação
fiscal de quem compra ou solicitou o por agregado familiar. Se o consu- facturas à AT, é disponibilizada
serviço. midor final não indicar o NIF per- uma funcionalidade no Portal
Nos casos de recusa de emissão de de o direito ao benefício. Para che- das Finanças onde os consumi-
factura, o cliente poderá participar o gar ao máximo do benefício fiscal, dores podem inserir os elemen-
facto em qualquer serviço da AT, é necessário acumular um total su-
tos dessas facturas que tenham
identificando o agente económico o perior a 20 mil euros de facturas. em seu poder e que respeitem as
melhor possível (designação social, Aos consumidores basta exigi- áreas de actividade abrangidas
nome do estabelecimento, morada, rem a factura em todas as aquisi- pelo benefício fiscal.
etc.) de forma a possibilitar a inter- O cálculo do benefício fiscal é
ções que efectuem. Para usufruí-
venção imediata. rem do benefício fiscal devem so- efectuado automaticamente pela
A AT disponibiliza aos consumi- licitar a menção do seu número AT e comunicado aos consumi-
dores, no Portal das Finanças, a in- de identificação fiscal. Posterior- dores durante o mês de Fevereiro
formação actualizada das facturas
mente, e no final do mês seguinte do ano seguinte ao da emissão
que recebe das empresas e que con- ao da emissão da factura, podem das facturas.
tenham o respectivo NIF.
consultar e verificar se as mes- AAUTORIDADE
Benefício no IRS mas foram comunicadas à AT,
O benefício fiscal atribuído pela exi- através da consulta no Portal das
TRIBUTÁRIA CRUZARÁ
gência de factura consiste na dedu- Finanças.
OS DADOS E SABERÁ
ção à eòlecta áoIRS do consumidor,
5% do
Se os agentes económicos não QUEM COBROU E NÃO
do valor correspondente a comunicarem os elementos das
ENTREGOUOIVA
PARA ATINGIR O
TOTAL DO BENEFÍCIO,
HÁ QUE ACUMULAR
MAIS DE 20 MIL
EUROS EM FACTURAS
IVA constante das facturas emitidas
com o seu número de contribuinte,
quando se trate de aquisições ou ser-
viços em estabelecimentos ou co-
merciantes das áreas de manuten-
ção e reparação de veículos auto-
móveis; manutenção e reparação
de motociclos, de suas peças e
acessórios; alojamento e simila-
res; restauração e similares; e ac-
tividades de salões de cabeleirei-
ro e institutos de beleza.
O que está estabelecido para o
próximo ano - portanto, com be-
nefício a colher após a declaração
de rendimentos em Abril de 2014 -
é a atribuição de um benefício fis-
cal no valor máximo de 250 euros
Fim dos talões de venda ou notas de encomenda
prestação de serviços que realizem, sultar de máquinas registadoras ou
A partir de Janeiro, os agentes econó- independentemente do facto de o computadores. De referir que, quan-
micos - todos os comerciantes -
são cliente solicitar ou não esse docu- do utilizada a máquina registadora,
obrigados a declarar à Autoridade mento. esta deve permitir preencher todos
Tributária e Aduaneira (AT) os da- Como o próprio nome indica, a os campos necessários, nomeada-
dos de cada factura emitida durante a
mente o número de identificação fis-
sua actividade comercial. cal. Naturalmente
te ao nível dos requisitos que deve que os sujeitos
Os elementos das facturas podem
conter. Consequentemente, a possi- passivos que estejam obrigados à uti-
ser comunicados à AT por transmis- bilidade da sua utilização é restrita, lização de programas de facturação
são electrónica de dados em tempo certificados não poderão emitir fac-
apenas a poderão utilizar retalhistas
real, integrada em programa de fac- ou vendedores ambulantes nas ven- turas manuais. • •

turação electrónica; ou por transmis- das a particulares quando o valor da


são electrónica de dados, mediante
factura não for superior a mil euros
remessa de ficheiro normalizado es-
ou, de um modo genérico, todas as
truturado com base no ficheiro SAF-
entidades desde que o montante da
T (PT); ou por inserção directa no factura não seja superior a 100 euros.
Portal das Finanças.
A factura simplificada, que vem
Os agentes, £c.qnónàcçt§. Jpdfírão
. substituir os talões de venda, deve
unicamente emitir facturas ou factu- obrigatoriamente permitir a inser-
ras simplificadas nas suas vendas ou ção do número de identificação fis-
prestações de serviços. Os diversos cal do adquirente. Naturalmente
documentos que vinham a titular as que, quando o cliente particular o
operações tributáveis,
por exemplo njp deseje, qunãojfècu^&^peçJih.,
os talões de venda, os avisos de lan- vo número de identificação fiscal,
çamento, ou quaisquer outros, dei- será emitida factura simplificada
xam de poder ser utilizados. com esse campo não preenchido.
Os comerciantes são obrigados a Estes documentos podem ser ma-
emitir factura ou factura simplifica- nuais, quando adquiridos a tipogra-
da por cada transmissão de bens ou fias devidamente autorizadas ou re-

Оценить