You are on page 1of 9

0

Unido Marciano Guaice

Princípios e Valores adoptados pelos colaboradores das organizações

Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos

ISCED

2019
1

Unido Marciano Guaice

Princípios e Valores adoptados pelos colaboradores das organizações

Trabalho da Cadeira de Ética e Deontologia


Profissional ser apresentada no ISCED curso de
Gestão de Recursos Humanos para efeitos
avaliativos

ISCED

2019
2

Índice

Conteúdo Página
1.Introdução .................................................................................................................. 3

1.1.Objectivos ............................................................................................................... 3

1.2.Metodologia ............................................................................................................ 3

2.Ética profissional ....................................................................................................... 4

2.1.O colaborador da organização e a ética .................................................................... 4

2.2.Valores éticos nas organizações............................................................................... 5

2.3.Princípios éticos ...................................................................................................... 6

3.Conclusão .................................................................................................................. 7

4.Bibliografia ................................................................................................................ 8
3

1.Introdução
A sustentação de qualquer organização (família, empresa, cidade, país, planeta) depende de
valores, da ética e da formação da moral. Apesar do crescente interesse e exaltação desses
assuntos, principalmente nos ambientes corporativos, ainda constatamos uma incómoda
imaturidade nas acções da maioria das pessoas, gerando inúmeros problemas como conflitos,
corrupção, assédios, injustiças, etc.

Um valor é a consideração por uma atitude apreciada ou estimada por alguém. Assim, valores
são apropriados quando demonstram certas atitudes éticas, sendo um padrão de conduta
apropriado sempre originado na maneira pela qual eu desejo que os outros me vejam ou me
tratem. O que espero ou desejo dos outros se torna meu padrão ético e originam-se da
consideração inerente e comum ao próprio interesse e conforto. Neste trabalho debruça-se
acerca de valores e princípios a serem adoptados pelos colaboradores nas organizações. O
mesmo foi estruturado da seguinte forma: a introdução, objectivos, metodologia,
desenvolvimento e conclusão.

1.1.Objectivos
Geral

 Conhecer os princípios e valores adoptados pelos colaboradores das organizações

Específicos

 Indicar os valores adoptados pelos colaboradores das organizações;


 Descrever os princípios adoptados pelos colaboradores das organizações;

1.2.Metodologia
Para a materialização do trabalho fez-se busca de informações em obras disponíveis físicas e
virtuais, análise de informações buscadas nas obras, tendo culminado com a unificação de
informações e produção final do trabalho.
4

2.Ética profissional

Na visão de Vázquez (2002: 69) a ética seria uma reflexão acerca da influência que o código
moral estabelecido exerce sobre a nossa subjectividade, e acerca de como lidamos com essas
prescrições de conduta, se aceitamos de forma integral ou não esses valores normativos e,
dessa forma, até que ponto nós damos o efectivo valor a tais valores

A ética seria uma reflexão acerca da influência que o código moral estabelecido exerce sobre
a nossa subjectividade, e acerca de como lidamos com essas prescrições de conduta, se
aceitamos de forma integral ou não esses valores normativos e, dessa forma, até que ponto nós
damos o efectivo valor a tais valores (ARRUDA, 2002)

Entende-se com os autores acima que o agente moral deve colocar em prática sua autonomia
enquanto indivíduo, pois aquele que possui uma postura de passividade apenas aceita
influências de qualquer natureza.

Segundo DAINEZE (2010), o padrão ético deve ser baseado em três princípios:

 No senso e bem comum, a respeito do que é a conduta aceitável (bem de todos);

 Valorização da singularidade;

 Autonomia e responsabilidade individual pelo todo.

2.1.O colaborador da organização e a ética


A ética pode ser representada pela honestidade e integridade de conduta em todas as áreas de
nossa vida, dai porque a importância de se estabelecer um padrão de conduta no âmbito
corporativo, pois uma organização empresarial não tem vida própria; são seus empregados,
colaboradores e dirigentes que dão vida à empresa e constroem a sua reputação e imagem, no
âmbito interno e externo. Ser reconhecida como uma empresa ética significa que ela é repleta
de virtudes, como a honestidade, a transparência e a integridade de conduta (DAINEZE,
2010)
Na visão de Arruda (2002: 69) no seu código de ética corporativo, a organização empresarial,
também, pode estabelecer proibições e regras de condutas a serem observadas e cumpridas
por todos os seus empregados, administradores e colaboradores, sob pena de punições
disciplinares no caso dos empregados que poderão até ser demitidos por justa causa (Código
de Conduta).
5

Os Códigos de Ética Corporativos costumam destacar, com mais frequência, temas como:
missão e visão da empresa; princípios e valores da empresa; princípios éticos gerais; normas
de padrão de conduta da empresa e de seus empregados, administradores e colaboradores,
política de uso do e-mail, internet e sistemas de informática; política em relação ao património
da empresa, política em relação ao uso de álcool, tabagismo e drogas ilícitas; política em
relação a prevenção do assédio moral e assédio sexual; política contra qualquer tipo de
discriminação, política de sigilo das informações; política de relacionamento com empresas
concorrentes; política em relação ao meio ambiente de trabalho; política de saúde e segurança
do trabalho; conflitos de interesses; política de relacionamento com clientes/consumidores,
prestadores de serviços, fornecedores, investidores, imprensa, sindicatos,
comunidade/sociedade e Governo e punições aos infractores (DAINEZE, 2010)

2.2.Valores éticos nas organizações


De acordo com DAINEZE (2010), são um conjunto de acções éticas que auxiliam gerentes e
funcionários a tomar decisões de acordo com os princípios da organização.
Quando bem implementados, os valores éticos tendem a especificar a maneira como a
empresa administrará os negócios e consolidar relações com fornecedores, clientes e outras
pessoas envolvida.
Os valores são princípios norteadores das aspirações, acções e avaliações, instituindo normas,
sejam individualmente ou socialmente, para obtenção do que se necessita ou se deseja. As
organizações também possuem seus valores, direccionando as acções para atingir as metas.
Constituem o núcleo da cultura organizacional e definem o sucesso da organização (BANKS
& NOHR, 2008).
Os valores associados à ética exigem critérios de coerência, empenhamento,
comprometimento e verdade na e com a organização. Os valores são indispensáveis para o
desenvolvimento e a confiança entre todos os participantes da organização, cada um sabe qual
a sua posição e por isso havendo a obrigação de se comportar conforme as funções e os papéis
que possui na estrutura da organização (Rego, 2000).
Quanto mais altas as posições na hierarquia da organização, maior é a responsabilidade destas
pessoas, maior atenção devem prestar aos valores e aos comportamentos éticos, pois o
exemplo é mais forte do que as palavras por mais correctas que elas sejam têm pouco efeito,
quanto muito tornam-se inúteis.
Por conseguinte, a ética tem sempre forte ligação aos valores considerados como exemplares
no envolvimento globalizado da organização (ARRUDA, 2000). Neste sentido a ética é cada
6

vez mais pensada, quando o fenómeno organizacional é analisado, tendo merecido uma
crescente e especial atenção por escolas e autores que estudam estas matérias. Neste
entendimento os valores não são uma opção, são sim uma necessidade sentida pelas pessoas,
assim como também a ética. Podemos afirmar que ninguém pode viver bem e feliz quando
tanto os valores como a ética são postos em causa através de qualquer método não aceite
universalmente.
Os defensores e preocupados com os valores, com a ética e a moral, adoptam atitudes que se
identificam com a dignidade humana, assumem a responsabilidade das suas acções. Estes
comportamentos respeitam os valores dos outros, aplicam o humanismo, há um envolvimento
em causas colectivas dando respostas aos apelos individuais nas organizações mas também na
comunidade. De facto, a ética e os valores, nas sociedades actuais, exigem muito no seu
seguimento, porém dão um conforto considerável, uma tranquilidade, às pessoas que investem
em pô-los em prática.

2.3.Princípios éticos
Ao longo da última década, tanto alta administração quanto os demais colaboradores nas
grandes corporações passaram a identificar os valores e a missão das empresas como
requisitos obrigatórios para demonstrar a seriedade de propósitos e a transparência na
administração para o mundo corporativo.
Dentre os princípios gerais podem ser elencados:

 Honestidade no trabalho;
 Lealdade com a empresa;
 Formação de uma consciência profissional;
 Execução do trabalho no mais alto nível de rendimento;
 Respeito à dignidade da pessoa humana;
 Segredo profissional;
 Discrição no exercício da profissão;
 Prestação de contas ao chefe hierárquico;
 Observação das normas administrativas da empresa;
 Tratamento cortês e respeitoso a superiores, colegas e subordinados hierárquicos;
 Apoio a esforços para aperfeiçoamento da profissão (DAINEZE, 2010).
7

3.Conclusão
Ética, diz respeito ao conjunto de princípios e valores morais que norteiam o comportamento
das pessoas ou de um grupo de pessoas.

Preservar a reputação conquistada ao longo dos anos exige das empresas muito mais do que a
criação de regras e departamentos de auditoria. É preciso consolidar seus valores e sua missão
em um código de ética ou de conduta que possa orientar os colaboradores e explicitar a
postura da companhia diante dos diferentes públicos com os quais interage. O código de ética
deve reflectir a cultura da organização e ser coerente com suas práticas.

Dessa forma, a ética deve estar de acordo com os limites que a pessoa se impõe na busca de
sua ambição. Deve ser tudo o que ela não quer fazer na luta para conseguir realizar seus
objectivos, ou seja, não subtrair, tendo em vista seus valores e sua conduta
8

4.Bibliografia

ARRUDA, M.C.C (2002). Código de Ética: um instrumento que adiciona valor. São Paulo:
Negócio Editora.

DAINEZE, Marina do Amaral. (2010). Códigos de Ética Empresarial e as Relações da


Organização com seus Públicos.

MORGAN, Gareth. (2013). Imagens da organização. Tradução de Cecília Whitaker


Bergamini, Roberto Coda. São Paulo.

VÁZQUEZ, A (2002). Ética. 23ª ed. Rio de janeiro: Civilização Brasileira.