Вы находитесь на странице: 1из 17

Estruturação Nome da empresa

Empresa K
Atividades Peso Nota Ponderada
Postura da alta direção 3.0 44.0% 132.0%
Treinamento introdutório 3.0 40.0% 120.0%
Estruturação dos comitês para implementação 3.0 24.4% 73.3%
Definição de diretrizes e Metas globais 2.0 15.0% 30.0%
Elaboração do Plano Diretor 2.0 5.0% 10.0%
Evento de lançamento do TPM 1.0 20.0% 20.0%
Nota Ponderada 27.5%

Check-List de Estruturação da TPM Empresa K


Postura da alta direção 44%
Sensibilização da alta direção (conceitos, etapas, vantagens,
resultados) para melhor liderar o processo 4
Comunicação da decisão às gerências (reunião) 3
Comunicação da decisão aos empregados (jornal interno, quadro
de aviso ou boletim específico) 1
Agenda de follow-up de alta direção para com o TPM 1
Agenda de visitas aos equipamentos/processo piloto 2
Treinamento introdutório 40%
Programação de Treinamento (públicos alvos, conteúdo, carga
horária) 1
Preparação para o Treinamento (agenda, material didático, salas,
instrutorias) 2
Execução do Treinamento (resultados das avaliações) 3
Evolução de Treinamento (percentual treinado, reciclagens) 2
Estruturação dos comitês para implementação 24%
Composição dos comitês (multidepartamental, distribuição dos
pilares) 2
Gestor (autonomia, dedicação de tempo, formação) 2
Definição das atribuições (atividades, prazos e responsáveis) 0
Agenda de reuniões (planejado X realizado) 0
Capacitação (treinamento, sessões de estudo) 2

Visitas externas e participação em eventos (planejado X realizado) 2


Literaturas para consultas (livros, filmes, apostilas para todos os
níveis) 1
Material promocional (faixas, cartazes, camisetas, bonés, cartilhas,
boletins internos, etc.) 1
Padronização de ferramentas de apoio ao TPM (Formatações de
Lições de Um Ponto, Levantamento de Perdas, Cálculo de
Eficiência, Etiquetas, Controle de Etiquetas, Quadros de TPM, 5
Por Que, Check-Lists, Auditorias, software de acompanhamento,
etc.) 1
Definição de diretrizes e Metas globais 15%
Objetivos, diretrizes e metas globais (produtividade, qualidade,
custo, atendimento, segurança, motivação) 1
Fórmula de cálculo de cada meta 0
Acompanhamento (gráfico) da evolução dos valores reais 1
Freqüência de apuração dos valores reais, responsáveis pelos
cálculos e freqüência de reuniões para análise dos desvios e
ações corretivas 1
Elaboração do Plano Diretor 5%
Etapas de implantação e respectivos prazos e responsáveis 0
Integração do TPM com outros programas estratégicos da
empresa 1
Forma de monitorar o avanço do TPM 0
Orçamento (atividades promocionais) 0
Evento de lançamento do TPM 20%
Programação das atividades (conteúdo, convidados, carga horária,
divulgação) 1
Local (dimensão, conforto, logística) 1
Lançamento (participação da alta direção, representatividade dos
funcionários, motivação, congraçamento) 1
Melhorias Específicas
Planta I
Atividades Peso Nota Ponderada
Seleção dos Equipamentos/células como piloto 1.0 60.0% 60.0%
Constituição e Capacitação dos Grupos de Trabalho 1.0 8.0% 8.0%
Levantamento das Perdas Atuais 3.0 33.3% 100.0%
Definição dos Temas e Metas para Melhorias 2.0 35.0% 70.0%
Elaboração do Plano de Melhorias 2.0 40.0% 80.0%
Mapeamento das análises e Medidas Defensivas 2.0 36.0% 72.0%
Implementação da Melhoria 3.0 40.0% 120.0%
Comprovação dos Resultados 2.0 26.7% 53.3%
Tomada de Providência para Evitar a Reocorrência 2.0 6.7% 13.3%
Disseminação das Melhorias Implementadas em
equipamentos/células 3.0 40.0% 120.0%
Nota Ponderada 33.2%

Check-List de Melhorias Específicas Planta I Planta II


Seleção dos Equipamentos/células como piloto 60% 60%
Seleção dos equipamentos/processos que possuem maiores
perdas, gargalos e/ou que possibilitem replicação horizontal com
base em relatórios de produção, de perdas, financeiros,
investimentos ou outros 3 3
Constituição e Capacitação dos Grupos de Trabalho 8% 8%
Formação dos grupos de Melhorias Individuais (Produção,
manutenção, Engenharia, Processo e outros) 0 0
Definição do líder de cada equipamento/célula 1 1
Treinamento do grupo na metodologia das 6 grandes perdas 0 0
Treinamento do grupo na estrutura do Pilar de Melhorias
Individuais 0 0
Treinamento do grupo sobre cálculo de eficiência 1 1
Levantamento das Perdas Atuais 33% 33%
Elaboração de planilha para levantamento de todas as perdas
associadas às paradas/reparos dos equipamentos/processos 2 2

Classificação e separação das perdas do processo/equipamentos


dentro do conceito das 6 grandes perdas 1 1

Determinação dos índices associados à eficiência do equipamento 2 2


Definição dos Temas e Metas para Melhorias 35% 35%
Definição de tema(s) que representa(m) a maior(es) perda(s),
utilizando-se do gráfico de pareto 2 2
Capacitação da equipe envolvida nos conceitos/demonstração do
Rendimento Operacional Global (ROG) e na metodologia das 6
grandes perdas 1 1
Definição do cronograma de reuniões da equipe para análise das
perdas 2 2
Definição de metas para os temas levantados com objetivo de
eliminar ou reduzir ao máximo as perdas 2 2
Elaboração do Plano de Melhorias 40% 40%
Reunião com a equipe para analisar a causa raiz da(s) perda(s)
identificada(s) através de ferramentas da metodologia (análise dos
porquês, análise de falha e outras) 2 2
Elaboração da árvore de causa para as possíveis causas
identificadas 2 2
Priorização da melhoria a ser implementada, identificando o
possível ganho em relação a eficiência global (percentual de
ganho) 2 2
Estabelecer metas para implementação das melhorias 2 2
Elaboração de um cronograma detalhado com prazos previstos
para início e término das atividades 2 2
Envio dos rascunhos do plano para análise do Grupo de Melhorias
Específicas 2 2
Mapeamento das análises e Medidas Defensivas 36% 36%
Definição dos recursos necessários para implementação das
melhorias 2 2
Elaboração de procedimento provisório até que a melhoria seja
implementada 2 2
Consenso das ações propostas com todas as turmas, procedendo
ajustes necessários 2 2
Apresentação do plano de ação para equipe, validando as ações
propostas 1 1
Elaboração de gráficos com os indicadores Produtividade,
Qualidade, Custo, Prazo, Segurança e Moral 2 2
Implementação da Melhoria 40% 40%
Acompanhamento da implementação da melhoria e correção de
possíveis desvios (prazos, recursos e outros) 2 2
Comprovação dos Resultados 27% 27%

Levantamento de dados suficientes para análise da situação atual


da perda(s) selecionada(s) após implementação da melhoria 2 2

Comprovação dos resultados obtidos com as metas estabelecidas 2 2


Comprovação do ganho obtido com o Rendimento Operacional
Global 0 0
Tomada de Providência para Evitar a Reocorrência 7% 7%
Estabelecimento de procedimentos e padrões operacionais/
manutenção que definam as atividades a serem seguidas evitando
a reocorrência 1 1
Elaboração do cronograma para disseminação de melhorias em
equipamentos/células 0 0
Realização de diagnóstico periódico para garantir a aplicação da
metodologia 0 0
Disseminação das Melhorias Implementadas em
equipamentos/células 40% 40%
Replicação da melhoria implantada em equipamentos/células
semelhantes 2 2
Planta II Empresa K
Nota Ponderada Ponderada
60.0% 60.0% 60.0%
8.0% 8.0% 8.0%
33.3% 100.0% 100.0%
35.0% 70.0% 70.0%
40.0% 80.0% 80.0%
36.0% 72.0% 72.0%
40.0% 120.0%
26.7% 53.3%
6.7% 13.3% 13.3%

40.0% 120.0% 120.0%


33.2% 33.2%
Manutenção Autônoma
Planta I
Atividades Peso Nota Ponderada
Limpeza Inicial 2.0 28.6% 57.1%
Eliminação das causas de problemas e dos locais de difícil
acesso 3.0 20.0% 60.0%
Padronização da Limpeza e Lubrificação 2.0 28.0% 56.0%
Inspeção Geral 3.0 15.0% 45.0%
Inspeção Autônoma 3.0 20.0% 60.0%
Organização e Ordem 1.0 66.7% 66.7%
Autocontrole 2.0 51.4% 102.9%
Nota Ponderada 28.0%

Check-List de Manutenção Autônoma Planta I Planta II


Limpeza Inicial 29% 31%
Instalação, disponibilidade e preenchimento de etiquetas 2 2
Controle das etiquetas 1 1
Planejamento para eliminar as etiquetas 1 2
Agilidade para eliminar as etiquetas da Manutenção 1 1
Agilidade para eliminar as etiquetas da Produção 1 1
Limpeza do equipamento 3 3
Registro das perdas 1 1
Eliminação das causas de problemas e dos locais de difícil
acesso 20% 23%
Identificação das causas de problemas 1 2
Elaboração de planos para eliminar as causas de problemas 2 2
Eliminação das causas de problemas 2 2
Identificação dos locais de difícil acesso 1 1
Elaboração de planos para eliminar os locais de difícil acesso 0 0
Eliminação dos locais de difícil acesso 0 0
Padronização da Limpeza e Lubrificação 28% 28%
Elaboração de padrão para as atividades de lubrificação 0 0
Elaboração de padrão para as atividades de limpeza 1 1
Participação dos operadores na elaboração dos padrões
existentes 3 3
Nível de cumprimento dos padrões existentes 3 3
Cálculo das perdas e Rendimento Operacional Global 0 0
Inspeção Geral 15% 15%
Cronograma de treinamento em Manutenção Autônoma para
operadores 1 1

Nível de Capacitação dos operadores em Manutenção Autônoma 2 2


Revisão da descrição de cargos dos operadores 0 0
Plotagem de Gráficos de Perdas e Rendimento Operacional
Global 0 0
Inspeção Autônoma 20% 20%
Habilidade dos operadores em executar pequenos reparos,
inspeções e lubrificação 1 1
Participação dos operadores elaboração de Lições de Um Ponto e
na revisão de padrões 1 1
Preenchimento de listas de verificação do equipamento pelos
operadores 1 1
Organização e Ordem 67% 67%
Utilização adequada dos recursos 4 4
Conservação dos recursos de apoio 3 3
Identificação dos recursos de apoio e locais de guarda 4 4
Arrumação dos recursos de apoio 4 4
Sistema de sinalização 2 2
Sistema de descarte de resíduos 3 3
Autocontrole 51% 51%
Habilidade dos operadores em equipamentos 2 2
Habilidade dos operadores em treinar outros 2 2
Controle Visual 1 1
Disciplina dos Operadores 3 3

Comportamento do Índice de Tempo Operacional (Disponibilidade) 3 3


Comportamento do Índice de Performance Operacional
(Desempenho) 3 3
Comportamento do Índice de Produtos Aprovados (Qualidade) 4 4
Planta II Empresa K
Nota Ponderada Ponderada
31.4% 62.9% 60.0%

23.3% 70.0% 65.0%


28.0% 56.0% 56.0%
15.0% 45.0% 45.0%
20.0% 60.0% 60.0%
66.7% 66.7% 66.7%
51.4% 102.9% 102.9%
29.0% 28.5%
Manutenção Planejada
Planta I
Atividades Peso Nota Ponderada
Avaliação do Equipamento e reconhecimento da situação
atual 2.0 36.0% 72.0%
Estabelecimento de uma organização de melhoria individual,
restaurando as deteriorações 2.0 64.0% 128.0%
Estabelecimento de um sistema de controle de informação 2.0 95.0% 190.0%
Estabelecimento de um sistema de manutenção programada 3.0 56.0% 168.0%
Estabelecimento de um sistema de manutenção preditiva 2.0 70.0% 140.0%
Mensuração dos resultados da manutenção 2.0 20.0% 40.0%
Nota Ponderada 51.2%

Check-List de Manutenção Planejada Planta I Planta II


Avaliação do Equipamento e reconhecimento da situação
atual 36% 64%
Levantamento e/ou atualização dos problemas atuais do
equipamento 3 5
Elaboração e implementação de padrões de avaliação do
equipamento 2 3
Definição de tipos e freqüência de falhas 1 2
Análise da situação atual (número de falhas por tipo, por prejuízos
a produção, etc.) 2 3
Definição de prazos de recuperação 1 3
Estabelecimento de uma organização de melhoria individual,
restaurando as deteriorações 64% 64%

Estabelecimento das condições básicas e correção dos problemas 4 3


Eliminação de ambientes que aceleram desgaste 4 3
Medidas preventivas para as falhas idênticas 1 3
Aumento da campanha de funcionamento do equipamento 3 3
Melhoria das Rotinas de trabalho 4 4

Estabelecimento de um sistema de controle de informação 95% 95%


Construção ou aperfeiçoamento do sistema de gerenciamento de
dados de falhas 5 5
Construção ou aperfeiçoamento do sistema de gerenciamento de
manutenção do equipamento 5 5
Construção ou aperfeiçoamento do sistema de gerenciamento de
custos de manutenção 4 4
Construção ou aperfeiçoamento de sistemas para controlar
equipamentos reservas e sobressalentes 5 5

Estabelecimento de um sistema de manutenção programada 56% 72%


Preparação para manutenção programada (lubrificantes,
sobressalentes, desenhos, catálogos, etc.) 3 3
Preparação de planilhas para manutenção programada 4 4
Seleção de equipamentos e componentes para manutenção
programada 4 4
Aperfeiçoamento do gerenciamento da manutenção programada
(procedimentos) 1 3
Melhoria da eficiência das paradas de manutenção 2 4
Aumento do rigor no controle de serviços terceirizados
Estabelecimento de um sistema de manutenção preditiva 70% 70%
Introdução de diagnósticos de equipamentos 3 3
Elaboração de planilhas de manutenção preditiva 5 5
Seleção de equipamentos, componentes para manutenção
preditiva 5 5
Ampliação gradativa da manutenção preditiva para outros
equipamentos e componentes 1 1
Mensuração dos resultados da manutenção 20% 33%
Avaliação do sistema de manutenção planejada 1 3
Avaliação da confiabilidade e manutenibilidade 1 1
Avaliação da redução de custos de manutenção por unidade
produzida 1 1
Planta II Empresa K
Nota Ponderada Ponderada

64.0% 128.0% 100.0%

64.0% 128.0% 128.0%


95.0% 190.0% 190.0%
72.0% 216.0% 192.0%
70.0% 140.0% 140.0%
33.3% 66.7% 53.3%
57.0% 54.1%
Educação e Treinamento
Planta I
Atividades Peso Nota Ponderada
Avaliação do programa de treinamento atual e fixação da
política e estratégia de prioridade 1.0 30.0% 30.0%
Elaboração dos programas de treinamento para melhorar
habilidades da Operação e Manutenção 2.0 13.3% 26.7%
Implementação do treinamento 3.0 25.0% 75.0%
Projeto e desenvolvimento de um programa de
desenvolvimento de habilidades 1.0 0.0% 0.0%
Nota Ponderada 18.8%

Check-List de Educação e Treinamento Planta I Planta II


Avaliação do programa de treinamento atual e fixação da
política e estratégia de prioridade 30% 35%
Levantamento das necessidades da equipe de manutenção e da
produção com a implantação do TPM 1 1
Levantamento do perfil atual das equipes de manutenção e
produção (individualizado) 1 1
Planejamento do treinamento para atender as necessidades 1 2
Planejamento de possíveis contratações 3 3
Elaboração dos programas de treinamento para melhorar
habilidades da Operação e Manutenção 13% 13%
Definição de responsáveis pelos treinamentos em sala de aula e
no local de trabalho 1 1
Elaboração de Lições de Um Ponto 1 1
Preparação de ferramental para treinamento prático 0 0
Implementação do treinamento 25% 25%

Definição do conteúdo, materiais para treinamento, salas de aula 1 1


Realização do treinamento em sala de aula 2 2
Realização do treinamento no local de trabalho (on the job
training) 1 1

Avaliação do treinamento pelos treinandos e pelos supervisores 1 1


Projeto e desenvolvimento de um programa de
desenvolvimento de habilidades 0% 0%
Revisão na política de remuneração em função do TPM 0 0
Planta II Empresa K
Nota Ponderada Ponderada

35.0% 35.0% 32.5%

13.3% 26.7% 26.7%


25.0% 75.0% 75.0%

0.0% 0.0% 0.0%


19.5% 19.2%
Controle Inicial
Planta I
Atividades Peso Nota Ponderada
Investigação e análise da situação atual 1.0 70.0% 70.0%
Estabelecimento de um sistema de Controle Inicial 2.0 60.0% 120.0%
Início do novo sistema e promoção de treinamento 2.0 60.0% 120.0%
Aplicação definitiva do novo sistema 3.0 60.0% 180.0%
Nota Ponderada 61.3%

Check-List de Controle Inicial Planta I Planta II


Investigação e análise da situação atual 70% 70%
Elaboração do fluxograma de trabalho atual 4 4
Identificação de problemas no fluxograma 4 4
Esclarecimento dos mecanismos adotados para prevenir
problemas no estágio de cotação do equipamento 4 4
Estabelecimento dos problemas que ocorrem na produção piloto,
teste de operação, início de operação e das ações corretivas
tomadas 3 3
Identificação dos atrasos que ocorrem durante a produção piloto,
teste de operação e início de operação 2 2
Pesquisa das informações que estão sendo coletadas para o
projeto de produto ou equipamento com altos níveis de utilidade,
fabricabilidade, facilidade de garantia da qualidade,
manutenibilidade, confiabilidade, segurança e competitividade 4 4
Estabelecimento de um sistema de Controle Inicial 60% 60%
Análise e projeto da estrutura básica requerida e definição de seu
escopo de aplicação 3 3
Análise e estabelecimento de um sistema para acumular e usar as
informações requeridas 3 3
Elaboração ou revisão de padrões e formulários necessários para
operar o sistema 3 3
Início do novo sistema e promoção de treinamento 60% 60%
Envolvimento com as atividades passo-a-passo para cada fase e
tópico 4 4
Treinamento das pessoas nos padrões técnicos requeridos para
implementar o novo sistema 3 3

Avaliação a cada passo do novo sistema em termos de como as


pessoas estão entendendo, como estão suas habilidades no uso
da técnica, como está o retorno do uso no local de trabalho 2 2
Utilização dos resultados desta avaliação para manter ou modificar
o sistema e os vários padrões e documentos 3 3
Registro dos ganhos com o uso do sistema 3 3
Aplicação definitiva do novo sistema 60% 60%
Aplicação do novo sistema em todas as áreas 3 3
Otimização do custo do ciclo de vida e garantia do uso de
informações no projeto de equipamentos e produtos 3 3
Identificação de problemas que ocorrem em cada estágio 3 3
Planta II Empresa K
Nota Ponderada Ponderada
70.0% 70.0% 70.0%
60.0% 120.0% 120.0%
60.0% 120.0% 120.0%
60.0% 180.0% 180.0%
61.3% 61.3%
Diagnóstico TPM - TRW - Abril/2003

Tópicos Diagnosticados Planta I Planta II Empresa K


Estruturação 28% 28% 28%
Melhorias Específicas 33% 33% 33%
Manutenção Autônoma 28% 29% 28%
Manutenção Planejada 51% 57% 54%
Educação e Treinamento 19% 20% 19%
Controle Inicial 61% 61% 61%
TPM* 36% 38% 37%
* A média de TPM da empresa leva em consideração o peso de cada tópico
003

Peso
2
3
3
3
1
1

e cada tópico