Вы находитесь на странице: 1из 8

PERGUNTAS

 –  INSTALAÇÕES  1  
 
1.1 Refrigeração   é   o   processo   segundo   o   qual   calor   é   transferido   de   um   meio   a  
temperatura  menor  para  um  meio  a  temperatura  maior.    
1.2  A  humanidade  dependia  de  meios  naturais  para  a  produção  de  frio.  Utilizava-­‐se  
gelo  transportado  de  regiões  frias,  armazenando  gelo  do  inverno  para  ser  usado  
no  verão,  obter  gelo  durante  as  noites  frias  para  usar  durante  o  dia.    
1.3 O   gelo   natural   foi   usado   nos   primeiros   refrigeradores   (ice   box)   e   permitiu   a  
comercialização   de   produtos   perecíveis   em   locais   distantes   de   onde   foram  
produzidos,  aumentando  significativamente  o  comércio  entre  as  cidades.  
1.4 Ice   houses   eram   construções   em   madeira   ou   alvenaria   semi   ou   totalmente  
enterradas   com   paredes   de   1   metro   de   espessura   que   eram   utilizadas   para  
armazenar  grande  quantidade  de  gelo  natural.    
1.5 Ice   boxes   eram   os   refrigeradores   do   início   do   século   XIX   e   eram   basicamente  
uma   caixa   de   madeira   isolada   termicamente   que   mantinham   um   bloco   de   gelo  
no  seu  interior  para  conservar  alimentos  por  até    um  dia.  
1.6 O   experimento   de   William   Cullen   utilizou   uma   bomba   de   vácuo   para   expandir  
éter  contido  em  um  pequeno  volume.  Com  a  queda  de  pressão  o  éter  entra  em  
ebulição   mesmo   com   temperaturas   reduzidas.   Dessa   forma   existe   uma   taxa   de  
transferência  de  calor  elevada  entre  o  éter  e  a  água  o  que  produz  o  gelo.  
1.7 Jacob   Perkins   foi   o   primeiro   a   descrever   completamente   um   equipamento   de  
refrigeração   operando   de   maneira   cíclica.   Era   um   ciclo   de   compressão   com  
fluido  volátil.    
 
2.1   Um   refrigerador   operando   no   ciclo   de   compressão   a   vapor   possui   um  
compressor,   um   condensador   um   dispositivo   de   expansão   e   um   evaporador   e   sua  
operação  é  baseada  no  ciclo  de  Carnot.    
2.2    

 
2.3   Ciclo   de   Carnot   é   relevante   pq   estabelece   um   limite   teórico   de   eficiência   para  
operação  
2.4   Coeficiente   de   performance   define   o   desempenho   de   um   ciclo   de   refrigeração  
pela   razão   entre   seu   efeito   útil   e   a   ação   necessária   para   isso.   Um   parâmetro   a   ser  
usado  na  comparação  de  sistemas  de  refrigeração  concorrentes.  
 
2.5  COPcarnot  =  Tev  /  (Tcd  –  Tev)    
 
2.6   COP   pode   ser   aumentado   mantendo   a   temperatura   de   evaporação   o   mais   alta  
possível  e/ou  a  temperatura  de  condensação  o  mais  baixa  possível.  Pois  dessa  forma  
o  efeito  útil  aumenta  mas  o  trabalho  diminui.  
 
2.7   Não   é   possível   maximizar   o   COP   de   Carnot   pois   este   já   estabelece   um   limite  
máximo  teórico.  
 
2.8    

       
 
2.9   Limitação   prática   para   temperatura   da   fonte   fria   (Tev):   imposta   pela   aplicação  
(conforto  térmico,  a  temperatura  de  refrigeração  dos  alimentos,  etc)  
Limitação   prática   para   temperatura   da   fonte   quente   (Tcd):   limitações   em   geral   do  
meio  ambiente,  depende  do  local  onde  se  rejeita  o  calor  (temperatura  ambiente)  
 
2.10  Limitação:  deve  haver  diferença  de  temperatura  entre  Tev  e  Tcd  para  q  haja  a  
troca  de  calor.  Em  um  ciclo  ideal  seria  possível  ter  troca  de  calor  com  uma  diferença  
infinitesimal  de  temperatura  
 
2.11  Bomba  de  calor  é  essencialmente  um  ciclo  de  refrigeração  que  procura  aquecer  
e   não   refrigerar.   Possui   os   mesmos   componentes   que   um   ciclo   de   compressão   a  
vapor  só  que  ao  contrário  
 
2.12  COPhp  =  Tcd/(Tcd-­‐Tev)  ou  COPhp  =  COPref  +  1  
 
2.13  Um  gás  não  condensável  (nas  pressões  e  temperaturas  do  ciclo)  isoladamente  
ou   em   mistura   com   o   fluido   refrigerante   altera   os   processos   de   troca   de   calor   no  
ciclo.  Aumento  de  W  e  redução  de  Qev  ocasionando  redução  do  COP  
 

 
2.14  Num  ciclo  de  compressão  a  vapor  tem  uma  compressão  adiabática.  O  ponto  1  
(entrada   do   compressor)   passa   a   ser   feito   de   vapor   saturado   e   a   compressão   vai   até  
vapor   super   aquecido.   No   ciclo   de   Carnot   o   refrigerante   entra   no   compressor   com  
gotículas   liquidas   o   que   na   realidade   acarreta   dano   ao   compressor   e   perda   de  
rendimento.  
 
2.15   Num   ciclo   de   compressão   a   vapor   o   processo   de   expansão   é   na   verdade   um  
processo   isentálpico.   E   o   processo   de   expansão   real   é   irreversível,   ou   seja,   tem  
aumento  da  entropia.    
 
2.16    

 
 
2.17    

 
 
2.18    

 
 
2.19  efeito  de  refrigeração:  qev  =  h1  –  h4  
 
2.20   trabalho   específico   de   compressão:   wcp   =   h2   –   h1;   trabalho   de   compressão:  
Wcp  =  mponto  (h2-­‐h1)  
2.21  Balanço  de  energia  para  o  compressor:    
Wcp  +  m.  h1  =  m.  h2  +  Qamb  (Qamb  =  0  à  desprezado  pq  é  mto  pequeno)  
 
2.22  Balanço  de  energia  para  o  evaporador:  
m.  h4  +  Qev  =  m.  h1  
 
2.23  Balanço  de  energia  no  condensador:  
m.  h2  =  m.  h3  +Qcd  
 
2.24  Balanço  de  energia  no  dispositivo  de  expansão  
m.  h3  =  m.  h4  à  h3  =  h4  à  processo  isentálpico  
 
3.1   Fluido   refrigerante   é   uma   substância   química   responsável   pelo   transporte   de  
energia  em  um  ciclo  de  refrigeração.  Calor  é  absorvido  pelo  refrigerante  em  um  local  
sendo   rejeitado   em   outro.   Em   geral,   essa   troca   de   calor   envolve   uma   mudança   de  
fase  do  refrigerante  
 

3.2 Os  fluidos  primários  são  utilizados  nos  ciclos  frigoríficos  por  compressão,  em  que  há  
a  sequência  de  compressão,  condensação,  expansão  e  evaporação;  são,  portanto,  
fluidos  de  expansão  direta,  já  que  realizam  diretamente  a  evaporação  em  
correspondência  do  ponto  de  utilização  que  necessita  da  refrigeração.  

Os  fluidos  para  a  transferência  de  calor  trocam  calor  com  os  primários  para  transferir  o  
frio  em  circuitos  de  grandes  dimensões,  otimizando  custos  e  segurança,  pois  trata-­‐se  de  
líquidos  não  perigosos  que,  portanto,  reduzem  significativamente  a  quantidade  dos  
fluidos  primários  a  circular  e  a  probabilidade  de  vazamentos  acidentais.  

3.3   Os   3   principais   critérios   na   escolha   de   um   fluido   refrigerante   são:   Segurança  


(Flameabilidade  e  toxicidade),  meio  ambiente  (GWP  e  ODP)  e  desempenho.  
 
3.4    
  3.4.1   O   impacto   em   um   ciclo   de   refrigeração   por   compressão   se   um   fluido  
cuja   pressão   de   vaporização   for   muito   baixa   for   usado   é   necessário   criar  
praticamente  um  vácuo  para  que  haja  vaporização  o  que  é  caro  e  reduz  a  eficiência  
volumétrica  do  compressor  
 
  3.4.2   O   impacto   em   um   ciclo   de   refrigeração   por   compressão   se   um   fluido  
cuja   pressão   de   condensação   é   muito   alta   a   eficiência   volumétrica   do   compressor  
diminui   pq   é   difícil   atingir   essa   pressão   (razão   de   compressão   mto   alta   diminui   a  
eficiência)  e  pode  criar  um  risco  de  segurança  no  sistema  
 
  3.4.3   O   impacto   em   um   ciclo   de   refrigeração   por   compressão   se   o   mesmo  
possui   calor   latente   de   vaporização   elevado   é   que   será   necessário   uma   vazão   de  
refrigerante  menor  para  uma  dada  capacidade  de  refrigeração.    
 
  3.4.4   O   impacto   em   um   ciclo   de   refrigeração   por   compressão   se   o   mesmo  
possui   volume   específico   reduzido   é   que   um   menor   volume   específico   de   vapor  
permite  reduzir  a  vazão  volumétrica  para  uma  dada  capacidade  de  refrigeração.  
 
  3.4.5  O  impacto  em  um  ciclo  de  refrigeração  por  compressão  se  ele  possui  um  
COP  elevado  significa  que  custo  operacional  é  maior  já  que  o  efeito  útil  em  relação  
ao  trabalho  inserido  é  maior  para  uma  dada  capacidade  de  refrigeração  
 
  3.4.6   O   impacto   em   um   ciclo   de   refrigeração   por   compressão   se   o   mesmo  
apresenta  condutibilidade  térmica  elevada  significa  q  ele  favorece  a  transferência  de  
calor  (?)  
 
  3.4.7  O  impacto  em  um  ciclo  de  refrigeração  por  compressão  se  o  mesmo  tem  
baixa  viscosidade  na  fase  líquida  e  gás  significa  que  ele  flui  mais  fácil  pelas  linhas  o  q  
significa  que  tem  menos  perdas  no  sistema  
 
  3.4.8  O  impacto  em  um  ciclo  de  refrigeração  por  compressão  se  o  mesmo  tem  
boas   propriedades   elétricas   significa   q   ele   tem   baixa   constante   dielétrica,   grande  
resistência   elétrica   e   não   corrosivo   de   materiais   de   uso   em   componentes   elétricos  
(?)  
 
3.5  As  duas  propriedades  relevantes  de  um  fluido  refrigerante  quanto  a  proteção  do  
meio  ambiente  é  seu  potencial  de  depleção  da  camada  de  ozônio  e  seu  potencial  de  
aquecimento  global.  
 
3.6  Características  relevantes  quanto  a  segurança  são  o  potencial  de  flamabilidade  e  
sua  toxicidade.    
 
3.7   Não   existe   um   fluido   refrigerante   ideal   com   todos   os   fatores.   Depende   de   cada  
sistema  e  aplicação  
 
3.8   Os   fluidos   refrigerantes   utilizados   nos   primórdios   da   indústria   de   refrigeração  
eram   os   compostos   inorgânicos.   Eter,   amônia,   CO2,   dioxido   de   enxofre,   cloro-­‐
metano  
 
3.9  Nos  primórdios  os  sistemas  ainda  não  eram  selados/herméticos  o  que  limitava  o  
seu  uso  (especialmente  no  setor  residencial).  Sistemas  tinham  muitos  vazamentos,  
necessitava  de  grandes  deslocamentos  (grandes  dimensões  e  consumo  elevado),  
carência  de  um  refrigerante  adequado.  
 
 
3.10   Os   CFCs   revolucionaram   a   indústria   de   refrigeração   pois   não   eram   tóxicos   nem  
inflamáveis  e  baratearam  os  sistemas.  
 
3.11  Thomas  Midgley  Jr.  liderou  a  pesquisa  q  levou  ao  CFCs.  
 
3.12  Descobriu-­‐se  que  os  CFCs  causavam  a  destruição  da  camada  de  ozônio.  Cria-­‐se  
então   o   tratado   de   montreal   para   limitar   o   uso   desses   refrigerantes   evitando  
maiores  anos  a  camada  de  ozônio  
 
3.13   Alguns   fluidos   usados   como   refrigerantes   tem   consequências   para   o   efeito  
estufa   com   potencial   de   aquecimento   maior   q   o   CO2.   6   deles   mencionados   no  
tratado  de  Kyoto  (CH4,  CO2,  N2O,  HFCs,  PFCs  e  SF6  –  enxofre).    
 
3.14  São  refrigerantes  com  potencial  de  aquecimento  global,  algo  q  o  protocolo  de  
Kyoto  busca  diminuir  
 
3.15   Os   EUA   se   recusam   a   aderir   ao   protocolo   de   Kyoto   pois   uma   redução   na  
emissão   de   gases   de   efeito   estufa   diminuem   a   produção   afetando   a   economia   do  
país.    
 
3.16   O   ozônio   é   importante   pois   ele   filtra   raios   UV   que   aumentam   os   riscos   de  
câncer  de  pele,  catarata,  afeta  o  sistema  imunológico,  causa  dano  a  vida  no  planeta  e  
degrada  a  produtividade  das  lavouras  
 
3.17  Cloro  do  CFC  se  liga  ao  oxigênio  do  O3  formando  uma  molécula  de  O2  e  outra  
de   Cl+O.   Monóxido   de   cloro   é   instável   e   se   quebra   liberando   um   átomo   de   Cl   e  
formando  uma  molécula  de  O2.  O  ciclo  se  repete.  
 
3.18  ODP  =  Ozone  Depletion  Potential:  é  um  índice  que  traduz  o  potencial  de  uma  
substância   para   a   depleção   da   camada   de   ozônio.   O   CFC11   é   tomado   como  
referencia,  tendo  o  maior  potencial  (ODP=1).    
 
3.19  Existem  fluidos  com  ODP  =  0:  R134a,  R  717,  R714  (CO2)  e  R600  
 
3.20   O   aquecimento   global   é   causado   pela   presença   dos   gases   de   efeito   estufa   na  
atmosfera   que   não   permitem   que   a   radiação   da   terra   seja   emitida   de   volta   para   o  
espaço.   Dessa   forma,   a   radiação   é   emitida   da   terra   é   parcialmente   absorvida   e  
emitida  de    volta  pra  terra  aumentando  a  temperatura  média.  
 
3.21   GWP   =   Global   Warming   Potential:   é   um   índice   que   mede   o   impacto   de   uma  
substância  como  gás  de  efeito  estufa.  CO2  é  usado  como  referencia  por  ter  o  maior  
impacto  líquido  sobre  o  aquecimento  global.  (GWP  =  1)  
 
3.22  Existem  fluidos  com  GWP  =  0:  R600  e  R717  é  aproximadamente  0  
 
3.23  
3.24   TEWI   =   Total   Equivalent   Warming   Impact:   Representa   a   soma   do   efeito   da  
descarga  direta  do  refrigerante  na  atmosfera  mais  o  efeito  da  emissão  de  dióxido  de  
carbono  devido  a  energia  usada  ao  longo  da  vida  do  equipamento.  
 
3.25  Refrigerantes  halocarbonicos/halogenados:  CFCs  (R11),  HCFCs  ,  HFCs  (R134a)  
 
3.26  Refrigerantes  inorgânicos:  Amônia,  água,  CO2  
 
3.27   Blends   são   misturas   de   diferentes   refrigerantes   [podem   se   classificar   como  
azeotrópicas   ou   zeotrópicas(concentrações   de   liquido   e   vapor   são   diferentes   da  
concetração  inicial)]  
 
3.28   Glide   é   a   diferença   entra   as   temperaturas   de   início   e   término   da   mudança   de  
fase.  
 
3.29  Azeotrópico:  Glide  =  0.  Não  azeotrópico:  Glide  >  0.  
 
3.30   A   reposição   do   vazamento   de   refrigerante     num   sistema   com   blend   é  
complicada  pois  a  composição  do  refrigerante  perdido  na  fase  de  vapor  é  diferente  
da  composição  do  liquido  remanescente.      
 
3.31    

 
 
3.32  Para  que  haja  um  acidente  envolvendo  um  HC  é  necessário  ter  um  vazamento  
em  que  a  concentração  do  HC  no  ar  esteja  dentro  da  faixa  do  limite  de  flamabilidade  
e  tem  que  ter  uma  fonte  de  ignição.  Tem  q  ocorrer  as  3  condições  simultaneamente  
 
3.33  A  ventilação  contribui  para  reduzir  as  chances  de  um  acidente  com  um  HC  pois  
ela  evita  que  a  concentração  de  HC  no  ar  fique  dentro  do  limite  de  flamabilidade.    
 
3.34  Em  um  sistema  de  refrigeração  o  refrigerante  entra  em  contato  com  diversos  
materiais,   como   metais,   plásticos,   elastômeros,   vernizes   do   isolamento   elétrico   e   o  
próprio   lubrificante.   O   refrigerante   deve   ser   estável   e   inerte   em   relação   a   estes  
materiais.    
3.35   Em   sistemas   frigoríficos,   o   refrigerante   entra   em   contato   íntimo   com   o   óleo  
lubrificante,   sendo   levado   a   diferentes   partes   do   circuito.   Além   da   função   de  
lubrificar  o  compressor,  o  óleo  tem  a  função  de  resfriamento  e,  em  alguns  casos,  de  
vedação  entre  regiões  de  alta  e  baixa  pressão.  Dependendo  do  refrigerante  os  óleos  
podem   ser   classificados   em   misciveis,   parcialmente   misciveis   e   imisciveis.  
Dependendo  da  situação  a  miscibilidade  pode  ser  bom  ou  ruim.    
 
3.36  Dois  refrigerantes  secundários:  água,  etileno  glicol,  propileno  glicol,  salmouras,  
CO2,  pastas  de  gelo  (ice-­‐slurries)  
 
3.37   Exemplo   de   aplicação   onde   o   uso   de   um   refrigerante   secundário   se   impõe:  
quando   se   deseja   reduzir   custos   ou   riscos   associados   a   uma   grande   carga   de  
refrigerante  primário.    
 
3.38   Consequencias   da   adição   de   um   aditivo   como   o   monoetileno   glicol   a   agua:  
diminui   o   ponto   de   solidificação,   aumenta   a   densidade,   diminui   a   condutividade  
térmica  e  aumenta  a  viscosidade  (maior  perda  de  carga)  
 
3.39   Para   saber   a   perda   de   carga   de   um   fluido   secundário   em   relação   a   agua   é  
necessário  comparar  as  viscosidades  da  agua  com  a  do  fluido  secundário  
 
3.40  Para  saber  a  transferência  de  calor  de  um  fluido  secundário  em  relação  a  agua  é  
necessário  comparar  o  calor  especifico  da  agua  com  a  do  fluido  secundário  
 
3.41  3  fluidos  refrigerantes  naturais:  amônia,  CO2  e  HCs  (hidrocarbonetos)  
 
3.42  Em  geral  possuem  ODPs  e  GWPs  baixos  à  preservam  o  meio  ambiente    
 
4.1